Mundos Opostos – Capítulo 06

RESUMÃO – Mundos Opostos

CAPÍTULO 01

Alice e Gabriel discutem na frente de Fátima. Helena e Gustavo reclamam de Gabriel e Igor. Alice liga para Débora, pedindo para conversar com ela. Fátima e Gustavo conversam sobre Igor e compartilham dos mesmos medos pela segurança do rapaz. Jair, Jéssica, Maurício e Talita tentam reconfortar Larissa pela morte de Narciso. Carolina tenta reconfortar Júlio pelo término do relacionamento. Todos estranham ao ver Júlio chorando. Jonas e Júlio causam ciúmes em Dimas. Gabriel procura Micaela, que finalmente permite o amigo a cuidar de Luís e Maria. Júlio tira Bárbara de perto de Larissa e Jéssica: os dois se pegam no banheiro. Micaela permite que Gabriel leve Luís e Maria para sua mansão. Dimas e Ricardo conversam sobre os ciúmes do primeiro. Bárbara e Júlio se arriscam para sair do banheiro e não levantarem suspeitas, mas Dimas desconfia. Jonas revela a Carolina que já sabia que Ricardo gostava de homens. Gabriel leva Luís e Maria para a Mansão Andrade da Costa: Gustavo e Helena os recebem bem, mas Alice torce o nariz para os novos hóspedes; Gabriel tenta conversar com Alice, mas acaba se enrolando. Maria atira um balde d’água em Igor.

CAPÍTULO 02

Igor briga com Alice e Gabriel por causa de Luís e Maria. Dimas e Jonas conversam depois do almoço. Débora destrata Luís e Maria no primeiro contato. Débora joga Alice contra Gabriel e os novos hóspedes. Alice discute com Gabriel por causa de Luís e Maria. Débora, Luís e Maria brigam por causa de Igor. Helena marca de apresentar Ricardo à Corrente. Cassandra incentiva Débora a fisgar Igor antes de Maria. Helena apresenta Ricardo a Luís e Maria. Helena e Gustavo apresentam Ricardo a Guto e Luciana. Ricardo não gosta do primeiro contato com Luciana.

CAPÍTULO 03

Ricardo compartilha com Guto sua insatisfação com Luciana. Ricardo entra para a Corrente. Igor tenta se desculpar com Gabriel. Fátima e Luís estreitam laços. Cassandra dá dicas para Débora fisgar Igor. Fátima e Gabriel conversam sobre Luís e Maria. Débora e Luciana conversam sobre Ricardo. Ricardo promete a Jonas que vai apresentá-lo à Corrente. Débora incentiva Luciana a dar em cima de Ricardo.

CAPÍTULO 04

Débora incentiva Luciana a dar em cima de Ricardo. Ricardo reclama de Luciana para Jonas. Helena conta a Igor que Débora e Maria brigaram por causa dele. Igor pede desculpas a Maria e os dois quase se beijam. Larissa e Talita conversam sobre Dimas e Ricardo. Jonas e Ricardo brigam por causa de Luciana. Angelo se enfurece com Bárbara e Júlio. Ricardo combina com Gustavo de apresentar Carolina, Dimas, Jonas e Júlio à Corrente. Débora agarra Igor.

CAPÍTULO 05

Débora usa Igor para causar ciúmes em Maria. Fátima revela a Maria que Débora armou para lhe causar ciúmes. Guto e Luciana discutem por causa de Ricardo. Júlio avisa a Jair que vai sair com Carolina, Dimas, Jonas e Ricardo. Fátima conta a Gabriel que Igor saiu com Débora. Talita e Vinícius conversam sobre Ricardo. Ricardo apresenta Carolina, Dimas, Jonas e Júlio à Corrente. Luciana tenta beijar Ricardo, mas os dois são flagrados por Dimas.


Mundos OpostosCENA 01: PRAÇA DO FERREIRA/EXT./TARDE

O carro de Guto estaciona próximo ao carro de Jair. Ambas as portas dianteiras se abrem para a saída de Guto e de Luciana. Ao vê-la, Ricardo faz careta.

RICARDO – Só faltava vir o João Kléber junto pra isso aqui virar o Teste de Fidelidade… só espero que ela não venha inventar de me agarrar, porque meu namorado tá bem ali.

Ricardo aponta na direção de Dimas. Gustavo, Luís, Marcelo e Maria olham. Dimas também acaba olhando para Ricardo e percebe Luciana se aproximando dele.

