O Amor é um Jogo – Capítulo 20

o-amor-e-um-jogo-classificacao

CENA 1, CASA DA FAMÍLIA SAMPAIO, QUARTO DE GIOVANA E KAREN, INTERIOR, DIA

Karen ri baixo, enquanto analisa o envelope.

Karen – Ai ai… Como eu tenho sorte… Meu dia foi um horror, todos sabem da minha farsa, fui expulsa de casa, mas pelo menos Deus me deu um sinal.

Rindo, Karen beijam o envelope e olha para o alto; Ela coloca o envelope dentro de sua mala.

Karen – Amanhã, várias cópias desse lindo exame irão se espalhar pela a escola… Pobre Cecília, foi deixar esse envelope justo com a Giovana?

Rindo, Karen fecha sua mala e a coloca em pé a seu lado; De repente, a porta de seu quarto se abre e Danilo entra.

Danilo – O pai pergunto se você já pegou suas coisas, porque ele quer que você saia imediatamente.

Karen – Estou pronta sim, pode deixar, eu vou sair e você não vai poder mais me ver aqui. Aliás, você deve estar muito contente com tudo isso, né?

Danilo – Sim, não vou ser hipócrita de dizer que não estou contente… Sempre soube que você era uma víbora dissimulada, fiz apenas sua máscara cair, fiz todos conhecerem quem é você realmente.

Karen – Sabe Danilinho, aproveitando esse momento, também tenho umas verdades para te dizer… Pois bem, eu também sempre te odiei, te odeio assim como eu odeio a chata da Giovana.

Danilo – Sabe que isso não me surpreende? Nunca te odiei, apesar do monstro que você é.

Karen – Mas eu sim, sempre te odiei, e também te invejo, pois todas as atenções sempre foram para você, você sempre foi o queridinho do papai. Você sempre ganhava os melhores presentes, sempre tinha festinhas de aniversário, já eu…

Danilo – E só por causa dessas futilidades você cresceu assim? Por inveja? Olha Karen, eu realmente não te entendo, isso não é motivo para me odiar.

Karen – Calma, eu ainda não cheguei lá! Sabe por que eu te odeio? Porque você nasceu! E por sua culpa, a mamãe morreu, ela morreu parindo uma mosca morta que nem você, um puxa-saco que sempre ganhou todas as atenções.

Após Karen lhe jogar na cara que sua mãe morreu por sua culpa, Danilo se mágoa, deixando uma lágrima cair de seu rosto.

Karen – Eu era tão pequena, não entendia porque minha mãe tinha morrido, mas hoje eu sei… É culpa sua! Nossa mãe morreu por culpa sua!

Após Karen terminar de falar, Danilo não se contém e acerta uma bofetada no rosto de Karen, que cai no chão.

Danilo (chorando) – Você cala a sua boca, sua desgraçada! Eu não tenho culpa de nada, a mamãe tinha problemas cardíacos! Você limpa essa sua boca antes de falar de mim e da mamãe, seu monstro!

Karen – Isso, me xinga, me bate! Já apanhei e recebi muita ofensa hoje mesmo, mais uma ou menos uma não fará diferença.

Danilo (chorando) – Agora termina de arrumar suas porcarias e saia daqui o mais rápido possível!

Danilo seca suas lágrimas e sai do quarto, dando uma forte batida na porta. Após isso, Karen se levanta e ri, enquanto passa a mão no lado do rosto onde levou o tapa.

CENA 2, CASA DA FAMÍLIA SOUZA, SALA DE ESTAR, INTERIOR, DIA

Sentados no sofá, Miguel, Tomás e Laura conversam sobre Karen.

Tomás – Eu estou chocado com tudo o que essa menina aprontou! Como ela pode fingir uma paraplegia só para se aproximar de você?

Laura – Eu sempre soube que essa biscate não prestava, e eu te avisei!

Miguel – Eu sei mãe, e não foi só você que me avisou. Eu tava cego de ternura por ela, comovido com o estado dela, para no fim, descobrir que ela me enganou. Eu devia matar ela com minhas próprias mãos…

Tomás – Violência não vai resolvee nada, filho, o aconselhável é que você mantenha distância dessa menina, vá que ela possa tentar mais algo…

Miguel – Sim pai, eu farei isso, eu não quero ouvir mais o nome dessa garota. E agora meu único objetivo é reconquistar o amor da Giovana.

