Mundos Opostos – Capítulo 15

CENA 01: CASA DE GUTO E LUCIANA/SALA/INT./NOITE

Guto e Ricardo retornam à sala. Imediatamente, Júlio tem uma ideia de distrair Guto.

JÚLIO – Guto, aproveitando que a gente tá aqui, eu queria trocar umas palavrinhas contigo.

GUTO – À vontade.

JÚLIO – Vamos aqui que eu vou te explicar direito…

Júlio conduz Guto até o corredor, deixando Luciana e Ricardo sozinhos. Os dois se entreolham com certa timidez.

TRILHA SONORA: Um Beijo Seu – Banda Calypso

LUCIANA – E acabamos sobrando…

RICARDO (riso forçado) – É…

LUCIANA – Me diz aí, penou muito pra poder trazer essa camisa pra cá?

RICARDO – Ah, tu nem imagina. A camisa saiu da máquina de lavar direto pra minha mão. Tive que inventar um bocado de desculpa pra poder sair com essa camisa lá de casa, e vou ter que inventar mais desculpa pra aparecer em casa com a camisa toda arrumada.

LUCIANA – Falando nisso, eu queria te pedir desculpa por ter te metido nessa enrascada. Sério, eu não fiz por querer. Tô até me sentindo mal por praticamente ter te obrigado a fazer esses malabarismos todos, mentir pra tua família…

RICARDO – Eu não podia arriscar em contar a verdade. Vai que eles interpretam errado… e outra, o Dimas é meio ciumento, era bem capaz dele achar que eu tava traindo ele.

Alguns segundos de silêncio. Luciana se aproxima de Ricardo, e começa a observar a camisa azul que ele está usando.

LUCIANA – Se me permite comentar, você ficou um gatinho com essa camisa…

Acanhado, Ricardo apenas sorri para Luciana.

LUCIANA – Se você não estivesse namorando o Dimas, eu juro que te dava um beijo. Você sabe disso… você sabe que eu te acho lindo, maravilhoso…

RICARDO – Sim…

LUCIANA – Mas você se importaria se eu te desse um beijo no rosto?

RICARDO – Só no rosto?

LUCIANA – Sim, claro.

Ricardo balança com a cabeça, permitindo o beijo no rosto. Prontamente, Luciana se aproxima de Ricardo, apoia suas mãos no rosto dele e lhe dá um carinhoso beijo na face direita. Ricardo sente algo estranho após o carinho, principalmente depois que Luciana não se afasta dele após o beijo.

Os dois ficam se olhando por alguns segundos, até que Luciana toma a atitude de puxar o moço e lhe dar um beijo na boca. De início, Ricardo tenta resistir, mas ela não o deixa. Ela apela para um beijo mais intenso, de modo que Ricardo não consiga mais resistir. Aos poucos, os corpos vão se colando e eles vão se abraçando, se entregando ao momento.

CENA 02: CASA DE GUTO E LUCIANA/QUARTO DE GUTO/INT./NOITE

Guto e Júlio estão em pé, um de frente para o outro.

GUTO – Júlio, a Luciana tá te obrigando a ajudar ela a conquistar o Ricardo, né?

Júlio pensa em responder Guto, mas resolve não mentir.

JÚLIO – Sim…

GUTO – Somos dois, Júlio. A Luciana botou a gente no mesmo barco.

JÚLIO – A partir do momento em que eu fui forçado a aceitar ajudar a Luciana, eu perdi todo o direito de pensar nas consequências dessa maluquice. Mas mesmo assim eu penso nelas. Eu tenho medo do que pode acontecer se a Luciana conseguir fisgar o Ricardo… tenho medo do que pode acontecer com o Ricardo, tenho medo do que pode acontecer com o Dimas…

GUTO – Mas se você aceitou participar dessa maluquice, algum motivo teve.

JÚLIO – Sim, claro, mas eu prefiro não comentar.

GUTO – Novamente somos dois. E aí, tá preparado pra ser odiado pelo Dimas?