Guto e Luciana se aproximam de Gustavo, Luís, Marcelo, Maria e Ricardo. Guto cumprimenta Gustavo, enquanto Luciana se agarra no pescoço de Ricardo e tenta beijar-lhe na boca. Dimas fica possesso ao ver a cena.

RICARDO – Luciana, para com isso, é sério…

LUCIANA – Ai, por que, gato? Vai dizer que não tá gostando?

RICARDO – Primeiro que essa brincadeira de se pendurar no meu pescoço é perigosa, se tu tirar os pés do chão tu arranca a minha cabeça.

LUCIANA (rindo) – Deixa de frescura, Ricardo, que problema tem de eu ficar agarrada em ti? Nenhum.

RICARDO – Tem sim. Quer que eu te explique?

DIMAS (irado) – O que é que tá acontecendo aqui?

Imediatamente, Luciana se solta de Dimas. Ela e Ricardo se viram de frente a ele; Ricardo afasta Luciana e. Em seguida, os dois se entreolham: Luciana está confusa, enquanto Ricardo permanece sério.

LUCIANA – O que tá acontecendo pergunto eu.

RICARDO – Que problema tem em tu ficar se agarrando em mim? O problema é ele.

Ricardo aponta para Dimas. Os dois encaram Luciana com raiva. Em seguida, Luciana olha para Dimas, aproximando-se dele e esboçando um sorriso.

LUCIANA (sorrindo) – Por que o problema é ele? Ah, vai dizer que ficou com ciúmes do teu amiguinho porque ele já arranjou uma paquerinha, vai? Se for isso, não se preocupa não, ele divide, tá?

Luciana cola em Dimas, passando a mão pelo seu tórax. Irado, ele segura a mão de Luciana com força, afastando-a dele.

LUCIANA – Ai… que mão pesada…

DIMAS – Tu pensa que tá aonde, num cabaré? Nunca mais faça isso.

Dimas empurra Luciana. A moça tenta se apoiar em Ricardo, que prefere não reagir.

LUCIANA – O que é isso?

GUSTAVO – Acho melhor vocês falarem logo.

RICARDO – Não. Agora não.

DIMAS – Agora sim, Ricardo. Quanto antes ela saber, melhor.

LUCIANA – Saber do quê?

RICARDO – Luciana, eu tô namorando.

LUCIANA – Como assim? Gente, que rápido, nem me pediu em namoro nem nada—

RICARDO – Eu tô namorando com o Dimas, Luciana!

Luciana fica chocada com a resposta de Ricardo, e se afasta dele.

LUCIANA – Que brincadeira é essa?

HELENA – Não é brincadeira nenhuma, Luciana.

LUCIANA – Eu não acredito que—

Alguns segundos de silêncio.

LUCIANA – Eu tô muito decepcionada contigo…

Luciana se afasta de todo mundo e vai embora. Todos se entreolham, surpresos com a atitude dela.

GUSTAVO – Sério mesmo que a Luciana vai embora a pé?

HELENA – Ela sabe voltar pra casa sozinha, Guto?

GUTO – Claro que sabe. A gente tá numa cidade cenográfica, aposto que se virar a esquina dá lá na nossa casa.

Alguns segundos de silêncio.

CAROLINA – Depois do que aconteceu, acho que a gente não tem nem mais clima pra encontro…

RICARDO – Não. Isso não é um motivo pra interromper um encontro da Corrente. Vamos mostrar para os novos membros que não é qualquer coisa que abala a união do grupo. Tá, o que aconteceu hoje não foi um atrito qualquer, foi uma coisa mais grave que deveria ter sido tratado em um lugar mais reservado… mas, mais tarde eu procuro a Luciana pra conversar melhor com ela. Ela precisa de um pedido de desculpas e uma conversa em particular, pelo menos de mim.

GUSTAVO – O Ricardo tem razão. Vamos continuar o que começamos.

CENA 02: SORVETERIA/INT./TARDE

Carolina, Dimas, Gustavo, Guto, Helena, Jonas, Júlio, Luís, Maria e Ricardo se reúnem naquela mesa, conversando e tomando sorvete.

GUTO – Já são 13 membros. Quem aprova que o símbolo da Corrente seja uma estrela?

Todos riem.

GUSTAVO (rindo) – Fechou. Eu corto o meu dedo mindinho e viro o Lula.

JONAS (rindo) – O Ricardo pode ser a Dilma. Se expressar que nem ela, ele sabe.

RICARDO (rindo) – Tá vacilando, é?

