Monólogos da Ditadura – Capítulo 6

monologos-da-ditadura%c2%b3

Cena 1 – Corredores da Base

Angelique encarava com revolta a expressão desumana de Simenio.

ANGELIQUE: Não consigo acreditar que você está dizendo isso com tamanha naturalidade.

SIMENIO: Angelique, você deve aprender que algumas vidas precisam ser sacrificadas para que outras sejam salvas.

Angelique levantou a mão para bater contra o rosto de Simenio, mas os soldados apontam suas armas contra a mulher.

SIMENIO: Pense duas vezes antes de tentar fazer alguma coisa contra isso. – Ele sorri. – Você ficando calada concordará com essas atrocidades. – Ele acaricia o rosto de Angelique. – Pobre guerreira destemida, vejo que você fracassou.

Ele vira as costas deixando Angelique arrasada, tudo o que ela pode fazer no momento era chorar, ela se via de mãos atadas, não havia nada que pudesse ser feito.

As lágrimas de Angelique foram interrompidas por Dionísio.

DIONÍSIO: Então todos nós vamos morrer, é isso?

Surpresa, Angelique limpa as lágrimas rapidamente encara com silêncio aquele homem que ela não conhecia direito, mas recordava-se vagamente de como ele tinha invadido a base com a filha morta em seus braços, uma cena que Angelique jamais esqueceria.

ANGELIQUE: Não. – Um sorriso de nervosismo escapa. – Claro que não. – Ela coloca as mãos em seus cabelos como quem tentasse arruma-los, desviava seu olhar, mas não estava conseguindo agir friamente como gostaria.

DIONÍSIO: Você precisa para-los.

ANGELIQUE: Eu não sei do que está falando, você deve ter entendido errado.

DIONÍSIO: Eu sei muito bem o que eu ouvi. – Ele segura Angelique pelos braços. – Não deixe essas pessoas morrerem, você vai ficar observando igual fez com minha filha ao vê-la morrendo em meus braços?

Angelique sofreu um choque no coração, ela sentia os dedos fortes e firmes de Dionísio segurar seus braços e um olhar de súplica lhe implorar por socorro, era o mesmo olhar perdido que ela se deparou quando o viu pela primeira vez. Era incrível como Dionísio tinha esse olhar perdido, doloroso, e mais incrível ainda era Angelique se encontrar neles, era ela se entender em meio a seu desespero, ela o entendia, e queria ser forte para enfrentar todo um governo inteiro para salvar aquelas pessoas da condenação final.

ANGELIQUE: Eu o farei. – Ela suspirou. – Eu vou salvar toda essa gente.

Os dois derrubaram lágrimas, e no impulso de sentimentos dolorosos e perdidos, Dionísio prende Angelique num forte abraço.

DIONÍSIO: Obrigado.

Eles permaneceram por mais alguns segundos no corredor, enquanto que da sala Simenio percebia todos os planos de Angelique.

SIMENIO(Pensando): Ela está fora de si, precisa ser descartada antes que coloque em perigo essa operação. – Ele fecha a porta por onde via os dois conversando e volta para sua sala sem ser percebido por Angelique e Dionísio.

 

Cena 2 – Sala de Megan (Estados Unidos)

Megan acabava por deparar-se com seu pai, que entrava sem motivo algum naquele recinto, aparentemente.

JAMES: Irei enviar um novo membro da SOTF para o Brasil.

Megan o encara revoltada.

MEGAN: Você está louco? O grupo já está formado, e para sua informação existem apenas 5 componentes da SOTF, como você explicaria um sexto membro?

JAMES: Ele será um membro de apoio apenas, não terá utilidade alguma.

Megan fica perplexa.

MEGAN: Você está ficando louco?

Nesse momento James abre a porta e Richard adentra com algumas mochilas e alguns documentos em mãos.

MEGAN: Eu quero uma explicação para isso.

JAMES: Richard é o filho do general Simenio, e ele o quer na base o quanto antes.

