A Desonra – Capítulo 17

Classificação Indicativa

CAPÍTULO 01×17 – ARREPENDIMENTO TARDIO

Continuação imediata do capítulo anterior

CENA 1, COMPLEXO HOSPITALAR, QUARTO DE CAMILA, INTERIOR, NOITE

Imediatamente, Alma aproxima-se de Clarisa e a puxa pelo braço, afastando-a do aparelho respiratório; Revoltada com o que presenciou, ela dá uma bofetada no rosto de Clarisa, que com o impacto, cai no chão.

Alma – Você ficou louca menina? Eu quero acreditar que isto o que você acabou de tentar de fazer não passou de um momento de loucura.

Clarisa levanta-se e alisa seu rosto com uma das mãos; Ela resolve dissimular para Alma.

Clarisa – Eu juro que não iria fazer nada de mal, eu só tava passando a mão pelo o aparelho, não iria apertar botão algum!

Alma agarra Clarisa pelos braços e a sacode, revoltada com o fingimento da sobrinha; Rebeca passava pelo corredor, à procura do quarto de Camila, e ao ver Alma pela janela, resolve se esconder atrás da porta, ouvindo toda a conversa.

Alma – Pare de fingir sua desgraçada, eu sei muito bem quais eram suas intenções! Você jamais gostou da Camila, não me surpreende que você fosse se aproveitar do estado delicado dela para mata-lá, e além disso, eu ouvi você falando que a Camila era um obstáculo em seu caminho e por isso gostaria que ela morresse!

Rebeca se espanta com o que é dito por Alma sobre Clarisa, que a jovem pretendia se livrar de sua filha; Discretamente, ela olha pela janela do quarto a discussão das duas.

Alma – Você escute bem, eu vou fingir que nada aconteceu neste quarto, que eu não vi e não ouvi nada, e nem contarei para os seus tios e para o seu namorado, mas caso eu volte a lhe flagrar sozinha nesse quarto, eu não terei pena em contar para todos a mau-caráter que Salma e Leon têm dentro de sua casa!

Alma dá um empurrão em Clarisa, que se assusta com a agressividade e as ameaças da tia; Ela alisa um de seus braços, vermelhos e marcados pela agressividade de Alma.

Alma – Agora suma imediatamente deste quarto, não quero lhe ver aqui novamente!

Calada e assustada, Clarisa obedece à ordem de Alma e rapidamente retira-se do quarto, enquanto Alma passa a dedicar seu tempo aos cuidados de Camila; Ao sair do quarto, Clarisa tem seu braço segurado por Rebeca, que encara a sobrinha em fúria. Já Clarisa se assusta, pois nunca havia visto aquela mulher em sua vida, se tratando de sua tia e mãe de Camila.

Clarisa – Quem é você? Solte-me se não eu farei um escândalo!

Rebeca – Não te interessa quem sou eu, mas você ainda ouvirá muito falar de mim! Agora, eu ouvi tudo atrás da porta, e lhe digo mais, se você voltar a tocar em um só fio de cabelo da Camila, você terá que acertar suas contas é comigo, e não com outras pessoas. É bom você temer, porque eu não estou brincando com isso. O recado está dado, e lembre-se, seu inferno está apenas começando!

Rebeca encara a sobrinha por mais alguns minutos e larga seu braço; Ela desiste de ver Camila e caminha em direção à recepção, ainda abalada com o que presenciou; Amedrontada, Clarisa encara Rebeca, confusa com o que acabou de ouvir.

Corta para:

CENA 2, COMPLEXO HOSPITALAR, RECEPÇÃO, INTERIOR, NOITE

Salma caminhava pela recepção do hospital, quando de repente, uma das enfermeiras chama a atenção dela.

Enfermeira – Dona Salma, eu preciso de uma ajuda sua, por favor!

Salma (confusa) – Ajuda minha? Posso saber com o que, senhorita?

Enfermeira – Venha comigo senhora, é algo de seu interesse.

Ainda confusa, Salma segue a enfermeira e se aproxima do balcão; A enfermeira entra no registro de visitas de seu computador, enquanto Salma a observa.

Enfermeira – Senhora, eu gostaria que confirmasse para mim a identidade desta senhora que veio visitar a paciente Camila Olmedo-Dorantes, Rebeca Gamboa.