Alguns segundos de silêncio. Helena pega uma caderneta e uma caneta esferográfica. Ao perceberem isso, Gustavo e Guto já não seguram o riso. Helena passa a tentar imitar a voz de Marília Gabriela.

HELENA – Quanto aos novos integrantes da Corrente, eu gostaria de fazer algumas perguntas… se não lhes for invasivo, claro, mas acredito eu que se tratam de perguntas pessoais.

MARIA – Depende de que tipo de perguntas você vai fazer…

HELENA – Vamos começar por partes.

GUTO – Ai, meu Deus, ela vai esquartejar todo mundo…

Todos riem.

HELENA – Primeiro, eu gostaria de fazer uma dinâmica com o nosso casal 20, Jonas e Carolina. Não é um bate bola jogo rápido, mas é divertido também. Vou fazer umas perguntas a vocês, e as únicas respostas possíveis são “ele” ou “ela“. Entenderam?

CAROLINA e JONAS – Sim.

HELENA – Ótimo. Posso começar?

JÚLIO – Vai fundo.

HELENA – Quem é o mais velho?

Carolina e Jonas se entreolham. A pergunta está difícil.

JONAS – Ele!

CAROLINA – Não, amor…

JONAS – Eu sou 1º de agosto de 98. Tu é 3 de fevereiro de 99.

CAROLINA – Ah, verdade, então é ele!

HELENA – Quem cuida melhor do Felipe?

CAROLINA e JONAS – Ela!

JONAS – Ela não trabalha, passa mais tempo com ele… claro que ela vai cuidar dele melhor do que eu.

CAROLINA – Isso quando tu não fica de folga ou de férias. Ah meu filho, quem curte a folga é a mamãe. O Jonas é uma excelente babá, tenho que reconhecer que às vezes ele lida com o Felipe melhor do que eu.

JONAS – Ela é tão modesta…

Jonas beija o rosto de Carolina. Júlio tenta disfarçar os ciúmes do irmão e da cunhada.

HELENA – Quem é mais forte?

CAROLINA e JONAS – Ele!

Jonas levanta o braço, contraindo o bíceps. Os dois riem.

JONAS – Pode parecer machismo, mas ela é realmente uma mulher fraca e muito dependente. Ela não morava sozinha de jeito nenhum.

HELENA – Quem é o mais animado?

CAROLINA – Ele, sem sombra de dúvidas.

JONAS – Ah, depende…

CAROLINA – Depende de nada, Jonas. Tu é mais animado do que eu em tudo.

HELENA – Tá bom, gente, tá bom… vamos continuar…

GUSTAVO – Ai, a gente só sai daqui de noite…

HELENA (rindo) – Cala a boca… quem é o mais grudento?

Imediatamente, Carolina, Dimas, Júlio e Ricardo apontam para Jonas, que não faz nada além de rir.

CAROLINA/DIMAS/JONAS/JÚLIO/RICARDO – Ele!

JÚLIO – Vocês não têm noção do quanto o meu irmão é grudento. Gente, sem brincadeira, o Jonas é um verdadeiro carrapato.

JONAS – Mas vocês adoram me alimentar, né?

DIMAS – Ah, isso é verdade. O Jonas é um carrapato muito adorável.

Risos generalizados. Em seguida, silêncio em cena. Helena tenta continuar, mas ela para a brincadeira.

HELENA (acanhada) – Ai gente, tô com vergonha de perguntar…

JONAS – Não, pode ir…

HELENA – Eu ia perguntar de quem foi a iniciativa da primeira vez…

JONAS – Pronto, já que ela parou, então vamos falar sobre outro assunto—

CAROLINA – Só pra constar, foi ela, tá?

Jonas encara Carolina. Ela não resiste e ri da cara que ele fez. Como em efeito dominó, todos riem também.

CENA 03: FORTALEZA/EXT./TARDE

Imagens da Avenida Beira-Mar.

Imagens da Mansão Andrade da Costa.

CENA 04: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/CORREDOR 1º ANDAR/INT./TARDE

Alice e Fátima se encontram no corredor.

ALICE – Que bom ter lhe encontrado aqui, Fátima, precisava mesmo falar com você.

FÁTIMA – Pois não, dona Alice?

ALICE – Fátima, eu não sei se você já sabe, mas o Gabriel trouxe o Luís e a Maria para morarem aqui conosco por algum motivo em específico. Ele me prometeu que me contaria sobre isso, mas até agora nada.