JÚLIO – Nunca vou tar preparado. Se o Dimas descobrir que eu ajudei a Luciana a acabar com o namoro dele… nossa, eu acho que ele me mata. Eu espero do fundo do meu coração que a Luciana fracasse, eu não sei se eu suportaria viver sendo odiado por alguém tão próximo, querido e estimado por mim quanto o Dimas.

GUTO – Mesmo que o plano dela dê errado, se ele descobrir que você estava ajudando a Luciana, o Dimas não vai te perdoar.

JÚLIO – É só ele não saber que eu ajudei a Luciana. Definitivamente, esse segredo eu levo pro túmulo. Eu quero morrer sendo querido pelo Dimas, ele não merece saber que eu sou esse canalha vendido.

Guto e Júlio continuam se olhando.

CENA 03: CASA DE GUTO E LUCIANA/SALA/INT./NOITE

TRILHA SONORA: Um Beijo Seu – Banda Calypso

Luciana e Ricardo continuam se beijando. De repente, Ricardo volta a si e consegue afastar Luciana. Os dois se encaram, assustados. A trilha sonora vai abaixando aos poucos.

RICARDO (assustado) – Isso não podia ter acontecido!

LUCIANA (tensa) – Desculpa… eu devia ter me controlado…

RICARDO – Não, eu é que peço desculpa. Eu quem devia ter impedido.

LUCIANA – Nós dois tivemos a culpa.

RICARDO – Isso não pode se repetir.

LUCIANA – Concordo, isso não vai se repetir.

Ricardo se afasta de Luciana, que permanece imóvel.

RICARDO (tenso) – Meu Deus, e agora?

LUCIANA – Ricardo, você não vai ser louco de contar isso para o Dimas, né? Eu não quero que o seu namoro acabe por minha causa, por causa de um erro pequeno que nós podemos muito facilmente enterrar e fazer de conta que nunca aconteceu.

RICARDO – Eu tenho que contar. Uma hora ou outra ele vai acabar descobrindo.

LUCIANA – Não, não conta. Olha, finge que não aconteceu nada além de um abraço. Pronto, a gente só se abraçou, nada mais do que isso.

Ricardo continua afastado, sem olhar para Luciana. Guto e Júlio retornam à sala.

RICARDO – Já podemos voltar, Júlio.

JÚLIO – Tá certo…

Os dois vão indo embora, mas Luciana detém Júlio, segurando-o pelo braço. Seu semblante está completamente diferente daquele que então expressava.

LUCIANA – Você está se saindo muito bem, Júlio. Mas você só se verá livre de mim quando eu for a namorada do Ricardo. Qualquer gracinha e você sabe o que eu vou fazer.

Com raiva, Júlio solta o seu braço e vai embora. Guto e Luciana se entreolham.

GUTO – Eu não sei o que eu falo…

LUCIANA – Então continue calado.

Guto fecha a porta de entrada e volta para o corredor, deixando Luciana novamente sozinha em cena.

CENA 04: FORTALEZA/EXT./NOITE

Imagens da Avenida da Universidade.

Imagens da Avenida General Osório de Paiva.

Imagens da Avenida Washington Soares.

CENA 05: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/CORREDOR 2º ANDAR/INT./NOITE

Débora e Helena se encontram no corredor. Ao se reconhecerem, as duas trocam olhares pouco amigáveis.

DÉBORA – Ora, ora… veja se não é a delatora maldita…

HELENA – Antes delatora dedo-duro do que falsa manipuladora.

DÉBORA – Ah, Helena, você vai se arrepender por ter estragado meus planos…

HELENA (sarcástica) – Vai querer me expulsar daqui também? Olha, pode até ser que você tenha armas para expulsar o Luís e a Maria dessa mansão, mas a mim você não tem arma alguma. Afinal, eu tenho mais direitos de morar aqui do que você. Questão de parentesco com o dono dessa mansão, e também questão de fama. Você sabe que a sua fama aqui é a pior possível.

DÉBORA – Não me subestime.

HELENA – Vá chupar um canavial de—

DÉBORA – O QUÊ?

HELENA – Vá incendiar um canavial de paixões, cordialmente.

Helena segue seu caminho, deixando Débora ali sozinha.

CENA 06: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/SALA DE JANTAR/INT./NOITE

Alice, Cassandra, Gabriel, Gustavo, Igor, Luís e Maria estão sentados à mesa jantando. Helena chega à sala de jantar e se senta à mesa, servindo-se.

