A Flor do Sertão – Capítulo 23 (últimos capítulos)

A Flor do Sertão - Logo

CENA 01: MG/ITAÚNA/APARTAMENTO/INT./MANHÃ

A imagem está escura. Instantes depois, conseguir ver o interior de um apartamento de luxo. A campainha toca e um homem vai atender. Após a porta ser aberta, é possível ver Sônia do lado de fora. Ela segura com sim uma garrafa de champanhe e duas taças.

SÔNIA: Não vai me chamar pra entrar, monamour?

Sônia dá um sorriso. Corte rápido. Sônia e o outro homem estão na sala de estar bebendo champanhe. Eles riem e se divertem.

SÔNIA: Estava com saudade de você, meu gatão.

HÉLIO: Você que sumiu…

SÔNIA: Mas vim matar a saudade hoje.

HÉLIO: É isso ou veio falar do Antônio? Me mandar fazer os papéis pra ele assinar e ficar com a casa e blá, blá, blá…

SÔNIA: Podemos aliar prazer aos negócios! Vamos, Hélio. Você já fui mais animado…

Hélio se levanta e vai até a porta.

HÉLIO: Se veio só pra isso, pode ir embora.

Sônia vai até ele e lhe dá um beijo.

SÔNIA: Não faz assim, gatão.

HÉLIO: Melhor… Você vai me servir.

SÔNIA: Servir? Como assim?

HÉLIO: Isso que ouviu. Você vai se servir em tudo… Nos meus desejos sexuais e na limpeza do apartamento. Você vai virar minha serva.

SÔNIA: Ficou louco?

HÉLIO: Se não fizer o que eu mandar, eu revelo a todos os seus diversos planos. Quando tentou matar o filho da Regina, roubou dinheiro do Antônio na separação, quer aplicar um golpe com os papeis e outros mais… E aí, qual vai ser?

Sônia encara Hélio com fúria, mas decide seder.

SÔNIA: Tá bom. Que tal eu te servir agora? Vem cá, vem.

Sônia se posiciona perto da parede de vidro do apartamento. Hélio vai até ela e começar a beija seu pescoço, enquanto Sônia faz um olhar maléfico. A mulher troca de lugar com Hélio e ele fica apoiado na parede de vidro.

SÔNIA: Foi tão bom ficar com você, mas daí tu se virou contra mim. E quem se vira contra mim, morre!

Sônia empurra Hélio com toda força. O advogado cai de uma grande altura de seu prédio. No chão forma-se uma grande poça de sangue. O foco da câmera volta para o interior do apartamento, onde Sônia olha Hélio morto lá em baixo.

SÔNIA: Ah, Hélio, querido… Se tu fizesse tudo que eu quisesse, nós poderíamos nos divertir e sairíamos daqui, mas você quis ser rebelde comigo. Eu que dito as regras! Boa entrada no inferno.

Muitas pessoas se aproximam do corpo de Hélio. Eles olham para o alto do prédio e veem a um buraco no apartamento do advogado. Sônia percebe a aproximação das pessoas e decide ir embora do apartamento.

SÔNIA: Deixa eu sair daqui, senão essa gentinha vai chamar a polícia e vão me prender… Mas antes, tenho que pegar alguma coisa. Não vou sair daqui de mãos abanando.

Sônia anda pelo apartamento em busca de artigos de luxo.

SÔNIA: Esse jarro deve valer uma fortuna, vou levar.

Sônia continua procurando objetos que podem lhe render um bom dinheiro. Ela vai para o quarto de Hélio. Corte rápido. Sônia volta com uma mala.

SÔNIA: Até que sua morte veio bem a calhar…

Sônia dá um sorriso de satisfação. Ela coloca um óculos de sol e sai.

CENA 02: PRÉDIO/CORREDOR/INT./MANHÃ

Sônia arrasta a mala pelos corredores do prédio. Ela para em frente o elevador e aperta o botão. Sônia percebe uma movimentação e desconfia ser a polícia indo no apartamento de Hélio. Rapidamente, ela vai para a porta das escadas.

SÔNIA: Droga! Vou ter que ir de escadas mesmo.

