O Amor é um Jogo – Capítulo 26 (Último Capítulo)

o-amor-e-um-jogo-classificacao

CENA 1, COLÉGIO ESCOLHAS, ÚLTIMO ANDAR, DIA

Karen e Giovana terminam de subir as escadas que dão para o último andar do colégio; Ao terminarem de subir, Karen joga Giovana para sua frente, lhe deixando a beira de cair do alto do colégio, enquanto ela lhe aponta a pistola.

Karen – Você não se mexa, ou se não, eu disparo contra você e você cai lá em baixo!

Giovana (chorando) – Karen, por favor, para com isso, me deixa sair daqui!

Karen (grito) – Não! Você só sai daqui morta, eu juro, você só sairá daqui de cima morta!

Uma multidão se forma em frente ao prédio do colégio; Todos assistem nervosos Karen apontar um revolver para Giovana, que em um passo em falso, pode cair daquela grande altura; Olhando para o alto, Digão grita.

Digão (gritando) – Pelo o amor de Deus, Karen, libera a Giovana e se entrega! Já chamamos a polícia, você terá que se entregar!

Karen (grirando) – Eu só saio daqui é morta! Eu mato a Giovana e depois eu me mato, mas presa eu não vou!

Renata (gritando) – Por  favor, Karen, não faça isso! Você não vê que isso só será pior para você?

Karen (gritando) – Eu não quero saber, eu só quero a morte da Giovana! Eu vou atirar na testa dela e ela vai cair daqui do alto, vocês verão!

Miguel (gritando) – Karen, solta a Giovana! Se você soltar ela, eu fico com você, eu fico com você, mas liberta ela!

Giovana (gritando) – Você ouviu, Karen? Me liberta e o Miguel fica com você, faça isso!

Karen (gritando) – É mentira! Vocês estão mentindo! Você vai morrer, e eu vou me matar depois! Vocês se arrependerão por ter entrado no meu caminho!

Num ato desesperado, Giovana corre até Karen e tenta pegar sua pistola; As duas brigam, enquanto a arma dispara para o alto; De repente, Karen deixa a arma cair no chão e Giovana de afasta, ficando de costas para o chão.

Giovana – Pronto Karen, a arma caiu no chão, você terá que se entregar! Acabou!

Karen – Você quem pensa!

De repente, Karen se aproxima cada vez mais de Giovana, com uma expressão diabólica no rosto.

Giovana – Calma Karen, cuidado com o que vai fazer!

De repente, Karen empurra Giovana, fazendo ela se desequilibrar e cair, mas ao cair, Giovana consegue se pendurar num parapeito, ficando a alguns metros de cair no chão.

Miguel (gritando) – Giovana!

Cecília (gritando) – Alguém ajuda ela, ela vai cair de lá de cima!

Giovana (gritando) – Socorro, me ajudem! Socorro!

Karen (gritando) – Ah, você não morreu, é? Mas deixa que eu vou acabar com esse serviço!

Ao ver Karen se aproximar do parapeito, Miguel corre para dentro do colégio.

Digão (gritando) – Miguel, volta aqui!

Desesperado, Digão corre atrás de Miguel; Miguel sobe várias escadas, enquanto Digão lhe segue; Karen desce até ao parapeito e começa a se aproximar de Giovana, com o intuito de lhe fazer cair; Ao se preparar para pisar nas mãos de Giovana, Karen olha para trás e se depara com Miguel e Digão.

Miguel (grito) – Karen, não!

Com o grito, Karen acaba se assustando e se desequilibrando, caindo do parapeito, mas acaba se segurando ao cair, ficando pendurada ao lado de Giovana.

Karen (gritando) – Socorro! Socorro, Miguel, me ajude! Eu vou cair!

Desesperado, Miguel se aproxima do parapeito e Digão lhe segue; Miguel se abaixa e estende a mão para Giovana, que segura sua mão.

Miguel – Digão, me ajuda aqui!

Digão se aproxima e se abaixa, dando sua mão para Giovana, que também lhe segura; Com um impulso, Miguel e Digão se levantam e conseguem levantar Giovana, que escala o parapeito e sobe em cima do colégio; Ela se aproxima de Miguel e lhe abraça fortemente.

Giovana – Obrigada! Obrigada! Obrigada meu amor! Agora, salva a Karen, pelo o amor de Deus!

Miguel concorda com a cabeça e dá um selinho em Giovana; Ele se aproxima novamente do parapeito e se abaixa, dando a mão para Karen.

Karen – Me salva, não me deixa morrer!

Miguel – Vai dar tudo certo, eu juro!

De repente, a mão de Karen começa a escorregar da mão de Miguel aos poucos; Nervoso, ele tenta impedir com que Karen caia, mas é em vão, suas mãos vão se desgrudando aos poucos.

Karen (gritando) – Nããããããããããão!

A mão de Karen escorrega completamente da de Miguel, fazendo com que sua queda seja inevitável; Apavorados, Miguel, Giovana e todos que estão na frente do colégio observam Karen cair, que grita; Ao cair no chão, sangue começa a sair da cabeça de Karen, deixando a todos chocados.

Giovana (gritando) – Kareeeeeeeeeeeeeeeeen!

Close no corpo de Karen, estirado no chão, enquanto uma poça de sangue se forma ao redor de sua cabeça. Apavorados, Miguel, Giovana e Digão observam do alto do colégio o corpo estirado e ensanguentado de Karen no chão; Abraçada a Miguel, Giovana chora compulsivamente.

Giovana (chorando) – Ela não podia, não podia… Ela não podia morrer dessa maneira!

Miguel – Eu tentei salvá-la, você viu, mas ela escorregou! É culpa minha, eu devia ter feito alguma coisa!

Digão – Calma Miguel, não se culpe, a queda dela foi inevitável.

Enquanto isso, na frente do prédio, todos observam chocados o corpo de Karen, quando de repente, Breno aproxima-se do corpo e checa seu pulso.

Breno (gritando) – Ela ainda está viva! Está viva!

