Alvos da Sociedade – Capítulo 12 (Último Capítulo)

Alvos da Sociedade²

O desespero chega ao fim

E as lágrimas não cessam

 

CENA 1 (Manhã)

Duke pulou, a queda não foi o suficiente para mata-lo, infelizmente. As pessoas, em sua maioria curiosos, correram para ver como estava aquele corpo sobre a calçada, e para a decepção de todos, que adoram uma tragédia, ele sobreviveria.

Duke foi erguido com cuidado e colocado numa maca por alguns homens de branco, ele ainda estava consciente e não conseguia parar sua visão fixa num só rosto, eram tantas pessoas olhando assustadas para ele, e também para o incêndio que terminava de consumir aquele estabelecimento.

Ele foi levado para dentro de uma ambulância, ele ouviu um dos enfermeiros falando com um homem do lado de fora, alguém que aparentemente queria ir junto com Duke para o hospital.

Aslan: Ele é meu irmão… – Ele argumentou até que deixaram que ele acompanhasse Duke até o hospital.

Aslan entrou na ambulância e as portas se fecharam, Duke o encarou com muita dor, tanto física quanto espiritual, tudo doía.

Duke: Por que? – Ele questionou, e Aslan sabia exatamente do que se tratava.

Aslan: Tudo vai ficar bem.

Duke começa a chorar desesperamente.

Duke: Eu não sinto minhas pernas…

O olhar dos dois eram sérios e silenciosos, uma lágrima escorre dos olhos de Aslan.

Aslan: Não deve ser nada, você vai ficar bem.

Aslan tentou segurar a mão de Duke, mas ele se recusa a tocar Aslan.

Duke: Eu odeio você.

Aquela frase acabou por destruir o mundo de Aslan, que ficou sem chão. As lágrimas não cessaram, e a dor não parou.

Duke: Você matou a Laize?

Aslan não sabia exatamente o que responder, mas sim, ele tinha que dizer a verdade, mentir não iria resolver mais nada.

Aslan: Sim.

Duke: Seu desgraçado! Seu maldito! – Ele gritava e esbravejava, se ele conseguisse mover suas pernas certamente iria se levantar e bater em Aslan, claro que ia.

Aslan: Me entenda, por favor.

Duke: Entender? Você me pede para eu te entender? Você matou uma pessoa, você é desprezível.

Aslan: Eu queria apenas o seu perdão.

Duke: Como você ainda tem coragem de pedir perdão? Eu quero que você desapareça da minha vida pra sempre!

O problema de Aslan era não enxergar seus erros, ele sabia que estava errado, mas acreditava que pedir desculpas iria fazer com que tudo mudasse, ele enfurecia-se com as pessoas que eram incapazes de perdoá-lo, porém com Duke foi diferente, talvez porque Aslan o amasse demais, e ser rejeitado daquela forma deveria ter sido muito cruel para suportar.

A ambulância parou, e Aslan desceu, ele não seguiu Duke até o quarto, ele apenas seguiu um rumo qualquer, sem saber ao certo para onde estava indo.

 

CENA 2 (Manhã)

Alice adentrou na sala de Patifa, e encontrou a detetive sentada.

Patifa: E então, como foi a investigação?

Alice: Não foi querida, desculpa, mas você é imprestável pra mim no momento. – Ela pega o revólver e dispara dois tiros em Patifa.

Alice: Foi mais fácil do que imaginava.

Ela solta uma gargalhada e quando estava deixando a sala ela depara-se com um homem.

Alice: Você…

Ele rapidamente desarma Alice e aponta a arma para ela.

Alice: Não faça isso, por favor…

Perez: Não vou fazer nada, ao contrário de você, eu não sou um assassino.

Patifa: Alice, você está presa. – Diz Patifa algemando Alice.

Alice: Mas como vocês dois estão vivos?

Patifa: Eu estava usando colete a prova de balas, e Perez levou uns tiros de raspão, nada demais, apenas foi informado ao hospital que para fins policiais ele deveria ser dado como morto. – Patifa sorri. – E você caiu na minha armadilha, finalmente sua máscara caiu.

Alice: Mas eu não sou a assassina que procuram, quem cometeu todos os crimes foi o Aslan, o filho do Geórdio.

Patifa: Não se preocupe querida, eles também serão presos. – Ela olha para Perez. – Pode levar.

Alice: Nunca pegarão o Geórdio.

Patifa: Tem certeza? – Ela solta um sorriso.

Antes que Alice possa argumentar qualquer coisa, ela é guiada até uma viatura, enquanto se debatia de raiva.

Alice: Como descobriram?

Perez: Na verdade a Patifa sempre desconfiou de você.

Alice é jogada para a parte de trás do carro enquanto é conduzida até a cadeia, Perez volta para o escritório enquanto Patifa estava se maquiando.

Perez: Não temos tempo para isso, Geórdio pode fugir a qualquer momento. – Ele suspira. – Se bem que nem temos pistas para onde ele vai.

Patifa: Lembra quando o Duke começou a trabalhar com a gente?

Perez: Sim.

Patifa: Ele tinha o celular do Aslan junto, e entregou para o Geórdio, eu mesma implantei um sistema de localização no celular, assim sei exatamente aonde aquele velho safado está indo.

Perez: E o que estamos esperando?

Patifa lentamente se levanta e encara Perez.

Patifa: Nada, acho que já podemos ir.

 

CENA 3 (Meio-dia)

Luciana acorda e percebe que está na maca novamente. Ela se levanta e caminha até uma cadeira que estava do seu lado, ela recorda-se vagamente do que havia acontecido.

Luciana: Aslan…

Ela rapidamente corre até a porta, mas é surpreendida pelo médico.

Médico: Calma aí, aonde você está indo?

Luciana: Eu preciso ajudar meu filho.

Médico: Entendo, mas você sabe que não pode se incomodar, isso está prejudicando sua saúde, eu vou lhe receitar alguns medicamentos que vão lhe ajudar na sua recuperação.

Luciana: Quando receberei alta?

Médico: Hoje mesmo, apenas irei lhe passar a medicação e lhe explicar como será o procedimento.

Luciana escuta tudo em silêncio sem prestar atenção, sua única preocupação naquele momento era seu filho.

 

CENA 4 (Tarde)

Janele e Cassie foram até a prisão fazer uma visita para Adryan, depois do que foi debatido com o advogado, Cassie ainda estava desesperada.

Cassie: Ele disse que não existe outra maneira, nem saída, e que Adryan vai a julgamento.

Janele: Não fique assim, tudo vai dar certo.

Elas conversavam enquanto era guiadas por alguns policiais até a sala de visitas.

Janele: Você não pode preocupa-lo, saiba que isso só vai piorar a situação do Adryan aqui dentro.

Cassie: Eu tentarei me manter calma.

As duas entram na sala e se deparam com Adryan num sentado em uma cadeira em frente a uma mesa, ele estava algemado, e cobria seu rosto com ambas as mãos.

Cassie: Meu filho…

Adryan: Sai daqui! – Ele grita surpreendendo Cassie.

Cassie: Mas meu filho.

Adryan: Eu não quero que me vejam assim. – Ele chora silenciosamente, Janele percebia o desespero, o chiado do animal abatido. – Eu estou acabado, não existe mais nada meu aqui.

Cassie: Não fala assim meu filho.

Cassie se aproxima cautelosamente enquanto Janele observava de longe todo aquele sofrimento.

Adryan: Eu sou uma vergonha mãe. – Ele começa a gritar. – Me tira daqui, por favor. – Ele cai no chão e Cassie juntamente com Janele correm ergue-lo. – Eu estou morrendo pouco a pouco.

Janele sentia-se tão fraca que não conseguiu ajudar levantar Adryan, ela o segurou em seu colo enquanto cuidadosamente acariciava os cabelos de seu amigo.

Janele: Me perdoa por não conseguir te ajudar como eu gostaria.

Adryan: Eu vou a julgamento, não vou?

Cassie: Mas vai dar tudo certo. – Ela tentou sorrir, mas o máximo que conseguiu foi derrubar uma lágrima, era doloroso demais para uma mãe ver seu único filho destruído daquela forma.

Janele: Nós vamos conseguir os melhores advogados para te tirar daqui.

Adryan empurra Janele.

Adryan: E quem vai tirar as lembranças daquele cadáver de mim? – Ele grita revoltado. – Quem vai tirar a sensação mórbida que habita em meu corpo sujo, nesse corpo imundo?

Janele coloca as mãos sobre seu rosto e entrega-se a um pranto tão triste e verdadeiro. Cassie estava desolada, ela corre e abraça seu filho, ela o prende num abraço tão forte que ele poderia morrer ali mesmo.

Cassie: Não diga mais isso, estamos lutando por você, você ainda é meu filho, eu te amo e isso não vai mudar, o que passou tem que ser superado e todos nós vamos superar isso. – Ela acaricia o rosto de seu filho. – Vamos superar isso, eu prometo.

Adryan tremia enquanto chorava, ele queria dizer o quão agradecido estava por Janele e Cassie estarem do seu lado, mas ele deteve-se em ficar em silêncio.

O policial apareceu para dizer que o tempo estava acabado, Adryan voltou para a cela. Cassie teve que ser amparada por Janele até a saída, as duas não choravam mais, mas a dor não havia cessado.

Adryan tinha um colega de cela, Vasper, que sorriu ao vê-lo voltando para a cela.

Vasper: Por um momento pensei que você seria solto.

Adryan não respondeu, ficou calado e foi para um canto onde ficava sua cama.

Vasper: É que eu não queria ficar sozinho. – Ele solta outro sorriso, um pouco perturbado e senta ao lado de Adryan. – Estou aqui há tanto tempo que perdi as contas.

Adryan: E o que você fez para estar aqui?

Vasper: Nada, eu sou inocente, e você?

Adryan: Eu também… Mas acabei sendo submetido a fazer algumas coisas das quais eu não quero falar.

Vasper: Tudo bem então. – Ele acaricia o rosto de Adryan. – Você é muito bonito, quero ser seu amigo.

Adryan: Obrigado.

 

CENA 5 (Tarde)

Aslan chega em seu apartamento e se encontra com sua mãe.

Aslan: Mãe…

Luciana: Eu estou muito decepcionada com você.

Da cozinha aparece um policial, e Aslan se surpreende.

Aslan: Você fez uma armadilha pra mim? – Ele a questiona um pouco decepcionado.

Luciana: Você precisa pagar por seus crimes.

