Cadeia Sem Grades – Capítulo 04

Cena 1: Campana/ Mansão de Paulino/ Escritório, Dia

Paulino está de cabeça baixa, lendo os papéis. Taís se aproxima da mesa.

Taís: Com licença… Bom dia!

Paulino (ainda lendo): Bom dia.

Ele levanta a sua cabeça em direção a moça. Quando os seus olhares se cruzam, eles se reconhecem.

Paulino e Taís: Você?

Ambos sorriem um para o outro, e nenhum dos dois sabem o motivo, pois mal se conheciam. Mas sorriem. Eles permanecem assim, até que Taís quebra o silêncio.

Tais: Eu não esperava te encontrar novamente. Mal nos falamos naquele dia… Mas enfim, eu vim aqui para tentar a vaga como babá!

Paulino: O nosso encontro na praia foi relâmpago, é muito bom te reencontrar… E eu sei, vamos iniciar a entrevista. Mas antes, precisamos nos apresentar, não acha?

Taís ri, constatando que eles ainda não haviam se apresentado.

Taís: Nossa, até me esqueci… Eu me chamo Taís, muito prazer.

Ela estende a sua mão, e Paulino estende a sua, a apertando.

Paulino: Eu me chamo Paulino, muito prazer Taís – ele faz um gesto com a mão, em direção a cadeira do outro lado da sua mesa – sente-se,  por favor. Vamos iniciar a entrevista.

Taís se senta e Paulino começa a falar. Ela escuta atentamente e responde as perguntas. Porém, o som é abafado.

Cena 2: Rio de Janeiro/ Hotel/ Quarto de Anderson e Alana/ Dia

O foco é na porta do quarto. De repente, ela se abre e Anderson adentra, assoviando, transbordando felicidade na sua expressão. Ele carrega uma maleta embaixo do braço, e caminha até a cama, onde se senta. Ele abre a maleta, que se revela estar cheia de dinheiro.

Anderson: Ai Alana, como você é tola… fica fazendo compras o dia inteiro, tempo suficiente para mim limpar sua conta bancária e ir embora do país – ele ri e pega algumas cédulas nas mãos, as levando ao nariz – Hum… Cheiro de riqueza!

Ele ri e vai até o armário. Ele abre e retira uma mala de viagens de lá de dentro, e a coloca sobre a cama.

Anderson: E vou embora logo, não posso correr o risco da Alana me flagrar…

Ele abre a mala e começa a retirar suas roupas do armário, as colocando dentro da grande bolsa.

Cena 3: Campana/ Mansão de Paulino/ Escritório, Dia

Paulino e Taís continuam sentados, frente a frente.

Taís (ansiosa): Então, seu Paulino? Gostou de mim? Vou ser contratada?

Paulino: Olha Taís, gostei muito de você sim. Simpática, disposta ao trabalho… Resumindo: sim, por enquanto, se considere contratada.

Taís: “Por enquanto”? Como assim, é temporário?

Paulino: Não, só vamos fazer uma experiência antes de oficializar a contratação. Quero ver como você vai se sair com a Vanessa.

Taís: Claro, tudo bem. E onde está a Vanessa?

Paulino: No seu quarto. Vem comigo, vou levá-la até lá para conhecê-la. Mas não se esqueça do que eu falei: Ela está muito frágil.

Taís: Ela deve estar muito abalada com o que a mãe dela fez. Eu mesma ainda estou chocada com essa história que o senhor me contou. Não se preocupe, vou ter cuidado com ela.

Paulino: Ótimo. Então, podemos ir?

Taís balança a cabeça positivamente e sai do escritório, acompanhada de Paulino. 

Cena 4: Campana/ Mansão de Paulino/ Quarto de Vanessa, Dia

Paulino abre a porta e adentra, junto com Taís. Vanessa está sentada na cama, com uma boneca. A menina está triste, desanimada, e nem faz questão de olhar quem entrara no quarto.

Paulino: Filha? Tenho alguém para te apresentar.

Vanessa levanta a sua cabeça em direção ao pai e avista ele, e também Taís.

Vanessa: Quem é, pai?

Paulino: Essa é Taís. Sua babá.

Vanessa: Babá? Mas o que é isso?

Paulino: A Taís vai cuidar de você, Vanessa. Eu trabalho, e não posso te deixar sozinha em casa. A Taís vai tomar conta de você, enquanto eu estiver fora.

