Alvos da Sociedade – Capítulo 09

Divulgação

Fugir não vai resolver

 

CENA 1 (Manhã)

Logo o local lotou de pessoas ao redor, em sua maioria eram curiosos que queriam ver o que tinha acontecido, a ambulância foi chamada para levar o corpo, e Aslan foi preso, ele chorava desesperado enquanto era conduzido por Patifa até a viatura.

Aslan: Por favor, eu não tive culpa, ela se jogou na frente do carro.

Patifa: Guarde seu arrependimento na delegacia, você estava andando acima do limite permitido.

Aslan permaneceu em choque enquanto era levado por alguns policiais para a delegacia.

Patifa e Perez permanecem no local do acidente.

Patifa: Eu não posso acreditar nessa coincidência.

Perez: Com a morte de Mariana, nós vamos ter que ver quem será o próximo da lista.

Patifa: Isso não me preocupa, agora não temos provas contra Titânia. – Ela suspira com raiva. – Vamos ter que liberar a safada.

Perez: Vamos logo antes que ela nos processe também.

Os dois embarcam no carro e se dirigem para a delegacia.

 

CENA 2 (Manhã)

Janele estava sentada no sofá de frente com Cassie que já tinha se acalmado um pouco. As duas conversaram por longos minutos e Janele ainda permanecia chocada com o que havia acontecido com Adryan, e mais perplexa com o que seu pai havia feito.

Cassie: Adryan desconfiou de você e de Aslan, afinal o Geórdio usou o vídeo dele com Aslan para chantageá-lo e as coisas acabaram dessa maneira.

Janele ainda estava chocada, e não conseguia conter as lágrimas, também não conseguia acreditar que seu pai havia sido tão cruel com Adryan.

Janele: Eu realmente não sabia disso, nem o Aslan. – Ela solta um suspiro de culpa. – Eu nunca faria isso com Adryan, nunca permitiria que nada de ruim acontecesse com ele.

Do alto da escada Adryan ouvia a tudo calado, ele chorava emocionado com a confissão da amiga e sentia-se mais aliviado por ela não ter nada a ver com aquele absurdo, porém Adryan volta para seu quarto sem que elas pudessem vê-lo. Ele estava envergonhado com tudo o que havia acontecido e a única coisa que ele queria naquele momento era sumir.

Na sala Janele e Cassie continuavam conversando.

Janele: Eu preciso falar com ele.

Cassie: Acho que não é uma boa ideia, por favor, respeite.

Janele, mesmo sentindo-se muito contrariada apenas aceita as condições de Cassie.

Cassie: Eu e Adryan estamos indo embora do país. – Ela pega um pedaço de papel e entrega a Janele. – Vá no aeroporto se despedir dele.

Janele: Eu irei.

Cassie se levanta.

Cassie: Agora, por favor, poderia se retirar? Eu tenho muita coisa para resolver e não tenho mais cabeça pra nada.

Janele se levanta em seguida e a abraça.

Janele: Conte comigo para tudo que precisar.

Janele sai e Cassie chora desolada.

 

CENA 3 (Meio-dia)

Aslan está na delegacia e tem direito a uma ligação, e ele rapidamente disca os números e do outro lado seu pai atende.

Aslan (tel.): Pai… – Ele começa a chorar.

Geórdio (tel.): Seja homem e engole esse choro, o que foi, a sua mãe já morreu?

Aslan (tel.): Não pai. – Ele engole as lágrimas e depois volta a falar. – Eu estou preso.

Geórdio (tel.): Como é que é?

Aslan (tel.): Eu atropelei uma mulher acidentalmente e fui preso. – Ele volta a chorar. – Pai, me tira daqui.

Geórdio (tel.): Palhaçada, só pode ser brincadeira mesmo, eu estou indo para aí, mas já vou avisando se você riscou o carro eu acabo com sua vida.

Geórdio desliga na cara de Aslan que permanece pálido.

 

CENA 4 (Meio-dia)

Patifa e Perez mandam uma mensagem para o delegado soltar Titânia e nesse momento Alice chega, ela estava arrasada com a morte de sua mãe, mas sua sede de justiça estava mais viva que nunca.

