Alvos da Sociedade – Capítulo 08

Divulgação

Existem outras maneiras de perdoar, esquecer, e superar,

Matar não é nenhuma dessas maneiras.

 

CENA 1 (Noite)

Adryan estava no seu carro, ele parou em frente ao apartamento de Aslan e liga para ele.

Adryan(Cel): Desce que eu quero falar contigo.

Aslan(Cel): Tudo bem…

A ligação termina e Aslan desce rapidamente até chegar no carro de Adryan. Ele entra e os dois se encaram.

Adryan: Agora você vai me ouvir.

Aslan: Adryan você deve ter entendido errado…

Adryan estava furioso e interrompe Aslan com gritos.

Adryan: Você e a Janele mentiram pra mim!

Aslan: Adryan tente entender…

Adryan tenta ser forte, mas uma lágrima acaba caindo de seus olhos. A imagem dos cadáveres voltam em sua mente. Nesse momento ele estava penetrando um corpo gélido, ele suava e se esforçava. Num piscar de olhos ele estava de volta para aquele carro, em sua frente Aslan estava o encarando seriamente.

Adryan: Você é filho do Geórdio, não é?

Antes mesmo que Aslan consiga responder, Adryan lhe acerta um tapa na cara.

Adryan: Aquele dia no estacionamento você armou pra mim, não é?

Aslan: Do que você está falando?

Adryan: Confessa que você e o seu pai planejaram desde o início. – Adryan coloca as mãos sobre a cabeça. – Ai meu Deus, e se a Janele planejou isso com vocês?

Aslan: Adryan eu não sei sobre o que você está falando.

Adryan: Você e seu pai destruíram a minha vida. – Ele grita enquanto chora. – Está satisfeito agora? Vocês me mataram!

Aslan: Adryan eu…

Adryan o interrompe pegando uma faca que estava no porta luvas e pressionando-a contra o pescoço de Aslan.

Adryan: Eu vou te matar! – Ele tremia e chorava, Aslan via o ódio e a morte nos olhos de Adryan. – Eu vou acabar com sua vida! Seu desgraçado!

Adryan estava determinado a se tornar um assassino, mas antes que pudesse cortar o pescoço de Aslan, ele reage e consegue desviar do golpe que acaba cortando seu braço. Aslan abre a porta do carro com o medo da morte eminente, e Adryan desce logo em seguida com a faca em mãos.

Adryan: Não corre! – Ele gritou.

Aslan o encara assustado, agora os dois choravam.

Aslan: O que você quer de mim? Eu não estou entendendo, eu e Janele apenas omitimos que somos irmãos, nunca pensei que você fosse agir assim.

Adryan: Como você pode ser tão frio?

Nesse momento um carro para logo atrás do carro de Adryan, e Janele desce desesperada. Ela vinha com sua mãe, elas estavam se mudando, e ao ver a cena ela desce para interferir.

Janele: Adryan! – Ela grita e se assusta ao vê-lo segurando uma faca e seu irmão todo sujo de sangue.

Ela fica trêmula rapidamente, seu coração acelera de uma maneira que não conseguia controlar e suas pernas falhavam em mantê-la em pé, mas persistiu. Sua expressão agora era de extremo pavor.

Janele: Adryan não faça isso…

Ele começa a chorar, ele a encara, sentia raiva, nojo… Vergonha.

Adryan: Por que? Por que fizeram isso comigo? – Ele chorava desesperadamente, seu mundo havia acabado. Ele lembrava dos cadáveres, lembrava de penetra-los dolorosamente várias e várias vezes, sentia a dor e a humilhação repetir-se em sua cabeça e ele olhava para Janele e para Aslan e via neles a culpa, afinal ele acreditava que eles haviam planejado tudo aquilo, ele acreditava que Janele armou junto com Aslan e Geórdio.

Eram 3. Eram os 3 que haviam destruído Adryan por completo.

Janele: Adryan, entenda, se você está tão furioso por eu e o Aslan ter omitido sobre nosso grau de parentesco eu peço mil desculpas, mas por favor, abaixe essa faca.

