Mundos Opostos – Capítulo 30 (Últimos Capítulos)

CENA 01: MANSÃO ANDRADE BASTOS/SALA/INT./MANHÃ

Tocam à campainha. Débora corre até a porta para atendê-la e se surpreende ao ver que se trata de Luís. A sua reação é logo abrir um largo sorriso.

DÉBORA – Que surpresa mais agradável!

LUÍS – Eu precisava falar contigo.

DÉBORA – Claro, mas nós não podemos falar aqui. Não lhe disseram que os Andrade da Costa não podem mais pisar aqui nessa mansão?

LUÍS – Mas eu não sou um Andrade da Costa.

DÉBORA – Mas é agregado da família.

LUÍS – Então, onde nós podemos conversar?

DÉBORA – Faz o seguinte: vai até a casa da Luciana, me espere lá.

LUÍS – É lá que nós vamos conversar?

DÉBORA – Exatamente. Eu vou ter que passar um tempo aqui para que eu possa sair, eu vou demorar. E você não pode me esperar aqui porque, como eu lhe disse, sua presença nessa casa é proibida.

LUÍS – Certo.

DÉBORA – Agora vá, antes que alguém lhe veja.

Débora e Luís trocam um rápido selinho. Porém, nesse momento, Cassandra vem descendo as escadas e flagra Débora e Luís ali.

CASSANDRA – O que significa isso?

Imediatamente, Débora e Luís olham para Cassandra, assustados.

CENA 02: CASA DE GUTO E LUCIANA/COZINHA/INT./MANHÃ

Guto e Luciana estão tomando café da manhã. O silêncio em cena é quebrado por ele.

GUTO – Hoje tu vai passar o dia lá na casa do Ricardo, né, Luciana?

LUCIANA – Exatamente. Se vista como o Clodovil e chame a Ofrásia, que hoje a casa é sua.

Guto ri de Luciana.

LUCIANA – Aproveite e marque com os garotos outro encontro da Corrente.

GUTO – Boa ideia, Luciana. Vou fazer isso mesmo.

Alguns segundos de silêncio.

LUCIANA – Ah, Guto, acho que eu vou precisar me mexer.

GUTO – Por quê?

LUCIANA – Essa reaproximação do Dimas e do Ricardo está começando a me prejudicar. Se eu não me mexer, eles reatam e eu perco o meu Ricardo.

GUTO – Deus queira…

LUCIANA – O quê, Guto?

GUTO – Jogue tudo na mão de Deus. Se eles voltarem, é porque é o melhor pra eles. A ti, só resta aceitar a perda, levantar a cabeça e seguir em frente.

LUCIANA – De jeito nenhum. Eu não nadei, nadei, nadei pra morrer na praia. Eu conquistei o Ricardo, e só vou largar dele quando estiver velha demais para viver.

Guto encara Luciana com uma expressão neutra.

CENA 03: MANSÃO ANDRADE DA COSTA/SALA/INT./MANHÃ

Helena e Jonas descem rapidamente as escadas e se dirigem à porta de entrada da mansão.

HELENA – Nós precisamos falar sobre isso com mais calma, mas agora não é o momento mais apropriado para isso. Você precisa sair daqui, não pode ser visto aqui dentro. Todos já devem saber do que aconteceu entre nós e, se os meus pais nos veem juntos, nos matam.

JONAS – Não exagera, Helena. Vai dar tudo certo.

Helena e Jonas se despedem com beijos no rosto e, em seguida, Jonas sai da mansão e vai embora. Assim que Helena fecha a porta, Fátima aparece na sala de estar.

FÁTIMA – O que ele queria, Helena?

HELENA – A Carolina e o Jonas se separaram, Fátima. Por minha causa.

FÁTIMA – O que você fez?

HELENA – Eu beijei o Jonas, e ela viu.

Fátima se surpreende com o que ouve. Helena ameaça chorar, mas logo se controla.

HELENA – Foi a maior loucura que eu cometi na minha vida, e estou me sentindo muito culpada por isso. Mas se tem uma coisa que eu não consigo é me arrepender. Eu amo o Jonas, e tê-lo beijado foi a melhor sensação de bem estar e êxtase que eu já experimentei. De fato, nós somos almas gêmeas, mas o nosso amor vai ser prejudicado pelo fato de que ele era casado e se separou por minha causa. Eu me passei pela amante que forçou a separação de um casal aparentemente feliz e realizado. Eles inclusive tinham um filho, Fátima. Um filho.

