Descobertas – Capítulo 17

CENA 01: COLÉGIO MÁXIMO, EXTERIOR, MANHÃ.

Trilha Sonora: Criminal (Britney Spears).

Maria entrega o álbum de fotos para Stefanny, que folha as páginas e vê tudo com Patrícia, ambas pasmas ao descobrirem a verdade sobre Bruna.

(BRUNA): – Eu te odeio, Maria! – gritando.

(MARIA): – Grita, pode gritar, mas tua máscara caiu. E agora, quem tá por cima, sua vaca?

Maria e Bruna se encaram fixamente, enquanto Stefanny deixa o álbum de fotos cair no chão, como raiva e nojo ao descobrir a farsa da amiga.

(STEFANNY): – Você me enganou esse tempo todo, Bruna? Fingiu ser rica pra ser minha amiga? Você é pobre? – olhando de cima a baixo. – Que nojo!

(MARIA): – Ela é pobre sim, muito pobre, tão pobre quanto eu. A Bruna é uma interesseira, escondeu de toda a escola sua origem humilde pra se amigar com as pessoas mais populares. Só que suas mentiras chegaram ao fim e eu tenho o prazer de te desmascarar, sua imbecil!

(BRUNA): – Maldita! Porque você tinha que sair do campo pra se intrometer na minha vida? Tava tudo perfeito, porque você tinha que estragar tudo!

(MARIA): – Ninguém mandou você me destratar na escola e me fazer de empregada na pensão, achou que eu ia ficar calada pra sempre? Eu não sou saco de boxe pra levar pancada a vida toda, querida!

(BRUNA): – Ah é? Mas vai levar pancada agora! Ordinária!

Bruna avança em Maria, puxando seus cabelos. Logo, Maria revida e também puxa os cabelos de Bruna. Uma aglomeração de alunos se forma enquanto Maria e Bruna trocam puxões de cabelos, aos gritos, e em seguida caem no chão, rolando pelo piso. Stefanny e Patrícia assistem tudo, em choque, mas logo Stefanny vai para o banheiro da escola. Pouco depois, Wesley e Victor chegam ao local e separam a briga: Wesley segurando Maria, enquanto Victor segura Bruna; ambas muito descabeladas e arranhadas.

(BRUNA): – Me solta, Victor, deixa eu arrancar essa palha que a Maria chama de cabelo! – gritando.

(MARIA): – Isso, solta ela, Victor, assim eu termino de arranhar esse rosto mais falso de nota de três reais! – gritando.

(VICTOR): – Calma, gente! Daqui a pouco os professores estarão aqui, vai dar problema pra vocês! – segurando Bruna com força.

(MARIA): – Me solta, Wesley! – chutando a canela dele e se soltando. – Isso é pra você aprender a nunca mais me humilhar do jeito que você me humilhou. – bofetada. – Esse é o só o começo da sua queda, sua cobra, tô ansiosa pra ver a continuação.

Com a mão cobrindo o rosto do lado em que apanhou, Bruna encara fixamente Maria, que se afasta do local. Bruna se debate até que Victor a solta, que corre ao banheiro feminino. Pouco a pouco, a aglomeração se dispersa. Maria bebe água no bebedouro da escola, quando Luana e Wesley se aproximam.

(LUANA): – Amiga, o que foi isso? Tô pasma com o que você fez com a Bruna! E que história é essa que ela te explorava na pensão?

(WESLEY): – Vocês são parentes mesmo? Inacreditável, Maria! E valeu pelo chute, doeu um pouquinho. – rindo.

(MARIA): – Ai, me desculpe, Wesley, foi um impulso sem querer. Tenho muita história pra contar pra vocês, meus amigos, mas agora eu tô eufórica demais. Nem acredito que desmascarei a Bruna, eu sempre quis fazer isso.

(LUANA): – Você tá diferente, Maria, nunca pensei que você tomaria uma atitude dessas algum dia.

(WESLEY): – Pois é, não faz parte do seu perfil, tô sem palavras.

(MARIA): – Não fazia parte do meu perfil, agora faz. Uma nova Maria nasceu hoje, que não vai mais permitir que a enganem e a humilhem. A partir de agora, vou enfrentar na mesma intensidade quem vier me agredir, seja com palavras ou violência.

Luana e Wesley se impressionam, mas apoiam Maria, dando um abraço coletivo nela, que ainda está ofegante e descabelada pela briga. Após, eles vão sair, mas cruzam no corredor com Jonathan. Ele e Maria se encaram, frente a frente após todo o ocorrido.

(JONATHAN): – Oi Maria. Tá tudo bem contigo? – nervoso.

(MARIA): – Estaria melhor se eu não tivesse te visto agora. Com licença! – séria.

Maria sai e esbarra de propósito no ombro de Jonathan, que fica triste pela situação. Luana e Wesley observam em choque as cicatrizes no rosto de Jonathan, mas logo saem atrás de Maria, enquanto ele fica sozinho no corredor, muito angustiado por ser ignorado por todos os alunos que cruzam por ele.