Adryan joga a faca no chão em lágrimas, Luciana desce do carro e corre ajudar Aslan enquanto Adryan entra em seu carro.

Janele: Adryan, por favor…

Adryan: Eu te odeio Janele, você, o Aslan e seu pai destruíram minha vida!

Janele: Meu pai? O que isso tem a ver com meu parentesco com o Aslan?

Adryan: Pergunte a ele.

Adryan liga o carro e abandona aquele local. Janele sentia-se tão fragilizada e machucada por tudo o que havia acontecido, ela vai até Aslan, que chorava.

Luciana: Meu filho, você está bem?

Aslan apenas chorava e nada respondia, Janele ainda estava desconfiada com o que Adryan havia dito, talvez Geórdio tivesse feito alguma coisa.

Os três se dirigem para o condomínio e não falam mais sobre o assunto, mas Janele estava visivelmente intrigada com os acontecimentos, e estava disposta a descobrir o que realmente havia acontecido.

 

CENA 2 (Noite)

Mariana estava pronta para subir ao palco quando um homem entra na sala onde ela estava decorando o texto para a abertura da palestra.

Perez: Você precisa vim comigo!

Mariana se assusta e se levanta rapidamente.

Mariana: Quem é você e o que está fazendo aqui?

Perez mostra sua identificação, mesmo sendo falsa, foi o suficiente para que Mariana acreditasse nele.

Perez: Precisamos sair daqui, você está correndo perigo.

Mariana acaba estranhando, ela tenta contrapor, mas se viu agarrada pelo braço e conduzida até a parte de fora do prédio, ela tenta se soltar de Perez, mas um policial o ajuda levando Mariana a força para dentro de uma viatura.

 

CENA 3 (Noite)

Já no apartamento, Janele ajuda Aslan e Luciana a guardar as malas, em seguida ela corre fazer um curativo no braço de Aslan.

Luciana: Mas o que foi que aconteceu?

Aslan: Eu não sei. – Ele chorava, seu coração ainda estava disparado, e sentia pena de Adryan pelo estado em que ele encontrava-se naquele momento.

Luciana: O que vocês fizeram?

Janele: Nada.

Janele termina o curativo, em seguida vai guardar suas bagagens em seu antigo quarto, ela sabia que havia acontecido alguma coisa, mas não queria contar para ninguém, ela desconfiava que Geórdio tivesse feito alguma coisa, então Aslan entra no quarto e a flagra chorando.

Aslan: Janele… – Ele se aproxima, sem saber ao certo o que dizer a ela.

Janele: Não vamos contar nada ao nosso pai do que aconteceu aqui, está bem?

Aslan apenas concorda. Parte das lágrimas de Janele era ver a destruição ao seu redor, primeiro sua mãe, depois o surto com Adryan e agora tendo que voltar a morar com seu pai, tudo estava a sufocando, e ela acaba buscando abrigo em um abraço de seu irmão.

 

CENA 4 (Noite)

Luciana estava na sala olhando alguns retratos quando Geórdio entra e ao vê-la ele abre um sorriso.

Geórdio: Meu amor.

Ele caminha até ela e abraça no impulso acaba por beija-la vorazmente. Luciana tenta se esquivar, mas não consegue, após o beijo ela o encara com ódio.

Luciana: Nunca mais faça isso.

Geórdio: Eu faço o que eu bem entender. – Ele levanta a mão para bater no rosto de sua esposa, mas é surpreendido por Janele e Aslan que voltavam do quarto para a sala.

Janele: Que bonito, papaizinho. – Ela o encara com desprezo.

Geórdio abaixa a mão rapidamente.

Geórdio: Minha filha. – Ele vai até Janele para abraça-la, mas ela se esquiva.

Janele: Não toque em mim! – Ela lança um olhar de raiva para ele, e em seguida ela vai para o lado de sua mãe. – Eu ainda não entendi o motivo pelo qual minha mãe resolveu voltar a morar com você. – Ela toca o ombro de Luciana. – Mas eu vou ficar ao lado dela e vou apoia-la em suas decisões, mesmo sabendo que isso é muito errado.