FÁTIMA – O seu caso é muito delicado, Helena. Eu sinceramente não sei o que dizer. Apenas peça sabedoria a Deus, para que Ele lhe ajude a resolver este problema da melhor maneira possível.

HELENA – Eu só tenho uma certeza: a minha felicidade é ao lado do Jonas. Ele é o único homem que poderá me fazer feliz como mulher.

FÁTIMA – Se o seu sentimento pelo Jonas for recíproco, a providência divina tratará de juntá-los. Mas esteja ciente das dificuldades que lhe aguardarão.

Fátima e Helena se encaram em silêncio.

CENA 04: MANSÃO ANDRADE BASTOS/SALA/INT./MANHÃ

Débora e Luís continuam encarando Cassandra, assustados, enquanto a idosa mantém a postura austera.

CASSANDRA – Eu avisei que os Andrade da Costa estavam terminantemente proibidos de pisar nesta mansão. Por que as minhas ordens foram desobedecidas justo por você, Débora?

DÉBORA – Luís, vá embora. Conversamos mais tarde.

Dito isso, Luís sai correndo. Débora fecha a porta, sem tirar os olhos de Cassandra.

CASSANDRA – Enquanto você não esquecer aquela família, você não viverá em paz, Débora.

DÉBORA – Eu irei até o fim. Só os esquecerei quando marcar a vida deles para sempre.

CASSANDRA – Você já marcou a vida deles com as quase mortes sua e do Dimas. Por favor, desista dessa vingança. Vamos voltar para a Europa, onde vivíamos bem e pacificamente—

DÉBORA – Eu só vou voltar para a Europa quando eu me vingar dos Andrade da Costa. A senhora não vai me impedir.

CASSANDRA – Eu lutarei até o fim para impedi-la.

Alguns segundos de silêncio.

CASSANDRA – Eu vi você beijando o Luís—

DÉBORA – Descobri que eu realmente sinto algo por ele. Mas não se engane, ele é apenas uma etapa do meu plano de vingança.

CASSANDRA – Você está brincando com os sentimentos de uma pessoa completamente alheia à sua vingança. Já parou para pensar nas consequências dos seus atos?

DÉBORA – Sim. Pus tudo na balança e cheguei à conclusão que vale a pena correr todos os riscos que essa vingança pode me oferecer. A recompensa é boa o suficiente para compensar os riscos e as más consequências.

Cassandra balança com a cabeça, em sinal de decepção com o que acabara de ouvir de Débora.

CASSANDRA – Espero que você reveja as consequências dessa vingança a tempo.

Cassandra se retira da sala, indo na direção da sala de jantar, deixando Débora sozinha em cena.

CENA 05: CASA DE LARISSA/SALA/INT./MANHÃ

Dimas, Júlio e Ricardo estão conversando. As atenções deles se voltam para a porta de entrada, por onde Jonas entra em cena.

JÚLIO – Onde é que tu tava?

JONAS – Eu tinha uns assuntos para resolver. Vocês devem saber do que eu tô falando.

RICARDO – Não me diz que tu foi pedir a Helena em namoro?

DIMAS – Não, Ricardo, não vem dizer isso com essa surpresa toda não. Tu fez o mesmo com a Luciana.

JONAS – Não. Eu conversei com a Helena sobre a situação toda, e concordamos em esperar a poeira baixar pra poder fazer qualquer coisa. Não vamos ser imediatistas, vamos analisar toda a situação antes de tomar qualquer atitude.

JÚLIO – Gostei, Jonas. Gostei.

Jonas e Júlio sorriem um para o outro.

DIMAS – Ei, Jonas, parece que aquela ideia do Ricardo não foi um fracasso total não.

JONAS – Como assim?

DIMAS – O Guto combinou de fazer um encontro entre os meninos da Corrente hoje à tarde, lá na casa dele.

JONAS – E foi?

