Cartas para Florença – Capítulo 07 + RESUMÃO

RESUMÃO DOS 6 PRIMEIROS CAPÍTULOS

CAPÍTULO 01: O assassino do 6º dia mata Matilda. Justina implica com os cabelos soltos de Florença. Os clientes do bordel Flor de Lótus reclamam que acabou o vinho e Cândida sai para comprar mais. Florença esbarra com Cândida na rua e deixa a cafetina encantada. Cândida volta para o bordel e, lá, encontra Tales. Os dois vão para o quarto e fazem amor. Emílio se masturba pensando em sua filha Florença e começa a chorar. Cândida pede a Tales que ele seduza Florença e a convença a se tornar cortesã do Flor de Lótus.

CAPÍTULO 02: Tales aceita a proposta. Emílio se corta para se penitenciar por se excitar pensando na própria filha.  Neusa reclama que nenhum cliente a quer. Getúlio levanta a hipótese de o assassino do 6º dia ser um canibal. Adriana fica triste por Neusa não ter se lembrado de seu aniversário. Neusa faz Adriana jurar que não contará a ninguém que já tem dez anos. Cândida diz a Tales que, naquele mesmo dia, colocarão o plano em prática. Emílio corta seu pênis fora.

CAPÍTULO 03: Justina encontra Emílio mutilado no banheiro. Tales e Florença se conhecem. Justina encontra um médico na rua. Tales e Florença marcam um encontro. Tales e Cândida transam em um beco. Leopoldina convence Getúlio a eles se mudarem de casa. Justina e o médico chegam em casa e ele constata que Emílio está morto.

CAPÍTULO 04: Cândida pede a Neusa que a encontre em seu escritório no dia seguinte. O diretor da escola avisa a Florença sobre a morte de Emílio. Florença chega em casa e se desespera ao ver Emílio morto. Neusa e Adriana tentam fugir, mas são pegas por Cândida. Getúlio compra uma casa nova. Florença encontra Tales no enterro de Emílio. Cândida diz a Neusa que Adriana terá que começar a se prostituir.

CAPÍTULO 05: Neusa implora, sem sucesso, para que Cândida volte atrás em sua decisão. Tales e Florença se beijam. Adriana não entende o motivo da tristeza de Neusa. Getúlio desenterra o corpo de Matilda e conclui que ela foi assassinada por um canibal. Tales leva Florença ao bordel e ela fica chocada.

CAPÍTULO 06: Tales e Florença fazem amor. Cândida oferece Adriana a um cliente, mas ele recusa. Tales pergunta a Florença se ela já pensou em ser cortesã. Ela fica ofendida e vai embora. Neusa fica feliz com a recusa do cliente a Adriana. Tales conta a Cândida que Florença brigou com ele e a cafetina se desespera.

cartas-para-florencaCena 1 / NOITE / Salão do bordel Flor de Lótus, interior

Cândida vê Florença saindo do quarto, visivelmente abalada. A moça, que está chorando copiosamente, corre até a saída do bordel e vai embora.

CÂNDIDA (p/ si): Ai, meu Deus do céu… era só o que me faltava.

De repente, Tales também sai do quarto e vai até Cândida.

TALES: Você viu a Florença?

CÂNDIDA: Sim, ela foi embora parecendo que tinha visto um fantasma!

TALES: Não acredito!

CÂNDIDA: Que foi que aconteceu?

TALES: Ela se ofendeu quando eu disse a ela que ela daria uma ótima cortesã, e agora não quer me ver nem pintado de ouro!

CÂNDIDA: NÃO PODE SER! Tudo estava dando certo na minha vida… De repente, tudo passou a dar errado! Maldição!

Cândida fica desesperada devido à notícia que acabara de receber e, então, se vira para Tales.

CÂNDIDA: Isso tudo é culpa sua! Você foi um burro, um energúmeno! Era óbvio que na primeira noite de amor de vocês dois ela não haveria de aceitar tornar-se cortesã!

Irritada, Cândida começa a dar socos no peito de Tales, que a imobiliza.

TALES: Pare com isso! Eu fiz o que pude! E você que foi uma louca neurótica que embestou que queria transformá-la em cortesã, sendo que isso não faria a menor diferença em sua vida! Lésbica podre!

CÂNDIDA: Você sabe muito bem que eu só a queria trabalhando aqui por causa do dinheiro! Mas enfim… azar. Terei que aceitar seguir o bordel sem ela.