FÁTIMA – Bom, nesse caso eu só digo que a senhora deve ter mais paciência. Ele talvez ainda não esteja confortável em falar sobre isso, porque aparentemente ninguém além dele próprio sabe por que eles estão aqui… ou então seja uma história longa e ele não tem tempo hábil para te contar tudo e tirar todas as suas dúvidas.

ALICE – Mas eu estou desconfiadíssima… e se ele estiver demorando desse jeito porque está arrumando tempo para formular uma desculpa que consiga me convencer?

FÁTIMA – Por que o seu Gabriel mentiria para a senhora, dona Alice? Cedo ou tarde, a senhora acabaria descobrindo a verdade… por que a senhora fala isso?

Alice pensa antes de responder a Fátima.

ALICE – Compartilho das mesmas dúvidas e inseguranças de minha sobrinha Débora…

FÁTIMA – Me perdoe, dona Alice, não é minha intenção ofender a senhora, mas eu tenho que falar: é muita ingenuidade da senhora se deixar levar pelo que a sua sobrinha diz. Ela está querendo pôr abobrinhas na cabeça da senhora, querendo jogá-la contra o seu Gabriel. Acredite em mim, o seu marido não vai tentar lhe enganar, ele não tem motivos para fazer isso com a senhora. Ou ele ainda não se sente confortável em falar, ou simplesmente não tem tempo.

ALICE – É sempre isso o que ele fala quando o cobro: ele não tem tempo. Eu estou ficando muito curiosa e ansiosa, e já estou o pressionando… inclusive já lhe disse que, quanto mais tempo ele demorar para me procurar e pôr essa história na mesa, mais dificuldades ele terá de me persuadir.

Elas ficam em silêncio durante alguns minutos.

ALICE – Bom, era só isso mesmo, Fátima. Obrigada.

FÁTIMA – Não há de quê, dona Alice.

E as duas seguem seus respectivos destinos.

CENA 05: CARRO DE IGOR/INT./TARDE

Igor está no volante, Débora no banco do acompanhante.

IGOR – Quer ir pra praia hoje?

DÉBORA – Não… prefiro passear pela praça. Ir numa sorveteria…

IGOR – Beleza, vamo tomar um sorvete.

Débora e Igor se entreolham, eles trocam um sorriso.

CENA 06: SORVETERIA/INT./TARDE

Carolina, Dimas, Gustavo, Guto, Helena, Jonas, Júlio, Luís, Maria e Ricardo ainda estão na sorveteria, conversando. Todos estão prestando atenção em Júlio, e não conseguem conter o riso.

JÚLIO – Se esse mundo existe, graças a Deus, por que existe? Porque, graças a Deus, nós fizemos o mundo. Graças a Deus. Não, desculpe falar, se existe nós nesse mundo, graças a Deus, é porque Deus fez o mundo. Mas eu falei uma palavra certa, se nós não existi—

Todos eles imediatamente dirigem seu olhar para a entrada da sorveteria. Débora e Igor vêm entrando e se surpreendem ao encontrar a Corrente ali reunida. Débora aconselha Igor a procurar outra mesa para eles, enquanto ela fica ali conversando com os amigos.

DÉBORA – Vocês marcaram outro encontro e não nos chamaram?

HELENA – Pra quê? Você não viria mesmo… toda vez que a Corrente marca um encontro, ou você desiste de ir de última hora ou então não aparece…

RICARDO – Por favor, gente, não briguem de novo…

DÉBORA – Ah, entendi porque é que vocês estão fazendo isso comigo… os novos amiguinhos são mais interessantes. Olha, gente, eu digo uma coisa pra vocês, não deixem mais ninguém entrar na Corrente. Assim como eu, vocês podem ser trocados pelos novos membros.

GUSTAVO – Cala a boca, Débora!

DÉBORA – Cala a boca por que, hein, Gustavo? Eu não falei nada além da verdade. A Corrente me trocou pelos novos membros, e eu posso apostar que eles vão ser trocados também, assim que entrar mais gente na Corrente. Nesse grupo, você só ganha atenção quando entra de paraquedas. Depois, você é esquecido.

MARIA – Débora, eu não acredito que você veio aqui só pra atacar a gente.

DÉBORA – A conversa ainda não chegou no pelourinho. E pare de me chamar de Débora, pra você é sinhá. Escrava mal educada.

Irada, Maria se levanta da mesa e acerta uma forte bofetada no rosto de Débora. Completamente surpreendida, Débora cai no chão. Imediatamente, Igor retorna, segurando Maria.