A câmera fica escura e em um corte rápido, mostra Sônia fora do prédio. Ela caminha toda sorridente. A câmera se afasta e podemos ver o mapa da cidade de Itaúna. O local em que Sônia estava é marcado por um ponto amarelo.

CENA 03: OFICINA MECÂNICA/INT./TARDE

Podemos ver o mapa da cidade de Itaúna. O local em que Sônia estava é marcado por um ponto amarelo e no mapa, é percorrido um caminho até um ponto azul. A câmera se aproxima.  Jurandir entra na oficina mecânica. Instantes depois, podemos ver Olga se aproximando do local. Ela entra no local silenciosamente. Jurandir está de baixo de um carro, consertando-o.

OLGA: Jurandiiirrr…

Jurandir se assusta e logo tenta levantar, mas bate a cabeça no carro. Ele sai de baixo do veículo e vai até Olga.

JURANDIR: Ai!

OLGA: Ai, tadinho dele, gente.

Olga coloca a mão na cabeça de Jurandir, que se afasta.

JURANDIR: O que você quer aqui, Olga? Não sabia que você tinha carro?

Olga se aproxima novamente.

OLGA: Vim conversar com você, gatão.

Olga apalpa as nádegas de Jurandir, que arregalar os olhos.

JURANDIR: Opa! Quê isso, aí?

OLGA: Não precisa esconder… Eu sei que você me ama. Vem meu amor, vamos fazer gostosinho. Me faça sentir mulher.

Olga pega Jurandir pela gola do macacão e o arrasta para o interior da oficina, mas ele hesita. 

JURANDIR: Mas que palhaçada é essa, dona Olga?

OLGA: Dona Olga?

JURANDIR: Acho que a senhora errou de lugar. Vai pra um motel…

OLGA: Isso é um convite?

JURANDIR: Acho que você não entendeu… Eu não quero nada com você, sua velha! Agora sai daqui e me deixa trabalhar.

Corte rápido. Jurandir leva Olga para fora da oficina.

JURANDIR: E nunca mais me procure!

OLGA: Você vai ver! Eu vou acabar com a sua imagem. Você vai se arrepender! Ninguém me nega assim.

Olga sai irada com a atitude de seu amado.

OLGA: Ele não vai me tratar assim!

Olga avista uma mulher do outro lado da rua. Ela vai até lá.

OLGA: Oi, Dona Marília. Tudo bem, querida? Você sabia que o Jurandir tem gonorreia? É e uma menina me disse que o trem dele é pequeninho… Menor que um dedo. Ela falou também que não sobe nem a troco de reza. Ele não toma banho há dias… Eu fui lá na oficina conversar com ele e o sem educação soltou um pum bem fedorento. Os mosquitos tavam tudo em volta dele… Não conta pra ninguém, tá?

Olga dispara um sorriso.

CENA 04: CASA DE ANTÔNIO/SALA/INT./TARDE

A câmera mostra o terreno da casa de Antônio. Regina entra em casa toda contente. Suzana está sentada no sofá lendo uma revista.

LUCRÉCIA: Que felicidade toda é essa? Ganhou na loteria por acaso?

REGINA: Não, Lucrécia. Estou apenas feliz por mais um dia de vida. Não sou amargurada com você…

Suzana dá um sorrido falso.

REGINA: Cadê todo mundo?

LUCRÉCIA: Meu pai tá no trabalho. O seu filhinho tá na praça e a songamonga da Paula tá sei lá onde.  Tomara que nem volte. 

REGINA: Inveja é pecado, sabia?

LUCRÉCIA: Eu, com inveja de você? Se poupe, né…

REGINA: Você e sua irmã sempre odiaram a mim e meus filhos. É por que o seu pai criou a minha filha e teve o Jorge comigo e tirou a atenção de vocês?

LUCRÉCIA: Cala a boca, sua idiota. Vocês três são uns malditos. Deviam morrer! Meu pai já não me dava atenção, aí vocês chegaram e ele ficou só com seus filhos. Aquela bastarda recebeu mais carinho do que eu!

REGINA: Você fala assim, pois nunca soube o que é ser mãe.

Lucrécia fica um pouco perturbada com o que acaba de ouvir.

LUCRÉCIA: Você não sabe de nada.

Furiosa, Lucrécia se levanta e vai para o seu quarto.

