Troia (2ª Temporada) – Episódio 10 (Último Episódio)

Troia

TROIA
AUTOR – Felipe Borges
Episódio 2×10 – Cavalo de Troia (Series Finale)

CENA  1/CAMPO/EXT./DIA

Príamo, Cassandra e Dêifobos haviam ido até o lado de fora da muralha, eles não acreditavam no que viam em sua frente. O imenso cavalo de madeira estava na frnete dos portões de Troia.

PRÍAMO — Então, Menelau desistiu mesmo da guerra?

DÊIFOBOS — Pelo que parece, finalmente teremos paz. E ainda nos deixaram um presente, um pedido de paz.

CASSANDRA — Nada é o que parece, meu irmão. A vida não é tão fácil assim.

DÊIFOBOS — A vida não é fácil por que nós, mortais, a complicamos demais!

CASSANDRA — Eu sinto algo vindo deste cavalo, algo estranho.

DÊIFOBOS — Suas profecias não passam de devaneios, Heleno sim era um profeta, o verdadeiro Oráculo Troiano, pena que resolveu fugir por ciúmes.

PRÍAMO — Chega de discussão, o cavalo será levado para dentro de Troia e toda a cidade festejará, serão dias e noites de festa.

CASSANDRA (GRITANDO) — Não! O cavalo de madeira não vai entrar!

Os soldados olham assustados para Cassandra e em seguida para Príamo e Dêifobos.

PRÍAMO — Cassandra, me desculpe as palavras, mas eu sou o rei, somente eu posso permitir ou proibir a entrada do cavalo e eu permito.

DÊIFOBOS — A decisão mais sensata, meu pai.

Os soldados começam a arrastar o grande cavalo de madeira, levando-o para dentro das muralhas.

CASSANDRA — Vocês não deviam ter feito isso…

PRÍAMO — Já está feito, agora vamos para o castelo, hoje é um dia de celebração!

Os três entram na cidade.

Esparta

CENA 2/CASTELO/ÁREA DE TERINAMENTO/INT./DIA

Telêmaco, filho de Penélope e Odisseu, treinava, junto com alguns soldados e utilizando espadas de madeira. Penélope estava sentada, conversando com Hermíone e Icário.

HERMÍONE — Estava com tanta saudade de vocês. O castelo estava tão vazio!

ICÁRIO — Ítaca está em ordem então resolvemos fazer uma breve visita, Hermíone.

HERMÍONE — Tanta coisa mudou. Todo este castelo parece umaa caverna, frio, escuro, sem vida.

PENÉLOPE — Tudo vai melhores, logo nossa família estará completa novamente.

HERMÍONE — Nada será como antes, minha avó morreu, Ifigênia morreu, Clitemnestra está louca e enquanto eu for viva ela nunca mais pisará aqui. Eu queria tanto minha família, completa, de volta!

ICÁRIO — Tudo tem um sentido em nossa vida, toda essa dor e sofrimento tem um significado, um propósito, em nossas vidas.

PENÉLOPE — Meu pai tem razão, majestade!

Hermíone sorri.

Troia

CENA 3/CASTELO/SALA DO TRONO/INT./NOITE

A sala estava movimentada, servos e nobres caminhavam de uma lado para o outro. Na mesa principal estava a família real, ou melhor, o que restou da família real. Príamo e Hécuba sentavam-se nas principais cadeiras, creusa, Anquises, Eneias e Ascânio do lado da rainha e Dêifobos, Helena, Cassandra, Andrômaca e Astíanax do lado do rei. Príamo levanta-se e bate no cálice com os dedos, com o som todos ficam em silêncio.

PRÍAMO — É com muita alegria que anuncio a nossa vitória na guerra. Troia se superou e venceu o poderoso exército Aqueu!

CASSANDRA — Ainda desconfio desta vitória, Menelau não largaria o osso tão facilmente.

ANDRÔMACA — Pare de ser pessimista, Cassandra.

PRÍAMO — Para comemorarmo quero que se sirvam de tudo que puderem, comam e bebam a vontade, cantem, dancem, pois Troia venceu!

Todos começam a aplaudir e gritar, felizes.

CENA 4/CASTELO/TEMPLO/INT./NOITE

Criseis e Criseida colocavam inúmeras oferendas aos pés das estátuas de todos os deuses presentes.

CRISEIDA — Nós, insignificantes mortais, lhes oferecemos tudo isso, como sinal de gratidão pela vitória!

CRISEIS — Nós humildemente agradecemos, do fundo de nosso coração, em nome de todos os troianos!

O ritual continua.

CENA 5/RUA/EXT./NOITE

A cidade estava silenciosa, todos dormiam, apenas alguns soldados caminhvam próximos as muralhas. O grande cavalo de madeira estava no parado, próximo ao portão. Um fundo falso se abre nele e alguns soldados aqueus começam a sair dele, liderados por Odisseu e Agamenon.

