Mundos Opostos – Capítulo 05

Mundos OpostosCENA 01: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/QUARTO DE IGOR/INT./TARDE

Igor está arrumando a cama. A porta está entreaberta. A maçaneta se mexe vagarosamente e a porta é enfim aberta por Débora. A moça se encanta ao ver as costas nuas do primo e não resiste: ela corre em sua direção e o abraça fortemente.

Assustado com a atitude de Débora, Igor tenta se apartar do abraço da prima. Ele consegue soltar as mãos dela e afastá-la.

IGOR – O que é isso, Débora?

Débora e Igor apenas se encaram.

DÉBORA – O que foi, Igor? Não posso mais abraçar o meu primo?

Igor reflete com as palavras de Débora. Vagarosamente, ele larga as suas mãos.

IGOR – Desculpa, Débora…

DÉBORA – Não, tudo bem… quem tem que pedir desculpas sou eu, pelo que aconteceu nesses últimos dias.

IGOR – Então você já sabe que eu sei…

DÉBORA – Me surpreenderia se você ainda não soubesse. Enfim, eu realmente extrapolei, fiz coisas que não devia. Eu queria saber se você me perdoa…

IGOR – Acho muito bonito de sua parte, mas você sabe que não é a mim a quem você deve desculpas. É à Maria. Quem você ofendeu não foi a mim, e sim à Maria.

Débora anda pelo quarto, ficando de costas para a cama.

DÉBORA – Depois eu tento conversar com ela e com o irmão dela. Acredito que eles ainda estejam ressentidos comigo e ainda não queiram nem me ver. Eu entendo, no lugar deles eu faria exatamente isso. Mas eu também preciso do seu perdão.

IGOR – Por mim, você está perdoada.

Débora percebe a chegada de Maria. Curiosa, ela tenta se esconder, mas Débora consegue vê-la.

DÉBORA – Eu pensei em uma boa maneira da gente reatar.

Débora pega o edredom da cama de Igor e se enrola com ele, pondo-se sentada por cima dos pés na cama do primo.

DÉBORA – Se lembra de quando a gente brincava aqui em cima dessa cama?

IGOR (rindo) – Lembro. Bons tempos aqueles.

DÉBORA – A gente podia voltar a brincar de novo aqui, não acha?

Débora puxa Igor e ele cai em cima dela. Os dois se encaram, e sorriem um para o outro. Igor acaricia levemente o rosto de Débora.

IGOR – É, talvez… vou pensar no seu caso…

Débora desvia um pouco o olhar e observa Maria na porta do quarto, olhando para os dois e visivelmente triste. Aproveitando-se disso, Débora dá um selinho em Igor. Os dois riem. Magoada, Maria vai embora.

DÉBORA – O que eu quero é te propor um passeio. Um passeio normal, apenas isso.

IGOR – Nada demais?

DÉBORA – Isso, nada demais. Só sair de casa, visitar um lugar bacana, tomar um sorvete… se tu quiser, pode tomar um copo de cerveja, mas não exagera não, viu?

IGOR – Por mim tudo bem.

DÉBORA – Certo.

IGOR – Podemos sair agora, se você quiser. Só espere eu me arrumar, certo?

DÉBORA – Por mim tudo bem.

Débora se levanta da cama e se retira do quarto de Igor.

CENA 02: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/QUARTO DE LUÍS/INT./TARDE

Fátima abre a porta do quarto e se depara com uma cena que a assusta: Luís abraçando Maria, consolando a irmã, que chora copiosamente.

FÁTIMA (preocupada) – O que aconteceu?

Fátima se aproxima dos dois.

MARIA (chorando) – Ele me enganou…

FÁTIMA e LUÍS – Quem, Maria?

MARIA – Eu não acredito…

LUÍS – Maria, a gente não tá entendendo… calma, respira…

Um pouco mais calma, Maria volta a falar.

MARIA – Eu fui enganada…

LUÍS – Por quem?

MARIA – Pelo Igor…

FÁTIMA – Pelo Igor? Como assim, Maria?