Taís: Eu vou cuidar de você, brincar com você… Vou estar sempre do seu lado, Vanessa!

Vanessa reflete por um momento sobre o que ouvira, e balança a cabeça, em reprovação.

Vanessa: Não! Vocês querem substituir minha mãe! E eu não quero que troquem a minha mãe, ela é única!

Vanessa se levanta da cama e sai correndo do quarto, abraçada com sua boneca.

Paulino: Vanessa! Vanessa, volte aqui!

Ele faz menção de ir atrás dela, mas Taís segura seu braço.

Taís: Por favor, seu Paulino. Deixe que eu falo com ela, tudo bem?

Paulino olha para Taís e após pensar por alguns segundos, concorda.

Cena 5: Campana/ Mansão de Paulino/ Sala de Estar/ Dia

Taís desce as escadas e avista Vanessa sentada no sofá, chorando. Ela vai até e menina, e se senta ao seu lado.

Vanessa (chorando): O que você quer?

Taís: Precisamos conversar. Você me interpretou de forma errada.

Vanessa (chorando): Você quer substituir a minha mãe!

Taís: Não! Jamais farei isso, nem tenho a intenção.

Vanessa (chorando): Mas você vai fazer tudo o que a minha a mãe fazia!

Taís: Mas eu não sou ela, e isso que importa. Eu serei apenas a sua babá. O posto de sua mãe, nunca será meu. Não se preocupe.

Vanessa olha para Taís, que seca suas lágrimas com um dedo.

Taís: Nós podemos ser grandes amigas, Vanessa. Basta você querer… Amigas?

Taís estende a mão para Vanessa, que a olha por alguns segundos. Até que a menina baixa a guarda e sorri timidamente, pegando na mão de Taís e apertando.

Vanessa: Tudo bem. Amigas.

Taís: E será que você me daria um abraço?

Vanessa novamente olha desconfiada para Taís, que está com os braços abertos. Mas a menina cede novamente e abraça a babá, e ambas sorriem. No alto da escada, Paulino observa a cena, encantado com a delicadeza de Taís com sua filha, e encantado com a própria Taís.

Cena 6: Campana/ Hotel Campana Palace/ Entrada, Dia

Rodolfo caminha na rua razoavelmente movimentada. Ele passa na frente do Hotel. Ele avista mais adiante, uma bela moça negra, carregando várias sacolas de lixo, com certa dificuldade. Ele continua caminhando, e vê a moça deixando algumas sacolas caírem no chão. Rodolfo, que já estava próximo, caminha mais apressadamente, e alcança a mulher. Se reconhece ser Lucília, a camareira do hotel. Ela se agacha para pegar os sacos do chão, mas Rodolfo a impede, tocando em seu ombro.

Rodolfo: Espera. Deixe eu te ajudar.

Lucília olha para rapaz, surpresa diante de tal atitude.

Lucília: Não, senhor. Não precisa. Mas obrigada, de qualquer forma.

Rodolfo: Primeiramente, não me chame de senhor. Pareço velho? – ele ri, enquanto Lucília se mostra envergonhada – E precisa sim, eu vi como a senhorita estava com dificuldade com as sacolas.

A moça olha para o rapaz, durante alguns segundos, pensativa.

Lucília: Tudo bem, vou aceitar sua ajuda. Essas sacolas, estão realmente pesadas.

Ambos pegam os sacos plásticos do chão, e andam em direção a lixeira. Eles depositam o lixo na grande lata, e se viram um para o outro.

Lucília: Muito obrigada. O senhor é muito simpático!

Rodolfo: Eu já pedi: Não me chame de senhor. Por favor.

Lucília: Tudo bem , me desculpa. – se corrigindo – Você, é muito simpático.

Rodolfo (rindo): Muito melhor assim… Estamos conversando, mas ainda não nos apresentamos. Daria a honra de revelar-me o seu nome, bela senhorita?

Lucília: Só se você me revelar o seu, cavalheiro.

Rodolfo: Me chamo Rodolfo.

Lucília: E eu, Lucília. Muito prazer, Rodolfo.

Lucília estende a sua mão, para apertar a de Rodolfo. Mas ele a surpreende e beija sua mão.

Rodolfo: O prazer é todo meu, Lucília.

Eles sorriem um para o outro.