Alice: Cadê aquela assassina?

Perez encara Patifa.

Patifa: Eu mandei solta-la.

Alice: Isso não é possível, vocês soltaram uma criminosa.

Perez: Se acalme Alice.

Patifa: Nós não tínhamos nenhuma prova contra ela, não existiam motivos para mantê-la presa.

Alice: E agora? Vamos esperar sentados enquanto ela continua matando as pessoas por aí?

Patifa: Não. – Ela se levanta indo até a porta. – Sabemos que Titânia não trabalha sozinha, a primeira coisa que ela vai fazer depois que sair da delegacia é correr para os braços de seu cúmplice e quando isso acontecer nós teremos as provas que serão suficientes para coloca-la na cadeia.

Alice: E como vamos saber quando ela vai encontrar esse cúmplice?

Patifa: É nesse momento que usaremos nossa carta na manga. – Ela abre a porta revelando Duke. – Duke é um dos suspeitos de matar Laize, ele não podia negar um pedido como esse.

Duke entra na sala estranhando as pessoas que ali se encontram. Algumas horas antes, Perez tinha ido até sua casa e o intimado, afinal ele era suspeito de assassinato e não poderia recusar um chamado da própria polícia para a resolução daquela investigação.

Duke: O que eu vou fazer?

Patifa: Você vai seguir essa mulher. – Ela entrega a foto de Titânia. – Perez vai leva-lo até ela, você deve gravar tudo. – Ela entrega uma pequena câmera. – Sua missão é simples, basta apenas descobrir quem é o cúmplice dela e trazer o material para nós.

Duke, sem muita escolha acaba aceitando, logo em seguida ele e Perez saem.

Alice ainda encarava Patifa.

Patifa: Se quer dizer alguma coisa, diga logo.

Alice: Você colocou um suspeito no caso, isso está muito errado.

Patifa pega uma xícara de café e começa a toma-lo enquanto encara seriamente Alice.

Patifa: Estava muito em cima da hora, eu não encontrei ninguém que fizesse isso de graça. – Ela lança um olhar superior. – E aposto que você não tem dinheiro para contratar outra pessoa, sei que suas economias estão acabando, então torça para que esse caso se resolva o mais rápido possível.

Alice permanece em silêncio enquanto aguarda notícias.

 

CENA 5 (Tarde)

Geórdio acabava de voltar da delegacia, ele tinha pago pela fiança e esperava que seu advogado finalizasse o trabalho tirando Aslan da cadeia, mas era muito provável que seu filho passasse a noite atrás das grades, mas ele não se preocupava muito com o destino do rapaz, sua preocupação maior era com os consertos de seu carro.

Ele chega irritado e vai para seu quarto, Luciana e Janele estavam na cozinha, e quando Janele viu seu pai chegando ela se levantou rapidamente.

Janele: Preciso falar com o papai. – Ela dá um beijo no rosto de sua mãe que ainda não sabia de nada do que tinha acontecido, em seguida Janele vai para o quarto onde Geórdio estava.

Geórdio: Não bate mais na porta? E o diabo do respeito fica aonde, menina?

Janele: É estranho ouvir um monstro como você falando em respeito.

Geórdio fica furioso em ouvir tal afronta e levanta a mão para bater no rosto de Janele, mas antes de qualquer coisa ela grita com raiva.

Janele: Não faça isso seu desgraçado, ou será mais um item na sua ficha criminal.

Geórdio baixa sua mão lentamente e a encara seriamente.

Geórdio: Do que você está falando?

Janele: Eu sei de tudo! – Ela segura-se o máximo que pode para não chorar. – Eu sei de tudo o que você fez para o Adryan.

O coração de Geórdio gela por um momento, mas ele não deixa seu nervosismo transparecer.

Geórdio: O que ele disse de mim pra você?

Janele: Não se faça de cínico! – Ela grita. – Não adianta fingir ser uma vítima que você não é, você é um monstro!

Geórdio: Eu fico até comovido com suas acusações minha filha, apenas confirma que não lhe dei a educação que merecia. – Ele tira o casaco enquanto a encara.

