Anjos na Escuridão – Capítulo 04

CENA 01 – TÁXI – NOITE

Clarice surge na cena, dando sinal com a mão para um táxi. O veiculo estaciona e ela entra. No volante do carro, estava Maya. Que trava as portas do automóvel, gira o rosto, sorrindo maleficamente.

MAYA: Pronta para um passeio sem volta?

Clarice se assusta, pensando que é um sequestro relâmpago diz:  

CLARICE: Leva tudo, pega minha bolsa, meu celular, mas me deixa ir.

MAYA: Pra que eu vou querer isso, se o que eu quero é você.

Maya acelera com tudo.

Clarice apavorada.

CENA 02 – FUNDO DA BOATE ANACONDA – NOITE

Maya chega com o táxi aos fundos da boate. Impaciente estava Savana, que espera em frente a uma van. A porta aberta do carro mostrava três garotas amordaçadas, suas não amarradas por cordas. Todas desacordadas.

SAVANA: Maya porque tu demorou tanto? (Ela nota a presença de Clarice) Quem é essa?

MAYA: Ultimamente tu tem perguntado tanto que já to ficando cansada.

CLARICE (com medo): Quem são vocês?

Savana e Maya esnobam a pergunta de Clarice, e continuam a conversar.

SAVANA: Mas Maya…

MAYA: As vezes você esquece que quem dá as regras desse jogo sou eu. Sendo assim não tenho que justificar nada para você. (Ela estala os dedos, e os homens amarram Clarice, colocando ela dentro da van) Agora Savana, entra nesse carro. Time is money!

Vista aérea da cidade a noite.

CENA 03 – CLÍNICA CLANDESTINA – NOITE

Quatro homens de ternos entram na clínica segurando as garotas que estão desacordadas. Maya e Savana vem atrás. Elas chegam na sala onde estava Janaína.

MAYA: Janaína, vamos começa os trabalhos.

Corta para.

CENA 04 – CLÍNICA CLANDESTINA – SALA CIRÚRGICA

Deitadas sobre macas hospitalares estavam as quatro moças. Janaína já havia retirado de uma delas os órgãos, no entanto, tinha deixado o corpo aberto, mostrando as vísceras da garota. Como dose do sonífero dado a Clarice era menor, ela acaba acordando e presenciando tudo. Janaína já começava a cortar uma nova garota quando Clarice gritou. Maya que estava ali se diverte com o sofrimento da garota.

MAYA: Clarice, eu tenho uma coisa para você ver…

Clarice gira o rosto e ver aquele corpo mutilado, ela grita de pânico

MAYA: Isso pode acontecer com você, se não cooperar com a causa.

CLARICE: O que vocês querem de mim?

MAYA: Coisa simples, apenas a localização daquela sua amiguinha… A Mel, esse é o nome dela, não é?

Clarice não diz nada.

MAYA: Pelo o seu silêncio, noto que a vida da sua amiga é mais valiosa que a sua, pena que lealdade não vai lhe salvar. (Ela se levanta) Janaína, essa aqui é a próxima.

Antes que Maya saísse da sala, Clarice grita.

CLARICE(chorando): Espera, me tira daqui. Eu vou te ajudar…

Maya volta sorrindo.

MAYA: Eu gosto assim…

CORTA PARA:

CENA 05 – CLÍNICA CLANDESTINA – ESCRITÓRIO

SAVANA: Maya, que especie de brincadeira tua acha que a nossa organização é?

MAYA: Uma brincadeira milionária.

Savana com raiva vai até a porta e volta.

SAVANA (irritada): Por que tu deixou essa garota viva? Maya e se ela quiser contar para a policia.

MAYA: Eu deixei ela sobreviver, porque ela é amiga da Mel, e vai nós dizer onde ela tá. Simples assim.

SAVANA: O que? Eu não acredito no que to ouvindo. Essa tua obsessão já ta indo longe demais. A gente já ta correndo bastante perigo de ser pega. Ai tu traz essa garota para cá.

MAYA: Eu quero aquela garota morta. E não se preocupa, a Clarice não vai contar nada. Agora ela faz parte do esquema, se ela nos denunciar, ela vai também.

