Descobertas – Capítulo 19

CENA 01: CASA DE VITOR, INTERIOR, MANHÃ.

Victor está dormindo no sofá da sala após a festa que aconteceu durante a madrugada na ausência de seus pais. Ele está em um sono pesado, só de cueca. De repente, sua mente começa a vagar para alguns dias atrás e, em um flash rápido, ele se vê beijando Wesley na boca. Imediatamente, Victor desperta e fica sentado no sofá, ofegante, tentando entender o que acaba de sonhar.

(VICTOR): – Caramba! Que loucura… Eu e o Wesley? Putz, não pode ser…

Victor permanece confuso, tentando entender se aquele beijo foi sonho ou recordação. Imediatamente, ele se veste e resolve ir atrás de Wesley antes da escola.

CENA 02: CASA DE FERNANDA E CARLOS, QUARTO DE WESLEY, INTERIOR, MANHÃ.

Wesley está se penteando com a mochila nas costas, pronto para sair pra escola. Naquele momento, Fernanda abre a porta e entra com Victor, surpreendendo Wesley.

(FERNANDA): – Oi filho, o teu amigo veio te procurar, ele quer falar contigo. Não demora muito, teu pai e teu irmão já estão no carro te esperando pra ir à escola.

Wesley compreende e Fernanda sai do quarto, logo ele cumprimenta Victor, que está visivelmente transtornado.

(WESLEY): – Tá tudo bem, Victor? Você tá com uma cara… E sua mochila? Não vai pra escola?

(VICTOR): – Não, eu tô de ressaca por ontem e tenho que arrumar a casa antes que meus pais voltem de viagem. Bom, eu tô precisando muito falar com você, é algo sério.

(WESLEY): – Tudo bem, pode falar. O que aconteceu, meu amigo?

(VICTOR): – Eu não sei explicar direito, foi algo muito estranho. É difícil de falar, sabe… Wesley, naquela noite que a gente saiu pra balada e eu dormi aqui, aconteceu alguma coisa?

Victor o encara fixamente e Wesley tem medo que o amigo tenha lembrando-se de algo.

(WESLEY): – Como assim? – aflito.

(VICTOR): – Sei lá, eu não lembro de nada, minha memória daquele dia se apagou de tanto que eu bebi, por isso tô te perguntando se eu fiz algo estranho, não sei direito… Você é meu melhor amigo, confio em você, não seria capaz de mentir pra mim.

(WESLEY): – Claro que não, eu nunca mentiria pra você. Aquela noite a gente curtiu a balada, você ficou bêbado, dormiu aqui, foi só isso. Porque essas dúvidas agora, Victor?

(VICTOR): – Porque eu tive um sonho muito esquisito, meu amigo, até agora eu não entendo porque eu sonhei isso. Só que eu tive uma sensação estranha, parecia uma lembrança… Não vai rir, hein? – respirando fundo. – Eu sonhei que estava te beijando na boca, Wesley. Cara, como pode isso? Eu e você, tipo, nada a ver! Eu nunca sonhei com outro homem desse jeito, ainda mais com você, que é meu brother de infância. Fiquei bem assustado!

Trilha Sonora: Como Fui (Rio Roma).

Wesley está perplexo ao saber que Victor lembrou do beijo deles, mas se alivia ao perceber que ele acredita ser um sonho comum. Logo, ouve-se uma buzina de carro.

(WESLEY): – Olha, deve ser meu pai, você sabe como ele é, melhor eu ir. Desencana com isso, Victor, foi só um sonho qualquer. – disfarçando a tensão.

(VICTOR): – Mas eu não sou gay, porque ia sonhar uma coisa dessas?

(WESLEY): – Não sei, mas o que eu posso dizer é que isso não foi real, até parece né? – rindo forçadamente. – Eu tenho que ir, até mais.

Wesley se despede com um tapinha no ombro de Victor e sai do quarto, enquanto ele permanece no quarto do amigo, pensando no sonho e na conversa, bastante confuso.

CENA 03: MANSÃO DE CATARINA E LUIZ, QUARTO DO CASAL, INTERIOR, MANHÃ.