IGOR – Maria, o que foi isso?

MARIA – Pergunta pra essa abusada, Igor.

DÉBORA – Essa idiota me atacou gratuitamente, Igor. Essa é a verdade.

IGOR – Você fez isso, Maria?

MARIA – Claro que não, Igor. Pode perguntar pra qualquer pessoa aqui nessa mesa, ninguém vai dizer que eu ataquei a Débora gratuitamente.

Débora se levanta e puxa Igor, afastando-o de Maria.

DÉBORA – Quer saber? Vamos embora, Igor. Já vi que vai ser muito difícil frequentar o mesmo espaço que esse grupo…

GUSTAVO – Difícil é frequentar o mesmo espaço que você, Débora. Anda, vai embora!

DÉBORA – Eu rio quando lembro que esse grupo se chama Corrente porque é unido… se tem uma coisa que essa Corrente nunca foi, essa coisa é unida. A coitada da Luciana que o diga, ouvi falar que um dos novos membros da Corrente a humilhou…

Ricardo se levanta e enfrenta Débora.

RICARDO – Alto lá, ela não foi humilhada coisa nenhuma! A conversa chegou discorrida até ti, Débora!

JÚLIO – Ricardo, não é discorrida. É distorcida. Por favor, cara, para de passar vergonha. Eu te imploro.

RICARDO – Que seja! O que acontece é que a Luciana é que não sabe se comportar diante de uma pessoa que acabou de conhecer.

GUTO – Débora, o que acontece é que a Luciana deu em cima do nosso amigo, o Ricardo, sem nem conhecê-lo direito. E ele claramente não gostou disso. Ela tá se fazendo de garota rejeitada por causa disso. Mas enfim, eu não sou nenhuma autoridade pra falar isso, porque você entende mais de rejeição do que qualquer um aqui sentado nessa mesa…

Débora se enfurece com a indireta de Guto e sai a passos largos da sorveteria, arrastando Igor junto consigo. Uma vez estando eles fora de cena, Gustavo, Guto e Helena soltam suspiros de alívio.

CAROLINA – Gente, o que foi isso?

MARIA – Olha, eu já imaginava que a Débora não era lá a mulher mais educada do mundo… mas isso já é demais.

GUSTAVO – A Débora só não é pior que a Luciana porque ela é quieta. Quer dizer, ela é venenosa, manipuladora, irritante e o diabo a quatro, mas não é oferecida feito a Luciana. Enfim, elas só estão aqui porque a gente quer fazer um grupo unido… elas não colaboram, mas nós estamos fazendo nossa parte.

JONAS – Entendemos…

JÚLIO – Mas enfim, a Luciana não conseguiu azedar o nosso encontro, e não vai ser a louca da Débora que vai conseguir, né não? Vamos continuar o que começamos, porque é aquele ditado, né, a vida é curta demais pra ficar dando coice nos outros… porque se for pra dar coice, que seja coice do amor.

DIMAS – Eu concordo. Vamos brindar a união da maior parte da Corrente?

JONAS – Sem taças, Dimas?

DIMAS – Quem não tem cão caça com gato, a gente não tem taça de champanhe, mas tem a palma da mão. Vamos brindar com um hi-five coletivo.

E assim eles fazem. Todos batem as mãos umas nas outras como se estivessem brindando.

CENA 07: CARRO DE IGOR/INT./TARDE

Igor e Débora entram no carro e fecham a porta. Igor está no banco do motorista e Débora está no banco do acompanhante. Ela está visivelmente alterada.

DÉBORA (exaltada) – Eu nunca vou num encontro da Corrente… aham, sei…

IGOR – Se acalma, Débora. Não se exalta por causa dessa discussão. Mas vem cá, me diz uma coisa… por que você discutiu com a Corrente inteira?

DÉBORA – Eles me atacaram gratuitamente e eu só estava me defendendo. Eles simplesmente não nos avisam que tem encontro da Corrente e querem que a gente apareça… Igor, olha bem pra minha mim e vê se eu tenho cara de Mãe Dináh pra adivinhar as coisas?

IGOR – Não, claro que não. Mas como você disse, eles estavam fazendo aquilo só para te provocar. Você não podia ter se deixado atingir pelas provocações, você não estava sendo entrevistada pelo Antônio Abujamra nem nada… não canse sua beleza com quem lhe inveja, tá certo?

Igor acaricia levemente o rosto de Débora, que reage de supetão, mas logo permite que Igor continue tocando-lhe o rosto. Em seguida, ele liga o motor, tira o câmbio do ponto morto e desengata o freio de mão.

