Imortal – Capítulo 02

Emily caminha lentamente até chegar nos degraus, os quais ela sobe apenas a quantidade necessária para começar a visualizar o centro do altar. Emily agora expressa um olhar de horror e deixa o buquê cair em uma poça de água. Aquilo não poderia ser mais do que um pesadelo.

Gael: O que tem ela? Pelo amor de Deus, me diz, cadê ela?
Policial: Sentimos muito informar, mas Emily Vidal sofreu um grave acidente na estranha e não resistiu aos ferimentos…
Emily (gritando): Como é que é? Eu morri?

Congela no rosto de Emily, horrorizada com a notícia que acaba de ouvir.

Continuação imediata do capítulo anterior…

Cena 01/Igreja/Noite

Enquanto ouvia aquelas palavras ditas pelos policiais, Emily se desesperava, sem saber como agir. Assustada, ela acaba notando que ninguém ali parecia enxerga-la. Em um ato de fuga, ela vai se afastando daquele ambiente, descendo as escadas sem rumo. Tudo o que ela queria naquele momento era acordar daquele pesadelo.

Emily: Meu Deus, não pode ser. Como eu estou morta, gente? Eu não lembro de nada! Eu não posso ter morrido, eu não aceito ter morrido! Alguém me acorda desse pesadelo, pelo amor de Deus!

Ela corre muito assustada pelo estacionamento da igreja, entrando em um jardim localizado bem ao lado do estacionamento. A jovem tentava digerir tanta informação recebida naquela noite, quando é surpreendida por duas pessoas que usavam trajes unicamente brancos e muito longos.

Emily: Pai, vó? O que está acontecendo aqui?
Espírito do Pai: Você vai entender, filha! – Diz, abrindo um largo sorriso.
Espírito da Avó: Está tudo bem, minha querida. Fique tranquila, o espírito é imortal!

Os dois tentam acalmar a jovem, sem sucesso. Até que sua avó segura em sua mão, querendo que ela seguisse para algum lugar junto deles.

Espírito da Avó: Você precisa ir, meu amor. Você não faz mais parte desse plano. Não tem mais como ficar aqui.
Emily: Eu não vou, vó! Tenho muito para resolver aqui, olha para mim, estou vestida de noiva. Ainda tenho que me casar, sabia?
Espírito da Avó: Mas tudo não faz mais parte do seu atual plano espiritual, meu anjo. Não será possível realizar esse desejo.
Emily (nervosa): Eu não posso ir assim, não posso. Eu quero ficar aqui! – Dizia ela, bastante agitada, enquanto tentava dar um soco em um banco que estava naquele jardim…

A avó faz uma expressão de tristeza, enquanto olha para o filho.

Espírito da Avó: Venha falar com sua filha, será melhor…
Espírito do Pai: Emily, qual é o motivo de você querer continuar aqui nesse lugar?
Emily(chorando): Pai, você tem que me entender, por favor! Eu queria me casar, eu tinha planos, teríamos filhos, iríamos viajar, enfim, seríamos tão felizes juntos… Isso não pode acabar assim, pai.

O espírito do pai de Emily fica pensativo por alguns segundos na companhia do espírito da avó, enquanto a garota seguia em prantos.

Espírito do Pai: Bom, Emily. Acho que ficar por um tempo será melhor para você mesmo. Será melhor compreensão de todo esse ocorrido. Mas você não ficaria presa, só gostaríamos de leva-la para um lugar melhor… Enfim, esperamos que consiga ficar em paz, meu amor. 
Espírito da Avó: Aproveite esse tempo para refletir, Emily. Quando você precisar, é só nos chamar que na hora te auxiliaremos, tá? Independente do que acontecer, nunca se esqueça da menina do bem que você sempre foi, promete? Só não esqueça disso. Caso mude de ideia, já sabe.

Os dois dão um abraço em Emily, se despedindo. Após isso, a avó e o pai dão as mãos e vão caminhando lentamente para fora daquele jardim, enquanto são observados fixamente pela jovem. Após alguns segundos, os dois desaparecem no ar.