Lucília: Eu adoraria continuar essa conversa, mas tenho que voltar ao trabalho.

Rodolfo: Trabalho bem pesado para uma moça delicada como você, diga-se.

Lucília: Está bem enganado ao meu respeito, estou longe de ser delicada. Esse é meu trabalho, estou acostumada. E preciso mesmo ir. Foi um prazer te conhecer, Rodolfo.

Rodolfo: O prazer foi todo meu. Espero te encontrar novamente, Lucília.

Ela sorri timidamente e se vira, indo em direção ao hotel. Rodolfo observa a moça, admirando sua beleza.

Cena 7: Rio de Janeiro/ Hotel/ Quarto de Anderson e Alana, Dia

A porta do quarto se abre e Alana entra, com várias sacolas de compras nas mãos.

Alana: Anderson, meu amor. Cheguei!

Ela continua caminhando e se depara com o armário aberto e revirado. Ela coloca as sacolas sobre a cama.

Alana: Mas que bagunça é essa aqui? Anderson?

Ela caminha pelo quarto, e avista um pedaço de papel sobre a mesa. Ela vai até lá, pega o papel que tinha algo escrito, e o lê. 

Anderson/ Narração: Alana, meu amor. Muito obrigado. Muito obrigado por ter me dado de presente o acesso a sua conta bancária. Saiba que todo aquele dinheiro, está em boas mãos. Em minhas mãos. E espero que você consiga pagar o hotel. De coração, eu espero. Até nunca mais, sua tola!

Alana joga o bilhete para longe e grita, desesperada.

Alana: Não! Ele não pode ter feito isso comigo! Não é possível. Meu Deus, eu confiei nele! Eu amei ele, e o desgraçado faz isso comigo?! Eu não acredito que perdi todo o meu dinheiro! – esbravejando – Maldição!

Alana pega um vaso em cima da mesa, e se prepara para lançá-lo na parede, mas recua.

Alana: Eu não posso fazer isso. Minha conta nesse hotel só vai aumentar e eu não posso desperdiçar o pouco dinheiro que me restou. Nem um vaso eu posso quebrar, para extravasar meu ódio!

Ela devolve o objeto de decoração à mesa e se ajoelha no chão. Alana chora, diante da reviravolta em sua vida.

Cena 8: Imagens Aleatórias

Ao som de Sorte No Amor – Fernanda Takai e Andy Summers, vários pontos turísticos do Rio de Janeiro e Campana são mostrados rapidamente. Pessoas caminham nas ruas, carros trafegam. E por fim, anoitece.

Cena 9: Campana/ Hotel Campana Palace/ Entrada, Noite

Taís adentra o hotel e se depara com Lucília saindo. O hotel estava com pouco movimento.

Taís: Lucília! Boa noite!

Lucília: Boa noite, Taís!

Taís: Está de saída?

Lucília: Sim, meu expediente acabou. Vou para casa.

Taís: Antes de ir, me acompanha até a praça? Preciso conversar, desabafar. E você é a pessoa mais próxima que eu tenho de amiga nessa cidade.

Lucília: Claro, vai ser ótimo. Eu também quero conversar um pouco. Eu te escuto, você me escuta.

Taís: Então vamos.

Elas saem do local, conversando.

Cena 10: Campana/ Praça, Noite

Taís e Lucília estão sentadas no banco, ambas tomam sorvete.

Taís: E enfim, eu consegui o emprego. Vai ser difícil. A menina que eu vou cuidar acabou de passar por um trauma, a mãe a abandonou e ela está muito frágil. Mas com o tempo nossa relação deve melhorar. E meu patrão é muito sensível e carinhoso, ama aquela filha. Tenho certeza que ele vai ajudar a garota a se adaptar comigo.

Lucília: Hum… esse patrão é realmente especial, hein? Você precisava ver como seus olhos brilharam quando falou dele!

Taís: Deixe de bobagem. Ele é um homem lindo, simpático, carinhoso… Mas meu patrão, e apenas isso! Agora vamos falar de você. Como foi seu dia?

Lucília: O mesmo de sempre. A única novidade foi um moço simpático que me ajudou.

Taís: Moço simpático? Que interessante, conta mais! 

Lucília: Ele só me ajudou com algumas sacolas de lixo, foi cavalheiro. Nada disso que você está pensando. Ele é um homem bonito, elegante… Com certeza é rico. E ainda é branco, nem tem cabimento essa sua insinuação.