MARIA – Ele me fez acreditar que ele gostava de mim…

LUÍS – E tu gosta do Igor, Maria?

MARIA – Sim…

FÁTIMA – Quando foi isso, Maria?

MARIA – Ontem mesmo… e hoje eu peguei ele se esfregando com a Débora lá no quarto dele…

FÁTIMA – Ué, mas o Igor nunca foi de se esfregar com a Débora. É mais fácil a Débora se esfregar no Igor…

MARIA – Eu vi eles se agarrando naquela cama… eles falando em reatar, brincar na cama… eles até se beijaram…

FÁTIMA – Reatar? Eles nunca tiveram nada…

MARIA – Não?

FÁTIMA – Ah, entendi… a Débora armou pra te fazer ciúmes, Maria. Ela deve ter percebido que você gosta do Igor e armou uma cena cheia de duplo sentido para te afetar. Ela também gosta do Igor, acho que todo mundo aqui sabe disso.

LUÍS – Isso ficou bem claro pra mim quando ela discutiu com a Maria anteontem porque a Maria tava vendo o Igor dormir. Não tem outra explicação para ela ter se incomodado com a Maria ter olhos pro Igor, a não ser que ela seja apaixonada pelo Igor e tenha ciúmes dele.

FÁTIMA – Mas julgando pela maneira com a qual ela me tratou quando entrou aqui, eu não te aconselharia a relaxar com o que eu acabei de te falar, tá, Maria? Fique alerta.

LUÍS – Ela saiu com o Igor agora há pouco.

FÁTIMA – Menos mal. Quer dizer, menos mal pra vocês dois, porque quem está a mercê da predadora é o Pedro Igor.

Fátima se retira do quarto, deixando Luís e Maria a sós. Os irmãos apenas se encaram. Luís enxuga as lágrimas do rosto da irmã. Nesse momento, Gustavo bate na porta.

GUSTAVO – Com licença… e então, vocês vêm?

MARIA – Sim, claro…

GUSTAVO – Maria, aconteceu alguma coisa?

MARIA – Não, nada…

GUSTAVO – Tá certo… vamos?

Luís e Maria saem do quarto, seguindo Gustavo.

CENA 03: FORTALEZA/EXT./TARDE

Imagens da Avenida Beira-Mar.

Imagens da Avenida Borges de Melo.

Imagens da Avenida Godofredo Maciel.

Imagens da fachada da casa de Guto e Luciana.

CENA 04: CASA DE GUTO E LUCIANA/COZINHA/INT./TARDE

Guto está guardando alguns pratos e talheres. Luciana entra na cozinha trazendo consigo dois vestidos.

LUCIANA – Guto?

GUTO (indiferente) – Meu nome?

LUCIANA – Não, é o nome do Gusttavo Lima… é claro que eu tô falando contigo, né, seu animal?

GUTO – Todos nós somos animais, Luciana. Ser humano também faz parte do reino Animalia.

LUCIANA – Ah, que se dane! Olha pra cá.

GUTO – E se eu te disser que eu não tô com vontade, Luciana?

Irritada, Luciana segura os vestidos em uma única mão, usando a mão livre para direcionar o rosto de Guto para ela. Em seguida, ela levanta ambos os vestidos, já com um em cada mão, mostrando-os para Guto.

LUCIANA – Me diz uma coisa. Qual desses dois vestidos eu uso pra ir pro encontro de hoje?

GUTO – Nem um, nem outro.

LUCIANA – Nem um, nem outro? Então qual?

GUTO – Quer que eu seja sincero, Luciana?

LUCIANA – Se eu não quisesse, eu não vinha aqui te perguntar…

GUTO – Vai pelada, vai nua. Assim tu finalmente vai perceber se o Ricardo vai te querer ou não.

LUCIANA – Não, Guto, claro que não. Ainda não é a hora de dar esse privilégio pra ele. As coisas têm que ir com mais calma—

GUTO – Olha, Luciana, eu tô falando sério. Se tu continuar enchendo o meu saco por causa da tua fixação no Ricardo, tu vai ter que se mudar prum aquário. Quem sabe se tu viver dentro d’água, esse fogo no teu rabo não apaga?