Emily se sentava no banco que estava ao seu lado, tentando tomar fôlego. Logo após fazer isso, é surpreendida ao ver Gael caminhando desesperado no estacionamento, na companhia de Gisele. Imediatamente ela deixa aquele lugar e corre na direção dos dois.

Emily (gritando): Gael!
Gael (chorando): Gisele, como foi acontecer isso comigo, Gisele? No dia do nosso casamento, como isso aconteceu? Eu não quero mais viver, não tenho mais motivos. Primeiro meu pai, agora a mulher da minha vida, isso deve ser uma maldição…
Gisele: Sei que pode parecer absurdo o que vou dizer, mas tente não ver as coisas por esse lado. Ela sempre vai estar com você, independente do plano espiritual…

Enquanto Gisele abraçava Gael, que chorava como uma criança em seu colo, ela era surpreendida ao ver o espírito de Emily vindo correndo em sua direção.

Emily (gritando): Gael, Gaeel
Gisele: Emily? 
Gael: O que?

Gisele estava paralisada ao ver o espírito da sobrinha bem na sua frente. Emily gritava para o noivo, mas ele não era capaz de entrega-la.

Gisele: Emily, é você?
Emily: Você tá me vendo, tia? – Dizia ela, enquanto sorria ao finalmente ser notada por alguém.
Gael (confuso): O que está acontecendo, Gisele? Responde!

Cena 02/Igreja/Noite

Enquanto todos os convidados estavam assustados com a notícia trágica, alguns já indo embora e tantos outros sem reação, Sabrina caminhava calmamente até a área externa da igreja. Martim novamente seguia a irmã, determinado a fazer uma proposta para a mesma.

Sabrina: De novo aqui, Martim? O que você quer comigo?
Martim: Tenho uma proposta para lhe fazer. – Sorri.
Sabrina: Diga, veja como estou morrendo de ansiedade. – Dizia ela, com ar de deboche.
Martim: Quero saber o que você pretende após conseguir tirar a vida da sua prima, irmãzinha. Exijo que você me coloque dentro desse barco, isso se tiver dinheiro envolvido, lógico. Caso contrário, é bom preparar sua conta bancária, pois não ficarei em silêncio de graça!
Sabrina: Quem te viu e quem te vê, hein, Martim? Gael não era seu amiguinho de infância? – sorri.
Gael: Amigos, amigos. Negócios a parte, não é mesmo?
Sabrina: Pelo visto estamos disputando um prêmio de quem é o mais falso, não é mesmo? 
Martim: Isso deve ser algo hereditário, não é, irmã?

Ambos se encaram e soltavam gargalhadas, evidenciando que os dois não estão em níveis muito diferentes de caráter.

Sabrina: Pois bem… Ainda preciso resolver coisas a respeito disso, sabe? Fique tranquilo pois amanhã te contarei tudo. Saiba que Emily foi apenas a ponta do iceberg. – Dizia ela, fumando.
Martim: Tudo bem, mas não tente me passar para trás, hein? Sabe que não será o melhor negócio para você. Depois nos falamos então.

Martim deixava Sabrina sozinha naquele local, enquanto ela o observava e emita um sorriso falso. Após ele percorrer uma distância suficiente para entrar no exterior da igreja, ela desfaz o sorriso imediatamente.

Sabrina: Até parece que vou dividir a grana com mais um…

Sabrina pega seu celular, digita o número de alguém e realiza uma nova ligação suspeita.

Sabrina: Leila, amiga? Preciso urgente de te encontrar. Sim, o plano avançou. Não esqueça de levar aquelas fotos que estão na sua casa. Chegou a hora de partir para o alvo principal, será um luxo completo. Me encontre amanhã, 9 da manhã, na sua casa. Beijinhos.

Ela desliga o telefone e solta um suspiro, fazendo uma expressão de desconforto após ter falado com aquela mulher.

Sabrina: Precisamos passar por alguns sacrifícios, não é?