Taís: E o que tem isso? Ele ser rico e branco não muda nada. Você é linda, Lucília!

Lucília: E pobre e negra. O preconceito existe, a sociedade é assim. A cor da pele e a condição financeira pode mudar tudo. Mas chega desse assunto chato, me fale mais sobre você, Taís. De onde você veio?

Taís: Eu venho do Rio de Janeiro.

Lucília: E por que veio para Campana? O Rio de Janeiro é uma cidade que tem muito mais oportunidades.

Taís olha para Lucília, receosa em dizer sobre o motivo dela ter ido para Campana.

Lucília: Você não quer contar? Eu entendo, nem tudo deve ser dito…

Taís: Não, eu não tenho motivos para esconder isso de você. Eu vim para Campana fugida. Eu era casada, com um monstro – lágrimas começam a brotar em seus olhos, só de se lembrar de Dário – Ele me batia, me humilhava, por qualquer motivo. Eu não podia fazer nada da minha vida, só as tarefas domésticas. Até que eu resolvi me livrar dessa vida infeliz. Peguei todo o dinheiro que eu tinha, e fugi. Eu morava perto de uma estação ferroviária, na zona leste, o que facilitou a fuga. E aqui, estou recomeçando.

Lucília: Nossa, que história horrível! Eu nem consigo imaginar tudo isso que você passou… Eu sinto muito, Taís.

Taís tenta conter as lágrimas e Lucília a abraça, comovida com a história.

Cena 11; Campana/ Rua, Noite

Após a conversa com Taís, Lucília está indo embora para sua casa. Ela caminha apressada pela rua, pouco iluminada. Lucília tem a sensação de estar sendo seguida, e se vira para trás, desconfiada. Mas não vê ninguém. Ela se vira novamente e se assusta com um homem parado em sua frente, olhando para ela e lhe apontando uma faca.

Homem: Passa a bolsa, mocinha!

Lucília olha para o homem, e diante daquela situação, se desespera.

Cena 12: Rio de Janeiro/ Casa de Dário e Taís/ Sala de Estar, Noite

A porta de entrada se abre, e um homem adentra, com uma mala nas mãos. É Dário.

Dário: Taís, minha querida. Voltei!

Dário sorri, mas não obtém resposta e o mesmo se desmancha. Ele joga a mala no sofá e passa os dedos num criado-mudo, e observa que os móveis da casa estavam empoeirados.

Dário: Taís, onde você está?

Ele a procura pelos cômodos da casa, sem sucesso. Dário chega no quarto do casal e vê o armário de roupas aberto e bagunçado. Ele observa que as roupas de Taís não estão lá. A possibilidade dela ter ido embora lhe vem a cabeça.

Dário: Não, não é possível! A Taís não faria isso… Ela me ama! 

Dário se aproxima do armário, e observa um espaço vazio.

Dário: Tinha uma mala aqui! Mas ela também sumiu… Não é possível… A Taís foi embora! Ela me abandonou!

Após essa dedução, Dário se desespera e solta um grito estridente. Furioso, ele chuta com força um móvel.

A imagem congela no rosto enfurecido de Dário, em um tom amarelado. Aos poucos, a sombra de uma grade se forma sobre o homem.

Anúncios

48 thoughts on “Cadeia Sem Grades – Capítulo 04

  1. Mais um capítulo morno, Taís enfim conseguiu o emprego e se aproximou de Paulino, Alana foi abandonada na rua da amargura e Lucília conheceu Rodrigo, ao qual viverá uma linda história de amor (SQÑ). O grande Clímax do capítulo foi a última cena, onde Dário descobre que Taís fugira, ali sim, foi o forte do capítulo.
    Suponho que o capítulo só serviu para realçar o brilho do casal (Talino-ambos tem química). Espero capítulos mais eletrizantes. Sinto falta da energia do início e acho que os leitores também estão esperando uma chacoalhada na história.
    O capítulo estava bom, nem horrível, nem maravilhoso, apenas mediano.
    Parabéns ao autor

    Curtido por 1 pessoa

    • Taís conseguiu o emprego, Anderson roubou Alana e foi embora, Rodolfo e Lucília se conheceram ( e sim, vão viver uma linda história de amor), Lucília terminou o capítulo vítima de um assalto, e Dário voltou e descobriu que Taís fugiu… Acho que teve acontecimentos suficientes para rechear o capítulo. Eu não sei o que teve no início que não está tendo agora, sinceramente, o ritmo segue praticamente o mesmo.

