Mundos Opostos – Capítulo 18

CENA 01: CASA DE GUTO E LUCIANA/SALA/INT./NOITE

Carolina, Dimas, Jonas, Júlio e Ricardo entram na sala e se surpreendem ao ver Gustavo, Guto, Helena, Igor, Luís e Maria levando um bolo de aniversário até uma mesa posta no centro da sala.

GUTO – Três! Dois! Um! Vai!

TODOS – FELIZ ANIVERSÁRIO, JÚLIO!

Júlio abre um sorriso ao ver o bolo.

LUÍS – Quantos anos, Júlio?

JÚLIO – 23.

Imediatamente, Guto, Luís e Maria vão até a cozinha. A atitude deles causa estranheza generalizada, mas ela não é muito levada em conta. Segundos depois, eles aparecem com uma caixa de ovos na mão cada e a abrem.

GUTO – VAMO DAR OVADA NO JÚLIO, AÊÊÊÊ!

TRILHA SONORA: Uptown Funk – Mark Ronson ft. Bruno Mars

Em uma euforia contagiosa, todos pegam os ovos e atiram na cabeça de Júlio, que se inclina para evitar que os ovos o sujem. Ao total, são 23 ovadas, uma para cada ano de vida do jovem.

CENA 02: CASA DE GUTO E LUCIANA/BANHEIRO/INT./NOITE

Mesma trilha sonora da cena anterior. Júlio abre a torneira da pia e começa a enxaguar os seus cabelos, em uma tentativa de amenizar o estrago causado pelas ovadas. Sua felicidade permanece estampada em seu rosto até o momento que ele observa Luciana se aproximar pelo reflexo do espelho. A trilha sonora é bruscamente interrompida.

JÚLIO – O que foi dessa vez?

LUCIANA – Hoje o Dimas e o Ricardo terminam.

Júlio fica nervoso com a frase de Luciana.

JÚLIO (nervoso) – Não, Luciana…

LUCIANA – O aniversário é seu, mas o presente é meu. Vou fazê-los brigar e terminar o namoro. Tudo o que você me disse ontem vai ser muito importante para esse momento.

Júlio encara o reflexo de Luciana com temor no olhar.

JÚLIO – Se eles descobrirem que eu estive por trás dessa sujeira, eles nunca mais vão querer olhar na minha cara.

LUCIANA – Estou pouco me importando com o que eles vão fazer contigo. Eu só quero o Ricardo comigo, nada mais do que isso.

JÚLIO – Espero que você fracasse miseravelmente e não consiga separar eles.

LUCIANA – Se eu não conseguir separar eles, eu espalho seu segredinho aos quatro ventos.

JÚLIO – Você não vai fazer isso. Eu te mato antes.

LUCIANA – Sabia que eu tô morrendo de medo de ti?

Luciana sai do banheiro, deixando Júlio ali sozinho.

CENA 03: CASA DE GUTO E LUCIANA/SALA/INT./NOITE

Tocam à campainha. Guto se separa do grupo e vai atender o portão. Ele se surpreende ao saber que se trata de Débora.

DÉBORA – Oi, Guto, cheguei atrasada?

GUTO (frio) – É, mais ou menos. Nós já cantamos os parabéns e tal. Mas pode entrar, a festa ainda não acabou não.

Guto abre espaço para Débora entrar. A moça é recebida friamente pelo restante da Corrente. Dimas toma a iniciativa e se aproxima de Débora, abrindo-lhe os braços para abraçá-la.

DIMAS – A gente achou que tu não vinha, Débora.

DÉBORA – É, eu acabei me atrasando.

MARIA – Tudo bem.

Débora e Maria se encaram friamente. Júlio volta para a sala e se surpreende ao notar a presença de Débora. Imediatamente, a moça vai até Júlio e o abraça.

DÉBORA – Feliz aniversário, Júlio.

JÚLIO – Muito obrigado, Débora.

Os dois se apartam do abraço.

CENA 04: FORTALEZA/EXT./NOITE

Imagens da Avenida Mister Hull.

Imagens do Shopping Iguatemi Fortaleza.

Imagens da Avenida da Abolição.

