Cadeia Sem Grades – Capítulo 03

Cena 1: Campana/ Praia, Dia

Taís continua caminhando, sentindo a brisa fresca em seu rosto. Ela avista um homem, sentado na areia, cabisbaixo e visivelmente triste. Ela vai até ele, e lhe toca o ombro.

Taís: Você está bem? Posso ajudar?

O homem se vira, e se revela ser Paulino. Ele se surpreende com aquela voz, que surgira atrás de si. Eles se olham, e  ambos ficam se encarando, sem saber o que dizer. 

O homem permanece em silêncio.

Taís: Você ouviu o que eu disse?

Paulino se assusta com aquelas palavras, como se estivesse despertado de um transe.

Paulino: Eu não entendi. O que a senhorita disse?

Taís: Eu perguntei se você está bem. Eu te vi tão abatido…

Paulino: De fato, eu não estou bem. Acho que isso está praticamente escrito na minha testa.

Taís: E o senhor precisa de ajuda?

Paulino: Não… O meu problema, só o tempo pode resolver. Ou talvez nem ele.

Taís compreende e novamente se instaura um silêncio entre eles, até que Paulino se levanta da areia e quebra o silêncio.

Paulino: Com licença, eu vou embora. Preciso encarar esse problema.

Antes que Taís pudesse dizer algo, Paulino se vira e sai caminhando. Ela o observa por um tempo. Após, ela se senta na areia e observa a ondas do mar.

Cena 2: Rio de Janeiro/ Hotel/ Quarto de Anderson e Alana, Dia

Alana está dormindo numa cama, ao redor é perceptível um quarto de luxo. Ela se acorda, e olha para o lado, procurando algo.

Alana: Anderson? Cadê você meu amor?

Ela se levanta da cama, procurando o amante. Ela se vira para trás e o avista, com uma garrafa de vinho e duas taças em mãos.

Anderson: Chegamos tão cansados, que nem comemoramos. E precisamos celebrar esse momento.

Alana: Que ótima ideia. Temos mesmo que comemorar, a nossa maravilhosa vida. Vai, me serve logo esse vinho para começar o meu dia.

Ele lhe entrega uma taça, e despeja o líquido da garrafa nele. Após, ele enche a sua própria taça. Ambos erguem o recipiente com o vinho para um brinde.

Anderson: Um brinde, à nossa vida de luxo e riqueza.

Alana: Um brinde ao palerma do Paulino, que nos proporcionou tudo isso!

Eles gargalham do comentário irônico dela. Após, eles brindam e bebem o líquido. Anderson pousa sua taça sobre um móvel e se senta na cama.

Anderson: Alana, meu amor, precisamos conversar.

Ela se senta ao lado dele, e também pousa sua taça no móvel.

Alana: Fale, querido.

Anderson: Eu quero ter acesso a sua conta bancária.

Alana: Como? Por quê? Não há necessidade de você ter acesso à minha conta.

Anderson: Por que, Alana? A sua negação significa que você não confia em mim. É isso?

Ele se levanta e a encara.

Alana: Eu só acho desnecessário. Agora para com esse assunto chato e vamos ao que interessa.

Ela sorri maliciosamente e puxa Anderson pelo braço. Ele cai na cama, em cima dela. Eles se beijam. 

Cena 3: Campana/ Mansão de Paulino/ Quarto de Vanessa, Dia

Vanessa está sentada no chão, brincando com algumas bonecas. Porém, a sua expressão demonstra tristeza. Ouve-se uma batida na porta, que se abre, e Paulino adentra, indo até ela.

Paulino: Olá filha, como está?

Vanessa: Triste… Cadê a mamãe, pai? Eu não vi ela hoje!

Paulino suspira e senta ao lado da filha.

Paulino: É exatamente sobre isso que quero falar com você, Vanessa.

Vanessa: Aconteceu alguma coisa? Eu estou preocupada!

Paulino: É que… A sua mãe… – ele procura as palavras certas, mas não consegue encontrá-las – Meu Deus, como é que vou explicar isso?

