Mundos Opostos – Capítulo 11

RESUMÃO DA SEGUNDA SEMANA – Mundos Opostos

CAPÍTULO 06

Luciana descobre que Ricardo e Dimas são namorados. Decepcionada, ela abandona o encontro. Mesmo assim, Carolina, Dimas, Jonas, Júlio, Luís e Maria são apresentados à Corrente sem maiores problemas. Helena faz uma dinâmica com Carolina e Jonas, arrancando-lhes curiosidades sobre o relacionamento. Fátima aconselha Alice a esperar o tempo necessário para ter as explicações de Gabriel sobre Luís e Maria. Igor e Débora vão à mesma sorveteria onde a Corrente está se encontrando. Débora arma um barraco com a Corrente e insulta Maria, levando uma bofetada dela. Débora se faz indignada para Igor, que a tranquiliza com uma leve carícia no rosto. Júlio compartilha com Jéssica o encontro da Corrente. Luciana e Guto discutem por causa de Dimas e Ricardo. Dimas se mostra arrependido do que fez com Luciana e combina com Ricardo de se desculpar com ela. Débora chega na mansão com Igor em um estado deplorável. Débora faz Fátima prometer que não viu nada. Enfim a sós com Igor, Débora decide pôr em prática o seu plano.

CAPÍTULO 07

Débora conta a Igor que eles transaram naquela noite e insinua que pode ter engravidado. Gabriel ouve a conversa e repreende Igor. Jair e Ricardo discutem por causa de Dimas. Débora conta a Cassandra que conseguiu deitar com Igor. Gabriel conta a Alice que Débora e Igor transaram. Alice tenta convencer Igor a se casar com Débora. Talita desconfia das palavras de Bárbara a Júlio. Bárbara avisa a Júlio que Talita desconfia do caso deles. Alice ofende Maria e Luís a defende. Os dois discutem e Luís acerta uma bofetada em Alice.

CAPÍTULO 08

Alice e Luís discutem por causa de Maria. Gabriel decide levar Alice para conhecer Micaela. Luciana conta a Cassandra e Débora que Ricardo namora Dimas e que está decidida a separá-los. Dimas tenta convencer Ricardo a se desculpar com Jair. Bárbara e Júlio transam depois que Angelo sai para trabalhar. Gustavo encoraja Igor a se recusar a contrair matrimônio com Débora. Alice e Gabriel discutem por causa de Débora e ele afirma a esposa que vai fazê-la mudar a maneira de ver Luís e Maria. Dimas convence Ricardo a procurar Luciana. Débora diz a Cassandra que não conseguiu engravidar de Igor. Ricardo combina de conversar com Luciana. Bárbara se sente dividida entre Angelo e Júlio. Débora procura Igor e afirma que engravidou dele. Gabriel conta a Fátima que Micaela morreu. Contrariando as ordens do patrão, a governanta compartilha a notícia com Luís.

CAPÍTULO 09

Fátima dá seus pêsames a Luís. Débora tenta convencer Igor a contrair matrimônio. Fátima e Gustavo revelam a Maria que Débora lhe fez cair numa armadilha e fazê-la pensar que Igor não a ama. Carolina discute com Jonas após vê-lo compartilhar histórias pessoais com Helena. Jéssica tenta convencer Jair a falar com Ricardo. Dimas e Ricardo conversam com Luciana e definem regras de convivência com ela. Gabriel aconselha prudência a Fátima na hora de falar com Maria. Igor consola Luís pela morte de Micaela. Débora volta a falar de casamento com Luís. Fátima revela a Maria que Micaela morreu. Dimas convence Ricardo a falar com Jair. Luciana compartilha com Guto que conseguiu progredir no seu plano para conquistar Ricardo. Alice dá seus pêsames a Luís e Maria e pede desculpas aos dois. Débora e Maria se encontram.

CAPÍTULO 10

Débora e Maria discutem por causa de Igor. Débora deseja a morte da mãe de Maria e leva uma bofetada da moça. Luís convence a família a fazer uma festa surpresa para Maria. Gustavo e Helena conversam com Guto, Jonas e Júlio para acertar os detalhes da festa de Maria. A Corrente se reúne na casa de Guto e Luciana para montar a festa de Maria. Luís convence Maria a ir para a casa de Guto e Luciana. Bárbara novamente causa desconfiança em Talita ao dizer que prefere Júlio a Jonas. Luciana consegue ver Ricardo sem camisa. Igor convence Débora a comparecer à festa de Maria. Guto repreende Luciana por ter ficado com a camisa de Ricardo. Débora revela a Igor que desejou a morte da mãe de Maria.


CENA 01: CASA DE GUTO E LUCIANA/CORREDOR/INT./NOITE

Débora e Igor param no corredor.

DÉBORA – O que você quer que eu faça aqui na festa de aniversário de uma garota que eu antipatizo?

IGOR – Olha, Débora, primeiro de tudo: eu percebi que vocês não me esperaram e as negociações do nosso casamento já estão avançadas.