Ao ouvir que Karen ainda está viva, todos se surpreendem, ao ver que Karen conseguiu sobreviver a uma queda de uma enorme altura.

Cláudia – É, vaso ruim não quebra mesmo…

Breno (gritando) – Giovana, Miguel e Digão, desçam, a Karen tá viva, ela ainda está viva! E alguém chame uma ambulância, rápido!

Danilo – Eu vou chamar uma ambulância!

Danilo se afasta da multidão e saca seu celular, discando o número de uma ambulância; Ainda em cima do colégio, Giovana e Miguel continuam em estado de choque.

CENA 2, CARIOCÃO LANCHES, INTERIOR, DIA

Camila e José continuam conversando em frente ao balcão, quando de repente, Júnior entra correndo na lanchonete, bastante ofegante.

Camila – O que foi, meu amor? Que cara é essa, parece até que presenciou alguma desgraça.

Júnior – E foi isso mesmo! Vocês não sabem o que acabou de acontecer lá no colégio.

Camila – Não faço a mínima ideia, estou esperando você falar.

Júnior – A Karen reapareceu! E invadiu o colégio armada com uma pistola!

Camila e José se entreolham, chocados com o que Júnior disse.

Camila – Como essa bandida foi capaz de invadir o colégio armada? Ela fez algo contra alguém? A Giovana está bem?

Júnior – Calma, me deixa terminar de contar! Bom, a primeira coisa que ela fez ao entrar lá foi obviamente se aproximar da Giovana. Ela fez a Giovana de refém e levou ela para o último andar do colégio. Lá, elas brigaram pelo o revólver e a Karen empurrou a Giovana de lá de cima!

José – Meu Deus! Essa menina empurrou a Giovana de lá de cima?

Camila – A minha amiga tá bem? Ai meu Deus, essa garota é um monstro! A minha amiga deve estar toda machucada por causa dessa queda.

Júnior – Ainda tem mais! Quando ela empurrou a Giovana de lá de cima, ela não caiu, conseguiu se pendurar no parapeito. E ainda mais, a Karen também caiu de lá e ficou pendurada.

Camila – Meu Deus, eu não quero nem imaginar essa cena, as duas penduradas, prestes a cair… Como ela estão?

Júnior – Eles conseguiram salvar a Giovana, mas a Karen… Ela acabou caindo de lá de cima, e eu só vi ela estirada e com o sangue saindo da cabeça dela, agora se está viva, eu não sei…

Camila – Meu Deus do céu! Eu estou é chocada, isso é cena de filme! Como será que deve estar a Karen? Tivemos nossas desavenças, mas desejar uma morte horrível como essas, nunca!

Júnior – Acho que ela ainda está lá no pátio do colégio, a gente pode ir lá ver como ela está.

Camila – Ai, não sei, acho nojento ver um corpo todo sujo de sangue…

Júnior – Ih, qual é Camila? Vai dizer que tá com nojinho de sangue agora?

Camila – Claro que não, mas ver uma pessoa que provavelmente tá morta e toda ensanguentada é outra coisa, né. Mas ok, vamos, eu também quero saber como a minha amiga está.

Júnior – Vamos então.

Camila – Já volto, pai.

Camila tira seu avental e coloca em cima do balcão; Ela dá um beijo no rosto de José, e em seguida, sai da lanchonete de mãos dadas com Júnior.

CENA 3, COLÉGIO ESCOLHAS, PÁTIO, INTERIOR, DIA.

Uma ambulância já estava dentro do pátio, e os paramédicos terminavam de ajeitar o corpo de Karen na maca; Giovana observa tudo, abraçada em Miguel.

Giovana – Que ela sobreviva e tudo fique bem, ela não merece morrer, apesar de tudo.

Miguel – Tudo vai ficar bem, você vai ver.

Miguel dá um beijo na testa de Giovana e ela apóia sua cabeça em seu ombro; De repente, Fernando entra correndo no pátio, desesperado por notícias de Karen.

Fernando – Cadê a minha filha? Onde ela está, Giovana? Eu quero ver a minha filha.

Giovana – Tio, é uma longa história, mas…

Ao olhar para o lado, Fernando se depara com Karen em cima de uma maca e se desespera, ao ver o corpo da filha totalmente machucado.

Fernando – Minha filha, o que aconteceu com a minha filha? Por que ela tá toda ensanguentada? O que aconteceu com a minha filha?

Fernando começa a chorar e se abraça ao corpo de Karen; Giovana se afasta de Miguel e se aproxima de Fernando.

Giovana – Tio, como eu ia dizendo, é uma longa história, mas eu vou tentar resumir: A Karen me levou lá para cima, nos brigamos e ai caímos de lá de cima. O Miguel me salvou, e quando foi salvar a Karen, ela acabou escorregando.

Fernando (chorando) – Graças à Deus que você está bem, mas a minha filha, como vai ficar? E se ela morrer?

Giovana – Calma tio, a Karen vai ficar boa, você vai ver, tudo vai acabar bem! Olha, vai na ambulância com ela, daqui a pouco eu e o Miguel vamos.

Fernando concorda com a cabeça e abraça Giovana, que se comove com o sofrimento do padrasto; Ele se afasta e entra na ambulância, e em seguida, a maca com o corpo de Karen entra na ambulância, que fecha suas portas e parte para fora do colégio; Júnior e Camila entram no colégio e se aproximam de Giovana e Miguel.

Camila – Amiga, você está bem?

Giovana se afasta de Miguel e abraça Camila.

Giovana – Passei minutos horríveis lá em cima, pensei que ia morrer.

Camila – O Júnior me contou tudo, eu fiquei chocada com tudo. Quem diria que a Karen ia tentar te matar, mas quem ia correr risco de vida era ela.

Giovana – Pois é… Apesar de tudo, eu não quero que ela morra, não se deve desejar a morte nem do pior inimigo.

Camila – Acho que essa queda que ela sofreu irá servir de lição para ela.

