Mundos Opostos – Capítulo 29

Mundos OpostosCENA 01: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/JARDIM/INT./TARDE

Helena e Jonas se levantam da mesa e se afastam do restante da Corrente para conversar.

JONAS – O que aconteceu?

HELENA – Você conversou com a Carolina?

JONAS – Ah… sim, conversei com ela. Eu pedi desculpas a ela, e ela também me pediu desculpas. Tá tudo bem entre a gente…

Helena respira aliviada.

HELENA – Ainda bem que deu tudo certo…

JONAS – Mudando de assunto… tu conhece o nosso filho, Helena?

HELENA – Não. Mas eu adoraria conhecer.

Jonas tira o seu telefone celular do bolso e o desbloqueia. Ele mostra o papel de parede do celular, que é uma foto de Jonas com Felipe. Helena fica maravilhada com o que vê.

HELENA – Meu Deus, que coisa linda…

JONAS – É o meu bem mais precioso…

HELENA (ri) – Imagino. Ele tem um ano e meio, né?

JONAS – Isso, um ano e meio. Ele nasceu em março, estamos em setembro… então, sim, é um ano e meio. Nossa, como o tempo passa rápido…

Helena e Jonas sorriem.

HELENA – Jonas…

JONAS – Eu…

HELENA – Eu acho que, depois dessa dor de cabeça toda que deu ontem, eu acho que a gente deveria se afastar um pouco. Não parar de se falar, mas não ser tão colado… entende?

JONAS – Sim, eu ia falar exatamente sobre isso contigo.

HELENA – Mas tem um outro motivo mais forte que me faz pedir por isso. Um motivo que torna essa nossa proximidade perigosa para nós…

JONAS – E qual seria?

HELENA – Jonas… eu… eu te amo. Eu sou completamente apaixonada por você. Desde o dia em que nós nos conhecemos, eu não paro de pensar em você. A sua voz é o melhor carinho que alguém pode fazer nos meus tímpanos… pensar em você me causa a melhor sensação de bem estar que eu já experimentei na minha vida… toda vez que eu ouço o seu nome, o meu coração acelera… ver você é o melhor colírio que existe… o seu sorriso é a coisa mais linda desse mundo… quando você me abraçou ali na piscina, eu podia parecer desconfortável, mas por dentro eu estava pulando de felicidade porque eu estava sendo abraçada pelo homem da minha vida, eu estava pedindo para que você me beijasse e—

Repentinamente, Helena para de falar e encara Jonas, que está surpreso com o que ouvira.

HELENA – Eu precisava desabafar…

JONAS – Helena, e-eu não sei nem o que dizer.

Helena tenta responder Jonas, mas é interrompida por ele.

JONAS – Eu vivo há quase três anos com a Carolina, e eu nunca escutei isso dela. E nós nos conhecemos há uns quatro ou cinco meses…

HELENA – Jonas—

JONAS – Ninguém nunca me fez sentir amado desse jeito. Nem a Carolina, nem o Ricardo, nem o Júlio, nem os meus pais… ninguém. Eu nunca me senti tão bem…

Como em um impulso, Helena se joga em Jonas e começa a beijá-lo. O rapaz se surpreende com a atitude de Helena, mas não oferece resistência, retribui o beijo e ainda a abraça. Um beijo lascivo, intenso, que faz com que os dois percam a noção de tempo.

Da mesa, Carolina acaba vendo Helena e Jonas se beijando. Rapidamente, um ódio invade o interior de Carolina e se estampa no seu rosto. Magoada, a moça resmunga a um volume ininteligível e deixa escapar uma amarga lágrima de tristeza do seu olho.

Helena e Jonas se agarram com maior volúpia, o que deixa Carolina ainda mais raivosa. Rapidamente, ela se levanta da mesa e corre até Helena e Jonas. Ela consegue separar os dois e desfere uma bofetada no rosto de Jonas para, em seguida, fazer o mesmo com Helena.

CAROLINA – VOCÊS SÃO DOIS NOJENTOS!