Vanessa: Explicar o quê, pai? Fale logo de uma vez!

Paulino: A Alana… A Alana se mudou.

Vanessa: Como assim? O senhor quer dizer que a minha mãe foi embora? É isso?

Paulino, sem saber ao certo o que dizer, apenas balança a cabeça, confirmando.

Vanessa: Ela nos abandonou, pai?

Novamente, Paulino confirma balançando a cabeça. As lágrimas já brotavam em seus olhos, assim como brotava nos olhos de Vanessa.

Paulino: Ela foi embora ontem à noite.

Vanessa (chorando): Por que ela fez isso? Ela foi embora e nem se despediu de mim…

Paulino sofre ao ver sua filha chorando, e tenta segurar as suas lágrimas, para não piorar a situação.

Vanessa (chorando): Será que ela não gosta de mim? Eu sempre tentei ser uma boa filha para ela, mas parece que ela me odeia. Ela nos abandonou e nem se importou comigo…

Paulino não aguenta e deixa as lágrimas rolarem, o sofrimento de sua filha era demais para ele. Ele abraça Vanessa.

Paulino: Oh, minha filha, não se preocupe. Vai ficar tudo bem.

Vanessa chora nos braços do pai, que a consola.

Cena 4: Campana/ Mansão de Paulino/ Sala de Estar, Dia

Paulino desce as escadas, e encontra sua família, sentada no sofá. O seu pai, Olavo, um homem já de idade e com cabelos grisalhos, está sentado ao lado de sua mãe, a elegante Odete, que também já era de idade, mas com os cabelos ainda negros, havia poucos fios grisalhos; e o seu irmão caçula, Rodolfo, está sentado no sofá do lado oposto. Paulino vai até eles.

Paulino (surpreso):  Vocês estão aqui, não sabia que tinham chegado.

Olavo: Acabamos de chegar, a empregada nos atendeu e pediu para esperá-lo. 

Odete: Viemos para saber como você está, meu filho. Viemos assim que soubemos o que a gigolete da sua esposa fez.

Paulino: Eu estou indo. Pior do que eu, está a Vanessa. Coitadinha, acabei de falar com ela, está arrasada.

Rodolfo: Mas porque a Alana fez isso, meu irmão? Ela parecia amar tanto a família que tinha…

Paulino: Era tudo fingimento, meu irmão. Ela só estava interessada no meu dinheiro.

Olavo: Eu não esperava isso da Alana.

Odete: Eu nunca simpatizei com essa moça. Eu conheço esse tipinho de mulher.

Rodolfo: Eu me preocupo com a Vanessa. É só uma criança!

Paulino: A Vanessa está muito abatida, espero que ela se recupere logo.

Odete: Alana fez meu filho e minha neta sofrerem! Se a justiça for feita, essa mulher ainda vai ficar na sarjeta!

Paulino: Eu só quero esquecer que a Alana existe, e a única coisa que me liga a ela, é a Vanessa. Aliás, eu preciso de uns dias de férias da tecelagem, pai, quero ficar mais tempo com minha filha, e também tirar uns dias para mim mesmo. Tudo bem?

Olavo: É claro meu filho, quanto tempo precisar.

Paulino sorri para o pai e começa outro assunto com a família, mas o som é abafado.

Cena 5: Campana/ Hotel Campana Palace/ Quarto de Taís, Dia

Taís está sentada na cama, com um jornal em mãos; ela lê atentamente os classificados de emprego. Sua concentração é interrompida quando alguém bate na porta, e uma voz feminina é ouvida, vindo do lado de fora.

Voz feminina: Serviço de quarto!

Taís se levanta, vai até a porta, e a abre. Ela se depara com uma moça jovem, de pele negra, e muito bonita.

Taís: Olá, pode entrar.

Moça: Com licença.

A moça entra, carregando o seu material de limpeza. Um esfregão acaba caindo no chão quando ela arrasta o carrinho com os materiais. Taís pega e a jovem se envergonha.

Moça: Mil desculpas, senhora.

Taís: Mas você não fez nada de errado. E não me chame de senhora, por favor.