CENA 05: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/SALA/INT./NOITE

Cassandra e Fátima estão em pé, uma de frente para a outra.

FÁTIMA – O que a senhora gostaria, dona Cassandra?

CASSANDRA – Fátima, você sabe onde a minha neta foi?

FÁTIMA – Sim, dona Cassandra, ela foi participar de um encontro com os amigos dela lá no Papicu.

CASSANDRA – Ela foi de carro, certo?

FÁTIMA – Sim senhora, ela foi de carro. Estamos sozinhas aqui em casa, junto com o seu Gabriel e a dona Alice.

CASSANDRA – Certo. Fátima, eu e a Alice vamos sair agora. Se a Débora voltar antes de nós, diga a ela que nós fomos à igreja acertar a data do casamento dela. Entendeu?

FÁTIMA – Sim senhora.

CASSANDRA – Então repita.

FÁTIMA – Se a Débora chegar antes da senhora e da dona Alice, eu digo a ela que vocês foram à igreja acertar a data do funeral do Pedro Igor.

Cassandra se indigna com a resposta de Fátima.

CASSANDRA – Você acha isso engraçado?

FÁTIMA – Não, acho que isso é a verdade. Eu tenho pena do Pedro Igor por estar casando com a sua neta. Julgando-a pelo que a Débora foi capaz de fazer para esse casamento sair do papel, eu posso afirmar que esse casamento é na verdade o funeral dele.

CASSANDRA – Eu só não lhe faço aprender a respeitar minha neta porque eu estou de saída. Você vai se arrepender de ter dito isso.

Fátima sorri sarcasticamente para Débora. Alice, já pronta para sair, vem descendo as escadas e se aproxima de Cassandra.

ALICE – Estou pronta, tia. Vamos?

CASSANDRA – Sim, vamos.

Cassandra encara Fátima com ódio no olhar e, em seguida, se vira, seguindo Alice até a saída da mansão.

CENA 06: CASA DE JÉSSICA/SALA/INT./NOITE

Bárbara e Jéssica estão sentadas no sofá, uma de frente para a outra, conversando.

JÉSSICA – Não vou mentir, Bárbara, eu quebrei a promessa. Eu dei uma espiada na mensagem que tu escreveu pro Júlio ontem.

Bárbara se surpreende com a revelação de Jéssica.

BÁRBARA – E foi?

JÉSSICA – Sim, li. Eu gostei muito do que eu vi.

Bárbara sorri, aliviada. Ela não deixou transparecer o seu amor por Júlio na cartinha.

JÉSSICA – O Júlio precisa exatamente de pessoas como tu ao redor dele. Não que ele seja carente de gente amorosa e carinhosa, porque ele tem a mim, ao Jair, ao Jonas e ao Ricardo, mas quanto mais amor melhor. Esse tempo que o Jair passou gastando todo o amor paterno dele com o Jonas sem deixar nada pro Júlio fez mal a ele, e nós estamos tentando repor isso. Não tem problema nele se viciar, ele merece.

BÁRBARA – Exatamente, Jéssica. Eu gosto muito do teu filho, ele é um rapaz muito educado e carinhoso comigo. Ele me trata como se eu fosse a mãe dele, e isso é muito bonito. Jéssica, o Júlio é um rapaz lindo por dentro e por fora.

Bárbara e Jéssica sorriem uma para a outra.

BÁRBARA – Eu não falo isso abertamente em respeito ao Jonas, mas eu preferiria ter o Júlio como genro.

JÉSSICA – Quer dizer que tu não gosta do Jonas?

TRILHA SONORA: Cheia de Marra – MC Livinho

Bárbara fica encabulada com o questionamento de Jéssica.

BÁRBARA – Não, não é isso que eu quis dizer, Jéssica… o Jonas está sendo um ótimo genro pra mim e pro Angelo, um excelente esposo pra Carolina e um excelente pai pro Felipe… mas, se dependesse de mim, quem estaria fazendo a minha filha feliz daquele jeito era o Júlio.

JÉSSICA – Por quê?

