A Flor do Sertão – Capítulo 22 (últimos capítulos)

A Flor do Sertão - Logo

CENA 01: MG/ITAÚNA/MORRO DO ROSÁRIO/EXT./MANHÃ

A câmera mostra um táxi estacionado em frente ao Morro do Rosário. Do seu interior, Paula desce. Ela está desanimada. A garota começa a subir o morro. Ao fundo, é possível ver Lucrécia a seguindo.

Corte rápido. Paula está no topo do morro. Ela está a uma altura de aproximadamente 300m. A garota está pensativa e triste.

PAULA: Eu sou um peso pra minha mãe. Meu pai não me quis… Eu não mereço viver.

Paula se aproxima de um barraco. Ela chora.

PAULA: Quem sou eu? Eu não mereço viver… Não mereço!

Paula tenta tomar coragem para se jogar daquela altura. Lucrécia vai se aproximando aos poucos.

LUCRÉCIA (baixinho): Que situação perfeita! Você não tá com coragem pra se jogar? Pode deixar que eu te mato com o maior prazer.

Lucrécia posiciona suas duas mãos para frente e se aproxima de Paula que está de costas. Paula caminha lentamente até a beira do morro. De repente, ela para de andar e fica parada.

PAULA: Não! Isso não! Eu não vou me matar. Não vou ser uma fraca. Tenho que encarar a minha realidade e ficar do lado da minha mãe. A gente vai sair daquela casa e ter uma vida melhor. Deu tem um propósito na minha vida!

Paula se prepara para virar de costas e sair dali, quando dá de cara com Lucrécia.

LUCRÉCIA: Você não tem coragem de se matar? Mas eu tenho o maior prazer de te mandar pro inferno!

Lucrécia vai intimidando Paula, que vai dando alguns paços para trás. O pé da moça chega na ponta e uma pedra e chega a pisar em falso.

LUCRÉCIA: Desde que você chegou em casa, meu pai só deu olhos pra você. Ele nunca teve atenção pra mim, nunca foi na minha escola pras reuniões e paras as homenagens. Mas por você, ele fez tudo. Você vai pro inferno agora, maldita.

Lucrécia caminha com certa velocidade com os braços esticados com o objetivo de empurrar Paula daquele morro. A garota se desvia. Com a pressão que estava, Lucrécia perde o equilíbrio e fica bem perto de cair daquela altura.

CENA 02: MG/ITAÚNA/CASA DE RODOLFO/SALA/INT./MANHÃ

A câmera mostra o terreno de Antônio, onde estão construídas três casas. A principal, onde vive Antônio, Regina e os filhos. Ao fundo, tem duas casas. Uma de Rodolfo e outra de Suzana. O foco vai para a casa de Rodolfo. A porta é aberta. Entram Tiago e outro rapaz que aparenta ter a mesma idade do jovem e forte. Os dois rapazes se sentam no sofá. Tiago olha para os lados, procurando por alguém. Ele se aproxima do outro rapaz e lhe dá um breve selinho. Nesse momento, Rodolfo observa tudo ao fundo. Ele vai até a sala, aparentemente nervoso.

RODOLFO: Mas que merda é essa? Meu filho beijando um homem?

Tiago olha o pai, com medo, mas toma coragem e o enfrenta.

TIAGO: É isso mesmo, pai. Eu tô namorando com ele.

RODOLFO: Mas isso vai acabar e é agora! Chispa daqui, seu boiola.

Rodolfo expulsa o rapaz que entrou com Tiago. Indignado com o pai, o jovem se aproxima e o encara.

TIAGO: Por que você fez isso?

RODOLFO: E você acha que eu vou aceitar viadinho aqui em casa. Você trate de virar hétero!

TIAGO: Eu sou gay! Nasci assim e não vou mudar.

RODOLFO: Vai mudar sim. Nem que seja na base da correia e se não adiantar, pode ir pra rua. Eu não aceito ter um filho desse jeito. Prefiro a morte do que ter um filho baitola.

Indignado, Tiago caminha rumo ao seu quarto.

RODOLFO: E vou tratar de arrumar uma namorada pra você…

De longe, Luciana encara o marido. Ela faz sinal de negação com a cabela.

RODOLFO: O que foi? Nunca me viu não? Vai lá

Luciana vai atrás de Tiago.

RODOLFO: Isso mesmo, vai lá. Aproveita e tenta fazer ele virar homem de verdade.

Luciana sai de cena. Rodolfo  pega um pouco de pinga e coloca em um copo.

RODOLFO: Onde já se viu? Eu ter um filho afeminado…

CENA 03: MG/ITAÚNA/FEIRA/EXT./MANHÃ

A câmera mostra uma grande feira de frutas e verduras. Comerciantes gritam e anunciam seus produtos. Muitas pessoas fazem compras no local. O foco vai para uma mulher, um pouco mais velha e com cabelos pretos. Ela visita muitas barracas, mas não leva nada.

OLGA: Ô, Dona Maria, já teve coisas melhores né. Quanta decadência! E você, seu João? Não tinha umas batatas melhores pra vender não, hein? Dona Célia, esse alface tá todo feinho… Eu pago R$0,50.