Savana apenas mostra indignação.  

SAVANA: Eu não aguento mais.

MAYA: Então pede para sair.

CENAS DA CIDADE\AMANHECE

CENA 06 – CLÍNICA CLANDESTINA – ÁREA DA PRISÃO.

Amanda toca nos ombros de Lua que estava dormindo.

AMANDA: Acorda Mel…

Lua começa a se debater sobre a cama.

LUA: Socorro, não me leve, não me leve… (Ela abre os olhos ver que estava tendo um pesadelo)

AMANDA: Pelo visto você não teve uma boa noite…

LUA: Não mesmo.

AMANDA: Agora se arruma, já ta na hora do café.

LUA: Eu pensei que o café vinha em nossa sela.

AMANDA: Lua, o esquema é o seguinte, aqui tu tem tratamento de luxo.(Lua sem entender nada) Eles vão cuidar para que a gente esteja sempre saudável, para quando precisarem, usar teus órgãos.

LUA: Gente, isso e horrível! Amanda, vamos achar uma maneira de fugir daqui.

AMANDA: No refeitório tu vai ver como é impossível.  

No refeitório.

O refeitório era pintado de branco, mesas espalhadas por todo o perímetro, um salão amplo. Seguranças para todos os lados, e dez garotas incluindo Lua e Amanda.  

Lua analisa o ambiente. 

AMANDA: Viu como é impossível sair daqui.

E lua ainda resistente a ideia de morrer naquele lugar

LUA: Deve ter uma maneira.

As meninas olham para a Janaína que entra no refeitório.

LUA: Quem é aquela?

AMANDA: Aquela ali é Janaína, é a responsável pelas as cirurgias. Antes de vir pra cá, eu fui doar sangue no hospital dela, depois descobri que é assim que ela consegue as garotas…

Lua se choca com as revelações.

Janaína começa a se aproximar da mesa onde está Lua e Amanda.

Os dois homens que vem junto, pegam Amanda pelo braço.

Lua não consegue aceitar que vão levar Amanda.  

LUA: Soltem ela…

Janaína começa a gargalhar.

JANAÍNA: Quem você pensa que é para dar alguma ordem aqui?

LUA: Soltem ela…

JANAÍNA: Calma, sua hora vai chegar, não precisa tentar furar a fila. Quando aparecer os compradores certos eu venho lhe pegar pessoalmente.

Janaína dá um tapinha de leve no rosto de Lua. A garota começa a ficar enfurecida com atitude da mulher, e defere um forte tapa no rosto da Janaína.

CENA 07 – NOVO ENDEREÇO DA MEL – DIA

A nova moradia de Mel era uma casa simples, sua localização desconhecida. Ao redor da mesa de jantar; Mel, Ian e Suzana tomavam chá.

SUZANA: Até que essa casa é jeitosinha, família vamos nos reunir aqui para tirarmos uma Selfie.

Ela pega um Iphone 6 plus.

IAN: Mãe, onde você arrumou esse celular?

SUZANA: A polícia me deu, falou que era para mim ta com ele  sempre em mãos.

IAN: Mãe, vamos trocar?

SUZANA: Não!(ela esboça um sorriso de leve) Agora mudando de assunto, como foi a busca pela a sua mãe, netinha?

MEL: Um desastre Vô, eu consegui os três endereços e fui neles, porém, nenhuma era a minha mãe…

SUZANA: Você falou com elas?

MEL: Não!

SUZANA: Então como é que você sabe que elas não são a sua mãe?

MEL: Vô, elas “tavam” com filhas…

SUZANA: Isso não quer dizer nada…

Ian que estava reflexivo, se pronuncia.

IAN: Filha, vamos nesses três endereços, quero falar com elas.

Corta para

CENA 08 – SEQÜÊNCIA DE CENA

1. Mel e Ian em frente a casa de Laís. Tocam a campainha, e ela abre.

IAN: Laís quanto tempo, fico feliz em te ver novamente!

Ele faz que vai abraçá-la, porém Laís desvia rapidamente, fechando a porta e levando eles para o mais longe da casa.

