O Amor é um Jogo – Capítulo 02

o-amor-e-um-jogo-classificacao

CENA 1, COLÉGIO ESCOLHAS, EXTERIOR, DIA

Fora do colégio, Miguel fala com si mesmo enquanto corre para poder entrar no colégio, e ao mesmo tempo olha para seu relógio.

Miguel – Droga, vou acabar entrando atrasado!

Miguel corre para dentro do colégio, e logo o portão fecha.

Miguel – Consegui! Agora só tenho que correr até a sala.

Miguel olha o papel com o número da sala.

Miguel – Lá em cima, aff.

Miguel sobe as escadas correndo; Ainda no corredor, Giovana, Karen e Danilo procuram sua sala.

Giovana – Acho que é ali. — apontando para uma porta.

Giovana, Karen e Danilo caminham para a sala; Logo atrás, Miguel corre até sua sala, e acaba esbarrando em Giovana, que deixa suas apostilas caírem no chão.

Giovana – Ai!

Miguel vai em frente a Giovana.

Miguel – Desculpa… Te machuquei?

Giovana – Não, não…

Giovana se abaixa para pegar suas apostilas, enquanto Karen e Danilo continuam parados. Miguel se abaixa.

Miguel – Deixa eu te ajudar.

Giovana pega algumas apostilas, enquanto Miguel pega outras. De repente, Miguel e Giovana colocam suas mãos uma sob a outra ao pegarem a mesma apostila; Eles se olham fixamente após o ocorrido; Um pouco afastada, Karen olha fixamente para Miguel.

CENA 2, COLÉGIO ESCOLHAS, CORREDORES, INTERIOR, DIA

Após a fixa troca de olhares, Miguel retira sua mão de cima da mão de Giovana e rapidamente se levanta, carregando as apostilas de Giovana na mão.

Miguel – Bom, aqui está…

Giovana se levanta e pega as apostilas da mão de Miguel, e o olha fixamente.

Giovana – Muito obrigada!

Miguel – Tem certeza que eu não te machuquei?

Giovana – Não, não… Claro que não…

Danilo (falando baixo) – Ih, tô achando que isso vai demorar…

Danilo vai até Karen, que olha Miguel sem parar.

Danilo – Eu vou pra sala, vem comigo, mana?

Sem prestar muita atenção no que Danilo disse, Karen o responde enquanto olha fixamente Miguel.

Karen – Tá, tá… Vai lá…

Danilo se vira de costas e caminha até a sala de aula; A câmera volta a focar em Giovana e Miguel.

Miguel – Eu esqueci de me apresentar… Eu me chamo Miguel, e você?

Giovana – Giovana, muito prazer! E essa aqui é a Karen, minha amiga. — apontando para Karen.

Miguel – Muito prazer, Karen!

Ainda com um olhar fixo e uma voz sedutora, Karen cumprimenta Miguel.

Karen – Muito prazer, Miguel!

Miguel – Bom, e de que turma vocês são?

Giovana – Segundo ano, e você?

Miguel – Ah… Sou do terceiro… Uma pena não estarmos na mesma turma.

Karen – Uma pena mesmo…

Miguel – Bom, eu vou pra minha sala, se não, não me deixam entrar. — risos.

Giovana – Digo o mesmo. — risos.

Miguel – A gente se vê!

Miguel corre até a sala do terceiro ano, enquanto Giovana e Karen caminham e conversam pelo os corredores.

Karen – Que gato hein…

Giovana – É…

Karen – Eu percebi a troca de olhares de vocês…

Giovana se envergonha com o que a amiga diz e tenta disfarçar o assunto.

Giovana – Olhares? Que olhares? Nos olhamos normalmente…

Karen – Hum… Então não tá interessada nele?

Giovana – Mas é claro que não! Não vou me interessar pelo o primeiro carinha que eu vejo.

Karen – Tem certeza?

Giovana – Mas é claro! Por quê?