Salma fica em choque ao saber que sua irmã havia comparecido ao hospital para visitar Camila e resolve saber de mais detalhes.

Salma – Rebeca Gamboa? Ela é minha irmã e mãe da Camila, confirmo que não há nada de errado, mas por favor, me conte mais detalhes sobre a vinda dela, se alguém a viu por aqui…

Enfermeira – Bom, inicialmente ela se recusou a se identificar, mas disse que se identificaria apenas com a condição que houvesse sigilo total, e que apenas a senhora soubesse que ela esteve aqui.

Salma – Bom, era só isso?

Enfermeira – Sim, eu agradeço a sua ajuda senhora, o nosso hospital é de total confiança e prezamos pela identificação de todos que pisam neste local.

Salma compreende e em seguida se afasta, sentando-se em um dos acentos que havia por ali; De repente, Clarisa surge, ainda em pânico e aproxima-se de sua tia.

Clarisa – Ai tia, você não imagina o que acabou de me acontecer! Tinha uma louca atrás da porta do quarto da Clarisa e me segurou pelos braços, e me ameaçou dizendo que se eu tocasse um fio de cabelo dela, eu prestaria contas com essa senhora, e que eu ainda ouviria falar dela. Eu estou com medo!

Com a descrição do momento dada por Clarisa, Salma liga isto à presença de Rebeca no hospital; Ela retira de sua bolsa seu celular e abre sua galeria de fotos, e ao colocar em uma foto de Rebeca, Salma mostra o celular para a sobrinha.

Salma – Me diga se é esta a mulher quem lhe ameaçou agora pouco.

Clarisa – Sim, é ela mesma! Mas você a conhece de algum lugar?

Salma – Sobrinha, a mulher que lhe atacou foi sua tia Rebeca, mãe da Camila.

Clarisa se surpreende com a revelação, que agora faz sentido o motivo de ter sido ameaçada pela tal mulher, até então desconhecida.

CENA 3, HOTEL, RECEPÇÃO, INTERIOR, NOITE

Rebeca entra na recepção do hotel e se depara com Vânia e Eduardo, sentados perto a portaria, estado a sua espera; Eles levantam-se e ficam frente à mãe.

Vânia – Conseguiu ver minha irmã sem ter sido flagrada por todos?

Rebeca – Eu consegui passar despercebida por todos daquela família, mas infelizmente, não consegui ver a irmã de vocês.

Eduardo – Que pena,mãe, mesmo que fosse num momento delicado como esse, lhe faria muito bem em ver nossa irmã novamente. Mas me diga, como é o estado dela?

Rebeca – Uma das enfermeiras me disse que por conta da queda que ela teve, surgiram vários hematomas internos no crânio dela, e por isso, ela ficará em coma por alguns dias, respirando com a ajuda de aparelhos. Mas felizmente nada mais de grave aconteceu com ela e ela não terá nenhuma sequela.

Vânia – Mas por que você não conseguiu entrar no quarto onde a Camila estava?

Rebeca – Aconteceram várias coisas, mas vamos lá: Primeiramente eu havia visto uma das tias da Camila pela recepção, a Alma, e ela estava indo para o quarto onde a Camila estava. Mesmo assim resolvi dar uma passada por lá, para que eu conseguisse ver a minha filha de uma forma mais discreta, mas ai chegando lá eu comecei a ouvir uma grande discussão dentro daquele quarto, que me deixou muito chocada e abatida.

Vânia – Discussão? Que estranho, havia mais alguém além desta senhora no quarto?

Rebeca – Aí é que está: Chegando lá, eu ouvi a Alma gritando com uma menina, aparentemente da mesma idade da Camila, e acho que se tratava de uma prima dela. Mas o mais chocante disto é que a Alma gritava que ela tentou desligar os aparelhos que mantinham a Camila viva, mas que foi impedida após a chegada dela.

Eduardo e Vânia se chocam com a história.

Eduardo – Como assim essa garota quis matar a minha irmã? Ainda mais dentro do hospital? Que horror…

Rebeca – Mas vocês não sabem o quanto eu explodi de raiva naquele momento, tanto que quando essa menina foi expulsa do quarto, fui capaz de segurá-la pelo braço e fazer diversas ameaças. Há essa hora todos devem saber que eu estou de volta ao país por conta disso, mas foi necessário, eu não podia deixar de prestar contas com essa menina.