Giovana – Sim… Bom, eu vou para casa para tomar um banho bem frio, porque depois dessa… E depois tenho que ir para o hospital, quero saber como a Karen está.

Camila – Okay, qualquer coisa você liga para a gente.

Giovana – Tá, pode deixar.

Camila e Giovana se abraçam novamente, e em seguida, Giovana dá dua mão para Miguel e os dois saem.

CENA 4, HOSPITAL, INTERIOR, DIA

Os paramédicos entram no hospital, levando a maca de Karen para uma das salas de cirurgia; Fernando entra em seguida, choranso por conta estado da filha; Helena havista Fernando e se aproxima.

Helena – Fernando, o que foi, que cara é essa? Viu a Karen?

Fernando (chorando) – Vi, Helena, e ela tá entre a vida e a morte! Minha filha pode morrer a qualquer momento, e tudo consequência das atrocidades que ela cometeu.

Chorando compulsivamente, Fernando abraça Helena, que mesmo sem entender o que acontece, tenta ampará-lo.

Helena – Fernando, calma, se controla e me explica tudo o que está acontecendo.

Fernando (chorando) – Eu não sei direito o que aconteceu, só sei que a Karen caiu do alto do colégio, abriu a cabeça, perdeu muito sangue e tá correndo risco de vida.

Helena – Ai meu Deus, isso é sério demais! Mas como ela foi parar lá em cima do colégio? Aliás, ela não estava sumida?

Fernando (chorando) – Helena, eu sei tanto quanto você, eu só sei disso mesmo! Vamos esperar a Giovana chegar, que ai ela explica tudo para nós.

Fernando apóia sua cabeça no ombro de Helena e chora, enquanto ela lhe consola.

CENA 5, COLÉGIO ESCOLHAS, SALA DOS PROFESSORES, INTERIOR, DIA

Sentados na mesa, Renata, Digão, Rosana e Carla conversam sobre o incidente envolvendo Karen.

Rosana – Eu ainda estou apavorada, em todos esses anos como professora aqui nunca vi algo igual! Aquela menina caindo do alto do colégio, aquele sangue todo dela se espalhando…

Carla – Também fiquei chocada com o que eu vi. E fiquei mais impressionada ainda que ela sobreviveu à queda.

Renata – Espero que essa menina esteja bem, apesar de tudo o que aprontou, não merece morrer.

Digão – Bom, pelo menos uma das meninas conseguiu se salvar, se não, teria sido uma desgraça em dose dupla.

Renata – Ainda bem… Pobre Giovana, sofreu um inferno nas mãos dessa menina, mas acho que agora isso terá um fim.

Rosana – Felizmente…

CENA 6, HOSPITAL, INTERIOR, DIA

Giovana e Miguel entram no hospital e se aproximam de Fernando e Helena, que estão sentados em algumas cadeiras.

Giovana – Notícias da Karen?

Fernando – Até agora nada, ela está na sala de cirurgia até agora.

Helena – Agora eu queria saber como tudo isso aconteceu, porque até agora eu não consigo entender nada.

Giovana – Ah mãe, é uma história longa… A Karen invadiu o colégio armada e me fez de refém e ai me levou para o último andar do colégio. Ai a gente começou a brigar pela a arma e ela caiu de lá de cima, e ai ela me empurrou e eu cai, mas consegui me pendurar no parapeito. Ela acabou de desequilibrando e ficou na mesma situação. O Miguel me salvou, e quando foi salvar ela, a mão dela escorregou da dele. E foi isso…

Helena – Jesus, não consigo imaginar essa cena, é inacreditável…

Fernando – Pelo menos você saiu ilesa de tudo isso, graças à Deus, mas já a minha filha…

Giovana – Calma tio, a Karen vai sair bem dessa, você vai ver, basta ter fé!

Giovana se senta ao lado de Fernando e lhe abraça, como forma de consolação; De repente, um médico sai da sala de cirurgia e se aproxima.

Médico – Vocês são a família da paciente Karen Sampaio?

Fernando, Helena e Giovana se levantam.

Fernando – Sim, eu sou o pai dela. Tem alguma notícia sobre o estado da minha filha?

Médico – Senhor, a sua filha foi submetida a uma cirurgia na cabeça, já que na queda, ela acabou a abrindo. Ela também recebeu uma transfusão de sangue, já que ela perdeu uma grande quantidade de sangue na queda. Sua filha está fora de perigo, mas agora está repousando para reagir melhor a cirurgia. Assim que sua filha acordar, eu irei chamá-los.

Após receber a nova notícia sobre o estado de Karen, Fernando fica mais aliviado e abraça Helena.

Helena – Vai ficar tudo bem, você vai ver!

Fernando – Graças à Deus, minha filha não vai morrer!

Mais aliviada, Giovana sorri e abraça Miguel.

CENA 7, CARIOCÃO LANCHES, INTERIOR, DIA

Encostadas no balcão, Camila, Cecília, Cláudia e Victória conversam.

Victória – Ainda estou chocada com o que eu vi, nunca vi algo assim, parecia coisa de novela.

Cecília – O mais impressionante é a Karen ter sobrevivido a uma queda daquela altura, e ainda perdeu muito sangue.

Cláudia – É como eu digo, vaso ruim não quebra…

Victória – Credo amiga, nem nessas horas você contém o veneno?

Camila – Pior que eu vou ter que concordar com a Cláudia. A Karen foi o diabo em pessoa, tentou matar várias pessoas, fez intrigas, e quando ela cai de uma altura absurda, ela sobrevive.

Cecília – Bom, que Deus queira que ela fique bem, não valerá de nada ela ter sobrevivido só para morrer agonizando de dor depois.

Victória – Isso é…

Cláudia – Bom, mudando de assunto… Camila, eu fiquei sabendo que você se casará, é verdade?

Camila – Sim! Nunca pensei que eu ia me casar, mas quando chega a hora, é tão emocionante, e cansativo também, já que tem umas mil coisas para preparar.

Cláudia – Só imagino… E o seu vestido, já comprou?