IGOR – Para onde vamos agora?

DÉBORA – Ah, já que não deu certo ir pra sorveteria, que tal nós irmos para o shopping?

Igor sorri para Débora. O carro vai embora.

CENA 08: FORTALEZA/EXT./TARDE

Imagens da Praia do Náutico.

Imagens da Avenida dos Expedicionários.

Um rapaz tira uma selfie na Praça dos Leões.

CENA 09: CASA DE JÉSSICA/COZINHA/INT./TARDE

Júlio entra na cozinha e flagra Jéssica em plena hora da merenda.

JÚLIO – Achei que a senhora ainda estaria dormindo…

JÉSSICA – Acordei agora há pouco…

JÚLIO – Cadê o pai?

JÉSSICA – Foi trabalhar. Ao contrário de ti, ele não tá mais de férias…

Júlio se senta à mesa, ao lado de Jéssica.

JÉSSICA – Aposto que tu quer me falar sobre esse encontro…

JÚLIO – Acertou. Olha, depois do que aconteceu hoje, pode ter certeza que eu vou passar mais tempo fora de casa. Te garanto que vai ter dias que eu só vou aparecer aqui em casa pra dormir. Quando eu entrar de férias, a senhora nem vai perceber…

Jéssica ri do comentário de Júlio.

JÉSSICA – Vou sentir tanta falta das tuas ajudas…

JÚLIO (rindo) – Ih, será que tem uma mãezinha por aqui se viciando no filho debaixo das asas, é?

Jéssica e Júlio se abraçam.

CENA 10: CASA DE GUTO E LUCIANA/QUARTO DE GUTO/INT./TARDE

Guto já está deitado na cama. Luciana, por sua vez, anda de um lado para o outro no quarto, com um discurso atropelado.

LUCIANA (desesperada) – Guto, será possível que você não percebe a gravidade da situação? Guto, o Ricardo tá namorando outro homem, e vocês da Corrente agem como se fosse a coisa mais normal do mundo?

GUTO – E por que não seria?

LUCIANA – Porque não é o correto. É um dos piores desgostos de Deus, um dos pecados mais sujos que existe, uma perversão, um atentado contra a natureza—

GUTO – Uma forma de amor, Luciana, nada mais do que isso.

LUCIANA – Uma forma de amor? Vocês consideram isso uma forma de amor?

GUTO – Sim. O Ricardo ama o Dimas.

LUCIANA – Ama nada. Um homem não pode amar outro daquele jeito. Isso é apenas uma fase, certamente eles estão querendo desafiar a família… logo logo o prazer do pecado se esvai e eles se arrependem do que fizeram.

GUTO (debochado) – Que fase, hein… sabia que eles estão juntos há mais de um ano?

Luciana se surpreende com as palavras de Guto.

LUCIANA – Um ano?

GUTO – Não me lembro ao certo, mas acredito eu que seja um ano e um mês, um ano e dois meses… mas eles estão juntos há um bom tempo… Luciana, pode até ser que alguns casos sejam assim, mas o namoro do Dimas e do Ricardo não é assim. Ele é sério, sólido e duradouro. Dá pra perceber isso só olhando pra eles.

LUCIANA – Antes de conhecer esse Dimas, eu já havia dito para a Débora que eu faria de tudo para ter o Ricardo pra mim. E agora que eu descobri que aquele depravado desvirtuou o meu Ricardo… ninguém vai me segurar, Guto, eu vou tirar o Ricardo das garras desse pervertido e vou mostrar pra ele o que é bom e o que é certo.

Guto se levanta, pondo-se sentado na cama, encarando Luciana.

GUTO (surpreso) – Tu vai fazer isso mesmo, Luciana?

LUCIANA – Pelo Ricardo, eu sou capaz de tudo, Guto. Eu tenho umas vantagens para poder separá-los… ou eu deixo o tempo mostrar para eles que esse namoro não tem futuro, ou então eu mesma faço isso: basta que eu dê para o Ricardo o que o Dimas nunca vai poder dá-lo… um filho…

GUTO – Não, Luciana… tu não seria capaz de fazer uma coisa dessas…

LUCIANA – Sou sim. Não só sou capaz, como também farei. Não descansarei enquanto não tiver o Ricardo ao meu lado, Guto, pode escrever.

Guto apenas encara Luciana. Ele não crê no que acabou de presenciar.