ODISSEU — Agora vamos derrotar os soldados e abrir os portões, assim os nossos companheiros restantes entrarão na cidade, sem nenhuma dificuldade.

Sem que os soldados percebessem, os aqueus começam a atacá-los rapidamente, sem que eles tivessem tempo para se defender. Após derrotar o pequeno número de soldados troianos, Odisseu e Agamenon abrem o portão, permitindo a entrada de Menelau e de outros soldados aqueus.

MENELAU (GRITANDO) — Vocês já sabem, me tragam Helena! E que a destruição tome conta de Troia!

CENA 6/CASTELO/QUARTO DE HELENA E DÊIFOBOS/INT./NOITE

Helena estava deitada, enquanto Dêifobos tirava a roupa, para deitar com a esposa.

DÊIFOBOS — Quero uma noite especial, Helena!

HELENA — Você terá, meu marido!

Dêifobos retirava a túnica quando entra um soldado armado, assustando-o.

DÊIFOBOS (GRITANDO) — O que está acontecendo? Você não tem liberdade para tanto, soldado!

SOLDADO — Alteza, algo terrível está acontecendo, os aqueus invadiram Troia, está tudo sendo destruído!

Helena se levnata da cama rapidamente, envolvida no lençol branco e vai até a janela, se assustando com toda a destruição causada pelos aqueus, era possível ver tudo dali.

DÊIFOBOS (NERVOSO) — Pelos deuses, temos que proteger meus pais!

Dêifobos sai desesperado do quarto, levando a bainha com a espada e sendo acompanhado pelo soldado, Helena começa a se vestir.

HELENA (CHORANDO) — Está tudo acabando, tudo por minha culpa!

Ela sai correndo do quarto.

CENA 7/CASTELO/SALA DO TRONO/INT./NOITE

Agamenon abre a porta da grande sala do trono, acompanhado por alguns soldados e Menelau. O soldados troianos que estavam ali, no máximo quatro, rapidamente são mortos.

MENELAU — Temos que encontrar Helena. Ela é o motivo de tudo isso!

AGAMENON — Sinto que falta pouco para a encontrarmos.

Os aqueus continuam caminhando e destruindo tudo.

CENA 8/CASTELO/QUARTO REAL/INT./NOITE

Dêifobos invade o quarto dos pais, que levantam rapidamente da cama.

HÉCUBA — Que gritos são esses?

DÊIFOBOS (NERVOSO) — Vocês, nós, temos que fugir! Vamos rápido!

PRÍAMO — Não pode ser verdade…

De repente Odisseu invade o quarto, acompanhado de outros dois aliados.

ODISSEU — Os reis e um dos herdeiros!

Dêifobos segura a espada com força na mão.

DÊIFOBOS — Se afaste!

Odisseu e os outros soldados começam a atacar Dêifbos, acertando rapidamente a espada no abdômen do troiano, que cai sem vida no chão. Hécuba se desespera e começa a chorar, enquanto Príamo entra na frente da mulher.

PRÍAMO — Se afastem!

ODISSEU — Me desculpe, majestade.

Odisseu passa a espada pelo pescoço do rei, que cai no mesmo instante sem vida. Hécuba vai até o marido e abraça-o, sujando-se toda de sangue.

HÉCUBA (CHORANDO) — Príamo! Não me deixe sozinha!

Odisseu puxa Hécuba para perto de si.

ODISSEU — Você vem, como escrava! E vocês dois, meus soldados, peguem toda a riqueza possível.

Ele sai do quarto, puxando Hécuba. Enquanto os soldados roubavam as jóias dos reis.

CENA 9/CASTELO/CORREDOR/INT./NOITE

Helena corria, o mais rápido que podia, pelos imensos corredores do castelo, então ela para de correr, quando se esbarra em Menelau, que sorri.

MENELAU — Finalmente Helena, depois de dez anos nos encontramos!

HELENA (CHORANDO) — Me perdoe, Menelau, eu me arrependo por tudo que fiz.

Ela se ajoelha, chorando. Ele a levanta e abraça-a.

MENELAU — Eu sempre vou ter pedoar, porque eu te amo. Meu amor por você é mais forte que tudo, Helena.

Ela continua chorando nos braços do marido.

MENELAU — Eu sei que você nunca me amará como amou Páris, mais volte para Esparta comuigo, eu e Hermíone precisamos de você do nosso lado.

HELENA — Eu voltarei. Estou com muita saudades de minha mãe, de Clitemnestra, de Hermíone, de Penélope…

Os dois continuam abraçados, enquanto soldados correm de uma lado para o outro e gritos de morte tomam conta do andar.

CENA 10/CASTELO/CORREDOR/INT./NOITE

No corredor mais fundo dos castelo, um grupo de pessoas fugia, por uma espécie de passagem subterrânea, que os levariam direto para fora dos muros. Eles eram liderados por Creusa, Eneias e Criseis. Criseida, Anquises e Ascânio também estavam ali, além de outros nobres.