Catarina está deitada na cama e já acordou do desmaio. Luiz está servindo um copo de água com açúcar para ela, enquanto acaricia seus cabelos.

(LUIZ): – Bebe isso aí e tente relaxar, você teve uma queda de pressão muito grande.

(CATARINA): – O Jonathan não pode descobrir a verdade, Luiz! Não deixa ele descobrir! – trêmula.

(LUIZ): – Ele não vai saber de nada, fique calma! Você está muito impressionada com os presentes sem remetente, mas não pode associar diretamente ao Jorge.

(CATARINA): – Quer mais evidências que ele já deu?

(LUIZ): – Eu não vi evidência alguma, é tudo imaginação da sua cabeça. O Jorge tá preso em Macapá, meu amor, ainda falta muitos anos pra ele terminar a pena. Mesmo que ele já estivesse solto, é fantasioso demais pensar que ele nos encontraria aqui no Espírito Santo tão rápido. Nós saímos do Amapá sem deixar vestígios e ninguém aqui de Vitória sabe do nosso passado, ponto final. Relaxa, Catarina! – dando um selinho.

(CATARINA): – Talvez você esteja certo, meu amor, eu estou muito impressionada mesmo. Mas você sabe como essa história me machuca, eu tenho tanto medo de reviver esse passado… – uma lágrima escorre. – Não deixa o Jonathan saber de nada, por favor!

(LUIZ): – Eu, mais do que ninguém, sei o quanto esse seu passado espinhoso ainda te machuca, mas eu tô do teu lado, sempre estive e vou continuar. Nosso filho não saberá de nada, não tem motivo. Agora, toma o calmante que o médico receitou, vai te fazer bem.

Luiz pega um comprimido no bidê e entrega a Catarina, que engole com ajuda da água com açúcar. Em seguida, eles se abraçam fortemente e Catarina chora de nervosismo.

CENA 04: PENSÃO DA YOLANDA, QUARTO DE BRUNA, INTERIOR, MANHÃ.

Trilha Sonora: Criminal (Britney Spears).

Bruna está deitada de bruços na cama bagunçada, com a mesma roupa que foi na balada, imóvel, olhando fixamente para parede, enquanto Yolanda a questiona.

(YOLANDA): – Filha, com quê direito você saiu de casa ontem à noite depois da nossa discussão? Você tava de castigo! Eu vi muito bem que você chegou em casa às 4 da madrugada, isso são horas de uma garota de família e menor de idade chegar em casa?

(BRUNA): – Me deixa, mãe… – zonza.

(YOLANDA): – Vamos, levanta daí, você vai tomar um banho e vai pra escola.

(BRUNA): – Eu não quero… – zonza.

(YOLANDA): – Não tem de não querer, eu tô mandando. Vamos, Bruna, levanta!

Yolanda começa a puxar Bruna, mas é inútil, ela permanece imóvel e, de repente, começa a rir sem parar e sem motivo algum, deixando sua mãe irritada. Após insistir muito inutilmente, Yolanda desiste e sai do quarto, enquanto Bruna segue rindo e zonza, sem noção do tempo que passou, com forte dor de cabeça. Tudo efeito do uso de cocaína após o período de prazer.

CENA 05: DIAS DEPOIS.

Maria e Jonathan continuam afastados, mas pensando um no outro, ainda apaixonados, porém magoados. Ele segue de castigo em casa, recebendo visitas esporádicas de Richard, a única pessoa que ainda conversa com ele. Luana segue pensando em virar youtuber, mas precisa encontrar uma linha de produção para seguir, e continua namorando firme com Richard. Wesley e Victor seguem próximos, embora Victor ainda esteja bastante desconfiado com o sonho que teve. Bruna e Ryan namoram escondidos e ela usou cocaína outra vez. Rômulo continua investigado o cyberbullying e chega cada vez mais perto do nome de Stefanny. Jorge não enviou mais presentes a Catarina, deixando ela mais aliviada, porém ele continua monitorando sua vida.

CENA 06: COLÉGIO MÁXIMO, SALA DE AULA, INTERIOR, MANHÃ.