É nesse momento que o churrasco é interrompido. Todos olham assustados para Carolina, Helena e Jonas. Carolina olha com ira para os dois amantes. Jonas tenta segurar o choro e Helena olha para Carolina aterrorizada. A Corrente toda se aproxima dos três, assustada com o que está havendo.

JONAS – Carolina—

CAROLINA – Cala a boca, Jonas. Cala a boca. Mas será possível que vocês sejam tão descarados desse jeito? Onde está a vergonha na cara de vocês?

JONAS – Carolina, foi irracional. A gente nem percebeu…

CAROLINA – Jonas, eu realmente achei que tava exagerando em ter ciúmes de ti com a Helena. Eu tava disposta a fechar os meus olhos e permitir que tu fosse livre pra brincar com a Helena do jeito que quisesse, mas felizmente vocês me provaram que eu estava certa em querer afastá-los. E da pior maneira possível, pra dar mais certeza ainda.

JONAS – Me perdoa, Carolina—

CAROLINA – Eu te dei uma segunda chance, mas tu acabou de desperdiçar. Tu abusou da minha boa vontade. Agora chega. Chega de me sacrificar em prol do bem estar de alguém que só se importa comigo quando eu tô na frente dele e me desrespeita nas minhas costas.

Carolina encara Helena, que tenta desviar o olhar. Irritada, Carolina segura o rosto de Helena, forçando um contato olho no olho.

CAROLINA – De ti eu só quero ouvir uma coisa. Só uma coisa. Por quê? Por que é que tu fez isso comigo? Eu te fiz algum mal?

HELENA – Não. Eu não fiz isso para lhe atingir. Eu sempre fui apaixonada pelo Jonas, mas durante esse tempo todo eu tentei me reprimir, em respeito a você e ao filho de vocês. Mas eu e o Jonas fomos nos aproximando naturalmente, fomos desenvolvendo uma amizade, fomos ficando íntimos e eu comecei a me desesperar. Uma hora ou outra, eu acabaria cedendo à tentação. E o seu ataque de ciúmes foi a oportunidade perfeita para que eu pudesse ter essa conversa com o Jonas. A minha intenção era pôr limites na minha relação com ele, ou então cortá-las. Eu tinha que explicar o porquê, eu declarei todo o meu amor por ele… foi nessa hora que a emoção passou por cima da razão e eu beijei o Jonas.

Carolina larga Helena e encara Jonas, que abaixa a cabeça para esconder o choro.

CAROLINA – E tu, Jonas? Por que fez isso comigo? Eu não fui competente o suficiente pra fazer tu se sentir amado por mim? Eu te amei tão pouco pra tu sentir a necessidade de se jogar nos braços da primeira vagabunda que apareceu na tua frente?

HELENA – Não, Carolina, isso é uma coisa que você não pode dizer de mim. Você não tem moral nenhuma para me chamar disso. Porque, ao contrário de você, eu nunca dei pra três ao mesmo tempo.

Carolina não se aguenta e acerta outra bofetada em Helena. Imediatamente, Carolina é contida por Júlio, enquanto Helena é socorrida por Luciana.

LUCIANA – Para com isso, Carolina, você já está passando dos limites.

CAROLINA – Se tu tivesse visto o que eu vi, não teria dito isso, Luciana. Eu vi a traição se consumar aqui nesse jardim, eu vi o Jonas se entregar à Helena de uma maneira que ele jamais se entregou a mim.

LUCIANA – Mesmo assim, isso não justifica. Há outras maneiras de resolver esse problema.

CAROLINA – Estranho ouvir isso de ti, Luciana… afinal, tu tá numa posição muito parecida com a da Helena. Amiga fura-olho, que se aproxima da pessoa com a intenção de roubar o homem dela.

LUCIANA – Olha, Carolina, você perde a razão toda vez que me acusa de supostamente ter furado o olho do Dimas. Sabia que é muito feio acusar uma pessoa sem provas? Além do mais, levantar falso testemunho é pecado, desrespeito a um dos dez mandamentos de Deus.

CAROLINA – Desrespeito é o que tu fez com o Dimas.

