Segredos da Paixão – Capítulo 02

SEGUNDO CAPÍTULO

 

Cena 1

MADRUGADA, Quarto, Escuro

Em um quarto escuro, aos poucos a imagem de um rosto vai ficando nítida, se aproximando pouco a pouco, percebe-se de quem se trata, Guilherme. Ele faz cara de dor e prazer ao mesmo tempo. Segurando em sua cintura, a mão de alguém, ao subir, se vê o braço forte de um homem. Ele segura forte na cintura de Guilherme, com movimentos de vai e vem. Guilherme vira o rosto na cama, apertando a fronha. O homem em cima dele geme, cheio de tesão. Não demora e ele goza! Nesse momento, deita sobre as costas de Guilherme, com o rosto em foco percebe-se que é Diego.

 

Guilherme abre os olhos de uma vez só! Aparentemente assustado, olha para o lado, no quarto escuro, ele está sozinho na cama. Tudo não passou de um sonho.

 

Cena 2

MADRUGADA, Porão escuro.

Lorena está vestindo seu pijama preferido, ela carrega uma vela acesa em suas mãos e desce as escadas lentamente. Era como se a chama da vela existisse para poder guia-la em meio a escuridão como se a energia elétrica tivesse acabado, ou ela simplesmente não queria acordar os vizinhos naquela hora da madrugada.

LORENA: Queira me desculpar, quase esqueci de trazer sua água.

Ela solta um pequeno pote de água no chão, a claridade da vela não é capaz de iluminar quase nada em sua frente, deixando uma lacuna para que a imaginação criasse a existência de algo sombrio e perigoso naquele local.

Lorena vira as costas e deixa o porão logo em seguida.

 

Cena 3

MANHÃ, Mansão, interior

A empregada serve o café para Dorival. O homem está sentado à ponta direita da mesa, sozinho. Logo surge Diego, se acomodando em seu lugar.

DIEGO: Bom dia, pai!

DORIVAL: Bom dia! – Virando a xícara de café na boca.

Sandra vai até Diego e se dispõe a servi-lo.

DIEGO: Não precisa se incomodar, Sandra, eu mesmo me sirvo, você sabe disso…

Dorival observa a atitude do filho e intervém.

DORIVAL: Para de querer atrapalhar o trabalho da empregada, se ela tá aqui é justamente para nos servir! – A mulher fica sem reação.

Diego é totalmente contra o raciocínio do pai.

DIEGO: Mas não há necessidade dela me servir, ainda mais quando as coisas estão na minha frente. Sou bom de saúde, forte, bonitão, não é “Sandrinha”? – A mulher continua sem reação – Então nesse caso eu dispenso!

DORIVAL: Tá vendo, Sandra? Hoje para ele, você é dispensável. Acho que vou mandar você embora! – Ironiza.

DIEGO: Não foi isso que eu disse! E se o senhor mandar ela embora, eu vou junto! Sabe que a tenho como mãe, desde que minha mãe foi embora. Ela que me faz companhia, nessa casa solitária.

Diego levanta, e deixa o pai sozinho no café. Sandra de pé atrás do patrão escuta tudo calada.

DORIVAL: Desde que a adúltera da mãe foi embora, ele te vê como mãe, muito forte. Você não acha Sandra? – A mulher desconcertada gagueja ao responder.

SANDRA: Não leve em consideração o que ele diz se-senhor. Ele apenas sente falta da mãe.

DORIVAL (com raiva): Claro que não vou levar em consideração! Você é empregada! Como que poderia se sentir mãe do meu filho? Mas é certo que mulher nenhuma merecerá minha confiança novamente! – Sandra se abstém.

O homem levanta e sai da sala de jantar. O foco vai distanciando de Sandra aos poucos.

 

Cena 4

MANHÃ, escola, sala de aula

Atravessando a porta de entrada da sala Diego é observado por Guilherme. Ele passa pelos de mais colegas da classe até que chega perto do amigo e por fim, senta-se na cadeira de sempre, ao lado dele.