DÉBORA – O guichê de reclamações é o quarto da minha avó.

IGOR – Eu poderia muito bem fazer a Esmeralda e ignorar completamente esse casamento, mas eu não vou fazer isso em respeito ao nosso filho. Se você não quiser que eu mude de ideia, então é melhor que você acate uma vontade minha, que por uma coincidência oriunda da novela anterior à nossa, também é uma vontade do meu pai.

DÉBORA – E o que seria?

IGOR – Fazer as pazes com a Maria. Não sei se você sabe, mas hoje nós estamos fazendo uma festa surpresa para a Maria, a mãe dela morreu ontem à tarde e nós estamos tentando alegrá-la.

Débora se choca com o que acabou de ouvir de Igor.

DÉBORA – O quê?

IGOR – Exatamente. A Maria está triste, de luto pela morte da mãe.

DÉBORA – É por isso que ela me bateu quando nós discutimos hoje à tarde… eu não devia ter falado aquilo…

IGOR – Aquilo o quê, Débora?

DÉBORA – A gente teve uma discussão, não lembro direito o porquê, daí eu perdi a cabeça e desejei a morte da mãe dela…

Igor se choca com a confissão de Débora. Ela desvia o olhar, preocupada e desesperada com a situação. Ele, visivelmente alterado e tenso, passeia as mãos pela cabeça e pelo pescoço, pensando no que falar e no que agir diante do que acabara de escutar. Ambos lutam para que as lágrimas não transbordem.

IGOR – Eu não acredito nisso.

DÉBORA – Por favor, não venha me dar lição de moral, eu sei exatamente a gravidade das minhas palavras, eu perdi toda e qualquer noção quando eu fiz aquilo, eu sei de tudo, não precisa repetir.

IGOR – Se eu já achava que tinha chances da Maria não aceitar suas desculpas, agora eu tenho certeza que ela não vai aceitar.

DÉBORA – Mas eu vou tentar. Eu vou mostrar para a Maria que eu estou realmente arrependida do que eu falei. Eu vou mostrar para ela que eu percebi o quanto me excedi, o quão inconsequente e infeliz foi a minha declaração.

IGOR – Boa sorte, Débora. Se ela lhe destratar, agradeça, porque ela será muito generosa com você se fizer somente isso. Qualquer uma, no lugar dela, sentava a mão na tua cara.

Igor volta para a sala, deixando Débora sozinha no corredor. Desesperada com a situação, a moça leva as mãos à boca, controlando-se para não chorar.

DÉBORA (sussurrando) – Você é uma ordinária, Débora… uma insensível, desgraçada.

Débora tenta se recompor.

CENA 02: CASA DE GUTO E LUCIANA/SALA/INT./NOITE

A sala já foi devidamente decorada. Carolina, Dimas, Gustavo, Guto, Helena, Igor, Jonas, Júlio, Luciana e Ricardo observam com satisfação o resultado.

GUSTAVO – Espero que a Maria goste.

HELENA – Eu tenho certeza que ela vai gostar.

Jonas descansa o braço no ombro de Helena. Ela estranha a sua atitude, mas logo permite que ele o faça e ainda ajusta o braço do amigo em uma posição mais confortável para ela. Carolina observa a cena e tenta esconder sua raiva, sem sucesso. Jonas olha para ela e percebe o descontentamento da noiva.

DIMAS – Agora é só esperar para que eles venham.

As atenções de todos se viram para a porta. Eles veem a luz do farol do carro de Gabriel atravessar a janela.

CENA 03: CASA DE GUTO E LUCIANA/FACHADA/EXT./NOITE

O carro de Gabriel estaciona em frente à casa de Guto e Luciana. Uma das portas de trás se abre para a saída de Luís e Maria. Os dois acenam para o veículo, que parte, deixando os irmãos ali sozinhos.

Antes que eles se virem de frente para a casa, as luzes do interior são apagadas. Eles estranham.

MARIA – Ué, as luzes não tavam acesas? Será que não tem ninguém em casa?

Luís raciocina e logo se lembra da festa surpresa.

LUÍS – Não custa nada entrar e ver, né?

MARIA – Mas a gente não vai tar invadindo a casa deles?

LUÍS – Vamo nada, Maria.

Luís e Maria se aproximam do portão. Antes que Luís encoste, o portão se abre sozinho, para a estranheza deles. Mesmo assim, eles entram.

CENA 04: CASA DE GUTO E LUCIANA/SALA/INT./NOITE

Tudo completamente escuro. A única fonte de luz é a luminosidade externa, que indica (e muito mal) a presença de Luís e Maria ali dentro. Assim que eles entram, o portão é fechado, o que começa a assustar Maria.

MARIA – Ai, Luís, tô ficando com medo.

LUÍS – Calma, Maria. Fica aqui, eu vou acender a luz.