CENA 02: COLÉGIO MÁXIMO, BANHEIRO, INTERIOR, MANHÃ.

Bruna está chorando em frente ao espelho, sentindo-se humilhada após a exposição de Maria. Ela abre a torneira da pia e lava o rosto, tentando controlar seu choro. Naquele instante, Stefanny sai de uma das cabines do banheiro e encara fixamente o reflexo de Bruna no espelho. Quando ela acaba de molhar o rosto, ela vê Stefanny pelo espelho e vira-se para a amiga, muito abalada.

(BRUNA): – Stefanny, por favor, deixa eu te explicar!

(STEFANNY): – Não tem nada pra explicar, está tudo muito claro. Eu sempre desconfiei de você, sempre senti que havia algo estranho contigo. Tão vazia quando falava da família, nunca quis que meu motorista te deixasse em frente a sua mansão ou que eu te visitasse… – gritando. – Óbvio, porque não existe mansão nenhuma! Você é uma pobretona ridícula!

(BRUNA): – Me desculpe, eu só queria ser sua amiga! Eu sempre te admirei, queria me aproximar de algum jeito, você é minha inspiração! – chorando.

(STEFANNY): – Queridinha, eu sou inspiração pra você e pra toda a escola né, eu sou a garota mais popular daqui. Você se aproximou por interesse, queria ofuscar meu brilho, mas quem nasceu pra esgoto nunca será estrela!

(BRUNA): – Não fala assim comigo, eu sempre fui uma amiga leal, a gente trocava confidências, eu te ajudava nos bullyings!

(STAFANNY): – Eu falo do jeito que eu quiser! Eu tenho nojo de pobre! Eu tenho nojo de você, Bruna! Meu Deus, como eu pude ser amiga de uma coisinha tão insignificante por tanto tempo?

(BRUNA): – Se a Maria não tivesse revelado, nós continuaríamos sendo amigas. Eu posso não ter dinheiro, mas eu não tenho a mentalidade como essa gentinha. – tocando no braço dela. – Lembra de tudo que a gente viveu…

(STEFANNY): – Não encosta em mim! – se afastando. – Que nojo! Eu não quero me contaminar com suas bactérias! Você foi muito baixa em fazer isso comigo, Bruna. Eu te odeio! Nunca mais me procure e se prepare porque eu não vou engolir essa afronta tão fácil.

(BRUNA): – Você fica me julgando, mas você não é melhor do que eu. Eu menti que era rica sim, mas foi por necessidade, não queria ser excluída na escola. E você, Stefanny? Mente por quê? Por prazer? Pra ferrar com outros? Você humilha os alunos novatos, persegue, ofende eles e as famílias… E ainda quer me julgar? Só porque tem dinheiro acha que pode me condenar?

(STEFANNY): – Era só que me faltava… Em que mundo nós estamos? A boba-da-corte querendo dar lição de moral na rainha! Acho que tá na hora de eu te ensinar qual é o seu lugar a partir de hoje aqui na escola né?

Trilha Sonora: Team (Iggy Azelea).

Bruna fica aflita e Stefanny se aproxima, encarando-a com raiva. Imediatamente, Stefanny segura no braço e nos cabelos de Bruna, arrastando-a para dentro de uma das cabines do banheiro, forçando-a até ficar de joelhos em frente ao vaso sanitário. Em seguida, Stefanny enfia a cabeça de Bruna dentro do vaso e segura, enquanto ela se debate. Após algum tempo, ela retira a cabeça da rival e a solta. Bruna fica sentada no chão, tossindo muito e encostada na parede da cabine. Stefanny ri e sai da cabine, lavando sua mão na pia.

(BRUNA): – Louca! Isso não vai ficar assim. – tossindo.

(STEFANNY): – Claro que não vai, tomara que você pegue uma infecção, sabe se lá quem usou esse vaso né. – rindo. – Sabe, a Maria é uma caipira ignorante, mas até que ela foi inteligente, conseguiu armar uma forma de te desmascarar. Pelo menos, pra isso ela serve. E você, será que serve pra alguma coisa, Bruna? – secando as mãos. – Inútil, só podia ser dessa cor mesmo.

Bruna fica pasma com o preconceito racial e Stefanny sai do banheiro, sentindo-se vingada. De vagar, Bruna levanta e vai até a pia, cuspindo e lavando o rosto, em seguida enxaguando a boca, enquanto chora pela humilhação.

CENA 03: COLÉGIO MÁXIMO, SALA DA DIREÇÃO, MANHÃ.

Abigail acabou de contar para Catarina e Rosa sobre o vídeo íntimo e a briga na escola que envolveram Maria, Jonathan e Stefanny. Yolanda observa a reação das duas.

(CATARINA): – Meu Deus, eu estou sem palavras. Eu não acredito que o meu filho foi capaz de cometer uma atitude tão baixa como essa.

(YOLANDA): – Pois foi! Ele iludiu a Maria e agora ela tá sendo taxada de vadia por culpa dele.

(ROSA): – Bom, ela apareceu transando num vídeo né, que tipo de fama ela teria?