Olga sai do corredor de verduras com poucas coisas na sacola.

OLGA: Eu hein… As coisas tão o olho da cara e ainda querem vender essas porcarias estragadas. Não compro mesmo.

Olga continua caminhando pela feira.  Ela esbarra em uma mulher.

OLGA: Não olha por onde anda não, minha filha? Tem esses óculos ridículos na cara e sai esbarrando nos outros.

PITUXA: Desculpa, senhora…

OLGA: Tudo bem… Você me conhece? Ah, que pergunta idiota. Todo mundo me conhece. Olga, cordialmente.

PITUXA: Prazer, Pituxa.

Olga solta um sorriso de deboche.

OLGA: Pituxa? Que nome! Além de feia, ainda tem um desastre desse na certidão de nascimento. Tenho dó de você, querida. Já tive uma gatinha chamada Pituxa, mais ai resolvi mudar. Fiquei com dó de chama-la assim…

Pituxa vai embora, sem graça.

OLGA: Volta aqui, minha filha. Não acabei com você. Tá vendo aquela mulher ali? Não toma banho há dias. Por isso aqueles mosquitinhos tão rondando ali. E aquela senhora gorda? Teve um dia que nem conseguiu passar na roleta do ônibus. A banha não deixou. A Joana teve uma briga com o namorado, credita? Pegou ele na cama com outra… Sei de todos os babados, menina. Se quiser saber de uma novidade, me procura.

Jurandir passa perto de Olga.

OLGA: Esse é o meu gostoso. Ah, eu ainda te pego, urso feroz! Teremos uma selvagem noite de amor.

Olga vai atrás de Jurandir.

CENA 04: MG/ITAÚNA/CENTRO DA CIDADE/EXT./MANHÃ

A câmera está distante e mostra a correria do centro da cidade. Muitos carros andam pelas ruas e pessoas caminham pelos passeios. Com uma aproximação, podemos ver Regina caminhando pelo centro. É possível ver ao fundo alguém a seguindo. Um vulto é visto atrás de um carro. Regina olha para trás e volta a caminhar quando não vê nada.

REGINA: Eu hein… Tô ficando doida. Deve ser felicidade que o meu próprio negócio vai dar certo!

Regina abre um sorriso e continua sua caminhada. Alguém que não conseguimos ver, vai atrás.

CENA 05: MG/ITAÚNA/CASA DE RODOLFO/QUARTO DE TIAGP/INT./MANHÃ

Luciana abre a porta do quarto do filho. Na cama, Tiago está com raiva e triste ao mesmo tempo. Lágrimas escorrem dos olhos dele. Luciana se aproxima e também senta na cama.

LUCIANA: Ô, meu filho…

Tiago não diz nada e deita no colo da mãe. Ela o acaricia.

TIAGO: Meu pai não aceita o meu jeito de ser. Eu sou gay. Não gosto de mulheres com a sociedade perfeita exige…

LUCIANA: Eu sempre vou te apoiar, tá? Seu pai… Ele… É um sem coração!

Tiago se levanta.

TIAGO: Então porque você não se separa dele? A gente aluga uma casa e vive longe daqui, sem um bêbado pra atrapalhar nossa vida.

LUCIANA: Não é tão fácil assim…

TIAGO: É sim. Só falta você querer sair desse inferno e ter uma vida melhor.

Tiago sai do quarto e deixa Luciana pensativa. A câmera adentra o interior do quarto ao lado. Suzana tentava com um copo ouvir toda a conversa.

SUZANA: Então vocês querem sair daqui? Pode deixar que vou dar uma forcinha pra você cascarem fora daqui pra sempre…

CENA 06: MG/ITAÚNA/MORRO DO ROSÁRIO/EXT./MANHÃ

Com a pressão que estava, Lucrécia perde o equilíbrio e fica bem perto de cair daquela altura. Antes de uma tragédia acontecer, Paula puxa a mulher que tentou mata-la.

LUCRÉCIA: Por que você me puxou? Devia ter me empurrado ou me deixado morrer.

PAULA: Não! Eu sou diferente de você e dos seus irmãos. Tudo de ruim que vocês fizeram vão pagar. Nada que fazemos de errado na Terra sairá em pune. A justiça divina tratará de te punir.

Paula sai dali.

LUCRÉCIA: Eu te odeio até quando é boa…

Lucrécia dá um forte grito que ecoa por toda a proximidade do morro. Ela se levanta e calça os saltos. Na parte de baixo do morro, Lucrécia passa por um grupo de homens mal-encarados. Eles se colocam na frente dela, impedindo-a de passar.

LUCRÉCIA: Sai da minha frente!

De repente, um homem encapuzado se aproxima.  Ele tira seu capuz e revela sua face. Lucrécia está assustada.

LUCRÉCIA: Você?

HOMEM: Achou que ia me dar o calote? Vim cobrar sua dívida. Usou a droga, ficou feliz e tal. Mas cadê a grana?

LUCRÉCIA: Eu vou pagar. Juro. Vou pagar…

HOMEM: Bom mesmo, senão vamo cobrar a divida de outra forma.