O policial vai até Aslan, mas ele corre, e então o policial corre atrás. Uma perseguição tem início logo pela descida das escadas, Aslan desce vários andares pela escada, e percebe que ainda é seguido, e quando finalmente chega ao térreo, ele se depara com mais dois policiais o esperando.

Policial: Aslan, você está preso.

Vendo que estava sem saída, Aslan saca um revólver da bainha das calças, a mesma arma que usou para matar Laize, os policiais se preparam, mas antes que qualquer troca de tiros possa acontecer, Aslan dispara contra a própria cabeça acabando com o próprio sofrimento, acabando com a própria ignorância, a própria incompreensão do seu ser.

Aquele corpo cai no chão, minutos depois Luciana desce as escadas e encontra Aslan jogado na recepção do edifício, ela se desespera e se joga sobre o corpo de seu filho.

Luciana: Aslan! – Ela grita e chora abraçada a seu filho.

 

CENA 6 (Tarde)

Um carro se aproximava da área de embarque em alta velocidade, assim que ele chega em seu destino ele para e segundos depois Geórdio desce.

Geórdio: Infelizmente terei que deixar esse lugar. – Ele olha para o relógio, sofria em silêncio, um tanto quanto arrependido. – É uma pena ter que abandonar minha família desta maneira, mas é necessário.

Ele caminha até a área de embarque onde um jatinho particular lhe esperava além de dois homens vestidos de terno preto, aparentemente seus seguranças.

Geórdio: Pegue minhas malas. – Ele ordenou para um dos homens. – Ele olhava constantemente para o relógio. – Ela vai se atrasar. – Pensava ele na possibilidade de Alice chegar a tempo de fugir junto com ele.

Piloto: O senhor quer espera-la?

Geórdio: Acho que já esperei demais, já podemos ir.

Geórdio embarca no jatinho, estava tudo pronto para a partida, mas por algum motivo eles não iniciaram o voo. Passaram-se minutos, Geórdio estava impaciente e então vai até a cabine para certificar-se de que estava tudo certo, mas se surpreende ao ver Patifa.

Patifa: Surpreso em me ver?

Geórdio: Quem é você?

Patifa: Me chame de justiça. – Ela olha para Perez que estava logo ao lado. – Prende ele.

Perez rende Geórdio e coloca as algemas no doutor.

Geórdio: Deve estar havendo algum mal entendido.

Patifa: Claro que está, você deveria estar mofando numa cadeia e não desfrutando desse luxo todo. – Ela pega uma taça de champanhe. – Então é isso que vocês bebem quando fogem do país? – Ela solta uma gargalhada. – Pode levar Perez, caso encerrado.

 

CENA 7 (Noite)

Uma mulher de corpo escultural, cabelo curto, loira, olhos azuis caminha sensualmente por uma calçada com uma roupa bem sexy, com um cigarro na boca. Ela atrai as atenções de vários homens que passam por ela.

Homem: Delícia, hein

Suzana: Gostou? Tem muito mais disso nesse lugar aqui.

A jovem lhe entrega um panfleto e se aproxima do homem e cochicha algo em seu ouvido e o deixa abobalhado.

Homem: Você faz tudo isso mesmo?

Suzana: Isso é muito mais. Você não vai se arrepender.

Ela se vira e caminha rebolando deixando o homem com cara de bobo.

Passando por um barzinho a moça atrai ainda mais as atenções, e acaba por esbarrar com outra mulher que caminhava rapidamente na direção contrária, os panfletos caem no chão e se espalham rapidamente devido o vento forte.

Suzana: Olha só o que você fez.

Suzana se apressa em juntar os panfletos e a mulher se agacha para lhe ajudar.

Janele: Me desculpe.

Suzana: Janele?

Janele: Nos conhecemos?

Suzana: Bom a gente se encontrou numa balada uma vez. Não sei se vai lembrar de mim.

Janele termina de recolher os panfletos e entrega para Suzana, que também tinha terminado de juntar os demais.

Janele: Acho que lembro vagamente. Suzana, não é?

Suzana: A própria.

Janele: Bem, eu preciso ir. – Diz ela um pouco nervosa.

Suzana: Algum problema?

Janele: Não, imagina, é que minha vida tem andado complicada ultimamente.

Suzana: Que isso. Nem parece aquela louca da balada que eu conheci.

Janele dá um sorriso sem graça.

Suzana: Olha pega.

Suzana entrega um panfleto.

Janele: Natureza Proibida?

Suzana: É o nome da boate que eu trabalho.

Janele lê o panfleto e se surpreende.

Janele: Interessante. – Ela suspira. – Infelizmente não faz o meu tipo. – Ela sorri novamente.

Suzana: Deixa de cena, hoje em dia as mulheres estão muito mais liberais. Tenho certeza de que você vai gostar. Muitas mulheres tem ido lá ultimamente.

Janele: Eu vou pensar na ideia, agora preciso mesmo ir.

Suzana: Opa, agora sim falou a Janele que eu conheço. Pense com carinho, ficarei lhe esperando.

Janele: Assim espero.

As duas se abraçam ligeiramente e Janele sai.

Os passos de Janele continuam acelerados, ela precisava voltar para casa, ela tinha passado o dia todo fora e recebeu uma mensagem de Luciana para que ela voltasse para casa.

Janele abriu a porta do apartamento, estava tudo escuro, ela tentou ligar a luz, mas aparentemente o interruptor estava quebrado, ela entrou tendo apenas como iluminação as luzes da cidade do lado de fora.

Janele: Mãe?

Ela ainda caminha cautelosamente entre os cômodos a procura de Luciana e finalmente a encontra no quarto, encolhida num canto chorando.

Janele: Mãe. – Ela corre até Luciana e a abraça. – O que aconteceu?

Foi agoniante esperar uma resposta que foi engolida por lágrimas e que Janele teve de esperar muitos minutos até que Luciana falasse.

Luciana: O Aslan… – Uma breve pausa para conseguir ter coragem de terminar a frase, e Janele já estava em prantos também. – O Aslan está morto.

 

CENA 8 (Manhã)

Logo pela manhã do outro dia, Luciana e Janele estavam uma amparada na outra. Cassie também estava presente no local para dar apoio a família. O padre iniciou tentando dizer o significado da vida e da morte, e no centro estava o caixão onde Aslan seria enterrado.

Padre: Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele. […] Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras. (1 Tessalonicenses 4:13-18) – Ele lia um trecho da bíblia enquanto os presentes choravam, era visível que Luciana era quem mais se desesperava.

Terminada a cerimônia, Janele e Luciana voltavam para casa, Cassie tardou a segui-las, seu pensamento estava em Adryan.

As três caminharam até o lado de fora do cemitério, não conversavam até que Cassie inicia.

Cassie: Eu só espero que aquele bandido apodreça na cadeia. – Ela se referia a Geórdio que tinha sido preso no dia anterior.

Janele: Ele é meu pai, mas eu também penso da mesma forma.

Luciana: Ele acabou com nossa família. – Disse ela chorando e recordando tudo o que Aslan disse pouco tempo antes de morrer.

Janele: Não fique assim, você ainda tem a mim. – Elas se abraçam.

Cassie observa em silêncio.

 

CENA 9 (Manhã)

Duke acaba acordando depois de algumas horas, ele estava um pouco tonto quando o médico aparece.

Médico: Como você está?

Duke: Eu não sinto minhas pernas. – Ele começa a chorar, por um momento sua vida acabava e não existia motivos nenhum para continuar. – Não me diga que eu estou paraplégico.

Médico: É normal que você esteja desse jeito, você sofreu uma pequena lesão na coluna.

Duke se desespera.

Médico: Não fique nervoso, tudo vai ficar bem e logo você voltará a andar.

A expressão no olhar de Duke muda rapidamente e a luz da esperança volta a brilhar.

Duke: Está falando sério?

Médico: Sim, após alguns exames realizados percebemos que houve uma melhora visível e se continuar assim em torno de um mês você voltara a caminhar normalmente.

Duke chora emocionado.

Médico: Agora preciso visitar outros pacientes, mas qualquer coisa basta chamar. – Ele vai até a porta. – Já ia me esquecendo, tem alguém que quer lhe ver.

O médico sai e uma mulher com cabelos grisalhos entra no quarto.

Duke: Mãe!?

Duke fica visivelmente surpreso ao ver aquela mulher adentando com passos lentos e sentando ao lado de sua cama.

Faustina: Filho. – Ela segura a mão de Duke e chora. – Eu vi no noticiário na televisão. – Ela continua chorando. – Vi você caindo daquela altura. Ah meu filho. – Ela acaricia o rosto de Duke que chorava sem parar. – Você não sabe o quanto eu fui idiota por ter lhe expulsado de casa. – Ela tentava esconder o rosto, ou muitas vezes evitar chorar, mas era quase impossível. – Eu quero seu perdão meu filho.

Duke: Mãe, eu senti tanta a sua falta…

Faustina abraça Duke e os dois choravam intensamente.

Faustina: Eu fiquei com tanto medo que você morresse. Me perdoa meu menino, me perdoa. – Ela enche a testa de Duke de beijos, ela estava visivelmente arrependida de tê-lo expulso de casa por causa de sua sexualidade.

Duke: Eu te perdoo.

Duke não era rancoroso, ele aceitou sua mãe de bom coração de volta. Os dois permaneceram abraçados um ao outro por um longo tempo.

Sempre é possível se arrepender das idiotices que se fazem ao longo da vida, a morte é a prova de que todos deveriam valorizar seus semelhantes, afinal eram todos iguais… Infelizmente.

CENA 10 (Meio-dia)

Vasper e Adryan almoçavam lado a lado, quando mais tarde todos foram mandados para as celas novamente.

Adryan já tinha cultivado uma bela amizade com Vasper. E Vasper acabou por contar seu drama, ele era seguidamente abusado por outros prisioneiros, mas se comprometeu em não permitir que o mesmo acontecesse com Adryan.

Vasper: Eu costumava me drogar. – Ele sorria enquanto falava. – Meu pai matou minha mãe e eu fui preso no lugar dele, por causa das digitais. – Ele quase deixou uma lágrima cair. – Eu era drogado, ninguém acreditou em mim, e por ser pobre, fui condenado a mais de vinte anos para conviver nesse lugar, sinceramente eu não sei quanto tempo falta, nem sei se estou na metade da minha pena, e você?