(YOLANDA): – A senhora cale essa boca antes de falar da minha afilhada! Vai cuidar da tua filha, aquela falsa! Na frente da diretora, se faz de santa, mas por trás é um capeta.

(ABIGAIL): – Por favor, senhoras, vamos manter a calma. Eu chamei as senhoras aqui a pedido da Dona Yolanda, para tentar encontrar uma solução pra esse conflito.

(CATARINA): – Eu estou profundamente decepcionada com o Jonathan, eu não criei meu filho pra se tornar um cafajeste. – lágrima escorre.

(ROSA): – Minha filha não fez nada demais, ela apenas agiu como qualquer mulher traída: bateu na outra.

(YOLANDA): – Acontece que agressão física dentro da escola é contra as regras, logo a Stefanny merece uma punição. Aliás, não só ela, mas o Jonathan também. Eu pedi essa reunião a Dona Abigail porque achei injusto apenas a Maria ser punida, ela nem deveria ser punido porque é uma grande vítima.

(CATARINA): – Concordo com a senhora. Eu conheço a Maria, ela foi lá em casa uma vez, simpatizei com ela e lamento pela humilhação pública que meu filho fez tua afilhada passar. Dona Abigail, a senhora deve punir o Jonathan sim, o que ele fez foi terrível. Da minha parte, eu também irei punir, dentro de casa.

(ABIGAIL): – Ok… E a Stefanny, o que faremos?

(ROSA): – Acho que nada, não tem motivos.

(YOLANDA): – Claro que tem! Olha, a Maria foi vítima e ficou uma semana afastada, então eu exijo que a Stefanny fique umas duas semanas afastada, pelo menos. O Jonathan pode ficar mais, afinal ele fez pior com a Maria.

(ABIGAIL): – Duas semanas é muito tempo, a Stefanny seria prejudicada nos estudos.

(YOLANDA): – A senhora está do lado da vítima ou do agressor, Dona Abigail? Pra punir a Maria, a senhora não pensou duas vezes, foi bastante ríspida com ela, porque agora tá toda cheia de medos pra punir a Stefanny e Jonathan?

(CATARINA): – Eu gostaria que o Jonathan ficasse um mês afastado da escola, pois é esse o tempo que ele terá punição lá em casa, já sei o que fazer. Não importa se ele fique prejudicado nos estudos quando retornar, a Maria está muito mais prejudicada do que ele. Acho que Stefanny merece sim duas semanas de afastamento. Sou sua amiga, Rosa, sua filha é minha nora, mas vamos colocar na balança e ser justas né?

(ROSA): – Olha, minha filha foi traída pelo namorado com a rival, bater era o mínimo, qualquer uma faria isso. O que a Maria esperava quando foi pra cama com o Jonathan e filmou?

(YOLANDA): – O Jonathan mentiu que tinha acabado com a Stefanny, a Maria ficou com ele por amor e achou que ele tava sendo sincero, também não sabia que tava sendo filmada. Ninguém tá questionando a Stefanny ter batido na Maria, mas sim a violência dentro da escola, que segundo as regras, é algo inadmissível.

(ABIGAIL): – Bom, acho que podemos chegar a um consenso, não é? A Stefanny fica duas semanas afastada e o Jonathan um mês. As senhoras concordam?

Catarina e Yolanda afirmam com a cabeça que sim, mas Rosa se mantém contrária. Porém, acaba aceitando. As três se despedem de Abigail e vão sair da sala, quando Bruna entra e choca Yolanda, pois está descabelada e molhada. Catarina e Rosa saem da sala.

(YOLANDA): – Mas o que é isso, minha filha? O que fizeram contigo? – pasma.

(BRUNA): – Eu quero ir embora, mãe. Me leva embora! – abraçando e chorando.

(ABIGAIL): – O que aconteceu, Bruna? Quem fez isso com você?

Naquele momento, Maria entra na sala e surpreende a todos.

(MARIA): – Fui eu. Eu bati na Bruna.

(YOLANDA): – Você? Mas Maria, porque você fez isso? – chocada.

(MARIA): – Conta pra ela o motivo, Bruna. Conta ou eu contarei. – rindo.

(BRUNA): – Sai daqui, sua vaca! Eu te odeio! – gritando.

(MARIA): – A Bruna tem vergonha de você, madrinha. Ela tem vergonha de ser pobre. A Bruna sempre mentiu pra escola inteira que era rica, que morava em um condomínio de luxo, tudo pra se aproximar das garotas mais populares da escola, como a cobra da Stefanny.

(YOLANDA): – Santo Cristo, não pode ser verdade… É, Bruna? – incrédula.

(MARIA): – E tem mais, madrinha: a Bruna me fazia de empregada na pensão, ela roubou um anel seu e me disse que era uma joia, me obrigava a fazer a faxina na pensão ou então ia contar que eu tinha roubado, só pra senhora me expulsar. Quando eu descobri que aquele anel não passava de uma bijuteria, eu resolvi desmascarar a Bruna aqui na escola, foi o que eu fiz hoje e não me arrependo.