ALICE – Onde você estava, minha filha?

HELENA – Eu estava no meu quarto, mãe.

ALICE – Você viu a Débora?

HELENA – Vi sim, ela está lá em cima. Acredito que ela não queira sentar-se à mesa conosco. Então o que nos resta é respeitar a sua vontade, não é?

O jantar ocorre sem mais interrupções.

CENA 07: FORTALEZA/EXT./NOITE

Imagens da Avenida Domingos Olímpio.

Imagens da Avenida José Bastos.

Imagens da Avenida Bezerra de Menezes.

CENA 08: CASA DE LARISSA/SALA/INT./NOITE

Ricardo entra em casa com a sacola em mãos. Ele percebe a presença de Dimas e Larissa na sala. Como hábito, ele cumprimenta o namorado e a mãe com beijos no rosto.

DIMAS – O que é que a Luciana queria, Ricardo?

RICARDO – O que é que a Luciana queria? Ah, a Luciana queria… bom, na verdade não era a Luciana quem queria falar comigo, era o Guto. Quando a gente foi comemorar o aniversário da Maria lá na casa dele, eu comentei com ele que eu não gostava muito daquela camisa vermelha. Daí a gente decidiu trocar camisa.

LARISSA – Por isso que você tava desesperado por aquela camisa que tu nem gostava tanto…

RICARDO – Pois é, eu levei uma camisa dele, só que depois eu me arrependi e pedi pra destrocar. Aquela camisa que a mãe botou na máquina pra lavar era do Guto, não era a minha. Eu queria levar pra destrocar, era só isso.

DIMAS – Agora sim, tá tudo explicado…

Ricardo sorri para ambos.

RICARDO – Eu vou botar a camisa lá de volta na gaveta…

Ricardo vai para o corredor, deixando Dimas e Larissa sozinhos novamente na sala. Os dois voltam a prestar atenção na televisão.

CENA 09: CASA DE LARISSA/QUARTO DE RICARDO/INT./NOITE

Ricardo entra no quarto e vai até a cômoda. Ele tira a camisa de dentro da sacola e a dobra. Em seguida, ele abre a primeira gaveta e guarda a camisa dobrada lá dentro.

RICARDO – Foi muito arriscado… eu devia ter falado a verdade…

Ricardo pensa em silêncio.

RICARDO – Não, melhor não. Eles não podem saber que aquele beijo aconteceu. Eu não posso arriscar ainda mais. Calma, Ricardo, a Luciana tem razão. Finge que tudo não passou de um abraço, nada além de um abraço. Não aconteceu nada que interfira no teu namoro com o Dimas, nada.

Ricardo respira fundo. Ele fecha a gaveta.

CENA 10: CASA DE LARISSA/COZINHA/INT./NOITE

TRILHA SONORA: Ben – Michael Jackson

Angelo, Bárbara, Carolina, Dimas, Jair, Jéssica, Jonas, Júlio, Larissa, Maurício, Ricardo, Talita, Vinícius e Venâncio estão sentados à mesa, jantando. Entre Carolina e Jonas, Felipe sentado em uma cadeirinha sendo alimentado pelos pais.

Júlio e Ricardo se entreolham e prontamente trocam um sorriso. Aparentemente inocente, um gesto de afeto entre dois primos, esse sorriso tem conotações de cumplicidade e de confidencialidade. O que aconteceu na casa do Guto e da Luciana virou segredo entre eles.

CENA 11: FORTALEZA/EXT./NOITE

Mesma trilha sonora da cena anterior. Imagens da Praia de Iracema. Amanhece.

CENA 12: CASA DE MAURÍCIO E TALITA/QUARTO DE CAROLINA E JONAS/INT./MANHÃ

Mesma trilha sonora da cena anterior, que vai abaixando aos poucos. O celular de Carolina toca. Carolina se assusta com o toque e começa a se levantar até pôr-se sentada na cama, no ritmo mais rápido que a sua sonolência permite. Em seguida, ela alcança o aparelho celular em cima do criado-mudo e cancela o alarme.