      Não sei o que você esperava da trama, se você leu a sinopse percebeu que se trata de uma web simples e romântica. Não imprimi um ritmo frenético, mas mantive um bom ritmo no decorrer dos capítulos (alguns com mais acontecimentos que outros, óbvio). Talvez você esperasse por uma web com ares policiais, cheia de perseguições, mistérios, mortes e afins… Mas Cadeia sem Grades, apesar de ter seus momentos de maior tensão, é apenas um romance. E uma estória de amor não se constrói da noite pro dia. Quis focar os capítulos iniciais no desenvolvimento (decente) dos casais da trama, mas nem por isso deixei a trama cair na monotonia, e acontecimentos sempre terão. E ainda estamos no início da web, a primeira semana nem terminou ainda…

      Obrigado.

      Curtir

      • Esse garoto tá tentando desmerecer sua web, amigo. Mas não se deixe levar pela opinião negativa de uma única pessoa não.

        Curtir

      • Aceito críticas também, não é a primeira vez que recebo e não será a última. Porém, nesse caso, tenho argumentos para rebater e assim será. Não dá para agradar à todos​. Quem não gostar, a solução é bem simples: Pare de ler.

        Curtir

  2. E segura o comentário gigante, vamos fazendo…

    CAP. 01 *

    E sofrendo por não ter conseguido ler na estreia direitinho como planejava, mas, Jean, sério, esse começo da semana foi uma correria que só Jesus na causa, e ainda está sendo, sofro demais. Já vou falando que simplesmente amei a trama, já sabia que a primeira cena seria apenas a única a mostrar um amor avassalador de Taís e Dárimu, pois aquele amor da cena inicial seria desmanchado em pouco tempo, e ele se mostraria um canalha. Assim foi, logo na segunda cena Dárimu se mostrou um crápula nojento e que merece sumir do mapa… Onde já se viu ousar em encostar um dedo sequer na rainha Taís? E que se ferre.
    Enfim, o primeiro capítulo foi super focado na mocinha que sofre horrores após o casamento dos sonhos ir por água abaixo, e em pouquíssimas cenas e num capítulo de estreia super curto, ela planeja sua fuga da casa onde vive com o canalha do marido enquanto ele faz uma viagem, e realmente consegue fazer com que o que foi planejado por ela dê certo, até chegar na estação e dar de cara com Darimu. “Meu mundo caiu…”. Ótimo gancho!

    CAP. 02 *
    E minha agonia felizmente durou bem pouco. Já descubro que o nojento não viu Taís entrando no trem para embarcar e dar fim naquela vida miserável que levava ao lado de Darimu. Enfim, mocinha conseguiu escapar ilesa é maravilhosa, amoooo! Bom, esse capítulo foi bem focado na antagonista da trama, a Alana. Eu amo vilãs, não dá pra odiar todas, e Alana me conquistou, realmente dar o pé no marido rico assim que conseguiu juntar uma boa grana foi a melhor coisa que ela fez, que pisão na Carminha que viveu anos e anos no Divino e não juntou grana na conta particular do banco pra fugir com Max, uma acomodada. Mas acho que Alana deveria apenas dar no pé sem deixar claro a víbora que ela é, morro que até a Vanessa ela despreza… E terminamos o capítulo com Taís, que já está bem refugiada (amo), passeando pela praia e encontrando Paulino, chorando pela outra e seu golpe… Pode entrar, casal principal/oficial de Cadeia sem Grades.
    CAP. 03 *
    Esses capítulos curtos são tão gostosinhos, amo de paixão. Bom, começamos com Paulino dizendo pra Taís que realmente não está bem. Um clima bonito entre os dois rolou, adoramos? Paulino estragou tudo quando levantou e foi embora sem mais nem menos, sem nem um abraço (antecipado nem um pouco). Agora, estou apenas suspeitando demais (e achando estranho), o Darimu não ter aparecido até agora, me dê cenas dele chegando da viagem e descobrindo que Taís o deixou. Pagando pra ver a reação dele, já quebrando os vasos de flores e etc, porque agora n tem mais ngm para o servir, risosss. E morro com Anderson querendo dar um golpe na golpista da Alana, grito. É… o feitiço sempre vira contra o feiticeiro. A feiticeira, no caso. Vamos ver no que isso vai dar. Essa sequência promete, veremos no que vai dar. Ai me deu uma peninha da Vanessa, ver ela chorando partiu meu coração, e Paulino todo perdido sem saber se explicar… Alana, me ajuda a te defender, mas largar a filha e odiar ela foi demais pra mim. E bom, terminamos o terceirão com Taís indo tentar vaga de babá numa mansão e dando de cara com Paulino, seu futuro patrão. Gancho muito bom, veremos a surpresa dela.
    CAP. 04 *