Cena 2 / NOITE / Casa de Justina e Florença, quarto de Justina, interior

Justina está de pé, na frente do guarda-roupa do quarto, chorando ao olhar para as roupas que eram de Emílio. Ela tira uma calça de dentro do guarda-roupa e a encosta em seu nariz, chorando ainda mais ao sentir o cheiro do falecido marido.

Ela, então, percebe que, no cinto que está preso naquela calça, está presa a pistola que Emílio costumava carregar.

JUSTINA (p/ si): Nossa, eu nem me recordava mais da existência dessa pistola…

Justina, então, tira a pistola do coldre e a segura com suas duas mãos.

JUSTINA (p/ si): Guardá-la-ei entre minhas roupas, é sempre prudente ter uma arma dentro de casa.

Justina esconde a pistola no meio de uma pilha de roupas que está em cima de uma das prateleiras do guarda-roupa.

De repente, ouve-se o barulho da porta se abrindo. Justina vai até a sala de estar da casa, que é onde fica a porta de entrada. Florença se assusta ao enxergar a mãe.

FLORENÇA: Mãe? A senhora acordada a esta hora?

JUSTINA: Sim. Comecei a olhar algumas roupas de seu pai e acabei ficando acordada. Por que chegou tão tarde hoje?

FLORENÇA: Eu? Ah, porque… o professor deu uma prova muito comprida e acabei me atrasando…

JUSTINA: Hum, entendi. Agora vá dormir.

FLORENÇA: Está bem. Boa noite.

Florença se dirige até seu quarto.

Cena 3 / Passagem de tempo

Passam-se duas semanas.

Durante esse tempo, Florença recebeu diversas cartas de Tales se desculpando pelo ocorrido, e implorando para que ela voltasse a encontrá-lo, porém ela não respondeu nenhuma. Escondeu-as dentro de seu guarda-roupa e mentiu para Justina que eram notas enviadas por um professor.

Tales também foi até a escola de Florença várias vezes após o fim da aula dela, porém, ela fingiu que ele não estava ali e não escutou nada do que ele tinha para falar.

Cândida oferece Adriana para diversos homens, porém nenhum quer levar para a cama uma menina de apenas dez anos. Neusa fica feliz.

Cena 4 / MANHÃ / Casa de Justina e Florença, quarto de Justina, interior

Justina está dormindo na cama de casal. O quarto está levemente iluminado pelos raios de sol. De repente, ouvem-se diversas batidas na porta de entrada da casa. Confusa, Justina abre os olhos e não entende o que está acontecendo.

JUSTINA (p/ si): Há de ter sido um sonho…

Porém, as batidas recomeçam.

JUSTINA: Santo Deus! Quem há de ser a essa hora da manhã? Que falta de respeito, as pessoas querem dormir!

Justina se levanta, veste um chambre, coloca seus chinelos nos pés e caminha para fora do quarto. Na sala, ela encontra Florença, que também está de chambre e, pelo jeito, também se acordara com as batidas na porta.

FLORENÇA: Bom dia, mãe.

JUSTINA: Bom dia.

FLORENÇA: Quem será que é?

JUSTINA: Não faço a menor ideia.

Justina caminha até a porta de entrada da casa, a abre e se surpreende com a pessoa que está do lado de fora: Euclides, o proprietário do imóvel.

JUSTINA: Senhor Euclides?

EUCLIDES: Bom dia, senhora Justina.

JUSTINA: Bom dia. O que o traz aqui?

EUCLIDES: Eu gostaria de informar à senhora que já passou o prazo para pagar o aluguel. As senhoras não pagaram, portanto, estão despejadas.

JUSTINA / FLORENÇA: O QUÊ?!

EUCLIDES: Sim. As senhoras têm até o anoitecer de hoje para deixarem a casa e levarem com vocês os seus pertences.

JUSTINA: Como assim? Por favor, seu Euclides, dê-nos mais um tempo! O senhor sabe que meu marido faleceu a pouco e estamos sem nenhuma fonte de renda!

EUCLIDES: Perdoem-me, senhoras, mas não tenho vocação para caridade. Trato de negócios. Tínhamos um contrato; as senhoras o descumpriram, portanto, haverão de sofrer com as consequências. Quero ver esta casa vazia hoje à noite.