Janele: Eu vou contar pra todo mundo! O que você fez foi crime.

Geórdio tira o cinto e acerta um golpe no rosto de Janele que acaba caindo.

Geórdio: Para de ser vagabunda!

Enquanto Janele tenta se levantar Geórdio tranca a porta, e do outro lado Luciana gritava desesperadamente.

Luciana: Geórdio, o que está acontecendo? – Ela batia na porta em desespero. – Abra essa porta!

Geórdio a ignorava enquanto batia em Janele com o cinto. Janele não conseguia se defender, ela apenas sentia os golpes sendo desferidos contra seu corpo.

Geórdio: Aprenda a respeitar seu pai! – Alguns golpes de cinta seguido por chutes, Janele sangrava pela boca e nariz, ela já não conseguia dizer nada, nem pedir ajuda para sua mãe.

Geórdio: Cadê sua voz agora?

Geórdio cessa os golpes e percebe um papel caído no chão, era o mesmo que Cassie havia entregue para Janele, informando sobre a viagem, o local e o voo.

Geórdio: Então seu amiguinho pretende fugir do país?

Janele não consegue dizer nada, ela tenta levar sua mão até seu rosto que está todo sujo de sangue, ela chorava em silêncio.

Geórdio sai apressadamente, ao abrir a porta Luciana o recebe com pancadas.

Luciana: O que você fez? Seu desgraçado! – Seus golpes eram francos e não fizeram um só arranhão em Geórdio. Ele a empurra.

Geórdio: Sai da minha frente.

Geórdio sai e Luciana corre até o quarto socorrer a filha que estava toda machucada, Janele havia sido espancada até perder a consciência. A dor maior ainda estava na alma, ela nunca pensou que seu pai fosse um homem tão revoltante.

 

CENA 6 (Tarde)

Geórdio caminhava apressadamente até a delegacia quando seu celular toca, e ele atende logo em seguida.

Geórdio (cel.): Alô!?

Titânia (cel.): Preciso falar contigo, no meu escritório.

A ligação foi breve e ela desligou antes mesmo que Geórdio pudesse questiona-la, e isso o deixa um pouco intrigado, mas ele não podia deixar de seguir seu caminho.

Agora ele estava na delegacia, frente a frente com o delegado.

Geórdio: Eu vim fazer uma denúncia…

O delegado o encara…

 

 

CENA 7 (Tarde)

Aslan foi conduzido até uma cela onde aguardou por horas até que finalmente seu advogado apareceu.

Eles passaram para outra sala e o advogado se apresentou.

Saulo: Boa tarde, eu sou o advogado contratado por seu pai para lhe tirar daqui.

Aslan o encara com revolta.

Aslan: Eu não fiz nada! – Ele grita. – Eu preciso sair desse lugar imundo.

Saulo: Eu já solicitei o pedido de Habeas corpus.

Aslan: Eu não quero ficar aqui. – Ele começa a chorar.

Saulo: Não se preocupe, até amanhã você já será solto.

Aslan permanece em silêncio, Saulo se retira e Aslan é conduzido novamente para a cela.

 

CENA 8 (Tarde)

Perez e Duke aguardavam em frente a clínica de Titânia.

Duke: Você acha que eu matei a Laize? – Ele questiona Perez que desvia a atenção voltando-se para Duke.

Perez: Eu não sei…

Duke se cala, um profundo silêncio domina os dois quando finalmente a atenção deles é tragada por um carro que estaciona na frente da clínica. A porta se abre e do veículo um homem vestido de terno desce.

Duke: Então ele é o assassino… – Ele conclui surpreso.

Perez: Não podemos afirmar isso ainda.

Os dois permanecem numa distância segura, Duke se corroía ao ver Geórdio entrando na clínica.

Duke: Eu preciso ir lá.

Perez: É perigoso!

Perez tentou segurar Duke pelo braço, mas não conseguiu, então Duke se atreve a invadir a clínica sozinho, logo na recepção ele não encontra ninguém, seu coração passa a bater com mais velocidade, ele estava prestes a descobrir o assassino que havia tirado a vida de Laize, e ele queria justiça a qualquer custo.