Ao olhar pro lado, Carolina percebe a ausência de Jonas na cama e estranha. Felipe também se faz ausente no quarto, e logo ela chega a uma conclusão.

CAROLINA (sonolenta) – Ele acordou antes de mim…

CENA 13: CASA DE MAURÍCIO E TALITA/COZINHA/INT./MANHÃ

Jonas, Maurício e Talita estão sentados à mesa, tomando café da manhã. Ao lado de Jonas, Felipe está sentado em uma cadeirinha, distraindo-se com alguns brinquedos. Carolina entra na cozinha e chama a atenção de Felipe.

FELIPE – Mamãe! Mamãe!

Imediatamente, Carolina sorri para o garoto, aproxima-se dele e o cumprimenta com um beijo na cabeça.

CAROLINA – Bom dia, meu querido.

Em seguida, ela cumprimenta Jonas com um beijo no rosto, gesto que ele retribui quase que automaticamente.

CAROLINA – Bom dia, meu amor.

JONAS – Bom dia, minha vida.

Carolina e Jonas sorriem um para o outro. Em seguida, ela se senta à mesa.

CAROLINA – Bom dia, Maurício, bom dia, Talita.

MAURÍCIO e TALITA – Bom dia, Carolina.

JONAS – Dormiu bem, meu amor?

Todos riem da pergunta de Jonas.

TALITA (rindo) – O que você acha, sobrinho?

CAROLINA – Só achei estranho eu ter acordado pelo alarme do meu celular…

MAURÍCIO – Isso deve ser coisa do Vinícius. Ele deve ter botado o teu celular pra tocar às sete.

Jonas termina o seu café e se levanta da mesa. Antes de sair, ele pega Felipe da cadeirinha e o põe nos braços.

JONAS – Tá ficando pesado, né?

CAROLINA – Não, Jonas, pode deixar ele aqui com a gente.

JONAS – Quer ficar com a mamãe, Felipe?

O garoto abre os braços para Carolina, subentendendo uma resposta positiva. Jonas, então, entrega-o à mãe, que se levanta da mesa e o devolve à cadeirinha. Em seguida, Jonas se retira da cozinha.

CENA 14: CASA DE MAURÍCIO E TALITA/SALA/INT./MANHÃ

Jonas se senta no sofá e saca o seu celular. A câmera mostra os comandos que ele exerce no aparelho: ele abre o WhatsApp e começa a rever as conversas que tivera com Helena na noite anterior.

Ricardo entra na casa, assustando Jonas.

TRILHA SONORA: Blood on the Dance Floor – Michael Jackson

JONAS (assustado) – Ai, Ricardo, que susto!

RICARDO – Desculpa, cara, não foi minha intenção. Eu tava te procurando mesmo.

JONAS – O que foi?

RICARDO – A gente pode conversar num lugar mais reservado?

Jonas e Ricardo se encaram. Jonas se levanta do sofá e acena com a cabeça, indicando uma resposta positiva.

CENA 15: CASA DE MAURÍCIO E TALITA/QUARTO DE CAROLINA E JONAS/INT./MANHÃ

Mesma trilha sonora da cena anterior. Jonas e Ricardo estão no quarto, em pé. Jonas fecha a porta do quarto e se aproxima de Ricardo.

JONAS – Pode falar.

RICARDO – Eu não vou aguentar guardar isso só comigo, eu tenho que compartilhar contigo.

JONAS – O que aconteceu? Eu pensei que tu tinha feito as pazes com o pai.

RICARDO – Não, tá tudo bem entre eu e o tio Jair. Entre a gente só aconteceu um mal estendido.

JONAS – Mal entendido.

RICARDO – Isso. O meu problema é com a Luciana.

JONAS – O que houve?

RICARDO – Jonas… ontem à noite, eu fui lá na casa dela e a gente acabou se beijando.

Jonas se surpreende com a notícia de Ricardo.

JONAS (chocado) – O quê?

RICARDO – Fala baixo.

JONAS (falando mais baixo) – Como é que tu teve coragem, Ricardo?

RICARDO – Eu também gostaria de saber. Eu não sei o que aconteceu, quando eu me dei conta já tinha acontecido, a gente já tinha se afastado.