Laura – Mas você faz muito bem! Você ama a Giovana, e eu tenho certeza que essa menina ainda te ama, você deve lutar pelo o amor dela.

Miguel – Sim mãe, eu também sinto que a Giovana ainda me ama, e eu vou provar a ela que ainda a amo.

Tomás – Você quem sabe o que é melhor para você, então, lute pelo o amor dela.

Miguel – Muito obrigado pelo o apoio, mãe e pai, vocês são muito compreensíveis comigo.

Tomás – Para isso que somos pais, né? Para ouvir os problemas dos filhos. — risos.

Miguel ri, e em seguida, se abraça a Tomás e Laura.

CENA 3, CASA DA FAMÍLIA SAMPAIO, SALA DE ESTAR, INTERIOR, DIA

Karen sai de seu quarto, carregando uma mala, enquanto é encarada pelo os duros olhares de Fernando, Helena, Giovana e Danilo.

Fernando – Bom, eu quero desejar…/

Karen (cortando) – Vamos nos poupar das despedidas, né? Primeiro você me dá uma surra de cinto e agora quer me desejar algo? Me poupe, né. Aliás, tchau para vocês, não sentirei saudades de ninguém.

Karen se aproxima de Giovana, que se encaram fixamente.

Karen – Enquanto a você, queridinha, se prepare, pois ainda vou me vingar…

Giovana – Não tenho medo das suas ameaças, querida, e ai de você se tentar algo contra mim.

Karen sorri maleficamente para Giovana, que não se intimida e continua lhe encarando; Karen se afasta e pega sua mala.

Karen – Tchau para vocês, ainda vão se lembrar de mim, bando de ingratos.

Karen os encara, e em seguida, abre a porta e sai com sua mala, dando uma forte batida na porta.

Danilo – Espero que ela se mantenha afastada de nós, para o nosso bem…

Giovana – Pior que eu duvido muito que ela se afaste, essas ameaças dela devem se cumprir…

Um olhar preocupado toma conta do rosto de Giovana, enquanto ela observa Karen sair com seu carro.

CENA 4, O DIA ANOITECE

Takes de imagens da praia da cidade predominam a cena, enquanto o Sol se põe

CENA 5, CARIOCÃO LANCHES, INTERIOR, NOITE

Cláudia chora por conta do término de seu namoro com Danilo, enquanto Victória lhe ampara.

Cláudia (chorando) – Eu esperava que o Danilo fosse terminar comigo, sabia que ia acabar acontecendo, mas não sabia que era tão doloroso assim. Eu amor ele, amiga, eu o amo.

Victória – Não preciso dizer que eu te avisei né, mas enfim, estou triste por você.

Cláudia (chorando) – Ele nunca mais vai olhar na minha cara, ele disse que não quer mais falar comigo após eu esconder toda a verdade.

Victória – Mas olha pelo o lado bom, pelo menos esse pesadelo acabou! Chega de mentiras, chega de ameaças!

Cláudia (chorando) – Acabou? Isso só vai piorar, eu conheço muito bem a Karen, e ela não vai deixar isso barato.

Victória – Ah, mas se ela tentar agora, vai ter que se entender com as autoridades.

Cláudia (chorando) – Mesmo assim, eu já estou preparada para o pior…

Cláudia seca suas lágrimas com um lencinho, enquanto Victória acaricia sua cabeça.

CENA 6, HOTEL, QUARTO 89, INTERIOR, NOITE

Karen entra no quarto, enojada com o estado do quarto.

Karen – Eca, que pulgueiro! Mas fazer o que, vou ter que economizar a grana que eu tenho.

Karen joga sua mala em cima da cama; Ela retira um maço de cigarros de seu bolso e acende um cigarro, e em seguida, abre sua mala e retira o envelope de dentro.

Karen (fumando) – Envelope maravilhoso, você veio em boa hora! Bem quando eu planejo a minha vingança, você chega em boa hora!

Karen larga o envelope em cima da cama e fica em frente ao espelho do quarto, enquanto fuma.

Karen – A que nivel você chegou, hein Karen… — fumando. — Demascarada, toda roxa e machucada de tanto levar tapa e cintada, expulsa de casa… Mas você vai dar a volta por cima… Giovana, Miguel, Cecília, Camila, Cláudia, Danilo… Todos vão me pagar, um por um, nem que eu precise chegar ao extremo de matar…

Karen ri diabolicamente em frente ao espelho.