LUCIANA – Eu devia meter a mão na tua cara pra tu aprender a me respeitar—

GUTO – Então vem. Pode vir. Eu não tô pedindo, tô mandando tu meter a mão na minha cara. Quero ver se tu tem coragem…

Luciana tenta, mas não tem coragem de agredir Guto.

GUTO – Bem, eu já te dei minha opinião pra que roupa tu usar. Agora, se quiser, pode pedir ajuda pra tua amiguinha, a Débora… ela entende mais de roupa de mulher do que eu, vai saber te orientar melhor…

Guto se retira da cozinha, deixando Luciana sozinha e bastante irritada.

CENA 05: CASA DE JÉSSICA/FACHADA/EXT./TARDE

Júlio entra no carro de Jair e dá a partida. Ele espera alguns segundos para a saída dos primos e dos cunhados. Impaciente, ele buzina.

A porta da frente da casa de Jéssica se abre. É Jair, visivelmente insatisfeito.

JAIR – Aonde você vai, Júlio?

JÚLIO – Aonde nós vamos, o senhor quis dizer.

JAIR – Já arrumou uma namorada e não avisa a gente?

JÚLIO – Se fosse, eu já teria apresentado ao senhor e à mãe, o senhor não acha, pai? Como o senhor ainda me sustenta, então eu ainda sou obrigado a te dar satisfação da minha vida.

JAIR – Bem lembrado. E então, aonde vocês vão, Júlio?

JÚLIO – O Ricardo vai me levar pra conhecer uns amigos. Quer dizer, vai levar eu, o ex-riquinho, o meu irmão e a minha cunhada.

JAIR – Mas onde, exatamente?

JÚLIO – Na Praça Portugal.

JAIR – É gente conhecida?

JÚLIO – Sim, do Ricardo. O senhor não se lembra que ele fez amizade com a filha do dono do Grupo Andrade da Costa?

JAIR – Olha só… então quer dizer que o Júlio vai ficar amiguinho da filha do patrão…

Jair e Júlio riem.

JAIR – Agora é só questão de tempo para você ser promovido e ganhar um cargo mais confortável, não é verdade?

JÚLIO – Claramente…

JAIR – Sério?

JÚLIO – Claro que não, pai.

Jair e Júlio sorriem um para o outro.

JAIR – Tudo bem, então. Vão com Deus e voltem com Deus. Nada de excessos, tá?

JÚLIO – Pode deixar.

Jair volta para dentro de casa. Em seguida, Carolina, Dimas, Jonas e Ricardo saem e entram no carro. Ricardo fica no banco do acompanhante, enquanto Dimas, Jonas e Carolina ficam no banco de trás.

O carro parte.

CENA 06: FORTALEZA/EXT./TARDE

Imagens da Avenida Washington Soares.

Imagens do Theatro José de Alencar.

Imagens da fachada da Mansão Andrade da Costa.

CENA 07: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/CORREDOR/INT./TARDE

Fátima e Gabriel se esbarram no corredor.

FÁTIMA – Desculpe, seu Gabriel…

GABRIEL – Tudo bem, Fátima… olha, você viu o Gustavo?

FÁTIMA – Saiu há pouco tempo. Foi com a Helena, o Luís e a Maria.

GABRIEL – Entendi…

FÁTIMA – O Igor também saiu.

GABRIEL – Foi junto?

FÁTIMA – Não, ele saiu antes.

A resposta de Fátima desagrada a Gabriel.

GABRIEL – Que beleza… e mais uma vez, o Pedro Igor some para voltar bêbado e nos fazer passar vergonha.

FÁTIMA – Pelo menos isso acontece aqui dentro da nossa privacidade, né, seu Gabriel? Ele nunca fez isso com vocês publicamente.

GABRIEL – É o meu maior medo. Que ele nos faça passar vergonha publicamente. Do jeito que ele vai e volta na hora que menos se espera…

Gabriel vai embora, deixando Fátima sozinha em cena. Em seguida, ela sai.