JUSTINA: O senhor não tem compaixão? Apenas uma semana, é o que eu lhe peço!

EUCLIDES: Não. Até o anoitecer. Tenham um bom dia.

Euclides se vira e começa a caminhar. Justina grita por ele e tenta fazer com que ele volte para renegociar, porém, é ignorada. Ela volta para dentro de casa e se senta no sofá, chorando. Florença se comove e vai até a mãe.

FLORENÇA: Acalme-se, mãe. Nós daremos um jeito!

Florença abraça a mãe e a consola.

FLORENÇA: Ficará tudo bem. Deus não há de deixar-nos desamparadas.

JUSTINA: Que Deus a ouça, minha filha. Que Deus a ouça.

As duas continuam ali, abraçadas, por um bom tempo.

Cena 5 / ANOITECE.

Cena 6 / NOITE / Casa de Florença e Justina, interior

Florença e Justina estão na sala de estar, segurando cada uma uma mala.

FLORENÇA: Será muito difícil deixar esta casa. Moro aqui desde que nasci. Todas as lembranças importantes de minha vida se passam aqui, inclusive as com o pai.

JUSTINA: É realmente muito triste ter que sair daqui.

FLORENÇA: Para onde havemos de ir?

JUSTINA: Iremos para um albergue que fica a seis quadras daqui. É o único lugar que tenho condições de pagar. Digo, tenho condições de pagar por enquanto; porque, em breve, nem para isso teremos. Não sei como haveremos de fazer. Tentarei encontrar um emprego.

FLORENÇA: Daremos um jeito. Vamos, então?

JUSTINA: Vamos.

As duas se dão as mãos. Naquele momento, só tinham uma à outra. Justina abre a porta e as duas saem da casa. Florença não consegue evitar que uma lágrima escorra por seu rosto, principalmente ao lembrar-se de Emílio.

Do outro lado da rua, Euclides abre um sorriso ao ver as duas indo embora da casa.

Cena 7 / NOITE / Albergue Cabeça do Alce, interior

Florença e Justina entram em um enorme salão, cheio de beliches. Em cima das camas, encontram-se pessoas mal-encaradas, sujas e muitas delas mendigos.

JUSTINA: Nossas camas são a 62 e a 63. São aquelas ali.

Justina aponta para um beliche vazio e ela e Florença vão até lá. Justina coloca sua mala na cama de cima e Florença na de baixo.

FLORENÇA: Mãe, eu vou ficar com medo de dormir no mesmo local que todos estes homens… não há de ser perigoso?

JUSTINA: Por enquanto, é o máximo que temos como pagar. Melhor que dormir na calçada há de ser, não? Teremos que nos acostumar com este local.

FLORENÇA: Sim, mas há de ser muito difícil se acostumar com isto aqui. Bem, agora irei para a escola.

Florença tira seu material de dentro da mala.

FLORENÇA: Boa noite, mãe.

JUSTINA: Boa noite.

Florença dá um beijo em Justina e vai embora.

Cena 8 / NOITE / Fundos do bordel Flor de Lótus, quarto de Neusa e Adriana, interior

Neusa está sentada em cima da cama, com um terço em mãos. Ela olha para cima.

NEUSA (rezando): Pai Celestial, sou muito agradecida pelo Senhor não ter permitido que homem nenhum violasse minha filha, Adriana. Graças ao senhor, ela não teve que sofrer com que estava fadada desde seu nascimento. Sei que errei ao concordar com a proposta de Cândida, mas na época eu era jovem, inconsequente e desesperada. Atualmente, sou muito arrependida pelo que fiz. Contudo, tenho certeza de que o Senhor não permitirá que ninguém faça mal a Adriana. Padre Nosso, que estais no Céu, santificado seja o vosso nome…

Após Neusa terminar a oração, Adriana entra no quarto.

NEUSA: Minha filha! Como foi o banho?

ADRIANA: Normal, como todos os outros.

Neusa sorri e abraça a filha.

NEUSA: Eu amo você mais que tudo na vida, sabia?

ADRIANA: Eu também a amo, mamãe.

Neusa dá um beijo em Adriana.

NEUSA: Agora, deite-se e durma, pois já está tarde.

Adriana se deita na cama.

NEUSA: A mamãe irá trabalhar agora, está bem?

ADRIANA: Está bem.