Adryan: Também armaram pra mim. – Ele chora. – Um médico, que era meu chefe, me obrigou a violar. – Ele respira, era muito difícil para ele falar sobre aquele assunto. – Cadáveres.

Vasper nada mais disse, ele percebeu o quanto aquele assunto era delicado para Adryan.

Vasper: Não precisa falar se não quiser. – Ele sorri. – Teremos muitos anos para conversar sobre isso.

Adryan se arriscou em soltar um sorriso, mas a mancha em seu coração ainda era mais forte e o impedia de qualquer expressão de alegria.

Uma movimentação nas celas, todos se levantaram, Adryan viu um homem se aproximando, o seu coração acelerou, ele ficou pálido e sem reação.

Geórdio adentrou na cela e encarava a todos.

Adryan: É ele. – Sussurrou ele para Vasper. – É ele o médico culpado por eu estar aqui.

O silêncio acaba por fazer companhia a todos eles.

 

CENA 11 (Tarde)

Saulo vai até a casa de Cassie para falar sobre o caso de Adryan, ele foi bem recebido e os dois conversavam há alguns minutos.

Saulo: O julgamento de Adryan será na semana que vem.

Cassie: Quais são as chances dele?

Saulo: As chances dele melhoraram, afinal ele foi inocentado pela morte de Nestor, visto que o assassino que cometeu esse crime confessou para a redução de pena.

Cassie: Aquele maldito do Geórdio.

Saulo: Contudo, estou fazendo o máximo que posso para tirar seu filho da cadeia.

Nesse momento Janele chega.

Janele: Boa tarde.

Cassie e Saulo cumprimentam, em seguida Cassie se levanta.

Cassie: Saulo, queira me dar licença, Janele veio até aqui para que nós possamos ir visitar o Adryan.

Saulo: Ah claro. – Ele se levanta.

Saulo se dirige até a porta e sai deixando Janele e Cassie sozinhas.

Janele: Está pronta?

Cassie: Sim.

As duas saem logo em seguida.

 

CENA 12 (Tarde)

Patifa e Perez estavam no escritório terminando alguns relatórios.

Patifa: Foi bom trabalhar com você. – Ela sorri.

Perez: Eu digo o mesmo.

Ela se levanta abruptamente.

Patifa: Estarei fazendo uma viagem amanhã.

Perez: Sério? Está indo pra onde?

Patifa: Vou para a Europa, mas antes irei fazer uma visita para o Duke.

Perez: Boa sorte então. – Ele lhe sorri.

Patifa sai da sala, e em questão de minutos ela já estava no hospital.

Patifa: E então, como está o nosso guerreiro?

Duke não consegue evitar de deixar um sorriso transparecer.

Duke: Continuo lutando, claro.

Patifa vai até ele e o abraça.

Patifa: Eu sinto muito por tudo o que aconteceu.

Duke permanece em silêncio.

Patifa: Eu estou torcendo por sua recuperação, viu? – Ela bagunça o cabelo de Duke.

Ele sorri.

Duke: E o Aslan?

Patifa: Ainda pensa nele? – Ela suspira. – Bom, ele morreu ontem.

Por mais dolorosa a notícia, Duke não conseguiu chorar, suas lágrimas cessaram, e seu sentimento por Aslan parecia ter sido assassinado.

Patifa: Não faça essa carinha. – Ela aperta a bochecha de Duke. – Olha, eu estou indo para a Europa, mas quando eu voltar eu quero você trabalhando comigo, tá!?

Duke: Eu detetive?

Patifa: Sim, você. – Ela sorria. – Você fez um ótimo trabalho.

Mais uma vez um breve abraço, os dois se despedem, ficou algo por dizer, mas os dois se encontrariam em breve, quem sabe em um novo caso.

 

CENA 13 (Tarde)

Alice esta em sua cela, ela chorava silenciosamente. Alguém estava usando o vaso do lado, em seguida uma mulher alta, que até então estava usando o sanitário, volta e senta ao lado de Alice.

Mulher: Gostou da noite passada, princesinha?

Alice chorava.

Mulher: Sua língua faz mágicas, fique você sabendo que de hoje em diante você será minha putinha predileta. – Gargalhada.

 

CENA 14 (Tarde)

O primeiro foi Adryan, seus passos o guiaram até a sala de visitas onde sua mãe e Janele o esperavam.

Adryan: Mãe! – Ele corre abraça-la. – Obrigado por você vir.

Janele e Cassie sorriem, foi algo natural, simplesmente viram Adryan bem e sentiram um alívio, o mesmo valeu para Janele, ela sentia-se tão preocupada com ele.

Cassie: Filho, você está bem? Tem comido direitinho? Não passou frio, né?

Adryan: Eu estou bem, mãe.

Cassie: Filho, eu farei de tudo para te tirar daqui, não se preocupe. – Ela beija a testa dele.

Adryan: Obrigado. – Ele chora. – Obrigado você também, Janele.

Os três confraternizam juntos pela última vez até o julgamento.

 

CENA 15 (Tarde)

Luciana foi visitar Geórdio. O velho adentrou na sala algemado, e em seguida Luciana entra.

Luciana: Seu desgraçado. – Ela se aproxima lentamente como uma onça se aproxima da presa sem ser percebida. – Eu te odeio, maldito! – Ela cospe na cara de Geórdio.

Geórdio: Você está ficando louca? Quando eu sair daqui você vai me pagar caro.

Luciana: Está me ameaçando?

Geórdio: Você e nossos filhos não vão receber um centavo da minha herança.

Luciana: Fica com esse dinheiro sujo pra você. – Ela acerta um forte golpe no rosto de Geórdio. – Você vai apodrecer nessa cadeia, seu assassino de quinta.

Geórdio: Eu estava limpando o mundo dessa gente podre.

Luciana: Você matou nosso filho! Está satisfeito?

Geórdio se mostra um pouco chocado com a notícia, afinal Aslan era seu filho e ele sentia algum afeto por ele.

Geórdio: Não, meu filho… – Ele se levanta abruptamente.

Luciana: Seu monstro! – Ela o faz sentar com outro tapa. – Ele nunca será seu filho, um homem desprezível como você não merece ser pai de ninguém. – Ela chora. – Essa é nossa última conversa, você nunca mais vai receber notícias minhas e da Janele.

Geórdio: Tente me entender, eu fiz de tudo para defender nossa família.

Luciana: Defender? Você é louco? Você me usou, usou o Aslan, feriu a Janele, você não tem alma e nem coração, você não faz parte da minha família, nunca fez!

Luciana sai furiosa da sala deixando Geórdio sozinho.

Ele estava acabado, seu principal objetivo havia acabado, ele mesmo destruiu sua família que tanto queria proteger. Ele sentia-se humilhado, e em seu interior mais obscuro onde ainda habitava um ser humano, ele chora.

 

CENA 16 (Tarde/dois dias depois)

Estavam todos pelo pátio da penitenciária, Adryan estava sentado em um banco ao lado de Vasper, ele sorria para Adryan.

Vasper: Não se preocupe, não deixarei que nada aconteça a você enquanto estivermos aqui.

O olhar amedrontado de Adryan não paravam de encarar o velho que pouco a pouco se aproximava dos dois.

Geórdio: Então você está sofrendo, Adryan? – Geórdio foi capaz de deixar um sorriso sarcástico escapar por seus lábios.

Adryan: Você não está satisfeito? Seu maldito! – Adryan estava absolutamente transtornado, e frustrado ao ver que suas palavras não incomodavam Geórdio.

Vasper: Não está vendo que você não é bem vindo, por favor, se retire.

Geórdio o encara e solta uma gargalhada.

Geórdio: Então você encontrou um macho pra te comer?

Vasper: Não fale assim do Adryan.

Geórdio: Cala sua boca, rapariga, meu assunto aqui é com o Adryan. – Ele chega bem perto e Adryan. – Você destruiu minha família. – Ele acerta um soco no rosto de Adryan o derrubando no chão. – Sabe o que é mais engraçado Adryan? É saber que meu filho, o Aslan me ajudou a gravar o vídeo, foi tudo combinado, eu combinei com ele para que vocês fizessem sexo no estacionamento e eu gravasse. – Ele solta uma gargalhada. – E você achando mesmo que o Aslan gostava de você? Que idiota, ele fez isso porque eu mandei, foi tudo armação minha e dele, seu trouxa.

No chão, Adryan sentia o lábio sangrar, e então suas lágrimas começam a rolar, então sua intuição estava certa desde o início a gravação que ocasionou numa série de eventos tinha sido mesmo uma armação de Geórdio e Aslan, e desde o início eles planejaram aquilo.

Adryan: Por que? – Ele pergunta com os olhos mergulhados em lágrimas. – Por que fez isso comigo?

Geórdio: Você ainda pergunta? Você quer se achar o perfeitinho da mamãe, teve tudo nas mãos, nunca sofreu, e ainda por cima é isso…

Adryan: Isso? Isso o que? Fala!

Geórdio: Gay! Você é um veado! Uma bichinha!

Adryan se cala, é quando Vasper acerta um soco em Geórdio o derrubando.

Vasper: Fique longe de nós.

Vasper pega na mão de Adryan e caminham juntos para o outro lado do pátio, Adryan ainda chorava.

Vasper: Eu sinto muito, se eu pudesse fazer algo…

Adryan: Não precisa, eu mesmo o farei. – Diz ele limpando as lágrimas.

Vasper: O que você vai fazer?

Adryan: Eu vou mata-lo.

Vasper não pode deixar de soltar um sorriso.

Vasper: Você está louco? Na cadeia isso é muito difícil. – Ele olha ao redor. – Mas eu posso te ajudar, pensando bem, deixe comigo, isso só aumentaria a sua pena, e quanto a mim, não faria a mínima diferença.

Adryan não diz nada mais, apenas concorda.

Ele estava concordando com a morte de alguém.

Ele estava perdido num mundo cheio de raiva.

 

CENA 17 (Noite/Dois dias depois)

Adryan dormia, ou fingia que dormia. Ele conseguia ouvir Vasper sendo abusado por dois presidiários, os gemidos eram abafados, e Adryan abriu o canto do olho e pôde ver apenas os vultos agredindo e sendo agredido. Era normal Vasper ser violado todas as noites, e depois de ser usado ele voltava a dormir, ele chorava.

 

CENA 18 (Madrugada)

Naquela mesma madrugada Vasper recebeu algumas seringas de alguns presidiários e um conteúdo aparentemente desconhecido, ele se levantou e antes de ir até a cama de Geórdio, Adryan segurou seu braço.