DIEGO: Fala! – cumprimenta, aparentemente desanimado.

Guilherme percebe e questiona.

GUILHERME: Qual foi mano? Tá na “bad” hoje? 

Diego passa a mão na cabeça e faz que sim.

DIEGO: Pois é mano… Antes de sair de casa, discuti com o coroa. O velho acha que pode desrespeitar todo mundo. Desde que minha mãe deixou a gente, ele mudou total com todos! Fiquei com raiva porque o velho tratou mal a Sandra.

GUILHERME: “Pô” mano, é lamentável! Mas fazer o quê… – Disse meio nervoso, a lembrança do sonho que teve noite passada o deixa sem jeito para encarar o amigo.

A professora entra na sala e de imediato os dois param de conversar.

 

Cena 5

MANHÃ, Hipermercado Líder, interno.

No vasto vazio dos corredores da loja caminhando em direção aos caixas, Rose chega perto de uma funcionária.

ROSE: E aí, nada desse povo vir comprar?

MULHER: É, Dona Rose, tá “pegando” a situação. Porque já abrimos a mais de 2 horas e o movimento tá muito fraco.

ROSE: Esse velho caduco inventa de ter um hipermercado numa cidade pequena, que ainda por cima é próxima de outra cidade, com mais variedades. Eu só temo que possamos perder nosso emprego.

MULHER: Você não perde muito. Agora eu, ah, eu fico toda “fudida” se sair daqui – Rose a olha em tom de desaprovação por causa do palavrão.

ROSE: Vê se fala baixo. E deixa de falar besteira… Bom deixa eu ir, preciso trabalhar – Ela segue corredor adentro e no meio do caminho encontra com outra funcionária do local, Ivete, sua amiga.

IVETE: E então, o que me diz desse movimento? – Rose responde com desapontamento.

ROSE: Muito fraco! Esse mês tem tudo para bater recorde negativo em vendas.

IVETE: Nossa! Nem quero imaginar a cara do velho com tudo isso… – Rose também concorda. As duas, agora, seguem o mesmo rumo, enquanto a imagem vai distanciado.

 

Cena 6

MANHÃ, escola, interior, intervalo

Num dos corredores da escola, Gaby e Lorena, acompanhadas de um jovem, estão conversando. O rapaz está de costas para o caminho em direção a eles para quem vem da direita. Gaby olha por cima dos ombros do garoto junto delas e vê Guilherme e Diego indo a seu encontro. Ela acena para eles.

GABY: Gente lá vem o Gui e o Diego!

Arthur, porém apelidado de “Agatha” que é o rapaz junto das meninas vira-se para olhar.

AGATHA: Nossa, gente! Lá vem os meus “bofe preferido! Se referindo a Guilherme e Diego.

GABY: “Viado”! Tira os olhos do meu gato!

AGATHA: Querida, pode ficar! Não gosto de macho acorrentado! Quero aquele gostoso do Diego que vive na pista. Não sou mulher de dividir! – As garotas começam a rir.

GUILHERME: E aí meninas?

Gaby nem espera e se joga nos braços dele o abraçando.

AGATHA: E aí, “Gui” – Olhando para Gaby com olhar irônico – Tudo bem, gata? Quer dizer gato! É que eu me confundo! – Diz, rindo.

GUILHERME: Tá tudo certo! Gata!

AGATHA: Gata? Aí! Não disse mais que a verdade! E você Diego, meu querido porque tá calado? Conta aqui pra nós.

DIEGO: Não te interessa, viado! Não vem com frescura que hoje eu não tô no clima! – Agatha e todos tomam um susto com a reação dele.

AGATHA: Desculpa, “bofe”! Então, manas, tô indo! Depois a gente se fala. Tchau!