CENA 11: CASA DE JÉSSICA/QUARTO DE RICARDO/INT./TARDE

Dimas abre a porta do quarto e entra. Em seguida, entra Ricardo. Enquanto Dimas fecha a porta do quarto, Ricardo se joga em cima da cama.

RICARDO – Não adianta, Dimas, eu só vou tirar esse peso da minha consciência quando eu falar com a Luciana e conseguir o perdão dela. Não me importa que ela volte a ser aquela cachorra que só quer saber de se esfregar em mim e querer meu corpo nu. Quer dizer, a única coisa que eu quero é que ela não fique de mal comigo, e a única forma de eu ter certeza que ela não tá de mal comigo é infelizmente ver ela ficando igual uma cachorra pro meu lado.

DIMAS – Posso falar? Eu também tô meio arrependido do que eu falei pra Luciana também. Eu peguei pesado com ela… admito, eu podia ter agido diferente, mas deu no que deu, né? Parece até título de vídeo de um YouTuber acolá, né, amor? “Senti ciúmes do meu namorado e olha no que deu”…

Ricardo ri do comentário de Dimas.

RICARDO – Eu acho que amanhã a gente devia falar com o Guto pra ver se a gente consegue falar com a Luciana… aí a gente conversa com ela em particular, explica melhor a situação pra ela, de uma maneira que ela entenda a gente mas também não se sinta ofendida nem nada… e também a gente aproveita e pede desculpas a ela pela vergonha que a gente fez ela passar.

DIMAS – Nem só pela gente, mas pela Corrente inteira. Porque ninguém fez nada pra impedir isso. Parece que todo mundo queria que ela saísse humilhada… eu tô começando a achar que essa corrente não é forte não, porque ela não tá unindo todo mundo não…

RICARDO – Como o Gustavo disse, pode ser que essa desunião aconteça não por causa da Corrente, mas sim por causa da Luciana, e da Débora também. Percebeu que a Corrente se mostrou muito unida sem elas no meio?

Dimas reflete sobre as palavras de Ricardo.

DIMAS – Eu não consigo entender o porquê disso…

RICARDO – Tem coisas que é melhor a gente nem entender… seja pro nosso próprio bem, seja porque se trata de um assunto que não nos diz respeito…

DIMAS – Ou então porque elas simplesmente não têm explicação.

Ricardo se levanta, pondo-se sentado na cama, encarando Dimas.

RICARDO – Por exemplo?

DIMAS – Eu não consigo entender porque eu te amo… porque eu não consigo explicar… eu simplesmente te amo, Ricardo, é uma coisa que não tem explicação.

Dimas e Ricardo sorriem um para o outro. Dimas se aproxima de Ricardo e o levanta da cama. Os dois se abraçam e se beijam.

CENA 12: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/SALA/INT./NOITE

As luzes já estão apagadas. De repente, o portão de entrada se abre. Débora entra, conduzindo um ébrio Igor pela sala. Com grandes dificuldades, ela o conduz em direção ao interruptor, ligando as luzes do cômodo.

Fátima vem descendo as escadas e se assusta ao ver Débora e Igor. Ela apressa o passo, aproximando-se dos dois e ajudando Débora a sustentar Igor.

FÁTIMA – O que aconteceu, Débora? Por que vocês chegaram tão tarde? E por que o Igor tá assim?

DÉBORA – Nós saímos para nos divertir e acabamos perdendo a hora… nós acabamos parando numa churrascaria e eu não pude evitar que ele bebesse demais…

FÁTIMA – Você deixou ele beber, Débora?

DÉBORA – Eu já disse, Fátima, eu não pude controlá-lo. Agora, por favor, me ajude a deixá-lo no quarto antes que mais alguém o flagre desse jeito.

FÁTIMA – Sim, vamos…

Com alguma dificuldade, as duas mulheres guiam Igor até a escada.

CENA 13: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/QUARTO DE IGOR/INT./NOITE

Débora e Fátima põem Igor em cima da cama.

FÁTIMA – Eu tô muito preocupada com o Igor… tenho medo que ele acabe desenvolvendo uma cirrose ou algo do tipo…

DÉBORA – Que Deus o livre. Mas enfim, o importante é que mais ninguém pode saber que ele chegou assim nesse estado, Fátima. Só isso o que eu te peço, não comente com ninguém o que aconteceu aqui agora, em hipótese alguma. Para todos os efeitos, você não viu nada, você não ouviu nada. Pelo amor de Deus, não conte nada, ninguém deve saber de nada disso… eu conto com a sua palavra, eu conto com a sua promessa, Fátima?