Vânia – Mesmo assim você fez bem, é uma verdadeira barbaridade essa história toda, um horror…

Rebeca – Enfim, é melhor irmos para nossos devidos quartos, hoje foi um dia e tanto, principalmente para mim, mas mesmo assim eu não desistirei de ver a minha filha…

Vânia e Eduardo compreendem a mãe e em seguida, eles lhe acompanham até ao elevador do local.

CENA 4, COMPLEXO HOSPITALAR, RECEPÇÃO, INTERIOR, NOITE

Clarisa fica perplexa, agora vendo a verdadeira ligação entre as ameaças feitas por Rebeca por conta de Camila.

Clarisa – Agora faz todo o sentido, é claro, a louca que surgiu do nada para me ameaçar se tratava da tia Rebeca, a mãe da Camila!

Salma – É muita petulância essa vagabunda ter vindo até aqui ver como estava a filha dela, sendo que abandonou ela como se fosse um sacode batatas em minhas mãos, e ainda mais em ter lhe ameaçado e quase ter lhe agredido. Aliás, sobrinha, porque ela lhe ameaçou?

Clarisa resolve omitir o verdadeiro motivo das ameaças de Rebeca, sabendo que ele seria prejudicial em seu futuro diante de toda a família.

Clarisa – Sinceramente eu não faço a mínima ideia tia, essa mulher me disse tantas coisas aleatórias que eu realmente fiquei com medo. Vai ver que além de mundana, a Rebeca também é uma desequilibrada. – risos.

Salma – Desequilibrada ou não, eu vou fazer a Rebeca se arrepender de cada afronta que ela está cometendo contra mim, ainda se achando no direito de ser a dona da razão.

Clarisa – Pois se a senhora precisar de minha ajuda, não hesite em me pedir, pois além de ver a Camila bem longe de nossa família, eu teria gosto de ver a Rebeca voltando para o bordel de onde jamais deveria ter saído com o rabo entre as pernas.

Clarisa pega uma das mãos de Salma e dá um leve aperto, e tia e sobrinha encaram-se aos risos com uma expressão maléfica.

CENA 5, PASSAGEM DE TEMPO

Alguns momentos aleatórios de alguns personagens da trama são mostrados à cena, enquanto um letreiro escrito”uma semana depois” percorre a tela; Dentre esses momentos, são destacados que mesmo com Camila em coma, todos deram seguimento à rotina de suas vidas, exceto Ângelo, que demonstrando estar arrependido por tudo, dedica-se integralmente, noite e dia, aos cuidados de Camila.

CENA 6, APARTAMENTO DE ERIC, INTERIOR, DIA

Clarisa e Eric encontram-se debruçados em cima do sofá, abraçados um ao outro e trocando carícias, enquanto conversam.

Clarisa – Ai como essas últimas semanas têm sido difíceis para mim, é Camila entrando em coma, é João enrolando para que não nos casemos, é a mãe da Camila reaparecendo, é a bruxa da minha tia Alma me flagrando quando eu tentei me livrar daquela insossa. Nunca pensei que reclamaria disso, mas nem um pacotinho de cocaína eu tenho vendido ultimamente.

Eric – É gatinha, a gente tem que começar a faturar de alguma forma, não tá sendo fácil viver só da miséria que o seus tios liberam da sua fortuna.

Clarisa – Ainda tem isso, eu não tenho mais de quatro milhões de cruzeiros numa conta bancária para que meus tios fiquem liberando apenas um pouco mais de mil reais por mês para mim porque eu ainda não estou casada. Minha vida é um lixo mesmo, viu.

Eric – Lixo porque você quer, se você fosse realmente esperta poderia muito bem viver de golpes e chantagens, coisa que os ricos de filme fazem muito bem.

Clarisa – E eu lá tenho cara de quem fica aplicando golpes por aí? Prefiro mil vezes ter que aguentar o cheiro podre de maconha dos viciados dos seus clientes do que ficar fazendo um negócio desses.

Eric – Bom, isso é o que você diz, porque você tem a maior carinha de quem fica tirando o dinheiro alheio através de chantagens. Mas enfim, porque o frouxo do seu namorado não tá querendo te pedir em casamento? Não me diga que ele ainda está com aquelas frescuras de estar apaixonado feito uma menininha pela moribunda da sua prima?