Taís sorri, mas a camareira permanece envergonhada.

Taís: Deixe de vergonha, menina. Eu não sou desse tipo que você está pensando. Pelo contrário. O meu nome é Taís, qual é o seu?

Moça: O meu nome é Lucília. É que tem alguns hóspedes aqui, que mesmo sendo pobres, gostam de se sentir superiores por estarem sendo servidos. A senhora – ela faz uma pausa – digo, você, é uma exceção.

Taís: É, eu sei como é… Prazer te conhecer, Lucília. Sou nova na cidade, não conheço ninguém ainda.

Lucília: O prazer foi todo meu, Taís. Você é muito simpática.

Elas apertam as mãos, e sorriem.

Cena 6: Passagem de Tempo

Ao som de N – Nando Reis, dois dias se passam, e nesse tempo, Taís tenta um emprego como empregada doméstica em uma casa, mas não consegue a vaga. Paulino coloca um anúncio no jornal, abrindo vaga de emprego para babá, pois agora Vanessa não tinha alguém para cuidá-la em tempo integral. Anderson continua insistindo para Alana lhe dar acesso a sua conta bancária, mas ela permanece resistente. Taís e Lucília se aproximam.

Cena 7: Campana/ Hotel Campana Palace/ Quarto de Taís, Noite

Taís está sentada na cama, comendo biscoitos. Em suas mãos, há um novo jornal. Ela novamente lê os classificados. Ela fixa em um, e para de comer.

Taís: Essa é a oportunidade perfeita! Babá… e o local é à poucos minutos daqui. Eu preciso conseguir esse emprego. Amanhã bem cedo estarei lá para a entrevista, tenho que ser a primeira a chegar, e conquistar a vaga!

Ela coloca o jornal sobre o criado-mudo, e volta a comer os biscoitos.

Cena 8: Rio de Janeiro/ Hotel/ Quarto de Anderson e Alana, Noite

Anderson e Alana estão sentado à mesa, jantando.

Anderson: Alana, precisamos conversar.

Alana: Ah não, Anderson. Sempre que você diz isso, me vem com aquele assunto da minha conta bancária.

Anderson: É exatamente sobre isso que quero falar. Eu exijo que você me dê acesso a ela!

Alana: Como assim, você exige? Você acha que tem poder sobre mim, Anderson? Se ponha no seu lugar!

Anderson: Eu só quero uma prova de amor sua por mim, Alana. Eu quero confiança. Mas já percebi que isso, eu não tenho de você… Eu vou embora.

Ele se levanta da mesa e caminha até o armário de roupas. Alana vai atrás dele.

Alana: O que você vai fazer?

 

Anderson: Eu vou embora  ele tira uma mala de viagens do armário, e a joga sobre a cama – Se você não cofia em mim, não tem sentido eu continuar vivendo do seu lado.

Alana: Mas eu confio em você, Anderson. Eu te amo. E você sabe disso!

Anderson para de arrumar a mala que estava fazendo e se vira para Alana.

Anderson: Então prove o que você diz, Alana! Me dê acesso a sua conta! Ou eu vou embora!

Alana reluta em tomar aquela decisão, mas ela não queria perder Anderson.

Alana: Tudo bem, eu faço o que você está pedindo… Mas só porque eu te amo!

Eles sorriem um para o outro e Anderson a abraça. Pelas costas de Alana, Anderson abre um sorriso maquiavélico.

Cena 9: Imagens Aleatórias

Ao som de Love me Again – John Newman, amanhece.

Cena 10: Campana/ Mansão de Paulino/ Escritório, Dia

Paulino está sentado em sua mesa, lendo alguns papéis. Alguém bate na porta.

Paulino: Pode entrar.

A porta se abre e a empregada da casa adentra.

Solange: Com licença, senhor. Tem uma pessoa esperando que o senhor a receba.

Paulino: Mas é sobre o quê, a essa hora da manhã?

Solange: É uma moça, ela veio tentar a vaga de babá.

Paulino: Mas já? Nossa, que bom. Pode mandá-la entrar.