Sabrina segue para seu carro, já cansada daquela movimentação na igreja. Na medida que ela se aproxima do automóvel, a câmera se afasta e fica em Verônica e Mayara lhe observando de longe.

Mayara (chorando): Essa sua sobrinha é um horror mesmo, né? Todo mundo aqui sofrendo, chorando, desesperado pelo o que aconteceu com a Emily e ela indo para o carro fumando, rebolando, como se nada tivesse acontecido. Como alguém pode conseguir agir de forma tão fria?
Verônica (chorando): Estranho mesmo, muito estranho…

Cena 03/Igreja/Noite

Gisele e Emily interagiam entre si, enquanto Gael tentava entender o que estava ocorrendo.

Gisele: Gael, a Emily está aqui na minha frente, você não consegue ve-la?
Emily: Gisele, não acredito que finalmente alguém está me vendo!
Gael: Não tem nada aqui, Gisele. Você está delirando!

Emily se entristece ao perceber que o noivo não é capaz de ve-la. Era como se todo o motivo para sua permanência na terra fosse em vão.

Emily (gritando): Fala comigo, Gael. Fala comigo, por favor, eu to aqui! – Dizia ela, que voltava a ficar desesperada.

Gisele seguia olhando assustada para Emily, que não se conformava com mais aquela decepção.

Gael (gritando): Gisele, o que é que tá acontecendo? Diga logo qual o motivo desse olhar fixo para o nada?
Gisele: Espera, Gael. Por favor, espera!
Emily (chorando): Gisele, ele não vai me ver, é isso? Eu estou aqui atoa? Não estou acreditando nisso.
Gisele(nervosa): Calma, Emily, calma. Isso não acontece assim, isso depende muito do nível espiritual, entende? 
Emily (chorando e gritando): Eu não quero saber de nível espiritual, Gisele. Eu só quero que ele me veja, e pelo visto eu estou aqui atoa, não vou aguentar isso!

Emily saí correndo pelo estacionamento e ignora os gritos de Gisele que estava gritando pedindo para ela esperar. A decepção causada por ser invisível aos olhos do amado a fazem desaparecer no ar.

Gisele (gritando): Emily, Emilyy, Emilyyyyyy! E ela sumiu, ai gente.
Gael: Como é que é, a Emily estava aqui e eu não vi nada? É isso que aconteceu?
Gisele: Foi isso mesmo, Gael. Só eu consegui ver o espírito dela aqui. Acho que você não tem um nível espiritual suficiente para ver o espírito dela, entende?
Gael: Tá dizendo que o fantasma da minha noiva tá aqui, é isso?

Gael se levanta imediatamente e corre pelo estacionamento gritando o nome da noiva. Abalado por não ter visto nada após alguns minutos, se joga no chão e começa a chorar. Gisele vinha bem atrás, tentando consolar o rapaz.

Gisele: Fica calmo, Gael. Vou te ajudar a conseguir a evolução necessária para isso, mas você tem que sair dessa depressão, desse estado.

Os dois se abraçam ali mesmo e se confortam. O asfalto molhado pela chuva que caiu momentos e contendo várias possas aumentava o clima dramático no ar daquele lugar.

Cena 04/Santa Rosinha

Um painel acelerado mostra o tempo passando naquela noite trágica. Os convidados restantes saindo da igreja, Gael em sua casa chorando diante do colar com sua metade do coração, Emily caminhando pelas ruas, Verônica arrasada em sua casa e o dia amanhecendo na cidade, dessa vez com muito sol.

Cena 05/Mansão Vidal/Manhã

Eram 8 da manhã, Sabrina descia apressada as escadas da mansão para ir para seu destino misterioso, quando Verônica a surpreende.