Duke liga o gravador e fica atrás da porta escutando a conversa de Titânia e Geórdio. Duke já conhecia Geórdio, pois ele era o pai de Aslan, mas ele nunca imaginou que ele pudesse estar envolvido com alguma situação desse nível.

Dentro da sala Titânia e Geórdio discutiam.

Geórdio: Você não devia ter me chamado.

Titânia: Mas me prenderam!

Geórdio: O que? – Surpreso.

Titânia: Descobriram tudo, descobriram que eu fiz a lista de nossos alvos e…

Geórdio: Cale essa boca, é muito arriscado falarmos sobre isso agora.

Ele caminha de um lado para o outro preocupado com o próximo passo a ser dado.

Geórdio: Eu tenho um plano…

Antes que ele pudesse dizer qualquer coisa, Duke resolve sair, pois sentiu-se em perigo, e no momento em que ele se afasta do escritório Geórdio escuta seus passos do outro lado e abre a porta revelando Duke.

Geórdio: O que você está fazendo aqui?

Duke fica pálido, ele não sabia ao certo o que responder, então ele rapidamente passa a mão no bolso e pega o celular de Aslan e entrega para Geórdio.

Geórdio: O que significa isso?

Duke: Esse é o celular do Aslan, seu filho. – Ele dá um suspiro seguido por uma pausa, ele precisava de algo bastante convincente para distrair e enganar Geórdio. – Ele esqueceu esse celular na minha casa hoje. – Ele sorri forçadamente. – Depois do sexo gostoso que nós fizemos.

Tomado pela fúria, Geórdio derruba Duke com um soco.

Antes que ele continuasse com as agressões, Perez aparece rapidamente.

Perez: Duke, você está bem?

Perez ajuda Duke levantar, enquanto que Geórdio vai até Titânia e sussurra no ouvido dela.

Geórdio: Você está ferrada… – Ele deixa um sorriso transparecer e sai da clínica rapidamente, e antes que Perez veja ele percebe que Titânia estava visivelmente alterada.

Titânia: Eu não posso ser presa de novo! – Ela começa a gritar. – De novo não! – Ela corre até sua mesa e pega um revólver em seu balcão e mira em Perez. – Eu não vou pra cadeia, não!

Duke e Perez se entreolham enquanto Titânia mantinha-se descontrolada.

Perez: Acalme-se.

Titânia: Isso foi uma armadilha, não é? Pra acabar comigo.

Duke: Não faça nada que você se arrependa…

Titânia: Cala essa sua boca imunda, eu vou matar vocês dois e ninguém terá provas contra mim.

Ela dispara dois tiros contra Perez acertando o abdômen do homem e o derrubando. O som dos disparos são altos e ensurdecedor, e nos olhos daquela mulher havia a habilidade de matar. Duke a encara, ele seria o próximo, não haveria meios de escapar.

Titânia: Agora é sua vez!

Ela mira em Duke, agora na cabeça, o som dos disparos são seguidos por um corpo que cai sem vida no chão. Perez ainda tinha a arma na mão, depois que levou os tiros, ainda consciente, ele foi capaz de disparar contra Titânia e mata-la antes que ela fizesse isso com Duke.

Depois do disparo, Perez solta a arma sem força alguma, Duke olha ao redor a procura de Geórdio, mas ele já não estava mais ali, então ele corre desesperado até Perez.

Duke: Aguente firme!

Duke pega seu celular e chama uma ambulância. A cena se seguiu por lágrimas, Duke e Perez aguardaram a chegada da ambulância enquanto os segundos arrastavam-se em horas.

 

CENA 9 (Anoitecer)

Luciana tenta levantar Janele.

Luciana: Filha…

Janele: Está tudo bem, mãe. – Ela se levanta com dificuldade.

Luciana: Esse homem é um monstro, eu não acredito que ele fez isso com você.

Algumas pessoas poderiam não entender, mas Geórdio estava sofrendo mais que qualquer outra pessoa, ele estava tentando ao máximo manter sua família como uma família tradicional, mas nem mesmo sua filha o encarava com respeito, e aquilo era inaceitável, e ela mereceu a surra que levou.