CENA 08: FORTALEZA/EXT./TARDE

Imagens da Praia de Iracema.

Imagens da Avenida Washington Soares.

Imagens da fachada da casa de Maurício e Talita.

CENA 09: CASA DE MAURÍCIO E TALITA/QUARTO DE MAURÍCIO E TALITA/INT./TARDE

Talita está deitada na cama brincando com Felipe. A mulher faz palhaçadas para o pequeno, que abre a gargalhada.

Vinícius entra no quarto e flagra o momento. Ele não resiste em abrir o sorriso com o que vê.

VINÍCIUS – Talita…

Felipe e Talita se viram para Vinícius.

TALITA – Diga, Vinícius…

VINÍCIUS – Eu queria conversar contigo…

TALITA – Então deixa o Felipe lá no quarto dele…

Vinícius se aproxima dos dois e estende os braços para Felipe. O garoto não oferece resistência e permite ser levado pelo “tio”.

Corte rápido. Vinícius volta para o quarto da madrasta e fecha a porta.

TALITA – O que você queria?

VINÍCIUS – Falar mesmo… desabafar… te ouvir um pouco…

TALITA – É algum problema?

VINÍCIUS – Não, problema nenhum. Só quero falar contigo sobre o meu primo.

TALITA – Engraçado que hoje mesmo eu conversei com a Larissa sobre o Ricardo…

VINÍCIUS – Quando o Ricardo deixou de correr atrás da Carolina, eu jurei que ele ia voltar a ficar com aquela Bianca. Mas não, quando eu menos esperei, ele veio dizer que ia ficar com um rapaz e a reação da tia Larissa… pra ser neutro, não foi nem um pouco positiva.

TALITA – A Larissa queria o que toda mãe de um rapaz quer: que ele tenha um bom emprego que lhe dê uma vida estável e confortável, que ele seja feliz e, principalmente, que ele se case e tenha filhos. Claro, a Bianca não era exatamente o que a Larissa queria como nora… eu já ouvi ela falando que a Carolina era exatamente o que ela queria como nora, mas aí aconteceu o que todo mundo já sabe, né, descobriram que ela enganava ele, o Jonas e o Júlio. Se ele não quis a Carolina por causa disso, não tinha nem sentido ele querer voltar com a Bianca. Com a Bianca, o Ricardo tinha prazer. Com a Carolina, o Ricardo tinha atração. E com o Dimas, o Ricardo tem isso tudo junto, ele tem amor. A felicidade do Ricardo não se resume a emprego estável, vida conjugal e filhos.

VINÍCIUS – Eu nunca imaginei que isso pudesse acontecer.

TALITA – Mas fala a verdade, tá sendo até bom pra gente. Como a gente tem um gay na família, a gente pode discutir sobre esse assunto com maior propriedade, sem se prender a senso comum, achismos, estereótipos e preconceitos.

VINÍCIUS – Claro… vivendo e aprendendo. Mas assim, foi algo tão repentino… faz um ano que o Ricardo vive assim e isso ainda não se fixou na minha rotina. Eu ainda estranho quando vejo o Dimas e o Ricardo juntos… eu ainda estranho quando percebo que chamar o Ricardo de gay não é nada mais do que falar a verdade… é como se toda vez que eu entrasse na casa da tia Larissa ou do tio Jair, eu caísse de paraquedas num mundo alternativo. Me disseram que era normal, apenas uma fase, depois eu ia acabar me acostumando… mas essa fase demora assim mesmo?

TALITA – Varia muito de pessoa pra pessoa. Mas fica tranquilo, ninguém se acostumou totalmente com isso. Quer dizer, pode ser que o seu irmão já tenha aceitado completamente… ele ainda é uma criança, é capaz de aceitar as coisas com mais facilidade. Nós, que somos adultos, demoramos muito mais tempo pra aceitar as coisas. Acredite, Vinícius, você tá aceitando isso tudo melhor do que qualquer adulto… eu posso apostar que nem o Jonas fixou isso na rotina dele, a ficha dele ainda não caiu completamente, e olha que ele é carne e osso com o Ricardo.