Lorena aproveita pra dizer que vai com ele, mas antes que ela saia, Gaby a segura pelo braço.

GABY: Preciso de sua ajuda…

A feição de Gaby mudou completamente, ela estava pálida e imediatamente Guilherme e Diego percebem.

DIEGO: O que aconteceu?

GUILHERME: Você está bem?

GABY: Deve ser algo que comi. – Ela esforça-se para manter-se pega de mãos dada com Lorena. – Vai ficar tudo bem.

Rapidamente Gaby e Lorena deixam o local e vão para o banheiro.

 

Cena 7

MANHÃ, Escola, banheiro, interior, intervalo.

Assim que as duas chegam no banheiro, Gaby corre para o sanitário, ela chorava enquanto Lorena aguardava apreensiva do outro lado.

LORENA: Ai amiga, pensei que esses surtos tinham parado de acontecer, você tá tomando os remédios que eu te falei?

GABY: Nada mais adianta, nem absorventes…

Lorena olha para baixo e percebe que tinha sangue escorrendo por baixo da porta.

LORENA: Gaby, abre essa porta! – Ela bate apreensiva.

A porta se abre e Lorena vê Gaby agachada com as calças até o calcanhar enquanto sua vagina gotejava sangue.

LORENA: Ai amiga…

Gaby começa a chorar desesperadamente enquanto cobre o rosto com as mãos.

LORENA: Eu preciso levar você ao médico.

GABY: Não, isso nunca! – Ela se desespera. – Eu ficarei bem.

LORENA: Mas isso é sério, várias mulheres já morreram por causa disso.

GABY: Por favor. – Ela implorava enquanto chorava. – Eu ficarei bem eu prometo, mas ninguém pode saber que eu abortei.

Lorena abraça Gaby ali agachada no canto do banheiro.

LORENA: Eu não contarei pra ninguém, mas se isso continuar teremos que fazer alguma coisa, promete?

GABY: Prometo.

Gaby tentava evitar mostrar sua feição de extrema dor que sentia em seu ventre, com a ajuda de Lorena ela consegue se levantar, o sangramento aparentemente havia cessado.

LORENA: Vamos limpar isso aqui, depois te dou um dos meus absorventes e ai de você não tomar todos os remédios.

Gaby apenas concordava acenando a cabeça.

 

 

Cena 8

TARDE, Hipermercado Líder, sala de Dorival

O homem está sentado em frente a sua mesa. Analisando alguns papéis, logo alguém bate na porta, ele autoriza a entrada. Rose se põe para dentro da sala.

DORIVAL: O que há? – Pergunta com expressão fechada.

ROSE: Bom, está aqui o relatório de vendas do mês passado. Tivemos uma queda de 27% em relação ao mês anterior.

Dorival: É impressionante como você só me traz notícia ruim, quando atravessa essa porta! Não sei onde estava com a cabeça quando resolvi colocar uma mulher na área comercial.

ROSE: Senhor, eu sou apenas responsável por apresentar os números, balanços e avaliar a parte do Marketing da loja. Porém a aprovação dos projetos parte sempre de você. E sou sua opção mais “barata”.

DORIVAL: Não te perguntei nada! Agora saia!

ROSE: Com licença.

O homem olha a mulher se virar e deixar a sala. Ao fechar a porta, ele joga todos os papéis e utensílios de cima da mesa no chão.

A imagem foca no rosto enfurecido dele.

Porém, instantes depois, ele tira o celular do bolso e faz uma ligação.

DORIVAL: Alô? Reservem minha suíte de sempre. Hoje eu quero uma “puta” diferente da semana passada! – Após finalizar, ele vai até a porta de sua sala, do lado externo, Ivete, sua secretária, está no posto de trabalho. O homem a chama. – Ivete, entre na minha sala e coloque tudo no lugar!

A funcionária rapidamente acata a ordem e vai até lá arrumar a bagunça deixada por ele, enquanto Dorival sai.

