A Flor do Sertão – Capítulo 19

A Flor do Sertão - Logo

ANTERIORMENTE:

Ricardo e seu amigo Édson continuam conversando sobre a Regina. O dono da casa decide despachar o colega para ficar sozinho com Regina. Ricardo beija a moça, mas Hermínia flagra tudo. Antônio e Arivalda estão transando, quando João chega em casa. Lucrécia entra na joalheria e imediatamente um alarme toca. Francisca embarca no avião para Paris. Regina lamenta pela sua vida amorosa. Ela se lembra de Bento e de Ramiro. João abre  a porta com violência e verifica se não há mais ninguém no quarto. O padre abre o guarda-roupa com um revolver em mãos.

CAPÍTULO 19

CENA 01: TERESINA/CASEBRE/INT./DIA

A imagem mostrada é de Arivalda e Antônio transando, e ao mesmo Padre João andando pela casa a procura de sua amada. O foco vai para os olhos assustados de Arivalda ao perceber que o padre chegou ao casebre. A mulher logo se levanta e se enrola em um lençol.

ANTÔNIO: O que foi? Não tá aguentando mais, é?

ARIVALDA: O João chegou!

ANTÔNIO: João? Mas quem é João?

ARIVALDA: Anda, se esconde logo!

Arivalda puxa Antônio e o esconde no guarda-roupa. João está escutando tudo atrás da porta. Ele a abre com violência e vê Arivalda deitada na cama nua.

ARIVALDA: Oi, meu gostoso. Veio de surpresa?

João verifica se não há mais ninguém no quarto.

ARIVALDA: O que foi?

PADRE JOÃO: Tu, sua vagabunda. Me traiu!

ARIVALDA: Eu nunca faria isso…

PADRE JOÃO: Eu ouvi tudo atrás da porta… Ele tá debaixo da cama? Ou no guarda-roupa.

João caminha rumo ao guarda-roupa, mas Arivalda tenta impedi-lo.

ARIVALDA: Eu te amo, meu amor.

O falso padre empurra Arivalda no chão e vai até o guarda-roupa. João retira um revolver do bolso e abre uma porta do móvel vagarosamente. O padre flagra Antônio nu escondido no guarda-roupa.

PADRE JOÃO: Então a Arivalda tava me traindo é com tu. Agora eu te mato, seu cabra desgraçado!

Antônio fica apavorado com uma arma apontando para si.

ANTÔNIO: Calma!

PADRE JOÃO: Calma? Eu vou matar tu mais aquela vagabunda.

Arivalda tenta se explicar e João olha para ela. Antônio percebe a distração do padre e tenta tomar o revolver dele. Os dois travam uma luta. A arma dispara, mas não acerta ninguém. Antônio empurra João e pula a janela enrolado em lençol. A câmera mostra ele correndo. O padre se levanta e dispara contra ele, sem sucesso. Nesse meio tempo, Arivalda caminha rumo à porta para fugir, mas João percebe.

PADRE JOÃO: Tu acha que vai fugir, vagabunda? Eu vou acabar com tu, mas antes tu vai sofrer muito.

O padre João desfivela seu cinto. Sua calça cai até os pés. A imagem se escurece.

CENA 02: ITAUNA-MG/RUA/EXT./DIA

Valdir pega um pedaço de pau e começa a pressionar a porta, até que consegue abri-la.

VALDIR: Entra aí gata.

Lucrécia entra na loja e imediatamente um alarme toca. Valdir foge rapidamente e deixa Lucrécia sozinha lá dentro. A câmera mostra o interior da joalheria. Lucrécia fica apavorada ao ouvir o alarme, mas tenta pegar algumas joias. A jovem chega até a porta e pede ajuda ao namorado para sair dali.

LUCRÉCIA: Valdir! Valdir!

Lucrécia não obtém resposta e fica nervosa.

LUCRÉCIA: Abre a droga da porta logo. O alarme tocou.