VINÍCIUS – Falando a verdade? Eu aceitaria com mais facilidade o Ricardo ficando com o Jonas do que com o Dimas. Não ia ser um choque tão grande, porque eles naturalmente já se tratam como se fossem namorados… eles namorando não deve ser tão diferente… acho que a gente ainda tá desse jeito pro lado do Dimas porque ele caiu de paraquedas aqui. Ele começou a frequentar o nosso espaço assim de repente, sem conhecer ninguém.

TALITA – Eu não sei se eu reagiria diferente se o Ricardo ficasse com o Jonas. É muito fácil eu falar que eu agiria assim ou assado, mas é que tem coisas que a gente só sabe quando passa por elas. Mas assim, eu nunca consegui me acostumar em ver o Ricardo grudado no Jonas, e não é vendo os dois namorando que isso ia mudar. Eu já me conformei, eu nunca vou conseguir achar a relação deles normal. Isso não vai atrapalhar a minha relação com eles, claro que não, nem vai ser pretexto pra eu querer que eles mudem. Essa é a maneira deles falarem um pro outro que se gostam, que se amam como amigos, e isso não faz mal nem pra eles, nem pra mim, nem pra ninguém. Pra que e por que eu vou querer que eles mudem?

Talita e Vinícius sorriem um para o outro.

VINÍCIUS – Muito obrigado, Talita. Eu realmente tava precisando falar com alguém sobre isso. Precisava falar tudo o que eu pensava, precisava de alguém que ouvisse e também falasse junto comigo. Precisava descarregar isso, eu não gosto de ficar guardando opinião… precisava de alguém pra desabafar.

TALITA – Fez muito bem em me procurar, Vinícius. Eu posso não ser sua mãe, mas eu sou sua madrasta. Eu tô aqui não só pra preencher o coração do seu pai, mas também para ser uma figura materna pra você e pro seu irmão. Sempre que precisar, pode me procurar, eu vou adorar ser incomodada pra poder te ajudar.

Talita se aproxima de Vinícius e o abraça. Ela aproveita a posição para fazer um cafuné no enteado.

TALITA – Eu te amo como se você fosse o meu filho, Vinícius…

VINÍCIUS – Eu te amo como se você fosse a minha mãe, Talita…

Eles ficam abraçados.

CENA 10: PRAÇA PORTUGAL/EXT./TARDE

O carro de Júlio estaciona. As quatro portas se abrem para a saída de Júlio, Ricardo, Jonas, Dimas e Carolina. Eles olham em volta, procurando pelo restante da Corrente.

Helena, Gustavo, Luís e Maria estavam ali por perto e se aproximam deles. Helena e Ricardo se cumprimentam com um breve abraço. Em seguida, ele a apresenta à família.

RICARDO – Gente, essa é a Helena. Culpem ela por eu ter levado vocês até aqui.

Todos riem. Ricardo vai falar com Gustavo, Luís e Maria. Helena cumprimenta primeiro Carolina, com beijos no rosto.

HELENA – Prazer, Helena.

CAROLINA – Carolina.

Em seguida, Jonas cumprimenta Helena beijando-lhe a mão.

HELENA – Que lindo… prazer, Helena.

JONAS – Sou Jonas.

HELENA – Posso falar?

CAROLINA – Depende…

HELENA – Então deixa pra lá…

Helena entende a mensagem e se afasta de Carolina e Jonas. Ele não gosta do clima que ficou ali, mas prefere não se manifestar. Júlio cumprimenta Helena beijando-lhe a sua mão.

HELENA (sorrindo) – Ai gente, que lindo, é de família…

JÚLIO – Prazer, Júlio.

HELENA – O prazer é meu.

Helena e Júlio sorriem um para o outro. Em seguida, Dimas repete o cumprimento de Júlio.

HELENA (sorrindo) – Olha, a última vez que eu vi tantos cavalheiros assim foi quando eu viajei para a Inglaterra.