Luciana fica abatida, ela estava se sujeitando aquilo por seus filhos, ela tinha medo do que Geórdio poderia fazer para Janele e Aslan depois de sua morte.

Geórdio: Bom, isso não importa, o importante é que somos uma família completa agora. – Ele abre um sorriso enquanto é encarado com revolta por todos na sala.

 

CENA 5 (Amanhecer)

Logo ao amanhecer, Alice foi guiada aos gritos por dois homens de branco, ela gritava e se debatia, ao longe ela via o corpo de sua mãe sendo retirado. Não foi preciso de investigação para constatar que Adime havia se matado.

Poucas horas depois o corpo foi liberado para que fosse realizado o enterro. Alice estava no chão, ainda chorava desesperada.

Alice: Mãe…

Era como se ela ouvisse sua mãe pedindo perdão.

Alice havia a perdoado de todas as maneiras, mas jamais conseguiria perdoar o assassino que acabou com sua família. O assassino que matou Lucas e que acabou por incentivar indiretamente no suicídio de Adime.

 

CENA 6 (Manhã)

Titânia chega em sua clínica, porém não encontra Alice.

Titânia: Aquela incompetente está atrasada. – Ela esbraveja quando uma mulher adentra acompanhada de dois policiais.

Titânia: O que fazem aqui? Vocês tem hora marcada?

Patifa solta um sorriso malicioso, e responde logo em seguida.

Patifa: Você está presa, Titânia.

Titânia: O que? Do que vocês estão me acusando?

Os policiais se aproximam de Titânia e a algemam.

Titânia: Vocês não podem me prender sem provas! – Ela gritava desesperada.

Patifa: Provas como essa? – Ela mostra a lista das vítimas.

Titânia: O que é isso?

Patifa: A lista dos seus pacientes, e pessoas que frequentam ou frequentaram sua clínica.

Titânia: Mas isso não significa nada!

Patifa: Isso é o que veremos. – Ela faz um gesto para os policiais. – Podem levar.

Titânia é levada a força até a viatura enquanto gritava descontroladamente. Em seguida Perez aparece.

Perez: Isso é crime.

Patifa: Ela não precisa saber que não temos provas e nem mandato de prisão, essa rata vai nos levar ao verdadeiro culpado, e antes mesmo dela pensar em nos processar ela já vai estar bem ferrada. – Ela o encara. – Você conseguiu encontrar Mariana?

Perez: Sim, ela está detida na delegacia. – Ele suspira. – Mas não podemos deixa-la lá por muito tempo, afinal nem temos provas concretas, e não sabemos se ela realmente é a próxima da lista.

Patifa: Não é preciso se preocupar, eu tenho um plano.

Patifa entra em seu carro e Perez a segue.

 

 

CENA 7 (Manhã)

Duke acabava de acordar. Ele estava tão arrasado com tudo o que havia acontecido quando ele escuta uma batida na porta. Ele estava triste, e sem vontade alguma em levantar e abrir, porém as batidas continuam.

Duke: Já vou. – Ele grita.

Os passos lentos de Duke o levam até a porta, e ao abri-la ele se depara com Aslan.

Duke: O que você está fazendo aqui?

Aslan estava chorando, e tomado pelo impulso de seus desejos ele abraça Duke e chora.

Aslan: Apenas me abrace. – Aslan sentia tanta saudade de Duke, e queria que alguém o consolasse naquele momento. – Eu fui um idiota.

E ele continuava sendo.

Tomado pelo desejo mais impuro e sujo os dois homens se beijaram ali mesmo. Os dois estavam de luto em seus corações, a morte de Laize ainda era recente e Luciana morria a cada dia, mas a morte era pequena perto do fogo no rabo daqueles dois seres vulgares. Mesmo Aslan tentando ser um homem de verdade, ele não conseguia controlar o enorme desejo em penetrar Duke, ou Adryan. Seu desejo não era baseado em amor, era apenas atração.

