Descobertas – Capítulo 25

CENA 01: VESTIÁRIO, INTERIOR, TARDE.

Victor está confrontando Wesley após se recordar do que aconteceu.

(VICTOR): – Quando eu entrei nesse vestiário e te vi no banho, minha memória clareou e eu tive a certeza daquilo que eu mais tinha medo: nós transamos de verdade! Não era um sonho, era uma lembrança!

Wesley fica pálido e imóvel diante da certeza de Victor a respeito do que houve entre eles. Os dois se enceram fixamente em um silêncio mortal.

(WESLEY): – Calma, Victor, eu posso te explicar e…

Irritado, Victor interrompe Wesley dando um soco em sua boca, fazendo-o cair no chão. Wesley está pasmo, enquanto Victor o encara com raiva.

(WESLEY): – Que isso, cara, vamos conversar com calma! – levantando.

(VICTOR): – Conversar o quê, seu babaca! Já tá tudo muito claro pra mim! Você se aproveitou que eu tava bêbado e me levou pra cama! Que nojo! Agora eu entendo aquelas piadinhas da Stefanny, agora faz sentido teu sofrimento pela morte do Lucas… Você é gay, Wesley! Gay! Devia ser namoradinho do Lucas né? Como eu não desconfiei antes…

(WESLEY): – Quer saber? Eu sou gay sim, tá! Sou gay! Mas eu tenho vergonha de ser assim, tentei me controlar, tentei mudar, mas eu não consigo, é mais forte que eu!

(VICTOR): – Você é gay, mas eu não sou! A gente sempre foi brother, cara, como você fez isso comigo, traiu nossa amizade de um jeito tão sujo! Eu sou hétero, gosto de mulher, você se aproveitou que eu tava bêbado porque sabia que sóbrio eu nunca transaria contigo!

(WESLEY): – Não foi bem assim também, não jogue toda culpa pra mim, daqui a pouco vai dizer que eu abusei de você!

(VICTOR): – Claro que abusou, eu tava bêbado! Várias vezes eu tinha lembranças e te procurava, você sabia do meu sofrimento em cogitar que eu tinha te beijado, mas você foi dissimulado a ponto de mentir todas as vezes que eu te procurei.

(WESLEY): – Eu menti porque tinha medo da sua reação, não queria perder tua amizade porque eu gosto muito de você.

(VICTOR): – Cala boca, não fala que gosta de mim, seu viado! – gritando.

(WESLEY): – Que isso, Victor, também não precisa ser grosso desse jeito…

(VICTOR): – Quer que eu seja como diante de você depois dessa traição? Eu olho pra você e lembro daquela noite, me embrulha o estômago pensar que eu te beijei, que eu te toquei, que nós dois transamos… Eu não sou da tua raça, Wesley, eu sou homem de verdade!

(WESLEY): – Você tá com raiva porque lembrou do que aconteceu, mas quer saber da verdade? Sua maior raiva é ter que admitir pra si mesmo que você tomou a iniciativa!

(VICTOR): – Como é que é, sua bicha enrustida? – agarrando pela gola da camisa. – O que você tá querendo insinuar hein?

(WESLEY): – Você ficou bêbado e se revelou! Foi você quem me beijou primeiro, foi você quem insistiu pra gente transar! Isso você não quer admitir né? Mas essa é a verdade! – se soltando. – Eu sou gay sim, sinto atração sexual por ti, mas eu não tomei a iniciativa, eu não seria capaz de me aproveitar de você naquela condição. Talvez seja verdade o que dizem por aí: tem héteros que só são héteros até a primeira garrafa de cerveja!

Victor fica enfurecido com as palavras de Wesley e desfere dois socos em seu rosto, fazendo cair no chão. Em seguida, Victor começa a chutar Wesley no chão, enquanto ele tenta defender seu rosto com as mãos.

(VICTOR): – Toma, seu viado de merda! – chutando.

(WESLEY): – Para com isso, Victor! – gritando.

Victor para de chutar e ergue Wesley pela camisa, correndo com ele até a parede e o prensando, começando a desferir vários socos em seu estômago. De repente, Gustavo entra no vestiário e vê a briga, se aproximando rapidamente e separando os dois. Quando Wesley se solta de Victor, ele cai sentado no chão, escorado na parede, sangrando muito.

(GUSTAVO): – Que isso, cara, porque tá batendo nele, vocês são amigos!

(VICTOR): – A gente era amigo, não somos mais! Ele é um traíra, toma cuidado, Gustavo. Nunca mais se aproxime de mim, Wesley, eu tenho nojo de você. – gritando.

Victor pega sua mochila e vai embora do vestiário, enquanto Gustavo ajuda Wesley a levantar e faz uns curativos em seus machucados pelo corpo. Silenciosamente, ele chora após a humilhação sofrida.

CENA 02: PENSÃO DA YOLANDA, INTERIOR, TARDE.

Jonathan e Jorge estão sentados lado a lado no sofá, quando Yolanda entra na sala com um refresco na mão e Maria entra com o cabelo molhado após o banho.