DIMAS – Prazer, Dimas.

HELENA – O prazer é meu.

CAROLINA – O Ricardo falou muito bem de ti e do teu irmão pra gente, Helena.

HELENA – Nós estávamos ansiosos para conhecê-los.

JÚLIO – Digo o mesmo, Helena.

Enquanto isso, Gustavo, Luís, Marcelo, Maria e Ricardo estão conversando. Eles riem de uma piada de Ricardo.

MARIA – Não vou mentir não, Ricardo… depois que eu soube do teu lance com a Luciana, eu juro que fiquei com um pouco de medo de te conhecer. Imaginei que tu já ia vir com pedra pra cima de mim, sério.

RICARDO – O lance com a Luciana é o seguinte, Maria: ela mal sabia meu nome direito e já me tratava como se eu fosse o namorado dela. Já tu não me tratou desse jeito, tu não foi me tocando de qualquer jeito, ao contrário dela que ia pegando em tudo, menos no que ela mais queria pegar. Eu vou querer ficar perto de uma mulher assim? Claro que não, se a gente fica sozinho ela me estupra.

GUSTAVO – Me diz uma coisa, Ricardo… tu já gostou de mulher?

RICARDO – Sim, já. Eu já “namorei” com uma mulher durante quase dois anos. Sim, entre aspas porque aquilo não era um namoro. Além de não trazer felicidade, podia ter destruído a minha vida. Do jeito que ela era a maior vagabunda, quais eram as chances de eu tar portando alguma doença hoje em dia? Ou pior, quais eram as chances de hoje eu tar casado com uma mulher que eu não amo e tar criando um filho que eu nunca vou ter certeza se é realmente meu?

GUSTAVO – Por isso que tu fica fugindo da Luciana…

RICARDO – Exatamente! Eu não evito a Luciana porque eu não gosto de mulher. Todo mundo sabe que eu sempre gostei de mulher.

MARIA – Então por que tu tá namorando outro homem?

RICARDO – Porque nenhuma mulher me fez tão feliz quanto o meu homem me faz feliz. As mulheres que fizeram parte da minha vida me satisfizeram, mas só uma foi capaz de me fazer despertar pro amor, que foi a minha cunhada. Eu me decepcionei com ela, e aí eu conheci o meu homem, e hoje a gente vive felizes para sempre.

O carro de Guto estaciona próximo ao carro de Jair. Ambas as portas dianteiras se abrem para a saída de Guto e de Luciana. Ao vê-la, Ricardo faz careta.

RICARDO – Só faltava vir o João Kléber junto pra isso aqui virar o Teste de Fidelidade… só espero que ela não venha inventar de me agarrar, porque meu namorado tá bem ali.

Ricardo aponta na direção de Dimas. Gustavo, Luís, Marcelo e Maria olham. Dimas também acaba olhando para Ricardo e percebe Luciana se aproximando dele.

Guto e Luciana se aproximam de Gustavo, Luís, Marcelo, Maria e Ricardo. Guto cumprimenta Gustavo, enquanto Luciana se agarra no pescoço de Ricardo e tenta beijar-lhe na boca. Dimas fica possesso ao ver a cena.

RICARDO – Luciana, para com isso, é sério…

LUCIANA – Ai, por que, gato? Vai dizer que não tá gostando?

RICARDO – Primeiro que essa brincadeira de se pendurar no meu pescoço é perigosa, se tu tirar os pés do chão tu arranca a minha cabeça.

LUCIANA (rindo) – Deixa de frescura, Ricardo, que problema tem de eu ficar agarrada em ti? Nenhum.

RICARDO – Tem sim. Quer que eu te explique?

DIMAS (irado) – O que é que tá acontecendo aqui?

Imediatamente, Luciana se solta de Dimas. Ela e Ricardo se viram de frente a ele; Ricardo afasta Luciana e. Em seguida, os dois se entreolham: Luciana está confusa, enquanto Ricardo permanece sério.

A cena congela e é animada por dois efeitos: à esquerda, com Ricardo, um efeito preto-e-branco; à direita, com Luciana, um efeito dourado.