BÁRBARA – Questões pessoais mesmo. Eu, particularmente, acho que o Júlio faria a minha filha muito feliz, tanto quanto o Jonas. Se duvidar, até melhor. Quando eles se envolveram, a Carolina falava do Júlio com os olhos cheios de amor, com um encanto na voz…

JÉSSICA – Coisa que tu não vê quando ela fala do Jonas…

Encabulada com a resposta de Jéssica, Bárbara fica alguns segundos calada para se recompor.

BÁRBARA – Todos nós vemos o quanto a Carolina ama o Jonas, mas eu sou mãe dela, eu consigo me pôr no lugar dela, eu vejo que ela ainda não esqueceu o Júlio. Ele deve ter sido um homem maravilhoso pra minha filha…

JÉSSICA – Bárbara, tu diz que a Carolina te falava do Júlio apaixonadamente…

BÁRBARA – É verdade, era algo tão carregado que eu chegava a sentir.

JÉSSICA – Tu fala como se já tivesse tirado a prova do que a Carolina te falava…

Bárbara se surpreende com o comentário de Jéssica e a encara com espanto. Imediatamente, Jéssica se arrepende do que falou.

JÉSSICA – Desculpa, Bárbara, eu falei sem pensar…

BÁRBARA – Que é isso, Jéssica? Isso não se fala. Imagina se o meu marido escuta uma coisa dessas? Deus me livre dele pensar que eu traio ele.

JÉSSICA – Me desculpa, mas é que pareceu mesmo.

BÁRBARA – Mas enfim, eu sei o quanto os teus filhos mexeram com o coração da minha filha. Acredito que, até hoje, eles formem um triângulo amoroso daqueles. Eu sei que eles amam a minha filha, e eu sei que ela ama eles, e é difícil dizer qual amor é mais forte: o amor do Jonas pela Carolina, o amor do Júlio pela Carolina ou o amor do Jonas pelo Júlio.

JÉSSICA – Mas tu acha que a Carolina pode ter uma recaída?

BÁRBARA – Não vou mentir, acho sim. A Carolina ainda não esqueceu o Júlio.

Bárbara e Jéssica se encaram, em silêncio. Bárbara tenta disfarçar o seu nervosismo diante de Jéssica. A trilha sonora vai abaixando aos poucos.

CENA 07: CASA DE GUTO E LUCIANA/SALA/INT./NOITE

TRILHA SONORA: Turma do Funil – Chico Buarque, Miúcha e Tom Jobim

Luciana está sentada no braço do sofá, segurando uma garrafa de vinho. Ela começa a cantar.

LUCIANA (cantando) – Quando é tão densa a fumaça / que o tempo não passa / e a porta do bar já fechou.

A câmera passa a focar Ricardo, sentado no sofá e tocando violão. Ele começa a cantar.

RICARDO (cantando) – Quando ninguém mais tem sono / o garçom tá com sono / e a primeira edição circulou.

A câmera passa a focar Dimas, sentado no chão, com as costas apoiadas no sofá. Ele olha fixamente para Ricardo, que retribui o olhar, e começa a cantar.

DIMAS (cantando) – Quando não há mais saudade / nem felicidade / nem sede, nem nada, nem dor.

Dimas e Ricardo olham para Luciana, que retribui o olhar. Ela se levanta e ergue a garrafa de vinho. Os três cantam juntos.

DIMAS/LUCIANA/RICARDO (cantando) – Quando não tem mais cadeira / tomo uma besteira / de pé no balcão…

Os três apontam para o corredor e voltam a cantar juntos.

DIMAS/LUCIANA/RICARDO (cantando) – E eis que da porta do fundo / do oco do mundo / desponta um cordão…

Nesse momento, Débora, Guto, Helena, Igor, Jonas, Júlio, Luís e Maria, vindos do corredor, entram na sala dançando e pulando, com garrafas de bebidas alcoólicas distintas nas mãos. Todos cantam em uníssono.

TODOS (cantando) – Chegou / a turma do funil / todo mundo bebe, mas ninguém dorme no ponto! / Há-há-há-há / mas ninguém dorme no ponto! / Nós é que bebemos / e eles que ficam tontos!