Rômulo está explicando o conteúdo de Geografia quando, de repente, o sinal toca e começa um grande alvoroço na sala, pois é o último período e todos querem ir embora. Gritaria, correria, classes arrastadas, até que todos saem, exceto Stefanny, que se aproxima da mesa de Rômulo.

(STEFANNY): – Prof Rômulo, eu tô precisando falar contigo… Tem um tempinho?

(RÔMULO): – Claro, pode falar. Alguma dúvida sobre o conteúdo?

(STEFANNY): – Não, eu sou expert em Geografia, sabe. – rindo. – Eu quero falar mesmo sobre outra coisa. Vamos ser francos um com o outro? Você não vai com a minha cara né?

(RÔMULO): – Stefanny, você é minha aluna, eu te respeito como aluna e estou aqui pra te ensinar a minha disciplina.

(STEFANNY): – Ok, mas como pessoa, você não gosta de mim. E olha, eu também não gosto de você. Desde o começo, meu santo não bateu com o teu. Acho que isso é recíproco, mas você não quer confessar.

(RÔMULO): – Onde você quer chegar com essa conversa sem pé nem cabeça?

(STEFANNY): – Eu quero saber aonde você acha que vai chegar me investigado em sigilo? Ou você acha que eu já não sei que você quer me culpar pelo cyberbullying que a Maria tá sofrendo? Quando você vai com o diamante, eu já volto com os brincos prontos! Eu não tenho culpa nenhuma se o Jonathan expôs aquele vídeo erótico dela.

(RÔMULO): – Será mesmo? Algo me diz que você tem muito mais a ver nessa história do que aparenta. Nada me tira da cabeça que você é a culpada de tudo e que Jonathan, por mais irresponsável que ele tenha sido, não passa de mais uma vítima sua, não tão vítima quanto a Maria, mas também é vítima.

(STEFANNY): – É mesmo, professor? E como você provar isso hein? Pra justiça, não basta suposições, tem que ter provas concretas. Sabe quando você vai ter uma prova concreta conta mim? No dia de São Nunca porque eu não tenho culpa alguma.

(RÔMULO): – Talvez o dia de São Nunca esteja mais próximo do que você espera.

(STEFANNY): – Eu acho melhor você parar com essa sua investigaçãozinha barata. Não queira dar uma de Sherlock Holmes porque você não tem cacife pra isso, é só um professorzinho medíocre e metido a justiceiro dos fracos e oprimidos, sem futuro nenhum.

(RÔMULO): – Você está me ameaçando, Stefanny?

(STEFANNY): – Eu não ameaço, eu faço! É melhor parar de investigar, senão… Cuidado!

Trilha Sonora: Team (Iggy Azelea).

Stefanny abre um sorriso sarcástico e, violentamente, ela derruba todo o material da mesa de Rômulo no chão, deixando pasmo. Aluna e professor se encaram seriamente e ela vai embora com sua mochila, enquanto ele fica pensando na conversa que tiveram.

CENA 07: SHOPPING, INTERIOR, TARDE.

Trilha Sonora: Duele el Corazón (Enrique Iglesias).

Richard e Luana passeiam pelo shopping de mãos dadas, trocando beijos apaixonados enquanto observam vitrines de lojas, tomam sorvete na praça de alimentação e conversam bastante.

(LUANA): – Sabe, meu amor, eu estou pensando em qual tema eu poderia usar no meu canal no YouTube, mas eu tô sem criatividade. Tipo, já tem canal sobre tudo, eu não sei o que fazer!

(RICHARD): – Vish, eu sou ruim de criatividade hein… Bom, porque você não faz um canal sobre moda jovem?

(LUANA): – Ai não, muito fútil e patricinha, eu nem curto moda mesmo. Eu pensei em algo sobre insegurança na adolescência, mas tipo, eu vou ficar adulta um dia, e aí o canal ficará antiquado.

(RICHARD): – Porque você não faz um canal sobre bullying então? Sei lá, algo pra estimular as pessoas que sofrem bullying a se libertar. Você era uma vítima, tem experiência pra falar disso.

Luana fica cabisbaixa naquele momento e Richard sente mal, acariciando seu rosto. Eles se olham com carinho.