DIMAS – Aham. Todos nós confirmamos presença. Menos o Ricardo, claro, que decidiu passar o dia com a Luciana.

JÚLIO – Não vamos julgar, né? Cada um se diverte com o que quer.

RICARDO (rindo) – Palhaço…

DIMAS – Vai, Jonas?

JONAS – Sim, vou. Mais uma vez, tô precisando de um encontro desses pra me distrair um pouco.

Eles continuam conversando.

CENA 06: CASA DE MAURÍCIO E TALITA/COZINHA/INT./MANHÃ

Carolina, Maurício, Talita, Vinícius e Venâncio estão sentados à mesa, conversando.

MAURÍCIO – E como vai ficar o quarto de vocês?

CAROLINA – Eu não sei o Jonas, mas eu vou sair daquele quarto. Vou voltar pra casa dos meus pais.

TALITA – E quanto ao Felipe?

CAROLINA – Tudo o que for referente ao Felipe vai continuar como está. A única coisa que vai mudar é a minha relação com o Jonas. Não somos mais marido e mulher, não dormimos mais no mesmo quarto e não moramos mais na mesma casa.

VINÍCIUS – A bruxa está à solta… qual vai ser o próximo casal a se separar?

VENÂNCIO – Que seja o Ricardo e a Luciana. Quero que ele volte com o Dimas. Ele combinavam muito.

TALITA – Certo, mas ele vai ficar com quem? Com você ou com ele?

CAROLINA – Comigo. Eu vou criá-lo junto com os meus pais, mas claro, eu vou permitir que o Jonas venha para ver o Felipe, cuidar dele também. Mas haverá uma distância entre nós dois quando não tiver o Felipe no meio. Perdi toda a confiança que eu tinha nele, não confio mais nem em ficar perto dele.

Alguns segundos de silêncio.

TALITA – Venâncio, me contaram que você está fazendo amizades lá no colégio, é verdade?

VENÂNCIO – Aham. Um dia desses, eu conheci um amigo de um professor. A gente passou o recreio todo conversando, descobrimos algumas coisas em comum e tal… achei muitas coincidências, começando pelo nome. Ele também se chama Venâncio, sabiam?

Venâncio continua conversando com os pais. Carolina e Vinícius também prestam atenção na conversa.

CENA 07: FORTALEZA/EXT./MANHÃ

Imagens da Avenida Aguanambi.

Imagens da Avenida dos Expedicionários.

Imagens da Avenida da Abolição.

CENA 08: CASA DE LUCIANA/SALA/INT./TARDE

Ricardo atende a porta. É Luciana. Os dois namorados sorriem um para o outro. Ricardo dá espaço para Luciana entrar, e ela o faz. Em seguida, Ricardo fecha a porta e se dirige com Luciana até o centro da sala de estar. Ricardo abraça Luciana por trás e beija o seu pescoço.

LUCIANA – Quê isso, Ricardo? Tava com tantas saudades assim de mim?

RICARDO – Tava… tava sim…

Luciana se vira de frente para Ricardo e o empurra, fazendo-o cair sentado no sofá. Em seguida, ela se senta no colo do namorado. Ricardo estranha aquilo tudo.

RICARDO – Quê isso, Luciana?

LUCIANA – Sabia que eu sempre tive fetiche em transar vestido?

Ricardo se surpreende com o que ouve.

RICARDO – Luciana—

LUCIANA – Ouvi falar que esse tipo de relação é bem alucinante. Não acha?

RICARDO – Luciana, vai com calma.

LUCIANA – Vai com calma? Como assim vai com calma? O que está havendo, Ricardo?

Ricardo tira Luciana de cima dele e se levanta do sofá, afastando-se da namorada e ficando de costas para ela.

LUCIANA – Ricardo, o que tá acontecendo?

RICARDO – Tu tá muito sedenta, Luciana.

LUCIANA – Isso nunca tinha sido problema pra ti. Você sempre correspondia ao meu pique, por que agora apareceu isso?

RICARDO – Luciana, tu se lembra de quando a gente se conheceu?

LUCIANA – Pra que você quer lembrar disso, Ricardo?

RICARDO – Você agia comigo do mesmo jeito que está agindo comigo agora. Naquela época eu me indignava porque você mal me conhecia e já se comportava como uma cachorra pra cima de mim.