Eles repetem várias vezes as estrofes. Enquanto isso, a câmera passa a focar o lado oposto da sala. Ali estão Carolina e Gustavo: ele grava o momento com o seu celular, enquanto Carolina apenas observa. Ambos cultivam um farto sorriso no rosto. A euforia contagia a todos em cena, que cantam, dançam e pulam no meio da sala, num clima bem festivo.

CENA 08: CASA DE GUTO E LUCIANA/CORREDOR/INT./NOITE

Mesma trilha sonora da cena anterior. Jonas e Júlio se afastam e vão para o corredor. Um farto sorriso colore o rosto de ambos.

JONAS – E aí, Júlio? Gostou da festa?

JÚLIO (eufórico) – Tô adorando.

JONAS – Isso sim é a Corrente de verdade, a união das pessoas. Viu só o quanto a Débora e a Maria tão ali dançando e pulando, felizes da vida? Nem parece que são inimigas.

JÚLIO – É verdade.

JONAS – De novo, cara, feliz aniversário!

JÚLIO – Muito obrigado de novo, cara!

JONAS – Vamo voltar!

JÚLIO – Na hora!

Os dois voltam para a sala, já cantando e pulando. A trilha sonora vai abaixando aos poucos.

CENA 09: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/CORREDOR 2º ANDAR/INT./NOITE

Fátima e Gabriel estão conversando, um de frente para o outro.

GABRIEL – A Alice e a dona Cassandra foram à igreja?

FÁTIMA – Sim senhor, seu Gabriel.

GABRIEL – Mas que rápidas, não?

FÁTIMA – Ah, seu Gabriel, está tudo dentro do tempo da dona Cassandra. Algo me diz que o seu filho vai se casar com a Débora no fim do mês.

GABRIEL – Fazer o quê, né… foi a escolha do Igor…

FÁTIMA – Tomada por livre e espontânea pressão da dona Cassandra, só pra constar. Se dependesse do próprio Igor, e apenas dele, a Débora se contentaria apenas com o pagamento de pensão alimentícia. A única pessoa realmente empolgada com esse casamento é a própria Débora, mais ninguém.

GABRIEL – Felizmente, ter a Débora morando nessa mansão será algo positivo. Uma vez estando ela debaixo do meu teto, eu a ensinarei a dançar de acordo com a minha música. Se ela pensa que ser esposa do meu filho dará a ela direitos e liberdades ilimitados, ela está redondamente enganada. O plano dela vai ser mais fracassado que a última novela que eu dirigi.

Fátima tenta segurar o riso do comentário de Gabriel.

FÁTIMA – É tudo o que eu mais quero, seu Gabriel, que o senhor ponha a Débora no seu devido lugar.

GABRIEL – Mas isso não é salvo-conduto para vocês tripudiarem em cima dela. Isso eu não permitirei. O Luís e a Maria devem parar de procurar confusão com a Débora, do mesmo jeito que você deve parar de procurar confusão com a dona Cassandra. Não é justo que eu imponha limites nelas, mas também não imponha limites em vocês a fim de não dar margens para represálias.

FÁTIMA – Sim senhor, seu Gabriel.

GABRIEL – Se alguém chegar e perguntar por mim, diga que estou em meus aposentos, sim?

FÁTIMA – Sim senhor, seu Gabriel. Agora com licença.

Gabriel e Fátima sorriem um para o outro e seguem seus respectivos caminhos.

CENA 10: CASA DE GUTO E LUCIANA/SALA/INT./NOITE

A Corrente não resistiu aos encantos das garrafas de bebida. Estão todas abertas, sendo consumidas pelos jovens. Alguns aparentam estar bem sóbrios, como Carolina, Luciana e Gustavo. Já em outros os sintomas de ebriedade são evidentes, como em Dimas, Igor, Jonas e Gustavo.

Débora se levanta do chão e, devido à sua ebriedade, se desequilibra. Ela é prontamente socorrida por Guto, que se levanta a tempo de impedi-la de cair.

GUTO – Calma, Débora, você tá bebendo demais.

DÉBORA (ébria) – Ah, qual é o problema, Guto? É só uma vez no ano.

Guto leva Débora até o corredor, afastando-a do resto da Corrente.