Verônica: Onde é que você tá indo nessa hora da manhã, Sabrina?
Sabrina: Eu não deveria te dar satisfações, mas para não ser repetitiva, irei encontrar um amigo, obrigada. E o que faz acordada a essa hora? – Lançando um olhar de estranhamento.
Verônica: Acontece que eu nem dormi. Não iria conseguir descansar tranquilamente após ter perdido o meu bem mais precioso nesse mundo, né? Já você parece ainda melhor do que antes…
Sabrina: A vida tem que continuar, não é mesmo? A casa toda já está de luto. Não sou dessas…
Verônica: Então você não vai no enterro de sua própria prima?
Sabrina: Claro que vou, né, tia? Após encontrar esse amigo eu passo lá. Bye.

Sabrina batia a porta com violência. Verônica estava deitada no sofá e fica desconfiada das atitudes da sobrinha.

Verônica: Essa garota anda muito estranha, mas ainda vou descobrir o que está acontecendo…

Nesse momento o espírito de Emily aparece abraçando a mãe naquele sofá, como se fosse possível usar seu carinho para conforta-la naquela hora.

Cena 06/Fachada da casa de Leila/Manhã

Sabrina estava usando óculos escuros e um vestido colado. Ela descia do carro e tocava a campanhia da casa de Leila. A residência da moça era localizada na periferia, em um bairro bastante humilde e a sua casa partilhava das mesmas características.

Sabrina (pensamento): Misericórdia, que buraco é esse que fui me meter?

Surgia Leila, uma jovem alta, bela e de cabelos morenos que abria o portão de sua casa, convidando Sabrina para entrar.

Leila: Vamos entrar, linda?
Sabrina: Não, prefiro ficar aqui fora mesmo, obrigada. – sorri.
Leila: Você não quer as fotos? Então entra!

Sem saída, Sabrina vai entrando na casa de Leila, fazendo uma expressão de nojo para cada canto que olhava naquele lugar. Elas entram residência, Sabrina pega um jornal que se encontrava em cima de uma mesa e o coloca no assento do sofá para que possa se sentar.

Leila: Ai, para de frescura, garota! Aqui é casa de pobre, mas eu sou limpa, tá?
Sabrina: Vamos ao que interessa… Cadê aquelas fotos que te pedi?

Leila pega um envelope que estava em cima da mesa e entrega para Sabrina, que comemora ao ver o conteúdo delas.

Sabrina (rindo): Que luxo, essas fotos ficaram perfeitas, escândalo!
Leila: Já está na parte do boy magia da sua prima, né? Como foi para chegar nisso?
Sabrina: Olha, nem te conto. Felizmente nessa hora aquela vaca já está ardendo no inferno. Tá um saco lá em casa tanta comoção por ela, mas tudo bem… Tudo vai valer a pena.
Leila: Ah, é? Se tu quiser aqui está livre em qualquer momento, sabia?
Sabrina: Me poupe, né? Sou louca, mas sou uma louca inteligente, meu amor.
Leila: Então me diz, qual o motivo de tu querer armar para cima do loirinho agora?
Sabrina: Você está curiosa demais para o meu gosto, não comece. Um dia que eu tiver afim, te conto. Agora preciso ir, essas fotos precisam entrar em circulação hoje mesmo!
Leila: Nossa, fiz tudo isso por você, não vou ter nem um agradinho não?
Sabrina: Hoje não, tá. Estou muito atarefada, além de que tenho que correr antes que roubem meu carro, nesse lugar onde você mora…
Leila: Vê se não some, hein?

Leila abre a porta da sala e Sabrina sobe do corredor até o portão sozinha, sorridente com o envelope cheio de fotos em mãos. Pouco antes de chegar no portão, sentia algo escorregar em seus pés. Ela havia acabado de pisar nas fezes do cachorro de Leila. Irritada, ela sobe gritando e joga os sapatos contaminados no meio da rua. Entrando no carro, coloca o envelope no porta luvas e calça seu salto reserva. Após se recompor, ela dá partida no carro e segue para o enterro da prima.

Sabrina: Esse buraco dos infernos é para pagar pecado mesmo, só pode. Mas tudo bem, tudo ótimo. Hoje o dia promete.