CENA 7, PRAIA, NOITE

Giovana caminha pela a praia, carregando uma bolsa em seu braço e seus sapatos em sua mão, enquanto o vento bate em seu rosto e balança seu cabelo; Do outro lado, Miguel caminha, bastante desatento, observando o mar com um olhar vago; De repente, Giovana e Miguel se cruzam, esbarrando um no outro.

Miguel – Giovana?

Giovana – Miguel?

Miguel e Giovana se surpreende ao verem; Ele se anima, enquanto ela fica de cabeça baixa.

Miguel – Que bom que eu te encontrei, foi uma ótima surpresa.

Giovana – Pra mim também foi uma surpresa…

Miguel – Bom, já que você tá aqui, a gente podia conversar?

Miguel coloca sua mão sob o queixo de Giovana, levantando o seu rosto; Os dois se entreolham.

CENA 8, CASA DE JOSÉ, SALA DE ESTAR, INTERIOR, NOITE

Camila e Júnior estão sentados no sofá, de frente para José.

José – Eu espero que o que vocês dois tenham para falar é bem importante, para ter feito eu deixar a lanchonete sozinha…

Camila – Eu prometo que é importante, pai, eu juro!

José repara em Camila e Júnior, que estão de mãos dadas.

José – Bom, eu posso perceber que vocês dois voltaram, ou estou enganado?

Júnior – Sim, senhor José, decidimos deixar as provocações e ignorâncias de lado e assumir nosso amor.

José – Muito bem, parabéns aos pombinhos… Mas é só isso?

Camila – Pai, na verdade, é muito mais que um namoro, e por isso, te chamamos aqui. O Júnior vai te contar tudo.

Júnior respira fundo e se levanta.

Júnior – Bom, senhor, eu e a Camila nos amamos, ok. Passamos muito tempo separados, mesmo nos amando, e como voltamos e temos certeza que fomos feitos um para o outro e que não queremos nos separar, eu decidi que quero me casar com sua filha, mas isso, se o senhor permitir…

Pego de surpreso com o pedido de Júnior, José se levanta e se aproxima de Júnior, deixando Camila apreensiva e preocupada.

CENA 9, PRAIA, INTERIOR, NOITE

Giovana e Miguel estão sentados em um banco, enquanto conversam.

Miguel – Então Giovana, eu queria conversar sobre nós dois, sobre nosso futuro…

Giovana – Futuro? Mas que futuro? Nós dois não temos mais nada…

Miguel – Justamente por isso. Giovana, eu errei, fui um babaca com você, fui uma marionete nas mãos da Karen, acreditei em tudo o que ela fez, enfim, fui um tremendo de um filho da mãe com você.

Giovana – Miguel, olha… Você teve seus erros, eu sei, mas eu não sei…

Miguel – Giovana, eu te amo, e tenho certeza que você ainda sente o mesmo por mim. Te pedir para voltar comigo não vai ser nada fácil, porque eu te magoei tanto. Também não vai adiantar muito dizer que estou arrependido, muito menos dizer que eu te amo ou rastejar aos seus pés. Que fique claro que isto não é um pedido para voltar comigo, mas eu gostaria que nós tivessemos outra chance, e isso vai depender de você.

Giovana – Miguel, você teve seus erros, você me tratou mal, sim, mas eu te entendo, não foi nada fácil ser enganado pela a Karen, que forjou um acidente só para te aproximar dela. Eu te amo, te amo de verdade, e eu não sei se conseguiria ficar longe de você. Em todo esse tempo, eu fiquei pensando em você, sonhava com você… Eu estou parecendo uma boba com isso… Olha, Miguel, eu também acho que devíamos tentar novamente, agora sem Karen, sem ninguém para nos atrapalhar.

Giovana pega nas mãos de Miguel e os dois se entreolham sorrindo.

Giovana – Não quero mais ficar longe de você, eu te amo! Você é o homem com eu quero passar o resto da minha vida!

Miguel – Eu também te amo, não deixei de pensar em você em nenhum momento, até mesmo naqueles momentos em que eu estava com a Karen, sendo iludido por ela. Te amo, te amo, eu te amo!