Lucrécia escuta o barulho de uma viatura de polícia.

LUCRÉCIA: Não pode ser! Valdir? Você me deixou?

Lucrécia fica triste por ter sido abandonada pelo namorado. A polícia arromba a porta da loja e flaga a adolescente lá dentro.

POLICIAL: Você tá presa por roubo.

Corte rápido. Lucrécia é algemada e colocada na viatura. O veículo parte. Ao fundo, a câmera mostra Valdir observando tudo.

VALDIR: Foi mal, gata. Mas é melhor você do que eu!

Valdir coloca seu capuz e segue andando na rua.

CENA 03: CASA DOS ALMEIDA/SALA/INT./DIA

Hermínia está sentada na mesa, impaciente.

HERMÍNIA: Venha, Regina. A comida sai hoje ou vou ter que pedir em um restaurante?

Regina vai até sua patroa.

REGINA: A despensa tá vazia, Dona Hermínia.

HERMÍNIA: Então ai no mercado.

REGINA: Sim, senhora.

Regina tira seu avental e se prepara para sair, quando Hermínia a chama.

HERMÍNIA: Estou precisando ter uma conversinha com você. Quero que fique bem longe do meu filho. Ele já é comprometido e tá noivo. Ele só te beijou por causa de uma aposta boba. Vê lá se ele se interessaria por uma serviçal…

REGINA: Isso não vai se repetir. Com licença, senhora.

Regina se vira. Ela enxuga uma lágrima de seu rosto e sai.

CENA 04: ITAUNA-MG/RUA/EXT./DIA

A câmera mostra o interior de uma casa simples. O foco vai para um telefone que está tocando. É mostrada a imagem das pernas de uma mulher. A câmera vai subindo até focar no rosto da mulher.

SÔNIA: Presa? Como assim presa? Deve estar havendo algum engano, meu senhor.

Sônia continua conversando no telefone.

SÔNIA: Buscar ela? O pai dela vai. Obrigada!

Sônia desliga o telefone e se senta no sofá.

SÔNIA: Essa menina é uma praga! Só sabe me dar trabalho. Eu não vou passar pela humilhação de ter que ir numa delegacia. O Antônio que irá.

Sônia se levanta e vai até o telefone. Ela disca um número e faz uma ligação. O telefone apenas chama, mas ninguém atende.

SÔNIA: Onde é que está aquele safado?

Suzana entra em cena.

SUZANA: Tudo bem, mãe?

CENA 05: TERESINA/RUAS/EXT./DIA

Ramiro caminha pelas ruas de Teresina. Ele observa o rosto de todas as pessoas na rua, com o objetivo de encontrar Regina.

RAMIRO: Ah, Regina, meu amor. Eu vou te encontrar e a gente vai ser muito feliz longe daqui. Tu vai aprender a me amar. Por bem ou por mal…

Ramiro continua andando. De repente, ele se lembra de Aurora.

RAMIRO: Minha filha, um dia eu busco tu e nóis três formaremos uma família linda! Perdoa seu pai por tudo…

[FLASHBACK] CENA 06: CASARÃO DE RAMIRO/SALA DE ESTAR/INT./TARDE

Ramiro está sentado no sofá tomando café. Ele escuta um barulho de carro e se levanta. Aurora entra em casa e conversa com o pai.

AURORA: Oi, pai.

RAMIRO (ríspido): Oi.

A garota vai em direção do pai para dar-lhe um beijo, mas ele desvia.

AURORA: Por que o senhor faz isso, pai?

RAMIRO: O que, garota?

AURORA: Se afasta de mim. Nunca faz nada junto comigo. Desde que minha mãe morreu o senhor me trata diferente. Nem parece que é meu pai. Por quê?

Ramiro sai sem dizer nada e sobe a escada, indo para seu escritório. Aurora fica triste com o desprezo do pai e vai para seu quarto. Sandra se aproxima de Aurora para consolá-la.