Karen – Ótimo, então ele já está na minha listinha.

Karen morde seus lábios.

Giovana – Credo…

Giovana e Karen chegam em frente a sala, e Giovana bate na porta; Danna abre a porta.

Giovana – Licença professora, podemos entrar?

Danna – Of course, entrem.

Danna estende a mão, fazendo sinal para que Giovana e Karen entrem; Ao entrarem na sala, Giovana se senta ao lado de Cecília, e Karen na frente de Cláudia. A câmera foca em Giovana e Cecília.

Giovana – Licença, esse lugar está ocupado?

Cecília – Não…

Giovana – Okay… (T) Eu me chamo Giovana.

Cecília – Me chamo Cecília, prazer.

Giovana – Você é nova aqui também?

Giovana e Cecília começam a conversar, enquanto a câmera foca em Cláudia e Karen.

Cláudia (cochichando sozinha) – Ih… Olha quem tá na mesma sala, e logo na minha frente… A garota que chamou a atenção de todos com aquele paninho…

Cláudia ri; Ao perceber que Cláudia fala de si, Karen se vira para ela.

Karen – Querida, não precisa ficar cochichando sobre mim, se tiver algo para falar, falem alto.

Cláudia – Ui…

Cláudia ri, enquanto Karen se vira para a frente e cruza as pernas, colocando a caneta na boca.

CENA 3, ESCOLHAS, SALA DO TERCEIRO ANO, INTERIOR, DIA

No meio da sala, Miguel está sentado atrás de Rafael e Felipe e ao lado esquerdo de Breno, que conversam baixo; Rafael cutuca Miguel, que vira para trás.

Rafael – E ai, cara? Qual teu nome?

Miguel – Miguel, por quê?

Rafael – Nada não, a gente só queria saber teu nome, para a gente se conhecer mesmo. Eu sou o Rafael.

Felipe – E ai, cara, eu sou o Felipe.

Breno – Eu sou o Breno, prazer.

Miguel cumprimenta os três garotos; De repente, a porta da sala se abre, e Rosana se levanta e vai até lá. Júnior surge abrindo a porta, deixando apenas o rosto e parte da perna para dentro da sala.

Júnior – Qual é, Rosana? Posso entrar?

Rosana – Você nem deveria ter feito essa pergunta, era para ter ido direto para o pátio e esperar o segundo horário, mas como hoje é o primeiro dia, pode entrar.

Júnior entra na sala, enquanto Rosana o encara.

Júnior – Valeu Rosana!

Rosana – Mas não se acostume, pois da próxima, você não entra.

Júnior sorri para Rosana, que lhe encara por mais alguns instantes; Ela se senta, enquanto Júnior se dirige ao centro da sala, se sentando ao lado de Miguel.

Júnior – Ih, qual é… Novatos, é?

Rafael – Sim, somos novatos. E você? Qual o seu nome?

Júnior – Sou o Paulo Júnior, mas todos me chama só de Júnior mesmo. Vocês, quais seus nomes?

Rafael – Eu sou o Rafael.

Miguel – Qual é, cara? Eu sou o Miguel.

Felipe – Me chamo Felipe.

Breno – Eu sou Breno.

Júnior comprimenta todos com um aperto de mão.

Júnior – E ai, qual a boa?

Miguel – Ah, a gente tava se apresentando um ao outro mesmo…

As vozes dos cinco garotos são abafadas, enquanto eles continuam conversando.

CENA 4, HORAS DEPOIS…

CENA 5, COLÉGIO ESCOLHAS, CORREDOR, INTERIOR, DIA

Algumas horas se passaram e o sinal bate; Uma multidão de jovens sai das salas de aula; A câmera foca em Giovana, Karen e Danilo saindo da sala do segundo ano.

Karen – Tô morta! Essa última aula me cansou.

Danilo – Essa professora de matemática é um saco, que mulher mais irritante.