Alguns segundos de silêncio. A luz se acende. Maria está de frente para uma mesa no centro da sala, onde se encontra um bolo de chocolate com quinze velas acompanhado de vários doces e salgados. Do outro lado da mesa, estão Carolina, Dimas, Gustavo, Guto, Helena, Igor, Jonas, Júlio, Luciana e Ricardo.

TODOS – SURPRESA!

Maria não leva um susto. Surpresa, ela leva as mãos à boca, observando aquela mesa. Luís se aproxima da irmã, que encara os amigos e não consegue esconder o sorriso, mesmo com a boca coberta. Dimas acende as velas, e começa a puxar.

DIMAS – Parabéns pra você…

TODOS (batendo palmas) – Nessa data querida, muitas felicidades, muitos anos de vida!

Maria se abraça a Luís e observa os amigos repetindo a estrofe. Ele enxuga as lágrimas de felicidade da irmã.

TODOS (batendo palmas) – É pique, é pique, é-pique-é-pique-é-pique! É hora, é hora, é-hora-é-hora-é-hora! Rá-tim-bum, Maria! Maria! Maria! Maria!

Maria se aparta do abraço de Luís e vai cumprimentar a todos.

MARIA – Ai gente, adorei a surpresa.

JONAS – Não vou mentir, Maria, eu tava morrendo de medo de tu não gostar. Sei lá, eu achei que tu ia se assustar com tudo isso, ia achar ruim… mas graças a Deus que tu gostou.

Maria continua cumprimentando os amigos.

CENA 05: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/QUARTO DE ALICE E GABRIEL/INT./NOITE

Alice e Gabriel estão deitados na cama. Ele de pijama e ela de camisola.

ALICE – Então foi por isso que você trouxe o Luís e a Maria para cá… para que eles não ficassem soltos no mundo feito animais abandonados e indefesos…

GABRIEL – Isso. A Micaela morreria a qualquer momento e deixaria os dois desamparados. Eu não queria que eles ficassem do mesmo jeito que a mãe deles, ou então pior… eu jamais me perdoaria se isso acontecesse. Eu não pude ajudar a Micaela, mas posso ajudar os filhos dela, e isso já me serve como consolo.

ALICE – Gabriel, não me interprete mal, mas eu causei muitos problemas com esses garotos por causa da sua demora em me revelar a verdade. Se você tivesse me comunicado sobre isso antes, todos esses mal estares poderiam ter sido evitados. Por que você não fez isso?

GABRIEL – Alice, eu trabalho. Eu não tenho muito tempo em casa, eu não tinha como fazer isso de maneira satisfatória. O máximo que eu conseguiria fazer era lhe confundir. Eu esperei a oportunidade certa para que a Micaela lhe contasse, ela poderia lhe explicar melhor do que eu, mas infelizmente ela não pôde fazer isso. O Luís e a Maria estão aqui em nossa casa por minha causa, porque eu convenci a Micaela a fazer por eles o que ela não deixou que eu fizesse por ela.

ALICE – Mas porque não me contou nada sobre essa história? Não comentou comigo que reencontrou essa sua amiga, não comentou comigo a sua vontade de trazer os filhos dela para cá… tudo aconteceu por debaixo dos nossos narizes, sem que nós sequer desconfiássemos.

GABRIEL – Foi algo repentino. Não demorou muito tempo desde o meu reencontro com a Micaela até o dia em que eu trouxe o Luís e a Maria para cá. Foi basicamente na mesma semana.

ALICE – E não teve tempo de me falar nada? Duvido muito.

GABRIEL – Não— quer dizer, sim— não, quer dizer, não— ah, esquece. Foi erro meu mesmo. Errei em não lhe falar nada.

ALICE – Mas por quê? Por que você acha que eu me oporia a uma decisão sua de ajudar um amigo?

Gabriel se cala diante dos questionamentos de Alice.

ALICE – Eu só me opus à presença desses dois aqui em casa porque eu não sabia de onde eles vinham. E o mistério que você fez só aumentou a minha angústia e desconfiança. Cheguei a imaginar que eles eram filhos bastardos seus, eu já estava esperando pelo momento em que a mãe deles, a sua amante, também viesse para cá usufruir dos direitos deles.

GABRIEL – Alice, nós nos conhecemos há quase 40 anos. Acredito que seja tempo mais do que suficiente para lhe confirmar a minha fidelidade. Durante todos esses anos eu nunca lhe traí e pretendo continuar assim. Não posso lhe garantir que eu nunca vou lhe trair, não sei o que pode acontecer no futuro, se eu vou dirigir outra novela flopada— ahm… enfim, essa sua desconfiança é infundada. Nunca lhe dei margem para desconfiança, isso acontece porque você a alimenta.

ALICE – Eu não sei o que eu faria se eu lhe visse com outra, Gabriel.

GABRIEL – Pois eu sei. Você lutaria até a morte pelo nosso casamento. E com certeza venceria a batalha.

Alice e Gabriel sorriem um para o outro e trocam um rápido beijo.

ALICE – Boa noite, meu amor.

GABRIEL – Boa noite, minha rainha.

