Descobertas – Capítulo 09

CENA 01: COLÉGIO MÁXIMO, SALA DA DIREÇÃO, INTERIOR, MANHÃ.

Rômulo aguarda uma resposta de Abigail sobre seu questionamento.

(ABIGAIL): – Professor Rômulo, eu realmente não sei sobre o que você está falando.

(RÔMULO): – Eu ouvi a conversa entre a senhora e a Stefanny, foi inevitável, eu estava entrando na sala na hora e recuei.

(ABIGAIL): – Em primeiro lugar: escutar atrás da porta é falta de educação. Em segundo lugar: você ouviu errado, eu não dou privilégios algum a Stefanny, nem a nenhum outro aluno da escola. Agora, deixa eu te questionar: porque você persegue tanto a Stefanny? Desde o início do ano letivo, você fica procurando problemas na garota. A Stefanny é uma das melhores alunas dessa escola, estuda aqui desde o primeiro ano, se quiser eu te mostro o histórico escolar dela.

(RÔMULO): – A Stefanny pode ter excelentes notas, mas tem um comportamento dúbio. Se ela estuda aqui desde o primeiro ano, a senhora deve saber que ela tem um grupo de amigas que gosta de perseguir os alunos considerados diferentes. Isso é bullying e eu não vejo a senhora repreender isso, pelo contrário, eu vi a senhora dizer para ela não se preocupar porque tem privilégios na sua gestão.

(ABIGAIL): – Professor Rômulo, eu sou diretora nessa escola há décadas, modéstia parte eu sei da minha competência, por isso eu não admito que questionem ou critiquem o meu trabalho. Sobre o comportamento da Stefanny, ela tem inimizades sim, mas quem não tem? Ainda mais nessa idade, os adolescentes são muito explosivos, porque com a Stefanny seria diferente?

(RÔMULO): – Eu só queria entender porque a senhora não repreende o comportamento errado da Stefanny e seu grupo, o que elas fazem tem nome: é bullying, mesmo que a senhora negue, é bullying sim e faz parte do nosso trabalho como professor, combater isso.

(ABIGAIL): – Pois é, mas o que não faz parte do seu trabalho é sobre administrar uma escola. Seu trabalho é dentro de sala de aula, portanto, centre-se nisso e deixe que da minha gestão como diretora, eu entendo sozinha.

(RÔMULO): – Ok, é uma pena que não exista diálogo pacífico entre nós.

(ABIGAIL): – Se você escutasse menos atrás da porta, quem sabe fosse diferente. Agora, com licença, já deu o sinal há muito tempo, eu tenho que ir pra casa. Tchau!

Abigail pega sua bolsa e sai da direção, deixando Rômulo extremamente intrigado com a conversa que tiveram.

CENA 02: SHOPPING VITÓRIA, SALA DE CINEMA, INTERIOR, TARDE.

Jonathan e Maria entram no cinema lotado para assistir uma comédia romântica. Maria está deslumbrada, pois é a primeira vez que ela entra em um cinema.

(MARIA): – Meu Deus, Jonathan, como isso aqui é grande! Quanta gente! Isso aqui tá mais lotado que os bailes que aconteciam lá no interior.

(JONATHAN): – As pessoas gostam de se reunir pra assistir um filme juntos, é muito divertido. Escolha um lugar pra gente ficar.

(MARIA): – Ai, eu quero na primeira fila, quero ficar bem na frente da tela, assim eu me sinto dentro do filme. – ela senta rapidamente.

(JONATHAN): – Tá bom então, pra mim você já é a estrela desse filme, protagonista do meu coração. – ele senta ao lado dela.

Trilha Sonora: Ciego (Reik).

Maria sorri e Jonathan lhe beija com afeto. Logo, o filme começa e eles assistem abraçados, comendo pipoca e rindo muito das situações da história, trocando carícias românticas no decorrer da exibição. 

CENA 03: CASA DE FERNANDO E CARLOS, QUARTO DE WESLEY, INTERIOR, TARDE.

Wesley está deitado em sua cama, com as luzes apagadas e a cortina fechando a janela. Ele olha em seu celular as fotos que tirou com Lucas, chorando de saudade. É quando Richard bate na porta e entra, ascendendo as luzes do quarto e sentando na cama ao lado de Wesley, que seca o rosto rapidamente.

(RICHARD): – E aí, meu irmão, como você tá?

(WESLEY): – É, tô indo. – cabisbaixo.