(RICHARD): – Desculpa? Eu não devia ter lembrado isso…

(LUANA): – Tudo bem, Richard, esse assunto ainda me machuca um pouco, mas eu consegui ser forte pra superar. Gostei da sua ideia, eu não conheço um youtuber que trate apenas de bullying. Vou pensar na possibilidade. Muito obrigado, meu amor, uma ideia brilhante assim só podia ter vindo de um cara maravilhoso como você.

Richard sorri e Luana se aproxima, dando-lhe um beijo romântico. Logo, eles saem para caminhar pelo shopping, quando passam pela porta de uma loja e esbarram, sem querer, em Rosa e Stefanny, que estão saindo da loja cheia de sacolas de compras. Os quatro se encaram.

(ROSA): – Oi, Richard, tudo bem? Como está a Fernanda?

(RICHARD): – Oi, Dona Rosa. A mamãe tá bem, em casa, como sempre.

(ROSA): – Sei, tô com uma saudade dela. Avisa que eu farei uma visitinha em breve.

(LUANA): – Você conhece a minha sogra?

(ROSA): – Ah, você é namoradinha do Richard? Pois bem, eu conheço muito a Fernanda sim, somos grandes amigas. Você é muito bonita… Qual o seu nome?

(LUANA): – Luana. Eu sou colega da Stefanny.

(STEFANNY): – Ai, vamos embora, mamãe? Quero ver aquele conjunto de brinco, colar, anel e pulseira!

(ROSA): – Claro, vamos sim. Tchauzinho!

(LUANA): – Ei, a senhora não se lembra de mim? A sua filha quebrou meus materiais da escola no início do ano…

(STEFANNY): – Minha mãe tem memória seletiva, ela não se lembra de coisinhas insignificantes.

Stefanny encara Luana fixamente e, em seguida, saem com Rosa pelo shopping, que fica meio sem-graça pela situação, mas não reprime a filha.

(LUANA): – Nossa, como essa Stefanny é estúpida! Não dá pra acreditar que a Rosa ache normal essa arrogância da filha. Mais inacreditável ainda é saber que a sua mãe é muito amiga dela, Richard!

(RICHARD): – Elas se conhecem há muitos anos, as duas também são amigas da mãe do Jonathan, esse trio é bem unido. – rindo. – Vamos continuar nosso passeio, tava tão divertido, não vamos deixar essa otária estragar nosso dia.

(LUANA): – Tem razão. Olha, se eu fizer um canal sobre bullying, juro que vou fazer um vídeo destruindo essa vaca!

(RICHARD): – É isso aí! – rindo. – Meu amor, o que você acha de posar lá em casa hoje? A gente sempre diz que vai posar um na casa do outro, mas nunca acontece…

(LUANA): – Ai, não sei… Eu tenho vergonha, meu amor, sei lá! Não quero que seus pais pensem besteira de mim.

(RICHARD): – Até parece né, eles vão gostar muito de ter você lá. Eu só espero que o papai não faça outro vexame… E aí, topa dormir lá em casa comigo?

(LUANA): – Tá, eu vou conversar com meus pais, mas a princípio, eu topo sim.

Richard vibra e dá um selinho em Luana, logo ambos seguem passeando pelo shopping.

CENA 08: PENSÃO DA YOLANDA, INTERIOR, TARDE.

Yolanda serviu o café da tarde para os hóspedes e Jorge está sentado próximo a ela, assim como Maria.

(YOLANDA): – Seu trabalho como motoboy na pizzaria tem sido bastante elogiado pelo povo, Jorge, principalmente pela sua pontualidade.

(JORGE): – Tô gostando muito de trabalhar ali, serei eternamente grato pela senhora ter me indicado. Eu vim de tão longe, não conhecia nada, a senhora foi uma mãe pra mim.

(MARIA): – Você sempre diz que veio de longe, mas não diz de onde. Eu vim de longe, mas o meu longe é o interior do Espírito Santo. E você?

(JORGE): – Eu vim de muito mais longe, Maria. Eu sou do Amapá.