MEGAN: E desde quando você fala com o Simenio? Até onde eu sei, eu sou a presidente deste lugar.

JAMES: Eu não posso fazer nada, já está decidido, só vim trazer isso para seu conhecimento, agora se me der licença Richard e eu temos que sair.

James e Richard saem e Megan quebra um vaso na parede.

MEGAN: Maldito!

 

Cena 3 – Clínica da base

Taume e Margelli ajudavam a conduzir os pacientes até um caminhão, alguns iam caminhando e outros eram levados na maca, pois estavam em condições que não conseguiam mais andar sozinhos.

Taume chorava silenciosamente.

MARGELLI: Precisamos ser fortes.

TAUME: Depois que não haver mais pessoas doentes para tratar, nós duas não teremos função alguma na base. – Ela suspira. – O que vai ser de nós, Margelli?

MARGELLI: Esse não é o momento para se preocupar com isso.

E por fim, quando todos já estavam dentro do caminhão, chegou a vez de Magda ser colocada dentro do veículo. Ela estava consciente e já conseguia caminhar sozinha, Magda tinha uma marca roxa por todo o seu rosto, e seus braços tinham um tom avermelhado.

MARGELLI: Magda, o caminhão vai conduzir todos vocês até o centro clínico da Venezuela, lá vocês receberão tratamento intensivo, pois eles dispõem de equipamentos melhores que os nossos.

MAGDA: Eu preciso avisar meus amigos, preciso me despedir. – Ela chorava. – Quanto tempo eu ficarei lá? – Ela olhava com súplica. – Eu não posso ficar longe da Yumi, eu prometi que ficaria para sempre do lado dela.

MARGELLI: Serão poucos meses, não precisa se preocupar, seus familiares estão cientes do que está acontecendo, em breve vocês todos estarão juntos.

Magda suspirou um tanto quanto aliviada, mas sentia que precisava dar um abraço em Yumi, ela não entendia o motivo pelo qual aquela vontade lhe apertava o peito, parecia que ela não teria uma nova chance de abraçar Yumi, até aquele momento a menina era a mais próxima dela, a quem ela poderia chamar de irmã mais nova.

MAGDA: Tudo bem. – Ela disse sem vontade alguma, ela sentiu-se contrariada, mas iria acatar as ordens dadas a ela.

MARGELLI: Que bom.

Margelli conduz Magda até o caminhão, mas nesse momento Dionísio e Angelique chegam correndo.

ANGELIQUE: Margelli, desça todos os pacientes agora!

Margelli a encara em um tom sério e desesperador. Ela estava perdida, não sabia qual ordem acatar, ela não sabia mais quem era seu carrasco.

 

 

Cena 4 – Dormitório de Yumi

YUMI: O senhor Dionísio está demorando.

RYTHUS: Temos que esperar aqui.

YUMI: Por favor, eu estou com sede.

Yumi fez uma expressão doce e inocente, suplicando para que Rythus a acompanhasse, e ele não conseguia se negar.

RYTHUS: Você conhece esse lugar, né?

YUMI: Conheço, não vamos nos perder.

RYTHUS: Tá, mas vamos rápido, porque se o meu pai chega e não nos encontra no quarto ele vai ficar furioso comigo.

YUMI: Tá bom.

Os dois concordam e saem do quarto indo contra a ordem de Dionísio.

 

Cena 5 – Sala de descarte humano

Existiam algumas pessoas que ficavam contemplando o vidro e o que havia do outro lado. Daskvi desta vez ousou ir até a sala de descarte humano para se despedir de seu pai. As lágrimas tomaram conta de seu rosto.

DASKVI: Estou sozinho agora.

Era assim que ele se sentia, e também se sentia um peso na vida de Angelique que não merecia vê-lo sofrer tanto.

DASKVI: Pai, por que você me deixou?

Suas perguntas não tinham respostas, e suas lágrimas eram doloridas por onde caiam. Ele estava, finalmente, morto por dentro, tal qual seu pai, tal qual sua mãe.