(RICHARD): – Você faltou aula de novo, Wesley, você não era assim…

(WESLEY): – Eu não acordei muito bem hoje, não quis ir.

(RICHARD): – Tudo bem, mas desde a morte do Lucas, você faltou várias vezes, isso não é bom. Já passaram alguns dias, eu pensei que você já tivesse superado melhor…

(WESLEY): – Me deixa, Richard, eu quero ficar sozinho aqui, tá… – virando pro lado.

(RICHARD): – Ei, o que foi? – colocando a mão em seu ombro. – A gente é irmão, eu sempre fui teu amigo, sempre estive do seu lado. Você quer me contar alguma coisa?

(WESLEY): – Por quê? – virando para ele. – Você acha que eu tenho algo pra contar?

(RICHARD): – Não sei, por isso eu tô perguntando. Não tenha medo de me dizer nada. Eu te amo, meu irmão, você pode falar comigo sobre tudo. Tá acontecendo alguma coisa que eu não sei e você quer me dizer?

Wesley fica pensativo com as palavras de Richard e cogita em revelar a verdade, mas seu medo é maior e ele recua.

(WESLEY): – Não. Tá tudo bem.

(RICHARD): – Ok, se você quer continuar mentindo pra mim… Eu te conheço, eu sei que você não tá bem e tem alguma coisa a ver com o Lucas. Se você não quer me falar, tudo bem, eu vou respeitar. Mas saiba que, quando quiser desabafar, eu tô aqui.

Wesley compreende e Richard dá um abraço forte no irmão, indo embora do quarto. Wesley abraça seu travesseiro e vira para o lado, remoendo sua angústia.

CENA 04: SHOPPING VITÓRIA, LOJA, INTERIOR, TARDE.

Trilha Sonora: Ciego (Reik).

Após o fim do filme, Jonathan e Maria caminham pelo shopping de mãos dadas, vendo as vitrines das lojas. Maria está encantada com o lugar, pois nunca havia ido a um shopping ainda, tudo lhe chama atenção. Em uma loja de acessórios femininos, Maria olha os brincos com atenção, quando de repente ela sente um colar ser colocado em seu pescoço. Jonathan lhe abraça por trás e Maria olha para o espelho em sua frente, tocando no colar.

(JONATHAN): – E então, gostou? – sorrindo.

(MARIA): – Sim, é lindo! Adorei!

(JONATHAN): – É seu. – beijando sua bochecha e se afastando.

(MARIA): – Como assim? Não, eu não posso aceitar, essa loja é muito cara, Jonathan…

(JONATHAN): – Não liga pra isso, eu tenho grana e quero comprar um presentinho.

(MARIA): – Ai não, eu vou ficar sem-jeito e…

(JOANTHAN): – E mais nada, ok? Esse colar foi feito pra você, Maria, eu quero te dar de presente e não aceito recusa.

(MARIA): – Tá bom, vai… Obrigada, você é um fofo! – dando selinho. – Queria te dar um presente também, mas você sabe, eu não tenho grana…

(JONATHAN): – Relaxa, o que eu quero de você não tem preço no mundo que pague. É o seu amor!

Maria ri e Jonathan a beija. Em seguida, ele compra o colar e sai de mãos dadas com Maria pelo shopping, em que os dois passeiam pelo resto da tarde, aproveitando cada instante juntos.

CENA 05: PRESÍDIO, INTERIOR/EXTERIOR, TARDE.

Trilha Sonora: Numb (Link Park).

Num presídio localizado Amapá, há uma grande agitação. Um preso caminha entre o imenso corredor que possui celas superlotadas dos dois lados. Dois policiais levam o detento até a saída, que caminha tranquilamente, embora algemado. Ele é desalgemado, tira o uniforme de presidiário, veste uma roupa comum e recebe de volta seus pertences que entregou quando foi preso. A única e enorme porta do presídio se abre e, pouco a pouco, a identidade dele é revelada: era Jorge. Ele caminha até para fora do portão, que fecha. Jorge respira fundo pela primeira vez fora do presídio após muitos anos e sorri.

(JORGE): – Finalmente, livre. Demorou, mas tô solto de novo. Por onde começar? – ele pensa e sorri sarcasticamente. – Catarina!

Jorge sai caminhando pela rua com sua pequena mala na mão, em busca de recomeçar sua vida, porém sem esquecer do passado.

CENA 06: CASA DE FERNANDA E CARLOS, INTERIOR, TARDE.