CREUSA — Conheço esta passagem como a palma de minha mão, logo estaremos em segurança.

CRISEIDA — Poderíamos ter procurado por mais pessoas, muita gente está morrendo.

CREUSA — Não teríamos tempo, sua idiota!

CRISEIDA — Me respeite, assassina de bebês!

ANQUISES (GRITANDO) — Parem de briga, vamos focar na fuga e na nossa sobrevivência!

ENEIAS — Meu pai está certo, vamos rápido!

Eles começam a entrar na passagem subterrânea.

CENA 11/CASTELO/QUARTO DE ANDRÔMACA/INT./NOITE

Andrômaca segurava o filho nos braços, chorando sobre a cama.

ANDRÔMACA (CHORANDO) — Nada vai lhe acontecer, Astíanax, eu não vou permitir.

Ela então ouve gritos e o bebê começa a chorar.

ANDRÔMACA (CHORANDO) — Fique calmo, mamãe está aqui!

De repente Agamenon entra, segurando uma espada suja de sangue.

AGAMENON — Finalmente lhe encontrei, Andrômaca!

Ela se levanta.

ANDRÔMACA — Se afaste!

Agamenon puxa a princesa para perto dele.

AGAMENON — Você e o bebê agpra irão vir comigo!

ANDRÔMACA (CHORANDO) — Não faça nada com meu filho, eu lhe peço!

AGAMENON — Me desculpe, mas não será possível!

Ele sai, puxando a princesa, que levava Astíanax chorando.

CENA 12/CASTELO/SALA DO TRONO/INT/NOITE

Castor e Pólux entram, acompanhados de vários soldados.

CASTOR — Peguem todo o ouro possível!

PÓLUX — Os troianos eram muito ricos.

CASTOR —  E agora toda a riqueza nos pertence!

Os soldados começam a correr e a se espalhar pelo castelo, pegando tudo que encontravam pelo caminho.

CENA 13/RUA/EXT./NOITE

A cidade estava sendo destruída, troianotentavam se defender, mas logo eram mortos, casas pegavam fogo, soldados aqueus corriam de um lado para o outro. hécuba, Cassandra e Andrômaca são levadas para froa do castelo, sendo empurradas por Odisseu.

ODISSEU (GRITANDO) — Vamos, rápido!

ANDRÔMACA (CHORANDO) — Onde está meu filho?

ODISSEU — Está com Agamenon.

CASSANDRA — Por favor, não permita que ela faça algum mal ao meu sobrinho.

ODISSEU — Fique quieta!

HÉCUBA (GRITAND0) — Você é um monstro!

ODISSEU — Obrigado pelo elogio, majestade.

De repente, Andrômaca se desespera, ao ver Agamenon segurando o pequeno Astíanax pelos pés, em cima da ggrande muralha. Andrômaca se ajoelha no chão, chorando. Cassandra abraça a mãe, que também chorava.

AGAMENON (GRITANDO) — Vejam a morte do último herdeiro de Troia!

ANDRÔMACA (GRITANDO) — Não!

Agamenon solta o bebê do alto da grande muralha.

Então, em estado de choque, Hécuba olha para o lado e vê Menelau se aproximando com Helena, de braços dados.

HÉCUBA (GRITANDO) — Não pode ser! A meretriz obteve perdão!

Cassandra segura a mãe, que tentava correr até Helena e Menelau.

HELENA — Me perdoem.

ANDRÔMACA (GRITANDO) — Desgraçada, você um dia pagará por tudo isto!

HELENA — O que acontecerá com elas?

MENELAU — Serão distribuídas aos nobres que me ajudaram na guerra, como escravas.

Helena, sem olhar para trás, continua caminhando com Menelau. Enquanto Odisseu levanta Andrômaca do chão e voltam a caminhar, levando também Cassandra, Hécuba e outras nobres que foram capturadas.

CASSANDRA — Onde está Creusa? Não a vejo desde o jantar!

HÉCUBA — Espéro que ela tenha um destino melhor que o nosso.

CENA 14/CAMPO/EXT./NOITE

Os fugitivos iam para longe de Troia o mais rápido possível. Creusa andava mais afastada do grupo, olhando para a bela relação entre Eneias, Anquises e Ascânio.

CREUSA (CHORANDO) — Essa não é a família que tanto desejei. Meu filho nunca será rei, popis Troia não existe mais…

Eles continuam andando, até que todos começam a ouvir um som.

ANQUISES — Deve ser guerreiros aqueus, vindo até nós.

CRISEIS — Não pode ser!

ENEIAS — Vamos, corram!

Eles começam a correr, e quando o som finalmente parou, todos param também, respirando ofegantes.

CRISEIDA — Parece que conseguimos fugir…

Eneias olha para trás.

ENEIAS — Onde está Creusa?

CRISEIS — Não a vejo desde que saimos de Troia.

ENEIAS — Fiquem aqui, irei procurar por ela, não posso perder minha esposa.