E eles se viram, se preparam para dormir.

CENA 06: CASA DE GUTO E LUCIANA/SALA/INT./NOITE

TRILHA SONORA: Uptown Funk – Mark Ronson ft. Bruno Mars

Carolina, Dimas, Gustavo, Guto, Helena, Igor, Jonas, Júlio, Luciana, Luís, Maria e Ricardo estão cada qual servido com um prato de plástico com uma fatia de bolo, alguns salgadinhos e um copo descartável com refrigerante.

Carolina, Dimas, Jonas, Júlio e Ricardo fazem um semicírculo em um canto da sala, e aparentemente se divertem bastante com o assunto. Não muito longe dali, Gustavo, Helena, Igor, Luís e Maria fazem outro semicírculo e aparentam dialogar bem entre si. Igor se afasta um pouco deles, indo em direção a Guto e Luciana.

IGOR – Guto… Lu… cadê a Débora?

LUCIANA – Débora? Ela tá aqui?

IGOR – Ah, me esqueci de avisar. Eu trouxe a Débora pra cá.

GUTO – Tu ficou doido, Igor? Tu quer estragar a festa de aniversário da Maria? Parece que não sabe que elas se odeiam…

IGOR – Não é isso. Eu trouxe ela pra cá justamente pra elas fazerem as pazes.

GUTO – As definições de Alice foram atualizadas.

IGOR – Não fala mal da minha mãe, viu?

LUCIANA – Ai Igor, o que você tem de burro você tem de burro. Igor, eu não acredito que você achou que era uma boa ideia fazer a Débora e a Maria se reconciliarem durante a festa de aniversário da Maria. O máximo que você vai conseguir é fazer uma das duas sair toda arranhada dessa festa.

IGOR – Não custa tentar.

LUCIANA – Nenhum de nós além de você sabia que ela estava aqui, então nenhum de nós sabe onde ela está. É melhor você mesmo procurá-la.

Igor vai para o corredor, à procura de Débora. A trilha sonora vai abaixando aos poucos.

CENA 07: CASA DE GUTO E LUCIANA/QUARTO DE LUCIANA/INT./NOITE

Igor entra no quarto e flagra Débora sentada na cama, olhando para o nada.

IGOR – Débora?

Débora se vira na direção da porta e flagra Igor ali.

DÉBORA – Igor…

IGOR – Por que você não está lá na sala?

DÉBORA – Eu devia era ter ido embora antes que o Luís e a Maria chegassem. Eu sou persona non grata para eles, Igor.

IGOR – Você está aqui justamente para deixar de ser persona non grata para eles. Você devia estar lá na sala, devia ter cantado os parabéns junto conosco, comendo bolo, salgadinho e refrigerante, conversando com os dois como se estivessem se conhecendo agora.

Débora e Igor se entreolham por alguns segundos. Ela, então, se levanta da cama. Igor sorri, vitorioso.

DÉBORA – Tá bom, eu vou…

Débora e Igor saem do quarto.

CENA 08: CASA DE GUTO E LUCIANA/SALA/INT./NOITE

Igor volta para a sala e se aproxima de Maria. Ela se vira e percebe a sua presença.

MARIA – O que foi, Igor?

IGOR – Maria, eu tive que fazer uma coisa que eu não sei se você vai gostar, mas que é necessária.

A conversa vai chamando a atenção de cada um dos personagens em cena, que fazem um semicírculo perto deles.

MARIA – O que seria?

IGOR – A minha família sendo a ponte em comum de duas mulheres que se odeiam, e eu não posso deixar isso acontecer. Isso não é saudável para nenhuma das duas envolvidas, e eu pensei em várias maneiras de acabar com isso. Mas a sua festa de aniversário me pareceu a oportunidade perfeita.

MARIA – Do que você está falando, Igor?

Débora entra na sala e se posiciona ao lado de Igor. Todos os demais personagens ficam surpresos com a presença da moça ali, à exceção de Guto e Luciana: estes se entreolham, tensos com o que pode acontecer.

Débora e Maria se encaram. Débora tenta esconder o seu medo de Maria, que por sua vez franze a testa.

CENA 09: CASA DE JAIR E JÉSSICA/QUARTO DE JAIR E JÉSSICA/INT./NOITE

Jair e Jéssica já estão deitados na cama. Ele veste apenas uma bermuda escura, enquanto ela veste uma camisola clara.

JÉSSICA – Algo me diz que os nossos bebês vão chegar de madrugada.

JAIR – Eles não são mais bebês, Jéssica, eles já são adultos. O Jonas já tem 18 e o Júlio tem 23, já têm idade e responsabilidade suficiente para não fazer nada de errado. Se for para eles chegarem de madrugada, eles vão chegar vivos, inteiros, sóbrios e conscientes.

JÉSSICA – Mesmo assim, eu me preocupo com eles. Tu sabe que mãe é assim: se o filho sentir uma dor, a mãe sente uma dor dez vezes maior. E quando são dois filhos, a mãe sente vinte vezes. Eu só vou dormir tranquila quando eu ver eles em casa.