(BRUNA): – Ordinária, nunca devia ter saído do campo, eu odeio você, só sabe atrapalhar minha vida!

(YOLANDA): – Então, é verdade? Se você não desmente, é verdade, Bruna…

(BRUNA): – Eu quero ir pra casa, mãe. Por favor, Dona Abigail, me libera? Não tem condição de ficar na escola nesse estado.

(MARIA): – É melhor ir mesmo, ninguém vai aguentar esse fedor de privada do teu cabelo. Mas olha, eu não fiz isso não, só puxei o cabelo e dei um tapa, que já me satisfez. Vinguei a madrinha, ela não merecia a sua ingratidão, Bruna.

(ABIGAIL): – Bom, diante do ocorrido, eu acho que vou liberar as duas. A senhora não acha melhor, Dona Yolanda?

Yolanda concorda e Abigail permite que Bruna e Maria vão embora mais cedo. As três saem da sala e deixam a diretora extremamente tensa após as discussões em sua sala.

CENA 04: COLÉGIO MÁXIMO, EXTERIOR, MANHÃ.

No recreio, os alunos se reúnem em seus grupinhos para conversar enquanto lancham. Entretanto, Jonathan está isolado, sentando em um banco próximo a sala dos professores, cabisbaixo. As pessoas cruzam por ele e não cumprimentam nem conversam, simplesmente ignoram. O máximo que fazem, é rir com deboche da sua deformação. Pela primeira vez na vida, Jonathan sente-se excluído. Logo, Richard está caminhando de mãos dadas com Luana e avista seu amigo, se aproximando e colocando a mão em seu ombro.

(RICHARD): – E aí, meu amigo, tá sozinho aí porquê? Tá tudo bem?

(JONATHAN): – Me deixa, Richard, eu não tô legal.

(RICHARD): – O que você tem?

(JONATHAN): – Já falei, me deixa quieto aqui.

(LUANA): – De popular a excluído… Quem diria né, Jonathan? Tá aí, fez a Maria sofrer ao sentir a amargura da exclusão, agora você tá sentindo o mesmo. O mundo dá voltas!

(RICHARD): – Meu amor, que isso? – sussurrando.

(LUANA): – Ele é seu amigo, não meu. A Maria tá sofrendo muito, sabia? O vídeo não para de aumentar em visualizações, criaram uma página no Facebook pra difamá-la, tudo por sua culpa, Jonathan! Eu não tenho pena de você, tá colhendo o que plantou.

Luana solta a mão de Richard e sai pelo corredor, enquanto ele fica e senta ao lado de Jonathan.

(RICHARD): – Não liga para o que ela disse não, a Luana só tá defendendo a amiga.

(JONATHAN): – O que a Luana falou é a verdade, Richard, não adianta esconder. Eu mereço essa exclusão, olha a burrada que eu fiz? Eu destruí a reputação da Maria pra satisfazer um capricho da Stefanny, e olha só o que eu me tornei? Uma aberração! Ninguém chega perto de mim, eu fiquei invisível. Mas isso não é um 1% do que a Maria deve estar sentindo por minha culpa.

(RICHARD): – O pior de tudo é que você tava afim dela né?

(JONATHAN): – Ainda estou, Richard. Depois daquela transa, eu tive a certeza que eu amo a Maria. Só que isso não adianta nada, ela nunca vai querer algo como um escroto como eu. Me deixa sozinho aqui, meu amigo, vai lá namorar a Luana, se divirta.

Richard fica preocupado com o estado de Jonathan, dá um tapinha no seu ombro e sai em busca de Luana, enquanto ele permanece no banco, calado e solitário. Perto dali, Gustavo está conversando com Maria.

(GUSTAVO): – Tô muito feliz por ti, Maria. Enfrentou teus agressores na escola, foi muito corajosa. Eu queria ter essa coragem.

(MARIA): – Cansei de levar pancada e ficar quietinha, eu não vou mais engolir essas humilhações. E você também tem coragem, mudou de visual e de atitudes, tá enfrentando teus problemas.

(GUSTAVO): – Eu não enfrentei meus agressores, eu me moldei a eles pra não sofrer mais perseguição. Deu certo, não sou mais humilhado como o “nerd virjão”. Mas na verdade, eu queria mesmo ser como você, enfrentar todo mundo, cara a cara.

(MARIA): – Ainda dá tempo, tem até o final do ano. Você é um cara legal, Gustavo, não dê atenção pra esse povinho medíocre.

Gustavo compreende e segue conversando com Maria. Um pouco distante, Wesley e Victor conversam enquanto lancham.

(VICTOR): – Brother, tá afim de posar lá em casa nesse fim de semana?

(WESLEY): – Eu? Ah, não sei… – tenso.

(VICTOR): – Meus pais vão viajar, a casa vai ficar só pra gente. Entendeu? – rindo maliciosamente.

Trilha Sonora: Como Fui (Rio Roma).

Wesley fica surpreso e lembra-se da noite em que transou com Victor. Ele olha para os lados e se aproxima do amigo no banco.

(WESLEY): – Tem certeza? É isso mesmo que você quer? – sussurrando.