Os dois tiraram suas roupas e nus os dois jogaram-se sobre o sofá, Aslan colocou Duke “de quatro” e o penetrou com violência o que fez soltar um gemido de dor.

Os corpos suados pararam repentinamente, Duke chorava e Aslan o encarava com frieza.

Duke: Você nunca gostou de mim, não é mesmo?

Aslan falhou em responder.

Duke: Eu sou apenas um instrumento de sexo pra você, alguém que sacia suas vontades, mas você não gosta da maneira como eu sou, você não gosta de mim. – Suas lágrimas também machucavam Aslan. – Você odeia a si mesmo também.

Aquelas palavras atingiram de cheio todo o nojo que Aslan sentia por viver aquilo, ele não queria ser daquela forma desprezível, ele queria ser uma pessoa normal.

Aslan: Desculpe. – Ele levanta rapidamente vestindo a roupa e saindo logo em seguida.

Foi como se aquilo nunca tivesse existido, porém Duke olha para o chão e percebe que Aslan havia esquecido o celular.

 

CENA 8 (Manhã)

Cassie terminava de arrumar as malas, Adryan ainda dormia e ela resolveu não acorda-lo. Cassie desce as escadas da mansão e vai para a sala, quando Marcele, sua empregada, lhe avisa.

Marcele: Cassie, ligaram acho que do aeroporto. – Ela entrega a agenda para Cassie.

Cassie: Então o voo será hoje as oito da noite. – Conclui ela ao ver o que Marcele havia escrito na agenda. – Obrigada. – Ela agradece dando um abraço na empregada.

Cassie estava tão desesperada que começa a chorar no ombro de Marcele.

Cassie: Ai meu Deus, eu não sei o que fazer.

Marcele: Mas me conte o que houve? Até agora a senhora e o senhor Adryan não disseram o que aconteceu. – Ela acaricia os cabelos da patroa.

Cassie: Não é algo que possa ser falado no momento, desculpe.

Marcele: Não tem problema.

Cassie: Marcele, você vem com a gente para os Estados Unidos.

Marcele: O que? – Ela se afasta repentinamente.

Cassie: Por favor, eu preciso de você, e será apenas por uma semana até nos estabelecermos lá, depois daremos um jeito.

Marcele: Mas eu nem tenho roupa nem nada.

Cassie: Isso é o de menos, eu comprarei tudo para você, agora por favor, aceite meu pedido, sozinha eu não vou conseguir.

Marcele compreende e faz um sinal positivo com a cabeça.

 

CENA 9 (Manhã)

Janele acorda aflita. Agora que as coisas haviam se passado ela precisava falar com Adryan, e num salto ela levanta da cama.

A primeira coisa que ela fez foi ir até o quarto de sua mãe, que ainda estava dormindo, então ela sai sem se despedir.

Na sala ela encontra-se com a empregada Josy que estava tirando pó dos móveis.

Janele: Josy, por favor, eu preciso sair e você cuide da minha mãe, se qualquer coisa acontecer me ligue imediatamente.

Josy: Sim senhora.

Janele sai apressadamente enquanto Josy continua com seu trabalho.

 

CENA 10 (Manhã)

Patifa e Perez voltam ligeiramente para a delegacia para poder falar com Mariana, mas ao chegarem lá se surpreendem ao não encontrarem ninguém.

Patifa: Aonde está Mariana?

Delegado: Eu tive que solta-la.

O delegado era amigo íntimo de Patifa e concordou em colaborar com o plano e prender Titânia sem provas e deter Mariana para seu próprio bem.

Patifa: Mas eu falei para manter ela detida até eu chegar.

Delegado: Eu não tinha provas e nem nada para mantê-la aqui e ela já estava ligando para um advogado, eu tive que deixa-la sair.

Patifa: Mas é muita irresponsabilidade mesmo.

Delegado: Eu coloquei dois dos meus policiais atrás dela, eu vou ligar para eles e ver onde ela está.

Patifa suspira um pouco mais calma, depois de algumas ligações o delegado entrega o número e também o endereço de onde Mariana tinha ido.