Camila – Já sim, faz mais ou menos um mês que eu comprei. Ele é lindo demais, uma hora dessas eu mostro para vocês.

Cláudia – Combinado, hein!

As quatro riem, e em seguida, voltam a conversar; A conversa é abafada aos poucos, cortando para a próxima cena.

CENA 8, O DIA ANOITECE

Takes de imagens do trânsito agitado da cidade são mostradas a cena, enquanto o dia anoitece.

CENA 9, HOSPITAL, INTERIOR, DIA

Fernando, Helena, Giovana e Miguel continuam sentados nas cadeiras do corredro, a espera de novas noticias de Karen; Danilo entra no hospital e se aproxima.

Danilo – Notícias da Karen?

Fernando – Só sabemos que a cirurgia dela foi um sucesso, mas além disso…

Giovana – Deus queira que ela tenha reagido bem a essa cirurgia, porque essa demora de notícias…

De repente, o médico sai do quarto e se aproxima de todos, que se levantam e se aproximam.

Médico – A paciente acaba de acordar, vocês poderiam me acompanhar? Eu também tenho uma notícia para dar…

O médico conduz todos ao quarto onde está Karen.

Corta para:

CENA 10, HOSPITAL, QUARTO, INTERIOR, NOITE

Karen está deitada na cama, com sua cabeça enfaixada; A porta se abre, e Fernando, Helena, Giovana, Miguel e Danilo entram.

Karen – O que essa garota está fazendo aqui? Já não basta quase ter causado a minha morte?

Giovana – Karen, por favor, você quem tentou me matar, mas esso não é o momento adequado para falarmos disso.

Karen começa a gemer constantemente.

Karen – Ai, minha cabeça, tá doendo…

Médico – É normal, você abriu sua cabeça na queda e passou por uma cirurgia…

De repente, um silêncio toma conta de Karen, que é observada por todos a seu redor.

Karen – Por que não estou conseguindo mexer minhas pernas? E meus braços também não estão se mexendo. Doutor, isso é temporário, né?

O médico olha seriamente para Karen, deixando a todos preocupados.

Karen – É temporário, não é?

Fernando – Doutor, que cara é essa? Tem algum problema? Tem haver comas perguntas da minha?

Doutor – Sim, tem um problema nisso tudo. A notícia que eu tenho para dar, não é das melhores…

Helena – Bom doutor, diga…

Doutor – Bom, quando você chegou aqui, detectamos várias lesões na sua coluna vertebral. Tentamos reanimar seus movimentos, mas infelizmente, não conseguimos fazer mais nada. Karen, infelizmente, você está tetraplégica, ou seja, você só tem os movimentos do pescoço para cima.

Ao receberem a dura notícia da perda dos movimentos de Karen, todos se entreolham chocados, mas Karen não acredita, começando a rir aos poucos.

Karen (rindo) – Doutor, para de brincadeira, uma vez eu paguei um médico para fazer isso, não precisa mentir só para me enganar! Olhem como eu consigo caminhar.

Karen até tenta se levantar, mas permanece imóvel; Aos poucos, ela acaba se dando conta de seu real estado e se desespera.

Karen – Doutor, me diz que isso é mentira! Eu não estou tetraplégica, isso é mentira!

Fernando – Doutor, por favor, diga que isso é temporário e que minha filha voltará a andar!

Médico – Infelizmente eu não estou brincando, devido a altura que sua filha caiu, acabou ocasionando em vários lesões em sua coluna vertebral. Eu lamento, mas não há mais nada a fazer.

Karen chora compulsivamente, sem se conformar com seu estado atual; Fernando se aproxima da filha e a abraça, tentando lhe conformar.

Karen (chorando) – Eu não quero ficar assim para sempre, eu não quero! Isso é uma injustiça, por que eu não morri logo naquela maldita queda?

Fernando – Pare de se maldizer, você está viva, isso é o que importa!

Karen (chorando) – De que adianta estar viva se eu agora ficarei o resto da minha vida presa numa cadeira, só podendo mexer o pescoço?

Danilo – Isso é um castigo de Deus, você fez mal a tantas pessoas, tentou matar várias pessoas, está apenas pagando como deve.

Karen (chorando) – Eu odeio vocês três! Vocês são os culpados disso tudo! Se não tivessem mexido comigo, nada disso teria acontecido!

Danilo – Se você não tivesse sido uma pessoa ruim, com sentimentos podres, nada disso teria acontecido.

Bastante frio, Danilo encara Karen, e em seguida, abre a porta e sai do quarto.

Karen (chorando) – Eu quero meus movimentos de volta, eu quero! Eu não quero mais ficar inválida!

Abraçados, Miguel e Giovana observam Karen, ainda chocados com o atual estado de Karen.

CENA 11, CASA DE JOSÉ, QUARTO DE CAMILA, INTERIOR, NOITE

Usando seu vestido de noiva, Camila fica em frente ao espelho, analisando seu corpo com as mãos; José passava pelo o corredor, e ao ver a filha vestida de noiva, entra no quarto.

José – Você está linda, filha! Nunca pensei que chegaria tão rápido o dia que eu te veria usando um vestido desses.

Camila se vira de costas e se aproxima de José.

Camila – Você estava ai a muito tempo?

José – Cheguei agora, e estava te vendo usar o seu vestido de noiva.

Camila – E bonito, não é?

José – Sim, bastante… E a noiva mais ainda…

Camila – Ah pai, falta só um mês para o meu casamento, e já estou bem nervosa…

José – Sei bem como é, sua mãe estava bem nervosa no dia do nosso casamento.

Camila – Mamãe… Uma pena ela não estar aqui para me ver vestida de noiva…

José – Mas eu estou aqui. Não é a mesma coisa, mas eu estarei aqui do seu lado, te levarei ao altar, verei você sair de casa assim que se casar…

Camila – Ah pai, viu sentir saudades dessa casa, desse quarto, do Cariocão…

Camila deixa uma lágrima escorrer de seu rosto, mas rapidamente a seca.