Luciana tenta responder, mas é interrompida por Ricardo, que se vira de frente para ela.

RICARDO – Sim, agora a gente é namorado, mas mesmo assim. Tudo tem seu tempo, Luciana. Você está se comportando feito a minha ex-namorada, a Bianca.

Silêncio em cena.

RICARDO – Antes de eu namorar o Dimas, eu namorava a Bianca. Mas o nosso relacionamento era só sexo. E isso era ruim tanto pra mim quanto pra ela. Isso quase destruiu a nossa vida. Graças a Deus que o namoro acabou. E depois de toda a dor de cabeça que a Bianca me causou, eu prometi pra mim mesmo, pela alma do meu pai, que Deus o tenha, que eu nunca mais me envolveria com alguém só pelo sexo. Mas infelizmente, eu tô começando a perceber que o que tá movendo o nosso namoro é o sexo.

LUCIANA – Você quer terminar comigo?

RICARDO – Se tu não tiver disposta a me oferecer o que eu preciso, é melhor a gente terminar.

LUCIANA – Não, Ricardo. Eu não vou deixar que isso aconteça. Eu não vou deixar que você volte para o Dimas.

RICARDO – Pelo menos com ele eu tinha amor—

LUCIANA – Nunca mais diga uma asneira dessas. Com o Dimas você tinha prazer. O seu namoro com o Dimas é que é movido por sexo. Porque amor não tinha ali, com certeza. Não é possível que dois homens digam que se amam. Isso não existe.

RICARDO (surpreso) – O que é isso, Luciana?

LUCIANA (exaltada) – A verdade! Se você terminar comigo, você vai provar a sua ingratidão a mim. Eu te ajudei a te salvar. Te transformei num homem de verdade, apreciador do amor verdadeiro de um casal. Por mais de um ano, você descumpriu sua promessa de não se envolver por alguém apenas pelo sexo, você passou um ano se deitando com um homem, praticando as formas mais sujas de sexo que existem—

RICARDO – Eu realmente estava certo em querer terminar contigo. Eu não acredito que eu passei três meses ao lado de uma pessoa que renegava pessoas como eu, que se sentem sexualmente atraídas por pessoas do mesmo sexo. Não é possível que você me considere uma aberração.

LUCIANA – Você não é uma aberração. Eu te salvei de se tornar uma aberração.

RICARDO – Eu tenho nojo de pessoas que pensam assim. Eu tenho nojo de ti, Luciana. Nojo.

Magoada, Luciana se levanta do sofá e acerta uma forte bofetada no rosto de Ricardo. Ele rapidamente se recupera do golpe e volta a encarar Luciana com um olhar raivoso.

RICARDO – Pode bater. Bate do outro lado agora.

E Luciana acerta uma bofetada no outro lado do rosto de Ricardo.

RICARDO – Agora é a minha vez. Nosso namoro acabou agora. Vai embora da minha casa, não volte nunca mais. Me esqueça, me delete da sua vida, eu não quero mais olhar para essa sua cara nojenta. Preconceituosa. Homofóbica. Eu te odeio.

As lágrimas descem pelos olhos de Luciana, que permanece imóvel. Com ainda mais raiva, Ricardo segura Luciana pelos braços e a leva para o lado de fora da casa de Larissa. Em seguida, ele fecha a porta na cara dela.

CENA 09: CASA DE LARISSA/FACHADA/EXT./TARDE

Luciana enxuga suas lágrimas, com uma expressão irada dominando o seu semblante.

LUCIANA – Essa bicha maldita vai me pagar. As duas vão me pagar muito caro pelo que fizeram comigo. Eu não vou sair humilhada e deixá-las ilesas. Agora é uma questão de honra acabar com qualquer chance delas serem felizes. Não descansarei enquanto não desgraçar com a vida do Dimas e do Ricardo.

Dito isso, Luciana vai embora a pé.

CENA 10: CASA DE LARISSA/SALA/INT./TARDE

Com as costas apoiadas na porta, Ricardo permite escorregar-se até cair sentado no chão. Ele esconde seu rosto entre as pernas e permite-se chorar à vontade. Larissa entra na sala e se assusta ao ver o filho naquele estado: de imediato, ela corre até ele e tenta acudi-lo.