JÚLIO – Chega, Carolina, tu tá muito alterada. Vem, vamos…

Júlio conduz Carolina para longe da Corrente, e Luciana faz o mesmo com Helena. Todos vão se dispersando, até sobrar apenas Jonas e Ricardo em cena. Envergonhado, Jonas evita olhar para Ricardo que, compadecido, aproxima-se do primo e lhe acaricia o ombro, em uma tentativa de reconfortá-lo. Jonas tenta controlar o choro.

JONAS (chorando) – Eu merecia isso. Eu sou um selvagem, que não consegue controlar os próprios instintos, que não sabe respeitar os outros e—

RICARDO – Para com isso, Jonas.

JONAS – Ricardo, tu não tá percebendo a gravidade da situação? O meu casamento com a Carolina acabou, porque eu fui um fraco.

RICARDO – Jonas, eu te entendo. Antes de eu terminar com o Dimas, eu tinha beijado a Luciana.

Jonas se surpreende com o que ouve de Ricardo.

JONAS – O quê?

Ricardo começa a se explicar para Jonas.

CENA 02: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/SALA/INT./TARDE

Júlio leva Carolina para a sala. Carolina senta-se no sofá e Júlio se ajoelha na sua frente.

CAROLINA (chorando) – Eu não acredito que o Jonas foi capaz de uma cachorrada dessas.

JÚLIO – Eu tinha medo que isso acontecesse. Olha, não é querendo defender a canalhice do meu irmão, mas isso vai além da famosa desculpa “a carne é fraca”. Lembra que ele teve que assumir responsabilidades de pai de família enquanto ainda era um adolescente, ele não tava preparado pra isso. Ele não tava preparado pra comandar uma família, não tava preparado pra prometer fidelidade a uma pessoa, não tava preparado pra cuidar de um filho. Claro, ele foi tentando levar a família assim mesmo, adquirindo experiência na hora, na base da tentativa e erro. Uma hora ele acabaria falhando em algum ponto. E foi justo na questão da fidelidade, que ele te jurou lá no altar há pouco mais de um ano.

CAROLINA – Eu tinha acabado de dar uma segunda chance pra ele, mas o que foi que aconteceu? Ele simplesmente desprezou, jogou fora.

JÚLIO – Eu sempre achei que vocês tinham se juntado precipitadamente. Eu engoli o meu protesto quando vocês decidiram namorar depois que descobriram que o Felipe era filho do Jonas, mas eu falei que era contra a decisão de vocês de se casarem depois do nascimento do Felipe. Eu percebia que vocês não estavam se juntando por amor, mas sim por causa do Felipe. Eu sei que vocês não se amam a ponto de se casarem, mas vocês viram tanta necessidade em formar uma família pro Felipe que acabaram acreditando na própria mentira que inventaram pra ele: acabaram acreditando que vocês realmente se amam.

CAROLINA – O Felipe é a maior prova de que nós nos amamos, Júlio. Por favor, para de ser mau perdedor e entenda que eu nunca vou poder voltar pra ti. Tu enganou a mim, ao Jonas, ao Ricardo e principalmente aos meus pais. Só não pôde mais enganá-los porque eu engravidei.

JÚLIO – Não nego, enganei sim. Mas porque eu tinha medo de te perder. Eu fiz isso por amor. E se isso não for amor, eu não sei o que é.

Carolina e Júlio se encaram, em silêncio.

CENA 03: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/VARANDA/INT./TARDE

Helena e Luciana estão sentadas em cadeiras, uma de frente para a outra. Elas estão conversando sobre o que acabara de acontecer.

HELENA – A Carolina está certa, Luciana. Nós compartilhamos do mesmo rótulo de amiga fura-olho. Por mais que você negue, você furou o olho do Dimas sim, do mesmo jeito que eu furei o olho da Carolina.

LUCIANA – Olha pelo lado bom, Helena. Nós salvamos o Jonas e o Ricardo daquelas promíscuas. Esses relacionamentos não eram saudáveis, precisávamos separá-los. E, convenientemente, tínhamos o amor para justificar nossos atos. Por isso, eu lhe dou a dica: pare de se martirizar por ter acabado com o casamento do Jonas e da Carolina; aproveite que agora o Jonas está desimpedido e invista nele. Termine o que começou e faça-o mais feliz que a Carolina o fez.