Giovana – Ah, eu achei ela legal.

Karen – Isso porque você não fala um “a”, dentro da sala de aula e não é ameaçada a ir para a diretoria.

Danilo – Que besteira… Ela quer que nos comuniquemos por linguagem de sinais?

Karen e Danilo riem.

Giovana – Quem sabe ela quis passar essa pose de durona para fazer a gente ter medo dela.

Giovana, Karen e Danilo descem as escadas do corredor; Giovana para em frente a uma parede e puxa Karen.

Giovana – Karen, olha isso!

Giovana descola o folheto da parede e lê.

Giovana – Atenção, estamos abrindo um time de futebol feminino do colégio Escolhas. Garotas interessadas em fazer parte do time, comparecer na quinta-feira, às 15h00 da tarde. Também estamos disponibilizando o cargo de ajudante do time para meninos.

Karen – Nossa! Ai, eu quero fazer o teste.

Giovana – E eu também! Será que a gente entra?

Karen – Deve ser moleza esse teste, e a gente joga muito bem.

Giovana – Isso é.

Karen – Então na quinta a gente vem aqui no colégio?

Giovana – O que você acha?

Trilha sonora: Shake it Off – Taylor Swift

Giovana e Karen sorriem, e saem correndo para alcançar Danilo; Já lá fora com Danilo, os três entram no carro de Karen. 

Corta para:

CENA 6, CARIOCÃO LANCHES, INTERIOR, DIA

Trilha sonora: Shake it Off – Taylor Swift

A trilha sonora ecoa no rádio da lanchonete, que está lotada e repleta de conversas agitadas entre os jovens presentes; Giovana, Karen e Danilo entram no local e são recepcionados por Camila.

Camila (grito) – Giovana!

Giovana (grito) – Camila!

Giovana e Camila se aproximam e se abraçam.

Giovana – E ai, quanto tempo a gente não se vê, amiga?

Camila – Pois é, bastante mesmo!

Giovana – Lembra da Karen? Ela é aquela minha amiga de tantos e tantos tempos que treinava com a gente.

Camila – Ah, é mesmo! Como vai, querida?

Karen – Vou muito bem!

Giovana – E esse é o Danilo, irmão dela.

Camila – Oi Danilo, tudo bem?

Danilo – Tô de boa, e você?

Camila – Também. (T) Bom, já que estão aqui, por que não se sentam e pedem algo? Assim a gente pode conversar mais a vontade…

Giovana – Claro, ótima ideia.

Camila – Tá, olhem ai o cardápio e depois me chamem, tenho algumas mesas para atender…

Sorridente, Camila se retira; Giovana, Karen e Danilo se sentam a mesa, e olham o cardápio.

CENA 7, HOSPITAL, CONSULTÓRIO DE HELENA, INTERIOR, DIA

Helena checava alguns relatórios e receitas, quando no mesmo momento, alguém bate na porta.

Helena – Pode entrar!

Fernando entra no consultório, com um buque de flores escondido nas costas.

Fernando – Advinha o que tem aqui atrás?

Helena – Faço a minima ideia.

Fernando retira um buque de rosas brancas de suas costas e coloca em cima da mesa de Helena.

Fernando – Algumas rosas para alegrar o dia da melhor nutricionista deste hospital.

Helena – Ah Fernando… Pra que foi se incomodar?

Helena cheira as rosas, e põe dentro de um vaso em cima de sua mesa.

Fernando – Isso não me custa nada! Só que tem um porém…

Helena – Que porém?

Fernando – Sabe o que eu aceito em troca dessas rosas?

Helena – Hum… O que?

Fernando – Ir poder jantar com você esta noite, e eu não aceito não como resposta.

Helena – Ah Fernando…

Fernando – Vai Helena, estou a semanas querendo sair para jantar com você, e você sempre tem negado.

Helena – Mas Fernando… (T) Tudo bem… Eu aceito ir jantar com você esta noite.