 

Cena 9

NOITE, prédio, quarto de Guilherme

Guilherme está deitado em sua cama. O jovem se mostra nervoso ao ter várias lembranças invadindo sua mente.

GUILHERME: Eu não quero mais pensar nisso! Eu não sou assim…

Um flash de um homem o puxando pelo braço, tortura os pensamentos dele. Nas imagens, que vem e vão, Guilherme e puxado contra a vontade, porém é arrastado.

As lembranças acabam quando o celular dele começa a tocar. Ele olha o visor para ver quem estava ligando e prefere não atender.

 

Cena 10

NOITE, Mansão, interior de um carro.

Diego está com o celular na escuta, porém ao perceber que ninguém atende, solta o aparelho no banco do passageiro. Ele liga o carro e engrena a ré, depois faz um giro de 180° graus.

O portão abre e o carro sai da mansão em direção a rua. Após fazer a curva, o veículo segue reto.

 

Cena 11

NOITE, prédio, quarto de Guilherme

Guilherme não consegue conter os pensamentos. A todo momento vem a imagem de Diego em sua mente, ao mesmo tempo em que vem a impressão de estar em um carro sem conseguir identificar quem mais está ali com ele. Nos devaneios, o jovem se entrega em alguns instantes, porém em outros tenta negar o desejo.

GUILHERME: Eu não aguento mais isso!

Rose, abre a porta do quarto assustada.

ROSE: O que tá acontecendo aqui Guilherme? – Ao ver a mãe o jovem fica com mais raiva.

GUILHERME: Nada! Sai já do meu quarto! Eu já to cansado de você querer saber de tudo que acontece comigo, sai daqui!

A mãe fecha a porta, no instante em que o filho joga um dos travesseiros em sua direção. Rose do lado de fora, fica aparentemente sem entender a explosão de Guilherme e apenas suspira.

 

Cena 12

MADRUGADA, casa, Quarto de Rose, interior

Rose vai para seu quarto e então começa a olhar as fotos do álbum de família, ela chora ao ver a foto de seu marido que morreu em um acidente de carro.

ROSE: Nosso filho está indo pelo caminho errado, eu não sei mais o que fazer.

Ela solta o álbum e chora abraçada ao travesseiro, sua maior preocupação era Guilherme, enquanto que não conseguia guardar mágoas de seu carrasco patrão.

 

Cena 13

MADRUGADA, casa, interior

Diego aparece segurando nas mãos de uma garota, que o leva pelo corredor de uma casa cheia de jovens com copos de bebida nas mãos e música alta. A menina para na frente da porta de um dos quartos e abre, puxando-o para dentro. Ela tranca por dentro, em seguida empurra o garoto na cama próxima a eles.

DIEGO: O que você vai fazer comigo?

GAROTA: O que você quiser que eu faça! – Diz, debruçada sobre ele.

DIEGO: É…? Mas você nem me conhece!

GAROTA: Esse problema eu resolvo agora! – Ela desabotoa a calça de Diego, traz o zíper para baixo e pronto, começa a tirar a calça dele.  Agora ele estava somente de cueca, a menina não demora muito para tirá-la também. Nesse momento é possível observar o órgão genital de Diego ereto, “pular” para fora.

A garota pega com a mão direita o órgão, segurando-o no centro. Ele deitado, apenas assiste o que ela vai fazer. Ela leva a boca em direção dele e começa a beijá-lo levemente. Aos poucos, a menina começa a chupá-lo, Diego geme, enquanto ela o chupa com o maior desejo. A língua sobe e desce sobre o corpo peniano dele. Os gemidos continuam, a imagem vai ficando embaçada…

 

Cena 14

MADRUGADA, Ruas de São Paulo, Capital

Uma jovem caminhava apressadamente, suas amigas haviam a deixado para trás depois de uma noite intensa na balada. Ela parecia perdida até que um carro para uns metros a frente.