Clarisa – Quem dera se fosse por isso, e também quem me dera que essa idiota estivesse moribunda! Ele tá enrolando demais com essa história porque simplesmente ainda não me ama, e ainda tem esse impedimento da minha prima estar em coma. Ah, por que Deus foi mandar aquela bruxa chegar no mesmo momento que eu iria estar a um dedo de mandar ela fazer festa no inferno junto com o Dimitrio e o Dr. Gilbert?

Eric – Tudo por causa do lerdo do seu primo que quer bancar o politicamente correto que quer que tudo ocorra no tempo certo. Vê se toma uma atitude e faz com que esse idiota resolta colocar a porcaria da aliança no seu dedo.

Clarisa – Agora eu me pergunto por que você quer que tudo ocorra com tanta pressa. Até pouco tempo atrás você só faltou me atirar pela janela porque resolvi conquistar meu priminho.

Eric – Acontece que me acostumei com a ideia, e sei que você realmente não está apaixonada por ele, e que além do mais, eu também ganharia muito com esse casamento de vocês dois.

Clarisa – Hum, sei…

Clarisa levanta-se e pega sua bolsa; Ela passa as mãos por seu cabelo diante do espelho, e em seguida, dirige-se até Eric.

Clarisa – Agora tenho que ir, irei para casa e logo mais irei cumprir a cota diária de prima solidária que está angustiada pela porcaria do coma dessa idiota. Nos falamos oura hora, beijo.

Clarisa joga um beijo no ar para Eric e em seguida abre a porta do apartamento, dando uma leve batida na porta ao sair.

CENA 7, COMPLEXO HOSPITALAR, QUARTO DE CAMILA, INTERIOR, DIA

Ângelo está sentado ao lado da cama de Camila, acariciando suas mãos enquanto a observa com um olhar terno; De repente, padre Guilhermo adentra o quarto e Ângelo levanta-se, e ao se aproximar do padre, beija sua mão.

Ângelo – Que grata surpresa padre, como tem passado?

Padre Guilhermo – Tenho ido muito bem, obrigado, mas pelo o que vejo você não está com uma aparência tão boa…

Ângelo – Minha aparência é o que menos me importa neste momento, padre, o que me importa é cuidar da Camila a cada dia que passa, esperando ela acordar desse sono que era para ser temporário…

Padre Guilhermo – E pelo o que vejo você demonstra estar muito arrependido após quase ter causado a morte desta moça. Bom, pelo menos nem tudo está perdido.

Ângelo – O desejo de vingança ainda habita em meu peito, mas me sinto dividido, minha consciência me fez repensar cada ato que cometi contra a Camila, mesmo que ela seja um verdadeiro demônio.

Padre Guilhermo – Meu filho, você não parou para pensar que na verdade essa moça seja a maior inocente nisso tudo? Eu como testemunha daquele fatídico dia pude ouvir da boca dela que ela jamais fez uma coisa daquelas.

Ângelo – Eu duvido muito, para mim pouco me importa essa história agora, o que eu quero mais é passar todo o tempo possível cuidando dela até que ela desperte.

Padre Guilhermo – Enfim, eu irei voltar ao interior, a viagem demora muitas horas e eu vim apenas ver como você e essa jovem estavam.

O padre aproxima-se de Camila e dá sua bênção à jovem, e em seguida, também dá sua bênção a Ângelo.

Padre Guilhermo – Fique bem meu filho, e que sua consciência se abra cada vez mais e que você repense toda essa história de vingança.

O padre sai do quarto e Ângelo volta a sentar-se ao lado da cama de Camila; Ele acaricia seu rosto, enquanto pensa em todos os conselhos dados por padre Guilhermo.

CENA 8, MANDSÃO OLMEDO-DORANTES, JARDIM, DIA

Alma e Salma conversam no jardim, enquanto caminham pelo o local.

Alma – Já estou ficando angustiada com esse coma da Camila, dias e dias se passam e ela não acorda daquele maldito coma.

Salma – O máximo que podemos ter neste momento é fé, a Camila vai se recuperar e esbanjará saúde! (T) Cunhada, eu posso confiar em você para contar alguma coisa?

Alma – Mas é claro, pode ter total confiança em mim para me contar o que quiser.

Salma – Então, faz uma semana que recebi um e-mail, e você não imagina quem me mandou este e-mail: A Rebeca, minha irmã.