 

Cena 6 – Dormitório de Kalebe e Jayne

Jayne e Kalebe comemoravam a vitória da primeira prova juntamente com Fernanda.

JAYNE: Faz tempo que a Taume não aparece.

FERNANDA: Ela está muito envolvida com a clínica.

KALEBE: Será que ela não está no processo seletivo?

FERNANDA: As pessoas da alta sociedade não precisam. – Ela disse. – Eu acho.

JAYNE: Alta sociedade. – Ele solta um sorriso sarcástico. – Taume é uma mulher baixa e sem escrúpulos.

FERNANDA: E porque diz isso?

JAYNE: Ela disse uma vez que meus pais deveriam estar mortos, aquela infeliz. – Ele dizia com uma entonação de raiva. – Ela disse que ninguém sobrevive além da base, e essa transferência de pacientes? Isso prova que tem como sair daqui sim!

Fernanda e Kalebe se entreolham sérios e resolvem não dizer nada.

 

Cena 7 – Sala de reunião SOTF

Os cinco estavam reunidos, todos sentados ao redor de uma mesa, um encarando o outro para então decidirem o novo processo seletivo.

BRIAN: Antes de iniciar quero dizer a vocês que um novo membro da SOTF está vindo para a base.

ULISSES: O que é isso? Virou um bordel agora? Entra e sai quem quer?

ALF: Se contenha, Ulisses.

Ulisses o olha com ódio, mas não diz nada, apenas sorri.

HORÁCIO: E de quem se trata?

BRIAN: O nome dele é Ricard, ele é filho do Simenio, o general daqui.

ULISSES: Eu sabia que tinha privilégios, mas não sei o que esse imbecil pensa que vai fazer nesse fim de mundo.

Horácio e Glay se encaram em silêncio, em seguida a reunião prossegue.

BRIAN: Vocês leram os manuais?

GLAY: Lemos.

ULISSES: Fale por você, puxa saco do chefe.

ALF: Não dá pra levar nada a sério, Ulisses?

Alf se descontrola e acaba levantando e jogando os papeis na cara de Ulisses.

ALF: É pra você ler os manuais!

Ulisses solta uma gargalhada.

ULISSES: Eu leio o que eu quiser, eu não sou obrigado a ficar lendo só porque vocês definiram que tem que ler. E aliás, estou muito ocupado com minhas atividades pessoais.

BRIAN: Não briguem.

Alf volta a sentar-se e Ulisses continua com uma expressão de riso superior a ele.

Brian encara Horácio.

BRIAN: E você, o esquisito.

HORÁCIO: Eu não consegui ler todo, mas eu me esforcei.

ULISSES: Tá aí. – Ele começa a aplaudir. – E depois eu que não faço nada aqui, esse estrangeiro nem pra fazer o trabalho dele bem feito faz.

ALF: Realmente Ulisses, isso é inaceitável. – Ele encara Horácio. – Por que você não leu?

Horácio fica sem argumentos.

ALF: É realmente um iniciante, se você e o Ulisses não leram, imagina se todos nós do grupo não lêssemos? Iriamos vir aqui e ficar de braços cruzados?

GLAY: Acho injusto a colocação que estão fazendo, afinal…

BRIAN: Pra não ficar injusto peço que o Ulisses e o Horácio se retirem, eles não vão participar da decisão da próxima prova.

ULISSES: Viu o que você fez, inútil? – Ele encara Horácio.

Em seguida Horácio e Ulisses deixam a sala, então Brian, Alf e Glay voltam a debater sobre a segunda prova.

 

Cena 8 – Dormitório

Tanea levantava-se da cama, ela estava nua, ela vai até o armário e pega algumas roupas para vestir-se, na cama Gelon ainda permanecia nu a observando, ele massageava sua barriga com um líquido semelhante a um gel, fruto do ato que ele e Tanea acabavam de consumar.

GELON: Vamos de novo?