Fernando sorri diante da resposta de Helena.

Fernando – Garanto que será uma ótima noite! As 20h30 eu passo para te buscar?

Helena – Como quiser.

Fernando – Então está marcado. Até às 20h30!

Helena – Até!

Fernando sai do consultório, enquanto Helena sorri e acaricia algumas rosas.

CENA 8, CARIOCÃO LANCHES, INTERIOR, DIA

Camila surge com uma bandeja com alguns sucos e sanduíches, e coloca em cima da mesa de Giovana; Ela puxa uma cadeira e se senta.

Camila – E ai, amiga, o que está achando do Escolhas?

Giovana – Você tinha razão, esse colégio é bem legal, eu adorei bastante.

Karen bebe seu suco enquanto observa a conversa entre Giovana e Camila.

Giovana – Aliás, eu vi lá que vão abrir um time de futebol feminino, esse colégio só cresceu mais no meu conceito. — risos.

Camila – Eu que convenci a diretora a abrir o bendito time. Fui lá nas férias, falei com ela e ela ficou super de acordo com a minha ideia. Também né, ninguém merecia aquele diretor machista, e o Digão foi obrigado a aceitar a treinar as meninas. — risos.

De repente, Miguel, Rafael, Felipe, Breno e Júnior entram no Cariocão; Miguel olha para Giovana e Karen, enquanto Júnior olha para Camila; Os cinco se sentam em uma mesa mais ao fundo.

Camila – Ai Meu Deus… Eu mereço…

Giovana – O que foi, amiga?

Camila – Viu aquele carinha que ficou me olhando?

Giovana – Vi, por quê?

Camila – É o meu ex…

Giovana – Ta, e? Você não tava tendo um rolo com aquele carinha? Por que tá se preocupando com o seu ex?

Camila – Assim, o Rodrigo, o carinha que eu te falei, ele voltou para a cidade dele, e desde que ele voltou para lá, o Júnior vem aqui no Cariocão me trazer presentinhos, me falar coisas bonitas e tal, como se eu fosse cair na conversinha mole dele.

Giovana – Hum… Te entendo, amiga…

Camila – E o pior, eu acho que ainda gosto dele, mas só um pouquinho, um pouquinho mesmo.

Giovana – Um pouquinho, tem certeza mesmo?

Camila – Talvez um pouquinho mais… Mas vamos deixar isso para lá… Quem era aquele carinha que tava te olhando?

Giovana – Ah, era um carinha com quem eu trombei no corredor…

Camila – Hum… E é só isso mesmo?

Giovana – O que foi? Eu mal conheci o garoto, claro que é só isso mesmo.

Camila – Tá bom… Eu vou ali atender as outras mesas, depois eu volto pra falar com vocês.

Camila se levanta, e ao mesmo tempo, Giovana, Karen e Danilo se levantam.

Giovana – Ai amiga, a gente já tem que ir… A Karen vai largar o Danilo em casa e eu e ela vamos dar uma treinadinha para nos prepararmos para quinta. — risos.

Camila – Hum… Okay então, tchau amiga.

Camila abraça Giovana, e em seguida abraça Karen.

Camila – Tchau querida, foi bom te rever também.

Karen – O mesmo digo eu.

Camila – Tchau, Danilo.

Danilo – Tchau, Camila.

Giovana, Karen e Danilo se retiram do Cariocão; Karen e Danilo entram no carro, e antes de entrar; Giovana se vira e acena para Camila, que lhe acena também; Giovana entra no carro, e em seguida, eles saem.

CENA 9, O DIA ANOITECE

CENA 10, APARTAMENTO DA FAMÍLIA DUARTE, SALA, INTERIOR, NOITE

Giovana está deitada no sofá, de pijama e com uma panela de brigadeiro no colo, assistindo televisão; Helena surge de seu quarto totalmente arrumada, o que desperta a curiosidade de Helena.