NEUSA: Boa noite.

Neusa sai do quarto.

Cena 9 / NOITE / Interior da delegacia

Getúlio está lendo alguns documentos sobre investigações, quando de repente alguém bate à porta da delegacia.

GETÚLIO (p/ si): Quem há de ser a essa hora da noite?

Getúlio se levanta e, encostando em sua pistola por prevenção, vai até a porta e, calmamente, a abre. Ele se tranquiliza ao ver que o visitante é Euclides.

GETÚLIO: Ah, é o senhor! Boa noite, seu Euclides.

EUCLIDES: Boa noite, delegado.

Os dois apertam as mãos.

GETÚLIO: Entre.

Euclides entra na delegacia e Getúlio fecha a porta.

GETÚLIO: O que o traz aqui?

EUCLIDES: Vim avisá-lo que as antigas donas daquela casa pela qual o senhor se interessou já foram despejadas e o senhor e sua mulher podem realizar a mudança assim que quiserem.

GETÚLIO: Nossa, que ótima notícia! Hoje mesmo comunicarei Leopoldina e, o mais breve possível, já nos mudaremos.

EUCLIDES: Ótimo!

GETÚLIO: Agradecido pelo negócio, seu Euclides.

EUCLIDES: Eu que lhe agradeço. Tenha uma boa noite.

GETÚLIO: O senhor também.

Euclides vai embora.

Cena 10 / NOITE / Salão do bordel Flor de Lótus, interior

O bordel está lotado de vários clientes. Como sempre, as cortesãs estão seminuas e se oferecendo para todos eles. Em uma mesa perto da porta de entrada do estabelecimento, Tales e Cândida estão conversando.

CÂNDIDA: E ela não respondeu a nenhuma de suas cartas?

TALES: Não. Nenhuma!

CÂNDIDA: Que lástima. Eu daria tudo para tê-la trabalhando aqui…

De repente, a porta do bordel se abre e Tales e Cândida se surpreendem ao ver quem acabara de entrar: Florença. Cândida abre um largo sorriso e Tales fica eufórico.

TALES: FLORENÇA!

Tales se levanta, vai correndo até e ela e, tomado de felicidade, tasca um beijo em sua boca.

TALES: O que a traz aqui, meu amor?

FLORENÇA: Eu… eu repensei melhor e… bem, eu estou precisando muito de dinheiro. Minha mãe e eu fomos despejadas de nossa casa hoje e estamos morando em um albergue asqueroso. Então, bem… eu aceito sua proposta, Tales. Tornar-me-ei cortesã.

Tales e Cândida ficam surpresos e excitados com a fala de Florença.

TALES (feliz): Você não há de se arrepender!

CONTINUA…

87 thoughts on “Cartas para Florença – Capítulo 07 + RESUMÃO

    • Puta vagabunda, recalcada é o teu cu azedo cheio de inveja dos outros que teve que criar blogs para tentar chamar atenção. Toma vergonha na cara e bata de frente comigo e com o Willian. Mas é claro né, um estrume desses não tem nem cimancol imagina vergonha na cara. Lixo podre, para de defecar por onde você passa.

      Curtido por 3 pessoas

      • É só idiota não vê que ela tá dizendo isso desde o rolo da divulgação no EPC. Esse ser não presta e eu não vou admitir bostinha nenhuma mandando shade pra mim. Eu pelo menos tenho a vergonha na cara e a decência que esse cagão não tem. Tanto é que desde que eu ameacei a processar aquela jossa ele apagou o blog

        Curtido por 1 pessoa

      • Querida, deixe-me dizer-te algo. Primeiro que eu estou comentando a web do Caíque e estou falando a verdade.
        Segundo que eu já apaguei meu blog e é a sra quem fica voltando ao passado.
        Terceiro, a sra disse que eu jamais me arrependeria, eu já fiz isso, pra que tá me incomodando? Eu não tô te incomodando.
        Quarto, eu e o Willian já resolvemos os problemas, ele até me trata com educação quando eu pergunto as coisas, só a sra que tá api querendo caçar briga. Se ponha no seu lugar e pare de caçar confusão á toa, a sra não é nenhuma santa não, quem começou a mexer comigo foi a sra, o que eu fiz com vc não foi nem um terço do que fez comigo quando eu retornei ao blog, que por sinal a sra nem era dele quando eu comecei a frequentar.