Richard, Laura e Wesley estão estudando na sala, para um teste de Inglês que haverá no dia seguinte. Enquanto Luana explica, Richard presta atenção, mas Wesley está com o pensamento distante.

(LUANA): – O verbo “do” é usado antes de qualquer frase de ação, por exemplo: “Do the homework”, ou seja, “Fazer a tarefa de casa”. Já o verbo “does” é o “do” conjugado na terceira pessoa do singular, por exemplo: “He does his homework”, ou seja, “Ele faz a tarefa de casa”.

(RICHARD): – Ah entendi… Mas tem alguma regra pra saber qual dos dois usar?

(LUANA): – Não existe uma regra definida, você precisa observar o contexto da frase.

(RICHARD): – Vish… Tô com medo de ir mal, não sou bom em tradução. Que merda!

Naquele momento, Fernanda entra na sala com uma bandeja e serve a mesa com lanche para os três.

(FERNANDA): – Que isso, Richard, olha a boca suja, menino! Bom, eu trouxe um lanchinho pra vocês, tem que reforçar o estômago pra dar energia ao cérebro! – rindo.

(LUANA): – Obrigada, Dona Fernanda, mas não precisava se incomodar.

(FERNANDA): – Incômodo algum, querida.

(RICHARD): – Vá se acostumando, a mamãe adora entupir as visitas com comida. – rindo.

(FERNANDA): – Filho, que isso? – jogando pano de prato nele. – Eu só quero tratar bem minha primeira nora, algum problema?

(LUANA): – Daqui a pouco, a senhora terá outra nora… Né Wesley? – cutucando por baixo da mesa.

(WESLEY): – Oi? O que tem eu? – perdido.

(RICHARD): – Aterrissa, meu irmão, tá muito distante…

(WESLEY): – Tô com um pouco de dor de cabeça… Vou na cozinha tomar um remédio, já volto.

Wesley vai pra cozinha e Fernanda o segue. Luana fica com pena do amigo, pois sabe de tudo, mas se cala.

(RICHARD): – O Wesley tá precisando cair na realidade, ele se abala muito fácil.

(LUANA): – Ah, deixa ele, cada um tem seu tempo.

(RICHARD): – Meu amor, você sempre foi muito amiga do Wesley… Por acaso, você sabe de alguma coisa sobre ele e o Lucas?

(LUANA): – Não, eu não sei de nada não. – disfarçando a tensão. – O Wesley só ficou impressionado mesmo, foi isso.

Richard fica intrigado, mas compreende. Logo, Wesley retorna da cozinha e tenta se concentrar nos estudos de Inglês com o irmão e a cunhada.

CENA 07: MANSÃO DE CATARINA E LUIZ, INTERIOR, NOITE.

Catarina, Luiz, Richard e Maria estão sentados à mesa para o jantar que as empregadas acabam de servir. Maria está espantada com o tamanho e o luxo da mansão, assim como com a quantidade de empregadas.

(MARIA): – Nossa, que casa linda… Eu nunca tinha entrando numa casa tão grande e bonita como essa!

(LUIZ): – Obrigado, Maria! Que bom que você gostou, já sabe que pode vir mais vezes. Se é amiga do nosso filho, é nossa amiga também, é sempre bem-vinda.

(CATARINA): – Eu lembro de você, Maria, te dei uma carona no início das aulas. Olha, não repara no jantar, foi tudo improvisado, o Jonathan nos avisou de última hora.

(MARIA): – Imagina, pra mim tá tudo ótimo, até mais do que ótimo!

(JONATHAN): – A Maria é a aluna mais inteligente da sala, sabiam?

(MARIA): – Menos, Jonathan! – envergonhada.

(LUIZ): – Mas isso é muito bom, ser estudioso é uma das maiores qualidades que um jovem pode ter, sinal de que está pensando no seu futuro. E o Jonathan, como é de aluno?

(MARIA): – Ah, ele é um bom aluno, bem comportando e inteligente.

(CATARINA): – Acho bom mesmo! – rindo. – Maria, fiquei sabendo que você está morando em uma pensão aqui em Vitória, mas e a sua família?

Maria fica em silencio e cabisbaixa, deixando Catarina e Luiz intrigados.

(JONATHAN): – Poxa mãe… – chateado.

(CATARINA): – O que foi?

(MARIA): – Não é nada, Dona Catarina. É que eu não tenho família. Meus pais faleceram e eu não tenho mais parentes. Tô morando numa pensão, a dona é minha madrinha e está me ajudando.