JAIR – Tenta não pensar nisso que tu consegue dormir antes deles voltarem.

Jair se vira para dormir. Jéssica observa o marido se movimentando, mas não faz o mesmo, apenas continua encarando-o de costas para ela.

CENA 10: CASA DE GUTO E LUCIANA/SALA/INT./NOITE

Débora e Maria continuam se encarando. Carolina, Dimas, Gustavo, Guto, Helena, Igor, Jonas, Júlio, Luciana, Luís e Ricardo apenas as observam, sem fazer nada, tensos com o que pode acontecer.

MARIA – Vocês dois são muito cara de pau…

DÉBORA – Eu não queria estar aqui, Maria, mas o Igor insistiu pela minha presença nessa festa.

IGOR – Vocês precisam fazer as pazes, alimentar esse ódio gratuito, recíproco e fútil não é saudável para vocês.

MARIA – Igor, tu fala isso porque não sabe o que ela me disse pra mim hoje mesmo.

IGOR – Independente do que for, vocês precisam se perdoar.

MARIA – Eu jamais vou perdoar uma pessoa que disse o que ela disse.

DÉBORA – Maria, por favor, para com isso. Eu falei num impulso, eu não pensei antes de falar.

MARIA – Mentirosa!

LUÍS – O que foi que ela falou, Maria?

DÉBORA – Maria—

MARIA – Luís, a Débora desejou a morte da mãe. Ela disse que queria que a mãe morresse.

Todos se horrorizam com as palavras de Maria. Com os olhos marejados, Débora desvia o olhar e tenta esconder seu rosto dos olhares chocados e repreensores do restante da Corrente. Movido pelo ódio, Luís pega Débora pelos braços e a sacode violentamente.

LUÍS – VAGABUNDA! ORDINÁRIA! EU TE ODEIO, SUA FILHA DA MÃE!

Luís acerta uma bofetada em Débora, que cai no chão. Luís e Maria encaram Débora caída com um olhar irado e não conseguem segurar o choro. Os demais personagens se entreolham, surpresos e revoltados.

LUCIANA – Débora, por que você fez isso?

Débora se levanta lentamente, erguendo a cabeça. Ela encara os olhares de todos, tentando ao máximo não chorar.

LUCIANA – Débora, minha amiga—

JONAS – Amiga? Tu chama essa vadia de amiga, Luciana?

DÉBORA – Eu me arrependi do que eu falei. Eu faria qualquer coisa para a Maria me perdoar. Mas eu sei que isso nunca vai acontecer… eu no lugar dela também não perdoaria.

MARIA (chorando) – Vagabunda mentirosa…

DÉBORA – Eu disse que isso ia acontecer, Igor. Eu sabia. Por que você quis que eu viesse? Queria me ver humilhada?

IGOR – Eu reconheço o meu erro em lhe levar para cá. Quando eu lhe chamei, eu não sabia dessa história. Mas eu achava que havia chances de Maria lhe perdoar.

MARIA – Eu nunca vou perdoar uma pessoa que desejou o mal à minha mãe. E quer saber de uma coisa? Eu desejo que tu perca esse bebê que tu tá esperando do Igor.

Todos ficam chocados com as palavras de Maria, inclusive a própria. Uma raiva inédita invade o interior de Débora.

DÉBORA (irada) – Desgraçada… sua favelada imunda… sua morta de fome!

Débora acerta uma forte bofetada em Maria, assustando a todos.

JÚLIO – Ponte que partiu, agora a festa pega fogo.

Maria se recupera do golpe e encara Débora. As duas parecem competir pelo olhar mais raivoso.

MARIA – Eu vou te matar!

Maria avança em Débora, segurando seus cabelos e a jogando no chão. Uma vez derrubando Débora, Maria se joga em cima dela e tenta lhe agredir. Débora tenta se defender dos ataques de Maria, mas também tenta agredi-la. As duas rolam no chão em frente aos integrantes da Corrente, que são impedidos de agir por Igor, Luís e Júlio.

RICARDO – A gente tem que fazer alguma coisa, elas vão acabar se matando!

JÚLIO – Deixa, Ricardo! A Débora merece!

GUTO – Ela vai perder a criança!

LUÍS – É bom que perca mesmo. Ia vingar a minha mãe!

GUSTAVO – Você fez isso de propósito, né, Igor? A Débora disse que ela só veio por sua causa.

Gustavo consegue furar o cerco e se aproxima da briga. Ela consegue interrompê-la, mas não consegue separá-las. Igor, então, o ajuda a separar Maria de Débora. Igor agarra Maria, enquanto Débora é agarrada por Gustavo.

DÉBORA – Isso o que você fez não tem perdão, Maria!

MARIA – Eu digo o mesmo!

GUSTAVO – Chega, parem com isso!

LUÍS – A festa acabou. Não tem mais clima pra festa, graças ao Igor e à Débora.