Adryan: Você está bem?

Vasper: Não se preocupe comigo. – Ele sorri.

Adryan solta o braço de Vasper. Todos na cela pareciam estar vendo ele se aproximando em passos lentos da cama de Geórdio, e finalmente ele prepara seu ataque introduzindo o líquido da seringa no pescoço daquele velho.

Geórdio desperta sentindo algo ferindo seu pescoço, ele arranca a seringa com força e corre em forma de círculos no centro da cela, os presidiários, todos, se colocam em pé e começam a aplaudir e a soltar gargalhadas enquanto Geórdio corria como se estivesse a imitar um chipanzé, ele soltava um chiado diabólico e da sua boca saia espuma, os prisioneiros continuavam a gritar e assobiar, alguns batiam com canecas nas grades das celas, era como se Geórdio quisesse gritar por socorro e ninguém o ouvisse. A cena macabra naquela madrugada escura foi pouco a pouco sendo iluminada pelos policiais, que ao perceberem tal agitação acenderam todas as luzes e encontraram Geórdio já no chão daquela cela, no meio da multidão, tendo uma convulsão. Era como se seu corpo estivesse levando um choque e de sua boca saíssem bolhas de sabão.

E num piscar de olhos, um corte rápido de cenas, e o corpo de Geórdio estava em cima de uma maca, os corredores agitados de um hospital, algumas enfermeiras correndo, e uma máquina de oxigênio para mantê-lo vivo.

Médico: Qual a situação?

Enfermeira: Ele teve uma overdose, está sofrendo uma parada cardíaca.

A maca leva Geórdio até a o centro de um quarto cheio de aparelhos, aos poucos o foco vai se afastando de Geórdio, ouve-se os batimentos parando, em seguida o desfibrilador.

As cenas escurecem, Geórdio tinha enfim acabado.

 

CENA 19 (Tarde/Três dias depois)

Janele e Luciana estavam sentadas no sofá enquanto eram servidas por Marcele, a empregada de Cassie. Em seguida Cassie desce as escadas de sua mansão, e se depara com as duas já sentadas.

Cassie: Fico feliz que tenham vindo. – Ela estava vestindo roupas todas pretas, e não esboçava nenhuma expressão de que realmente estava feliz. – Parece uma eternidade, mas finalmente chegou o dia.

Ela estava nervosa e tremia, Janele se levanta e vai até Cassie a abraçando.

Janele: Vai ficar tudo bem.

Luciana também se coloca em pé.

Luciana: Vamos logo.

As três, em silêncio seguem para o tribunal.

 

CENA 20 (Manhã)

Finalmente iniciava o julgamento de Adryan, todos estavam presentes no tribunal, o Juiz começa falando algo sobre justiça, algo que Cassie não parou para ouvir, ela apenas apertava a mão de Janele.

Todos os olhares estavam atentos para Adryan.

Juiz: Estamos aqui para dar início ao julgamento de Adryan Allen Orc. – Suspiros e lamentações na plateia. – Acusado por falsificações de documentos e necrofilia.

As provas contra Adryan foram apresentadas pouco a pouco, Saulo tentava rebater as acusações, mas não tinha muito o que dizer. Depois de algumas horas, a sessão estava chegando ao seu fim e o juiz tinha seu veredito.

Juiz: Pelos crimes contra a sociedade e perturbação da paz, condeno o réu a 8 anos de prisão em regime fechado.

Cassie: Não! Não! – Cassie se levanta revoltada e começa a gritar, Janele e Luciana tentam contê-la, mas é inútil.

Juiz: Ordem no tribunal.

Cassie: Meu filho! – Os olhares de Cassie e Adryan se encontram, os dois choram.

Adryan é levado para a prisão.

 

CENA 21 (Meses depois/Narração Janele)

É, a vida é assim. Estou cada dia mais focada nos meus estudos, um dia serei uma médica e serei o orgulho para minha mãe, mas isso, no momento não é importante, o que importa é que minha mãe e eu estamos superando bem a morte de Aslan, e tudo o que aconteceu, e meu pai? Bom, depois da overdose que ele teve parte de seu corpo ficou paralisado, agora ele tem partes dos movimentos do lado direito, uma lástima é saber que ele sobreviveu, mas se tem uma coisa que eu aprendi na vida é que uma morte não deve ser comemorada, nem mesmo a dele, então apenas o deixamos apodrecer na cadeia junto a essa paralisia.

Já o Adryan, eu e Cassie vamos visita-lo todos os dias, sempre que eu posso eu vou falar com ele, é bom ver que ele não enlouqueceu depois disso tudo, ele parece estar aceitando a ideia, mas pra ser sincera, ele não merecia isso, não merecia mesmo.

E falar de mim, bom, eu comecei a sair com Saulo, ele parece um cara interessante, também acabei conhecendo Duke, numa visita ao túmulo do meu irmão eu o encontrei, na verdade eu já o conhecia, ele era namorado do Aslan, mas por um momento tinha me esquecido dele.

Fiquei muito feliz em saber que Duke se tornou um detetive ao lado de Patifa e Perez, os responsáveis por colocar Alice e Geórdio na cadeia. Duke me contou que está muito feliz, e que está morando com a mãe dele de novo e agora ele voltará a estudar, de certa forma eu devo dizer que estou feliz, não tanto quanto eu gostaria, mas aos poucos todos nós vamos superar esse trauma.

Fico me perguntando se em algum momento da minha vida eu fui um alvo dessa sociedade, essa mesma sociedade que condenou meu amigo injustamente, mas querem saber? Eu prefiro sim ser um alvo dessa sociedade do que fazer parte disso tudo.

FIM…

 

EPÍLOGO

É incrível como as coisas acontecem, é incrível como tudo chega ao fim, algumas coisas acabam por terminar antes do previsto, outras tardam a findar, mas acreditem, tudo chega ao seu fim, e se não chegar é porque nunca começou.

Os olhares discretos dos seres humanos, que são regidos pelas horas, pelo tempo e pela sociedade, sim, as regras as leis e tudo que possa torna-los mais humanos possíveis, no entanto não passam de animais, feridos ainda por cima.

Podemos dizer que daqui seis anos Adryan saiu da cadeia, supondo que Saulo recorresse na justiça, que houvesse uma redução de pena por bom comportamento, ah sim, se tudo isso acontecesse, o sol brilharia mais forte naquela manhã, é possível ver Adryan sendo guiado por um corredor, ele está cabisbaixo, os portões são abertos lentamente, do lado de fora Cassie e Janele o esperam.

Não sabiam se o sorriso vinha ao rosto, ou se as lágrimas eram mais fortes, Adryan finalmente é libertado, ele sentia-se livre a sensação era impossível de descrever, ele sentiu o vento bater em seu rosto, ele sentiu a vida lhe sorrir. Seus olhos lacrimejaram, seus passos correram para os braços de sua mãe.

Era a vida dando uma nova chance, era a vida mostrando que no futuro tudo pode acontecer.

 

Considerações Finais;

Sociedade é basicamente formado por um grupo de pessoas convivendo juntas de forma organizada (do latim: societas, que significa “associação amistosa com outros”). Fonte: Wikipédia. (Podemos dizer que esse espaço o qual vivemos no Tv Mix é uma sociedade).

Eu não podia deixar de falar algumas palavras, dizer o quanto estou feliz por concluir mais esse trabalho, e o quanto estou agradecido por todos vocês acompanharem e apoiarem esse projeto. “Alvos” pra mim sempre terá um significado grandioso, eu sempre quis retratar o ódio das pessoas pelas outras, eu sempre quis falar dessa violência que está acontecendo em todo o mundo, e queria que alguém parasse por alguns minutos e me ouvisse, e você me ouviu.

Peço humildemente que não interpretem de forma errada a narrativa o qual o texto foi disponibilizado logo no início, eu quis inovar mostrando o ponto de vista de alguém preconceituoso, e como ele vê apenas o ódio nas pessoas esquecendo totalmente o lado positivo que nelas existem, e se você se sentiu desconfortável ao ler alguma cena, ao ler a narrativa, imagine então como eu me sentia escrevendo. 

É, até agora ainda não consigo aceitar que existem pessoas com tanto ódio no coração, com tanta maldade, com tanto preconceito, mas elas existem, e é doloroso apenas pensar que essa doença chamada “preconceito” passa de pai para filho, e a única cura é o amor.

Então, mais uma vez agradeço a todos, infelizmente eu não poderei citar um a um (senão ficaríamos aqui até amanhã), mas sinta-se abraçado e saiba que seja você quem for, acredite que sempre haverá um lugar só seu no mundo.

—————————————————————————————————————————————-

E NA PRÓXIMA SEGUNDA, NÃO PERCA A ESTREIA DE “NATUREZA PROIBIDA”, A NOVA WEB-NOVELA DAS 22H DO TV MIX!

natureza-proibida-1

104 thoughts on “Alvos da Sociedade – Capítulo 12 (Último Capítulo)

  1. Bem interessante a história, mas não consegui acompanhar devidamente os capítulos. Espero ter a oportunidade de conhecer um próximo trabalho. Parabéns ao autor!

    Curtir

  2. Nossa que finais mais dramáticos e tristes.. Mas gostei assim pq vc deixou de lado a ficção e mostrou a realidade provando que nem sempre temos finais felizes.. Cada personagem teve sua importância e eu amei a forma como eles foram trabalhados.. Não poderia ter outro final melhor para Geórdio.. kkk Embora como já te disse eu tenho uma certa simpatia pelos vilões hehe (Ramona que o diga🙊🙊). Amei a participação de Suzana .. Haha mostrou bem como ela é além de dá um gostinho do que vem por aí.. Haha Enfim te parabenizo muito pelo seu trabalho você conseguiu me prender mesmo com temas tão complicados. Meus sinceros Parabéns em pé pra vc. 🙌👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏
    Espero poder estar a altura a partir de semana que vem e substituir esse lacre dignamente.. rsrs

    Curtido por 1 pessoa

    • Eu tentei ser o mais real possível, com uma pitada fantasiosa para dar tudo certo de alguma forma. O final se resume a vida real, Adryan sendo condenado (injustamente?), enfim, finais tristes e dramáticos, mas é nítido a esperança dos personagens em seguirem em frente e se reerguer depois de tudo o que aconteceu. Eu tentei dar um pouco de importância a cada personagem nesse capítulo para que nenhum ficasse apagado. O fim de Geórdio foi tão difícil pra mim, afinal acredito que os leitores esperam muito por isso, e ainda não tenho certeza em afirmar se acertei ou não em acabar com ele dessa forma. Suzana é uma rainha, apenas sentir o luxo chegando. Muito obrigado fico muito feliz que a trama tenha te conquistado dessa maneira 😀

      Curtir

  3. Então Hivan, chegou ao último capítulo? Que lindo ver mais um trabalho seu sendo concluído… Eu acompanhei parte da construção dessa web-novela, sei bem como você se dedicou e se empenhou para produzir, mas principalmente sei o quanto você se entusiasmou em escrever “Alvos da Sociedade”, arrisco dizer que foi a trama que você mais se entusiasmou escrevendo e fico feliz por isso. Apenas lamento por não ter conseguido acompanhar, mas era inviável, tô no último semestre da faculdade e lotado de tarefas, tá tenso sabe… Enfim, não sou capaz de opinar sobre o final de uma trama que sequer acompanhei, mas não posso deixar de dizer o que está ao meu alcance: meus sinceros parabéns e saiba que pretendo ler quando estiver de férias, bjs estrelados! E agora vamos brindar porque somos desses!