Catarina fica impressionada com o relato de Maria e para de jantar, olhando fixamente para ela.

(LUIZ): – Nossa… Eu sinto muito. Desculpe, a gente não queria te fazer lembrar de coisas tristes.

(MARIA): – Tudo bem, Seu Luiz, já passou.

(JONATHAN): – Bom, vamos jantar então antes que a comida esfrie no prato!

Maria e Luiz riem, começando a jantar, assim como Jonathan. Catarina disfarça, mas continua mexida com o relato de Maria. Os quatro jantam por um tempo, conversando sobre assuntos variados, muito entusiasmados e alegres. Após o fim do jantar, Jonathan e Luiz tiram a mesa, enquanto Catarina e Maria vão para a sala. Maria observa os porta-retratos da família e sorri.

(MARIA): – O Jonathan tem sorte de ter pais tão legais como vocês. Que saudade deu agora dos meus pais…

Catarina se compadece e se aproxima de Maria, dando um forte abraço nela, que se surpreende.

(CATARINA): – Oh Maria, eu sinto muito… Mas eu te entendo! Eu também fiquei órfã muito cedo, sei o que você sente. – ela se afasta. – Nós não nos conhecemos direito, mas eu gostei muito de você. Sempre que quiser conversar comigo, pode vir me visitar, eu vou ficar muito feliz com a sua companhia.

(MARIA): – Poxa, muito obrigado, Dona Catarina, eu nem sei como agradecer pelo carinho. Sabe, a senhora me lembra a minha mãe. Claro, minha família era muito pobre, ela não se vestia como à senhora, mas ela tinha o dom de me acalmar com as palavras.

Catarina sorri e abraça Maria novamente. Logo, Jonathan entra na sala e vê as duas juntas, ficando mexido por saber que está envolvendo sua mãe numa armação feita pela Stefanny.

CENA 08: RUA, EXTERIOR, NOITE.

Jorge está em uma rua pouco movimentada de Macapá, observando um enorme prédio, bastante intrigado.

(JORGE): – É, muita coisa mudou, nem parece à mesma cidade…

Jorge caminha até a portaria do prédio e cumprimenta o funcionário através de uma pequena janela gradeada na parede.

(JORGE): – Oi, bom noite. Eu tô chegando de viagem, tô procurando uma pessoa, queria confirmar se ela mora aqui nesse prédio.

(PORTEIRO): – Boa noite. Diga o nome que eu pesquiso no sistema pro senhor.

(JORGE): – Catarina Abreu.

(PORTEIRO): – Deixa eu verificar… – ele digita o nome no computador e pesquisa. – Olha, não tem ninguém com esse nome aqui não. Será que ela não te informou o endereço errado por engano?

(JORGE): – Provavelmente. Mas o senhor não conhece ninguém com esse nome e sobrenome?

(PORTEIRO): – Olha, eu sou antigo aqui em Macapá, mas não lembro não. Sou porteiro aqui no prédio desde que foi fundado, já conheci muita gente, mas não me lembro de nenhuma Catarina Abreu.

(JORGE): – Tá certo… Muito obrigado, meu camarada, tenha uma boa noite e fique com Deus.

O funcionário agradece e Jorge vai embora, vagando sem rumo pelas ruas da capital do Amapá, pensando em como encontrar Catarina.

CENA 09: PENSÃO DA YOLANDA, EXTERIOR, NOITE.

Jonathan pediu ao motorista levar Maria até a pensão. Os dois estão no banco de trás, em silêncio, até que resolvem falar.

(MARIA): – O nosso dia foi incrível, Jonathan. Foi o dia mais feliz desde que eu vim morar aqui.

(JONATHAN): – Que bom, eu fico feliz que consegui te fazer feliz. Espero que esse dia se repita mais vezes, Maria.

(MARIA): – Quem sabe? Eu ia adorar. – sorrindo timidamente.

Jonathan fica observando o sorriso de Maria como se estivesse hipnotizado. Sem pensar, ele a beija, mesmo diante do motorista, que finge não ver nada. Maria se envergonha, mas não impede, retribui o beijo na mesma intensidade. Naquele momento, Bruna está saindo da pensão para colocar o lixo na cesta da rua, quando vê Maria beijando alguém dentro do carro e se espanta. Logo, ela desce e o carro vai embora, quando ela vai entrar na pensão, acaba esbarrando em Bruna.

(BRUNA): – Ora, ora, quem diria que a caipira burra já achou alguém pra te bancar…

(MARIA): – Me poupe, Bruna, deixa de ser venenosa! É só um amigo.