ANQUISES — Eneias, é perigoso!

ENEIAS — Não me importo! Fiquem aqui, logo voltarei.

Ele sai correndo.

CENA 15/CAMPO/EXT./NOITE

Eneias já havia cansado de correr buscando por Creusa, até que uma brisa fria chega até seu pescoço, a brisa trazia o cheiro de Creusa.

ENEIAS (GRITANDO) — Amor, onde você está?

Ele continua caminhando, sem direção, até que ouve risos, era o riso de Creusa, ele reconhecia.

ENEIAS (GRITANDO) — Onde está? Apareça!

CREUSA (VOZ) — Eu estou bem Eneias, mas você deve seguir em frente.

ENEIAS — Não posso deixá-la, Creusa! Eu te amo!

CREUSA (VOZ) — Siga seu caminho, logo chegará em uma terra próspera que espera por você. Escapei da escravidão, não conseguiria servir e você sabe disso, minha personalidade não permitiria. Estou seguindo Cibele, a mãe dos deuses, fique tranquilo.

O silêncio toma conta do local e Eneias enxuga uma lágrima que descia pelo rosto.

ENEIAS (CHORANDO) — Seguirei suas intruções, meu amor. Meu eterno amor. Ele começa a caminhar chegando até o acampamento dos fugitivos. Eneias agora deveria ser um líder.

Passagem de Tempo
Alguns dias

Micenas

CENA 16/CASTELO/SALA DO TRONO/INT./NOITE

A sala estava cheia de nobres e alguns dos soldados mais importantes. A porta principal se abre e Clitemnestra entra de mãos dadas com Egisto. Eles caminham até o trono da rainha, que fica de pé na frente dele, olhando para a multidão a sua frente.

CLITEMNESTRA — Fiquem quietos e parem de me observar como se eu fosse uma presa e vocês os predadores. Exijo respeito em meus domínios!

EGISTO — Obedeçam a rainha, ou serão mortos!

CLITEMNESTRA — Reuni todos vocês para dar uma ordem, como devem saber a guerra cotra Troia chegou ao fim e Agamenon está vivo! Logo ele estará aqui, então eu os proibo de revelar ao antigo rei que ele não é mais rei. Ele deve pensar que tudo aqui continua como ele deixou, até mesmo eu terei que abrir mão de minhas novas roupas.

EGISTO — Quem não cumprir esta ordem também morrerá. Temos ouvidos em toda Micenas, sabemos de tudo o que acontece aqui!

CLITEMNESTRA — Podem voltar às suas vidas miseráveis, já dei meu recado!

Esparta

CENA 17/CASTELO/JARDIM/EXT./DIA

Penélope, Icário, Telêmaco e Hermíone esperavam a chegada de Menelau, Helena e Odisseu após a guerra.

PENÉLOPE — Finalmente tudo está voltando ao normal.

HERMÍONE — Estou tão ansiosa para rever meus pais!

De repente, Helena entra ao lado de Menelau. Hermíone corre até eles e os três se abraçam.

TELÊMACO — Onde está o papai?

PENÉLOPE — Não me digam que Odisseu está… morto!

MENELAU — Ele ficou para trás, recolhendo as riquezas de Troia para que ela fosse distribuída.

ICÁRIO — E Agamenon?

MENELAU — Foi direto para Micenas, já Castor e Pólux resolveram iniciar uma viagem de férias.

HELENA — Estava com tanta saudades de vocês!

Helena abraça Penélope.

HELENA — Onde está minha mãe?

PENÉLOPE — Muita coisa aconteceu, Helena.

CENA 18/CASTELO/QUARTO REAL/INT./NOITE

Menelau estava deitado na cama do casal, quando Helena entra no quarto, com o roto vermelho por conta do choro.

HELENA — Ainda não consigo imaginar como Clitemenstra teve coragem de matar a própria mãe, a nossa  mãe.

MENELAU — Pelo que disseram, Clitemnestra está diferente.

HELENA — Temos que fazer algo, Menelau. Ela merece uma punição!

MENELAU — Nosso exército está em desvantagem, qualquer ataque a Micenas seria loucura. Ela teve dez anos para treinas um exército e segundo Icário o tempo foi bem usado.

Helena deita-se ao lado de Menelau, que a abraça.

MENELAU — Logo resolveremos tudo, fique tranquila minha amada!

CENA 19/CASTELO/QUARTO DE PENÉLOPE/INT./NOITE

Penélope entra no quarto e vai até o altar que ela havia montado próximo a cama. Ela ajoelha-se ao chegar até ele.

PENÉLOPE — A única coisa que peço a vocês, poderosos deuses, é que Odisseu volte em segurança.

Ela começa a chorar, ao lembrar dos bons momentos que havia vivído com o marido.