Após a troca de juras de amor, Giovana e Miguel dão um forte abraço apertado. Ao som de “Vas a querer volver – Maite Perroni”, o casal se beija apaixonadamente, selando assim, a volta de seu relacionamento.

CENA 10, CASA DE JOSÉ, SALA DE ESTAR, INTERIOR, NOITE

José – Casar? Mas vocês são muito novos para casar, não tem responsabilidade nenhuma! Principalmente o senhor, seu Júnior!

Júnior – Eu mudei, não vou mais a baladas, não bebo mais nenhuma gota de álcool, sou um rapaz responsável que ama sua filha e que está prester a se formar no ensino médio e entrar numa faculdade.

José – Mas isto não basta. Vocês dois acham que casar é assim e deu, vocês não precisama de mais nada.

Camila – Papai, por favor! Eu quero me casar com o Júnior! Não vai me dizer que logo você que apoiou a nossa volta mais do que ninguém, agora irá empatar o nosso casamento?

José – Mas me entendam, vocês vão se casar e ai depois? Onde vão morar? Do que irão viver? Pensam em se casar e morar comigo ou com os pais do Júnior?

Júnior – Mas é claro que não, senhor, eu já planejei tudo antes de pedir a sua filha em casamento. Meu pai vai ceder um de seus apartamentos no Leblon para a gente morar, e também me dará um emprego na empresa dele. E além disso, eu vou estudar e tudo mais.

José – Aham, só quero ver! Minha filha vai virar uma dondoca com todos esses luxos.

Camila – Ata pai, até parece que você não me conhece, né. Dondoca… — risos.

Júnior – Por favor, senhor, eu e sua filha nos amamos, já tenho tudo planejado, só falta o senhor deixar eu casar com a Camila!

José – Ah, tá bom, vocês me convenceram! Tudo bem Júnior, se você tem tudo planejado, eu deixo você casar com a minha filha! Mas vê lá o que vai fazer hein…

Após a permissão de José, Camila se levanta do sofá e o abraça.

Camila – Obrigada, obrigada, obrigada! Muito obrigada pai!

Júnior aperta a mão de José e sorri, e em seguida, abraça Camila e a beija.

Júnior – Seremos muito felizes, você vai ver!

Camila – Eu já sou muito feliz agora, você é o melhor namorado do mundo!

Camila e Júnior se beijam novamente, e em seguida, se entreolham sorrindo.

CENA 11, O DIA AMANHECE

Takes de imagens do trânsito da cidade são mostradas a cena, enquanto o Sol nasce.

CENA 12, COLÉGIO ESCOLHAS, PÁTIO, INTERIOR, DIA

Karen entra no colégio, usando óculos escuros e uma maquiagem pesada para disfarçar os hematomas no rosto; Ela é recepcionada pos várias vaias dos outros alunos, mas ela não dá muita importância.

Karen (gritando) – Calem a boca, bando de pobretões!

Cecília – Não sei como ainda tem coragem de vir para cá, mesmo sendo desmacarada e apanhando na frente de todos.

Karen – Cala a boca, garota! O seu castigo já está reservado!

Karen anda pelo o pátio, quando de repente, é abordada por Cláudia.

Cláudia – Oi…

Karen – O que você quer? Não rdtá satisfeita por ter ajudado a me ferrar?

Cláudia – Mas eu não fiz nada!

Karen – Não, imagina… Só foi abrir a boca para a sua amiguinha! Mas tudo bem, você tá na minha listinha, e se prepare, seu castigo será um dos piores.

Cláudia – Você tá me ameaçando, é isso?

Karen – Digamos que é apenas um aviso.

O sinal toca; Karen dá um encontrão em Cláudia, que fica com medo das ameaças; Os alunos entram no prédio escolar.

CENA 13, HOSPITAL, CANTINA, INTERIOR, DIA

Fernando e Helena estão sentados em uma mesa, enquanto conversam.

Fernando – Estou preocupado com a Karen, acho que fiz mal em expulsá-la de casa. Onde será que essa menina dormiu?

Helena – Eu acho que ela deve ter dormido em algum hotel ou algo assim, mas não fique preocupado, se ela for a aula, o Danilo e a Giovana darão notícias.

Fernando – Não me conformo em ter descobrido o monstro que criei dentro de casa, essa não é a minha filha. Sempre dei todo amor a ela, por que ela fez isso?