LAÍS (com raiva): Pois saiba Ian que eu não fico nada feliz em ver você novamente. Minha vida só evoluiu desde o dia que parei de sair contigo. E outra coisa, graças a Deus que a criança que eu estava esperando não era tua, não queria um pai fracassado para ela. Agora vá embora antes que o André chegue… Foi bom esse reencontro, queria jogar verdades na tua cara, seu cafajeste.

Mel fica pasma, Ian não consegue pensar em nenhuma resposta.

LAÍS (com raiva\grita): Vai logo!

Ian caminha em direção ao carro, junto de Mel.

2. Agora, os dois se encontram na casa de Clara. Eles dois chegam perto. Na varanda havia uma mulher de costas.

IAN (educado): Aqui é a casa da Clara, senhora?

A mulher que estava de costas, responde:

CLARA: Eu sou a Clara, Ian.

Ian se assusta ao ver o estado que está Clara.

IAN: Desculpa Clara, é que eu não te reconheci assim, na adolescência tu não era tão acabada (Mel dá um toque no seu pai, que percebe o erro cometido) Não… Desculpas… Não era isso que eu queria dizer…

CLARA: Mas já disse, Ian… Eu sei que o tempo não me favoreceu, mas isso foi tudo culpa daquela garota… (Sua voz é um misto de raiva com angústia.

IAN: Como assim? O que aconteceu com ela?

CLARA: Ela morreu no sétimo mês de gestação, só que depois eu engravidei novamente, dessa vez, a garota sobreviveu e tive que começar a trabalhar pesado…

Ela olha para a Mel.

CLARA: E quem é essa garota ao teu lado? Ainda continua querendo só pegar novinhas?

IAN (Ele demostra um sorriso tímido): Não, essa aqui é minha filha.

CLARA: Pelo menos essa tu quis assumir.

Ian fica tenso.

Corta para…

3. Ian e Mel no terro baldio.

MEL: Esse é o último endereço.

IAN: Tem certeza?

MEL: Sim…

Ian tira da jaqueta um sapatinho de lã, ele entrega para Mel.

MEL: O que é isso?

IAN: Esse único sapato foi deixado pela a sua mãe dentro da cesta que você tava, eu nunca lhe mostrei por puro medo e egoismo. Mas acho que você deve guardar como lembrança até um dia encontrarmos sua mãe…

Mel começa a chorar, Ian abraça ela.

IAN: Eu só queria saber o que aconteceu com a Maya?

4. Na boate Anaconda, Maya segurava um sapatinho idêntico aquele dado por Ian a Mel. Uma lagrima escorreu pelo o rosto de Maya. Savana e Clarice entram na sala. Savana estranha Maya segurando o sapato de lã.

SAVANA: Ta pensando em ser mãe?

Maya enxuga a lágrima que escorreu do rosto e lança um olhar de ódio para Savana.

MAYA: Não

SAVANA: Ainda bem! Acho que ninguém ia merecer ter uma mãe como você…

Clarice apenas observa aquele clima hostil.

MAYA: O que tu ta querendo? Porque me irritar tu já conseguiu

Savana começa a sorrir.

SAVANA: Eu vim lembrar você que tá na hora de vender mais um órgão…

5. Ian deixa Mel no hospital que tava Gale.

IAN: Cuidado Mel, pega esse boné para manter o disfarce, pega também esse dinheiro para tu pegar um táxi quando sair… Outra coisa, não conta para Valentina que eu deixei tu vir no hospital… Agora me dá um beijo, e pode ir.

6. Mel estava indo para o quarto de Gale, quando viu ao longe Clarice entrando ao lado de Maya e Savana, ela começa a se tremer e entra rapidamente no banheiro. As três passam e Mel começa a segui-las.

CENA 09 – HOSPITAL DOS ANJOS – SALA – DIA

As três entram na sala. No interior, havia uma mulher sentada, sua aparência era de cansada e triste. A senhora olha para as três, com vergonha diz:

SENHORA: Boa tarde senhoritas, mas eu marquei hora foi com a Doutora Janaína.

MAYA: Não se prenda a esses detalhes, todas aqui sabem do que você precisa, e estamos aqui justamente para ajudá-la… Então vai ficar com esses receios, ou vamos logo fazer um acordo?

A mulher começa a chorar.