(VICTOR): – Claro! Já tô esquematizando tudo, Wesley: você vai pra lá, a gente compra umas cervejas e enche a geladeira, depois chama umas garotas e colocamos um som bem alto. Vamos fazer a festa, meus pais nem vão ficar sabendo! – rindo.

Wesley fica aflito e se afasta de Victor no banco.

(WESLEY): – Ah tá, entendi… Eu vou ver com meus pais se eles deixam.

(VICTOR): – Tá certo, mas não vai dizer que vai ter bebida e mulheres né, senão já viu! Vai ser divertido, meu amigo, quem sabe você não perde tua virgindade.

(WESLEY): – Ei, fala baixo né!

Naquele momento, Luana chega e senta no banco, mas logo Victor levanta-se para devolver na cozinha da escola o prato da comida. Wesley observa ele fixamente e Luana passa mão em frente a seus olhos, que então presta atenção nela.

(LUANA): – Hipnotizado pelo boy? – rindo.

(WESLEY): – Fala baixo! É impressionante como o Victor não lembra de nada. Tantos dias se passaram e ele age normalmente comigo, nunca falou do assunto.

(LUANA): – É, acho que o Victor teve uma amnésia alcoólica mesmo, mas de qualquer forma, é estranho um hétero transar com outro homem né.

(WESLEY): – Ele tava bêbado, não sabia o que fazia.

(LUANA): – Ah tá, vou fingir que acredito. – rindo. – Acho que você devia abrir o jogo com ele, Wesley. Aliás, abrir o jogo com todo mundo. Se assume logo!

(WESLEY): – Eu não vou falar nada com o Victor, ele é meu melhor amigo, se fica sabendo do que rolou, ele nunca mais vai falar comigo. Sobre me assumir, tá fora de cogitação, eu não quero sofrer preconceito.

(LUANA): – Não seja por isso, você já tá sofrendo preconceito de si próprio. Se liga!

Luana levanta do banco e sai, deixando Wesley pensativo nas palavras da amiga.

CENA 05: RUA, EXTERIOR, TARDE.

Em frente a Ilha do Frade, um condomínio de luxo em Vitória, uma moto estaciona na portaria. O motoqueiro desce e tira o capacete, revelando ser Jorge.

(JORGE): – Bom tarde. Eu tenho uma encomenda para entregar na casa de Catarina Abreu.

(PORTEIRO): – Eu preciso avisá-la, aguarde um momento.

(JORGE): – Não precisa, eu não vou entrar. Se o senhor puder entregar pra mim ou pedir para alguém entregar, é que é uma encomenda surpresa, entende?

(PORTEIRO): – Ah sim, entendi… Sem remetente? Mas você sendo o entregador, não tem problema.

(JORGE): – É que eu tô super atrasado, tenho que voltar pra loja depressa. Quebra esse galho pra mim?

O porteiro compreende e pega a encomenda, enquanto Jorge vai embora, sorridente.

CENA 06: MANSÃO DE CATARINA E LUIZ, INTERIOR, TARDE.

Catarina, Luiz e Jonathan estão discutindo na sala há algum tempo.

(JONATHAN): – Um mês de castigo? Oh mãe, você acha que eu sou criancinha ainda?

(CATARINA): – E não é? Tá agindo como uma! O que você sugere que eu faça com você depois do que eu descobri que você fez com aquela garota hein?

(LUIZ): – Eu ainda não acredito que o Jonathan foi capaz disso… Meu filho, como você cometeu uma loucura dessas? E a educação que nós te damos? Porque humilhar a garota desse jeito?

(JONATHAN): – Olha, vocês não sabem de nada tá, não é bem assim como vocês estão pensando. A Stefaany tá no meio disso mais do que todo mundo pensa.

(CATARINA): – Eu não quero saber da Stefanny, eu não sou mãe dela. Eu tô extremamente decepcionada contigo, Jonathan. Você imagina o tamanho da vergonha que eu senti naquela reunião hoje? Descobrir que o meu filho é um cafajeste, meu mundo desabou!

(LUIZ): – O acidente de carro tem relação com esse vídeo, não tem? Pelas datas, batem no mesmo dia.

(JONATHAN): – Tem sim, eu tava mal naquele dia porque tinha me arrependido, por isso peguei o carro e sai que nem um louco.

(CATARINA): – Sinto muito, mas teu arrependimento não vai apagar essa mancha na alma da Maria. Você vai ficar um mês afastado do Colégio Máximo e nesse período vai ficar trancado em casa. Sem internet, sem celular, sem festas, sem passeios pela cidade… Acabou! Entendeu?

(JONATHAN): – Que isso? Vai querer transformar essa casa num presídio agora?

(LUIZ): – E se romper com o castigo antes do prazo, o tempo vai aumentar. Quem sabe te distanciando de tudo o que você gosta, você aprende alguma coisa, seu ingrato. Agora suba pro teu quarto, não quero mais olhar pra você hoje e sentir essa vergonha de novo.

(JONATHAN): – Que raiva de vocês! – gritando.