DÉBORA – A culpa é do Igor. Dependendo de mim, isso nunca teria acontecido.

IGOR – Já que a festa acabou, então vamos pro carro. Nós vamos deixar a Débora em casa.

DÉBORA – Eu não vou a lugar nenhum com essa barraqueira!

Débora e Maria ameaçam se atracar novamente, mas Gustavo e Igor as impede.

MARIA – Eu te disse que ela não tava arrependida coisa nenhuma, Igor. A filha da mãe não tá satisfeita e quer apanhar de novo, é?

DÉBORA – Então venha!

GUSTAVO – Débora, Maria, parem que está ficando feio.

IGOR – Tem espaço para mais um ir embora conosco, Débora deveria vir conosco.

DÉBORA – Ou vocês mandam ela ir embora a pé, ou quem vai a pé sou eu.

IGOR – Maria tem que vir conosco, não podemos deixá-la aqui.

DÉBORA – Muito que bem… então eu vou embora sozinha.

MARIA – Tá esperando o quê, então? Vai embora sozinha, Débora!

Débora se solta de Gustavo. Ela se recompõe e se prepara para ir embora, mas é impedida por Luciana.

LUCIANA – Eu e o Guto vamos te deixar em casa, Débora. Ir embora a pé sozinha é perigoso pra você.

DÉBORA – Que seja. Apenas não me deixem no mesmo ambiente que essa barraqueira imunda.

Guto e Luciana vão escoltando Débora até a porta, mas ela ainda tem tempo de dar um recado para Maria.

DÉBORA – Não se esquece do que eu te disse, Maria: quando eu me casar com o Igor, vou fazer a sua vida muito difícil.

MARIA – Eu já te disse que eu não tenho medo de ti. Eu sei me defender de ti, Débora. Só não venha querer arregar e parar a guerra. Começou, pois agora vai até o fim.

Débora, então, se afasta de Maria e se permite ser escoltada por Guto e Luciana até a porta. Carolina, Dimas, Jonas e Ricardo saem poucos segundos depois. Em seguida saem Gustavo, Helena e Luís, deixando Igor, Júlio e Maria a sós na casa. Júlio não resiste e ri, despertando a raiva de Maria.

JÚLIO (rindo) – Desculpa, Maria. Desculpa.

MARIA – Tu adora rir da desgraça alheia, né, Júlio?

Irritada, Maria começa a bater em Júlio, mas logo para.

MARIA – Seu insensível. Tu tá rindo porque isso não tá acontecendo contigo. Eu aposto que, se tu tivesse no meu lugar, tu taria era chorando…

Aos poucos, as risadas de Júlio vão cessando.

MARIA – Se tu tivesse a vida que eu tive, se tu dependesse do Bolsa Família pra sobreviver, tu não taria rindo… tu não sabe o que é comer uma vez por dia, e mal… tu não sabe como é viver com medo de ver a tua mãe morrer do coração a qualquer momento… se tu passasse por isso, tu não ia rir disso tudo.

Igor e Júlio tentam controlar as lágrimas, enquanto Maria tenta esconder as suas. Igor tenta responder a Maria, mas não consegue.

IGOR – Vamos voltar para casa…

Maria não responde a Igor. Os três simplesmente saem da casa, deixando-a vazia.

CENA 11: FORTALEZA/EXT./NOITE

TRILHA SONORA: Uptown Funk – Mark Ronson ft. Bruno Mars

Fachada da casa de Guto e Luciana. Os carros de Igor, Guto e Jair são ocupados e, em seguida, partem para seus respectivos destinos.

Imagens da Avenida Washington Soares.

Imagens da Rua Cônego de Castro.

Imagens da Avenida General Osório de Paiva.

CENA 12: MANSÃO ANDRADE BASTOS/FACHADA/EXT./NOITE

Mesma trilha sonora da cena anterior. O carro de Guto estaciona em frente à mansão. Débora desce do banco de trás, corre até o portão, abre e entra em casa, sem sequer se despedir dos amigos.

Gustavo e Luciana olham para o banco de trás. Lá estão Jonas e Ricardo.

LUCIANA – Era para vocês já estarem em casa, mas por causa da Maria e do Luís, vocês estão aqui com a gente…

JONAS – Só toca pra casa, motorista.

GUTO – Endereço, senhor?

JONAS – Pode ir que eu vou te guiando.

E o carro de Guto parte.

CENA 13: CARRO DE JAIR/INT./NOITE

Mesma trilha sonora da cena anterior. Júlio no banco do motorista, Carolina no banco do acompanhante e Dimas no banco de trás. Os três estão a caminho de casa.

DIMAS – Tá chegando, seu motorista?

JÚLIO – Tá sim, calma que daqui a uns cinco minutinhos a gente já chega.