CENA 11: CASA DE GUTO E LUCIANA/QUARTO DE GUTO/INT./NOITE

Guto entra no quarto e conduz Débora até a cama, sentando-a na beira da cama e sentando-se ao seu lado.

GUTO – Débora, tu tá bebendo demais. Isso não é normal.

DÉBORA – Ai, Guto, me deixa divertir um pouquinho.

GUTO – Débora, tu tá grávida, isso vai fazer mal ao teu filho.

DÉBORA – Grávida?

Débora ri debochadamente de Guto, que se surpreende.

DÉBORA – Deixa eu te contar um segredinho, Guto… chega mais perto…

Guto resolve obedecer a Débora, mas ela logo põe a mão no seu rosto e o afasta.

DÉBORA – Não tanto… você é um gatinho, mas eu não gosto tanto de você assim pra te beijar.

GUTO – Débora—

DÉBORA – Guto, eu não tô grávida. Eu nunca estive grávida do Pedro Igor.

Guto se surpreende com a revelação de Débora.

GUTO – O quê?

DÉBORA – É tudo mentira. Essa gravidez é mentirosa, é a arma que eu tenho pra prender o Igor.

Débora ri descontroladamente para Guto, que a encara com medo.

CENA 12: CASA DE GUTO E LUCIANA/SALA/INT./NOITE

Enquanto isso, Dimas observa a roda de conversa de Carolina, Helena, Igor, Jonas, Júlio e Ricardo. Luciana chega perto de Dimas e os dois flagram os seis vibrando após uma fala de Júlio; em seguida, Jonas e Ricardo se levantam e trocam um abraço e beijos no rosto. Luciana sorri ao ver a cena, enquanto Dimas franze a testa.

LUCIANA – Sinceramente, Dimas? Eu acho isso uma falta de respeito. O Ricardo namora contigo, e mesmo assim fica se esfregando com o primo dele.

DIMAS (ébrio) – Eu também não gosto disso… mas ele diz que eles são assim mesmo, sempre foram.

LUCIANA – Se eles fazem isso no meio do povo, imagina o que eles não fazem entre quatro paredes? Eu digo mesmo, o Ricardo te trai com o Jonas e nem tem vergonha de esconder isso.

Dimas deixa a raiva lhe conduzir. Ele vai até o círculo e separa Jonas e Ricardo.

DIMAS – Já chega, acabou a palhaçada!

Imediatamente, todos se levantam, encarando a cena com estranheza.

RICARDO – Dimas, o que é isso?

DIMAS – Ricardo, eu já te falei mais de mil vezes que eu não gosto que tu fique se esfregando desse jeito com o Jonas na frente dos outros. Eu já te expliquei várias vezes porque eu não gosto disso, mas parece que entra por um ouvido e sai pelo outro. Por que, cara?

RICARDO – Dimas, entende que eu sempre agi desse jeito com o Jonas!

Dimas sorri debochadamente, irritando Jonas e Ricardo.

DIMAS – Eu não vou mais ser otário a ponto de aceitar ver tu se beijando com o Jonas sem fazer nada.

JONAS (ébrio) – Não tá gostando? A saída é logo ali, monamour!

Ainda mais irado, Dimas empurra Jonas, que só não cai no chão porque é socorrido por Júlio. A atitude surpreende a todos, principalmente Ricardo.

JONAS – Tá maluco, Dimas?

DIMAS – Cala a tua boca que ninguém te chamou na conversa! Eu tô falando com o Ricardo, só com o Ricardo!

RICARDO – Dimas, para com isso!

DIMAS – CALA A BOCA!

Silêncio em cena. Débora e Guto voltam para a sala e se surpreendem ao ver o que está acontecendo.

DIMAS – Eu não quero mais ouvir uma palavra saindo da tua boca!

RICARDO – Dimas—

DIMAS – CALA A BOCA, EU JÁ FALEI!

Dimas se aproxima de Ricardo, segurando-o pela gola da camisa.

DIMAS – Acabou, Ricardo. A nossa história acabou.

Todos se chocam com a atitude de Dimas, principalmente Ricardo. Não demora muito para que a primeira lágrima caia dos olhos de Ricardo.