LARISSA – Filho, o que houve? O que aconteceu?

RICARDO – Eu descobri que eu cometi o pior erro da minha vida.

LARISSA – O que aconteceu?

Ricardo levanta a cabeça e encara Larissa. Ela enxuga as lágrimas do filho.

RICARDO – Eu permiti que uma vagabunda destruísse a minha felicidade, eu permiti que a Luciana fizesse a mesma bagunça que a Bianca fez comigo.

Larissa se surpreende com o que ouve de Ricardo. Ele volta a chorar, sendo prontamente abraçado por Larissa.

CENA 11: CASA DE GUTO E LUCIANA/SALA/INT./TARDE

Guto abre a porta de casa para a entrada de Dimas, Jonas e Júlio. Os três entram na casa, enquanto Guto fecha a porta.

JÚLIO – O povo já chegou?

GUTO – Aham. Todo mundo já tá aqui. Eles tão lá na cozinha.

JONAS – Almoçando…

GUTO – Isso, almoçando. Vocês já almoçam?

DIMAS – Não, a gente já veio almoçado.

GUTO – Eu também já almocei. Parece que eles é que são atrasados mesmo. (risos) Se quiserem, podem esperar aqui para que eles terminem de almoçar para a gente começar o encontro.

JONAS – O que vai ter hoje?

GUTO – Tenho várias brincadeiras pra gente fazer. Tô pensando na gente assistir um filme, o que vocês acham?

JÚLIO – Acho ótimo. A gente decide?

GUTO – Vai ser uma democracia. O filme que receber mais votos ganha.

DIMAS – Adorassem.

Todos riem de Dimas. De repente, tocam à campainha. Guto vai atender, e se surpreende ao ver que se trata de Luís.

GUTO – Opa, chegou quem faltava. Entra, Luís.

Guto abre espaço para Luís entrar na sala. Guto fecha a porta enquanto Luís cumprimenta Dimas, Jonas e Júlio.

GUTO – O povo tá almoçando. Se você quiser, pode esperar o pessoal terminar de almoçar aqui, ou então ir almoçar junto com eles para a gente começar o encontro.

LUÍS – Não, eu já estou almoçado. Comi fora hoje, sabe. Prefiro esperar ele aqui.

JÚLIO – Ah, eu vou pra lá. Quero conversar com eles.

JONAS – Eu também.

JÚLIO – Vamos, maninho?

JONAS – Ai, vamo.

E assim, Jonas e Júlio vão para a cozinha, deixando Dimas, Guto e Luís a sós em cena.

LUÍS – Guto, eu preciso conversar com o Dimas. Em particular.

Guto acena com a cabeça, indicando concordância com o pedido de Luís, e se retira da sala, deixando Dimas e Luís sozinhos em cena.

DIMAS – O que aconteceu, Luís?

LUÍS – Dimas, você sabe que, da Corrente inteira, você foi a pessoa com quem eu mais desenvolvi intimidade.

DIMAS – Sim, claro. E, pela sua cara, julgo que deve ter acontecido algo muito sério contigo.

CENA 12: CASA DE GUTO E LUCIANA/FACHADA/EXT./TARDE

O carro de Débora estaciona em frente à casa de Guto e Luciana. Débora desce do carro e se dirige à janela. Ela percebe que Dimas e Luís estão conversando na sala de estar.

Débora se dirige à porta de entrada da casa.

DÉBORA – Espero que a porta esteja aberta.

Débora gira a maçaneta. Para a sua felicidade, a porta se abre. Lentamente, Débora vai abrindo a porta, mas estaciona assim que começa a ouvir a conversa.

CENA 13: CASA DE GUTO E LUCIANA/SALA/INT./TARDE

Débora estaciona, escondendo-se de Dimas e Luís atrás da porta entreaberta, escutando a conversa dos dois.

LUÍS – Depois de tudo o que aconteceu nos últimos dias, eu acredito que o meu envolvimento com a Débora tenha sido um erro.

DIMAS – É… eu soube que você protagonizou o maior barraco na mansão por causa da Débora. Ouvi dizerem que ela estava te manipulando pra atingir a tua irmã.