Camila – Olha ai, falta um mês para o meu casamento e eu já estou chorando de saudades…

José – Também vou sentir muitas saudades de você, minha filha… E espero que esse casamento te faça feliz, que o seu marido te trate bem, que vocês tenham muito amor. E lembre-se, se um dia você quiser voltar para cá, lembre-se de que as portas dessa casa e desse quarto sempre estarão abertas…

Emocionados, Camila e José dão um forte abraço, enquanto lágrimas escorrem pelo o rosto de Camila.

CENA 12, HOSPITAL, INTERIOR, DIA

Abalado, Fernando sai do quarto de Karen abraçado à Helena, que lhe conforta; Giovana e Miguel saem um pouco depois.

Fernando – Minha filha está pagando por tanto mal que fez, e ainda está pagando com uma das formas que ela enganou a todos…

Helena – Infelizmente é assim, meu amor, todos colhem o que plantam. A Karen plantou o mal e mentiras, e acabou colhendo tudo em dobro. Agora está ai, tetraplégica…

De repente, uma das recepcionistas se aproxima de Fernando e lhe entrega um envelope e se afasta em seguida; Ao verem o envelope sendo entregado para Fernando, Giovana e Miguel se aproximam.

Giovana – Que envelope é esse, tio?

Fernando – Eu não sei, mas aqui diz o nome da Karen. Vou abrir…

Fernando abre o envelope e tira de dentro um papel, que aparentemente é um documento; Ao ler todo o documento, os olhos de Fernando manejam e ele ergue a cabeça.

Helena – Tem algum problema?

Fernando – Isso aqui é um documento da justiça, a Karen irá a julgamento pelo os crimes de tentativa de assassinato. E o castigo da minha filha está só começando mesmo…

Giovana – Infelizmente, as chances da Karen ir presa são enormes, já que ela tem quatro tentativas de assassinato nas costas, mas é o justo, ela tem que pagar por seus crimes…

Fernando – Ah Karen, nunca pensei que você me traria esses desgostos, e agora, está pagando das piores formas possíveis.

Giovana – E pensar que tudo isso por causa do Miguel. Mas que culpa eu tive de me apaixonar pelo o mesmo garoto que ela?

Miguel – Tudo isso o que ela fez não justifica esse amor que ela diz sentir por mim. Enfim, eu quero ir para casa e dormir, para fingir que esse dia nunca existiu.

Giovana – Eu também quero fazer o mesmo. Vocês vão ficar?

Helena – Sim, para o caso de que a Karen precise mais algo. Você tem dinheiro para o táxi?

Miguel – Deixa que eu pago, senhora.

Helena – Obrigada, Miguel.

Giovana – Bom, a gente vai indo… Tchau mãe, tchau tio.

Giovana cumprimenta Helena e Fernando com beijos na bochecha; Miguel também cumprimenta Helena e Fernando, e em seguida, sai abraçado com Giovana do hospital.

CENA 13, PASSAGEM DE TEMPO…

Takes de imagens da cidade são mostradas a cena, enquanto um letreiro escrito “2 semanas depois” percorre a tela.

CENA 14, TRIBUNAL, INTERIOR, DIA

Em frente ao juíz, Karen está sentada em sua cadeira de rodas, acompanhada de seu advogado e seu pai. No público, estão Giovana, Miguel, Helena e Danilo, junto com alguns outros alunos do Escolhas.

Juíz – E já chegamos ao veredito final. E pelo os crimes de tentativa de assassinato, eu condeno a ré Karen Sampaio a seis anos e quatro meses de reclusão, com direito a redução de pena por bom comportamento.

Após receber sua pena, Karen se mantém firme e fria, enquanto lágrimas escorrem do rosto de Fernando ao ver sua filha ser condenada a prisão; Vários alunos comentam a pena de Karen, enquanto Giovana se mantem calada; Os guardas retiram Karen do tribunal, lhe levando em sua cadeira de rodas; Ao passar por Giovana, Karen lhe encara, enquanto ela lhe olha com uma expressão de decepção.

Corta para:

CENA 15, PRESÍDIO FEMININO, INTERIOR, DIA

Ao som de um triste instrumental, uma carcereira abre a grade de uma escura e vazia cela; Ela coloca Karen dentro da cela e fecha a grade, se afastando da cela em seguida.

Karen – É Karen, este é seu triste fim… Tetraplégica, condenada a seis anos de prisão, numa escura e imunda cela… Mas não me arrependo, não me arrependo de ter tentado matar, de ter mentido, aliás, foi por uma boa causa… Eu te amo, Miguel, e quando eu sair daqui, você ainda voltará para mim…

E este é o triste fim de Karen, condenada à uma cadeira de rodas e a seis anos de prisão, sozinha em uma cela enquanto alimenta ilusões de que um dia Miguel viria a lhe tirar daquele lugar.

CENA 16, PASSAGEM DE TEMPO…

Takes de imagens da praia da cidade são mostradas a cena, enquanto um letreiro escrito “Dias depois” percorre a tela.

CENA 17, COLÉGIO ESCOLHAS, SALA DE RENATA, INTERIOR, DIA

Renata está sentada na cadeira da diretora. Na cadeira da frente, está sentado um homem de meia-idade.

Renata – Bem, Oscar, agora que já está tudo acertado, só me resta desejar que você seja realmente o ótimo profissional que disseram nas referências, e que você consiga dar uma boa aula de educação física para todos os nossos alunos em substituição ao professor Digão.

Oscar – Pode ficar tranquila, diretora Renata, pois eu te garanto que a senhora não vai se arrepender de ter me contratado.

Renata – Está bem. Ah, e tem outra coisa que eu queria te dizer… Se você tiver algum filho ou filha, ele ganha uma bolsa integral aqui no Escolhas, caso você deseje que ele ou ela estude aqui.

Oscar – Nossa, que ótimo! Tenho duas filhas, mas uma delas, a Andressa, já é uma mulher feita, já trabalha e tudo… mas a minha outra filha, a Rachel, está no Ensino Médio, acaba de passar para o terceiro ano. Vou transferi-la para cá.