        Curtir

      • Você me mandando me por no meu lugar? Oi? Afinal, que tipo de pessoa é você que fica se contradizendo toda hora? Se a rainha Will está de boa com você, que motivo ela teria de curtir meu comentário? Você é tão burro que não enxerga que os que ainda te aturam são os que querem seu ponto nas webs, agora vem aqui mucama, quem é você pra tentar ter algum tipo de autoridade? Toma vergonha e me responda dignamente pois até agora a senhora só está sendo reticente. Eu nunca fiz blog nenhum pra difamar ninguém, e se eu lembro disso toda hora são para alertar aos comentaristas de que você não presta. E aliás, nunca prestou, sua chuca imunda fracassada, teve tanto medo de mim porque sabe que eu não pessoa de fugir da raia. Agora vê se vai tomar nesse seu cuzinho imundo e para de mandar shade, seja pra quem for, porque você não tem moral nenhuma pra isso.

        Curtir

      • E não perguntei o que a sra acha de mim, ou o que acham ou querem de mim. Apenas falo o que eu quero.
        E se considere ignorada.
        Beijas.

        Curtir

      • Mas a vagabunda não tem vergonha cara e ainda continua sendo reticente comigo. Argumento pra que né? E eu não disse o que eu acho, eu disse o que você é e repito: você não presta e não tem moral pra mandar indireta pra nenhuma pessoa. E antes de copiar coisas da Val, aprenda a ter sua própria personalidade.

        Curtir

  1. Nossa Parabens.. Realmente estava precisando desse resumo.. Rs Daqui a pouco eu leio e me atualizo mas já deixo minha participação.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Eh tanta puxação no seu saco q está ridículo isso. E segure bem ele pq se nn a @ leva suas bolas junto, risos. Faço o máximo pra vir aqui comentar na sua web pois eu te considero muito, mas chegar aqui e ver aquela coisa comentando esse tipo de shadezinho de quinta pra nn sei quem, nn dá, cara, me desculpe.

    Bom, vim falar do capítulo e farei isso. Mais uma vez bem gostoso e interessante. Ainda acho que tem dedo do Emílio nesses assassinatos do sexto dia. Nn houve nenhuma outra morte nessa passagem de tempo, mas deve se dar pq nenhum sexto dia chegou. A mãe de Florença poderia ter pedido ajuda para uma amiga da igreja ou algo do tipo para nn poder ir morar naquele lugar imundo, mas enfim. Acho que Cândida além de querer que a jovem dance lá, deve ter umas segundas intenções por ela. Esse seu desejo repentino por Florença apenas por dinheiro nn me desce. Confesso que estou junto a Neusa nessas orações, risos, ótima cena por sinal. Agora Tales pode sorrir, pois sua amada vai dançar em Flor de lótus. Tudo vai ficar mais quente com Florença sensualizando diariamente, ui. Apenas temo por Justina descobrir tal ato da filha.:/

    Parabéns pelo capítulo de hoje, Caíque!😀

    Curtido por 2 pessoas

  3. Estava bem óbvio que a casa que o Euclides ofereceu ao Getúlio era a casa do Emílio. Falando em Emílio, agora sim eu tô entendendo suas pretensões com o suicídio dele… com Florença e Justina desamparadas, a Florença não viu outra opção a não ser adquirir renda como cortesã no Flor de Lótus. Enfim, a falta de neurônios do Tales serviu pra alguma coisa.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Enfim, apareceram as cartas, que efeito elas causarão na história?
    Florença e Justina foram despejadas e agora, Florença terá que trabalhar no Flor de Lótus
    Parabéns, Caíque!

    P.S: Boatos que até agora, eu não sei a ligação do primeiro teaser com o desenvolvimento da história

    Curtido por 1 pessoa

  5. Caíque um dos seus melhores capítulos. Parabéns!. Florença virou cortesã. Pensava que ela viraria, mas achava que Justina morreria e por isso ela ia trabalhar lá. Fui surpreendido, gostei, achei mais interessante o despejo, pois junta com o núcleo de Leopoldina e seu marido. Foda, cada dia mais espetacular essa web. Uma das melhores que já li aqui. Li mais de 15 webs inteiras e alguns capítulos de outras. Impressionante que em cada capítulo Cartas para Florença se torna mais envolvente. Ainda bem que Adriana não teve cliente. Florença agora mudará seu comportamento né, que virada foda. Não esperava. Hoje foi mostrado porque o nome da web, As cartas que Tales mandava para sua amada Florença!
    Parabéns, quarta vai ta foda!!!!!!!!!!!