MAYA: Eu posso imaginar a dor que você estar sentindo, seu filho em uma cama de hospital esperando alguém morrer para conseguir um coração. E a cada minuto que passa parece que vai ser o último. Porém, é justamente por isso, que nós oferecemos esses serviços…

SAVANA: Acho que você sabe que há varias maneiras de conseguir um órgão. Por exemplo, no Irã, você pode comprar um rim de alguém. Na china, eles usam os órgãos de presos que recebem a pena de morte. Já no Brasil a única maneira legal é esperando nas filas. No entanto nenhuma dessas maneiras será tão rápida e eficiente como a que oferecemos.

SAVANA: A única coisa que você precisa fazer, é pagar. Aqui a gente tem os preços das mercadorias, a taxa da cirurgia não é inclusa.

Clarice se levanta com um livro, e entrega para a mulher, que olha com nojo. Chorando ainda, ela retira a quantia de dinheiro da bolsa e entrega para Maya.

MAYA: Ótimo! Janaína já vai começar os procedimentos… Só uma observação, da mesma maneira que damos vida, a gente consegue tirar.

A câmera atravessa a parede, mostrando Mel do outro lado, escutando todo o esquema, surpresa.

Corta para.

CENA 10 – BOATE ANACONDA – DIA

Mel está agora em frente a boate Anaconda. Ela conseguiu seguir as três mulheres.

MEL: Então é aqui o esconderijo delas… Mas o que Clarice faz juntas delas?

CENAS DA CIDADE\ANOITECE

CENA 11 – BOATE ANACONDA – NOITE

A cena abre mostrando Mel, usava uma peruca preta e um óculo colorido da Ray Ban, mastigava um chiclete com a boca aberta. E tentava se enturmar com os jovens que esperavam na fila.

Lá dentro…

Mel dançava, tentando encontrar de alguma forma Clarice. É quando sente uma mão segurar seu ombro.

VOZ DESCONHECIDA: Tu acha que esconde quem essa peruca preta?

A imagem congela em Mel com medo.

valeapenaverdenovo

9 thoughts on “Anjos na Escuridão – Capítulo 04

  1. E vamos ao textão de hoje do #MyAnalysis 😛

    Na primeira cena, Maya leva Clarice

    Na segunda cena, Savana espera Maya com as garotas sequestradas, quando Maya chega com Clarice

    Não sei por que, mas essa cena do hospital, eu pensava que se passava em uma van! Morto com essa cena

    Na quinta cena, temos uma discussão de Maya e Savana, Maya se revela cada vez mais louca e Savana vai se revelando mais diva

    Amanhece…

    Na sexta cena, Lua e Amanda estão tomando café da manhã na clínica, Janaína leva Amanda, mas Lua não permite

    Na sétima cena, descobrimos o paradeiro de Mel, depois temos uma sequência de cenas, onde Ian reencontrou Laís e Clara, possíveis mães de Mel, depois descobrimos que a mãe de Mel deixou um par de sapatinhos de lã, junto com ela, depois vemos Maya com sapatinhos de lã, iguais os que a mãe de Mel, deixou com ela, Savana é direta e diz que ninguém merece uma mãe como Maya, depois Mel resolve encontrar Gale no hospital e encontra Clarice, junto com Maya e Savana e as vêem negociando um órgão e depois Mel descobre o point das traficadoras

    Na última cena, Mel vai para a boate Anaconda disfarçada, chegando lá, alguém a reconhece, quem será?
    Duvido que seja a Savana, para ela, Mel não tem importância, a não ser que fosse entregá-la para Maya, aposto ou Clarice, ou Maya
    Uma coisa que eu não entendo, por que elas só sequestram meninas?

    Parabéns, Manoel!
    Você arrasou nessa web

    Curtir

  2. Relendo a trama e constatando novamente como tudo acontece numa velocidade de guepardo. E eu realmente me choco, o grande mistério da web sempre esteve cuspido e escarrado. Mas lembro bem desse desdobramento, e me calarei. Coitada da Clarice, está sendo obrigada a se tornar cúmplice do esquema de tráfico de órgãos. Esse gancho, amo, bom ver que a trama ainda está fresca na minha memória.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s