Alguns segundos de silêncio. Um semáforo vermelho para o veículo. Durante a espera para a luz verde ligar, Júlio desvia seu olhar para os lados. Inevitavelmente, os olhares de Carolina e Júlio se cruzam e os dois ficam se encarando por um bom tempo. Eles chegam a sorrir um para o outro, enquanto Dimas encara aquilo tudo com certa estranheza. O transe é quebrado pelos barulhos de buzina vindos detrás. Rapidamente, Júlio percebe que o semáforo abriu e parte, antes que as buzinadas dos motoristas impacientes se intensifiquem.

CENA 14: FORTALEZA/EXT./NOITE

Mesma trilha sonora da cena anterior. Imagens do Aeroporto Internacional Pinto Martins.

Imagens da Praia de Iracema.

Imagens da Avenida Engenheiro Santana Júnior.

Imagens da Avenida Anel Viário.

CENA 15: CASA DE JÉSSICA/FACHADA/EXT./NOITE

Mesma trilha sonora da cena anterior. O carro de Jair estaciona em frente à casa de Jéssica. As janelas nas casas de Angelo, Larissa e Jéssica denunciam que as luzes das salas estão acesas. Carolina, Dimas e Júlio saem do carro e são recepcionados por Jéssica, que sai de casa e corre na direção de Júlio, abraçando-o.

JÉSSICA – Que bom que o meu bebê chegou… tava morrendo de saudades de ti…

JÚLIO – Já matou a saudade?

JÉSSICA – Sim, já matei a saudade.

Bárbara e Larissa saem de suas respectivas casas e se aproximam para, respectivamente, virem abraçar Carolina e Dimas. A trilha sonora vai abaixando aos poucos.

BÁRBARA – A gente já achou que vocês não vinham dormir aqui essa noite.

CAROLINA – Mas a gente veio, né?

BÁRBARA – Cadê o Jonas?

CAROLINA – Ele já tá vindo. Ele só não veio junto com a gente, mas ele já tá vindo.

Dimas e Larissa se apartam do abraço.

LARISSA – Cadê o meu filho, Dimas?

DIMAS – O Ricardo já tá vindo, sogrinha. Daqui a pouco ele já aparece.

O carro de Guto estaciona atrás do carro de Jair. Jonas e Ricardo descem do banco traseiro e são recepcionados, respectivamente, por Jéssica e Larissa. Mãe abraça filho. Bárbara e Júlio se aproximam discretamente, afastando-se de Carolina e Dimas, que vão se aproximando de Jéssica, Jonas, Larissa e Ricardo.

JÚLIO – Parece que só sobrou a gente…

BÁRBARA – Não, Júlio. Tem hora pra tudo.

Do carro de Guto, Luciana consegue flagrar Bárbara e Júlio próximos um do outro. Ela estranha a situação e resolve ir até lá, mas Guto a impede, segurando-lhe a mão.

GUTO – Onde é que tu vai?

LUCIANA – Calma, eu só vou ali me despedir do pessoal.

Guto, então, solta a mão de Luciana, permitindo que ela abra a porta e saia do carro. A moça se aproxima de Carolina, Dimas, Jéssica, Jonas, Larissa e Ricardo. Ela cumprimenta os quatro jovens com um rápido abraço, um beijo no rosto e um “boa noite e até amanhã”.

LARISSA – Então você é amiga do meu filho e do meu sobrinho…

LUCIANA – Sim… meu nome é Luciana. Prazer.

Larissa e Luciana se cumprimentam com beijos no rosto.

LARISSA – Eu sou Larissa. Sou a mãe do Ricardo.

LUCIANA – Seu filho é um amor de pessoa, dona Larissa. A senhora criou ele muito bem, viu?

LARISSA (sorrindo) – Obrigada, Luciana.

Larissa e Luciana sorriem uma para a outra. Em seguida, Luciana cumprimenta Jéssica com beijos no rosto.

LUCIANA – Prazer, Luciana.

JÉSSICA – Prazer, Jéssica. Mãe do Jonas e do Júlio.

LUCIANA – Seus filhos são uns amores, dona Jéssica. Vocês criaram eles muito bem, não é verdade?

JÉSSICA – Sim. Obrigada, Luciana.

Os seis se despedem de Luciana e vão para suas respectivas casas. Enquanto isso, Bárbara e Júlio conversam, um de frente para o outro. Aquilo chama a atenção de Luciana, que vai se aproximando lentamente e ouvindo a conversa.

TRILHA SONORA: Cheia de Marra – MC Livinho

JÚLIO – Amanhã o Angelo trabalha?

BÁRARA – Sim, amanhã o meu marido trabalha.

JÚLIO – Ótimo. A gente podia sair amanhã à tarde. Sei lá, ir num restaurante, comer fora…

BÁRBARA – Não, Júlio.

JÚLIO – Qual é o problema? É só a gente não se beijar nem dar bandeira. A gente vai se sair como mãe e filho, ninguém vai desconfiar que a gente é namorado, praticamente.