SANDRA: Ele deve estar cansado, minha querida.

Cabisbaixa, Aurora vai para o quarto. Sandra dá um sorriso, satisfeita com a situação.

SANDRA: Isso é só o começo, queridinha.

CENA 07: TERESINA/UNIVERSIDADE/SALA DE AULA/INT./TARDE

Sala de aula de um curso de Arquitetura em uma universidade piauiense. Muitos poucos alunos prestam atenção no professor; outros conversam; outros travam guerras de bolinhas de papel. Em uma das cadeiras da frente, Ricardo e Édson estão conversando.

PROFESSOR: Silêncio! Silêncio!

Um toque indica o fim da aula. O professor sai da sala.

RICARDO: Te disse! Ganhei a aposta.

ÉDSON: Como assim?

RICARDO: Beijei a Regina.

ÉDSON: É mentira. Você tá inventando…

RICARDO: Aceita que tu perdeu. Mas vou beijá-la novamente e te mostro a foto.

ÉDSON: Ela é muito gata!

RICARDO: A Regina é uma gostosa!

Joana chega de surpresa.

JOANA: Quem é Regina, meu amor?

CENA 08: TERESINA/SUPERMERCADO/FACHADA/EXT./TARDE

A câmera mostra Regina saindo do supermercado com algumas sacolas na mão. Ela anda pelas ruas de Teresina com certa pressa.

REGINA: Eu não aguento mais, meu Deus. É tanta tristeza e amargura…

Regina continua caminhando. Em sua frente, há um cruzamento. O semáforo de pedestres proíbe a passagem de pedestres, obrigando a moça a esperar. Ela observa o outro semáforo autorizando a passagem de veículos. Uma das faixas da rua está completamente livre. O semáforo fica amarelo e, em seguida, vermelho. O semáforo de pedestres fica verde. Regina desce até a faixa de pedestres, atravessando a rua. A moça continua seu trajeto quando avista um homem do outro lado da rua. O homem tira seus óculos de sol e Regina percebe que é Ramiro. Apavorada, Regina deixa as sacolas de compras cair no chão.

Continua…

18 thoughts on “A Flor do Sertão – Capítulo 19

  1. Socorro! Arivalda se deu muito mal. Ela pagou pelo que sempre causou com seu marido que morreu e o que sempre fez com Laís. Mereceu ser desmascarada, mas não mereceu o abuso que sofreu. EU FALEI LUCRÉCIA! O VALDIR NÃO PRESTAVA! Depois de um momento de nervoso, me acalmei. Valdir foi um ordinário, sabia que ele não era flor que se cheirava. Pelo jeito vai ser difícil a moça sair de trás das grades. Ricardo caiu e muito no meu conceito. Pensei que aquela troca de olhares fosse algo em especial, mas me enganei totalmente. Ele tem namorada? Safado! Ramiro arrependido? Não sei não hein… Ele quer Regina a qualquer custo, mas nn confessa seu amor por ela, sofro. Regina encontrou Ramiro! MORTO! Queria tanto que ela voltasse para o sertão, mas eu sei o quanto é difícil pra ela reencontrar esse homem.

    Parabéns, amigo! ❤ Ansioso pela continuação.

    Curtir

  2. Gente, o que foi esse castigo da Arivalda? Sinceramente fiquei com pena dela, nenhuma mulher merece ser violentada sexualmente, nojo desse padre. Tadinha da Lucrécia, Valdir sem vergonha. Hermínia uma biscate boate de quinta, risos. Ramiro dando uma de Maria Madalena? Me poupe, depois de fazer mal para filha acha que vai ser tudo de boa? É cada uma, que eu vou falar. Caiu a máscara Ricardo e ainda a namorada dele escutou ele falando de Regina. Ramiro encontrou Regina, que homem maluco, o que será que ele vai fazer? Só quero ver.
    Parabéns Ari! ❤

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s