Troia (2ª temporada) – Episódio 02

trrrrrr

CENA 1/CASTELO/SALA DO TRONO/INT./DIA 

Menelau caminhava nervoso de um lado para o outro da sua grande sala. Agamenon, seu irmão, então entra. 

MENELAU — E então Agamenon? Cumpriu sua tarefa? 

AGAMENON — Sim, meu irmão. Todos os reinos aliados foram convocados para nos auxiliar na futura guerra! 

Menelau sorri. 

MENELAU — Ótimo, iremos invadir e destruir todo o reino troiano e Helena voltará para meus braços! 

AGAMENON — Tenho certeza que conseguiremos destruir aquele reino! 

MENELAU — E faço questão de ver Páris, aquele maldito, morto! 

CENA 2/CASTELO/JARDIM/EXT./DIA 

Hermíone estava sentada embaixo de uma árvore, chorando. Electra e Ifigênia então chegam e vão até a prima. 

IFIGÊNIA — Não fique assim, minha prima.  

ELECTRA — Verdade Hermíone, logo tudo voltará a ser como era. 

HERMÍONE (CHORANDO) — Eu quero apenas minha mãe! Ela não devia ter me abandonado. 

IFIGÊNIA — Tenho certeza que logo se verão novamente. 

Electra abraça a prima. 

IFIGÊNIA — Ouvi meu pai conversando com alguns homens e eles irão resgatar sua mãe. 

HERMÍONE (CHORANDO) — Que os deuses a tragam. 

ELECTRA — Eles trarão! 

CENA 3/CASTELO/QUARTO DE PENÉLOPE E ODISSEU/INT./DIA 

Penélope terminava de se arrumar, colocando suas jóias. Odisseu então entra, com o semblante triste. 

PENÉLOPE — Odisseu, o que houve? 

ODISSEU — Vamos ter que nos afastar? 

PENÉLOPE — Como assim? Eu não quero me separar de você! 

ODISSEU — Mas não será uma separação eterna, pelo menos assim espero.  

PENÉLOPE — Você está me deixando nervosa, o que está acontecendo? 

ODISSEU — Menelau decretou guerra contra Troia, para buscarmos Helena… 

Penélope abraça o marido. 

PENÉLOPE — E você foi convocado? 

ODISSEU — Exato. 

PENÉLOPE — Tenho uma notícia que lhe fará lutar bravamente para voltar ainda mais rápido. Supeito que eu esteka grávida! 

Os dois se beijam. 

ODISSEU — Tem certeza? Eu vou ser pai? 

PENÉLOPE — Pelas minha anotações sim, nós seremos uma família completa em breve! 

Eles se beijam novamente. 

Troia 

CENA 4/CASTELO/QUARTO DE PÁRIS E HELENA/INT./NOITE 

Páris entra no quarto e vê Helena sentada sobre a cama, chorando. 

PÁRIS — O que aconteceu? 

Ele corre até ela e a abraça. 

HELENA (CHORANDO) — Sua mãe, ela me odeia. Ela me agrediu. 

PÁRIS — Fique calma, estão todos muito nervosos. Tenho certeza que logo você e minha mãe serão grandes amigas! 

HELENA (CHORANDO) — Acho que foi um erro o que fizemos. Eu deveria ter continuado em Esparta! 

PÁRIS — Logo tudo será resolvido, só peço que fique calma! 

Eles continuam abraçados. 

CENA 5/CASTELO/QUARTO DE ANDRÔMACA E HEITOR/INT./NOITE 

Enquanto Andrômaca se trocava, Creusa que dizia a esperar para o jantar, coloca novamente a poção na água da futura rainha. Andrômaca então chega, mas Creusa já havia guardado o frasco. 

CREUSA — Vamos? 

ANDRÔMACA — Espere, vou apenas tomar um pouco de água. 

Andrômaca pega a água que havia sido envenedada por Creusa e bebe, a princesa comemora com um sorriso. 

PASSAGEM DE TEMPO 

Alguns dias 

Esparta 

CENA 6/CASTELO/SALA DO TRONO/INT./DIA 

Menelau, Agamenon, Odisseu, Castor e Polux estavam de pé, próximos ao trono. Do outro lado da sala estavam Leda, Penélope, Clitemnestra e seus filhos, Icário e Hermíone. Eles conversavam, até que Menelau dá um passo para a frente. 