Cena 07/Cemitério/Manhã

Todos estavam muito abalados naquele enterro. Gael, Verônica e Gisele estavam unidos, tentando nutrir alguma força, apesar de tudo. Emily estava bem ao fundo de todos, atrás de alguns túmulos, sem ter coragem de ver seu próprio caixão. Próximo ao momento do enterro, era ouvido um barulho de um par de saltos batendo no asfalto. Era Sabrina chegando no no local, com uma expressão de deboche, contendo um envelope em mãos. Todos olhavam em sua direção assustados, afinal, ela estava com trajes totalmente inversos aos utilizados naquela ocasião. Emily respira fundo, toma coragem e resolve se aproximar das pessoas, quando se depara com sua prima ali. Sabrina puxa Gael para um canto, na intensão de lhe fazer uma revelação. Emily segue os dois, assustada com o que vê.

Emily: Gente, a Sabrina está louca?
Sabrina: Gael, sei que esse não é o momento, mas você precisa escutar o que tenho a lhe dizer!
Gael: Você está louca, garota? Como você chega no enterro da sua prima vestida desse jeito, me trazendo pra cá, vai se tratar!

Ele tenta deixar aquele canto, mas Sabrina segura seu braço e o mantém ali.

Sabrina: Você precisa saber que essa mulher por quem você está derramando lágrimas não merece que você fique assim por ela!
Emily (gritando): Como é que é?
Gael: Do que você está falando, garota? Você é doente, sabia?

Sabrina entrega o envelope nas mãos de Gael, enquanto Emily não entende o que está acontecendo.

Sabrina: Veja essas fotos, abre!
Gael: Eu não vou cair no seu joguinho, garota!
Sabrina: Lembra daquele acidente que matou seu pai no mês passado? Lembra que ele perdeu o controle e bateu em um poste? Então, sabe quem é a causadora desse acidente? A Emily!
Emily (gritando com raiva): O que você tá dizendo, Sabrina? O que significa isso?
Sabrina (gritando): Quer provas? Olha essas fotos, ela está nessas fotos do momento do acidente!

Gael abre o envelope, começa a ver as fotos e fica em choque com o que está bem diante de seus olhos. Emily está ao seu lado e também acabando vendo, ficando em pânico.

Emily (gritando): Garota, eu vou acabar com você, eu vou te matar!
Gael(assustado): O que é isso, é a Emily!

Congela no rosto de Gael, paralisado após as fotos que acaba de ver. O fundo da imagem se transforma em um céu estrelado.

24 thoughts on “Imortal – Capítulo 02

  1. Sabrina foi a casa de Leila.Será que foram elas as criadoras das falsas fotos?
    Infelizmente Gael não conseguiu ver Emily em forma de espírito.Será que ele em algum dia vai conseguir vê-lá?
    Parabéns pelo capítulo!

    Curtido por 1 pessoa

  2. #MyAnalise

    A vida de Emily foi estragada após esse terrível acidente.
    Gisele consgeui vê-la pena que Gael não conseguiu.
    Sabrina Divando com certeza ela é a provocadora do acidente junto com Leila.
    Essa vagabunda não perde tempo para acbar de vez com Emily Oh Desgraça!

    Parabéns pelo capítulo Thalles!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Sofri muito, viu? Uma pena da Emily, Sabrina é uma péssima mesmo, matar a prima e, além disso, não deixá-la em paz mesmo depois da sua morte, parabéns Thalles, estou amando a web.❤

    Curtido por 1 pessoa

  4. Muito bem, eu preciso fazer algumas ponderações nesse capítulo.
    Achei que a abordagem espiritual, até então correta e de acordo com a seriedade necessária se perdeu nesse capítulo. Tudo aconteceu muito rápido, muito escândalo, choradeira, e etc. A Gisele vidente… Sei que ela é importante, mas todas aquelas cenas chegaram quase ao caricato. Isso tirou um pouco o foco da abordagem correta do tema, expressa nas falas do pai e da avó da Emily.
    O grande destaque do capítulo é mesmo a Sabrina, uma vilã muito bem construída. Parabéns por isso!
    Espero que o autor não me leve a mal. Eu tô gostando muito da novela.