Patifa: Obrigada. – Ela e Perez saem apressadamente para encontrarem Mariana.

 

CENA 11 (Manhã)

Meia hora se passou, e Janele chegou até a casa de Adryan. Ela toca a campainha e depois de alguns segundos Marcele abre.

Marcele: Bom dia. – Ela cumprimenta.

Janele: Bom dia. – Ela já vai invadindo. – Eu preciso falar com o Adryan.

Marcele: Desculpe, mas acho que esse não é um bom momento.

Foi em vão, afinal Janele consegue invadir sem que Marcele possa impedi-la, nesse momento Cassie está descendo as escarradas carregando algumas malas e ao ver Janele ela se indigna.

Cassie: O que você está fazendo aqui?

Janele a olha assustada, Cassie nunca a tinha tratado daquela forma.

Janele: Eu preciso falar com o Adryan.

Cassie: Você quer humilha-lo mais do que já humilhou? – Ela olha para Marcele. – Por favor, nos dê licença. – Marcele sai rapidamente sem dizer nada.

Janele: Eu juro, eu não sei o que está acontecendo.

Cassie: O seu pai acabou com a vida do meu filho, e ontem o Adryan me contou que você sabe de tudo! – Ela esbraveja com raiva e com passos acelerados se aproxima de Janele. – Meu filho disse que você, o Aslan e o Geórdio planejaram contra ele! – Ela acerta Janele com um forte tapa.

Janele começa a chorar, ela ainda não conseguia entender, ela pensava que tudo aquilo fosse pela mentira que ela contou a Adryan, mas ela percebia que a coisa era bem mais séria.

Janele: Por favor, Cassie não seja injusta comigo, eu mereço saber!

Cassie tremia, ela se acalmava aos poucos e chorava também. Ela via nos olhos de Janele que a moça não sabia de nada, e sentia-se culpada pelas acusações.

Cassie: Seu pai… – Ela cai no chão e começa a chorar compulsivamente. – O Geórdio forçou meu filho a fazer sexo com um cadáver!

Janele estava em choque, ela nunca pensou que aquele fosse o motivo de tanta raiva em Adryan.

Cassie não conseguiu dizer mais nada e teve que ser amparada por Janele que permaneceu a seu lado lhe dando apoio.

 

CENA 12 (Manhã)

Patifa e Perez dirigem o carro em alta velocidade até chegar ao endereço onde Mariana estava, aparentemente era um escritório de advocacia, e Patifa estaciona o carro e percebe que Mariana entra no estabelecimento.

Perez: O que vamos fazer?

Patifa: Vamos esperar ela sair e vamos conversar com ela.

Perez: Acho que ela está procurando ajuda de um advogado, talvez ela nos processe.

Patifa: Não me importo com isso.

Os dois permanecem parados até que finalmente Mariana sai do escritório, em seguida Patifa desce do carro, porém Mariana a vê de longe e sai correndo pensando que Patifa e Perez estão a perseguindo.

Patifa corre atrás enquanto esbarra em algumas pessoas, em seguida Mariana atravessa a rua correndo e é surpreendida por um carro que vinha em alta velocidade e acaba a atropelando.

O corpo de Mariana é jogado na calçada tendo várias fraturas expostas e o pescoço quebrado.

Mariana estava morta e Patifa e Perez observam chocados a cena.

Foi um acidente horrível, o homem dentro do carro que atropelou Mariana ainda estava em choque, ele não conseguia parar de tremer e começa a chorar. Perez vai até o carro e percebe que o motorista também tinha sido surpreendido por Mariana que corria feito uma louca no meio da rua.

Ele abre a porta para retirar o individuo do veículo que permanecia em choque.

Perez: Desce do carro, rapaz!

O olhar de Aslan padece…

Aslan: Eu matei ela? – Ele se horroriza. – Eu matei uma pessoa! – Ele gritava desesperado, gritava como se ele estivesse morrendo…

 

 

CONTINUA…

Anúncios

50 thoughts on “Alvos da Sociedade – Capítulo 08

  1. Adryan ta pirado mesmo!

    Titânia è presa,injustamente,Patifa faz de tudo para resolver os casos!