RICARDO – O quê?

DIMAS – Cala a boca!

Dimas larga Ricardo e se afasta lentamente dele.

DIMAS – Acabou. Não existe mais nada entre a gente. POR TUA CULPA!

Dimas se vira e vai em direção ao portão.

LUÍS – Dimas, onde é que tu vai?

DIMAS – Vou pra casa, não fico mais um segundo aqui nessa casa.

Luís tenta correr até Dimas e impedi-lo de sair, mas não consegue. Ele pega a primeira chave que consegue da mesinha de centro e sai da casa. Luís vai até a janela e o flagra destravando o carro de Débora e entrando.

LUÍS – Débora, ele vai dirigindo o teu carro!

DÉBORA – O quê?

Imediatamente, Débora corre até a porta e sai.

JÚLIO – A gente não pode deixar o Dimas sair assim. Eu vou atrás dele.

JONAS – Eu vou junto.

JÚLIO – Então vamos.

Jonas e Júlio vão até a porta aberta e saem. Luís fecha a porta e encara as reações do restante da Corrente. Tensos com o que acabou de acontecer, Guto e Luciana se retiram da sala. Até então petrificado, Ricardo perde a sustentação e se deixa cair de joelhos, sendo prontamente socorrido por Carolina e Helena. Ele não se aguenta e começa a chorar.

CENA 13: CASA DE GUTO E LUCIANA/FACHADA/EXT./NOITE

Dimas dá partida no carro. Nesse momento, Débora entra e se senta no banco do acompanhante, tentando enfrentar Dimas.

DÉBORA – O que você pensa que está fazendo?

DIMAS (furioso) – Vou pra casa.

DÉBORA – No meu carro?

DIMAS – Cala a boca. Quando eu chegar lá, você assume o volante e volta pra casa.

E o carro parte. Enquanto isso, Jonas e Júlio entram no carro de Jair: Júlio dá a partida e o carro parte, seguindo o carro de Débora. É possível ver Luís e Maria espiando tudo da janela da casa.

CENA 14: CASA DE GUTO E LUCIANA/QUARTO DE LUCIANA/INT./NOITE

Luciana entra correndo no quarto e para em um determinado ponto, encarando um ponto aleatório do cenário, visivelmente nervosa. Guto entra no quarto, a passos largos, alcança Luciana e a vira de frente para ele, com certa violência.

GUTO – O que foi que tu fez, Luciana?

LUCIANA – Eu… eu agi sem pensar…

GUTO – Para de mentir, Luciana. O que foi que tu fez?

LUCIANA – Eu só disse que eu não achava certa a maneira que o Jonas e o Ricardo se comportavam em público, o Dimas ficou puto e partiu pra cima deles.

GUTO – Você conseguiu, Luciana. O Dimas terminou com o Ricardo. E agora, satisfeita?

LUCIANA – Isso fugiu dos meus planos, eu queria fazer isso de outro jeito.

GUTO – Você conseguiu destruir a vida do Dimas, Luciana! Tá satisfeita?

LUCIANA – Eu só queria separar o Dimas do Ricardo. Nada mais que isso.

Guto continua encarando Luciana, que demonstra tensão.

CENA 15: FORTALEZA/EXT./NOITE

Imagens da Avenida Luciano Carneiro.

Imagens da Avenida Maestro Lisboa.

Imagens da Avenida General Osório de Paiva.

CENA 16: CARRO DE DÉBORA/INT./NOITE

Dimas dirige em alta velocidade pelas ruas de Fortaleza. Transtornado, ele volta e meia tira as mãos do volante para enxugar as lágrimas que esporadicamente caem do seu rosto. As ultrapassagens perigosas e as reações violentas de Dimas quanto aos desleixos de motoristas e pedestres assusta Débora.

DÉBORA – Dimas, por favor, vai mais devagar.

DIMAS – Cala a boca, sua vadia! Tu quis vir comigo, agora aguenta até o fim!

DÉBORA – Você vai causar um acidente!

DIMAS – Dane-se! Dane-se tudo!