Helena se surpreende com o que ouve de Luciana.

HELENA – Mas e a Carolina—

LUCIANA – Esqueça a Carolina, senão você nunca vai conseguir fazer o Jonas feliz. Por acaso você acha que eu ando pensando no Dimas? Claro que não, isso seria a mesma coisa que pedir pra eles voltarem.

Silêncio em cena por alguns segundos.

LUCIANA – Agora o Jonas é só teu, Helena. Esqueça a Carolina e faça-o esquecê-la também. Pronto, vocês dois serão felizes. Vocês se amam e a Carolina era o único empecilho. Quando ela terminar com o Jonas, você entra em ação.

Helena apenas encara Luciana.

CENA 04: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/JARDIM/INT./TARDE

Jonas e Ricardo ainda estão conversando.

RICARDO – Eu tava com o maior peso na consciência por causa disso. Por mais que eu não quisesse terminar com o Dimas, o fato é que o término do namoro conseguiu tirar esse peso da minha consciência. Eu nunca teria coragem de chegar pro Dimas e terminar com ele, e isso só pioraria as coisas.

JONAS – Então nós estávamos certos… realmente a Luciana furou o olho do Dimas…

RICARDO – Mas a gente só começou a namorar depois que ele terminou. Nós esperamos ele terminar pra começar a namorar.

JONAS – Sabe o que eu acho mais estranho nessa história toda? É que, no começo dessa história toda, tu tinha a maior raiva da Luciana, porque ela agia que nem a vadia da Bianca. E pouco tempo depois, vocês já estavam namorando. Pra alguém que dizia que nunca mais se envolveria com uma mulher desse jeito…

RICARDO – Mas a Luciana mudou. Depois que a gente sentou pra conversar pela primeira vez, ela nunca mais se comportou feito a Bianca. Acabou que, com o tempo, a gente foi se aproximando até a Luciana se declarar pra mim, ter falado que me amava… foi quando a gente se beijou.

JONAS – A Luciana te ama, certo, mas tu ama ela?

Ricardo se atrapalha na hora de responder Jonas, e por isso decide responder com o silêncio.

JONAS – Pela Luciana tu só sente atração sexual… era exatamente isso o que acontecia entre ti e a Bianca. Ricardo, por mais que tu tente negar, a verdade é que tu caiu na mesma armadilha. A pessoa que tu ama de verdade é o Dimas.

RICARDO – Eu amo a Luciana. Eu continuo fiel à minha promessa de nunca mais me envolver com uma pessoa só pelo sexo. Meu namoro com o Dimas não era só por sexo, e o meu namoro com a Luciana não é só por sexo.

JONAS – Tá bom… se tu diz…

RICARDO – E tu, Jonas? Ama a Carolina ou a Helena?

JONAS – Eu acho que a Helena. Só isso pode explicar aquele beijo que eu dei nela. O êxtase daquele beijo foi inédito pra mim, nunca senti algo parecido antes…

RICARDO (sussurrando) – Coisa que não aconteceu com a Luciana…

JONAS – O que foi, Ricardo?

RICARDO (tenso) – Hã? O quê? O que foi? Ah, nada… nada… não foi nada.

Jonas encara Ricardo, que tenta, em vão, disfarçar seu nervosismo.

CENA 05: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/SALA/INT./TARDE

Júlio senta-se ao lado de Carolina e a abraça. Carolina permite-se descansar a cabeça no ombro do cunhado.

JÚLIO – Se eu realmente percebesse que tu e o Jonas se amam, eu daria o maior apoio pra vocês se reconciliarem. Mas eu não vejo isso, por isso eu acho que vocês deveriam se separar mesmo.

CAROLINA – E o Felipe, como fica?

JÚLIO – Vocês decidem o que vai ser melhor pra ele. Mas depois do que aconteceu hoje, não tem mais condição de vocês viverem juntos.

CAROLINA – Eu não entendo, Júlio… como um amor tão bonito pôde acabar assim de maneira tão rápida e tão trágica…

JÚLIO – Carolina, pare de tratar o Felipe como prova do amor de vocês. A verdade é que o Felipe foi uma ferramenta para prender o Jonas a ti. Mas filho não segura homem…

CAROLINA – Se eu me separar do Jonas, certamente ele vai correr atrás da Helena. E eu, como fico?