MENELAU — Queria que esse momento durasse muito mais tempo, mas já é hora de irmos. 

Agamenon se aproxima do irmão. 

AGAMENON — Sim, nosso exército já está nos esperando na marina. 

Leda se aproxima de Castor e Polux, seus filhos. 

LEDA — Meus filhos, estou pedindo todos os dias a Ares, para que vocês recebam a proteção necessária durante a guerra. 

CASTOR — Tenho certeza que ele lhe ouvirá. 

Os três se abraçam. 

Agamenon se aproxima da esposa e dos filhos. Clitemnestra sorri e abraça o marido, assim como Ifigênia, Electra e o mais novo, Orestes. 

CLITEMNESTRA — Honrem o nome de Esparta e salvem minha irmã! 

IFIGÊNIA — Que os deuses lhe protejam, meu pai. 

AGAMENON — Eles protejerão! 

Ele pega Orestes no braço. 

AGAMENON — Cuide bem de suas irmãs e de sua mãe, meu filho e herdeiro. 

ORESTES — Sim, papai. 

Menelau se aproxima de Hermíone. 

MENELAU — Eu trarei sua mãe de volta, Hermíone, confie em mim! 

Ela, chorando, abraça ao pai. 

Penélope caminha até Odisseu, com Icário. 

PENÉLOPE — Não demore a voltar! 

ODISSEU — Não irei demorar! 

Os dois se beijam. Em seguida, os cinco saem da sala do trono e Leda sorri. 

LEDA — Que os deuses estejam ao lado de cada um deles! 

CENA 7/MARINA/EXT./DIA 

Os guerreiros aqueus entravam nos navios, que os levariam para Troia. Menelau e Agamenon obervavam tudo, lado a lado. Odisseu então corre até eles. 

MENELAU — O que houve, Odisseu? 

ODISSEU — Ainda não percebeu, majestade? Os ventos pararam, não é possível que os barcos prossigam. Na verdade eles nem conseguem sair do lugar. 

MENELAU (DESESPERADO) — Busque por Calcas, ele deve estar por aqui, já que sempre nos acompanha nas guerras. 

ODISSEU — Como quiser, soberano! 

Odisseu corre, em busca de Calcas. 

AGAMENON — Que os deuses tragam os ventos, precisamos chegar em Troia e sem os ventos seria impossível! 

MENELAU — Realmente, torço para os deuses lhe escutarem. 

Odisseu volta, agora trazendo o profeta Calcas. 

CALCAS — Aqui estou soberano, dê-me minha tarefa. 

MENELAU — Por que os ventos não estão mais soprando, poderoso Calcas? 

Calcas fecha os olhos e respira fundo, abrindo os olhos após alguns segundos. 

CALCAS — Agamenon, você desrespeitou a poderosa deusa Ártemis durante uma caçada…/ 

FLASHBACK ON 

Odisseu observa, enquanto Agamenon coloca uma flecha no arco e a atira, acertando em cheio o animal. 

ODISSEU Você é mesmo muito bom! 

AGAMENON Sim, eu sei. Creio que sou até melhor que a deusa Ártemis! 

ODISSEU Não exagere. 

AGAMENON Não estou exagerando, sou muito melhor que a deusa da caça e ela deve aceitar isso! 

FLASHBACK OFF/CONTINUAÇÃO IMEDIATA 

CALCAS — A magnífica está magoada então precisaremos realizar um sacríficio e além disso, falta um guerreiro, para que a vitória seja certa. Busquem por Aquiles, filho de Tétis e Peleu. Ele vive atualmente na corte de Licomedes, em Esquiro. 

MENELAU — Realizaremos as duas tarefas, poderoso profeta! 

Esquiro 

CENA 8/CASTELO/SALA DO TRONO/INT./NOITE 

Licomedes estava em seu trono, no ponto mais alto da sala, enquanto a filha, Deidamia, estava em um logo abaixo. 

LICOMEDES — Parece que Odisseu, rei de Ítaca, está aqui, para uma reunião de emergência. 