JIMMY: Ei gata…

A câmera foca o rosto de Gaby, ela sorria…

 

Cena 15

NOITE, Quarto de Gaby, interior

Gaby se acorda assustada, ela ainda recordava-se daquela madrugada, talvez ela nunca mais esquecesse.

GABY: Por que isso aconteceu comigo?

Ela chora enquanto tenta esquecer daquelas malditas recordações.

 

CONTINUA…

Anúncios

25 thoughts on “Segredos da Paixão – Capítulo 02

  1. Fiquei meio confuso com esse final. O que aconteceu com a Gaby? Foi uma lembrança, flashback?

    Nada consegue me tirar da cabeça que o Diego e o Guilherme deitaram depois de uma bebedeira.

    Segredos da Paixão conseguiu tirar da minha cabeça a má impressão de ser uma trama sem história, já é possível identificar e delinear sua história. Mas ainda faltam ajustar peças: Gaby e Lorena tão meio deslocadas no tabuleiro…

    Curtido por 1 pessoa

    • Gaby, está sendo castigada por lembranças e sonhos ruins. Lorena e ela, como amigas confidentes. Terão que permanecer juntas. Diante do problema de uma delas.

      Guilherme e Diego, será que vivem um romance as escondidas. Seria um sonho, um desejo, ou uma lembrança?

      Espero que os demais capítulos lhe agradem mais e mais. Obrigado por opinar!

      Curtir

  2. Pelo que parece, Guilherme foi violentado por alguém. Por um homem talvez. Gaby assemelha sofrer com o mesmo, mas o caso da garota é mais delicado, pois a mesma engravidou. Por um momento achei que fosse de Guilherme, mas passou essa sensação.

    Dorival é um homem machista e bruto. Por que ele não demite Rose? Pode ser porque já aconteceu algo entre os dois no passado impedindo-o que a demita. Será que é medo? Não sei.

    Sobre Lorena, se não for o ex-marido de Rose no porão, eu não sei quem é. Aposto que ele não morreu.

    Parabéns pelo segundo capítulo, Cristian! 😉 Que venha o terceiro.

    Curtido por 1 pessoa

    • Obrigado por opinar!

      Os conflitos dentro da trama só estão começando. E neste início muitas questões serão levantadas, igual você está fazendo. Dorival é um homem amargurado e machista por natureza.

      O drama que você levantou sobre Guilherme, é válido. Mas será que ele foi mesmo violentado?

      Continue acompanhando a trama, amigo.

      Curtir

    • Obrigado pela participação!

      Sim, a trama a partir de agora mostrará seus conflitos e reviravoltas. Lhe aguardo no terceiro capítulo, e espero que goste mais ainda!

      Curtir

  3. E enfim o segundo capítulo conseguiu ser bem melhor que o primeiro. Já é possível identificar a história por trás e estou gostando. O mistério envolvendo Guilherme e Diego é bem interessante. Assim, como o drama de Gaby… Dorival é um cara chato e muito machista, Aff. A personagem Agatha veio em um momento bom com o objetivo de oscilar entre o humor e o mistério.. rs Diego é um mulherengo mesmo . Rs O que será essas visões de Guilherme e também de Gaby nessa última cena?? Mistérios..Hahaha Enfim, o capítulo de hoje conseguiu me conquistar e já quero saber o que acontecerá no próximo capítulo.. Continue assim.. Parabéns!! 😊😋

    Curtido por 1 pessoa

    • Obrigado pelo comentário! A partir de agora, só serão reviravoltas! E espero que os de mais capítulos lhe agradem mais ainda.

      Dorival é um amargurado mesmo, e não sabe se portar com as mulheres. O drama de Guilherme e Gaby só está começando a vir a tona… E espero que o desenrolar toque o público.

      Agatha é a brecha de humor dentro da trama. Já Diego, bom ele é o que é, rs.
      Te espero no 3° Capítulo.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s