(BRUNA): – Desde quando, amigo beija na boca?

(MARIA): – E se não for amigo, o que você tem a ver com isso hein?

(BRUNA): – Olha o tom de voz… Esqueceu da joia da mamãe?

(MARIA): – Cretina… Vai ter volta!

(BRUNA): – Ui, que stress! Olha, tem uma pilha de louça suja pra lavar, aproveita e desestressa pegando pesado na pia. Beijinhos!

Bruna ri e entra na pensão, enquanto Maria ignora as provocações e entra em seguido, indo lavar a louça dos hóspedes da pensão.

CENA 10: RUA, CARRO, INTERIOR, NOITE.

O motorista dirige pelas ruas de Vitória em direção à mansão de Jonathan, enquanto ele está no banco de trás, pensativo.

(JONATHAN): – Ei cara, não vai contar o que você viu aqui, tá? Segredo!

(MOTORISTA): – Eu vi? Não lembro… 

Jonathan se tranquiliza e continua pensando em Maria, ao mesmo tempo em que pensa em Stefanny.

(JONATHAN/pensando): – O que eu sinto pela Maria afinal? Eu nunca estive tão confuso por uma garota como tô agora. Será que é amor mesmo? Tesão? Ou tudo não passa de uma doidice minha por causa do plano da Stefanny?

De repente, seu celular começa a tocar. Jonathan tira do bolso da calça jeans e vê que é Stefanny, atendendo imediatamente.

(STEFANNY): – Oi meu amorzinho, saudades! E aí, como foi o dia? Tá cheirando a capim? – rindo.

(JONATHAN): – Oi, meu amor. Foi tranquilo, ela tá cada vez mais envolvida.

(STEFANNY): – Perfeito! Eu sabia que ela não ia demorar a cair na isca. Nesse final de semana, será a hora de você dar o bote na mosca-morta!

(JONATHAN): – Já?

(STEFANNY): – Acha pouco? Vocês já estão nesse lengalenga há mais de um mês, já passou da hora né?

(JONATHAN): – E você tem certeza que quer isso mesmo?

(STEFANNY): – Que papo é esse, Jonathan? Você tinha topado, tá com medo do quê? Cadê seu espírito de zoador?

(JONATHAN): – Tá bom, tá bom, vamos seguir o combinado. Fim de semana, eu concluo minha parte na armação.

(STEFANNY): – E segunda-feira, será o dia da minha glória ao tornar a intimidade da caipira um viral negativo.

Stefanny ri e, do outro lado da linha telefônica, Jonathan ri timidamente, ainda dividido entre seguir o plano ou recusar.

CONTINUA…

NO PRÓXIMO CAPÍTULO: Wesley fica constrangido diante de Victor em situação inusitada após o futebol.

Anúncios

47 thoughts on “Descobertas – Capítulo 09

  1. E Abigail conseguiu dar uma volta em Rômulo que permanece intrigado com a relação dela e Stefanny. Em breve a máscara dessa querida cai.

    Jonathan e Maria estão cada vez mais próximos e carregando momentos bem românticos. ❤ E foram juntos conhecer Luiz e Catarina. Tem um laço ligando a mãe de Jonathan, a caipira e o famoso Jorge que apareceu em nossa história, apenas digo.

    Bruna, como sempre, uma invejosa. Maria tem que acabar com esse joguinho que essa vadia à colocou.

    Parabéns, Airton! 😀 Que venha o 10 (Já?).

    Curtido por 1 pessoa

  2. Parabéns, Rômulo. Você não me decepcionou… ainda… tô de olho em você, viu? Parabéns também, Abigail, você se saiu muito bem. Se o Rômulo fosse mais tapado, tu tinha conseguido dobrá-lo.

    Wesley se afeta muito facilmente. Esse luto tá muito prolongado… talvez porque todo mundo superou a morte do Lucas muito rapidamente, alguém tinha que compensar. Mas isso tá começando a complicá-lo. E a reação da Luana não ajudou muito, ela deu bandeira legal pro Richard. Quantos litros de lágrimas o Wesley vai ter que derramar mais pra história dele desempacar?

    Adorei a cena da Maria e da Catarina. Imagino que a Catarina não fique do lado dela quando a bomba estourar, mas também acredito que ela seja a primeira pessoa a ser reconquistada pela caipira.