A funcionária se retira do escritório. Logo depois, uma mulher entra, e se reconhece que é Taís. Paulino está de cabeça baixa, lendo os papéis. Taís se aproxima da mesa.

Taís: Com licença… bom dia!

Paulino (ainda lendo): Bom dia.

Ele levanta a sua cabeça em direção a moça. Quando os seus olhares se cruzam, eles se reconhecem.

Paulino e Taís: Você?

Ambos sorriem um para o outro, e nenhum dos dois sabem o motivo, pois mal se conheciam. Mas sorriem.

A imagem congela no rosto sorridente de Taís, em um tom amarelado. Aos poucos, a sombra de uma grade se forma sobre a mulher.

Anúncios

37 thoughts on “Cadeia Sem Grades – Capítulo 03

  1. O capítulo está bem morno, mas acima de tudo, está excelente! Algumas cenas deixaram a desejar e isso é fato. A cena em que mais me decepcionei, foi a que Paulino revela á Vanessa que Alana havia abandonado eles, a cena não tinha emoção alguma, me frustrei severamente com essa sequencia. Taís e Paulino exalam química e eles mostraram força, conquistando o meu coração.
    Mas, o verdadeiro chamariz foi Alana, ela que já se destaca desde o início , continua mostrando força, a dobradinha com Anderson está ótima. A trama está bem previsivel, pois, já sabemos que Alana ficará na sarjeta, que Taís vai se unir ainda mais com Paulino através de seu emprego e que Dário descobrirá de alguma forma que Taís está trabalhando pra Paulino. Espero que o autor prepare muitas reviravoltas para me surpreender. Enfim, a trama ainda mostra força.

    Curtido por 1 pessoa

    • O capítulo está com um ritmo mais ameno, reconheço. Porém é normal, não dá pra entregar todos os trunfos da trama tão rapidamente… E também dediquei o capítulo de hoje para a entrada de novos personagens.
      Desculpe se a cena a não te agradou… A intenção era mostrar o sofrimento de Vanessa, e Paulino tentando ser forte para poder segurar a barra. Mas enfim, não dá para agradar à todos, passo longe da perfeição e críticas também são bem-vindas, desde que sejam construtivas, obviamente.

      A trama, por enquanto, está desenvolvendo o que foi apresentado​ na sinopse, então é claro, que os leitores já tem noção do que está por vir. Mas como qualquer trama, Cadeia sem Grades ainda vai chegar no seu clímax, vai ter a reviravolta vital para o seu andamento.

      Obrigado.

      Curtir

  2. Jean, eu juro que eu vou te bater com a audiência de Geração Brasil.
    Mas mudando de assunto, parabéns pelo capitulo, apesar de ser o mais fraco e sem graça dos três até o momento. Já to quase shippando….Ja Shippei Talino sim e se reclamar eu shippo cada vez mais. Bjs de Luz amado

    Curtido por 1 pessoa

    • Mas gente?

      Quis dedicar esse capítulo para entrada dos novos personagens, e o desenvolvimento da da estória de Alana com Anderson, e Paulino com Taís de forma decente. Logo tudo isso deslancha. É pra shippar mesmo, adoro.

      Obrigado, Muuza 😀

      Curtir

  3. Olha eu li os anteriores mas não comentei (desculpe),de todos esse foi o que menos gostei.Mas estava Excelente!
    Eu shippo #Talino sim.
    Pela expressão de Anderson já da para se saber o que pretende ele.Lucília finalmente apareceu.A cena da revelação de Paulino para Vanessa não mexeu muito comigo.E só esperando o tombo de Alana #rainhaever #melhorantagonista vai ser incrível!!!! E cadê o amado do Dário?Qual será sua reação ao saber que Taís fugiu dele?Jean você está indo muito bem no horário nobre!!Bjs amore.

    Curtido por 1 pessoa

    • Risos, o tombo da Alana está bem próximo. O retorno de Dário também, está muito próximo.