    Curtir

    • Realmente, você sabe o quanto eu sofri também ao escrever e desenvolver essa web, você acompanhou todo o processo, e quando eu fiquei insatisfeito com o projeto e iniciei desde o começo? (Em cima da hora, ainda por cima, risos), e você paciente ao me ouvir sobre o que eu tinha a contar sobre a trama, e sempre me ajudando, eu sei que no momento estava muito ocupado mesmo, e entendo que não tenha conseguido acompanhar, não se preocupe quanto a isso.
      Eu fiquei muito animado com esse projeto, estou muito feliz com o resultado, muito mesmo, e gostaria de lhe agradecer todo o apoio que me deu durante essa trajetória, muito obrigado 😀

      Curtido por 1 pessoa

  4. Essa web foi excelente: Adryan e Janele foram mocinhos excelentes, mesmo não tendo sido um casal, Geórdio ficou inválido e foi preso(bem-feito), quem também arrasou na história foram: Cassie, Luciana e Patifa
    Parabéns!

    P.S. Que atriz você pensa fazendo a Alice?

    Curtir

    • Essa web é tão inovadora quanto as demais que criei, e até mesmo os protagonistas eu pensei em criar desta forma, Janele e Adryan os dois protagonistas que não formam um casal, mas mostram a força de uma grande amizade, mostra que existe amor entre dois amigos e que esse sentimento pode ser mais forte que qualquer outro. Gente, muito feliz que tenha aprovado o final de Geórdio (o qual fiz com muito receio, afinal sei o quanto os leitores aguardavam por isso). Realmente, Cassie e Luciana tinham papeis importantissimos na trama, mas inicialmente Patifa não era para roubar a cena, e não é que ela se saiu muito bem?
      Muito obrigado 😀

      Bem, pra falar a verdade eu não pensei numa atriz para Alice, talvez Mariana Ximenes, apenas talvez.

      Curtido por 1 pessoa

  5. Aí que tudo, aí que loucura, aí que delícia, adooooooooooooooooooro.
    Palavras de narcisa 😂😂😂😂😂😂😂
    Enfim, amigo, fico tão feliz por vc ter concluído mais um trabalho, que por sinal é um sucesso como todos os outros, você sempre faz uma obra bem feita e com muita dedicação, eu admiro muito isso, parabéns, quero ser como você 😂.
    Enfim, eu fico muito feliz por sua obra, por mais uma trama estar chegando ao fim, uma pena que não pude acompanhar, mas o carinho que o público sente por essa web já me faz sentir melhor, em saber que é um sucesso e quem sabe eu possa ler lá no Vale a Pena Ler de Novo, amooooo.
    Parabéns, que venham novas obras, muito feliz por vc, por esse luxo e que venha recorde, pise com 50 pontos, vamos fazer uma corrente.
    ❤❤❤❤😍😍😍

    Curtir

  6. Parada cardíaca aqui 😱
    Meu Adryan ficou na cadeia 😢
    Aslan e Geórdio morreram, adorei!
    Que trama Hivan!!! Parabéns 😘
    Simplesmente chocante, arrepiante e diversa! Parabéns 👏👏👏

    Curtir

    • E olha que eu nem imaginava causar tanto nesse último capítulo, afinal não tinha tantas surpresas, no mais, apenas os desfechos violentos.
      Adryan condenado, apenas lamentamos 😥
      Aslan morreu, mas Geórdio continuou vivo, infelizmente (ou nem tanto), mas fico feliz que tenha gostado
      Eu estou muito feliz com mais esse projeto, muito obrigado por apoia-lo 😀

      Curtir

  7. Claro… como eu não pensei nisso antes? Por que as coisas teriam sido tão fáceis para a Alice? Claro que tudo era uma armadilha da Patifa pra pegar a Alice no ato. O que realmente me surpreendeu foi o fato do Perez ter sobrevivido, não esperava isso… o cara realmente deu sorte, né?

    Sejamos realistas… não seria justo que o Adryan fosse inocentado. Ele cometeu crimes, por mais que tivesse induzido a tal. Inclusive achei que pegaram leve com ele, 8 anos foi uma pena até modesta comparada à gravidade dos crimes cometidos. Mas ao menos, ele ganhou um amigo, o Vasper, que o permitiu suportar os 8 anos de reclusão sem perder a sanidade e sem ser violado pelo desenfreado e insaciável apetite sexual dos criminosos ali reclusos. Mas o que aconteceu com ele depois de ter cumprido sua pena? Essa pergunta deverá ser respondida por nós… e sinceramente, isso me deixou desanimado.

    A justiça foi feita. Geórdio foi detido por Patifa e Perez, foi preso, sofreu uma overdose provocada por Adryan e, aparentemente, teve um derrame que lhe causou uma paralisia em metade do seu corpo. Isso também me desanimou um pouco. Não era bem esse tipo de surpresa que eu esperava. Ainda falando no Geórdio, eu deveria, mas não me senti comovido com a destruição da família dele… talvez, porque ele mesmo foi o causador dessa destruição, em uma tentativa desesperada de reuni-la para alcançar sua felicidade.

    Aslan foi rejeitado pelo Duke, isso arrasou com ele. E logo o soldado do Geórdio foi delatado à polícia por uma de suas vítimas. Para não ter que pagar pelos seus crimes, ele se matou. E, para honrar a falta de humanidade, o Duke agiu friamente à notícia do suicídio do Aslan. Mas antes, o Duke fez as pazes com a mãe que o deserdou no passado… olha, eu parei quando eu li “Duke não era rancoroso”. Eu sei que o texto de AdS é recheado de sarcasmo e ironia, mas mesmo assim eu não me aguentei. Se tem uma coisa que o Duke É, essa coisa é rancoroso. Se ele não fosse rancoroso, ele tinha perdoado o Aslan e dado uma segunda chance a ele, por mais que ele não merecesse, ou por mais que houvesse grandes chances dele desperdiçá-la. Eu, pelo menos, estava convencido da regeneração do Aslan, isso estava muito explícito, mas o rancor cegou o Duke.

    O crossover de Alvos da Sociedade com Natureza Proibida foi bem sutil. Janele sendo convidada por Suzana para participar da inauguração da boate que vai ambientar a nova trama das 22h. Falando em Janele, ela foi a única personagem que se deu bem nessa história toda… se juntou com o advogado do Adryan. Ela foi a única personagem que teve um final realmente feliz ali.

    Adryan não teve um final feliz… ele pagou pelos seus crimes na cadeia, por mais que não tenha sofrido abusos. Luciana não teve um final feliz… ela terminou a trama chorando a morte do Aslan, por mais que ela tenha se livrado do Geórdio. Cassie não teve um final feliz… ela terminou a trama chorando a prisão do Adryan, sem ter feito absolutamente nada para amenizar o sofrimento dele (não por omissão, mas por falta de oportunidade). Bom, podemos dizer que o final do Duke foi feliz, porque ele fez as pazes com a mãe, virou detetive e passou a trabalhar junto com a Patifa e o Perez, mas eu simplesmente odiei esse final, não vi sentido algum.

    Alvos da Sociedade começou montando o palco pro Adryan. Ele seria o centro das atenções da trama, tudo pareceria girar em torno dele. Mas, com o passar dos capítulos, ele foi se afastando do palco, dando espaço pros outros personagens. Mas acabou que o verdadeiro centro das atenções foi o Lucas, o travesti morto pelo Aslan e o seu bando, cujo corpo foi violado pelo Adryan a mando do Geórdio. Isso descaracterizou a trama de tal maneira que eu não gostava mais de ninguém. No máximo, sentia raiva do Geórdio, mas conflitava por causa dos fins dos meios dele. Fiquei sem um norte na trama, sem ninguém pra torcer. Tá, cheguei a torcer pro Geórdio matar o Adryan, mas isso não conta porque foi só durante a estadia deles na cadeia.

    Uma pergunta ficou sem resposta. Pela maneira que o assunto referente à pergunta foi tratado, creio que isso tenha acontecido acidentalmente, o que configuraria um furo de roteiro. DE ONDE O ADRYAN CONHECIA O LUCAS? Depois que o Adryan abusou do corpo do Lucas, o Adryan o reconheceu. Mas, além de ficarmos sem saber o porquê, o fato do Adryan conhecer o Lucas foi simplesmente ignorado pelo resto da trama. É como se nem o roteiro soubesse de onde o Adryan conhecia o Lucas. Se eu não me engano, o Aslan também conhecia o Lucas, ele sabia o nome dele, mas não sabemos de onde ele o conhecia. Mas, pelo menos, o caso do Aslan tem um mínimo de explicação, basta forçar um pouco o raciocínio que você chega a uma conclusão (vaga, mas chega); certamente o Aslan deve ter se envolvido com o Lucas em algum momento no passado. Não digo envolvimento amoroso, mas envolvimento rápido. Agora, no caso do Adryan, não vejo como ligar os pontos, até porque isso foi esquecido.

    Enfim: Alvos da Sociedade me frustrou no final. O penúltimo capítulo tinha sido um prenúncio da decepção que me esperava. E não tinha como eu esperar outra coisa, afinal tudo era imprevisível. Essa reta final me deixou anestesiado, tudo me parecia morto, apático, inerte, nada era capaz de me tirar da inércia.