Jonathan chuta a mesa e sobe correndo ao seu quarto, batendo fortemente a porta. Na sala, Catarina e Luiz se abraçam, muito tristes pela atitude do filho. Em seguida, a campainha toca e ele vai entender, recebendo uma encomenda.

(LUIZ): – Olha, meu amor, é pra você. Estranho, não tem remetente.

(CATARINA): – Pra mim? O que será, deixa eu ver. – ela pega a caixa e o cartão. – “Que essa planta cresça como sua vida. Um admirador secreto”. Ai meu Deus, eu nessa idade tendo um admirador secreto, não acredito! – rindo.

(LUIZ): – Não tô achando graça…

(CATARINA): – Ah seu bobo, vai ficar de ciúmes agora? Vamos abrir a caixa, que planta será que é?

Trilha Sonora: Numb (Link Park).

Catarina coloca a caixa em cima de mesa e abre, ficando pasma com o que vê. Ela deixa a tampa cair no chão e fica pálida, começando a suar frio. Luiz percebe e a segura.

(LUIZ): – O que você tem, Catarina? – assustado.

(CATARINA): – A planta, Luiz! A planta é uma muda de amapazeiro! – tensa.

(LUIZ): – Sim, mas o que tem demais? – intrigado.

(CATARINA): – Ninguém sabe que eu sou do Amapá! Porque alguém daria uma muda da árvore típica do Amapá pra mim?

(LUIZ): – Sei lá, vai ver foi coincidência ou entregaram a encomenda no endereço errado.

(CATARINA): – Só tem uma explicação: é ele! É o Jorge! – nervosa.

(LUIZ): – Não, para com isso, deixa de paranoia. Você sabe que ele tá preso.

(CATARINA): – Eu não sei de nada, Luiz. Esse desgraçado pode ter conseguido uma progressão de pena.

(LUIZ): – Tá, digamos que ele tenha conseguido, mesmo assim, é impossível ele ter nos encontrado aqui no Espírito Santo, há quilômetros de distância. – abraçando. – Você tá viajando, meu amor, relaxa!

(CATARINA): – Joga essa planta fora, Luiz! – se afastando. – Eu não quero nada que me lembre o Amapá nessa casa, eu não quero! – gritando.

Catarina sai correndo da sala e deixa Luiz preocupado com o estado da esposa, olhando para a muda de amapazeiro com desconfiança. Novamente, a campainha toca e Luiz vai atender: era Stefanny.

(STEFANNY): – Oi Seu Luiz. O Jonathan está? Tô precisando muito falar com ele.

(LUIZ): – Tá de castigo no quarto dele, mas pode ir falar sim, hoje ainda pode.

Stefanny compreende e sobe ao quarto do namorado, enquanto Luiz pega a caixa e joga na lata de lixo da cozinha.

CENA 07: MANSÃO DE CATARINA E LUIZ, QUARTO DE JONATHAN, INTERIOR, TARDE.

Jonathan está deitado em sua cama, escutando uma música no volume máximo no fone de ouvido, com os olhos fechados. Ele nem percebe Stefanny entrar, que chama por ele algumas vezes, mas é inútil. Então, ela puxa os fones e Jonathan acorda de seu transe.

(JONATHAN): – Stefanny, você veio me ver, que bom! – ele levanta e a abraça. – Tô com saudades.

(STEFANNY): – Então, Jonathan, eu vim aqui porque a gente precisa conversar sério. – se afastando. – Tipo, conversar sobre a gente, sabe? Nosso namoro, enfim.

(JONATHAN): – Sei… O que tem?

(STEFANNY): – Olha, eu não sei usar as palavras muito bem, então eu vou ser direta. Jonathan, eu não te amo mais, eu quero acabar nosso namoro.

Jonathan fica pasmo e senta na cama, sem acreditar no que escutou. Stefanny aguarda uma reação dele, que se mantém em silêncio.

(STEFANNY): – Não vai dizer nada, Jonathan?

(JONATHAN): – Porque isso agora, Stefanny? A gente sempre se deu super bem, se curtia legal, porque quer romper comigo? – surpreso.

(STEFANNY): – Sei lá, eu não quero mais, não sinto mais nada por você, acho melhor cada um seguir seu caminho, fim.

(JONATHAN): – Eu já entendi… É por causa da minha deformação né? Você não quer mais ficar comigo porque eu não sou mais bonito e popular, não é isso?

(STEFANNY): – E se for, algum problema? Eu não nasci pra ser enfermeira de doente. Você está horrível, Jonathan, sério eu sinto nojo quando olho pra você. Tua reputação na escola tá mais por baixo que a do Gustavo, aquele nerd virjão que todo mundo zoava e agora respeita. Cara, eu não queria ter que dizer isso, mas já que você pediu…

(JONATHAN): – Você não vale nada! Você nunca gostou de mim, você só gostava da minha beleza e do meu status na escola! Você me usou! – gritando.

(STEFANNY): – Não precisa gritar, eu não sou surda! Sinto muito por nosso namoro acabar desse jeito, mas eu não vou sujar minha reputação na escola ao teu lado. Eu não vou deixar de curtir um cara bonito e popular só pra namorar contigo por pena da sua deformação.