    Curtido por 1 pessoa

  6. Sinto muita falta dos assassinatos, são tão apagados na web, pensei que o teor policial seria de grande destaque, mas ele fica em terceiro plano. Florença desesperada por dinheiro resolve se tornar prostituta. Certo que ela tem pressa, mas ela não tentou nenhum outro emprego, já foi logo se jogar de cabeça na proposta do Tales. Toda essa inocência da personagem não me desce, tanto que ela cedeu pro Tales em pouco tempo.

    Parabéns Caique😀

    Curtido por 1 pessoa

    • Realmente, os assassinatos não são a trama principal da web, até porque o assassino do sexto dia só age uma vez por mês, e como ainda não se passou um mês desde o último…😛 – Foi a primeira coisa certa que apareceu para ela. Será que Florença não é tão inocente assim? Muito obrigado, Jean😀

      Curtir

      • Só que numa web o tempo pode correr mais rápido😛 Enfim, essa ausência dos assassinatos me incomoda um pouco, pois dificulta formar alguma teoria sobre quem possa ser o assassino, não aparece suspeitos. E eu gosto de formular teorias😛

        Curtido por 1 pessoa

  7. Morto com as insinuações de Tales… Será que Cândida quer colar o velcro com Florença? kero 😛. Quero Florença, Cândida e Tales no triângulo amoroso, okay? Okay. Não precisa de muito pra saber que Euclides é o assassino (essa é minha teoria). Justina guardando a arma… Olha, cenas assim prevêem o futuro de que alguma coisa irá acontecer com Justina e essa arma. Cândida é um monstro, onde já se viu tentar prostituir Adriana, de apenas 10 anos e contra vontade? 😣 Eu entendo que Neusa estava desesperada, mas ela só queria um lugar pra criar a filha, acho que ela imagina que 10 anos depois, já estaria livre… E estou atualizando graças ao resumo, felizmente. Parabéns, Caíque😀

    Curtido por 1 pessoa

  8. Comentários específicos
    Capítulo 3
    Um tanto quanto pesada as cenas de sexo, posso dizer que as mais pesadas que já presenciei até então, mas nem o prazer carnal é capaz de tirar essa obscuridade sobre a trama, Florença é até então a personagem mais sombria, não dá pra saber o que ela pensa, o que ela quer, e como ela é, tudo o que sabemos até agora são os boatos (contados até por ela mesma) de que és uma boa moça, mas hei de duvidar seriamente de seu caráter, pois ficaste conversando com um estranho no meio da noite em frente a sua escola, e meu Deus, essa escrita tão século passado, posso falar? Amo.
    Bom, outro detalhe no capítulo 3 é a morte obscura do Emílio e que fugiu de tudo o que eu pensava e idealizava para o personagem, a mulher o encontrando caído no chão ao lado do seu órgão genital não deve ter sido um dos melhores momentos do casal, de fato uma das cenas mais perturbadoras da web e que ainda tento entender o propósito disso, veremos no próximo capítulo, eu espero.

    Capítulo 4
    Dona Neusa errou feio, errou rude. A proposta que Cândida fez a ela é inaceitável em quaisquer circunstâncias, então vamos aceitar o fato de Neusa ser uma mulher amarga e que não amava sua filha logo no início de seu nascimento, mesmo assim a maneira como esse drama tomou forma não há como descrever, espero apenas que Adriana consiga se escapar de tais acontecimentos.
    Lamentavelmente ainda não descobrimos o motivo por trás da morte de Emílio, e é possível que não se resolva. Sabemos agora que sua morte foi algo para incentivar a Florença a seguir rumos obscuros, quem sabe, até mesmo aceitar a proposta de Cândida futuramente.
    Não que eu tenha parado para pensar nisso só agora, ou que eu faça questão que isso seja real, mas até então não existe um vilão na web (exceto pelo fato da existência de um serial killer), mas acontece que ninguém se mostrou capacitado o bastante para o cargo, e Cândida, mesmo que se esforce, não consegue. Isso não é um ponto negativo, apenas uma observação, afinal não é a primeira web que eu vejo marcada com essa característica, e até admiro a forma como todos os personagens parecem humanos e tem seus momentos de bondade e maldade (exceto pelo Emílio, nada me tira da cabeça que ele devia ter alguma doença mental, afinal a atitude dele foi a mais surreal até agora).