Alguns segundos de silêncio. Dimas faz uma manobra perigosa que assusta novamente Débora. A moça começa a entrar em pânico.

DÉBORA – Por favor, Dimas, vai devagar, você está me assustando.

DIMAS – Cala a boca, eu já falei!

DÉBORA – Vai mais devagar!

DIMAS – CALA A BOCA!

Dimas grita com Débora, que se desespera de vez.

CENA 17: CARRO DE JAIR/INT./NOITE

A certa distância, Júlio e Jonas, respectivamente no banco do motorista e do acompanhante, seguem o carro de Débora. Jonas se exalta ao perceber movimentos estranhos dentro do carro.

JONAS – O que é que tá acontecendo ali?

Jonas e Júlio entram em desespero ao perceber que o carro está ziguezagueando pela estrada.

JÚLIO – Ai meu Deus!

JONAS – O que tá acontecendo?

JÚLIO – Não sei!

JONAS – Tô com muito medo, Júlio…

JÚLIO – Eu também tô!

O carro de Débora sobe em um viaduto. Os corações dos irmãos batem mais fortemente. Uma manobra brusca em cima do viaduto faz o veículo perder o controle e ultrapassar as barreiras laterais.

JONAS e JÚLIO – NÃO!

CENA 18: FORTALEZA/RUA/EXT./NOITE

O carro de Débora pula do viaduto em direção à calçada da pista de baixo. O veículo atinge violentamente o solo, aterrissando com as rodas viradas para cima. O trânsito para devido ao acidente.

TRILHA SONORA: Earth Song – Michael Jackson [INSTRUMENTAL]

Do outro lado, o carro de Jair para. Jonas e Júlio observam a cena a certa distância. Débora e Dimas sofreram um grave acidente de trânsito e eles nada puderam fazer para impedir. O desespero puro invade o interior dos dois irmãos, que choram a provável morte de ambos.

A cena congela em um efeito preto-e-branco no rosto de Jonas e Júlio.

FIM DO DÉCIMO OITAVO CAPÍTULO.

25 thoughts on “Mundos Opostos – Capítulo 18

  1. Só queria que a vaca mal leiteira da Luciana estivesse nesse carro.
    Se o Dimas muuurrer não vou conseguir mais acompanhar 😭😭😭
    Esses idiotas se dizem amigos, mas ninguém faz nada pra impedir o que essa vadia faz.
    Uma corrente de gente desocupada que não servem nem como amigos,
    Estou triste, muito triste 😭😭😭

    Curtido por 1 pessoa

  2. Eu disse que o Dimas iria se matar! kkkkkk bem feito você disvirtuou o Ricardo!
    Dèbora paraplègica?
    Dèbora se desmascara!,mortissima
    E vamos esperando os desfechos desse ultimo capítulo!
    Parabéns Glay!

    Curtido por 1 pessoa

    • Cena “musical” é quase uma marca registrada minha. Teve em Empregados contra Patrões, se eu não me engano teve em Amizade de Isopor e teve em Mundos Opostos. Não teve em O Resgate porque não dava tempo.

      Aguenta firme que ainda vem mais surpresas, Esmas, só digo isso.

      Curtido por 1 pessoa

  3. Xii… Agora é só tiro, porrada e bomba. Rumos tensos dominaram “Mundos Opostos” a partir de agora ao meu ver. Esse acidente não estava em meus planos e principalmente envolvendo Dimas e Débora. Estou em shock! A falsa gravidez já tinha sido descoberta por Guto, mas agora todos podem ficar sabendo sobre essa mentira no hospital, caso ela fique viva. Luciana agora irá se sentir culpada pelo que aconteceu. Ela queria separar Dimas de Ricardo e conseguiu. Depois ficou meio tensa, mas achei que ela não deveria sentir isso já que a mesma queria tanto essa separação. Ricardo deu motivos sim a Dimas e eu concordo com sua revolta. Mesmo ele e Jonas sendo primos, essas atitudes passam dos limites. Não sei o que esse gancho pode trazer, sinceramente. Pode trazer mortes? Pode trazer mistérios? Pode trazer uma grande virada? Resposta hoje às 19hrs.

    Parabéns, Glay! 🙂

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s