(JONATHAN): – Ordinária! Você me usou pra enganar a Maria e agora tá fazendo o mesmo comigo! Você não presta!

(STEFANNY): – E você presta menos ainda, aceitou entrar nesse jogo porque boa coisa não é. Agora eu vou indo porque tenho mais o que fazer do que conversar com um doente, meu estômago já está embrulhando. – ela vai sair, mas retorna. – Sucesso na plástica, espero que seja bem-feita, mas esteja ciente que milagre só Deus.

Stefanny ri e vai embora da mansão, deixando Jonathan extremamente abalado com as palavras dela. Em surto, ele começa a quebrar tudo o que encontra pela frente em seu quarto, com uma angústia e raiva muito grande.

CONTINUA…

NO PRÓXIMO CAPÍTULO: Bruna humilha Yolanda e apanha.

Anúncios

40 thoughts on “Descobertas – Capítulo 17

  1. Parabéns!
    Maria mudou completamente. Esperava isso mesmo, ficou mais forte e não admite mais bullyng.
    Bruna foi muito humilhada, mereceu.
    Catarina é uma mãe, sabe que o filho errou e puniu ele. Já Rosa acha sempre que a culpa é dos outros e não da mau caráter da Stefanny.
    Jonatan soube que nunca foi amado por Stefanny, ela só estava com ele por conveniência!
    A trama está ótima de ler. Fico ansioso pra ver o desenrolar. Adoro Descobertas.
    Victor esqueceu da transa com Wesley. Acho que eles vão namorar ainda. Essa festa que vai te na casa de Victor vai juntar os dois pra valer.

    Curtido por 1 pessoa

    • O sofrimento de Maria a tornou forte, agora ela não vai mais ficar calada diante do bullying que farão para ela. Catarina é uma mãe justa, ama Jonathan e justamente por esse amor, vai puni-lo, totalmente diferente de Rosa, que por amar Stefanny prefere se omitir de seus erros. A trama entre Wesley e Victor vai acontecer muita coisa ainda, o desenrolar será surpreendente. Fico feliz que está gostando, obrigado pelas opiniões, Gremista! ❤

      Curtir

  2. Uma problemática constante em Descobertas é o roteiro altamente didático. Em alguns momentos, os personagens aparecem contracenando de maneira bem espontânea e natural, mas em outros momentos (geralmente quando se é exigido maior seriedade) eles derrapam no didatismo e geram falas muito destoantes do contexto. Apesar de isso não atrapalhar o andamento da trama, deixa a história um pouco irregular.

    A história do triângulo Stefanny-Jonathan-Maria está se desenvolvendo a todo vapor. Temo que isso signifique que eles segurem a história até a sua metade e passem a outra metade em segundo/terceiro plano.

    Sinto informar, mas a nova Maria não é muito diferente da antiga Maria não. A Maria já deu uma prensa semelhante na Bruna capítulos atrás, mas se acovardou na primeira dificuldade. Não estranharia se a história se repetisse.

    Curtido por 1 pessoa

    • As vezes tem umas falas que adolescentes não falam. Mas esta dentro de um contexto certo. Na parte dos adultos tem diálogos que geralmente é falado de forma mais informal, mas na trama é muito formal. Isso não muda a minha opinião sobre a trama, que é bem escrita e didática, assim explica acontecimentos importantes em vários capítulos, pois se perdi um eu ficarei sabendo do principal ao ler o próximo. Hoje tivemos de novo a citação da página do Facebook que fizeram pra difamar Maria. Acho isso válido e gosto disso.
      A Maria de capítulos atrás era meio ingenua, pensava que Yolanda ia expulsá~la apos Bruna dizer que ela roubou o anel. Mas hoje Maria foi forte e mostrou estar mais atenta. Assim não será mais enganada. Maria tinha a ingenuidade das pessoas do interior. Na cidade as coisas é diferente. Precisa ter malícia pra sacar certas ações das pessoas.
      Respeito sua opinião, mas essa é a minha!!!

      Curtido por 2 pessoas

      • É, minha reclamação quanto às falas vai mais ou menos por esse caminho mesmo. Concordo que a trama é bem escrita, mas há um didatismo exagerado tanto nos diálogos quanto no roteiro em si. Não sou contra o estilo didático, mas o @airtonlucion tá pesando a mão nesse quesito.

        Quando falo “didatismo”, me refiro aos momentos em que o roteiro faz questão de escancarar que tipo de questão social a cena aborda.

        Verdade. Mas acontece que a Maria caipira ingênua teve peito pra enfrentar a Bruna com a mesma “fome” que a nova Maria. Mas como ainda não era a hora de fazer valer essa nova face, ela teve que se acovardar na primeira dificuldade. Essa “nova Maria” não é inédita.

        É assim que tem que ser, Gremista. É assim que se constrói um debate de opiniões. Adorei a sua resposta.

        Curtido por 1 pessoa

      • Tentarei ser mais específico para te ajudar a ver o que eu vejo. Talvez seja questão de costume mesmo, algo comum a você que seja incomum a mim, mas vamo fazendo e ajudando o colega, né non?