O homem dá um sorriso malicioso e sai dali com seu grupo. Lucrécia está abalada.

CENA 07: MG/ITAÚNA/APARTAMENTO/INT./MANHÃ

A imagem está escura. Instantes depois, conseguir ver o interior de um apartamento de luxo. A campainha toca e um homem vai atender. Após a porta ser aberta, é possível ver Sônia do lado de fora. Ela segura com sim uma garrafa de champanhe e duas taças.

SÔNIA: Não vai me chamar pra entrar, monamour?

Sônia dá um sorriso. Corte rápido. Sônia e o outro homem estão na sala de estar bebendo champanhe. Eles riem e se divertem.

SÔNIA: Estava com saudade de você, meu gatão.

HÉLIO: Você que sumiu…

SÔNIA: Mas vim matar a saudade hoje.

HÉLIO: É isso ou veio falar do Antônio? Me mandar fazer os papéis pra ele assinar e ficar com a casa e blá, blá, blá…

SÔNIA: Podemos aliar prazer aos negócios! Vamos, Hélio. Você já fui mais animado…

Hélio se levanta e vai até a porta.

HÉLIO: Se veio só pra isso, pode ir embora.

Sônia vai até ele e lhe dá um beijo.

SÔNIA: Não faz assim, gatão.

HÉLIO: Melhor… Você vai me servir.

SÔNIA: Servir? Como assim?

HÉLIO: Isso que ouviu. Você vai se servir em tudo… Nos meus desejos sexuais e na limpeza do apartamento. Você vai virar minha serva.

SÔNIA: Ficou louco?

HÉLIO: Se não fizer o que eu mandar, eu revelo a todos os seus diversos planos. Quando tentou matar o filho da Regina, roubou dinheiro do Antônio na separação, quer aplicar um golpe com os papeis e outros mais… E aí, qual vai ser?

Sônia encara Hélio com fúria, mas decide seder.

SÔNIA: Tá bom. Que tal eu te servir agora? Vem cá, vem.

Sônia se posiciona perto da parede de vidro do apartamento. Hélio vai até ela e começar a beija seu pescoço, enquanto Sônia faz um olhar maléfico. A mulher troca de lugar com Hélio e ele fica apoiado na parede de vidro.

SÔNIA: Foi tão bom ficar com você, mas daí tu se virou contra mim. E quem se vira contra mim, morre!

Sônia empurra Hélio com toda força. O advogado cai de uma grande altura de seu prédio. No chão forma-se uma grande poça de sangue.

Continua…

Anúncios

27 thoughts on “A Flor do Sertão – Capítulo 22 (últimos capítulos)

  1. Morri com a Olga, melhor personagem
    Parabéns, Ari

    P.S. Se tiver Troféu Mix esse ano, eu voto na Olga como personagem coadjuvante

    Curtir

  2. Na cena da Sônia e do Hélio eu consegui imaginar tudo, os detalhes que tem são suficientes pra criar tudo na mente. Parabéns pelo capítulo!

    Curtir

  3. Parabéns Ari!
    Muito bom o capítulo.
    Sonia matou Hélio.
    Rodolfo foi cruel com Tiago, tadinho dele.
    Paula salvou Lucrécia.
    Quem será que seguiu Regina!
    Enfim, foi um excelente capítulo.
    Queria que tivesse mais cenas, essa trama é sensacional!!!!!!
    Essa história me conquistou mesmo!!!!!

    Curtir

  4. Se tiver Oscar Tv Mix Olga ganha como melhor Atriz Agora sim é possivel ver quem é Sônia de verdade igual a Beatriz da Babilônia Se quiser me derrubar vai ter que esperar eu derrubar primeiro agora sim Ari tá ótima a 2°Fase ❤

    Curtir

  5. Pra falar a verdade, ainda tô meio perdido em relação aos personagens. Ainda não sei direito quem é a Suzana e qual a sua função na trama. Se antes eu tava meio perdido quanto à Lucrécia, agora não tô mais.

    Tiago me chamou um pouco a atenção também. Lembrei do André de Empregados contra Patrões, aquela web minha que definiu tudo o que eu não devo fazer nas minhas webs.

    Sônia já mostrou sua veia antagônica matando o Hélio. Foi algo bem inesperado, incomum, mas vamos ver como essa sequência vai se fechar amanhã…

    #MomentoDivulgaçã1: https://audienciadatvmix.wordpress.com/2016/08/30/mundos-opostos-capitulo-22/

    Curtir

  6. A história de Regina nessa nova fase ainda esta em processo de apresentação. Ainda continuo bastante interessado com a trama dela que é o que mais importa na trama. Existe alguém que a persegue, mas quem será? Pode ser muito bem Ramiro, acredito que a morte dele não veio naquele dia. Paula desistiu de se suicidar por amor a mãe. Pelo menos ela refletiu que nn seria uma boa. Lucrécia esta com a corda no pescoço com essa dívida. O pior pode vir em breve pra moça? Tenso. E Sônia já mostrou que não esta de brincadeira. Uma surpresa essa morte que ela cometeu.

    Parabéns, amigo! ❤ Ansioso por daqui a pouco.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s