JÚLIO – Tu deu uma segunda chance pro Jonas. Por que não dá uma pra mim também?

Imediatamente, Carolina se aparta de Júlio e o encara, assustado.

JÚLIO – Me dá uma chance de mostrar pra ti que eu realmente te amo. Eu prometo que eu não desperdiço essa chance.

CAROLINA – Por que eu deveria te dar uma chance? Não, Júlio, não ia dar certo.

JÚLIO – Por favor, Carolina. Todo mundo merece uma segunda chance. Eu quero que tu me dê essa segunda chance, e eu prometo que não vou desperdiçar. Agora, se realmente não der certo, aí a gente se afasta em definitivo.

Carolina encara Júlio, incrédula. Ele, esperançoso.

CENA 06: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/JARDIM/EXT./TARDE

A Corrente volta a se reunir em volta da mesa no jardim.

IGOR – E então, gente? Vamos continuar o nosso churrasco?

CAROLINA – Não, gente. Eu não tenho mais clima. Se quiserem, podem continuar, mas eu não vou ficar mais aqui. Eu vou embora pra casa.

JONAS – Carolina—

CAROLINA – Jonas, você não entra mais no nosso quarto. Ainda hoje a gente vai ter uma conversa definitiva.

Jonas engole em seco. Carolina vai embora, na companhia de Júlio.

HELENA – Eu também não tenho mais clima para participar do churrasco. Eu vou subir para o meu quarto. Com licença…

Helena se retira de cena, entrando na mansão. Todos se entreolham, ainda digerindo o que ocorrera naquela tarde.

CENA 07: FORTALEZA/EXT./TARDE

Imagens da Praia de Iracema. Anoitece.

CENA 08: CASA DE MAURÍCIO E TALITA/SALA/INT./NOITE

Carolina e Jonas estão sentados no sofá, um de frente para o outro, conversando.

JONAS – Então, acabou?

CAROLINA – Sim, Jonas, acabou. Não dá mais pra nós vivermos juntos. Um relacionamento tem que ser calcado na confiança, que infelizmente é uma coisa que eu não tenho mais em ti. O melhor que a gente tem que fazer é se separar.

JONAS – E quanto ao Felipe?

CAROLINA – A gente vai se separar, mas não vai morar longe um do outro. A gente vai continuar vendo o Felipe do mesmo jeito, cuidando dele do mesmo jeito, mas a gente só não vai mais ser marido e mulher. Não vamos mais dormir na mesma cama, não vamos mais nos tratar como cônjuges… só isso que vai mudar na nossa relação. Seremos ex-marido e ex-mulher.

JONAS – Então, tu vai pedir o divórcio…

CAROLINA – Exatamente. Eu quero o divórcio.

Alguns segundos de silêncio.

CAROLINA – Me parte o coração ter que dizer isso, mas vai ser o melhor pra todos nós. A gente nunca se amou o bastante pra sermos marido e mulher, mas passamos a acreditar nessa mentira só pra fazer o Felipe crescer dentro de uma família.

JONAS – É verdade. Mas então, a partir de agora, como é que a gente fica?

CAROLINA – Na prática, a gente acaba a partir de agora. A partir de agora, nós já vamos viver como ex-marido e ex-mulher. E quando a gente assinar os papéis do divórcio, aí sim vai ser oficial. Se quiser, tu já pode se jogar nos braços da Helena. Não tem mais nada entre nós.

Jonas apenas acena com a cabeça, concordando com as palavras de Carolina. Jonas se levanta do sofá, afastando-se da agora ex-mulher.

JONAS – Quanto tempo tu acha que a gente se acostuma?

CAROLINA – Semanas. Quem sabe, meses. Mas a gente se acostuma.

Silêncio em cena.

CENA 09: CASA DE LARISSA/SALA/INT./NOITE

Ricardo está sentado no sofá, de frente para Dimas. Eles estão conversando.