        Curtido por 1 pessoa

  3. Maria se mostrando bastante forte, adoro ❤ E será que pode rolar algo entre Gustavo e ela? Stefanny vai ficar duas semanas fora da escola, porém, merecia uma expulsão de meses para responder ao tribunal por aquele vídeo que vazou, só falta a história vir a tona, que ser mais monstruoso e petulante, odiei o modo que ela tratou Bruna e Jonathan, mesmo sendo ruins com a Maria e mostrando a eles que Stefanny não demonstra sentimentos nem de amizade e amor e já podem dar um diagnóstico de psicopatia para ela, a maldade dela é sem limites 😠 Eu acho que Catarina deve ter sido uma grande vítima de Jorge, pelo menos de agressão, esse cara parece que vai dar o que falar 😮 Terminei de ler e fiquei com gostinho de quero mais, adorei 😀

    Curtido por 1 pessoa

  4. Nossa gostei da briga delas.. o Jhonatan provando do próprio veneno.. emfim muito legal.. desculpa que fiquei uns 4 capítulos sem comentar..

    Curtido por 1 pessoa

  5. Stefanny merece aquele castigo bem feio mesmo pra deixar ciente de que ela não é impenetrável como deve pensar, menina nojenta, credo! Agora o Jonathan vê que ela não vale a poeira que acumula nos sapatos.
    Bruna tomou uma inesquecível, mas acho que ela vai dar o troco principalmente na ex amiga dela.
    Maria enfim acordou pra vida e está maravilhosa.
    O que será que Catarina tem a ver com Jorge, estou a pensar em muitas possiblidades e estou curioso 😀😊
    Um primor essa web novela, realmente fascinado 😊

    Curtido por 1 pessoa

    • Stefanny é uma adolescente muito cruel mesmo, ela vai aprontar muito ainda, mas pode deixar, o que é dela tá guardado. Bruna está sofrendo uma grande humilhação e seu envolvimento com Ryan será decisivo neste momento. O passado entre Catarina e Jorge está muito perto de ser revelado. Obrigado pelas opiniões, Jair, fico muito satisfeito que você tá curtindo tanto assim a trama! ❤

      Curtido por 1 pessoa

  6. E vim deixar a minha contribuição na audiência, li o capítulo mas não conseguirei fazer uma análise a tempo, motivos: dois textos de sociologia e uma atividade de química. Adorei o capítulo, Bruna sendo humilhada e agora, será o início do inferno de Catarina. Parabéns, Airton. 😀

    Curtido por 1 pessoa

  7. Após ser desmascarada, Bruna é destratada por Steffany. Aliás, Steffany é bem superficial. Não tem traços humanos, parece não ter sentimentos… E Maria desmascarou a vagabunda pra Yolanda também, amo. E posso estar enganado, mas acho que agora, Bruna vai se envolver mais com o Ryan e se meter em encrencas junto com ele. Afastado da escola e de castigo após os pais descobrirem o que fez com Maria, Jonathan está trancado em casa. Luiz e Catarina, reis, ótimos pais, ao contrário da Rosa, né… Falando no casal, eles recebem uma encomenda misteriosa do Jorge, um mistério gostosinho que quero desvendar. Steffany termina o namoro com o Jonathan, já era de se esperar, não dava pra esperar outra coisa dela.

    Parabéns, Airton!

    Curtido por 1 pessoa

    • Se Stefanny é tudo isso que você disse, então ela não é superficial, mas sim fria. O que aconteceu com a Bruna vai levá-la a uma aproximação com Ryan sim e isso será bem perigoso para ela. Catarina e Luiz amam Jonathan, mas souberam ser rígidos na hora que isso foi necessário. O mistério entre Jorge e Catarina está próximo de ser desvendado, adoramos. Obrigado pela opiniões, Jean! ❤

      Curtir

  8. Como Stefanny é maravilhosa, hein? Usou Jonathan e depois o jogou fora. É rainha mesmo! Ainda por cima deu uma bela lição em Bruna. Essa querida mereceu cada tabefe da rainha. E Rosa é outra dama, porém entre ela e Yolanda, a madrinha ganha. E deduziram que Jorge está de volta. E agora?

    Parabéns, Airton! 😀

    Curtido por 1 pessoa

  9. Morto com o capítulo. Sofrendo como esse povo apanha fácil da cobra da Ste , Bruna levou a pior apanhando duas vezes. Felizmente Maria vingada parte1 ♥. Ste humilhando Jonathan, morro. Agora esse babaca acordou.
    Parabéns pelo cap ;*

    Curtido por 1 pessoa

  10. Como a Bruna pode querer ser amiga de uma racista como a Stefanny.
    Espero que a Rosa sofra bastante por apoiar a atitude da bandida da filha.
    Amei o modo como a Maria e a Stefanny trataram o Jonathan, que ele sofra bastante ainda… ninguém mandou ele ser um laranja da Stefanny. ..agora aguenta “GARANHÃO”

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s