    #MomentoDivulgaçã1: https://audienciadatvmix.wordpress.com/2016/09/09/mundos-opostos-capitulo-30-ultimos-capitulos/

    Curtir

    • Bom, vamos lá, tentarei responder todas as questões, mas vamos com calma.

      Algumas pessoas já esperavam que Patifa não tinha morrido, e de fato a “morte” dela foi muito vazia, claramente que era de se desconfiar, e sobre Perez ter sobrevivido, não que ele tenha tido muita sorte, mas ele poderia ter morrido sim, a história da morte dele foi criação dele e Patifa que já desconfiavam de Alice.

      Realmente, eu quis mostrar a dura realidade do desfecho de Adryan, ele não tinha como ser absolvido, mas a pena dele até que foi alta (após umas análises sobre tais crimes, falsificação de documentos a pena máxima é de 6 anos, já necrofilia é de 3 anos, fiquei surpreso? Sim e muito, eu pensei que fosse mais também, bom se o site que eu pesquisei for de confiança, Adryan quase pegou a pena máxima dos dois crimes cometidos). E sobre os leitores pensarem o que aconteceu com ele depois que ele sair da cadeia, eu diria que um recomeço, como o próprio prólogo já diz.

      A não morte de Geórdio foi minha grande preocupação, para o primeiro final que eu tinha desenvolvido para ele, ele não morreria também, mas seria um pouco diferente do que foi exibido oficialmente e eu fiquei muito receoso, pois achei que não seria surpreendente afinal todo mundo depositou grandes expectativas para esse final e não lhe tiro a razão de ter se decepcionado com esse aspecto.

      Eu acredito mais do que ninguém que Duke sofreu mais do que qualquer um ao descobrir que Aslan morreu, eu não diria que ele é rancoroso, mas em alguns momentos as pessoas cansam de sofrer, de dar segunda chance, e Aslan abandonou Duke tantas vezes, e agora, em seu último momento em vida vem pedir perdão por ter matado a amiga de Duke, olha eu realmente não vi Duke sendo rancoroso, ele pode ter ficado magoado, e o momento em que ele fica sabendo a morte de Aslan, algo morre dentro dele também, algo que ele nem conseguiu dizer, mas enfim, sinto muito por ter passado essa visão errada do Duke.

      Acho que devemos concordar que Janele teve um final feliz, não por completo pois ela sempre esteve envolvida com as dores de sua família e com o trauma envolvendo o Duke, mas não é apenas de lamentações que se vive a vida, então podemos dizer sim que ela teve um final feliz.

      Bom, eu não sei se você odiou o final de Duke ficando feliz, ou os outros terminando infelizes, ou o conjunto de tudo isso, e não posso lhe consolar quanto a isso, eu tentei ser fiel ao que tinha planejado desde o início, Duke virar detetive iria abrir as portas do mundo para ele (que sempre quis estudar) e ele carrega partes dos sonhos da Laize junto com ele. Já os outros terminando infelizes, eu não diria isso também, Luciana se viu livre de Geórdio, ela já não convivia com Aslan, e passou a ter um contato melhor com a filha. A prisão de Adryan o aproximou de Vasper, alguém que cuidava dele, que o aceitava da maneira como ele era, e o protegia de tudo. O mesmo aconteceu com Cassie, que ficou mais próxima de Janele, e esses laços de amizade só aumentaram com o passar do tempo, acredito que eles não entregaram-se por completo para a tristeza, mas se apegaram na esperança de dias melhores.

      Eu diria que Adryan e Janele eram os protagonistas da trama, cada um seguindo um caminho diferente, mas que cruzava-se várias vezes (eram amigos e isso aconteceria), mas quis mostrar que a amizade deles ia muito além de um “conte comigo”, e isso foi do começo até o fim. Já sobre o Lucas, ele teve destaque sim, mas não foi o grande destaque, como eu disse anteriormente eu sempre quis criar um personagem já morto e com relevância na trama, porém Lucas cumpriu seu papel como eu planejava e não acho que tenha roubado as cenas dos protagonistas, o Adryan se afastou nesses últimos capítulos, mas a trama central ainda estava em sua volta, e tudo aconteceu da forma como deveria acontecer (ou da forma como eu planejei que aconteceria). E sobre a descaracterização da trama, bom, devo concordar apenas com a narrativa que foi perdendo força nos capítulos finais, eu fiquei exausto com a narrativa e o texto e aos pouco fui deixando aquele lado obscuro de lado, era uma escrita que exigia muito de mim, e achei que o final iria ser prejudicado caso a narrativa estivesse em seu total presente. Já sobre os personagens não despertarem nenhum sentimento de afeto dos leitores é porque eu os criei todos errados, criei com falhas humanas, os criei para ninguém torcer para um, ou escolher outro, ou favorecer aquele outro.

      Bom, sobre Adryan conhecer Lucas, ele fala (acho que no quarto, ou quinto capítulo) que ele ajudou a falsificar os exames daquele paciente com Geórdio, o momento em que Adryan diz que conhecia aquele cadáver foi simplesmente um momento horrível para ele, passar por aquela agressão, e depois ao ver a face do corpo ele reconheceu sendo o mesmo que fez a perícia, então para o Adryan, naquele momento, foi algo relevante, mas que não muda em nada na trama.
      Já sobre Aslan, é fácil ele saber quem era Lucas, afinal todo o processo de morte, todo o processo de perícia, e Geórdio o mantendo informado sobre o que estava acontecendo, ele haveria de saber o nome de sua primeira vítima, mas não que ele conhecia Lucas, ou que tinha um caso com ele, se isso realmente tivesse acontecido ele teria falado.

      Enfim, eu não sei se eu lamento ou se eu comemoro seu comentário, afinal a trama inteira era mórbida, trazia consigo o tema de necrofilia, e os personagens pareciam mortos no último capítulo, eu esperava passar isso na trama, saberia que algumas pessoas achariam genial, e outras iriam desagradar, mas enfim, eu acredito que eu tenha cumprido o objetivo que eu estava propondo e estou satisfeito com esse projeto, sinto por não ter conseguido lhe agradar.
      Mas agradeço profundamente por ter acompanhado e apoiado esse projeto, isso foi muito importante para seu desenvolvimento, obrigado ❤

      Curtido por 1 pessoa

  8. Parabéns Hivan pelo grande sucesso de Alvos da Sociedade!
    Final ousado, surpreendente, mas que foi coerente com toda trama.
    Você mereceu esse sucesso por sua dedicação com essa web ousada e diferente de todas, mas que agradou muito.
    O final do Adryan foi surpreendente, achava que ele seria inocentado. Mas, o que aconteceu condiz com a trajetória do Adryan.
    Duke detetive.
    Janele feliz e narrando o final foi emocionante.
    Alice sendo feita de puta foi merecido, Geordio sofrendo foi feita a justiça, afinal ele foi um monstro nojento.
    Curti muito seus comentários entre as cenas e falas.
    Foi interessante a abordagem da próxima web Natureza Proibida com a Janele.
    Enfim, Alvos da Sociedade foi uma web que veio depois do fenômeno O Preço da Vida, com uma escrita diferente da habitual das tramas, com temas ousados e até nojentos, mas conseguiu ser um fenômeno e agradar bastante o público que prestigiou seu talento nesta web.
    Cada capítulo era um acontecimento novo, que no final tudo foi feito por Aslan, quem apostaria nele como o assassino. Foi obrigado por seu pai, mas ele quem matou vários Alvos da Sociedade.
    Aliás que título foda.
    Estou feliz por você ter conseguido escrever essa web diferente, mas de uma forma envolvente.
    O amor tem que vencer o preconceito e o ódio, viva o amorna sociedade.
    Basta de Alvos da Sociedade.
    Tenha muito amor na SOCIEDADE!!!!!!!!!!!!!!!!!
    PARABÉNS HÍVAN!!!!!!!!

    Curtir

    • Eu estou muito feliz com mais esse projeto finalizado 😀
      O final do Adryan não poderia ser diferente, ele acabou por pagar todos os crimes na cadeia, infelizmente. (Eu também desejei que ele fosse inocentado, mas tentei ser o mais coerente possível nesse último capítulo)
      Duke detetive carrega junto a ele seus sonhos e os sonhos de Laize.
      Quem melhor que a rainha Janele para narrar o final? ❤
      Alice sofrendo na cadeia (e Geórdio também) e fico feliz que o final desses dois tenha agradado, pois tive um grande receio ao desenvolve-los
      No começo eu achei que todos iriam estranhar a forma como eu desenvolvi a narrativa para Alvos, depois as cenas seguiram-se um lado mais obscuro diferente de tudo o que eu já tinha feito, estou muito feliz que tenha gostado e aprovado esse projeto, muito obrigado.
      Estou muito contente, de alguma forma quero passar a mensagem de que o amor vence tudo, até mesmo o preconceito, obrigado 😀

      Curtir

  9. SOCORRO! Perez e Patifa , vivos, nunca pensei. Adoro!
    Chocado com o suicídio do Aslan. Se viu encurralado sem saída , sem perdão.
    Linda essa cena do Duke com sua mãe, comovente seu arrependimento.
    Q lixo, foi tudo armação do Aslan com o pai o lance do vídeo. Socorro que a Alice virou bonequinha das presidiárias. Bem macabro o fim do Geordio. Kkkk ele igual a um chimpanzé foi bom. No mais eu queira que ele tivesse sofrido bem mais e morresse dps. MORTE q ele ainda ficou vivo, mas com apenas algumas partes do corpo móvel, castigo vai ser ate bom. Nunca mais esse verme vai fazer mal a alguém, ficará apenas vegetando ali, até seus últimos dias. Janele arrumou um boy. Duke virou detetive, Adryan condenado . Adorei essa cena final da Jan narrando os desfechos. vc cumpriu o que queria retratar, e o resultado foi muito bom. Nem todos finais são felizes ,ainda mais pessoas que são alvos de uma sociedade hipócrita. Adorei a web, a forma de como vc quis transmitir para o leitor, a narrativa ótima. No começou estranhei, mas dps acostumei, texto muito bom tbm. Parabéns pelo trabalho e que volte logo. :*

    Ja estou com saudades da abertura.