TANEA: Já cansei, e é perigoso fazer sem camisinha.

GELON: Deixe de ser chata.

TANEA: Só fizemos isso para comemorar nossa vitória da primeira prova. – Ela sorri. – Você ainda não me contou como conseguiu a caneta.

Ele se levanta e beija sua namorada.

GELON: Eu tenho os meus segredos. – Disse ele num sorriso.

Enquanto eles se beijam um flash de memória passa pela cabeça de Gelon, ele estava passando pelos corredores quando viu uma porta de saída de emergência aberta, ao ir até lá se deparou com Magda pegando uma caneta. Ele não sofreu para conseguir roubar o objeto da mulher, mas a condenou para sempre a um destino miserável.

Enquanto isso Tanea o beijava sem nem imaginar no crime que ele havia cometido.

 

Cena 9 – Clínica da Base

Margelli permanecia encarando Angelique.

ANGELIQUE: Faça os pacientes descerem e voltarem para os respectivos leitos agora mesmo.

Antes que Margelli dissesse alguma coisa, Simenio aparece com mais meia dúzia de soldados.

SIMENIO: Então você realmente está pensando em passar por cima de minha autoridade, Angelique?

Angelique o encara com um olhar aflito, ela estava ao lado de Dionísio, e então ela toca em seu braço e sussurra em seu ouvido.

ANGELIQUE: Vá procurar um membro da SOTF.

Dionísio entendeu o recado e tentou sair da clínica, mas um dos soldados o segura pelo braço.

SIMENIO: Ninguém sai daqui até segunda ordem.

ANGELIQUE: Deixem ele passar, ele não fez nada, é a mim que você quer punir.

Simenio então faz um sinal para um de seus soldados e então ele solta Dionísio que sai correndo pelos corredores.

Simenio saca seu revólver e aponta para Angelique.

SIMENIO: Agora que Margelli não tem mais funções, ela vai assumir como administradora, e você vai seguir com os enfermos até a Venezuela.

Ele dispara dois tiros contra Angelique, seu corpo é arremessado até os pés de Magda que solta um grito de horror.

SIMENIO: Margelli, coloque-as dentro do caminhão, sua missão está completa.

Margelli começa a chorar, ela se agacha até o corpo de Angelique, ela não poderia aceitar a morte de sua líder, não daquela forma, ela estava trêmula e quando tocou o braço de Angelique até sua alma ficou arrepiada, ela ainda vivia, quem sabe, seus últimos momentos.

Enquanto isso Magda aguardava sob a mira de um revólver, ou ela entrava no caminhão, ou seria aniquilada da mesma maneira.

 

Cena 10 – Corredor da Base

Dionísio correu por todos os lados e não encontrava nenhum membro do grupo da SOTF, ele estava desesperado, sua atitude então era voltar para clínica para ver como estava Angelique e impedir que Magda entrasse naquele caminhão que a levaria para a morte eminente.

Mais alguns metros a frente ele viu Ulisses e Horácio.

ULISSES: Sua culpa. – Ele reclamava.

HORÁCIO: Por quanto tempo você vai ficar cobrando algo de mim que nem mesmo você é capaz de fazer?

Antes que Ulisses pudesse responder, Dionísio chega ofegante.

DIONÍSIO: Me ajudem!

ULISSES: Um mendigo, mereço.

HORÁCIO: O  que houve?

DIONÍSIO: Por favor.

ULISSES: Olha aqui traste, responda as perguntas que te fazem! – Ele empurra Dionísio no chão.

DIONÍSIO: Vocês precisam salvar os pacientes! – Ele começa a chorar. – Todos eles vão ser assassinados brutalmente!

A expressão de Ulisses e Horácio muda completamente em questão de segundos.

ULISSES: Do que você está falando?

DIONÍSIO: O Simenio, só vocês podem impedi-lo.