    Aslan e companhia voltam para casa de Geórdio,e ja tem um pequeno embate!

    Cassie bate na Janela,Janela descobre a atrocidade cometida por aquele vèlho sem escrupulos!

    Suspeito que esse Delegado ajude o Assa!

    Mariana è atropelada,atropelada pelo Aslan!,Que fim foi esse?

    Não da pra confiar e, ninguem no mundo de “Alvos da Kelly” mesmo!,todos são suspeitos atè mesmo os que pela sociedade são considerados do bem!

    Parabèns pelo cap Hivan!,E claramente no aguardo do próximo capítulo! 🙂

    Curtir

    • É meio que “indiretamente” essa forma de interligar os núcleos, é como se a trama se moldasse sozinha 😛 Mas gostei da forma como os núcleos se conectam e desconectam, em PDD a vilã e a mocinha tiveram (acredito que) apenas 2 cenas juntas, já em ADS os núcleos ficam a todo momento trocando de lugar, as vezes um núcleo passa a ser mais destacado que outro e assim por diante, e espero que esteja se agradando desse aspecto tbm.
      Muito obrigado 😀

      Curtir

  2. Adryan também devia parar pra pensar né, tá condenando Aslan e Janele sem ter prova, mesmo que ele esteja perturbado e que sua teoria tenha sentindo, ele não tem esse direito. Essa cena da morte da Mariana me lembrou muito a morte de Liana em Pornografia Dissoluta, mesmo que a ação da cena e o atropelamento tenham sido diferentes, automaticamente me lembrei da marcante morte de Liana. Aslan agora está em choque, e esse atropelamento deve levar a polícia até Geórdio (assim espero, esse homem precisa ser freado).

    Parabéns Hivan. 😀

    Curtir

    • Adryan não agiu bem dessa vez, ele não mediu as consequências de suas atitudes, e Janele pagou o preço por isso, principalmente, afinal ela é a melhor amiga dele.
      GENTEEEEEEEEEE ❤ Eu to sem palavras, a morte da Liana foi um marco pra mim, em PD a morte e as circunstâncias dela foram totalmente diferentes, mas posso falar uma coisa? Quando eu estava pensando na morte da Mariana (sim foi algo planejado desde o início), eu me inspirei na morte da Liana, e eu nunca pensei que alguém fosse sentir, ou perceber, eu fiquei muito feliz de você ter citado, afinal as cenas, apesar de serem diferentes, foram uma inspirada na outra ❤ (foi como na morte da Belanice que eu me inspirei na morte de Lavinia, e poucos perceberam também). Enfim, muito obrigado ❤

      Curtido por 1 pessoa

  3. Capítulo 4

    Admie é mãe de Lucas 😮 Adryan se revelou gay para Cassie… O que será esses desmaios de Luciana? 😮 A última cena foi simplesmente chocante! Jamais poderia imaginar, estou realmente abismado. Geordio obrigou Adryan a transar com cadáver de Lucas 😮 Todos da web parece conhecer Lucas…

    Capítulo 5
    Chocado com Perez ajudando Alice. Alice parece saber de muitas coisas… Laize vai recorrer as SUS pra o procedimento de cirurgia. Morto que é pelo SUS 😛 É realmente pavoroso o que Geordio obriga Adryan fazer, é agoniante a dor dele 😮 Geordio matou Nelson, gente, Geordio está se revelando a verdadeira escuridão 😮

    Capítulo 6
    Geordio é um louco, coitada da Luciana, foi bastante humilhada por esse monstro! 😢 Adryan descobriu que Aslan e Janele são irmãos. É muito tocante e chocante o desespero de Adryan 😮 😢 Laize é assassinada, não me resta mais palavras 😮 Eu agora estou apostando em Aslan como o assassino, mas será? 😢