DEIDAMIA — Será algum problema em Ítaca? 

LICOMEDES — Pelo que meus homens disseram, a reunião está relacionada à guerra dos espartanos contra Troia. 

DEIDAMIA — Pelo que me disseram, esta guerra está envolvendo um grande número de reinos, será que buscam por apoio? 

LICOMEDES — Vamos ver. 

Licomedes se volta para o servo, que estava ao lado da porta principal. 

LICOMEDES — Deixe-o entrar! 

O servo abre a porta e Odisseu entra, fazendo um reverência ao rei e à princesa. 

LICOMEDES — Seja bem-vindo, Odisseu. O que o traz em meus domínios? 

ODISSEU — Primeiramente gostaria de agradecer o acolhimento e agora vejo porque é conhecido como um dos reis mais acolhedores e generosos já existentes. 

Licomedes sorri. 

ODISSEU — Respondendo à sua pergunta, estou aqui buscando pelo príncipe Aquiles, segundo um Oráculo, ele é fundamental para a guerra. 

Deidamia fica visivelmente desesperada. 

DEIDAMIA — Meu pai, peço sua permissão para ir aos meus aposentos, estou um pouco indisposta. 

LICOMEDES — É claro, Deidamia, pode ir! 

Deidamia sai pelos fundos da sala. 

LICOMEDES — Aquiles não seria filho de Peleu e Tétis? A irmã dele é ama de minha filha. 

ODISSEU — Irmã? Não sabia que Peleu e Tétis tinham uma filha. 

LICOMEDES — Ela deve estar mantendo o irmão aqui, talvez ele esteja fugindo da guerra. 

ODISSEU — Exato. 

LICOMEDES — Tem toda a liberdade para porcurar por ele. 

ODISSEU — Lhe agradeço! 

CENA 9/CASTELO/QUARTO DE DEIDAMIA/INT./DIA 

Deidamia caminhava de um lado para o outro, nervosa. De repente, Pirra (Aquiles), entra. 

PIRRA (AQUILES) — Me chamou, Deidamia? Você está tão nervosa, o que aconteceu? 

DEIDAMIA (NERVOSA) — O rei Odisseu está aqui, ele procura por você, Aquiles! 

PIRRA (AQUILES) — Não pode ser… 

DEIDAMIA — Agora você deve manter o disfarce com todas as suas forças, meu amado. Não quero que vá para a guerra! 

PIRRA (AQUILES) — Guerra? 

DEIDAMIA — Sim, parece que você é peça fundamental para a guerra entre Esparta e Troia! 

Ela abraço o amado, que a acalma. 

PIRRA (AQUILES) — Fique calma, ele não vai descobrir minha identidade, vou ser o mais cuidadoso dos mortais! 

Troia 

CENA 10/CASTELO/SALA DO TRONO/INT./NOITE 

Príamo entra em sua sala, Hécuba estava sentada em seu devido trono, ao lado do trono do marido. 

HÉCUBA — Onde você estava, Príamo? 

PRÍAMO — Trago-lhe uma notícia um tanto pertubadora, minha esposa. 

HÉCUBA — Seja rápido, sabe que odeio ficar ansiosa! 

Príamo olha triste para ela. 

HÉCUBA — Diga o que está acontecendo? 

PRÍAMO — Os aqueus declararam guerra à Troia e já estão vindo para cá. 

Hécuba se levanta, nervosa. 

HÉCUBA (NERVOSA) — Não pode ser! É tudo culpa de Helena, aquela maldita. 

Príamo abraça a esposa. 

PRÍAMO — Calma, as muralhas de Troia são poderosas, nenhum guerreiro aqueu virá até nós, as muralhas nos protegerão! 

CENA 11/CASTELO/QUARTO DE ANDRÔMACA E HEITOR/INT./NOITE 

Andrômaca estava preparada para dormir e bebe mais um gole de água, envenenada por Creusa. Heitor estava analisando os mapas da região que circulava Troia. 

ANDRÔMACA — Não estou me sentindo bem… 

Quando Heitor se vira para a esposa, Andrômaca desmaia, ele assustado, corre até ela. 

HEITOR (GRITANDO) — Andrômaca, o que está acontecendo? Andrômaca! 