(YOLANDA): – Meu Deus, do Amapá? Mas é muito longe mesmo, praticamente do outro lado do Brasil.

(MARIA): – Nossa… E o que te fez atravessar o país?

(JORGE): – Desejo de recomeçar minha vida, lá eu não tinha perspectiva alguma, nem nos estados próximos. Eu precisava ir pra longe, então escolhi o Espírito Santo aleatoriamente e estou gostando muito, não quero mais ir embora daqui. A não ser que a Dona Yolanda me enxote com uma vassoura.

Yolanda e Maria riem, assim como Jorge, que finge uma simpatia com sucesso. Logo, Bruna cruza pela sala, usando uma blusa que deixa a barriga de fora e uma calça jeans rasgada.

(BRUNA): – Vou dar um rolê, volto mais tarde.

(YOLANDA): – Que trajes e linguajar são esses, minha filha?

(BRUNA): – Ai, que saco, você implica com tudo hein! Eu vou sair com um amigo, coloquei essa roupa porque é descolada. Quer que eu ande como a senhora, feito uma freira miserável?

(YOLANDA): – Garota, você me respeita!

Yolanda levanta da mesa para ir atrás de Bruna, mas ela sai correndo da pensão. Em seguida, Jorge termina o café e se levanta.

(JORGE): – Bom, eu preciso sair também, tenho algumas entregas na pizzaria e um compromisso muito importante depois. O compromisso mais importante desde minha saída do Amapá. Torce por mim, Dona Yolanda!

(YOLANDA): – Pode deixar, meu querido, você merece tudo de melhor.

(MARIA): – Tchau, Jorge, boa sorte!

Jorge dá um beijo na testa de Maria e um abraço em Yolanda, saindo da pensão, bastante entusiasmado. Elas seguem tomando o café e conversando.

CENA 09: ATELIÊ, INTERIOR, NOITE.

Catarina está trabalhando em seu ateliê, quando se surpreende ao ver Jonathan entrar em sua sala. Eles se encaram.

(CATARINA): – O que você tá fazendo aqui, meu filho? Teu castigo ainda não acabou e eu não dei permissão pra você sair de casa.

(JONATHAN): – Boa noite pra você também. O papai me trouxe, eu tive que ir ao médico porque tive febre pela tarde, mas já tô melhor. Resolvi passar aqui porque queria pedir uma coisa pra você. O Richard me convidou pra comer uma pizza na casa dele nesse final de semana, talvez até posar lá. Eu pedi pro papai, ele negou, mas me disse que a decisão final é sua. E aí?

(CATARINA): – Teu castigo termina na próxima segunda-feira. Então, você ainda não pode sair nesse final de semana.

(JONATHAN): – Poxa mãe, só por causa de dois dias a senhora vai me prender dentro de casa! Que saco! O Richard é o único amigo que tá do meu lado depois que eu fiquei deformado, custa deixar eu ir na casa dele?

(CATARINA): – Eu estou te privando de tudo nesse mês de castigo pra você sentir na pele as privações que a Maria está passando por sua culpa. Quando seu castigo acabar, suas privações acabam também, já a Maria terá privações pelo resto da vida, por causa dessa exposição degradante que ela passou porque você achou engraçadinho iludir ela.

(JONATHAN): – Se eu tivesse como provar, eu abria minha boca porque eu não sou o único culpado dessa exposição.

(CATARINA): – Seja como for, você não vai nesse jantar no Richard. Só sai de casa a partir de segunda, quando teu castiga acabar.

(JONATHAN): – Eu não acredito, mãe, a senhora nunca foi tão rígida assim comigo!

(CATARINA): – Talvez se eu tivesse sido mais rígida, você não teria feito o que fez.

(JONATHAN): – Para de drama, logo a Maria supera isso que aconteceu, daqui a pouco ninguém mais lembra.

(CATARINA): – Ela vai conseguir superar, mas esquecer jamais. O trauma é uma ferida que sangra pela eternidade dentro de nós. Eu sei bem o que é isso…

(JONATHAN): – Isso tem a ver com aquele seu álbum de família e os presentes misteriosos, não é?