    Capítulo 7
    Chocado que os assassinatos acontecem de acordo com a lista de pacientes da Titânia. Sera que é ela a assassina? Tenho mais duas apostas: ela e Geordio. Cassie e Adryan vão sair do Brasil. Adryan e Aslan discutem e Adryan está prestes a matar Aslan. Confesso que preferia Adryan e Aslan à Aslan e Duke. Admie se matou! Muitos acontecimentos chocantes 😮

    Capítulo 8
    Adryan não conseguiu matar Aslan. Aslan procurou Duke, mas após o sexo, foi rejeitado. Não gosto de Duke e Aslan. Janele procura Cassie que explica a situação a ela que se choca. Patifa e Perez prende Titânia. Aslan atropelada Mariana 😮 Todos esses acontecimentos nos levará ao verdadeiro assassino, quem será? 😮 Agora fico apenas com esses suspeitos: Geordio, Titânia, Alice, Perez e Cassie.

    Eu disse que iria me atualizar e aqui estou. A web terá apenas 12 capítulos mesmo? Parabéns, Hivan 😀

    Curtir

    • Capítulo 4
      O que Geórdio forçou Adryan a fazer é desumano, e cruel. Todos parecem conhecer Lucas, porque existe uma grande possibilidade dele ser o fio condutor para unir a todos de uma maneira mórbida, mas serve.

      Capítulo 5
      Geórdio não para, ele é um homem frio e não mede as consequências de seus atos, mesmo a narrativa defendendo ele não engane-se ok.

      Capítulo 6
      Luciana foi e continuará sendo humilhada por Geórdio. Ninguém conseguiu aceitar bem a morte de Laize e só depois do fato eu percebi o quanto a personagem tinha crescido dentro da trama, e confesso ter ficado feliz com todo essa carinho, mesmo depois da morte, ela conseguiu mostrar sua personalidade e seu caráter acima de tudo.

      Capítulo 7
      A lista de Titânia está diretamente envolvida com os assassinatos, será que ela própria tem algo a ver com os crimes? Nossa, fiquei muito surpreso que você torce para Aslan e Adryan, na verdade já criaram tantos casais, espero que uma dessas combinações dê certo ❤

      Capítulo 8
      Adryan não consegue matar Aslan (ainda bem) as coisas ficariam dificeis para ele caso ele conseguisse, eu estou surpreso que Cassie está entre uma de suas suspeitas, até agora ninguém apontou pra ela, será mesmo?

      Muito obrigado, fico muito feliz que tenha se atualizado ❤

      Curtido por 1 pessoa

  4. Tantas atrocidades tensas no capítulo de hoje que estou muito surpreso. Aslan após se safar do ataque de Adryan, fez amor com Duck num maior sem clima e atropelou e matou Mariana. Atrás das grades vamos ver se esse infeliz vai ter o que merece, caso ele vá pra lá. Janele vai ter que “rebolar” e provar a Adryan que ela não tem nenhuma ligação nessa história do Górdio. Vamos ver se ela consegue. Parabéns, Hivan! 😀 Ótimo capítulo.

    Curtir

    • Aslan é a perfeita “carinha” do filho mimado que tem tudo o que quer, do filho que comete os erros e ignoram, ninguém condena, mas agora que ele cometeu um crime talvez ele seja punido pela justiça, quem sabe… (Adorei a citação do sexo sem clima, a cena foi forçada exatamente para mostrar que o casal não combina mais e que bom que isso foi sentindo pelos leitores). Janele agora vai ter que dar a cara a tapa para mostrar para o Adryan que ela não estava por trás disso.
      Muito obrigado ❤

      Curtir

  5. Como esse Duke é um bobo, desisto de defender…Ainda aceita o lixo do Aslan de volta e ainda vai pra cama. Parece que ao serve pra ser fodido…

    Que pelo menos o Adryan se toque e n queira mais ele. Cassie conta tudo pra Janele, acho que talvez ela ajude Adryan. Sofrendo com a louca da Mariana. Chocado que foi o Aslan que atropelou ela. E voltamos a eataca zero, acho que não vai dar em nada a Titânia detida. Continua difícil desvendar esse mistério do assassino. Parabéns Hivan!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s