Giovana – Hum… Onde a Dona Helena Duarte irá toda arrumada desse jeito?

Helena – Me convidaram para jantar…

Giovana – Hum, isso explica aquelas rosas brancas que você trouxe hoje. Algum namorado?

Helena – Que isso filha, é só um amigo!

Giovana – Amigo, sei. — risos.

Helena – Filha, assim você me deixa sem jeito!

Giovana – Okay, parei! — risos.

Helena olha para o relógio.

Helena – Já tá na hora, eu vou indo.

Helena vai até Giovana e dá um beijo em sua testa.

Helena – Juízo, hein…

Giovana – E você, beije muito essa noite.

Helena – Para, filha!

Giovana ri; Helena abre a porta e sai do apartamento; De repente, Giovana começa a pensar em Miguel.

~Flashback~

Giovana, Karen e Danilo caminham para a sala; Logo atrás, Miguel corre até sua sala, e acaba esbarrando em Giovana, que deixa suas apostilas caírem no chão.

Giovana – Ai!

Miguel vai em frente a Giovana.

Miguel – Desculpa… Te machuquei?

Giovana – Não, não…

Giovana se abaixa para pegar suas apostilas, enquanto Karen e Danilo continuam parados. Miguel se abaixa.

Miguel – Deixa eu te ajudar.

Giovana pega algumas apostilas, enquanto Miguel pega outras. De repente, Miguel e Giovana colocam suas mãos uma sob a outra ao pegarem a mesma apostila, e acabam trocando olhares, enquanto Karen olha fixamente para Miguel.

~Fim do Flashback~

Giovana começa a falar sozinha.

Giovana – Bonito ele é, mas eu disse a Karen que não tava interessada… Não posso me interessar por uma pessoa que mal eu vi na vida, se bem, que a gente vai se ver muito lá… Enfim, isso deve ser besteira da minha cabeça…

Giovana enche uma colher de brigadeiro e logo põe na boca.

CENA 11, CASA DA FAMÍLIA SAMPAIO, SALA DE ESTAR, INTERIOR, NOITE

Somente de camiseta e cueca, Danilo joga videogame na sala, enquanto Karen se maquia e se arruma no espelho.

Karen – Ai Danilo, tô saindo! E me avisa quando o papai estiver chegando.

Danilo – Vai aonde?

Karen (debochando) – Eu vou pra igreja rezar, não tá vendo a minha roupa de beata? Pra onde mais eu vou, né? Vou pra balada.

Danilo – Ok então, por mim pode ir para o raio que o parta que eu não estou ligando.

Karen pega sua bolsa em cima do sofá e sai, enquanto Danilo não tira os olhos do videogame.

CENA 12, RESTAURANTE, INTERIOR, NOITE

Helena bebe um pouco de vinho, enquanto Fernando lhe olha fixamente.

Helena – Por que está me olhando, Fernando?

Fernando – Sabe Helena, eu precisava que esse jantar me ajudasse a dizer algo que a tempos quero dizer.

Helena – E o que seria isso que você quer me dizer?

Fernando – Helena, nos conhecemos a vários anos por conta do trabalho e por conta da sua filha e dos meus. (T) E faz anos que tenho escondido esse sentimento.

Fernando pega nas mãos de Helena e lhe olha fixamente.

Fernando – Você é viuva e eu também sou viuvo, já temos filhos grandes e… Acho que poderíamos dar uma chance, tentar um relacionamento.

Helena – Mas Fernando…

Fernando – Não diga nada, Helena, apenas pense e me diga se me daria uma chance.

Helena – Fernando, isso é muito sério, eu vou pensar sim se poderíamos dar uma chance como um casal…

Fernando – Eu gosto muito de você, e seja lá qual for a resposta, saiba que não quero perder sua amizade.