Esparta 

CENA 12/MARINA/INT./DIA 

Calcas estava sentado ao lado de um altar de pedra. Agamenon então chega trazendo consigo sua esposa, Clitemnestra e sua filha, a primogênita, Ifigênia. 

CLITEMNESTRA — Quero saber qual será sua participação neste ritual. Garanto que você ficará na história, minha filha! 

Ifigênia sorri. 

AGAMENON — Clitemnestra tem razão, você será lembrada eternamente minha filha, por ter auxiliado na guerra contra Troia. 

Calcas se levanta. 

CALCAS — Seus pais tem razão, com seu sangue derramdo neste altar, Ártemis se acalmará e trará os ventos, Ifigênia. 

AGAMENON — Como assim, minha filha irá se ferir, você disse que o sangue dela será derramado. 

CALCAS — O animal que você caçou nos domínios de Ártemis e ele era para a deusa como um filho! 

Agamenon olha para Clitemnestra, paralisados por conta da surpresa. 

AGAMENON — Ifigênia será morta? 

CALCAS — Exato, ela será o sacrifício! 

AGAMENON (GRITANDO) — Não!!! 

Esquiro 

CENA 13/CASTELO/JARDIM/EXT./DIA 

Deidamia e Pirra (Aquiles) estavam”sentadas” sob uma tenda no jardim. 

DEIDAMIA — Me dê um pouco de chá. 

Pirra (Aquiles) serve chá para a princesa. 

DEIDAMIA — Até que você aprendeu a colocar a quantidade certa de chá em uma xícara. 

PIRRA (AQUILES) — Sou extremamente dedicado… quer dizer, dedicada! 

DEIDAMIA — Exato! 

Odisseu chega sorridente. 

ODISSEU — Aceita minha companhia, bela Deidamia? 

Pirra (Aquiles) fica com ciúmes, mas não deixa transparecer. 

DEIDAMIA — Claro que sim, Odisseu. Conte-nos mais sobre Ítaca. 

ODISSEU — É um belo lugar. A água é cristalina, os pássaros povoam os céus e árvores, a terra é fértil. 

DEIDAMIA — Pelos deuses, que maravilha! 

Odisseu olha para Pirra (Aquiles) e vê que “ela” evitava manter contato. 

ODISSEU — Você chama-se Pirra, não? Filha de Peleu e Tétis e irmã do famoso Aquiles. 

PIRRA (AQUILES) — Sim, irmã mais nova. 

ODISSEU — Me desculpe, mas nunca soube da sua existência. 

Deidamia e Pirra (Aquiles) se assustam. 

DEIDAMIA — Ela sempre viveu dentro do castelo, não é mesmo minha amiga? 

PIRRA (AQUILES) — Sempre aprendendo tarefas de uma nobre com minha mãe! 

ODISSEU — Entendo. 

Odisseu percebe que a dama de companhia de Deidamia estava nervosa, assim como a princesa. 

Esparta 

CENA 14/MARINA/INT./DIA 

Clitemnestra chorava, abraçada à filha, enquanto isso, Agamenon estava ajoelhado no chão, próximo ao mar. 

AGAMENON (CHORANDO) — Por que, poderosa Ártemis. Me leve no lugar de minha primogênita! 

Calcas se aproxima de Clitemnestra e Ifigênia. 

CALCAS — Vamos dar início? 

CLITEMNESTRA (CHORANDO/GRITANDO) — Não, minha amada filha não pode morrer! Ela é muito jovem! 

Ifigênia se solta dos braços da mãe. 

IFIGÊNIA — É um desejo de Ártemis, não podemos ir contra. 

Agamenon se levanta e vai até Clitemnestra. 

CLITEMNESTRA (CHORANDO/GRITANDO) — Não deixe que ele a leve, Agamenon! Faça alguma coisa, eu lhe suplico! 

AGEMENON (CHORANDO) — Não podemos fazer nada… 

CLITEMNESTRA (CHORANDO/GRITANDO) — Não! 

Calcas leva Ifigênia, que chorava silenciosamente, para o altar, onde seria realizado o sacrifício. 

CALCAS — Agora é com você, Agamenon. Você deve sacrificar em nome de Ártemis! 