DIMAS – E os casais que o Júlio uniu, o destino tratou de separar…

RICARDO – Ah, Dimas, convenhamos que a Carolina e o Jonas praticamente se juntaram à força, né? Se não fosse pelo Felipe, eles não tinham nem começado o namoro. Aquela luta seria ganha pelo Júlio.

DIMAS – Mas vem cá, será que a Carolina vai ficar com o Júlio?

RICARDO – É bem provável. Pode ser que demore, porque a Carolina ainda guarda um pouquinho de mágoa do Júlio por causa do que ele fez com a gente lá no passado… aquela história da aposta, que fez com que ela se envolvesse comigo e com eles ao mesmo tempo… ele enganou os pais da Carolina por um bom tempo… mas eu acho que eles se juntam, sim. Pode ser que demore, mas eles se juntam sim.

Nesse momento, Júlio entra na casa de Larissa, chamando a atenção de Dimas e Ricardo.

JÚLIO – Desculpa, gente. Tava atrapalhando?

RICARDO – Que nada, primo.

JÚLIO – Gente… há quanto tempo eu não via vocês dois tão próximos desse jeito, hein?

Dimas e Ricardo sorriem para Júlio.

RICARDO – Acho que desde que a gente terminou.

DIMAS – As mágoas já foram superadas. Agora, a gente já pode viver pacificamente um com o outro.

Dimas, Júlio e Ricardo sorriem um para o outro.

CENA 10: FORTALEZA/EXT./NOITE

Imagens do Aeroporto Internacional Pinto Martins. Amanhece.

CENA 11: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/SALA DE JANTAR/INT./MANHÃ

Alice, Gabriel, Gustavo, Igor e Maria estão reunidos na mesa da sala de jantar, tomando café da manhã.

GABRIEL – A Helena ainda não desceu?

MARIA – Não, tio Gabriel. Ela ainda tá se sentindo muito culpada pelo que aconteceu ontem lá no churrasco.

ALICE – E o que houve?

IGOR – Nós não entendemos direito o que aconteceu, mas ao que pareceu a Carolina e o Jonas terminaram por causa da Helena.

GABRIEL – Por quê?

GUSTAVO – O Jonas e a Helena se beijaram, a Carolina viu e armou o maior escândalo.

Alice e Gabriel se surpreendem com o que ouvem.

MARIA – Tio Gabriel, por favor, não brigue com a Helena. Ela sabe perfeitamente que o que ela fez foi errado, ela está sofrendo muito com isso. Ouvir sermão vai deixá-la pior do que ela já está.

ALICE – Eu não acredito que a minha filha foi capaz de fazer isso…

IGOR – Nem a gente. Eu não entendo porque a Helena se permitiu a esse papel. Seja acidental ou propositalmente, a Helena destruiu um casamento. Ela foi o pivô de uma separação.

MARIA – A Helena deve estar sem saber o que fazer. Tudo o que ela fizer vai sujar a imagem dela ainda mais.

LUÍS – Vai dar tudo certo.

CENA 12: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/SALA/INT./MANHÃ

Tocam à campainha. Fátima corre para atender a porta. Ela se surpreende ao saber que se trata de Jonas.

FÁTIMA (surpresa) – Jonas?

JONAS (acanhado) – Bom dia, dona Fátima. A Helena está?

FÁTIMA – Jonas, eu não acho que essa seja uma boa hora para você falar com a Helena. A situação ainda é muito delicada, o melhor que vocês fazem é ficar quietos.

JONAS – Mas eu preciso falar com a Helena.

Nesse momento, Helena vem descendo as escadas. Com uma expressão abatida, a moça chama a atenção de Fátima e Jonas e se assusta ao notar a presença do rapaz ali.

HELENA – Jonas?

JONAS – Helena, eu preciso conversar contigo.

HELENA – Tá bom. Mas ninguém pode saber que você está aqui.

FÁTIMA – Deixo ele entrar?

HELENA – Sim, Fátima.

E assim, Jonas entra na mansão. Imediatamente, Helena vai até ele e o segura pela mão. Os dois sobem as escadas da mansão e deixam Fátima sozinha na sala. Ela fecha a porta de entrada da mansão, aflita.