Renata – Tudo bem então.

Os dois se levantam de suas cadeiras.

Renata – Nos vemos no primeiro dia de aula então?

Oscar – Claro.

Os dois apertam as mãos e sorriem; Oscar sai da sala, e no mesmo instante, Digão e Rosana entram na sala.

Digão – Quem era, Renata?

Renata – Ah, esse é o novo professor de Educação Física do colégio, o Oscar.

Digão – Hum, que bom que já contratou um substituto para o meu posto.

Renata – E vocês, já estão com tudo acertado para darem aulas na universidade de São Paulo?

Rosana – Sim, já temos tudo acertado. Queremos que você saiba que foi muito bom trabalharamos aqui no Escolhas, e que vamos sentir suadades.

Digão – Pois é, Renata, adoramos trabalhar aqui durante a sua gestão, mesmo que você tenha chegado a pouco tempo. E que você continue sendo a ótima diretora que é.

Renata – Eu que agradeço a vocês, foram muito receptivos comigo quando assumi o cargo de diretora. Sentirei muitas saudades de vocês, e espero não perder o contato com vocês.

Os três se entreolham sorrindo, e em seguida, Renata se aproxima e abraça Rosana, e abraça Digão em seguida.

Renata – Desejo boa sorte a vocês no novo emprego.

E este é o final de Digão e Rosana, agora juntos, darão aula em uma universidade em São Paulo.

CENA 18, COLÉGIO ESCOLHAS, PÁTIO, INTERIOR, DIA

Vários alunos estão no pátio, de frente para as paredes, conferindo os resultados de aprovação.

Cláudia – E ai, Vicky, com quantos porcentos de aproveitamento você ficou?

Victória – 78%, até que fui bem, e você?

Cláudia – 65%. Fui raspando, mas passei.

Victória – Ah amiga, ano que vem ficaremos separadas! Você aqui no terceiro ano e eu lá na faculdade.

Cláudia – Ah, nem fala isso que eu já fico triste! Mas pelo menos ainda seremos amigas, independente de que você não estude mais aqui!

Cláudia e Victória sorriem, e em seguida, se abraçam; A câmera foca em Cecília e Breno.

Cecília – 89%, nossa, estou me sentindo uma nerd com esse resultado. E você, ficou com quanto?

Breno – 70%, fui muito bem até.

Cecília – Pena que você não vai mais estar aqui, não vamos mais nos cruzar nos corredores, não vamos mais sair de mãos dadas do colégio.

Breno – Mas isso não impede de eu vir te trazer e te buscar, né. E mais, isso não quer dizer que a gente não vai se ver mais.

Cecília – É, tem razão!

Cecília se abraça em Breno e o beija; A câmera foca em Júnior, Felipe e Rafael.

Felipe – 60%, fui bem. E vocês, com quanto ficaram?

Rafael – 55%, passei raspando. E você, Júnior?

Ao olhar para o papel que está na parede, Júnior se surpreende com seu resultado.

Júnior – Não, não é possível, isso é mentira…

Felipe – O que foi? Não vai me dizer que repetiu de novo?

Júnior – Não, muito pelo o contrário! Eu fiquei com 91%! Eu nunca fiquei perto nem de 60%, quanto mais 91! Eu não estou acreditando nisso!

Rafael – Olha, parabéns, hein mano, você mereceu!

Júnior sorri e cumprimenta Felipe e Rafael com um aperto de mão; A câmera  foca em Giovana e Miguel.

Miguel – 85%, fui bem pra caramba! E você?

Giovana – 93%, pode me aplaudir! — risos.

Miguel – Sua nerd, parabéns!

Giovana – Ih, olha quem tá querendo me chamar de nerd… – risos.

Giovana abraça Miguel e o beija; Giovana se afasta aos poucos e uma expressão desanimadora toma conta de seu rosto.

Giovana – Mas é que tem um porém… Eu tenho algo importante para te contar, e acho que você não vai gostar muito…

Miguel – Ah, é? É que eu tinha algo para contar também… Mas conta você primeiro.

Giovana – É que faz ou menos uns três meses que eu fiz algo sem te consultar, porque eu queria esperar a resposta, e ontem ela chegou… Miguel, eu me inscrevi para fazer um intercâmbio em Berlim, na Alemanha, e ontem chegou a carta de aprovação…

Ao dar a notícia para Miguel, Giovana abaixa a cabeça, triste por achar que vai ficar longe de Miguel.

Miguel – Como? Você se inscreveu para um intercâmbio em Berlim? Eu me inscrevi para um intercâmbio em Berlim e recebi a carta de aprovação!

Giovana se surpreende ao ver que os dois se inscreveram para um intercâmbio no mesmo lugar.

Giovana – Eu não acredito, nós dois nos inscrevemos para um intercâmbio em Berlim e passamos? Até agora eu não estou acreditando!

Miguel – Eu jurava que ia ficar separado de você, mas você viu como o destino sempre conspira a nosso favor?

Giovana – Ainda bem, eu não ia suportar ficar longe de você! Eu te amo!

Giovana e Miguel se abraçam e se beijam.

CENA 19, PASSAGEM DE TEMPO…

Takes de imagens da cidade são mostradas a cena, enquanto um letreiro escrito “2 semanas depois” percorre a tela.

CENA 20, IGREJA, INTERIOR, NOITE

Júnior está no altar, junto com Miguel, Breno, Giovana e Cecília, à espera da chegada de Camila; De repente, todos os convidados se levantam, e diante da marcha núpcial, Camila entra na igreja acompanhada de José; Ao chegar até ao altar, ela e Júnior se ajoelham, focando diante do padre

Padre – Estamos reunidos nesta noite, presenciando o casamento de um casal jovem e cheio de vida, que se ama e se respeita, que agora estarão unidos por um grande laço de amor abençoado por Deus.

Júnior pega a almofada com duas alianças e pega uma delas, enquanto segura uma das mãos de Camila.