Helena – Infelizmente quando eles crescem, eles fazem as escolhas de seus caminhos. Uns viram gente de bem, outros não…

Fernando – A Karen era uma menina meiga, nunca fez mal a ninguém, mas de uns anos para cá, ela ficou rebeldez fugia de casa constantemente, parecia um demônio dirigindo aquele carro, começou a fumar…

Helena – Isso é consequência das más companhias dela, mas fazer o que, não dá para se reverter isso.

Fernando – Pois é… Mas espero que um dia ela mude…

CENA 14, COLÉGIO ESCOLHAS, PÁTIO, INTERIOR, DIA

Karen sai da sala dos professores, carregando vários papeis e um rolo de fita adesiva.

Karen – Bom, vamos começar o trabalho!

Karen começa a colar as cópias do exame de HIV de Cecília nas paredes, enquanto ri maleficamente.

Karen – Agora todos saberão que temos uma aidética no colégio. — risos.

De repente, várias alunos saem do prédio e Karen se aproxima deles, entregando as cópias do teste.

Karen – Peguem, peguem! Confiram! A Cecília do segundo ano tem AIDS, vejam!

Karen entrega os papeis para vários alunos, que se chocam; Uns debocham de Cecília, enquanto outros não concordam com nada; De repente, Karen se aproxima de Breno.

Karen – Ei Breno, olha só! A sua namoradinha tem AIDS, cuidado hein!

Karen entrega um papel para Breno, enquanto ri maleficamente; Breno lê o papel e fica chocado, ao tomar conhecimento da doença da namorada; De repente, Cecília e Giovana saem do prédio, e Cecília é recepcionada por risadas de alguns alunos.

Aluno #1 – Ih alá, é a aidética do segundo ano!

Aluno #2 – Não cheguem perto, ela vai contaminar a gente!

Ao escutar as palavras ofensivas de vários alunos, Cecília se choca.

Cecília – Ai meu Deus! Giovana… Giovana, eles estão me chamando de… Chamando de…

Cecília começa a soluçar, mas se controla para chorar; Giovana retira um panfleto da parede e se choca ao dar conta de que se trata da cópia do exame de Cecília.

Giovana – Meu Deus! Ai meu Deus… Como isso veio parar aqui?!

Cecília vê a cópia do exame e começa a se desesperar.

Cecília – Giovana, como isso veio parar aqui?! Como o meu exame tá rolando pela a escola?!

Giovana – Eu não sei, mas não foi eu!

De repente, Breno se aproxima.

Breno – Cecília, quer me explicar o que é isso?

Ao ver uma das cópias na mão de Breno, Cecília entra em estado de choque e lágrimas começam a cair de seu rosto, pois seu maior segredo foi descoberto da pior forma possível.

valeapenaverdenovo

10 thoughts on “O Amor é um Jogo – Capítulo 20

  1. A cena mais chocante foi a Karen espalhando as cópias do exame de AIDS da Cecília.Que horror!Como a Karen é uma insana,venenosa,invejosa e uma cobra!
    Coitada da Cecília,ela foi chamada de aidética.Defendo a Cecília e denuncio a Karen!A cada capítulo que passa,tenho mais raiva da Karen.Só espero que no final ela fique isolada do resto do mundo!
    As cenas mais românticas foram a do Júnior e da Camila anunciando o casamento.Que sejam felizes para sempre!E a da Giovana e do Miguel se reconciliando.Que cena linda!Que um dia se casem!
    Parabéns pelo capítulo!

    Curtir

  2. O segredo da Cecília foi descoberto. Me condenem, mas eu acho é pouco. Giovana teve uma grande parcela de culpa pela burrice de ter deixado o exame da Cecília debaixo do nariz da Karen. E o Breno ter descoberto que a Cecília contraiu HIV pela Karen deve tê-lo feito pensar que ela deve tê-lo traído. Eu, no lugar do Breno, terminava com a Cecília sem nem pensar duas vezes… se ela não esclarecesse, ela se passaria por vagabunda, traiu o Breno e como castigo contraiu HIV… e se ela esclarecesse, ele teria toda a razão em se revoltar e terminar, porque deve ser horrível namorar alguém que não confia em você.

    Curtir

  3. A Karen tá muito louca, gente!
    O que será que vai acontecer com a Cecília? Fiquei com pena dela…
    Parabéns, Willian!
    Ansioso para os próximos capítulos

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s