    Curtir

    • Perez e Patifa armaram tudo para prender Alice, adoramos
      Também sofri muito com o suicídio de Aslan, ninguém o perdoou e ele se recusou a viver com aquela dor.
      A cena do Duke com a mãe dele é uma das cenas mais emocionantes que escrevi ❤
      Adryan sempre teve razão que era uma armação de Aslan. Alice sendo violada na prisão.
      Até agora não consigo superar você rindo do final do Geórdio (risos kkkkk).
      Olha aqui, dá mais ênfase para a Janele ok, se ela arrumou um boy foi por todo mundo implorar por isso agora licença.
      E Adryan acabou por ser condenado, infelizmente.
      Eu fico muito satisfeito que tenha entendido a mensagem que quis passar com a trama, eu estou muito feliz com o resultado, muito obrigado.

      Ps: Sentiremos muita saudade da abertura ❤

      Curtido por 1 pessoa

  10. Parabéns Hivan! O final ficou muito bom (não diferente da novela) muito dramático e surpreendente. Realmente é difícil de acreditar que existem pessoas assim, mas infelizmente é a verdade e vc retratou muito bem essa realidade.
    Mais uma vez parabéns e estou aguardando o próximo trabalho 😉 bjs
    Ps: Luciana matou o próprio filho e Janele continua sendo a mesma imprestável pra mim. Quanto ao Duke…👏🎉🎊👍😁

    Curtir

    • Muito obrigado 😀
      Que bom que você gostou do último capítulo (que seguiu-se dramático como todos os capítulos anteriores). A mensagem que tentei passar parece ter surtido efeito, e realmente é difícil acreditar que existem pessoas movidas pelo ódio, mas infelizmente existem.
      Bom, quem sabe em breve eu esteja num novo projeto
      Ps: Luciana não matou o Aslan, ela não pensou que a consequência de seus atos acarretassem na morte dele, já o Duke, vamos comemorar -brindando-

      Curtir

  11. Um final muito bem construído, assim como a trama em si. A riqueza de detalhes fez eu me sentir dentro da web. Era notório e sensitivo a mescla de sentimentos que envolvia os personagens e adorei ainda mais o fim do Geórdio, que terminou pagando em vida por tudo o que fez.
    Hivam todo esse sucesso é mais que merecido, pois é resultado de muito carinho e dedicação. Obrigado por nos brindar com mais uma trama incrível ❤
    Parabéns e vamos brindar por mais um incrível trabalho finalizado com êxito.

    http://media.tenor.co/images/841da4cf8a4200719b9acf1b81387cb1/raw

    Curtir

    • Muito obrigado, que bom que gostou da trama (e do último capítulo também), estou bastante realizado com esse projeto, é algo que criei para fazer com que as pessoas parassem um pouco e refletissem a respeito, e é ótimo ver que tenha dado certo, muito obrigado ❤

      Curtir

  12. Gostei muito do final, tive muito prazer em ler a cena da morte do Geórdio.

    Fiquei com muita pena do Adryan. Ele foi o único personagem para quem eu torci desde o início da web, sempre gostei muito dele. O coitado só sofreu a vida inteira, morro. Mas foi um personagem com uma trajetória realista.

    E Aslan se matou. Olha, confesso que não fiquei triste com a morte dele, risos.

    Sua web foi maravilhosa, Hivan, parabéns! 😀

    Curtir

    • Gente, quase que o Geórdio morre query 😛

      Adryan sofreu muito, sofre a web inteira e no final ainda é condenado, acredito que parte desse aspecto tenha desagradado algumas partes, mas tentei ser realista, e que bom que tenha entendido.

      Sofro que não se comoveu com a morte de Aslan

      Muito obrigado ❤

      Curtir

  13. E chegamos ao fim? Passou tão rápido… enfim, vamos falar desse desfecho que encerrou a trama com chave de ouro.

    Patifa não morreu e estava usando um colete a prova de balas, esperando a Alice. A minha teoria tava certa, não vou mentir, adoro desvendar os mistérios alheios. 😛 Mas sobre o homem misterioso ser Perez me tombou por completo, jamais imaginei que ele estivesse vivo. Alice presa e usada como brinquedo sexual na cadeia e Patifa rainha.

    E Duke sobreviveu a queda, deu sorte, a queda nem trouxe muitas consequências. Ele mereceu um final feliz, e gostei dele trabalhando com a Patifa como detetive.

    Aslan é denunciado por Luciana mas prefere tirar sua vida, e acabar com toda a sujeira que ele carregava nas costas, sinceramente, não senti nenhum pouco de pena dele, só da Luciana e da Janele. E o meu desprezo por tal personagem só aumentou com a revelação de que ele armou com Geórdio no vídeo do sexo no estacionamento.

    Adryan é condenado, mas na cadeia fez um amigo, e ele acabou conseguindo se vingar do Geórdio (queria que o Adryan tivesse enfiado a seringa no pescoço do Geórdio, ele merecia isso, mas ok). Por falar no fim de Geórdio, o desgraçado não morreu, mas teve uma overdose, agiu como macaco e perdeu o movimento de partes do corpo, além de ficar na cadeia. Bem feito, que você se estrepe muito mais, cretino.

    E a rainha Janele narrando o final? Amo. ❤ Ela manteve o foco nos estudos, Duke virou detetive. E no epilogo temos Adryan liberto, felizmente, ele só sofreu a web inteira, pelo menos nos momentos finais da trama ele teve um motivo pra sorrir.

    Sobre as suas considerações, muito reflexiva de certa forma, apenas sentir.

    Enfim Hivan, não tem muito mais o que falar, mas Alvos da Sociedade foi sensacional, genial até, e de todas as suas webs que eu li, digo que ela é a minha segunda preferida, atrás apenas de Pedaços da Dama, que é a minha queridinha, risos. A qualidade da trama não me surpreendeu, não esperava menos que um luxo de você, e foi incrível essa experiência de leitura, você sempre traz algo de novo e original em suas tramas e dessa vez não foi diferente, e só provou o quão excelente autor que é, é cada história incrível que sai dessa sua mente. 😛 Enfim, parabéns por mais esse projeto concluído com sucesso e dedicação, Alvos da Sociedade vai ficar marcada em todos que leram. Parabéns. 😀

    Curtir

    • Fico sem palavras diante a comentários que muitas vezes traduzem a trama, em outros casos (no seu caso) de teóricos formados em contar spoilers da trama (risos). Bom, no começo quando iniciou poucas teorias, algumas pessoas já diziam que Geórdio falsificava os exames para proteger o Aslan,
      Já indo para a reta final todo mundo começou a fazer algumas teorias (e muitos acertaram), e você surgiu com a melhor teoria de todos (desculpem os demais), mas não posso deixar de falar que ao invés do Perez (o homem misterioso) ser o Adryan fazia todo o sentido (e inicialmente seria, mas por motivos de que o capítulo ficaria enorme só explicando isso, eu resolvi seguir minha ideia principal, que era Adryan pagando por seus crimes na cadeia), mas não posso negar que eu pensei sim na hipótese de que o homem suspeito era o Adryan, e ele estava ajudando a Patifa e enfim, mas tive que mudar, pois como disse anteriormente, eu queria que ele pagasse por seus crimes na cadeia (traduzindo para o meu vocabulário: que ele sofresse mais um pouquinho, não que ele merecesse, mas para mostrar o que eu queria passar com a trama).
      E você acertou que Patifa estava esperando Alice, e ela é uma rainha mesmo, já Alice foi pra cadeia virar objeto sexual de outras detentas.

      Eu ouvi um “grito” quando ele se jogou e depois disse que não estava mais sentindo as pernas? Mas para a felicidade de todos, Duke triunfou na trama, e deu a volta por cima. Eu pensei na idia dele virando detetive, pois ele ficou em meio a um tiroteio, viu a amiga morrer, salvou a amiga de uns agressores, ficou frente a frente com os assassinos, sobreviveu a um incêndio, enfim, ele era o James Bond da trama (risos), não é pra tanto, mas eu não podia definir outro final pra ele a não ser esse e que bom que gostou 😀

      Adryan, no fim, sempre teve a razão de desconfiar de Aslan, quando ele atacou Aslan naquela noite e o acusou de tudo ser uma armação, Adryan tinha razão, infelizmente falhou em matar Aslan. Luciana sofreu com seu filho, mas sofreu mais ainda com a morte dele.

      Eu fiquei um pouco aliviado depois de apresentar o capítulo, pois até então o que mais me deixou com medo foi o final de Geórdio, pensei que não iria agradar, mas estou um pouco mais calmo quanto a isso, que bom que gostou 😀

      E a rainha Janele narrando o final, amamos? Claramente.
      Adryan sendo libertado após anos na prisão, uma emoção? (Olha eu nem chorei, só fiquei tremendo).

      E mais uma vez agradeço por acompanhar mais uma projeto meu, fico muito honrado que tenha se agradado de Alvos tanto quanto PDD, e estou surpreso em saber que Pedaços da Lavínia é a web minha que mais te agradou.
      Enfim, estou muito feliz com esse final e com todos os comentários ao longo da web toda, muito obrigado ❤

      Curtido por 1 pessoa

  14. Apenas sofro com esse fim!

    Perez e Patifa armaram um plano para capturar Alice e Geòrdio

    Patifa e Perez não morreram :O

    Duke não morreu

    Luciana entrega Aslan…

    Aslan se mata para não ser preso :O

    Vasper macho do Adryan…

    Seria legal um especial de 1 capìtulo contando a estòria dele

    Luciana e Geòrdio tem um embte final

    Adryan tenta matar Geórdio

    Geórdio teve um fim merecido!

    Alice vira sapatão na cadeia kkkkkkkkkkkkkkk

    Adryan é condenado por 8 anos

    Mortissima com a propaganda de Natureza Proibida

    Janele namorando Saulo e virando médica :O

    Geòrdio deveria ter caido do helicoptero! ( e sobrevivido é claro)

    Sofro com o fim dessa web tão bem escrita e executada com maestria!, todos os assuntos abordados nesse folhetim foram muito bem usados, apesar de ser uma trama digamos fictícia passou pelomenos pra mim o sofrimento e o preconceito contra todos os personagens, sofro que me chamam de preconceituosa racista e homofòbica nesse blog…
    Enfim parabéns Hivan, quero recorde de pontos!
    “Alvos da Kelly” e você mereceram tudo o que conquistaram, essa trama ficara pra sempre em minha memòria assim como “O Preço do Porno”, um luxo subistutuido por outro luxo! (coitada da Verbana que caiu no esquecimento)

    Curtir

    • Todos sofremos

      Patifa e Perez planejaram tudo conta a Alice, e em seguida pegaram Geórdio também.