Padre – Paulo Júnior, você aceita Camila como sua legítima esposa, para amá-la e respeitá-la, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença?

Júnior – Sim, eu aceito.

Sorrindo, Júnior coloca a aliança no dedo de Camila, que sorri; Ela pega a outra aliança, enquanto segura a mão de Júnior.

Padre – Camila, você aceita Paulo Júnior como seu legítimo esposo, para amá-lo e respeitá-lo, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença?

Camila – Sim, eu aceito.

Sorrindo, Camila põe a aliança no dedo de Júnior; Os dois se entreolham sorrindo.

Padre – Sendo assim, eu os declaro marido e mulher, sob a bênção de Deus. Agora, pode beijar a noiva.

Após o padre terminar de falar, Júnior e Camila se beijam apaixonadamente, sob os aplausos de todos os convidados.

CENA 21, SALÃO DE FESTAS, INTERIOR, NOITE

O salão estava lotado de convidados, com uma música bastante alta; Camila e Júnior terminam de tirar algumas, e logo em seguida, se aproximam de Giovana, Miguel, Breno e Cecília.

Camila – Espero que os padrinhos desse casamento estejam gostando da festa.

Cecília – Amiga, está tudo maravilhoso! Essa decoração, o bolo, tudo está incrível.

Camila – Não podia ser de outro jeito, é um dia especial, tudo tem que estar perfeito!

Giovana – Ai amiga, pena que depois da festa, eu e o Miguel estaremos arrumando as malas.

Júnior – Vocês já vão amanhã para Berlim?

Miguel – Sim brother, já temos o vôo marcado para das dez da manhã.

Cecília – Uma pena todos nos estarmos nos separando. Vocês vão para Berlim, Camila e Júnior vão ir morar no Leblon…

Camila – Bom, a Giovana e o Miguel vão estar longe mesmo, mas vocês vão poder nos visitar sempre, né.

Cecília – Sim, mas não será mais a mesma coisa… Vou sentir saudades das nossas reuniões no Cariocão depois da aula, depois dos treinos de futebol.

Júnior – Mas isso não quer dizer que nossa amizade acabou.

Giovana – É isso mesmo! Eu e o Miguel não estarmos mais aqui, mas vamos falar com vocês sempre que pudermos, seja por internet, por celular…

Breno – Que a gente não perca o contato nunca!

Camila – E não vamos, nos somos amigos de verdade, e amigos assim nunca param de se falar.

Sorrindo, os seis se aproximam e dão um abraço grupal, e ao se afastarem, dão um rápido grito; A câmera foca em Felipe e Victória.

Felipe – Legal a festa, né?

Victória – Sim, está maneira…

Felipe – Acho legal esse clima de casamento, tão romântico…

Victória – Pois é… Sabe Felipe, eu queria falar uma coisa, sei lá, faz uns meses que eu quero falar, mas nunca consigo…

Por conta do barulho, Felipe não consegue ouvir nada.

Felipe (gritando) – O que?

Victoria (gritando) – Felipe, eu gosto de você!

Mesmo aos gritos, Victória não consegue fazer com que Felipe ouça.

Felipe (gritando) – Fala mais alto, eu não ouvi!

Victória (gritando) – Felipe, eu gosto de você, sempre gostei!

Felipe (gritando) – Como?

Tomada por um impulso, Victória se aproxima de Felipe e o beija, lhe deixando surpreso; Ao se afastar de Felipe, Victória abaixa a cabeça, por estar envergonhada.

Felipe – Vicky, o que foi isso?

Victória – Pronto Felipe, agora você sabe de tudo. Eu gosto de você, eu te amo!

Felipe – É sério isso? Você me ama?

Victória – É Felipe, é isso! E faz tempo…

Felipe – Vicky, eu juro que estou surpreso, porque…

Victória – Eu sei Lipe, você não me corresponde…

Felipe – Pelo o contrário, eu também gosto de você, e faz meses que tento falar isso, mas sempre vem alguém e nos interrompe…

Victória – É sério?

Felipe – Muito…

Os dois se entreolham com um tímido sorriso no rosto, e em seguida, se aproximam e se beijam; Em um flash rápido, é mostrado o salão vazio, apenas com Giovana, Miguel, Camila, Júnior, Cecília, Breno, Cláudia, Danilo, Victória, Felipe e Rafael no salão.

Giovana – Bom gente, eu e o Miguel vamos para a Alemanha, Camila e Júnior se casaram e vão morar juntos… E vocês? Já tem planos?

Cecília – Eu vou continuar no Escolhas, mas agora, também vou me dedicar a campanhas sociais contra a discriminação contra AIDS e também contra os carimbadores.

Breno – Vou para a faculdade, quero arranjar um emprego, e ai vejo quando será a nossa vez de casar, né Cecília?

Breno abraça Cecília e lhe beija, e em seguida, se afastam.

Danilo – Vou continuar no Escolhas também, e também mesmo ela não merecendo, vou ajudar a Karen no que for, já que ela é minha irmã…

Giovana – Karen… Minha amiga, acabamos brigando e isso ocasionou desgraça atrás de desgraça, e agora ela tá lá, presa numa cadeira de rodas e na cadeia… Enfim, e vocês?

Cláudia – Vou continuar no Escolhas também, e agora largar de vez as maldades! Aprendi nesse tempo…

Rafael – Eu quero fazer um tour pela a América inteirinha, conhecer cada pais desse continente!

Victória – Agora que eu e o Lipe nos declaramos um para o outro, vamos começar um namoro e tudo mais, e ai depois, quem sabe nos casamos, né?

Sorrindo, Victória e Felipe se beijam.

Giovana – É gente, o que chegou a hora para uns, e para outros não… Uns já vão para a faculdade, outros já estão no último ano… É a hora de uma nova etapa começar, agora sem maldades, sem intrigas… Quem sabe uma hora a gente não se vê por ai, todos maduros, casados, com filhos…

Com largos sorrisos no rosto, todos se abraçam e dão um abraço grupal;Aos poucos, a cena escurece, cortando para a próxima cena.