    Capítulo 5
    Sempre quando o capítulo começa eu fico dizendo a mim mesmo “Florença não seja puta”, “Florença não seja puta”, repito isso algumas vezes e enfim respiro fundo e inicio a leitura, pois bem, depois de ter uma morte horrível e ser enterrado como deveria ter sido, Emílio deixou lágrimas nos olhos de Florença e nos olhos de sua amada esposa também. No entanto, Florença encontra Tales ali mesmo no cemitério e os dois se beijam.
    O primeiro beijo sendo num lugar fúnebre. Olha não quero ser hipócrita e nem colocar meus próprios sentimentos sobre a trama, mas num enterro de um familiar próximo a última coisa que eu pensaria em fazer era beijar alguém, Florença é louca?
    Enfim, tudo me leva a crer que não era o primeiro beijo dela e ela pouco está se importando com a morte de seu pai, e pra falar a verdade posso acreditar até na hipótese dela ter dado em cima do Emílio, e isso ser uma causa para a morte do mesmo.
    Eu gosto da maneira como surgem várias teorias, enfim, e sobre as linhas de investigação, Florença me parece tão suspeita nesse momento.
    Neusa tem que achar um jeito de escapar com sua filha, e vamos torcendo.

    Capítulo 6
    Cândida você é idiota? Claramente que Florença, essa moça pura, nunca aceitaria tal proposta. E ainda bem que Malvino recusou a proposta de Cândida.
    Enfim, serei breve em dizer que Florença não é santa, mas estou amando os rumos, e espero que ela se vingue de Tales da pior maneira possível.

    Enfim, essa foi minha breve atualização enquanto estive recluso num calabouço, em breve lerei esse, e parabens

    Curtido por 1 pessoa

    • Florença é mesmo uma personagem bem misteriosa. Morto com a linguagem do século XIX😛 A morte de Emílio está sendo (e vai ser mais ainda) importante para o desenvolvimento da web. Será que Adriana vai conseguir escapar de seu destino cruel?
      Isso é verdade, Cartas para Florença não tem um vilão. Todos os personagens tem um lado bom e outro ruim, nenhum tem a função de apenas praticar maldades. Olha, eu concordo em gênero, número e grau que não é nada normal beijar uma pessoa no enterro do próprio pai…
      Será que Florença vai se vingar de Tales?
      Muito obrigado por ter se atualizado mesmo com todos os problemas que você tá passando, isso significa muito pra mim, de verdade.❤

      Curtir

  9. Com o auxílio do resumo que foi disponibilizado dos capítulos anteriores, pude compreender ainda melhor a trama de sua web, Caíque! Muito obrigado, de verdade.

    Bom, Tales realmente foi burro em fazer uma proposta tão indecente dessas, foi bem precipitada, será que ele não percebeu que Florença é uma moça pura? Pena que essa pureza acabou enfrentando dificuldades que acabou com toda inocência da nossa protagonista, inclusive, entendi a referência ao título da web, com as cartas que ela recebeu do crápula do Tales. Enfim, a união de Justina e sua filha é bela, apesar da rigidez que ela exerce, mas ainda sim é uma bela união o jeito que elas passam pelas dificuldades. Também gosto muito a cordialidade que existe na relação doce entre Neusa e Adriana, um verdadeiro amor maternal.❤

    Sobre o gancho: já era de se esperar que Florença procurasse a canalha da Cândida, que essa sim é dona do meu nojo… Mesmo assim não deixou de ser uma boa cena. As consequências levaram Florença a enfrentar sua pureza e dignidade daquela forma e se tornar a mais nova cortesã do Flor de Lótus.

    Muito bom capítulo, parabéns Caíque!!

    Curtido por 1 pessoa

    • Tales realmente não nasceu com um cérebro muito evoluído. Sim, Justina/Florença e Neusa/Adriana são exemplos de mãe e filha que estão sempre juntas, não importando o que acontecer. Florença teve que abrir mão de sua dignidade para tentar dar sustento a si própria e a sua mãe. Fico muito feliz que você se atualizou, Dan, muito obrigado, isso significa muito para mim.😀

      Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s