      Duke sobrevive 😀

      Luciana teve que entregar o filho, infelizmente

      Aslan se viu desesperado e se mata

      Gente, Vasper amigo do Adryan, apenas sentir

      Eu pensei nisso, abafa

      Luciana colocando as cartas na mesa

      Ainda bem que gostou do fim de Geórdio

      Gente, ela só virou um alvo, risos

      Apenas lamentamos Adryan sendo condenado

      Natureza Proibida tendo seu devido destaque, novo luxo chegando

      Janele uma rainha

      Risos letais, gente não sei se isso foi uma referência de Víbora Dócil, mas eu adorei.

      Gente, muito obrigado 😀

      Víbora Dócil não caiu no esquecimento, você acabou de lembrar, amo ❤ (E eu nunca esqueço uma web que eu escrevo, sempre terá um espacinho para cada uma delas).

      E novamente, grato 😀

      Curtido por 1 pessoa

  15. Que lindo amigo a sua mensagem final nossa emocionante mesmo, mostra o quanto vc acreditou na sua obra e o quanto ela foi significativa pra vc e pra nós. Não pude acompanhar, mas já deu pra perceber a sua intenção, que foi mostrar a realidade, como o preconceito está inserido hoje em dia, amei a sua mensagem amigo e vc arrasou como sempre. Parabéns e vc merece todo o sucesso que vc tem. Te adoro amigo

    Curtir

    • Muito obrigado, essa trama tem um grande significado pra mim, e me dediquei muito na criação de cada personagem e também me esforcei para desenvolver a trama no geral, estou muito feliz com o resultado, muito obrigado 😀

      Curtir

  16. “Já que é pra tombar, tombei.” Claramente Hivan cantando pra mim nesse instante. Que último capítulo diferente, surpreendente e maravilhoso! Estou em shock com tudo. 😮 😮 😮

    E não tivemos reconciliação entre Duke e Aslan, o que eu achei ótimo mesmo apostando que teria. Pensando bem, não teria mesmo nexo isso. A morte do filho de Geórdio antes de ser preso foi o momento onde eu mais me choquei, sério. Não sei se preferia ele atrás das grades sofrendo pelas atrocidades que cometeu nessa sociedade, ou essa morte de uma forma dolorosa que aconteceu. Perez e Patifa estão vivos? Espera aí, ninguém me contou isso não. Vc esta brincando comigo, é isso? Gente… Alice sendo tratada como putinha na cela foi bem surpreendente. Ela apareceu na trama assim, como não queria nada, mas por trás dessa “máscara” tinha uma bandida.

    E chegou o gande dia: A humilhação de Geórdio. Luciana deveria ter dado mais na cara desse infeliz, cuspido mais nele. Antes de sofrer como mereceu esse desgraçado ainda riu da desgraça de Adryan. Adorei o modo que Adryan quis fazer justiça aplicando a seringa e fazendo o médico ter uma overdose. Agora ele esta paralítico e pagando por todo mal que cometeu a todos em sua volta. A resposta “espero ser surpreendido” aconteceu, amo. Sinceramente, Adryan não mereceu a prisão. Fiquei bem triste com isso, um inocente desses. Rainha Janele teve seu final feliz. Será que ela nessa vida já se tornou alvo dessa sociedade? A pergunta que vai ficar vagando pelos arredores do Mix.

    E chegou ao fim mais uma web do rei Hivan, do rei que surpreende todos nós com suas inovações e com suas histórias. “Alvos da Sociedade” nos fez pensar e muito no mundo que estamos vivendo hoje em dia. É a segunda web sua desse ano que leio e não me arrependo, de verdade. Parabéns pela web que nos surpreendeu a todo momento, pela web que teve de tudo, pela criação de personagens memoráveis e diferentes (Geórdio em primeiro lugar)… Parabéns, Hivan! 😀 Espero que vc volte logo, ok? Ok.

    Curtir

    • Eu após tombar todo mundo com esse último capítulo

      Não tinha como ter reconciliação de Duke e Aslan, iria ir contra tudo o que já foi mostrado na trama, Duke sempre aguentou calado as humilhações de Aslan, mas assassinato? Não sei se o amor verdadeiro superaria isso, mas tá aí um ótimo tema a ser discutido, mas como esse não era o foco, vamos indo em frente. A morte do Aslan aconteceria de qualquer forma (em todos os finais que planejei para ele, ele morria, a única coisa que mudava era a forma que ele se matava). Perez e Patifa tombaram todo mundo? Eu acho que sim, risos.
      E Alice se torna o mais novo brinquedinho das detentas.

      Parece que quanto mais Luciana bate em Geórdio, menos é suficiente, pra falar bem a verdade esse acerto de contas foi pouco comparado a toda maldade que Geórdio fez. Adryan junto ao Vasper planejam uma vingança contra Geórdio, que sobrevive e tem que conviver com uma paralisia na cadeia.
      E eu estou surpreso por ter surpreendido você (confuso, não é?), mas em sua maioria, não consegui surpreender com o fim do Geórdio, o capítulo final em si sim, mas nesse aspecto, acreditava que não. Adryan não merecia tanto sofrimento, mas o motivo para isso? Bom, ele era um Alvo da Sociedade, estava lá exatamente por esse motivo, e Janele, seria ela um Alvo dessa Sociedade também? Quem sabe…

      Gente, eu mais uma vez sem palavras para tantos elogios, eu sempre me esforço para tentar trazer algo novo para os leitores, sempre procuro inovar em minhas tramas, e fico muito feliz quando consigo prender a atenção do público, mais ainda ao saber que minha mensagem está sendo passada, muito obrigado 😀

      (Não se preocupe, logo voltarei).

      Curtir

  17. E chegamos a o fim de “Alvos da Sociedade” 😢 Eu não sou muito de fazer grandes comentários, mas farei como todo meu coração ❤ Alvos foi uma trama que começou tímida e ao mesmo tempo chocante, verdade, mas que já me conquistou desde o primeiro capítulo. A ideia de um ponto de vista narrada por uma pessoa preconceituosa foi inovador e ao mesmo tempo assustadora, deva para sentir em cada palavra do narrador o que ele queria passar: o ódio. É lamentável saber que existe pessoas assim no mundo. Alvos atingiu barreiras extremas, como até onde se vai o amor, a sanidade e o preconceito. Eu não quero muito falar do último capítulo, mas sim da trama toda. Mas vamos falar um pouco desse desfecho: surpreendente! magnífico! esplêndido! Tudo se encaixou perfeitamente, tudo calculado, cada destino. Espero que Adryan seja feliz ao sair da cadeia, ele merece. Quero Janele feliz como médica. Cassie feliz junto ao filho. Duke feliz como detetive. Espero que Vasper consiga encontrar a felicidade, por mais que eu achei que após a libertação de Adryan ele não ora mais resistir. Alice agora sofre na cadeia. Quero ver Luciana se recuperar após todos os traumas. O final de Geórdio eu vi como uma mensagem. Sim, uma mensagem: nem tudo que nos fazem mal será morto, mas sim terá seu devido castigo, seja como for. A vida é cruel, e talvez essa crueldade tenha deixado o Geórdio vivo, mas a vida também pode ser justa, dando a cada um uma esperança, um motivo para viver. A trama foi realmente imprevisível. E apesar de tudo, as coisas tiveram seu FIM por mais que os personagem continue sua vida após isso, é necessariamente um recomeço. Eu não vou me prolongar mais, já falei (digitei) muito. Eu também queria falar o quanto te admiro, Hivan. Suas tramas são magníficas e enigmáticas. Muito orgulho de ser seu leitor fiel, Pornográfica Dissoluta, Víbora Dócil e Alvos da Sociedade foram trama muitos significante pra mim. Infelizmente não li Pedaços da Dama, mas um dia espero ter oportunidade. Espero acompanhar cada vez mais tramas suas ❤ Parabéns ❤ 😀

    Curtir

    • E eu nem sei como agradecer, não apenas pelo comentário, mas por saber que é meu leitor fiel e já leu tantas webs minhas, e pra mim é um prazer saber disso. Nas demais webs (exceto Pedaços da Dama), eu sempre abordava alguns assuntos que eu considerava interessante, e inseria na trama personagens e características minhas, já Alvos e PDD foram completamente diferentes, as tramas surgiram com uma mensagem a ser passada (e acredite, você terá a oportunidade de ler PDD), mas continuando, eu estou muito feliz que eu tenha conseguido dizer tudo (ou quase tudo) o que eu queria dizer com Alvos, e que o ódio, ah, esse ódio ele mata. Bom, e a sociedade, e a vida são crueis. Eu acho incrível a forma como você viu o fim de Geórdio, em momento algum passou pela minha cabeça matá-lo, na verdade eu queria mantê-lo vivo, não para conserva-lo, mas para que ele pudesse ver com os próprios olhos a felicidade dos outros, para que ele pudesse ver todos superando os traumas e vivendo um futuro sem ele, para que ele visse que o que ele estava fazendo era errado. Essa web significa muito pra mim, e estou muito (mas muito mesmo) feliz em conclui-la sendo um sucesso como foi. Obrigado ❤

      Curtido por 1 pessoa

  18. Olha só, infelizmente não estou para fazer um comentário decente(como sempre), mas vou deixar minha admiração pela essa web maravilhosa e para você Hivan que é um ótimo autor, não acompanhei fielmente a Alvos da Sociedade mas foi uma ótima trama, chocante e mostrou uma realidade desconhecida por muitos, envolvente e viciante ao mesmo tempo, mas vindo de você Hivan não poderia esperar por menos, parabéns pelo o sucesso de mais uma obra sua e já na espera da sua próxima.

    Curtir

    • Muito obrigado, eu entendo que não tenha conseguido acompanhar, quem sabe a próxima 😀
      Alvos foi muito difícil pra mim, mas finalmente consegui conclui-la e ainda emplacou um sucesso desses, que sinceramente eu não esperava, apenas sentir ❤

      Curtir

  19. Irei responder todos os demais devidamente assim que me recuperar, estou muito feliz, e muito emocionado, estou sem palavras, isso me lembrou muito o final de PDD, e é incrível a sensação, obrigado por todos me proporcionarem esse sentimento novamente, todos vocês tornaram a trama importante, e deram voz a mensagem que eu quis passar, só tenho a agradecer, obrigado ❤

    Curtido por 2 pessoas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s