Monólogo de Ulisses

Ver a morte de perto pode contar um ponto a mais no currículo de qualquer pessoa, isso pode servir como aprendizagem ou como forma de conhecimento da própria vida. Disse a mim mesmo que quando esse dia chegasse eu não temeria, mas sinto-me receoso, essas pessoas imundas que devemos salvar, elas realmente merecem ser salvas?

 

 

CONTINUA…

55 thoughts on “Monólogos da Ditadura – Capítulo 6

  1. Nn estou conseguindo me atualizar por conta da reta final no colégio, mas tipo, sei do seu potencial e do potencial de sua trama, Hivan. Parabéns! 😉

    Curtir

  2. Ah cena do Gelon❤ Angelique morta brutalmente, não esperava😦 , será que é a mudança para o Ulisses amadurecer? No aguardo, amei o capitulo, Gelon❤

    Curtir

  3. E vamos ao #MyAnalysis:

    O maldito do Simenio quer descartar a Angelique 😠
    Alguém pode por favor dar na cara da Megan, ela é desumana demais (e dar na cara do Simenio também)
    Que o Richard não seja ruim que nem o Simenio, please
    Fiquei com pena da Margelli e da Taume, terem que descartar os doentes vivos, nossa
    Já fiquei com raiva desse Gelon, quase deixou a Magda morrer
    Também tô com ódio do Ulisses, xingou o Horácio e ainda tratou o Dionísio como um mendigo
    Mas o destaque do capítulo foi o Simenio dando dois tiros na Angelique e o Dionísio pedindo para o Horácio e o Ulisses salvarem os doentes, será que o Ulisses vai mudar?

    O capítulo de hoje me fez sentir bastante raiva de alguns personagens
    Mas o capítulo tá divino 😉
    Parabéns, Hivan!

    Curtir

    • Simenio quer descartar todos que se meterem no caminho dele
      Eu sempre me surpreendo com o destaque da Megan
      E todos torcemos que Richard seja uma boa pessoa
      Elas tiveram que fazer uma dificil escolha
      Gelon é um homem que faz de tudo para passar nas provas
      Será que depois disso tudo o Ulisses vai mudar?

      Muito obrigado, que bom que está gostando, realmente as vezes ficamos com raiva de alguns personagens, mas continue acompanhando.

      Curtir

  4. Então, existe uma criatura humanizada escondida dentro do Ulisses… bom, que o Horácio vai tentar ajudar o Dionísio, isso eu tenho certeza, mas será que o Ulisses amoleceu o suficiente para ir junto? Afinal, eles são membros da SOTF, ao menos teoricamente eles têm mais autoridade que o Simenio e podem passar por cima dele.

    Daskvi agora está sozinho. Sua protetora foi morta pelo Simenio. Também, Angelique foi inconsequente, não acredito que ela tentou montar uma operação daquele porte sem proteção alguma. Ela praticamente pediu pra morrer nas mãos do Simenio.

    Agora não teremos mais SOTF, e sim SOTS, afinal a cúpula agora é formada por seis pessoas. Pelo menos em teoria, o Richard não vai fazer nada na trama, mas estou curioso para saber o potencial escondido nesse figurante.

    Enfim, a última ponta solta foi consertada. Gelon nos foi apresentado. Se a Magda morrer, a culpa vai ser o Gelon, ele foi o responsável pela tentativa de assassinato da Magda, foi ele quem a prendeu no campo de descarte humano e depois a espancou para roubar-lhe a caneta.

    Curtir

    • Para ser bem sincero, o Ulisses tanto como personagem, quanto inspiração que tenho para cria-lo, é muito complexo pra mim, eu acredito sim, que no fundo, bem no fundo, existe algo humano nele, e as atitudes que ele comete servem como uma valvula de escape de alguma coisa bem mais séria, talvez ele seja mimado demais, e passar por essas atrocidades o faça cair na real, apenas talvez. (e sim, a SOTF tem mais autoridade que o Simenio)

      Angelique foi inconsequente, mas lutou até o fim pelo o que ela acreditava, ela ainda não está morta, mas acredito que parte de seus esforços tenham morrido nesse capítulo.