BÁRBARA – Acho muito arriscado, Júlio. Eu prefiro não fazer isso. A gente pode não dar bandeira lá, mas pode dar bandeira aqui. Nós dois saindo junto e voltando junto, alguém pode desconfiar. E tu sabe que já tem gente desconfiando. Imagina se a minha filha, a tua cunhada, descobre que o ex dela tá com a mãe dela…

JÚLIO – Então tá bom, deixa pra lá. Aborta o plano então. Boa noite, Bárbara, até amanhã.

BÁRBARA – Boa noite, Júlio.

Bárbara e Júlio trocam um rápido beijo. Em seguida, Bárbara entra em casa, deixando Júlio ali sozinho. Porém, ao se virar de costas, ele toma um susto ao ver Luciana ali. A trilha sonora é bruscamente interrompida.

LUCIANA – Então quer dizer que você tem um caso com a mãe da sua própria cunhada, Júlio? Pegou a filha, e agora tá pegando a mãe?

Nervoso, Júlio não consegue responder a Luciana, que o encara com um sorriso vitorioso.

A cena congela e é animada por dois efeitos: à esquerda, com Luciana, um efeito dourado; à direita, com Júlio, um efeito preto-e-branco.

FIM DO DÉCIMO PRIMEIRO CAPÍTULO.

32 thoughts on “Mundos Opostos – Capítulo 11

  1. Finalmente consegui acompanhar essa web! Eu estava louco pra ler um capítulo, sério! Esse resumo ajudou bastante…

    Muito bonita a atitude de fazerem uma festa pra tentar confortar a Maria… Pena que não acabou tão bem e ela e Débora tiveram uma briga feia (barraco, adoro!)… E esse gancho maravilhoso? Luciana descobriu o caso de Júlio! Quero ver o que vai acontecer!

    Bom, Glay, perdão por não fazer um comentário melhor, mas quero que saiba que pretendo estar com mais frequência na sua web e achei ela muito boa! (Confesso que o uso de “tu” no lugar de “você” me pegou de surpresa, assim como outros detalhes) mas isso não é nada, não é? Foi apenas uma observação… De qualquer jeito, amei a web de verdade! Parabéns! ❤ E a propósito, linda abertura!

    Curtido por 2 pessoas

    • Faço tudo para os meus leitores queridos estarem atualizados na trama. Entrei em uma campanha de racionamento de cenas e estou pondo resumão da semana toda segunda-feira. Tudo pelos leitores.

      Sim, foi bonita mesmo. E quem não adora barraco, né non? Adorassem, veremos as cenas dos próximos capítulos.

      Adorei suas primeiras impressões sobre a trama. E não se importe com a extensão dos comentários, o importante é que você continue fazendo a web ganhar vida dentro do Tv Mix, continue debatendo sobre ela, isso é um puta incentivo para que eu continue escrevendo essa web e adaptando-a aos desejos de meu público.

      Sim, lindíssima abertura. @caiquemartins6 como sempre arrasando. Por isso que esta mujer é o Louro José da minha Ana Maria Braga, o Dennis Carvalho do meu Gilberto Braga, a Glória Menezes do meu Tarcísio Meira.

      Curtido por 2 pessoas

  2. Beje que fui citada na primeira cena, adorassem.

    Todos os personagens tomaram a pílula da regeneração (ou falsa regeneração), foi? Primeiro Luciana, depois Alice, e agora Débora…

    Essa mania do Luís de bater em todo mundo quando falam algo que o desagrada me irrita um pouco, principalmente quando ele faz isso com mulheres… Gabriel podia ensinar pra ele que isso é errado 😛

    E não demorou muito pra Débora mostrar suas garrinhas de novo… ainda bem, não ia aguentar ver a lady nessa vibe boazinha por muito tempo 😛

    Morri com o gancho damo, Luciana está se saindo melhor que Débora no quesito vilã, né non? Já no aguardo da chantagem da rainha. Algo me diz que ela vai obrigar Júlio a ajudá-la a conquistar Ricardo.

    Parabéns, Glauce, o capítulo foi ótimo 😉

    Curtido por 2 pessoas

  3. Luciana rainha
    Dimas nadinha

    Débora rainha
    Maria nadinha

    MORTISSIMA,Com esse gancho final
    Barraco de Débora rainhaXMaria nadinha
    Enfim o capítulo foi praticamente sobre a festinha da nadinha
    Mas mesmo assim Parabéns Glay,seu nadinha!

    Curtido por 1 pessoa

  4. Estou em shock com o que Igor tentou fazer com Débora e Maria. De longe já sabia que isso não daria certo, e vamos combinar que Débora regenerada não cola. A personalidade dela é outra e mostrou isso minutos antes da briga. Por falar em briga, eu já estou perdendo a paciência com o Luiz. Sei do que ele esta passando, mas bater? Achei equivocado da parte dele. Já deu na cara de Alice e agora em Débora. Ele merecia um castigo após isso, assim como Júlio após o jeito debochado dele com Maria. Espera! Acho que o castigo desse aí vem em breve. O gancho que não me deixa mentir, risos. Parabéns, Glay! 😀

    Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s