Agamenon se levanta, enxuga as lágrimas e pega o punhal que o profeta segurava. Calcas se afasta e Clitemnestra grita desesperada, ela estva trêmula, não conseguia dar um passo sequer. 

AGAMENON (CHORANDO) — Me desculpe, minha filha… 

IFIGÊNIA — Seja forte, meu pai. 

CENA 15/CASTELO/JARDIM/EXT./DIA 

Leda, Icário e Penélope conversavam, sentados sob uma tenda, enquanto comiam e bebiam. 

ICÁRIO — Uma grande guerra se aproxima, escutem o que digo! 

LEDA — Você tem razão, nunca vi tanta raiva e ódio em Menelau. 

PENÉLOPE — Não deve ser fácil ser traído… 

LEDA — Helena cometeu o maior erro da vida dela e isso trará grandes consequências para todos nós! 

Olimpo 

CENA 16/CASTELO DE ÁRTEMIS/SALÃO PRINCIPAL/INT./DIA 

A poderosa deusa virgem da caça, Ártemis, estava sentada em seu trono. Ela usava um belo vestido branco, sandálias e o cabelo preso em trança. Ao lado de seu trono estava um arco e a aljava de flechas. Na sua frente flutuava um espelho de ouro polido, no qual ela via Agamenon pronto para sacrificar a primogênita. 

ÁRTEMIS (P/ SI) — Está na hora de intervir, Agamenon se provou leal! 

Ela desaparece em uma fumaça branca. 

Esparta 

CENA 17/MARINA/EXT./DIA 

Agamenon apontava o punhal para o pescoço de Ifigênia, Clitemnestra chorava, no chão. 

AGAMENON — É  a hora! Que Ártemis perdoe meu erro! 

O tempo para, Ártemis aparece ao lado do altar. Apenas Ifigênia conseguia se mexer, levantando-se. 

IFIGÊNIA — O que está acontecendo? 

ÁRTEMIS — Venha comigo. Talvez não me reconheça, sou Ártemis. 

Ifigênia se assusta ao se notar na frente da deusa da caça. 

ÁRTEMIS — Levante-se e venha, você não vai pagar pelo erro de seu pai. 

Ifigênia dá a mão para a deusa, desaparecendo com ela. O tempo volta a passar e Agamenon golpeia uma corça. O sangue escorre pelo altar, e graças ao poder de Ártemis, todos pensam ser Ifigênia que havia sido morta. Agamenon chora silenciosamente sobre o “corpo” da filha, enquanto Clitmnestra se desespera e começa a golpear o chão com as mãos. 

CLITEMNESTRA (GRITANDO) — Não! 

Esquiro 

CENA 18/CASTELO/CORREDOR/INT./DIA 

Odisseu escuta Deidamia e Pirra (Aquiles) vindo pelo corredor, conversando. 

ODISSEU (P/ SI) — Agora descobrirei onde Aquiles está… 

Ele pega a sua espada e se prepara. Deidamia e Pirra (Aquiles) chegam no corredor e são surpreendidas por Odisseu, que puxa Deidamia para perto dele, ameaçando-a com a espada. 

DEIDAMIA (GRITANDO) — Socorro!!!! 

ODISSEU — Onde está Aquiles! 

Pirra (Aquiles) então, ao ver a amada em perigo, retira a peruca e pega uma espada da ar,adura que sercia de enfeite ao seu lado. 

AQUILES — Eu estou bem aqui, Odisseu! 

A câmera foca em Aquiles, furioso.

tv_mix_logo

29 thoughts on “Troia (2ª temporada) – Episódio 02

  1. Deidamia bem que tentou, mas foi inútil preservar Aquiles em Esquiro. Ele vai para a guerra em Troia.

    Creusa conseguiu envenenar Andrômaca.

    Ártemis salvou a vida de Ifigênia. Mas parece que, para a família, ela morreu mesmo. Mas o que importa é que agora os ventos levarão o exército de Menelau a Troia a fim de lutar por Helena.

    Curtir

    • Realmente, Deidamia apenas conseguiu atrasar a ida dele.
      Exato, para todos Ifigênia está morta e isso será essencial para um plot twist no próximo episódio.

      Obrigado pela participação, Glay!

      Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s