Micenas

CENA 20/CASTELO/SALA DO TRONO/INT./NOITE

Clitemnestra estava sentada em seu trono, vestida como no passado, com uma túnica colorida e algumas jóias de prata e ouro, nada dos extravagantes vestido e maquiagem pretos. A porta principal se abre e Agamenon entra, sorridente.

AGAMENON — Clitemnestra, finalmente estou de volta!

Ela sorri e se lavanta do trono.

CLITEMNESTRA — Não sabe como esperei por este dia.

Agamenon olha ao redor.

AGAMENON — Nada parece ter mudado, onde estão Orestes e Electra.

CLITEMNESTRA — Estão preparando um presente para você, mas agora eu quero um tempo com você, sem mais ninguém.

AGAMENON — Vamos para o nosso quarto!

Os dois seam, sorrindo.

CENA 21/CASTELO/QUARTO DE ELECTRA/INT./NOITE

Electra abre a porta silenciosamente e vê que os guardas que as viagiavam estavam distraídos, conversando sobre prostitutas.

ELECTRA (P/ SI) — Agora é a hora, meu pai chegou, eu sei que ele vai me ajudar!

Ela sai silenciosamente do quarto, nenhum dos guardas percebe.

ELECTRA (P/ SI) — Você vai cair, mamãe!

CENA 22/CASTELO/QUARTO REAL/INT./NOITE

Agamenon estava dentro de uma grande banheira, repleta de água. Ele estava nu e de olhos fechados, completamente relaxado. Clitemnestra olhava de longe.

AGAMENON — Venha meu amor, a água está deliciosa!

CLITEMNESTRA — Estou indo!

Ela então pega rapidamente um punhal, que estava sob as almofadas de sua cama, e caminha lentamente até Agamenon, que ainda estava de olhos fechados.

CLITEMNESTRA — Eu esperei dez anos por isso, não sabe como estou feliz em lhe ver aqui, em minha frente.

AGAMENON — Também estou feliz!

Electra chega e vê a mãe pronta pára atacar Agamenon, que ainda estava com os olhos fechados, relaxado.

ELECTRA (GRITANDO) — Não!

Agamenon abre os olhos, mas não consegue fazer mais nada. Neste momento Clitemnestra crava o punhal no pescoço no marido. Sangue começa a descer pelo corpo dele e logo a banheira fica repleta do líquido vermelho.

CLITEMNESTRA (GRITANDO) — Agamenon caiu!

Electra sai correndo, chorando. Clitemnestra ria loucamente.

Esquiro

CENA 23/CASTELO/SALA DO TRONO/INT./NOITE

Deidamia, após a morte de Licomedes, havia se tornado rainha de Esquiro. Ela caminha de uma lado para o outro, a túnica roxa esvoaçava, seu olhar era aflito.

DEIDAMIA (P/ SI) — Onde eles estão?

De repente a porta se abre e Neoptólemo, filho dela e de Aquiles, entra.

DEIDAMIA — Finalmente está de volta!

Ela corre até ele e o abraça.

DEIDAMIA — Onde está seu pai? Cadê Aquiles?

NEOPTÓLEMO — Meu pai… ele está no Submundo!

Deidamia começa a chorar e Neoptólemo a abraça.

Ftia

CENA 24/CASTELO/SALA DO TRONO/INT./DIA

O reino estava de luto, todos já sabiam da morte de Aquiles desde a chegada do exército de Peleu. Peleu e Tétis, já muito velhos e cansados.

TÉTIS — Ainda não me conformo com a morte de nosso único filho!

PELEU — Teremos que nos conformar, não há outra opção!

Uma brisa toma conta do lugar e em sguida uma explosão de luz.

TÉTIS — O que está acontecendo?

Então a forte luz acaba, revelando Hera e Atena, deslumbrantes como sempre.

HERA — Não fiquem tristes pela morte de Aquiles!

ATENA — Ela foi um dos destaques da guerra, nos representou muito bem.

HERA — Conseguindo até mesmo paz no Mundo dos Mortos!

Tétis e Peleu se alegram com a notícia.

PELEU — Não fazem ideia como a notícia nos alegra.

As deusas sorriem e desaparecem, Tétis e Peleu se abraçam.

TÉTIS — Sinto que logo nos juntaremos a Aquiles.

PELEU — Sinto o mesmo!

Os dois continuam abraçados.

Passagem de Tempo

Muitos Anos

Micenas

CENA 25/CASTELO/SALA DO TRONO/INT./DIA

O tempo passou e levou a juventude de todos, inclusive de Egisto e Clitemnestra. Eles já ostentavam fios grisalhos e rugas, mas ainda continuavam assustadores e autoritários no trono.

CLITEMNESTRA — Está ouvindo algo? Parecem gritos?

EGISTO — Não…

Antes que Egisto terminasse de falar, Oretes, agora um homem forte, invade a sala, empunhando uma espada suja de sangue.

EGISTO — Esse rosto não me é estranho.

ORESTES — Sentiram saudades de mim?

Clitemnestra se levamta, acompanhada de Egisto.