Helena – Nem eu a sua…

CENA 13, BALADA, INTERIOR, NOITE

Karen entra na balada, que está bastante agitada e cheia de gritaria; Ela se senta em frente ao balcão do bar. Ao fundo toca a música Pompeii – Bastille.

Karen – Por favor, um coquetel de frutas, sem álcool.

O barman vai preparar a bebida, enquanto Karen olha seu celular; Cláudia, que também estava na balada, se senta ao lado de Karen.

Cláudia – Olha só quem tá aqui… Se não é a…

Karen – Karen, queridinha.

Cláudia – Ah, Karen… E ai, não veio com um shortinho curto dessa vez para ver se não consegue um carinha?

Karen – Vem cá, isso é recalque porque eu posso usar um, pois tenho pernas para mostar e porque não sou uma vara-pau igual a você ou estou enganada?

Cláudia – Calma, fofa…

Karen – Vê se me erra…

O barman surge com a bebida no balcão, e Karen a pega e se levanta, mas é impedida por Cláudia, que puxa seu braço.

Cláudia – Calma, pra que tanta pressa?

Karen – Me solta, sua ridícula.

Cláudia – Olha como fala comigo, sua periguete de quinta!

Karen – Me chamou de que?

Cláudia (gritando) – Periguete de quinta! Quer que eu fale mais alto?

Karen solta seu celular no balcão e despeja o coquetel em cima de Cláudia, que fica furiosa.

Cláudia – Sua idiota!

Karen – Aprenda a não mexer com quem está quieto.

Karen pega seu celular e põe dentro da bolsa, indo em direção a porta, mas é impedida novamente poe Cláudia, que lhe joga um copo de vodca por cima.

Cláudia – Estamos empatadas!

Cláudia olha com cara de deboche para Karen.

Karen – Ah, é? Pois eu vou te mostrar como não estamos empatadas.

Karen puxa o cabelo de Cláudia, que também começa a puxar o cabelo de Karen.

Cláudia – Me solta, sua vaca!

Karen – Vaca é você, ridícula!

Karen empurra Cláudia no chão, que puxa seu pé; No chão, Karen e Cláudia começam a rolar pelo o chão da balada, trocando puxões de cabelo e tapas.

CENA 14, CASA DA FAMÍLIA SAMPAIO, SALA DE ESTAR, INTERIOR, NOITE

Ainda na sala, Danilo joga videogame, quando o seu celular toca no mesmo momento.

Danilo (celular) – Alô, pai?

Fernando (celular) – Oi filho, só estou ligando para avisar que vou chegar daqui a pouco.

Danilo (celular) – Okay, eu vou avisar a Karen para não se preocupar, até mais tarde.

Danilo desliga o celular, e logo disca o número de Karen.

Danilo – Vamos Karen, atende…

Danilo tenta várias vezes ligar para Karen, mas seu celular está desligado.

Danilo – Não quer atender? Então que se ferre, não tenho culpa de nada.

Danilo joga o celular no sofá, e volta a jogar videogame.

CENA 15, BALADA, INTERIOR, NOITE

Após rolarem no chão da balada de tanto brigar, dois seguranças apartam a briga de Karen e Cláudia.

Segurança 01 – Quem começou isso tudo?

Karen e Cláudia – Foi ela! — elas apontam uma para a outra.

Segurança 02 – Vocês vão ter que se retirar da balada.

Karen – Como? Mas eu não fiz nada, essa louca que veio me provocar.

Cláudia – Mas foi você que jogou um coquetel em mim!

Segurança 01 – Não importa, vocês vão se retirar!

Karen e Cláudia pegam duas bolsas, e logo são escoltadas até a saída pelo os seguranças; Já na rua, Karen e Cláudia continuam discutindo.

Cláudia – Vai me pagar por isso, sua desgraçada.

Karen – É o que vamos ver, loira de farmácia!

Karen entra em seu carro, e pega seu celular para ver as horas.

