Ovelha Negra – Capítulo 13 (antepenúltimo capítulo)

EPISÓDIO 13: Shiu! Ovelha Negra à minha Porta.

O Advogado está sentado intacto, na mesma cadeira ao fundo da sala. Com os olhos fixos olhando pra eles. Com o chapéu na cabeça, cobrindo sua testa. Duas velas ardem a cada lado. Um líquido vermelho como se fosse sangue desce de sua testa. Doutor Sérgio fez sinal aos outros para que fiquem onde estão. Sérgio avança para o corpo de Otávio de olhos escancarados. Depois, com um movimento rápido, retira o chapéu, descobrindo na testa alta o buraco de bala e o sangue descendo. Dr. Sérgio procura o pulso, Sérgio fecha os olhos dele. E depois vira-se para os outros que estão na porta.

Doutor Sérgio: Foi baleado…

Irene: Meu Deus… O revólver!

Doutor Sérgio: Atravessou-lhe a cabeça. Instantâneo.

Irene: Meu Deus! Esse era o chapéu da Ângela que havia desaparecido.

Alex: Um tiro! Dado pela sua arma, Edmundo.

Edmundo: Arma que não está mais comigo e sim com quem fez isso. O assassino.

Doutor Sérgio: Discutimos isso depois.

Edmundo: (ri) Desgraçado agora vai advogar no quinto dos infernos.

Doutor Sérgio: O senhor ri de tudo isso?

Edmundo: (ri) Qual o problema? Não gostava dele mesmo! Pra mim foi a melhor morte até agora. O assassino está de parabéns!

Irene se contém com um sorriso orgulhoso, mas se recompõe logo.

Irene: Não poderemos deixa-lo aqui.

Doutor Sérgio: Irene tem razão. Alguém me ajuda com o corpo.

Alex: “Cinco ovelhinhas e uma sem sapato. Esta morreu, então ficaram quatro”. É… A brincadeira tá ficando interessante.

Cena 02 Hall – Noite/Chuva – Minutos Depois.

Edmundo, Irene e Alex reunidos. Sérgio descendo as escadas.

Doutor Sérgio: Pronto. O corpo dele está sobre a cama. Agora, Irene, explique que passagem secreta em seu quarto é aquela que dá pra sala de jantar!

Irene: Tá bem. Eu já tinha reparado. E não falei nada porque poderia me ser útil pra uma fuga.

Alex: Tipo a sua. Porque de todos aqui é bem provável que você tenha matado o Advogado.

Irene: O quê? O que está dizendo? Como eu poderia ter feito isso?

Doutor Sérgio: Justifique sua acusação, Alex.

Alex: Quer mesmo que eu diga? Simples: Ela inventa uma desculpa que vai tomar banho, aí se tranca em seu quarto, aí começa a gritar como uma louca pra chamar nossa atenção e deixar o advogadozinho sozinho na sala, já que ele estava com o pé torcido. Depois veio o silêncio total no quarto, claro, nesse momento, Irene, tinha acessado sua passagem secreta, onde foi parar na sala de jantar com o revólver de Edmundo que ela já o tinha. Aí ela atira no Otávio. Tudo isso em um minuto e meio ou dois. Depois ela sobe, e se deita no chão, fingindo estar desmaiada e inventa essa conversa de rato pra nos enganar.

Irene: Que crápula! Jamais seria tão maquiavélica, a ponto disso. E Sérgio que desceu pra pegar a tal garrafa de vinho lacrada? Tempo suficiente pra fazer o serviço não é?

Doutor Sérgio: Espere. Edmundo também desceu pra pegar uma garrafa. E lembro que demorou bastante. Não foi?

Edmundo: Claro que demorei, uma escuridão danada. Peguei a garrafa na estante. Nem cheguei a entrar na sala de jantar. E você Alex? Você sim pode tê-lo matado. Você desceu com a desculpa de pegar uma cadeira, não foi?

Alex: Desci sim. Peguei a cadeira na sala de jantar, mas confesso que na pressa, nem reparei em Otávio por lá.

Edmundo: Como a arma tinha um silenciador, e com os trovões lá fora. Impossível, termos ouvido algo.