CLITEMNESTRA — Orestes? Já fazem quase vinte anos que não nos vemos!

ORESTES — Esperei tanto por este dia, treinei tanto,

EGISTO — Onde você esteve?

ORESTES — Na casa de um tio de meu pai, lá recebi total apoio para este momento! Finalmente poderei vingar tudo o que vocês fizeram! Malditos!

Egisto pega a espada que levava presa na cintura.

EGISTO — Dê o seu melhor!

Os dois começam a batalhar.

ORESTES — Micenas está caindo, vocês cairão com ela! Meu exército vai massacrar todos que os apoiam!

Egisto tenta desarmar Orestes, que se protege com a espada e contra ataca, derrubando o padrasto. Enquanto isso, Clitemnestra fugia, silenciosamente, da sala.

ORESTES — Você está velho e fraco, eu estou novo e forte! Hora de morrer, seu desgraçado! Liberdade à Micenas!

Orestes golpeia Egisto na barriga, matando o padrasto na hora.

CENA 26/CASTELO/CORREDOR/INT./DIA

Clitemnestra corria, desesperada, pelos corredores do castelo. Era possível ouvir o som das lutas de espada nos outros corredores. De repente ela se assusta, ao ver Electra parada no corredor, sorrindo.

CLITEMNESTRA — Seu irmão está louco! Ele acaba de matar Egisto e quer agora minha cabeça.

ELECTRA — A senhora está colhendo o que plantou, soberana.

CLITEMNESTRA — Me salve, em nome dos deuses. Eu prometo ser uma boa mãe!

ELECTRA — Prometer aquilo que não irá cumprir não é uma coisa boa!

A rainha se aproxima da filha, que a abraça.

CLITEMNESTRA — Eu também gosto muito de você, mas não podemos deixar o abraço para depois?

ELECTRA — Eu preciso deste abraço!

Electra revala que escondia, na mão fechada, um punhal.

ELECTRA — Sua maldita! Finalmente verei seu sangue!

Electra crava o punhal nas costas da mãe, que morre no mesmo instante.

ELECTRA — Finalmente a justiça foi feita, majestade!

Ítaca

CENA 27/CASTELO/JARDIM/EXT./NOITE

Penélope estava sentada sob uma árvore, abraçada com Odisseu.

PENÉLOPE — Parece que estamos em um sonho, depois de vinte anos, você voltou para mim!

ODISSEU — Mesmo enfrentando a guerra e a difícil viagem de volta, eu voltei. Eu sempre voltarei!

PENÉLOPE — E eu sempre o esperarei!

Os dois se beijam, apaixonados.

Esparta

CENA 28/CASTELO/SALA DO TRONO/INT./NOITE

Hermíone entra e caminha até a mãe, que mesmo com a idade, ainda continuava bela como no passado.

HERMÍONE — Papai já está dormindo. Ele está tão doente…

HELENA — A idade sempre chega e com ela as doenças. Eu fico pensando como estão os troianos que sobreviveram, a rainha Hécuba já deve ter ido para o Mundo dos Mortos, mas e Cassandra, Heleno, Andrômaca, Creusa, Eneias… pessoas que convivi por tão pouco tempo, mas que criei uma ligação muito forte.

HERMÍONE — Pelo que me disseram, Heleno foi o único que não foi transformado em escravo, por te informado os meios para vencer Troia, agora as mulheres foram entregue aos reis, como prêmio.

HELENA — Eu sinto tanta saudade de Páris, até hoje não me conformo com a morte dele…

HERMÍONE — Deve ser triste perder o grande amor de sua vida, de uma maneira tão trágica.

HELENA — Eu nunca amerei alguém como amei Páris. Agora me resta apenas torcer, para que no Mundo dos Mortos eu o encontre.

HERMÍONE — O amor de vocês é eterno, tenho certeza disso.

HELENA — Obrigada por me apoiar, sem julgamentos!

HERMÍONE — Obrigada por ser minha mãe!

As duas se abraçam, emocionadas.

A câmera foca no abraço entre mãe e filha.

Fim!

Anúncios

34 thoughts on “Troia (2ª Temporada) – Episódio 10 (Último Episódio)

  1. Venho aqui agradecer a todos que acompanharam “Troia” pelas duas temporadas. Gostei muito de adaptar a famosa “Ilíada”. Peço desculpas pelos erros que cometi no projeto. Aprendi muito com a web-série, com todas as críticas.
    Novamente muito obrigado pela companhia magnífica de todos vocês, leitores, durante esses meses em que “Troia” esteve no ar!

    Curtido por 5 pessoas

  2. Gostei dessa série,vou ver os outros episódios que não li.Acho essa série parecida com Game of Thrones.Vai ter terceira temporada?