Karen – Droga, já são 23h00! Vou ter que arrancar pra poder chegar em casa antes do meu pai.

Karen liga o carro, e logo em seguida sai em alta velocidade.

CENA 16, CASA DA FAMÍLIA SAMPAIO, SALA DE ESTAR, INTERIOR, NOITE

Ainda na sala, Danilo está deitado no sofá mexendo em seu celular, quando Fernando entra em casa.

Fernando – Cheguei.

Danilo – Oi pai…

Fernando – E sua irmã, cadê?

Sem saber como responder a pergunta de seu pai, Danilo se faz de desentendido.

Danilo – Quem? A Karen?

Fernando – Você tem outra irmã?

Danilo – É… Olha pai…

Danilo fica sem saída para responder seu pai; A porta se abre, e Karen entra em casa, e Fernando se vira de frente para a porta.

Danilo – Ai está a Karen. — apontando para Karen.

Karen se assusta ao se ver de frente com Fernando, que vai até a sua frente.

Fernando – Que explicação você tem para me dar, Karen?

Assustada, Karen olha para o pai com medo, enquanto ele lhe encara esperando uma resposta.

Fernando – Vamos Karen, me responda! Onde você estava?

Karen – Pai, por favor…

Fernando – Por favor nada! Me diga onde estava!

Após um tempo, sem obter resposta, Fernando se vira de frente para Danilo, e começa a lhe interrogar.

Fernando – Por acaso você sabe onde sua irmã estava? Me responda.

Atrás de Fernando, Karen faz caras e bocas, implorando para que Danilo não diga a verdadeira.

Danilo – E…

Fernando – Isso, defende sua irmã… O castigo será duplo então.

Danilo – Eu não vou mentir! Pai, a Karen foi pra balada escondida.

Fernando se vira para Karen, que faz uma expressão assustada ao ver a expressão furiosa de seu pai.

Fernando – Você tava aonde?

Karen – Olha pai…

Fernando – Olha nada! — esbravejando — Em vez de estar dormindo, ou fazendo sei lá o que, você vai pra balada? Ainda escondida?

Karen – Mas… Mas pai, você tinha saído, e eu só queria me divertir…

Fernando – Ah, pois muito bem…

Fernando para de falar, e chega mais perto de Karen, e começa a cheirar seu cabelo e suas roupas…

Fernando – Esse cheiro… (T) Karen, você bebeu?

Karen – (assustada) Eu não pai, eu juro! Pode cheirar meu hálito, não ingeri uma gota sequer. E esse cheiro de álcool, foi porque uma louca me jogou vodca por cima, e ainda se avançou em mim, olha aqui os arranhões.

Karen passa os dedos por cima de seus braços, mostrando alguns arranhões.

Fernando – Okay, vou acreditar, desta vez. Mas isso não irá lhe tirar do castigo.

Karen – E qual será meu castigo?

Fernando – Deixa eu pensar… (T) Ah, já sei! Dá a chave do seu carro e o seu cartão de crédito.

Karen – O quê? Você está louco?

Fernando – Nunca estive tão lúcido! Agora me dá, vamos!

Emburrada, Karen dá seu cartão de crédito e as chaves de seu carro a Fernando.

Karen – Mas como vou fazer minhas compras e ir para a escola sem meu carro?

Fernando – Irá pra escola de ônibus, e quanto a suas compras, lhe darei vinte reais por semana enquanto estiver de castigo.

Karen – O que? Só isso?

Fernando – Vai achar muito se eu disser pra você ir a escola a pé e se eu lhe der dez reais?

Karen bate o pé no chão e solta um grito de raiva, e vai para seu quarto.

Fernando (gritando) – Pode gritar, isso não vai te livrar do castigo.

Fernando se vira para Danilo.

Fernando – Bom, agora vou dormir, e acho que você deve fazer o mesmo.

Danilo – Okay.

Danilo abraça Fernando.

Danilo – Boa noite.

