Mário Teixeira, autor de “Liberdade, Liberdade”, comemora o sucesso da novela!

mário_teixeira

Autor de “Liberdade, Liberdade”, Mario Teixeira está satisfeito com o desempenho de sua primeira novela das onze, que termina nesta quinta-feira (4). O último capítulo marcou 22 pontos na Grande São Paulo, recorde às quintas, quando vai ao ar mais tarde. “Tivemos muito carinho e dedicação, e o resultado final mostra o esforço e talento de todos os envolvidos”, comemora.

Na reta final, a novela também registrou audiência superior à de “Verdades Secretas” (2015), de Walcyr Carrasco, antecessora no horário. Por causa do sucesso, a Globo lançará uma continuação apenas na internet, assim como fez com “Totalmente Demais”, trama das sete. O spin-off contará a história do bandoleiro Mão de Luva (Marco Ricca).

“Sobre ‘Verdades Secretas’, só me orgulho com uma possível comparação, mas são histórias muito diferentes. O meu desejo desde o início foi que o público se envolvesse na história desta mulher tão forte, justa e à frente do seu tempo. Uma verdadeira guerreira, que tem a sua luta, claro. Mas que também aprendeu a driblar algumas surpresas que o seu coração lhe reservou”, afirma.

andre_tolentino_liberdade

“Liberdade, Liberdade” impressionou os telespectadores pela violência (até um pênis foi decepado) e, como em “Verdades Secretas”, pelas cenas de sexo. A inédita transa entre dois homens em uma novela, por exemplo, protagonizada por André (Caio Blat) e Tolentino (Ricardo Pereira). O autor elogia a inteligência do público para assistir às cenas polêmicas.

“O mais importante é ressaltar que o público é muito inteligente e, com boas histórias e personagens humanos e verdadeiros, podemos explorar qualquer assunto. A novela desde o início se dispôs a contar temas de intolerâncias e preconceitos da época, os diferentes tipos de pessoas e questões de cada um, seja de gênero, raça ou econômica.”

Mario Teixeira entrou em “Liberdade, Liberdade” com a produção em andamento, após a Globo afastar Marcia Prates, que assina o argumento da novela. O novelista, que foi chamado logo após finalizar “I Love Paraisópolis” (2015), diz não ter encontrado dificuldades para dar sequência a um trabalho já iniciado.

joaquina_liberdade

“A minha responsabilidade como autor é primordialmente com o público. E não mudou muita coisa em relação ao trabalho em si, é só outro formato de criação, em que eu desenvolvi o argumento da Marcia Prates. A história propriamente dita está saindo da minha cabeça e das minhas mãos”, explica.

Fonte: TV & Famoso / Uol Entreteniento.

Anúncios

4 thoughts on “Mário Teixeira, autor de “Liberdade, Liberdade”, comemora o sucesso da novela!

  1. Novelão, vai deixar saudades! Mário Teixeira mostrou maestria ao assumir uma sinopse que não é sua e desenvolvê-la de forma tão brilhante. O sucesso foi merecido, toda a produção está de parabéns, mas é impossível não ressaltar três pessoas: Andreia Horta, Mateus Solano e Bruno Ferrari, certamente esse trio teve o melhor papel de suas carreiras em “Liberdade, Liberdade”! ❤

    Curtir

  2. Não teve um fechamento da trama, como saber o que se deu com a fortuna roubada do Raposo, o que aconteceu com a família da Branca, o Caju sumiu da trama sem qualquer explicação. E a cena em que Virginia entra na sala com a Anita na mesa com o Rubião? Como assim? O falso padre pede para avisá-la do fato, pela confissão da Anita e ela chega antes? A novela começou muito bem, mas o final deixou muito a desejar. Também não mostraram como o falso padre saiu da prisão, não mostrou a mãe do Xavier se saiu ou não, a Dionísia não teve um desfecho…quem governará vila Rica, que será ou não independente, ….o que acontecerá com Joaquina e Xavier, qual o destino do ouro do Raposão, e o bando do mão de luva, e do próprio com Dionisia….e Virginia, o filho de Mmi, Anita…tudo sumido/cortado do final da história…

    Curtir

  3. Entende-se que o roteiro pretendia chocar o publico ao mostrar a forma como rubiao morreu, mas a cena não teve a densidade esperada, e chega mesmo a ser ridículo que um personagem tao esperto e que fez mal a tanta gente tenha sido morto dessa maneira rasa. Se a própria mãe o matasse, teríamos tido surpresa melhor. alem disso, conceber que os revolucionários tenham posto apenas dois homens (e ainda visivelmente “apagados”) para escoltar um coronel como tolentino é pedir para que ele fuja, não? Até parece q Joaquina conseguiria entrar na casa do Rubião depois de tudo q aconteceu sem ser vista por ninguém. Até parece q ela e Xavier conseguiram embarcar para a Europa assim numa boa. Todo mundo correndo para não “estourar” o tempo. Porém houveram cenas que lembram Nelson Rodrigues (Velório no bordel) e Franco Zefirelli (Joaquina abraçada ao irmão morto). Dentre outras que se desenrolaram durante toda a novela.
    a trama da Liberdade, Liberdade conseguiu mesmo me prender e fazer ” embarcar ” no drama, senti mesmo angústia e tristeza nas cenas da morte do André e qdo a irmã o pega no colo (tadinho, ele nunca tinha feito mal pra ninguém e acabou morrendo cedo e condenado pela sociedade daquele jeito) … morri de dó dos pais do Xavier, tudo o que eles fizeram era pensar e querer o melhor pro filho e ele não valorizou (ainda por cima deixou a mãe viúva e totalmente desamparada no final do enredo, egoísta, só pensou nele e na Joaquina) … tomara que a Globo faça mais minisséries legais e bem feitas como esta !!!! nem o Jesus Cristo agradou a todos , e até o Diabo e adorado por uns , quem sou eu pra julgar alguma coisa

    Joaquina não teve julgamento, ela por ser descendente de Tiradentes foi condenada na mesma sentença na qual foi morto o pai. Por isso foi tão rápido. Ela sabia que se sua identidade fosse revelada ela morreria sumariamente.
    Outra coisa ruim nas novelas da globo: eles deixam tudo pro final e tem que correr com as cenas do último capítulo. Foi assim em Verdades Secretas já na produção O Rebu, A Teia, Gabriela foi diferente.

    Curtir

  4. Já estou entrando em abstinencia de Liberdade Liberdade.

    Trabalho muito bom do Mário, que depois de um lixo como I Love Paraisópolis, fez uma excelente novela, e com uma direção ótima do Vinícius, e com instrumentais maravilhosos.

    Andréia Horta e Bruno Ferrari maravilhosos como protagonistas, saudades de torcer para mocinhos desse nível, e odiar vilões terríveis, Mateus Solano macabro.

    Eu gostei muito do final, tirando a morte do Rubião que foi fraca, no resto achei emocionante, e esse povo que estão reclamando deveriam criar vergonha, gostam tudo mastigadinhos, óbvio que a luta pela Liberdade, não teria terminado alí.

    Horário das 11 rei, apesar de gostar de Êta Mundo Bom! e Totalmente Demais, Liberdade foi a grande novela do ano.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s