Irene: Você Edmundo, você disse que o assassino era o advogado.

Edmundo: Apostava nele sim. Mas como podem ver. Errei.

Alex: Somos todos suspeitos aqui. Mas agora eu sei quem é o assassino. Agora minha cabeça começou a clarear.

Edmundo: Eu também sei.

Irene: Eu também.

Todos se olham, desconfiando uns dos outros.

Doutor Sérgio: Bem. Chega disso! Acho que a melhor maneira de nos protegermos é irmos dormir. Cada um em seu quarto estará mais protegido.

Alex: Também acho. Não adianta ficarmos aqui vigiando uns aos outros.

Cena 03 Corredor – Noite/Chuva.

Os Quatro agora estão no corredor. Cada um em sua porta. Eles se olham. E cada um enfia a chave na fechadura. O ambiente é tomado pelo terror.

Doutor Sérgio: Bem. Para aqueles que conseguirem dormir… Boa noite!

Irene: Boa noite.

Alex: Boa.

Edmundo: Até amanhã então.

Os quatro ao mesmo tempo entram em seus quartos e podemos ouvir barulho de chave girando e trincos batendo.

PASSAM AS HORAS. O RELÓGIO MARCA TRÊS DA MANHÃ.

Cena 04 Quarto de Alex – Noite/chuva.

Alex sentado na cama, fumando. Ele não consegue dormir. Alex ouve barulho de porta abrindo e fechando no corredor. Alex estremece de medo.

Alex: (sussurra) Meu Deus!

Alex se agarra ao cobertor. Barulho de passos lentos no corredor. A sombra de alguém para em frente a sua porta e Alex percebe pela fresta no chão. Alex se cobre com a coberta, tomado pelo horror. Ele se levanta e se arrasta bem devagar até a porta. Alex respira fundo e coloca o olho na fechadura. De súbito, Outro OLHO o observa, Alex leva um susto e sai de perto da porta rapidamente. A sombra da pessoa sai de perto da sua porta. Alex, tomado pela curiosidade de ver quem está ali, e também com medo. Alex respira fundo e abre a porta. Ele ouve a correria de alguém descendo as escadas.

Corta para:

Alex sai de seu quarto e corre em direção à escada. Ele chega ao patamar e vê a sombra de alguém deixando a casa, barulho da porta se fechando. Alex pega uma barra de ferro, desce as escadas e sai da casa.

5 MINUTOS DEPOIS.

Cena 05 ILHA – Noite/chuva.

Alex na ilha, pouco distante da casa. Ele olhando em volta. Vento forte. Ele ouve som de porta batendo, vindo da casa. Alex olha, e só vê a porta de entrada se fechar.

Cena 06 Corredor – Noite/chuva.

Alex sobe as escadas e chega ao corredor. Ele vai até a porta do quarto de Edmundo.

Alex: (batendo na porta) Edmundo! Abre! Abre!

Ele vai até a porta do quarto de Sérgio.

Alex: (batendo na porta) Doutor! Abre! Abre!

A porta de Edmundo se abre. Edmundo com uma barra de ferro na mão.

Edmundo: (assustado) Quem tá aí? Quem é?

Alex: Não precisa apontar essa barra pra mim.

Edmundo: O que houve?

Alex: Alguém saiu da casa, minutos atrás. E esse alguém tentou me matar, porque parou em frente ao meu quarto.

Edmundo: Alguém? O que está dizendo?

Alex: Desci correndo pra ver quem era, mas a pessoa foi mais rápida. Fui lá fora, pra ver quem era, mas parece que fui enganado. Ouvi barulho da porta da casa se fechando, ou seja: Ou foi o vento, ou foi o assassino que voltou pra essa casa, pra tentar me despistar.

Edmundo: O que está dizendo?

Alex: Espere um pouco!

 Ele vai até a porta do quarto de Irene.

Alex: (batendo na porta) Irene! Abre essa porta! Você está aí?

Voz DE IRENE: Que inferno Alex! O que houve?

Alex: Pode abrir. Eu e Edmundo estamos aqui.