    Falando em Maria… ela cedeu à chantagem da Bruna? Oi? Ah, Maria, achei que tu fosse mais esperta… te superestimei. Aquele enfrentamento inicial foi apenas um lampejo, que pena…

    Jonathan não vai desistir do plano… EU DESISTO DESSE CARA. DESISTO. QUERO MAIS QUE ELE SE EXPLODA.

    Sinceramente? Eu pulei todas as cenas de Macapá. Achei totalmente desnecessário. Antes ele chegando do nada em Vitória, sem qualquer explicação, do que mostrar a saga da busca do Jorge pela Catarina. Ficou deslocado.

    Curtido por 2 pessoas

    • O comportamento de Abigail deixou Rômulo intrigado e ele vai começar a cuidar mais as atitudes da diretora. Wesley era a pessoa que mais conviva com Lucas, a única que sabia de seus dramas, então é natural que ele sofra mais, mas ele terá uma reviravolta considerável muito em breve. Maria está com medo que Bruna consiga convencer Yolanda do roubo, é a única pessoa que tem em Vitória e não quer ficar sozinha, tem trauma pela morte dos pais. Jonathan decidiu seguir o plano para saber se está apaixonado mesmo por Maria ou por Stefanny, ele disse isso ontem ao Richard. As cenas introdutórias de Jorge no Amapá são importantes para demonstrar que ele está extremamente distante de Catarina e isso pode ajudar você e os demais leitores a tecerem teorias sobre o passado desses personagens. Obrigado pela participação, Glay! ❤

      Curtir

  3. Parabéns!
    Maria e Jonatan juntos é maravilhoso.
    Acho que os dois vão transar mas ele não vai gravar.
    Jorge e Catarina o que eles tiveram?
    Muita coisa pra ser revelada anida né?
    Airton adorei o capítulo.
    O próximo promete heim!
    Descobertas é muito bom de ler.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Jorge chegou na trama, e faz parte do passado de Catarina. Falando em Catarina, achei a reação dela ao saber que Maria é órfã bem estranha… Talvez eu esteja viajando, mas os personagens parecem estar mais ligados do que parece, e que Maria não seja uma pessoa tão estranha em uma cidade onde ela nunca tinha pisado antes…

    Maria aceitando a chantagem de Bruna, sofri. Pensei que ela não ia mais abaixar a cabeça para a Bruna… Maria, seja mais esperta, eu imploro.

    E Jonathan segue dividido entre concluir a armação contra Maria, ai que preguiça desse garoto, não dá. Não me desce, pode ser implicância exagerada minha, mas esse cara não vale nada.

    Parabéns, Airton 😀

    Curtido por 1 pessoa

  5. Sem tempo para fazer um comentário específico, tô resolvendo alguns problemas, mas no capítulo 10 teremos uma análise tripla sim. No mais, deixo a minha contribuição na audiência e digo que tô amando os rumos que a web tá tomando, você tá arrasando garoto.
    Parabéns, Airton. 😀

    Curtido por 1 pessoa

  6. A chegada desse Jorge promete agitar msm. Já não basta a Stefanny , tem essa Bruna pra infernizar a Maria. Jonathan cada vez mais divido, a paixão tomando conta. Ansioso pela cena do plano.
    Parabéns!

    Curtido por 1 pessoa

  7. Abigail como sempre se esquivando das indagações de Rômulo, piranha. Infelizmente na posição dele ele não pode fazer nada. Wesley cada vez mais dando bandeira, acho que ele deve logo se assumir, mesmo sabendo que vai sofrer. E esse clima entre Catarina e Maria? Sei não hein, me deixou intrigado. Esse Jorge… Parece perigoso. O que ele quer com Catarina. E Stefanny pressiona Jonny a prosseguir com a parte mais cruel do plano. Ainda há tempo de desistir, Jonny…

    Curtido por 1 pessoa

    • Rômulo está em posição desfavorável, mas mesmo assim vai enfrentar Abigail e suas omissões. Wesley ainda está muito abalado pela morte de Lucas, mas com receio em se assumir por medo da reação das pessoas, ele ainda vai viver momentos de descobertas de sua própria identidade ainda. Será que existe uma ligação entre Catarina e Maria? Pode ser que sim, pode ser que não… Será que Jonathan vai desistir? Obrigado pelas opiniões, Thay! ❤

      Curtir

  8. Amigo perdoa o atraso é que estive muito ocupado esses dias…Vou me atualizar… Capítulo maraaaa sem dúvidas vai dar muita treta esse lance dá Maria e do Jonathan…E esse Jorge tô tentando entender

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s