JONAS – Ah, por isso que tu disse que não ia aguentar guardar isso só contigo… numa escala de zero a dez, qual é o teu arrependimento?

RICARDO – Mais de oito mil. Não tenho nem coragem de falar a verdade pro Dimas, eu tenho medo da reação dele.

JONAS – Eu no teu lugar também não contava pra ele. Mas não agora. Ele vai ter que saber uma hora ou outra, mas agora não.

RICARDO – Esse foi só um erro. Não vai mais acontecer de novo não. Mas… desde que eu conheci a Luciana, eu comecei a segurar uma cruz aqui nas minhas costas. A cada dia que passa, cada vez que eu vejo a Luciana, essa cruz vai ficando mais pesada. Eu tô vendo a hora de eu não aguentar mais segurar.

JONAS – Se tu não conseguir mais aguentar, é só me chamar que eu te ajudo a segurar. É pra isso que servem os melhores amigos, né? Pra rir da tua queda e só depois ajudar a te levantar.

Ricardo ri do comentário de Jonas.

RICARDO – É por isso que eu te amo, primo.

JONAS – Isso já tá ficando meio repetitivo, né?

RICARDO – Eu nunca vou me cansar de repetir isso.

JONAS – E eu também nunca vou me cansar de dizer o contrário.

Jonas e Ricardo sorriem um para o outro.

JONAS – É agora que a gente se beija, né?

Ricardo ri novamente de Jonas. Os dois trocam um abraço.

CENA 16: FORTALEZA/EXT./MANHÃ

Mesma trilha sonora da cena anterior. Imagens da Avenida Washington Soares.

Imagens da Avenida Santos Dumont.

Imagens da CE-040.

CENA 17: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/CORREDOR 2º ANDAR/INT./MANHÃ

Mesma trilha sonora da cena anterior, que vai abaixando aos poucos. Igor e Maria se encontram no corredor. Eles se surpreendem, mas logo Igor toma a dianteira e começa a falar.

IGOR – Eu precisava falar com você, Maria…

MARIA (ríspida) – Da última vez que tu falou algo do tipo, tu me enganou da pior maneira possível. Disse que me amava, até me beijou… passou nem uma semana direito e já botou um anel de noivado no dedo da Débora.

IGOR – Por favor, Maria, me leve a sério.

MARIA – Como eu vou te levar a sério desse jeito?

IGOR – Eu quero te explicar o que está acontecendo…

MARIA – Eu não sou nenhuma retardada pra que alguém me explique o que está acontecendo. Tá mais do que claro que tu me enganou e não há nada que me faça pensar de outra maneira.

IGOR – Tem sim. Maria, eu não te enganei. Você sabe que eu só estou me casando com a Débora por causa da pressão da avó dela. A dona Cassandra está exigindo que nós nos casemos por causa do filho que ela está esperando. Pensa, esse casamento não tem como dar certo, a Débora não vai agradar a quase ninguém sendo a minha esposa. Ela não vai agradar o marido, ela não vai agradar os sogros, ela não vai agradar os cunhados… ela só vai agradar a avó, e olhe lá. Esse casamento vai durar até a criança nascer, porque a gravidez é a única coisa que vai me prender a esse matrimônio. Eu peço o divórcio depois que o meu filho nascer.

DÉBORA – Não é ladra, mas é amante do meu noivo…

Assustados, Igor e Maria olham para Débora, que os encara com o celular levantado e um sorriso sarcástico no rosto.

DÉBORA – Vamos ver agora se o tio Gabriel não põe você e o seu irmão no olho da rua depois dessa prova em áudio e vídeo…

A cena congela em um efeito dourado no rosto de Débora.

FIM DO DÉCIMO QUINTO CAPÍTULO.

12 thoughts on “Mundos Opostos – Capítulo 15

  1. Débora finalmente sendo vilã de verdade, adorooooooooooooooooooo. E Igor é muito burro mesmo, né? Se é pra se divorciar logo após a criança nascer, era só simplesmente não casar.

    Ai, gosto do Jonas com a Carolina, espero que ele não fique com a Helena.

    Ótimo capítulo, parabéns 😀

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s