    Curtido por 1 pessoa

  3. A guerra de Tróia, uma história épica! Guerreiros que invadem a cidade escondidos em um cavalo de madeira e tomam a cidade
    Clitemnestra voltou com força total, matou Agamenon, anos depois, Orestes matou Egisto (Orestes era o filho dela, né?) e no fim foi morta pela própria filha, Clitemnestra foi uma ótima vilã, mas ela mereceu esse fim
    Inicialmente, eu a ler a segunda temporada de Tróia, porém eu não consegui ler todos os capítulos da primeira temporada, algum tempo depois, eu decidi que ia ler e consegui
    Parabéns, Felipe!
    Tróia foi uma ótima web série

    Curtido por 1 pessoa

    • Realmente, a Guerra de Troia é uma história épica.
      Sim, Orestes era filho de Clitemnestra e Agamenon, mas ele não teve muito destaque na trama, infelizmente…
      Clitemnestra mereceu o fim, mesmo eu gostando muito da personagem.
      Obrigado, Roberto!

      Curtir

  4. E encerramos a saga de Troia. A cidade-título fora dizimada pelos aqueus, Micenas foi libertada do jugo de Clitemnestra, houve um festival de mortes e, no final, tivemos muitos personagens lamentando a morte de entes queridos e esperando reencontrá-los no mundo dos mortos.

    Curtir

    • Como você mesmo disse, o final foi um verdadeiro festival de mortes e de lamentações por conta dos vivos.
      Obrigado pela presença, Glay!

      Curtir

  5. EPISÓDIO 07

    Após ser desmascarada por Andrômaca, Creusa quis virar o jogo ao seu favor dedurando a mulher pra Hécuba, mas o que ela nn esperava é que sua mãe soubesse de sua verdadeira face. Clitemnestra sendo acusada pela morte da mãe e sendo atacada por escravizar a filha. Uma personagem que me cativa cada vez mais com essa personalidade forte, maléfica e fria. Aquiles decidiu abandonar o exército de Menelau e nn guerrear. Patrócolo recolhe a armadura de Aquiles para se passar por ele durante a batalha. Heitor batalha com “Aquiles” e o mata. Mas após descobrir quem realmente matou, se choca por nn ter matado o seu maior rival. Após descobrir o que Heitor fez, Aquiles promete vingança pelo ato. A deusa Atenas promete ajudar Aquiles nessa sua decisão sem que Zeus saiba. Chega o momento onde os dois rivais estão prestes a batalhar.

    EPISÓDIO 08- ANTEPENÚLTIMO

    E o episódio começou ótimo com a batalha entre Heitor e Aquiles. Ótima cena! Muito bem escrita, detalhada e emocionante. E Aquiles conseguiu derrotar Heitor deixando Páris bastante abalado. Será que vem vingança por aí? A vitória de Aquiles despertou muita felicidade a Menelau e Briseida, com quem acho q o guerreiro vai terminar no final da trama. Pqp! 😮 Que cenão foi esse do Aquiles arrastando o corpo de Heitor pela sua charrete em volta do muro troiano? Muito realista! O episódio foi lotado de cenas bem maravilhosas. Essa surra que Andrômaca deu em Helena foi ótima! Essa guerra além de fazer um grande estrago entre esse povo, vai causar também um reboliço entre os deuses. Ares e Atena estão aí nn me deixando mentir, risos. Aquiles foi bem mal em ter feito aquela humilhação com Heitor, mas ele teve um motivo e eu entendo o caso. Príamo implorando pelo corpo do filho e Aquiles o entregou. Creusa mais vilã do que nunca! Agora o alvo é o bebê de Heitor, gente… Uma mulher fria e vadia. Muita cena triste, meu Deus! 😭 Passagem de Tempo GGG Apolo entregando a arma para Príamo arrancar a vida de Aquiles. Será que ele terá coragem? Citei acima sobre uma possibilidade de vingança. 😮 MEU DEUS, FELIPE! Esse gancho de Páris mostrando que realmente foi capaz de matar Aquiles. Socorro! O episódio que mais teve grandes cenas, e tenho dito. Exepcional!

    EPISÓDIO 09- PENÚLTIMO

    PENSEI QUE AQUILES NÃO IRIA MORRER!!! 😮 FELIPE, MEU CORAÇÃO NN AGUENTA ISSO TUDO! Creusa tenta matar o filho de Andrômaca com uma almofada, mas nn é capaz ao ver o sorriso ingênuo e inocente da criança. No momento em que Páris iria ser atacado por Agamenon, Ares e Afrodite aparecem o retirando dali e mostrando que a hora do guerreiro nn tinha chegado. Adoro essas aparições dos deuses, sério. Fiquei até assustado pensando que o castelo tinha desmoronado, risos. Helena está reconhecendo que é a grande culpada por tudo que esteja acontecendo em Troia. Realmente, esses ataques e guerras vieram após ela decidir se entregar ao amor. Parece que a culpa em seu peito vai ficar cada vez maior, visto que a guerra nn está nem um pouco próxima de acabar. Essa cena de Páris partindo é bem tocante, estou sofrendo. Ele nn merecia esse final. E Heleno contou como destruir Troia. Xiii… Vai dar o que falar!