Irene abre a porta.

Alex: Ótimo! Estamos nós três aqui. Isso só quer dizer uma coisa. Quem tentou me matar foi quem saiu da casa. Ou seja, quem não está aqui. Doutor Sérgio. É ele. Ele é o assassino!

Continua…

34 thoughts on “Ovelha Negra – Capítulo 13 (antepenúltimo capítulo)

  1. Irene, essa rainha. 💜
    Será que o Sérgio é o assassino ou ele é a próxima vítima?
    Sem palavras depois desse capítulo
    Parabéns, Maurício!

    Curtir

  2. Agora o mistério se complicou ainda mais,mas mesmo assim,ainda desconfio do Edmundo.O Doutor Sérgio não tem a ver com os assassinatos,pois naquela hora ele foi dormir.
    Parabéns pelo capítulo!

    Curtir

  3. Pois é, viajei demais na minha teoria. Vamos reformulá-la… doutor Sérgio saiu da casa, e foi até os limites da ilha, talvez observar a (falta de) paisagem… não sei o que ele vai fazer fora da casa… pronto, uma ovelhinha a menos, escorregou nas pedras e foi tragado pelo mar. Agora só resta saber se ela morreu por si só ou por causa do assassino.

    Curtir

    • Até que faz um certo sentido sua teoria. Acho que o caminho pode ser parecido. Pq será que Sérgio sairia da casa??? Com que propósito?
      Irene demorou a abrir a porta de seu quarto qd Alex bateu. Teria ela saído do quarto pela portinhola e criado toda aquela situação?
      Dúvidas, Mistérios, Segredos, não perca, hj às 21h. kkkkkk
      Obrigado Glay!🙂

      Curtir

  4. Bom, o Alex sabemos que não é. Porque ele ficou cagadinho e se escondeu no cobertor quando viu a sombra.

    E acho que você não ia revelar o assassino já no antepenúltimo capítulo… então acho que não é o Sérgio.

    Ou seja, aposto no Edmundo, porque vou com a cara da Irene.😛

    Essa reta final está maravilhosa, só os 4 na casa. Parece reta final de BBB😛

    Parabéns pelo ótimo capítulo, Maurício!😀

    Divulgação – https://audienciadatvmix.wordpress.com/2016/11/02/cartas-para-florenca-capitulo-11-penultimo-capitulo/

    Curtir

  5. Nossa, cada capítulo que passa, mudo minhas teorias kkkkk, gosto disso, porque não é previsível.

    Agora, minhas teorias: O doutor não morreu e tá escondendo alguma coisa, do tipo, Laura não morreu e apenas fez tudo de caso pensado. (Seria interessante isso rs). Ou, o Doutor morreu e quem matou foi a Irene, que demorou pra abrir a porta e tem saída secreta.

    No mais, TeamIrene! Parabéns pela web!

    Curtir

  6. Parabéns Maurício! A arma finalmente foi usada, o mais provável seria Irene ter descido pela passagem e matado o advogado, mas todos os outros 3 desceram também. Assim complica. Não acho que seja o médico.Mas seria coerente pois ele cuidava de Laura, deu remédio pra empregada, manuseia agulhas, enfim tudo aponta pra ele, menos a arma, mas ele pode ter roubado de Edmundo. Nem sei em quem apostar, tem tantas possibilidades e ao ler o capítulo os detalhes ora aponta pra um ora aponto pra outro. Isso é mérito seu Maurício, conseguir fazer uma web envolvente e não sendo óbvia. Ovelha Negra é muito boa de ler, estou ansioso pra saber quem é o assassino. Certamente teremos a resposta junto com uma explicação convincente e repleta de detalhes que nós lemos e não se demos conta de que era aquela pessoa. Parabéns!
    Onde se meteu Sérgio? Muito bom Maurício!!!!!!!!!!

    Curtir

    • Muito obrigado Gremista!🙂
      Fico mto feliz com suas palavras. Sem dúvidas todas as explicações serão dadas! Hj no capítulo 14, a trama se fechará neste 4 personagens e uma grande surpresa ocorrerá! Obrigado meu amigo!

      Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s