FÁTIMA – Conta sim, Débora. Fique tranquila, eu não vi nada, não ouvi nada, não sei de nada.

DÉBORA – Muito obrigada, Fátima. Agora, você já pode ir.

FÁTIMA – Você não vai?

DÉBORA – Já se esqueceu da sua promessa, Fátima?

Fátima não tem outra alternativa a não ser sair, deixando Débora e Igor a sós. Imediatamente, Débora fecha a porta do quarto e se aproxima lentamente da cama, onde Igor dorme profundamente.

Débora se ajoelha na frente da cama, e começa a acariciar o rosto de Igor. Aos poucos, sua mão vai descendo, acariciando seu pescoço, chegando em lugares cada vez mais íntimos.

DÉBORA – É hoje que você vai ser meu, Igor…

Débora, então, começa a tirar as roupas de Igor. Primeiro, a camisa. Em seguida, os sapatos. Por fim, o cinto e a calça. A moça observa Igor só de cueca, e não esconde sua satisfação.

A cena congela em um efeito dourado no rosto de Débora.

FIM DO SEXTO CAPÍTULO.

Anúncios

52 thoughts on “Mundos Opostos – Capítulo 06

    • Lá vem textão estilo Facebook. Não vou mentir, adorooooooo
      E sofro com a sua viuvez de Mil Acasos. Amg, isso não te pertence mais, você agora está em cartaz com Diva, ok.
      Muito obrigado pela participação, Flavin

      Curtir

  1. Parabéns pelo capítulo de hoje, Glay!
    P.S. Estou tendo alguns problemas com o meu notebook e por isso ainda não consegui te enviar a edição do CdTV, mas vou fazer de tudo pra te enviar hoje!
    #. 😦 🙂

    Curtido por 1 pessoa

  2. Parabéns e obrigado pelo resumo.
    Gostei da primeira semana de sua web.
    Mas, lerei hoje a noite esse capítulo.
    Bom saber que esta menor e facilita a leitura.
    Sucesso pra Mundos Opostos.

    Curtido por 1 pessoa

    • Estou mantendo firme o meu compromisso de entregar capítulos curtos na medida do possível. O leitor em primeiro lugar, né non? Ele tem que estar em plenas condições de fazer aquela troca que eu mencionei na minha entrevista no Mundo Mix.

      Muito obrigado e de nada, Gremista 😀

      Curtir

  3. Amo demais!!!! Débora e Luciana são duas loucas kkk

    Morto e enterrado com a Luciana dando uma de vagaba e depois falando de pecado. A Débora se aproveitando do Igor foi uma delícia de gancho, por mim ela o amarrava e fazia dele seu escravo sexual 😛

    Parabéns por esse capítulo maravilhoso!

    Curtido por 1 pessoa

  4. O resumo foi de grande ajuda, mas fiquei confuso com alguns personagens que nem apareceram hoje. O núcleo da corrente é o melhor. Li a cena 2 imaginando a Helena falando como a Marília Gabriela. 😛 E amei forte o pisão que a Débora levou de todos os membros da corrente, que garota péssima. Luciana é outra ridícula, o Guto tem amizade com o Ricardo, podia alertar ele sobre o plano da Luciana. Chocadissimo com o gancho, Débora é uma rameira, gente, a típica vilãzinha que faz de tudo pra conquistar o boy, mas felizmente ela vai perder pra Maria.

    E parabéns Glay Abujamra.

    Curtido por 1 pessoa

    • Que bom ❤
      Claramente, eu gosto de escrever as cenas dos encontros da Corrente.
      Débora e Luciana claramente se merecem. Mas enfim, vamo fazer que nem os vídeos do Rezendeevil e olhar no que vai dar, né non?
      Será?
      E muito obrigado, G Â ❤ 😀

      Curtido por 1 pessoa

  5. Glay eu peço desculpas de não poder acompanhar. Pois volto minhas aulas e agora as professoras estão passando trabalho e tudo mais. Mas garanto que sempre estarei aqui para deixar um ponto e um: Parabéns.

    Curtido por 1 pessoa

  6. Luciana achou que plantaria discórdia na amizade entre Dimas e Ricardo, mas acabou caindo do cavalo ao descobrir que os dois são gays e estão namorando. HAHAHAAHAHAHAHA 😛 Socorro com as pisadas na Débora pela história da corrente, bem feito! Parabéns Glay, ótimo capítulo! ❤

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s