LUÍS – Talvez. Mas a grande verdade é que a Débora é possessiva. Lembra que ela foi capaz de dopar o Pedro Igor e tentar engravidar dele pra poder convencê-lo a se casar com ela? Isso só pra ter certeza de que a Maria não ia se aproximar dele. E mesmo assim, ela ainda tentou armar contra ela, fazendo ela se passar por ladra pra tentar expulsar ela e eu da mansão. Se ela foi capaz disso pra afastar a Maria do Pedro Igor, imagina o que ela não vai ser capaz de fazer pra afastar a Maria e toda a família de mim? A morte vai ser o limite.

DIMAS – Pois é, Luís. Você está certíssimo em querer distância da Débora. Você merece coisa melhor. Deus vai lhe mostrar que a pessoa certa pra ti está perto de ti… mais perto do que tu menos imagina…

Luís sorri para Dimas. Ele se agacha na frente de Dimas, a fim de ficar da mesma altura que o cadeirante. Os dois seguram as mãos um do outro e sussurram um para o outro.

DIMAS (sussurrando) – Fé em Deus que ele vai providenciar o melhor pra você.

LUÍS (sussurrando) – Obrigado, Dimas…

Nesse momento, Débora entra na casa e bate a porta com toda a força, assustando Dimas e Luís. Imediatamente, Luís se levanta, pondo-se ao lado de Dimas; os dois olham, assustados, para Débora.

DÉBORA – Então quer dizer que você quer se separar de mim, não é, Luís? Pois saiba que, se você não ficar comigo, não vai ficar com mais ninguém. Eu prefiro você morto a longe de mim!

Dimas e Luís se entreolham, apavorados com o que ouvem de Débora.

LUÍS – Débora, calma—

DÉBORA – Eu não vou ter calma coisa nenhuma. Você não vai me trocar por ninguém, Luís. Você é meu. E nem a morte há de nos separar.

DIMAS – Você está louca, Débora.

DÉBORA – Cala a sua boca que eu não falei com você. Fica na sua, seu viadinho inválido. Você não deveria nem estar aqui, deveria ter morrido naquele acidente no meu lugar.

DIMAS – Como eu me arrependo de ter chorado a sua morte, de ter me culpado pela sua morte… é uma pena que a sua morte tenha sido uma mentira. Porque ela nos traria paz.

Débora se indigna com o que ouve de Dimas.

DÉBORA – Então é isso… você quer me separar do Luís pra ficar com ele só pra você…

Dimas e Luís se surpreendem com a conclusão à qual Débora chegou.

DÉBORA – Mas que bicha mais sem vergonha. Não basta ter perdido o seu macho pra minha amiga, agora quer tirar o meu? Não contente em não conseguir ter me matado, agora quer terminar o serviço me subtraindo a razão de viver?

LUÍS – Débora, você está louca—

DÉBORA – Cala a sua boca. Nem mais uma palavra.

Débora observa um estilete em cima da mesa de centro. Ela pega a ferramenta e a ergue na direção de Dimas e Luís, amedrontando-os.

DÉBORA – Eu deveria matar os dois aqui agora. Mas eu seria muito generosa. Mas eu me contento em rasgar a pele dos dois com este estilete, para vocês aprenderem que comigo ninguém brinca.

A cena congela em um efeito dourado no rosto de Débora.

FIM DO TRIGÉSIMO CAPÍTULO.

Anúncios

45 thoughts on “Mundos Opostos – Capítulo 30 (Últimos Capítulos)

  1. I don’t need eyes to see. I felt you touchin’ me. High like amphetamine. Maybe you’re just a dream.

    Em processo de atualização, sofro. Parabéns 😀

    Curtir

  2. Jonas se separou mesmo de Carolina, fiquei no chão. Agora ele e Helena tem tudo para formarem uma nova história de amor, torço muito. Luciana se prejudica sozinha diante de Ricardo, tudo indica que ele fará de tudo pra se reconciliar com Dimas e a moça se tornará a louca da vez. Socorro com a Débora! 😮 Aposto na chegada de alguém para impedir o ato dela, mas eu queria uma cena sangrenta… Parabéns pelo capítulo, Glay! 😀

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s