(CATARINA): – Vá pra casa com seu pai, Jonathan, eu preciso trabalhar mais um pouco. – disfarçando a tensão.

Jonathan se irrita e sai da sala, batendo forte a porta e deixando Catarina aflita.

CENA 10: ATELIÊ, EXTERIOR, NOITE.

Trilha Sonora: Numb (Link Park).

Jonathan sai do ateliê da mãe e se aproxima de Luiz, que está debruçado em seu carro em frente ao estabelecimento. De longe, com a moto estacionada atrás de uma árvore, Jorge observa os dois fixamente e percebe luzes dentro do ateliê. Jonathan e Luiz entram no carro e vão embora, então Jorge liga sua moto e dirige até o estabelecimento, estacionando em frente e descendo. Ele tira o capacete e observa atentamente o local, caminhando até a porta e entrando.

CENA 11: ATELIÊ, INTERIOR, NOITE.

Trilha Sonora: Numb (Link Park).

Jorge caminha no ateliê de Catarina e observa os quadros com pinturas, os objetos e estátuas, entre outros utensílios artísticos para venda. Ele deixa o capacete cair de sua mão e Catarina escuta o barulho de sua sala, ficando intrigada.

(CATARINA): – Será algum cliente? – olhando pro relógio no pulso. – Há essa hora, que estranho.

Catarina levanta da mesa e vai até o centro do ateliê, onde está as peças para venda. Ela vê um homem de costas, usando uma jaqueta de couro preta.

(CATARINA): – Boa noite. Em que posso ajudá-lo?

Naquele momento, o homem se vira e revela ser Jorge. Catarina desfaz o sorriso que havia em seus lábios, ficando séria e pálida. Jorge abre um sorriso e caminha em direção a ela.

(JORGE): – Oi, meu amor. Quanto tempo!

Catarina segue encarando Jorge com extrema perplexidade e nítido nervosismo, enquanto ele sorri sarcasticamente.

CONTINUA…

NO PRÓXIMO CAPÍTULO: Rômulo tem uma prova contra Stefanny sobre o cyberbullying contra Maria.

Anúncios

27 thoughts on “Descobertas – Capítulo 19

  1. Amei esse capítulo Airton, quero muitos embates entre o Jorge e a Catarina monamour… Sobre a Stefanny, Rosa e Bruna feat Patrícia que sumiu (amem irmaos) junta tudo e joga no lixo… Pense em quatro personagens desnecessárias na web.
    Mais cenas da YOLANDA RAINHA DA WEB
    E o andamento continua igual em relação ao Victor e ao Wesley (to adorando, quero esses dois juntos no final)…. Bjs de luz Airton :*)

    Curtido por 1 pessoa

  2. Quero ver de camarote a sequência do encontro de Catarina e Jorge.
    Nem uma magoa vencera o amor do Jonathan e Maria. Uma prova disso é essa parte de uma cena do capitulo de hoje.

    CENA 05: DIAS DEPOIS.

    Maria e Jonathan continuam afastados, mas pensando um no outro, ainda apaixonados, porém magoados.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Adorei o capítulo amigo. A parte do Weslley e do Victor me atrai demais porque será né kkkkkk Acho que o Victor realmente tá descobrindo sua sexualidade, um processo que é complicado mesmo. Ele tá se sentindo confuso e vai chegar uma hora que ele vai ter a prova real do que realmente ele sente. Eu passei por isso e é algo que choca mesmo a gente. Aí eu quero ver a reação dele quando descobrir que tudo foi real e não um sonho. Amei amg. Parabéns pelo capítulo e que venha o próximo.

    Curtido por 1 pessoa

    • Que lindo seu comentário, dizendo que viveu algo semelhante ao Victor, muito bom saber isso. A descoberta da nossa sexualidade é um momento crucial na adolescência, por isso quis retratar na trama. A relação entre Victor e Wesley terá rumos bem complexos, tão complexos quanto a descoberta de quem somos nesta fase da vida. Obrigado pelas opiniões, Gui! ❤

      Curtir

  4. Parabéns!
    Wesley não teve coragem de revelar tudo o que aconteceu naquela noite. Victor está demonstrando indícios que sente algo a mais que amizade por Wesley.
    Que cena deplorável foi aquela que Stefanny derrubou os materiais e ameaçou o professor. Vaca.
    Jonatan tem pais que o amam e o educam corretamente. Por isso ele se arrependeu da canalhice que fez com Maria. Já Rosa se omite diante das ações de Stefanny.
    Bruna completamente rebelde e drogada. Jorge continuando ser falso com as pessoas da pensão e no final do capítulo ficou frente a frente com Catarina.
    Que gancho hein, o próximo capítulo promete.
    Adoro descobertas.