Janele: Não se preocupe. – Ela vai até o banheiro enquanto Luciana a segue.

Luciana: Eu vou denunciar esse homem.

Janele recorda-se do que Geórdio fez contra Adryan e achava melhor não denunciar, afinal iria expor Adryan de alguma forma também.

Janele: No momento não, deixe que eu resolvo isso.

Janele olha no relógio e percebe que já estava anoitecendo.

Janele: Eu preciso ir, vou até um voo me despedir de um amigo.

Luciana tenta dizer alguma coisa, mas as palavras são tragadas para sempre, ela puxa sua filha pelo braço e a abraça como se aquele fosse seu último abraço.

Luciana: Tome cuidado. – Ela afaga os cabelos de Janele e deixa uma lágrima cair pelo rosto. Era nítida a emoção e a dor de mãe e filha descontentes com a vida que levavam.

Janele: Eu volto logo.

Despediram-se assim, quem sabe para sempre, Janele saiu apressadamente enquanto Luciana ficou inconsolável, sua primeira reação foi correr até seu quarto e arrumar as malas, ela estava decidida a abandonar aquela casa.

 

CENA 10 (Noite)

Cassie, Adryan e Marcele chegam no aeroporto e aguardam o horário do voo.

Cassie: Falta 30 minutos. – Ela disse aflita olhando para o relógio, enquanto que Adryan permanecia aflito olhando para o lado.

Marcele: Vai dar tudo certo. – Ela sorriu.

Adryan nada disse, seu coração estava pulsando forte, era como se ele estivesse fugindo do local de um crime, mas ao mesmo tempo ele sentia que poderia recomeçar sua vida em outro país, em outro lugar onde ninguém o conhecesse.

Ao longe os olhos de Cassie brilharam ao ver Janele chegando.

Cassie: Ela veio. – Concluiu em meio a um sorriso triste e ao mesmo tempo singelo.

 

CENA 11 (Noite)

Luciana terminou de arrumar as malas e estava pronta para sair daquela casa, Josy ajudava ela a carregar as bagagens até a sala quando Geórdio chegou.

Geórdio: O que significa isso?

Luciana: Eu estou indo embora dessa casa.

Geórdio solta um sorriso maldoso.

Geórdio: E nosso combinado?

Luciana: Não estava combinado você bater em minha filha.

Geórdio levanta o tom de voz e aponta o dedo na cara de Luciana.

Geórdio: Sua filha não! Nossa filha! – Ele suspira tentando se acalmar. – Ela teve o que merecia. – Ele tenta se aproximar de Luciana, mas ela recua.

Luciana: Não toque em mim!

Geórdio: Você será a responsável por seus filhos serem futuros pobres da sociedade, definitivamente.

Luciana: Eles vão conseguir viver com isso. – Ela pega as malas. – Josy, me ajude. – Josy corre pegando as malas e ajudando Luciana a carregar até a saída.

Geórdio: Se você sair por essa porta, você estará castigando seus filhos para sempre!

Luciana: Nada do que você falar vai mudar minha ideia.

Luciana suspira, ela abre a porta e antes de dar seu primeiro passo para a liberdade, Geórdio ainda pronuncia suas palavras.

Geórdio: Pois fique sabendo que Aslan está preso.

Luciana se surpreende.

Luciana: O que?

Geórdio: Isso mesmo que você ouviu, ele está preso!

Luciana: Você está mentindo.

Geórdio: Você quer pagar pra ver? – Luciana fica totalmente desconcertada. – São esses os filhos que você disse que vão sobreviver depois de sua morte?

Luciana: Você não pode ser tão cruel comigo. – Luciana coloca as mãos sobre o rosto e começa a chorar.

Geórdio se aproxima dela e a abraça, mesmo com nojo e revoltada Luciana deixa-se ser abraçada.

Geórdio: Venha comigo, eu vou te levar que eu tenho razão e que Aslan está na cadeia.

Sem pensar duas vezes, o instinto de mãe falou mais alto, e Luciana deixa as malas caírem no chão enquanto chora.