FIM DO QUINTO CAPÍTULO.

43 thoughts on “Mundos Opostos – Capítulo 05

  1. 10 cenas? É aqui, o eclipse do ano? Pois muito que bem, capítulo curto facilita bastante pro leitor, pena que eu esteja desatualizado em todas as webs. E parabéns, ponto dado com muito amor, cordialmente.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Jair e Júlio amiguinhos, como as coisas mudam. Vinícius e Talita tiveram um papo bem sério, fiquei surpreso com essa declaração que ele prefere o Ricardo com o Jonas, será que rola? Quem sabe daqui pro final, né? A reunião da Corrente já começou pegando fogo, o Dimas que se contenha, a Luciana é uma piranha, mas a Maria da Penha também vale pra elas 😛

    Ótimo capítulo, Glay, congratulations!!!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Beje com os diálogos damos. E que Dimas fale umas poucas e boas para Luciana.

    ** freando meus instintos machistas de pedir que Dimas dê uma surra em Luciana **

    Curtido por 1 pessoa

  4. NÃO, GLAY, VC ESTA DIMINUINDO OS CAPÍTULOS. .tapa

    Débora a melhor personagem sim! Acho que esqueci de dizer isso no dia do meu resumo sobre os capítulos. Esse jeito dela em querer Igor a qualquer custo deixando Maria magoada, é o que eu mais curto. Uma personagem de personalidade forte e bem construída. Luciana querendo conselhos de Guto, morto. Ao que parece, percebi que o jovem sentiu um pouco de ciúmes dela, ou não? Gostei do modo que Talita e Vinicius trataram e falaram sobre sexualidade de Ricardo. Foi bem explicado e bem correto. Morto com o gancho! Será que Luciana agora desiste de vez de Ricardo? Dimas nn esta pra brincadeira não, hein.

    Glay, filho, essa tal Bianca pode aparecer na história a qualquer momento? Estou achando isso, sei lá. Ah, parabéns pelo capítulo e pare de picota-los. 😀 Ansioso por segunda!

    Curtido por 1 pessoa

    • É só hoje. Amanhã voltamos aos capítulos com 15 cenas de piso, ok.

      Gosto muito das cenas da Débora… acho que não é segredo pra ninguém que eu adoro os meus vilões. Em Amizade de Isopor, o Júlio ganhou uns contornos de vilão, e por isso eu gostava de vê-lo em cena… posso dizer que o Júlio é o meu personagem favorito. Em O Resgate, o meu xodó era o delegado Azevedo, adorava escrever os embates dele com o Joaquim. E agora, em Mundos Opostos, a Débora é a minha queridinha. Em ECP, eu tinha igual empatia por cada personagem, não tive um preferido.

      Hm, será?

      Perfeccionista como eu sou, demorei umas boas horas para terminar essa cena até achar um tom que me agradasse.

      Agora as coisas prometem esquentar, vdd.

      E não, Fred, Bianca não aparecerá aqui. Ela é passado.

      E muito obrigado, Fred ❤ 😀

      Curtido por 1 pessoa

      • Eu quando escrevo um personagem que considero preferido, tento dar mais destaque a ele e trabalha-lo mais detalhadamente, sofro. ECP? Nossa, eu só conheço três tramas suas, essa eu nn conheço. E de nada. 🙂

        Curtido por 1 pessoa

      • Também faço isso, mas sinto que desmereço os demais personagens, sabe…
        Faz quase um ano e meio que eu encerrei essa web. Ainda está nos arquivos do Tv Mix, é só procurar. PS.: Quando eu digo que é um livro, eu não tô brincando.

        Curtir

      • Ah sim… Empregados contra Patrões, a web com “titulo socialista”, risos. Nossa, vc falava tanto nela e eu me esqueci. Tem até trilha sonora no seu blog, como fui me esquecer. Eu dei uma leve passada e percebi que os capítulos nn são longos não, e sim diferentes pois no começo dos diálogos, nn tem o nome dos personagens que as falam.

        Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s