    EPISÓDIO 10- ÚLTIMO (😢)

    E começou tenso e ágil esse último episódio. O povo troiano pensando que o povo de aqueu teria dado como derrotados, são surpreendidos com a chegada deles de uma forma surpreendente. Eu me surpreendi, risos. Helena se entregou facilmente a um novo amor. Parece que a mesma estava mesmo querendo confusão para cima de Páris. Hécuba presenciado a morte de Príamo. Muito triste, meu Deus, e ainda foi levada para se tornar escrava. Será o fim de Troia? MEU DEUS! Essa morte do bebê de Andrômaca, gente, que triste. Helena é a verdadeira monstra dessa história, a verdadeira culpada por tudo que aconteceu entre Troia e Esparta. Meu pensamento por ela mudou geral. Clitemnestra foi a grande revelação de “Troia”. Cada cena que ela aparece é muito gostoso e me deixa ler bem entusiasmado. A morte de Agamenon foi bem bolada, bem tensa e bem escrita, só acho que Electra deveria ter feito algo a mais antes de sair correndo, mas diante daquela mulher fria, qualquer um corre, né? Risos. E depois de Anos, a filha conseguiu vingar a mãe pelos seus atos. Nn queria esse fim pra rainha, ela merecia ficar mais com o seu reino. E na cena final temos Helena demonstrando que ainda ama Páris ao filho. Uma cena bem bonita por sinal.

    FIM

    Bom, o que estou sentindo agora? Parece que algo foi retirado de mim no meu fim de semana. Troia foi uma obra que sempre elogiei, uma obra que desde sua primeira temporada me conquistou de uma maneira impressionante. Uma web série rica que nessa nova temporada se reinventou, se tornou mais ágil sem perder a qualidade. Nesses últimos episódios reparei uns erros de digitação, mas nada que pudesse tirar o encanto de Troia. Esparta venceu, sem mais. É impressionante como um amor pode causar tantos estragos para uma população q na maior parte nn estão envolvidos. Tivemos cenas chocantes e emocionante. Destaco aqui a morte do bebê de Andrômaca como mais chocante e Aquiles arrastando o corpo de Heitor em volta do castelo. Um belo e aplausível trabalho, Felipe, que vc construiu. Troia ficará lembrada pela evolução ao Mix tanto no tema quanto por ser a trama que teve duas temporadas. Foi um prazer acompanhar essa obra maravilhosa e espero conhecer outros trabalhos seus. Me perdoe pelos episódios onde nn pude ser específico e comentar sobre eles, mas aqui está eu atualizadíssimo. Parabéns pela trajetória e pela web série. 😀 SUCESSO! Agora vou chorar.

    Curtir

    • Fred, estou com medo de fazer um comentário diante do seu, mas vamos lá.
      Fico muito feliz por ter gostado tanto da trama, também fico feliz por ter feito a série evoluir nesta temporada que se encerra hoje.
      E concordo com você, se formos listar os vilões da série, o primeiro lugar fica com Helena, ela fez tudo isso acontecer.
      Sim, o amor é a maior arma que pode existir, por amor pessoas fazem loucuras.
      Foi difícil escrever essas duas cenas que você citou, tanto a morte do bebê de Andrômaca quanto o triunfo de Aquiles sobre Heitor, e volto a ficar feliz por elas terem marcado tanto.
      O prazer foi todo meu, em tê-lo como leitor assíduo, sempre com suas opiniões.
      Não existe motivo para pedir perdão, sei como é difícil acompanhar uma trama.
      Obrigado e sucesso para NÓS!!!
      IREMOS CHORAR…

      Curtido por 1 pessoa

  6. Parabéns Felipe, pelo pouco que li de Troia, pude perceber que foi uma ótima ótima websérie e ficará marcada no Mix. 😀

    Divulgação – amanhã tem a estreia de Cartas para Florença às 22h, não percam 😉

    Curtir

  7. Eu não sei o que dizer, pois a serie foi muito bem desenvolvida.
    Enfim desejo parabéns pela serie e pela ideia de escrever sobre temas históricos.
    espero o seu próximo trabalho.

    Curtir

  8. Infelizmente não consegui acompanhar a trama por falta de tempo mesmo, espero que entenda, mesmo assim lhe dou meus sinceros parabens querido e quem sabe sua próxima trama eu consiga acompanhar.

    Curtir

  9. Parabéns, Felipe 😛
    Infelizmente não fiz meu comentário como prometi, mas volte aqui no próximo sábado que ele estará aqui, okay? Kisses. Tenho que ler o episódio 6 em diante ainda.

    Curtir

  10. Felipe, gostaria muito de lhe parabenizar pela conclusão dessa obra tão ousada e inovadora no blog. Peço desculpa por não poder ter acompanhado fielmente e comentado sempre.
    Parabéns e boa sorte na faixa teen! ❤

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s