    Curtido por 1 pessoa

    • Victor está passando por um momento delicado de entender a si mesmo, enquanto Wesley tem medo de que ele lembre de tudo e perca sua amizade. Essa cena da Stefanny com Rômulo tem muita importância, ela vai enfrentar o professor de maneira drástica. A forma como os pais de Jonathan o tratam foi essencial para ele entender o quão errado ele foi com Maria, assim como a deformação no rosto o fez perceber quem eram as pessoas ao seu lado. O encontro entre Jorge e Catarina será bombástico, não perca amanhã. Obrigado pela participação, Gremista! ❤

      Curtir

  5. Ótimo capítulo !!! Victor e Wesley são os meus favoritos torcendo pra trama deles andar, Wesley meu filho agarra esse boy…Confesso que essa história do Jorge não me agrada mas vamos ver no que vai andar,

    Curtido por 1 pessoa

    • Wesley ama o Victor, muito mais depois do que rolou, mas como Victor esqueceu de tudo e segue vivendo como o hétero de sempre, ele tem medo de confessar o que sente e perder sua amizade. Esse conflito entre os dois ainda vai render muito, a trajetória deles será bem complexa na descoberta da sexualidade. Obrigado pela participação, Carlos! 😀

      Curtir

  6. Mais um capítulo ótimo 😀 Espero que Victor também se descubra apaixonado por Wesley, deve ser bastante difícil idealizar um amor com percalços :/ E que Stefanny não consiga complicar a investigação de Rômulo, eu quero que ela se ferre 😡 Jorge assusta Catarina, o que será de tão horrível que ele fez com ela? E ele a encontrou 😮 Aguardo o novo capítulo vir às 19h 😉

    Curtido por 1 pessoa

  7. Wesley não conta para Victor sobre a transa dos dois, já era de se esperar. Steffany confronta Rômulo e joga seus materiais no chão. Ele não vai fazer nada? Desde quando um aluno pode fazer isso com um professor? Catarina, rainha, se mantém rígida com o Jonathan, uma justa dessas. E falando em Catarina, Jorge entra no seu ateliê e os dois ficam frente a frente. Ela diz que sofreu um trauma, só consigo imaginar que o Jorge a estuprou e disso, nasceu o Jonathan. Pronto, teoria formada, agora é aguardar a revelação e descobrir se acertei ou não.

    Parabéns, Airton ❤

    Curtido por 1 pessoa

    • Wesley ficou com medo de revelar e perder a amizade de Victor, mas será que foi o melhor caminho? Rômulo ficou calado diante do surto de Stefanny porque ele sabe como confrontar ela de um jeito mais pesado e tem a ver com cyberbullying de Maria. Cataria, uma mãezona, ela ama Jonathan e justamente por isso tá tendo pulso firme e irredutível com ele. Gostei da teoria sobre o passado entre Catarina e Jorge, aguarde o próximo capítulo pra resposta. Obrigado pelas opiniões, Jean! ❤

      Curtido por 1 pessoa

  8. E finalmente, terminei o texto, mas ainda tenho que revisar e editar. Mas, por agora, deixo a minha contribuição na audiência. Parabéns, Airton. Ansioso para saber o passado de Jorge e Catarina.

    Curtido por 1 pessoa

  9. Mort com a conversa tensa entre Wesley e Vitor. Stefanny confrontando Rômulo, a cobra fala na cara msm , socorro. E finalmente esse encontro entre Jorge e Catarina. Parabéns pelo cap ;*
    Choq com o prox cap , Rômulo tem uma prova contra a vaca da Ste.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s