Alma se surpreende com a notícia, pois há anos que não sabia nada sobre o paradeiro de Rebeca.

Alma – Minha nossa, a mãe da Camila? Mas e aí, o que ela disse nesse e-mail.

Salma – Ela me disse que está nesta cidade e que muito em breve irá limpar sua imagem diante de todos nós após aquele casinho que ela teve com o Leon, e que pretsaria contas comigo e iria recuperar o tempo perdido com a Camila. Pois eu duvido que ela consiga fazer tudo isso, ainda mais se aproximar da Camila, que não a perdoa pelo abandono.

Alma – Bem, mas a Camila era uma adolescente e não sabia o que dizia, agora ela é uma mulher madura e casada, quem sabe ela consiga perdoar a mãe.

Salma – E sabe do que mais? No dia em que a Camila esteve no hospital, ela esteve lá e tentou ver a filha, mas acabou não conseguindo, mas o mais intrigante disso tudo foi ela ter agredido a Clarisa e a ameaçado.

Alma (confusa) – Mas como assim? Ela nem conhece a Clarisa direito, porque faria uma coisa dessas?

Salma – A Clarisa me disse que tava saindo do quarto onde estava a Camila, ai do nada a Rebeca segurou ela pelo braço e disse que se ela tocasse novamente em um fio de cabelo da Camila, ela iria acertar suas contas com ela. Uma louca, não duvido que nesse tempo fora a minha irmã tenha adquirido alguns problemas mentais.

Alma liga este fato à discussão que teve com a sobrinha no quarto de Camila ao flagrá-la tentando desligar os aparelhos respiratórios da prima, porém, Alma prefere manter-se calada, pois havia prometido não abrir sua boca.

Alma – Mas enfim, além de mim, alguém mais sabe que a Rebeca está nessa cidade e que te mandou esse e-mail?

Salma – Somente a Clarisa, mas ela me prometeu que não contaria a ninguém nada sobre este assunto, e espero confiar em você para que faça o mesmo.

Alma – Eu não deveria, já que se tratando da volta de sua mãe,a Camila deveria saber disto, mas se você prefere assim, prometo que não irei contar nada.

Salma expressa um pequeno sorriso como agradecimento ao sigilo da cunhada; As duas adentram a mansão, cortando para a próxima cena.

CENA 9, COMPLEXO HOSPITALAR, RECEPÇÃO, INTERIOR, DIA

Ângelo havia saído para tomar um café há vários minutos, e ao chegar à recepção do hospital, é surpreendido pelo médico responsável do caso de Camila.

Médico – Senhor, lhe trago excelentes notícias sobre sua esposa!

Ângelo – Não me diga que… – sorrindo.

Médico – Sim, a sua esposa despertou! Ela está com sua fala um pouco afetada, mas no geral, está tudo bem com ela!

Ângelo – Ai meu Deus, que notícia excelente, obrigado senhor! E o que espera para me levar para ver minha esposa?

Imediatamente, o médico acompanha Ângelo até ao quarto de Camila, que demonstra estar radiante com a notícia do despertar de Camila.

Corta para:

CENA 10, COMPLEXO HOSPITALAR, QUARTO DE CAMILA, INTERIOR, DIA

Camila está deitada na cama, um pouco pálida após despertar do coma, e agora, sem a ajuda de aparelhos respiratórios para auxiliar sua respiração; Ângelo entra no quarto, coma expressão sorridente no olhar, e ao se deparar com o marido, Camila esboça uma expressão de repúdio e se altera, fazendo esforço para que sua voz fraca aumente o tom.

Camila – O que está fazendo aqui? Não bastou ter tentado me matar de ter me feito ficar em coma? Saia daqui, agora!

Ângelo magoa-se, pois mesmo com os ocorridos, não pensava ser apedrejado desta forma.

Ângelo – Camila, eu quero lhe provar que estou arrependido, apesar do que você fez no passado.

Camila – Arrependimento? O que você me fez não tem perdão, casou-se comigo e planejou um plano doentio no qual não tenho nada haver, e ainda quase causou a minha morte. E ainda por cima você insiste que eu sou a culpada da morte do seu irmão, quando na verdade eu jamais fiz mal a ele.