REGINA (consigo): Pode ficar tranquila… Nós iremos sair desse ninho de cobras mais rápido do que você pensa. A nossa vida vai dar certo em breve.

Regina se senta e começa a ler alguns papeis que trazia com si. Instantes depois, ela se levanta.

REGINA: Pelo menos meu negócio tem que dar certo nessa minha vida. Se eu soubesse o que me aguardava quando eu cheguei aqui, jamais teria vindo.

CENA 05: CASA DE RODOLFO/QUARTO /INT./TARDE

Rodolfo está na sala lendo um jornal na sala. Suzana o observa de longe e decide se aproximar.

RODOLFO (surpreso): Suzana? O que você tá fazendo aqui? E essa cara?

SUZANA: Aí, meu irmão. Eu tenho uma coisa horrível pra te contar. Não sei se eu devo falar. Perdão, eu vou embora…

RODOLFO: Fala logo!

SUZANA: Eu sempre estive certa. Agorinha mesmo eu ouvi a tua esposa mais seu filho conversando sobre sair daqui. A Luciana quer se separar de você. E pior, ela tem um amante!

RODOLFO (surpreso): Como assim? Não pode ser…

SUZANA: Mas é a pura verdade, meu irmão. O Tiago até apoia a relação dos dois. Você tá sendo feito de corno e todo mundo tá vendo. Isso não pode ficar assim, você tem que expulsar essa vagabunda.

RODOLFO (enfurecido): Já vou fazer, Suzana. Os dois vão se arrepender! Vou limpar minha honra agora.

SUZANA: Isso mesmo. Eles têm que pagar.

Satisfeita, Suzana se retira. Rodolfo se levanta e caminha rumo ao quarto de Tiago com um olhar de fúria.

SUZANA: Desculpa, irmãozinho, mas terei que me livrar de você e de sua família. Quero o dinheiro que a mamãe vai roubar do pai só pra mim.

[FLASHBACK] CENA 06: CASA DE ANTÔNIO/SALA/INT./TARDE – 1993

  1. Antônio chega em casa acompanhado de Regina.

ANTÔNIO: Essa é a minha humilde casa. O seu novo lar! Fique a vontade.

REGINA: Muito obrigada por me ajudar, Antônio. Espero um dia poder retribuir tudo que está fazendo por mim.

ANTÔNIO: Espero que um dia nós possamos nos amar verdadeiramente e sermos felizes.

Os dois se olham e sorriem.

Lucrécia entra em cena junto com Sônia.

ANTÔNIO: Sônia, o que você tá fazendo aqui?

SÔNIA: Vim trazer nossa filha. Ela tava numa delegacia, sabia?

REGINA: Filha? Antônio, você não me disse que tinha filha.

SÔNIA: E quem é essazinha?

ANTÔNIO: Regina, minha noiva.

A expressão de ódio de Sônia é perceptível. Ela e Regina se encaram.

CENA 07: CASA DE RODOLFO/QUARTO DE TIAGO/INT./TARDE

Luciana e Tiago estão no quarto arrumando suas roupas e seus objetos pessoais.

LUCIANA: Seu pai vai ficar furioso…

TIAGO: Não se preocupa com ele, mãe. Você não é obrigada a viver com uma pessoa tão ruim. Merecemos ser felizes.

LUCIANA: Sim, meu filho. Merecemos!

Eles continuam organizando as malas. De repente, Rodolfo entra furioso no quarto.

TIAGO: Pai?

RODOLFO: Desfaçam essas malas. Ninguém vai embora daqui!

TIAGO: NÃO! A gente vai embora daqui.

Rodolfo encara Tiago e Luciana.

LUCIANA: Eu vou me separar de você, Rodolfo. Eu não aguento mais!

RODOLFO: Eu não vou deixar você ir embora pra ficar com seu amante!

Rodolfo segura Luciana pelo braço.

LUCIANA: Que amante? Me larga!

Tiago se põe a frente do pai e o enfrenta.

TIAGO: Larga minha mãe agora!

Rodolfo joga Luciana na cama com força.

RODOLFO: E quem você pensa que é para me dar ordens seu viado?

Rodolfo dá um soco em Tiago, que cai no chão. Em seguida, ele retira seu cinto.