CENA 22, BERLIM, ALEMANHA

Bastante sorridentes, Giovana e Miguel andam abraçados pelas as ruas da cidade de Berlim.

Giovana – Quem diria, nós dois sozinhos em Berlim, felizes, sem nada e ninguém para nos atrapalhar?

Miguel – Isso é um sonho mesmo… Nunca oensei que aquele nosso encontro no corredor do colégio ia acabar em tudo isso.

Giovana – Passamos por um verdadeiro jogo do amor! Primeiro você junto com a Karen, mas gostava de mim, e eu de você, mas éramos dois tímidos. Passei por uma verdadeira batalha com a Karen pelo o seu amor. Meu amor sincero foi minha principal arma, já as intrigas e maldades, as da Karen. Mas no final, o bem e o amor sempre vencem.

Miguel – E a partir de agora, nada e nem ninguém vão nos atrapalhar, seremos felizes para sempre, colocaremos em prática todos os planos que temos para nós dois. Nos casar, termos vários filhos…

Giovana – É, mas por enquanto, vamos aproveitar o momento, para depois, fazermos tudo isso…

Sorridentes, Giovana e Miguel se entreolham; Ao som de “Será – Renato Russo”, Giovana e Miguel se aproximam e se beijam. E assim, Giovana e Miguel se despedem, após terem passado por várias dificuldades, os dois agora serão felizes, sem nada e ninguém para lhe atrapalharem.

FIM

ANJOS NA ESC

De Manoel Oliveira, uma trama de suspense está de volta no “Vale a Pena Ler de Novo” a partir do dia 21 de novembro! Fique ligado para as chamadas em breve!

20 thoughts on “O Amor é um Jogo – Capítulo 26 (Último Capítulo)

  1. A próxima reprise só vai estrear no dia 21 de novembro porque dia 15 é feriado, senão estrearia na próxima segunda já. Bom, espero que gostem da escolha, “Anjos na Escuridão” é uma excelente web-novela!😀

    Sobre o fim de “O Amor é um Jogo”, o que dizer senão: MARAVILHOSO! Amo essa trama, a melhor do horário teen e com um final incrível como toda a trajetória. Parabéns pelo sucesso da trama nas duas exibições, @willianmx, você merece!❤

    Curtir

  2. Karen mereceu o seu fim: Tetraplégica e Condenada a 6 anos de prisão
    Muito lindo o casamento de Júnior e Camila
    Victória finalmente se declarou para Felipe
    E Giovana e Miguel juntos em Berlim.❤ Eles merecem ser muito felizes
    O Amor é Um Jogo encerrou com um saldo positivo para mim
    Parabéns, Willian!

    Mentira que as rainhas Maya e Savana estão de volta! Amo
    Vou acompanhar Anjos na Escuridão com certeza
    Realmente, Vale a Pena Ler de Novo!

    Curtir

  3. Anjos da Escuridão de volta? Amooooooooooo. Luxão desses, bicho❤

    E Parabéns pelo excelente último capítulo, Willian. O Amor é um Jogo é uma ótima trama, entre as melhores do horário😀

    Curtir

  4. A cena mais chocante foi a Karen recebendo o diagnóstico de tetraplégica.Karen não morreu como pensei.Ela terminou a trama presa na cadeia e na cadeira de rodas.Um fim triste!A melhor cena foi a de Camila e Júnior se casando.Que sejam felizes para sempre!Felipe e Victória finalmente juntos!Giovana e Miguel viajam juntos e superam as dificuldades!Que um dia se casem!Parabéns pelo capítulo final,foi maravilhoso!
    Sobre Anjos Na Escuridão,achei bem interessante!Gosto de tramas de suspense e terror!
    E valeu muito a pena ter lido essa maravilhosa trama!Parabéns pelo sucesso!

    Curtir

  5. Karen foi castigada. Depois de ter fingido uma paraplegia com uma queda de escada, o destino a fez cair de um prédio e adquirir uma tetraplegia verdadeira. Como ela aparentemente está desenvolvendo uma espécie de loucura, muito provavelmente depois da prisão ela será internada em um hospital psiquiátrico.

    Júnior deve ter colado muito nas provas para ter um rendimento tão alto assim…

    Não esperava por uma reprise de Anjos na Escuridão… sério, nem me passou pela cabeça a possibilidade da web ser reprisada…

    Vai ser dia 21? Gente, e eu achando que seria amanhã já…

    Curtir

  6. Karen A-C-A-B-A-DA!😮
    Ainda me lembrava de tudo desse capítulo, até de algumas falas…
    Parabéns pela excelente trama! Foi um luxo total!
    #.❤

    Curtir

  7. Bom, lembro desse final pois acompanhei a trama na primeira exibição (Mesmo sem deixar o meu ponto pq nn sabia, morro) mas mesmo assim fiz questão de ler outra vez, amo.

    A cena que abriu o capítulo de hoje está registrada como uma das melhores cenas da web e do horário teen. Uma reviravolta atrás da outra entre Karen e Giovana envolvendo a arma e esses ataques que as duas trocavam. Como uma amizade pode mudar por causa de homem, né? Risos. Bom, não nego que queria Karen como a vencedora desse jogo, mas foi o final mais que justo por causa de suas atrocidades, verdade e reconheço. Não sei vc, mas eu sempre shippei e muito #Lipicky. ❤ Um casal fofinho desses que mereceram um final feliz.

    Não fui fiel nessa reprise, sofro, mas eu sempre fiz o possível para deixar minha participação. Essa foi a trama que você deu a volta por cima após “Torre de Ilusões”, né? Pois bem, não posso opinar sobre Torre, mas afirmo que “O Amor é um Jogo” é um luxo. Você se saiu muito bem no desenvolver dela, Willian, trazendo assuntos bem difíceis de retratar nesse tipo de web de uma forma sensacional. Parabéns pela trama em geral e pela reprise!😀

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s