Camila faz uma pequena pausa e respira, por estar com dificuldades para falar em um tom de voz elevado e de estar bastante alterada na presença de Ângelo; Ele, aproveitando-se dessa pausa, novamente tenta se explicar com a esposa.

Ângelo – Eu já lhe disse que estou arrependido de tudo, e que tudo o que aconteceu naquele dia não passou de um transtorno meu. Por todo o tempo que você passou em coma nesta cama, eu fiquei ao seu lado, esperando você acordar e rezando para que Deus me perdoasse de cada ato.

Camila – Para mim seu arrependimento é inútil, em poucas horas você foi capaz de me fazer vivenciar um verdadeiro inferno, com a única intenção de querer minha morte para honrar sua vingança. (T) Eu jamais quero voltar a olhar na sua cara, e para isso, eu quero dar entrada no pedido de divórcio o mais rápido possível!

Mesmo estando num delicado estado, Camila toma uma decisão que deixa Ângelo abalado, já que realmente ele estava disposto a consertar todos os erros que cometeu; A imagem se congela no rosto de Ângelo, e aos poucos, a imagem é transformada em uma carta amarelada com as letras do papel borradas.

Anúncios

22 thoughts on “A Desonra – Capítulo 17

  1. Rebeca amiga, era pra você bater na Clarisa! Fiquei com pena do Ângelo, dá pra ver que ele está realmente arrependido. Parabéns William

    Curtir

  2. Parabéns!
    Alma arrasou e sambou na Clarisa. Rebeca botou Clarisa no seu devido lugar.
    Finalmente Camila acorda e humilha seu marido, prestes a ser ex-marido.
    Camila esta certa. Ângelo fez uma coisa imperdoável, mesmo sendo que fez com a pessoa errada.
    Até o próximo.
    Me atualizei e estou gostando da trama. Tá um show.

    Curtir

  3. E foi muito que bem feito o que Camila falou pro Ângelo. Ele acha que é só pedir desculpas e vai ficar tudo bem depois de tudo que ele fez? .alice

    Rebeca pisou na Putisa e não foi pouco.

    E parabéns (tanto pelo capítulo quanto pelo aniversário) :*

    Curtir

  4. A volta da Rebeca começa a ter repercussão e mais personagens ficam sabendo da sua chegada. Sei não, mas acho que Alma vai se tornar vítima da Clarisa futuramente. Quer saber o que achei do pisão da Camila no Ângelo? Achei pouco, muito que bem feito, agora ele vai ter que rastejar atrás dela.

    Parabéns Willian. 😀

    Curtir

  5. A volta da Rebeca causou um verdadeiro rebuliço na vida da família Olmedo-Dorantes, mas a Salma está fazendo o possível para varrer tudo pra debaixo do tapete. Mas por quanto tempo?

    Quero só ver qual vai ser a reação da Salma ao perceber quem a Clarisa é verdadeiramente.

    Felizmente, Camila aparentemente não saiu sequelada do acidente, embora tenha passado um dia (salvo engano) em coma. E a primeira atitude dela ao receber sua primeira visita é pedir o divórcio ao Ângelo. E agora acredito eu que o Ângelo vai fazer de tudo pra salvar seu casamento.

    #MomentoDivulgaçã1: https://audienciadatvmix.wordpress.com/2016/08/16/mundos-opostos-capitulo-12/

    Curtir

  6. Clarisa ficou sem reação, hahaha… A desculpinha que ela tentou dar a Alma não a convenceu. Assim como Alma, Rebeca já deixou o seu recado pra Clarisa que agora esta vendo seu teatro se fechando. Salma também pode começar a se preocupar com a chegada da mãe de Camila. Leon pode muito bem trocar ela pela mulher com quem teve uma filha. Eric humilhando o João, coitado. Mesmo não sendo diretamente, as palavras foram bem ofensivas, pensei que Clarisa ia o defender, morro. Camila despertou e o pedido de divórcio foi feito. SABIA! Segura essa Ângelo. Amo esses dois, mas… Parabéns, Will! 😀

    Curtir

  7. Morto com os pisões da Alma na Clarisa, bem feito, ordinária! E morrendo com o encontro explosivo de Rebeca e Clarisa, adoro! Ângelo demonstra arrependimento pelo que fez com Camila, embora ainda queira se vingar. Camila não aceita o pedido de perdão de Ângelo. Ansioso pela sequência, parabéns Willian! 😀

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s