      Fico feliz que tenha gostado, espero que continue acompanhando. Obrigado, Gabriel 😀

      Curtir

  4. Eu estou gostando dos rumos dessa história. É bem redondinha e folhetinesca. Acho que depois de tantas histórias inovadoras o blog precisava de algo mais clássico – e isso está fazendo com que eu ame essa história.
    Como eu suspeitava, Anderson aparentemente vai dar o golpe em Alana; senti faíscas saírem dos corações de Paulino e Taís, mas algo me preocupa nessa história: e quando o marido da Taís voltar? E quando ele descobrir? Tem muita coisa para acontecer nessa história ainda!
    Parabéns Jean! Parabéns mesmo!

    Curtido por 1 pessoa

    • Quis criar uma trama enxuta, redonda, e folhetinesca. A web tem os clichês clássicos de um folhetim, e fico contente que isso agrade.
      O retorno de Dário vai ser um empecilho no relacionamento de Paulino e Taís, claramente. Como você disse, ainda tem muito para acontecer.

      Obrigado, Leonel 😀

      Curtir

  5. Bem, sobre o capítulo anterior, o foco se voltou bastante para Alana, que me simpatizou e já estou adorando ela, a rainha. Porém o que ela fez é imperdoável, abandonar a própria filha e o marido, gente, que horror. E o destino pregando uma peça em Paulino e Taís, fazendo com que eles se aproximem, dois sofredores, vdd. E no capítulo de hoje vemos os dois mais uma vez se encontrando. Alana pelo visto vai levar um golpe de Anderson por amor e já imagino que depois de ficar pobre de novo, ela vai atrás de Paulino, claramente. E quero a rainha se vingando de Anderson se ele a roubar 😛 Você tá conduzindo muito bem a trama, Jean, continue assim e sucesso!

    Curtido por 1 pessoa

    • Alana rainha, mesmo tendo feito algo tão cruel e frio, conquistou os leitores. Paulino e Taís, uns sofredores desses. Felizmente reencontrarão a felicidade juntos.

      Adoro, Thay. Obrigado 😀

      Curtir

  6. Como é o destino, né? Taís e Paulino formam um casal clássico de folhetins clássicos. Dois personagens que se completam por demais. Alana confiando muito em Anderson. Mesmo com uma pulguinha atrás da orelha, ela resolveu dar a ele acesso a sua conta bancária. Agora ela vai sofrer o que Paulino sofreu, amo. Cena emocionante essa da Vanessa e Paulino. Tem gente, vulgo SamuWho, que está exigindo demais de certas coisas. Uma pessoa que vai no Google encontrar palavras difíceis para tentar “enriquecer” seu comentário não merece um pingo de atenção se quer. Mas como autor, sei que devemos ouvir certas críticas, mesmo sendo de seres insignificante. Ganchão!!!! 😮

    Parabéns, amigo! 😉 Ansioso pelo desenrolar.

    Curtido por 1 pessoa

    • Alana vai descobrir que o mundo dá voltas, risos. Aguardemos o desenrolar.
      Sobre a cena do Paulino com a Vanessa: Não dá para agradar à todos, e só vi uma crítica a respeito da cena, então não acho que tenha ficado desastroso. Escrevi com minha emoção e dedicação, não podia garantir que todos gostariam. Críticas sempre terão, e desde que não sejam​ totalmente descabidas, estarei respondendo com meus argumentos.

      Obrigado, amigo 😀

      Curtir

  7. E quem foi que conseguiu arrumar um emprego após tanta existencia? Claramente Taís é batalhadora ( depois desse reencontro obviamene ela estar com a vaga garantida).
    Anderson conseguiu o que queria, e agora fugira com a grana suja de Alana, essa certamente voltará para atrapalhar o pré-romance de Paulino e Taís.
    Parabéns Jean, a qualidade continua a mesma dos capítulos anteriores.

    Curtido por 1 pessoa

    • Taís foi tentar a vaga. Será que ela consegue? Anderson conseguiu o que queria, após muita insistência. Esses desdobramentos ocorrem no próximo capítulo, não perca.

      Obrigado, Vitor 😀

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s