    Vou ler ainda, preciso de um tempo a mais, e espero que me entenda ❤

    Bem, querido Jean, aqui vai as minhas considerações finais… A trama é muuuuuuito gostosa de se ler, leitura com agilidade e sem pressa, o que é uma qualidade imensa. Até agora consegui torcer mesmo pela Taís e ela não me decepcionou. Paulino tbm. Não achei ele aquele mocinho dormente, o que é um ponto positivo pra trama. E a Alana promete demais… será uma virada e tanta quando Anderson dar um golpe nela e roubar todo o seu dinheiro, porque pelo visto é o que vai acontecer. Enfim, só não li o capítulo quatro porque estou com o olho pequeno de tanto sono, e minha correria não permite. Desculpas por não conseguir deixar meu pontinho nos capítulos anteriores, mas é que não parava quieto em casa, Jê… Saudades das nossas conversas!

    Bom, só posso desejar parabéns pela trama de qualidade, qualquer leitor percebe o quão talentoso você é e que tens uma história linda em mãos pra contar!

    Desculpa o comentário grandão, hem, hahaha.

    Curtido por 1 pessoa

    • Entendo perfeitamente sua situação, minha vida também tá meio corrida, e a partir de semana que vem só piora. Taís pensou que se casaria e viveria feliz ao lado de Dário até o fim de sua vida… Mas foi tombada, sofro.

      Felizmente, Taís conseguiu escapar e fugiu do marido. O melhor seria Alana ter ido embora sem despejar tudo o que ela sente para o Paulino, mas ela não planejava voltar ali nunca mais, então disse tudo e mais um pouco.

      Morte que já queria Paulino e Taís se abraçando sem nem se conhecerem. Mas em breve, eles farão mais do que abraçar, risos. Sobre o Dário: Sugiro que leia o capítulo 4 😛 Alana é uma péssima mãe, né nom? Logo se vê que ela não tem paciência para cuidar de criança, e apenas suportava fazer isso com a Vanessa.

      E aguardarei sua análise do próximo capítulo, um pedido seu será atendido :*

      Fico lisonjeado com todo esse texto, espero que eu consiga conduzir a trama com competência daqui pra frente. Te entendo totalmente, sei como sua vida tá corrida, mas espero que consiga tirar um tempinho pra ler a web. Sobre as nossas conversas, precisamos bater no pv assim que sobrar um tempo, né nom?

      Fico feliz que tenha gostado, saiba que adoro comentários grandes, é muito importante pra mim. Obrigado, Gui ❤

      Curtir

  3. Gente, que lacre migo! Adorei Alana sendo deixada sem nenhum centavo da sua “fortuna”, se laiou. #Ludolfo #KEROO . Vanessa e Taís começando uma amizade e dando mais força para #Talino. E que gancho maravilhoso com o Dário revoltado ao descobrir que sua ” amada” esposa fugiu dele, o que será que nos aguarda? Jean, você me aprisionou! ☺

    Curtido por 1 pessoa

  4. Taís e Paulino se encontram novamente e ela é contratada como babá. Anderson rouba Alana e foge. A vilã descobre que foi roubada e fica enfurecida. Taís se aproxima de Vanessa. Rodolfo e Lucília se conhecem. Taís e Lucília conversam sobre suas vidas. Lucília é abordada por um ladrão. Dário retorna à sua casa e nota a ausência da esposa, deduzindo que ela fugiu.

    Não li a sinopse, então qualquer coisa que acontecer é novidade pra mim. Lucília e Rodolfo farão parte do núcleo paralelo? Depois de descobrir ter sido roubada, Alana com certeza vai tentar se reaproximar de Paulino. Resta saber se ele vai querer isso. E já aguardo Alana infernizando a vida de Taís 😈 Dário também parece que vai atrás de Taís e não vai deixar nada barato o que ela fez. Parabéns amigo.