FÁTIMA – Meu Deus…

CENA 13: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/QUARTO DE HELENA/INT./MANHÃ

Jonas e Helena sentam-se na cama, ficando um de frente para o outro.

HELENA – E então, Jonas?

JONAS – A gente se separou, Helena. Não há mais nada entre eu e a Carolina. Ela pediu o divórcio.

Helena respira fundo, transparecendo seu remorso.

HELENA – Eu não acredito que isso está acontecendo.

JONAS – Foi o melhor pra todos nós, Helena. A verdade é que eu e a Carolina, a gente não se amava de verdade. A gente só se juntou por causa do Felipe. Nos prendemos um ao outro por causa do nosso filho.

HELENA – Eu já imaginava isso. Pelo que você me contava nas nossas conversas por WhatsApp, eu sentia que, por mais que houvesse algum sentimento, o verdadeiro motivo pelo qual você se casou com a Carolina era o Felipe. Esse é o pior erro que uma pessoa pode cometer: casar-se por causa de um filho. Sacrificar a sua felicidade de uma maneira tão brusca assim…

JONAS – Nós reconhecemos o erro que cometemos em nos casar tão cedo. E estamos tentando reparar esse erro. Para começar, fizemos o que deveríamos ter feito há muito tempo: nos separar. Muito em breve, com a assinatura dos papéis do divórcio, estaremos oficialmente separados, mas por hora já vivemos como ex-marido e ex-mulher, já vivemos desimpedidos.

HELENA – Você acha que vale a pena nós começarmos a namorar?

JONAS – Vamos esperar a poeira baixar para decidir se vale a pena a gente namorar. Mas o fato é: tu me ama, e eu te amo. Deveríamos dar uma chance a nós mesmos. Por mais que, para algumas pessoas, pareça absurdo porque destruímos um matrimônio, a verdade é que eu estou fazendo a minha parte para consertar um erro do passado.

Helena e Jonas se encaram.

CENA 14: MANSÃO ANDRADE BASTOS/SALA/INT./MANHÃ

Tocam à campainha. Débora corre até a porta para atendê-la e se surpreende ao ver que se trata de Luís. A sua reação é logo abrir um largo sorriso.

DÉBORA – Que surpresa mais agradável!

LUÍS – Eu precisava falar contigo.

DÉBORA – Claro, mas nós não podemos falar aqui. Não lhe disseram que os Andrade da Costa não podem mais pisar aqui nessa mansão?

LUÍS – Mas eu não sou um Andrade da Costa.

DÉBORA – Mas é agregado da família.

LUÍS – Então, onde nós podemos conversar?

DÉBORA – Faz o seguinte: vai até a casa da Luciana, me espere lá.

LUÍS – É lá que nós vamos conversar?

DÉBORA – Exatamente. Eu vou ter que passar um tempo aqui para que eu possa sair, eu vou demorar. E você não pode me esperar aqui porque, como eu lhe disse, sua presença nessa casa é proibida.

LUÍS – Certo.

DÉBORA – Agora vá, antes que alguém lhe veja.

Débora e Luís trocam um rápido selinho. Porém, nesse momento, Cassandra vem descendo as escadas e flagra Débora e Luís ali.

CASSANDRA – O que significa isso?

Imediatamente, Débora e Luís olham para Cassandra, assustados. A cena congela e é animada por dois efeitos: à esquerda, com Luís, um efeito preto-e-branco; à direita, com Débora, um efeito dourado.

FIM DO VIGÉSIMO NONO CAPÍTULO.

28 thoughts on “Mundos Opostos – Capítulo 29

  1. Ai, que raiva que eu tô do Jonas e da Helena. E que pena que eu tô da Carolina. E como é que eu tô shippando a Carolina com o Júlio, gente? Eu quero morrer. Eu abominava esse casal em ADI.

    Júlio pega mãe e filha, grettttt.

    Fátima é a personagem mais sensata da web.

    E parabéns, tesuda :*

    Curtido por 1 pessoa

  2. Ão, ão, ão, deixando minha participação.
    Éns, éns, éns, desejando Parabéns.
    Ey, ey, ey, comento junto ao outro queridíssimo Glay! :*
    Saudades do nosso papo até altas horas no chat, sofro.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s