    Curtido por 2 pessoas

  5. Um luxo desses bicho!
    Sabrina é um demônio mesmo, scrr
    Como a Emily vai conseguir provar sua inocência sendo um fantasma?

    Parabéns, ótima web e sua escrita não é cansativa de ler.

    Curtido por 1 pessoa

  6. E vamos ao #MyAnalysisTheOriginal 😛

    Capítulo curto, mas o diálogos foram otimamente bem construídos 😉

    Morto que a Gisele consegue ver a Emily, ela é médium e agora ela vai preparar o Gael para que ele consiga vê-la

    Martin também não presta, ele e Sabrina são farinha do mesmo saco!

    Os espíritos de sua família queriam buscá-la, mas ela não quis ir com eles, amei essa parte

    Sabrina fez uma armação com Leila para que o Gael ache que a Emily é uma vadia e forjou fotos comprometedoras

    Mas o destaque do capítulo foi no enterro, quando Sabrina mostrou as fotos comprometedoras de Emily para Gael, dizendo que foi um Emily que causou o acidente do pai de Gael
    Será que Gael vai acreditar?

    Parabéns, Thalles!

    Curtido por 1 pessoa

  7. OK e vamos lá.. É não vou dizer que o capitulo não foi bom pq foi, sem duvida nenhuma.. Cenas bem feitas e criativas e Sabrina mostrando que é uma vilã q vem com tudo. Porem me decepcionei um pouco com o fato da abordagem do espiritismo ficar um pouco confusa… Achei tudo muito rapido, compreendo que a trama deve ser ágil mas acredito que prejudicou um pouco. Como o fantasma de Emily pode segurar um buquê de flores? Ela nem pareceu comovida com o fato de o pai e avó estarem ali perto dela, acredito que ela amava essas pessoas mas não mostrou reação nenhuma. Entendo que ela amava muito Gael mas tipo ela tá morta e mesmo assim ainda pensa em se casar? A cena da visão da Gisele foi confusa e desnecessária principalmente a parte que o Gael sai gritando pelo nome da noiva. Ele acreditou tao rapido, em nenhum momento pensou que Gisele poderia estar delirando ou coisa do tipo. Enfim, isso é a minha opinião e posso sim estar cometendo um erro.. Rs Mas sua web tem uma lida historia e promete muito ainda. Espero que melhore no decorrer dos capítulos. Parabéns e sucesso 😇

    Curtido por 1 pessoa

  8. Mais um capítulo sensacional, não foi tão detalhista como o primeiro, mas envolvente na mesma proporção.
    Não acredito que Sabrina vai convencer Gael inventando mentiras sobre Emy!😦
    Torcendo para que Gisele seja uma ponte para que isso seja evitado.
    Parabéns!❤

    Curtir

  9. E Gisele é médium. Isso ficou claro no capítulo atual, mas no primeiro teve boas pistas. E já imagino que ela será a responsável pela a comunicação com a Emily sempre, vai ser uma ponte. E Sabrina, fazendo o Gael acreditar que Emily é a responsável pela morte de seu pai. Está claro que se trata de uma montagem na foto, ou então a história foi distorcida. Só teremos certeza quando conteúdo da foto for revelado.

    Parabéns😀

    Curtir

  10. A mediunidade da Gisele só serviu mesmo pra afastar a Emily do Gael, sofro.

    Não ficou muito claro o que a Sabrina realmente fez para pôr abaixo a boa imagem da Emily. Tive que reler a cena para entender que se tratava de uma fotografia que provava o envolvimento de Emily no acidente que matou o seu sogro. Mas ainda fica a dúvida: o registro é verídico, ou adulterado a mando da Sabrina? Saberemos melhor isso amanhã, claramentchy.

    Curtir

  11. Vou deixar minha participação, a atualização fica pro final de semana se tudo der certo, eu tô muito curioso pela trama. Parabéns!

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s