Fernando – Boa noite, filho.

Fernando vai para seu quarto; Danilo apaga as luzes da sala e da cozinha, e logo vai para seu quarto.

CENA 17, O DIA AMANHECE

CENA 18, APARTAMENTO DA FAMÍLIA DUARTE, COZINHA, INTERIOR, DIA

Helena – Filha, posso te perguntar algo?

Giovana – Claro…

Helena – Filha, se um dia eu voltasse a me relacionar com outro homem, você aceitaria?

Giovana – Mas mãe, que pergunta é essa? Eu torço muito para que você arranje um namorado, e não fique solteira para sempre. Mas por que essa pergunta?

Helena – Ai filha, eu não consigo esconder nada de você… (T) Ontem no jantar que eu tive, o cara que me convidou é meu amigo a anos, e ele me disse algo…

Giovana – E o que ele disse?

Helena – Ele disse que a tempos ele não me tirava da cabeça dele, e propôs que eu desse uma chance a ele, que a gente começasse a ter um relacionamento…

Giovana (surpresa) – Jura? E o que você disse?

Helena – Ah filha, eu falei que ia pensar, que ia ver se era viável dar uma chance para ele.

Giovana – Ai mãe, como você é boba. Por que não aceitou logo?

Helena – Mas filha, as coisas não são assim.

Giovana dá uma mordida em uma maçã, e logo responde a mãe.

Giovana – Se eu fosse você, dava uma chance sim… (T) Aliás, quem é esse cara? Eu o conheço?

Helena – Sim, mas eu prefiro não falar o nome, pelo menos agora.

Giovana – Tá…

Giovana olha seu celular, e rapidamente se levanta da cadeira e dá um beijo na bochecha de Helena.

Giovana – Tenho que ir, o ônibus deve passar daqui a pouco. Tchau.

Helena – Tchau filha, boa sorte na aula.

Giovana acena para Helena, e sai do apartamento.

Corta para:

CENA 19, ÔNIBUS, INTERIOR, DIA

Trilha sonora: Thinking Out Love — Ed Sheeran

Giovana está sentada no ônibus, com seus fones de ouvido nos ouvidos, escutando música, enquanto sorri ao conversar com Karen por seu celular; Miguel entra no ônibus, e avista Giovana, que ao mesmo tempo lhe olha; Ele vai em sua direção.

Miguel – Posso sentar?

Sorrindo, Giovana responde.

Giovana – Claro…

Miguel se senta ao lado de Giovana; Eles se olham rapidamente, mas Giovana volta a mexer em seu celular, enquanto Miguel olha para frente; A trilha sonora começa a tocar mais alto, como pano de fundo da cena.

valeapenaverdenovo

21 thoughts on “O Amor é um Jogo – Capítulo 02

  1. Karen já começou a espalhar sua maldade!A cena mais chocante é aquela em que a Cláudia e a Karen se encontram,uma joga uma na outra bebidas e uma puxa o cabelo da outra!Essa parte deu o que falar!Até o pai dela,o Fernando,dá um castigo nela por ter saído escondida para a balada!Mas como a Karen é uma rancorosa!Deveria ter escutado mais o pai dela!
    A cena mais engraçada é aquela em que a Giovana diz para a sua mãe Helena beijar muito o Fernando!Não vou perder um capítulo da novela!Um lacre!

    Curtir

  2. Parabéns pelo capítulo. É a primeira vez que estou lendo e estou gostando , o título lembra “A Vida é um Jogo”.

    Curtir

  3. Grito, com a Cláudia, era uma péssima, foi lindamente pisada pela Karen, amo. Miguel e Giovana, whos, esperando Karen botar fogo no casal. Cecília entrou na trama, coitada, mal sabe o sofrimento que lhe espera. E como gancho, que não foi bem um gancho, teve Miguel e Giovana se reencontrando novamente.

    Parabéns Willian. 😀

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s