      E do que será capaz o Richard? E não estava nos planos trazê-lo para a trama, mas confesso que fiquei muito atraído em desenvolver esse personagem, que me parece muito misterioso.

      E realmente, Gelon era para ter sido apresentado no capítulo anterior, mas por falta de tempo mesmo, e na correria acabei por apresenta-lo nesse capítulo. Espero que goste do desenrolar dos capítulos.

      Muito obrigado.

      Curtir

  5. Então, existe uma criatura humanizada escondida dentro do Ulisses… bom, que o Horácio vai tentar ajudar o Dionísio, isso eu tenho certeza, mas será que o Ulisses amoleceu o suficiente para ir junto? Afinal, eles são membros da SOTF, ao menos teoricamente eles têm mais autoridade que o Simenio e podem passar por cima dele.

    Daskvi agora está sozinho. Sua protetora foi morta pelo Simenio. Também, Angelique foi inconsequente, não acredito que ela tentou montar uma operação daquele porte sem proteção alguma. Ela praticamente pediu pra morrer nas mãos do Simenio.

    Agora não teremos mais SOTF, e sim SOTS, afinal a cúpula agora é formada por seis pessoas. Pelo menos em teoria, o Richard não vai fazer nada na trama, mas estou curioso para saber o potencial escondido nesse figurante.

    Enfim, a última ponta solta foi consertada. Gelon nos foi apresentado. Se a Magda morrer, a culpa vai ser o Gelon, ele foi o responsável pela tentativa de assassinato da Magda, foi ele quem a prendeu no campo de descarte humano e depois a espancou para roubar-lhe a caneta.

    Parabéns pelo capítulo de hoje, amigo!
    #.😀❤😛

    Curtir

  6. Trama boa. Cenas bem detalhadas, parece que eu estou lá. Muito bom, certamente lerei os outros 5 capítulos que não li.
    Parabéns! Estou curioso pra saber o que aconteceu antes do capítulo de hoje. Parece ser excelente.

    Curtir

  7. Simplesmente chocado!! Não acredito que a Angelique, e agora que o Daskvi perdeu o pai, a mãe e agora a Angelique, não lhe resta mais nada, o que de pior pode acontecer na vida desse pobre rapaz? O que? Ulisses concerteza é o destaque da web, foi muito bem criado, e o Simenio o mais sinistro. Capitulo imperdivel, parabéns Hivan e infelizmente meu comentario não valerá ponto, o dia de hoje foi muito movimentado e eu não tive tempo, parabens por essa incrivel web Hivan.

    Curtir

    • Angelique continuará conosco, ainda não sei por quanto tempo, mas adianto que será diferente para ela (e o Daskvi). Ulisses é um personagem muito complexo, realmente é um personagem que eu me empenho bastante para desenvolver, ele tem uma personalidade muito forte, e difícil de lidar. Já Simenio é um homem se sentimento humanos, é um homem cruel.
      E não tem problema, eu agradeço por ter lido e gostado do capítulo, muito obrigado😀

      Curtir

  8. Acho que esse capítulo tem três pontos a serem considerados como destaques: a revelação de quem agrediu Magda, a possível morte de Angelique e um lado humano de Ulisses aparecendo.

    Não tenho nenhuma opinião formada para o Richard, não por enquanto, mas sendo filho de quem é…

    Gelon, lembrei de gelo, talvez seu nome explique tanta frieza e falta de humanidade dele para com uma outra pessoa, falta de humanidade e honestidade, né.

    E essa possível morte de Angelique? Tomara que esses dois tiros não tenha mesmo tirado a vida dela. Já estava shippando ela e Dionísio…

    Ulisses parece ter algum sentimento além de amor próprio excessivo, pena que em seu monólogo deu pra perceber as suas reais intenções se realmente ajudar Dionísio.

    Bom capítulo Hivan, Parabéns!

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s