Geórdio: Josy, guarde essas malas, ninguém vai embora daqui. – Ele solta um sorriso vitorioso. – Eu e Luciana vamos dar uma visitinha para o Aslan na penetenciária.

Geórdio e Luciana saem enquanto Josy guarda as malas novamente.

 

CENA 12 (Noite)

Janele finalmente chegou ao aeroporto, ela encontra-se com Cassie e Adryan, em primeiro momento eles apenas se encararam e nada disseram, os primeiros passos de Janele a aproximaram de Adryan.

Janele: Adryan…

Adryan ainda estava envergonhado, era como se a vergonha o consumisse pouco a pouco e não conseguiu dizer nada para Janele.

Janele: Adryan, por favor.

Adryan começa a chorar e no mesmo instante Janele o abraça.

Janele: Eu estou aqui.

Adryan sentia o quão injusto tinha sido com Janele a acusando por ter ajudado Geórdio naquela armação, agora ele sabia que ela era sua amiga, e que ela não tinha mentido para ele.

Adryan: Me perdoa…

Ele chorava, seu choro se tornou gritos abafados de dor, todo o trauma era recordado por ele em meio a flash de memórias, todo o desespero estava presente em sua vida e parecia que ele nunca iria superar aquilo.

Janele: Vai ficar tudo bem…

Ela o acariciava e chorava também.

Cassie: Precisamos ir.

Cassie conferia no relógio e já estava quase na hora.

Janele não conseguia encontrar as palavras certas para acalmar o pranto de Adryan, e quando ouviu o chamado de Cassie ela apenas os seguiu até a área de embarque.

Adryan e Janele caminhavam de mãos dadas até a área de embarque, os dois trêmulos e ambos com mãos geladas, eles não falaram mais nada, apenas trocavam olhares tristes e abatidos.

Quando finalmente eles chegaram até o ponto de partida, Adryan e Janele ficaram um de frente para o outro e se abraçaram fortemente.

Janele: Obrigada por ser meu melhor amigo.

Adryan apenas chorava.

Janele: Conte sempre comigo.

O abraço dos dois foi interrompido pela chegada de um policial que puxou Adryan para o lado e outro que empurra Janele para longe.

Policial: Adryan Allen Orc, você está preso!

A expressão de desespero de Janele e Cassie só aumentaram ao ouvirem os gritos de Adryan.

 

 

CONTINUA…

 

Anúncios

54 thoughts on “Alvos da Sociedade – Capítulo 09

  1. O maior erro que um personagem pode fazer é ameaçar desmascarar um vilão. É pedir pra apanhar, ou então ajudar o vilão a fugir das consequências das suas atitudes. Se a Janele não tivesse enfrentado o Geórdio, ela não tinha levado aquela surra de cinte (não resisti) e quem sabe o Adryan e a Cassie conseguiriam ter fugido.

    Falando em Cassie, é verdade que o nome da personagem é inspirado no nome de uma cantora brasileira?

    A trama tá conspirando a favor da impunidade do Geórdio. Sempre acontece algum incidente que consegue salvar a pele do Geórdio, ou então o ajuda a conseguir o que quer. Ele conseguiu se safar da prisão desencadeando aquela confusão que matou a Titânia e o Perez, senão ele teria sido preso ou então morrido ali mesmo. E graças à surra que ele deu na Janele, ele conseguiu descobrir que o Adryan estava fugindo do país e o denunciou à polícia (claramente utilizando-se dos vídeos que ele gravou do Adryan praticando necrofilia) a tempo de conseguir sua prisão. Já perdi as esperanças de que o Geórdio pague pelos seus crimes… espera, que graça teria se ele pagasse? Do que serviria todo esse clima da trama se houvesse final feliz para os protagonistas e castigo para os vilões?

    #MomentoDivulgaçã1: https://audienciadatvmix.wordpress.com/2016/09/02/mundos-opostos-capitulo-25/

    Curtir

    • Exatamente o maior erro de um personagem é bater de frente com o vilão, e Janele teve a infelicidade de fazer isso, morri com “cinte” kkkkkkkkkk. Certamente Cassie e Adryan teriam conseguido fugir.
      Gente, que cantora Brasileira?
      A trama sempre favorece o Geórdio de alguma forma (e você não é o único que percebeu esse aspecto), mas eu, talvez, não tenha planos para um final trágico, quero que seja surpreendente sim, mas não posso prometer a infelicidade de todos os personagens.