RODOLFO: Os dois tão precisando de uma lição. Hoje vocês terão a surra que merecem.

Rodolfo dá um correiada em Luciana. A câmera mostra apenas as sobras de Rodolfo batendo na esposa e no filho. Algum tempo depois, ele para.

RODOLFO: Isso é pra vocês aprenderem que eu mando aqui.

Rodolfo sai do quarto. Tiago e Luciana se abraçam chorando.

CENA 08: RUAS/EXT./NOITE

A câmera percorre a cidade de Itaúna. São mostradas imagens de alguns pontos turísticos da cidade. O grande movimento da cidade e o sol nascendo e se pondo evidencia a passagem de alguns dias. Antônio janta com Regina, Jorge e Paula, enquanto Lucrécia observa tudo com raiva. Suzana e Sônia planejam tirar o dinheiro de Antônio. Olga continua fazendo fofocas no bairro. Jorge é esnobado na escola e não recebe a atenção de Maria. Amanhece em Itaúna.

CENA 09: CASA DE ANTÔNIO/FACHADA/EXT./MANHÃ

Regina abre o portão da garagem do carro. Ela retira o veículo do local e o estaciona na rua. Regina chama pelo filho Jorge.

REGINA: Jorge, meu filho, venha logo. Se não vai chegar atrasado na escola.

Jorge entra em cena desanimado.

REGINA: O que houve, meu filho?

JORGE: Posso faltar hoje, mãe?

REGINA: Por que isso agora, meu querido? Você sempre adorou ir pra escola. Me espera no carro, vai.

Jorge obedece à mãe e entra no carro. Regina entra na casa para fechar o portão. Ela se prepara para fechá-lo. A câmera mostra uma sombra se aproximando. Uma pessoa misteriosa chega perto do carro, mas Regina e Jorge não percebem. Essa pessoa fecha o portão pequeno da casa, que estava aberto. O foco vai para o carro, onde estão as chaves. No veículo, Jorge está ouvindo música. Regina tenta abrir o portão e percebe que está trancado. Então, ela grita pelo filho, que não escuta. A pessoa misteriosa abre a porta do carro. Ela está com uma seringa na mão e aponta para Jorge.

Continua…

Anúncios

17 thoughts on “A Flor do Sertão – Capítulo 23 (últimos capítulos)

  1. Mas afinal quem é essa pessoa?
    Parabéns Ari, não dê atenção pros haters.
    Essa sua trama é envolvente.
    Personagens fortes e atraentes.
    Primeira fase excelente e a segunda esta muito interessantes, são duas fases muito diferentes, mas você conseguiu criar tramas que não tiveram barriga.
    Parabéns, gosto muito de sua web.
    Não é lixo como disseram. Teve erros de escritas, mas quem sabe escrever tudo certo, com conjugações e tudo mais que a língua portuguesa formal recomenda.
    Ninguém né.
    Você escreve A Flor Do Sertão com muita dedicação e na tentativa de não errar.
    Essa web é um fenômeno de audiência.
    Parabéns!
    Capítulo de hoje tava bom. Olga é atirada né.

    Curtir

  2. Sônia quase foi pega nesse assassinato, por pouco as coisas não ficaram complicados pro seu lado. Pode ser o primeiro assassinatos de muitos outros que esta por vir, será? 😮 Olga não esta pra brincadeiras não e já mostrou o seu lado “vilã” também. Morri com as ofensas e mentiras contra Jurandir, coitado Kkk Lucrécia não deixa camuflado a sua raiva que sente por Regina. 😠 Ela ainda tem audácia de falar dos filhos dela em sua frente, sofro. Eu fico muito surpreso com tantas cobras nessa nova fase. É cada um querendo derrubar o outro que… Suzana é uma safada! Vive de mentiras pra conseguir o que deseja. Luciana e Thiago sofreram bastante nas mãos de Rodolfo. Nem quero imaginar o que esse infeliz é capaz de fazer daqui pra frente com esses dois. :/ Socorro! 😮 O primeiro atentado da pessoa misteriosa foi atacar o filho de Regina. E agora? Quem será esse ser? 😮 Parabéns, Ari! Ótimo capítulo e bastante movimentado. 😀

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s