    Curtido por 1 pessoa

    • Rodolfo e Lucília são os únicos personagens com trama paralela a principal, mas os dois são muito ligados ao núcleo central, e terão importância nele. Dário é obcecado pela Taís, claramente vai atrás dela e ainda vai perturbar muito a vida da mocinha.

      Obrigado, amigo :*

      Curtir

  5. Capítulo 3
    Vanessa descobre que foi abandonada pela mãe, coitada… Alana, amo, rainha. Pena que perderá tudo pro Anderson por burrice. Infelizmente, ne… Mas já quero ela dando a volta por cima e dando um game over no Anderson. Lucília e novos personagens entraram na trama, amo. Estou shippando muito TALINO sim ❤

    Capítulo 4
    Gente, que capítulo foi esse? c-h-o-c-a-d-o com tudo! E ainda tem gente que diz que o capítulo foi parado e sem acontecimentos… Coragem, né? Tem que ter coragem! Anderson rouba Alana, que se enfurece. Tais e Vanessa conversa e Vanessa acaba cedendo a Tais, deixando-a ser sua amiga. Vanessa passou a emoção em cena, muito boa. Rodolfo e Lucília tem um química, apenas em uma cena conseguimos sentir. Tais e Lucília formam uma bela amizade. Lucília é assaltada, coitada, gente… Dario volta e descobre que Tais fugiu! Gente, essa cena transmitiu tão bem o ódio do Dario, que eu fiquei com o brinco na mão lendo ela.

    O que mais me encanta na web, é acima de tudo, o sentimento puro que os personagens sabem criar entre sí. Nos conseguimos sentir os laços que eles criam, ou a química que eles tem, apenas pela leitura. E isso, é muito satisfatório. Parabéns, Jean 😀 ❤

    Curtido por 1 pessoa

    • Capítulo 3

      Alana perderá tudo pro Anderson por amor, na verdade. Ela confiou nele, mas o tombo virá. E Talino sendo muito bem aceito, amooo.

      Capítulo 4

      Eu sofro sabe, mas vamo fazê o quê? Adoro que consegui transmitir a veracidade da cena, Dário realmente ficou desesperado, revoltado.

      Amo, fico contente com isso, passar veracidade na relação dos personagens entre si é algo fundamental, e parece que estou conseguindo fazer isso. Obrigado, Flávio ❤

      Curtir

  6. Taís é um doce de pessoa. Simpática, carinhosa… Tem tudo pra ser uma mãezona pra Vanessa, pois é assim que quero, risos. Linda a atitude dela em explicar para a menina que a vaga de Alana não será preenchida (Por enquanto). ❤ Falando em Alana, que decepção ela teve, hein? Eu adorei! Agora os trilhos a ligam de volta para Paulino. Será que ela tem a cara de pau em voltar? Não duvido nada. Lucília e Rodolfo tiveram seu primeiro encontro juntos. 😍 Espero que esse cavalheiro salve a mocinha da situação final ali. Dário descobriu que Taís fugiu!!! 😮 SOCORRO!

    E mais um capítulo lacrante para o desespero das vagabundas sem talento, amo. Parabéns, meu bem! ❤

    Curtido por 1 pessoa

    • Taís já conquistou seu espaço. Vanessa começou a simpatizar com ela, e Paulino já está todo encantado. A virada na vida de Alana aconteceu, agora ela vai sofrer um pouquinho também. Dário voltou para a trama… e em breve, volta para a vida de Taís.

      E morte com a alfinetada, apenas sentir. Obrigado, Fredinho ❤

      Curtir

  7. Excelente capitulo, o melhor até aqui.
    Covenhamos, a cena da Alana querendo, mas não podendo quebrar o vaso foi a melhor.
    Capitulo cheio de acontecimentos, Dario reapareceu, Alana foi chutada para escanteio, e agora essa com a Lucilia, o que será que vai acontecer com ela?
    Parabéns Jean, capitulo show.

    Curtido por 1 pessoa

    • Morro, nem um vaso Alana pode quebrar mais. Seria cômico, se não fosse trágico 😛 O desdobramento do assalto à Lucília será no capítulo 5, que vai ao ar logo mais.

      Obrigado, Vitor 😀

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s