      Muito obrigado 😀

      Curtir

  2. Gente que capítulo foi esse?

    Aslan preso e ai podemos perceber o quanto ele é dependente do Geórdio.

    Titânia é solta.

    Duke é chamado para desmascarar a indentidade dos assasinos e…

    Não acredito que Titânia e Geórdio são os assasinos porque tipo… Tava na cara!,que virada.!

    Titânia fica louca e mata Perez ,Perez antes de morrer defende Duke e mata Titânia.

    Ou pode ser que o Hivan salve o Perez…

    Geórdio sai impune e arregaça a ~Janela~,risos,e também descobre que Adryan esta indo para os States.

    Luciana ameaça ir embora mas Geórdio novamente tem suas cartas na manga.

    ~~Janela~~ se despede de Adryan…

    E depois de muito chororo Adryan é preso pela falsa acusação de Geórdio.

    Agora existem inumeros rumos que a trama pode tomar!
    Duke concerteza tera que ser morto para Geórdio não ser desmascarado
    Eu sinceramente não pensei que o Assa seria justo o mais óbvio!
    Também não esperava um fim assim para Titânia!, Concerteza como você já disse que caps foram cortados da trama pela lista de espera de webs nesse horario!, da pra ver que a história teria rumos diferentes e provavelmente personagens já mortos estariam vivos. Sofro em saber que o fim esta se aproximando!
    “O pra sempre sempre acaba”

    Parabéns Hivan pelo melhor capítulo (na minha opinião) de ~~Alvos da Kelly~~ até agora só faltou a cena hot! 😦

    Curtir

    • Aslan é imprudente e dependente do dinheiro de Geórdio, certamente

      Titânia é solta por falta de provas, lamentamos

      Duke metido na investigação

      Eles podem ser, ou podem não ser, isso não foi totalmente dito na trama.

      Pois é Titânia morre, mas Perez ainda está vivo

      Será que eu salvarei Perez mesmo?

      Bom, como você mesmo disse, a trama poderia seguir muitos rumos, e ela seguiria, personagens que morreram poderiam estar vivos caso eu tivesse desenvolvido a trama nos 18 capítulos que era meu objetivo, mas espero ter conseguido manter a essência principal.

      Eu também considero esse capítulo como um dos melhores (na verdade depois desse todos estão bons, não perca)

      Muito obrigado 😀

      Curtido por 1 pessoa

  3. Que desumano é o Geórdio, bateu na Janele e mandou prender o Adryan
    Tomara que ele morra no final
    Parabéns, Hivan

    Curtir

  4. Lavei minha alma com a surra de Janele (apesar de que podia ter dado mais ênfase 😈hahahahahaha)
    Adorei o: “e o diabo do respeito?”. Não sei por que, mas me identifiquei 😁👍👏
    Mais um capítulo muito bom!
    Parabéns!!!
    Bjs

    Curtir

  5. Temo não conseguir comentar detalhadamente antes do final da contagem, por isso deixo minha participação. Foi mal, Hivan, parabéns.

    Curtir

  6. Morto com esse capítulo. Janele não devia ter colado o pai contra a parede , só serviu pra atrapalhar a viagem deles lá na frente. Burra! Morto que era a Titânia e o Geordio os assassinos. Eu nem queria acreditar q seria o Geordio, pois seria muito na cara. Mas é…
    Morto que a louca pirou e saiu metendo bala em todos. E morreu, uma vadia a menos. Enquanto isso o cretino bate na filha, prejudica o Adryan e tem a mulher nas mãos. Esse Geordio é duro na queda. Parabéns pelo cap, descp pois n consegui comentar na hora, sofro.

    Curtir

    • Janele não pensou nas consequências quando enfrentou Geórdio. Muitas pessoas surpresas e decepcionadas com a revelação.
      Geórdio está sendo desmascarado aos poucos.
      Muito obrigado 😀

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s