(MARIA): – Oi Jonathan, você queria falar comigo?

(JONATHAN): – Oi Maria. – ficando em pé. – Você tem um tempinho?

(MARIA): – Claro, vamos pro meu quarto.

(YOLANDA): – E o suco, Jonathan?

(JONATHAN): – Obrigado, Dona Yolanda, mas fica pra depois.

Yolanda compreende e Jonathan sobe com Maria até seu quarto, enquanto Jorge observa tudo, intrigado. Yolanda senta ao lado de Jorge e pega o prato de sopa de novo.

(JORGE): – Eles são amigos, Dona Yolanda?

(YOLANDA): – Mais ou menos, eles foram namoradinhos por um tempo, mas brigaram. No fundo, minha afilhada ainda gosta dele, apesar dele ter sido um canalha.

(JORGE): – É mesmo? O que ele fez?

Yolanda começa a contar para Jorge sobre as atitudes de Jonathan, enquanto serve a sopa na boca do hóspede com o braço engessado.

CENA 03: PENSÃO DA YOLANDA, QUARTO DE MARIA, INTERIOR, TARDE.

Maria e Jonathan estão sentados na cama, enquanto ele observa os detalhes da decoração do quarto com atenção.

(MARIA): – O que foi, Jonathan?

(JONATHAN): – Eu não conhecia o seu quarto ainda. É muito bonito.

(MARIA): – Você não veio aqui pra falar da decoração do meu quarto né?

(JONATHAN): – Não, eu vim porque precisava de companhia. Tô com a cabeça explodindo depois da minha mãe me contar algumas coisas do passado dela e que envolve a mim também.

(MARIA): – Nossa, que chato, dá pra ver que você tá abalado. O que foi hein?

(JONATHAN): – Ah, coisas de família, é difícil falar, só sei que mexeram muito comigo e eu tava precisando de uma companhia, lembrei de você.

(MARIA): – Ah sei… Não lembrou do Richard, seu melhor amigo?

(JONATHAN): – Ele não atendeu minhas ligações nem respondeu no Whats. Ele é meu melhor amigo sim, mas eu tenho muito carinho por você também, Maria. Vocês dois foram às únicas pessoas que não se afastaram de mim depois que fiquei deformado.

(MARIA): – Sabe Jonathan, foi até boa sua visita, eu tô precisando falar contigo sobre a história do vídeo íntimo. Fui visitar o prof Rômulo na prisão, ele tá acabado, corre o risco de nunca mais dar aulas. Isso tudo só pode ser armação da Stefanny, que roubou as provas do professor e colocou a droga no lugar. Pra punir aquela patricinha ordinária, eu tenho que fazer uma denúncia pra polícia investigá-la, só que pra ajudar seria importante alguma testemunha. Quem melhor do que você, que participou de tudo?

(JONATHAN): – Eu? Você quer que eu testemunhe contra a Stefanny na polícia?

(MARIA): – É o justo, não é? A Stefanny precisa ser punida, só que não basta a minha denúncia, ela precisa ter alguma base, se você depor a meu favor e contra ela, será o estopim pra polícia investigar. Só que, se você fizer, estará assumindo suas responsabilidades diante da lei e sofrerá punições também. Você estaria disposto a se entregar pra polícia como cúmplice da Stefanny pra me defender?

Jonathan fica pasmo com o pedido de Maria, levanta da cama e caminha pelo quarto, pensativo. Maria levanta e se aproxima dele, segurando em suas mãos.

(MARIA): – Por favor, Jonathan, me ajuda! Eu tô desesperada tentando encontrar uma forma de punir esse crime que a Stefanny fez comigo, só posso recorrer a você, pois óbvio que a Patrícia não vai colaborar. Se você gosta de mim, se você se arrependeu, me dê essa prova: deponha contra a Stefanny pra me ajudar, correndo o risco de ser punido!

(JONATHAN): – Caramba, Maria, que pedido tenso, fui pego de surpresa! Mas olha, você tem razão, isso é o justo. Eu tenho uma dívida contigo e tá na hora de você cobrar mesmo. – respirando fundo. – Eu vou depor a seu favor, nem que pra isso eu seja punido também. Essa será minha prova de amor a você, Maria.

Trilha Sonora: Ciego (Reik).

Maria sorri e abraça Jonathan, que retribui o afeto abraçando fortemente. Lentamente, eles afastam seus rostos, mas permanecem abraçados, olhando fixamente um pro outro. Logo, Maria e Jonathan dão um beijo longo e apaixonado, se entregando a atração que os une.

CENA 04: CASA DE FERNANDA E CARLOS, INTERIOR, TARDE.

Richard está cabisbaixo no sofá, abalado após a discussão com o pai. Fernanda está ao seu lado, acariciando seus cabelos.

(FERNANDA): – Oh meu filho, não fica assim não… Tente entender seu pai.

(RICHARD): – Entender aquele autoritário? Não! Como a senhora pode defender ele ainda? A senhora não é feliz nesse casamento e eu sei disso, não adianta fingir. O papai nunca te tratou bem, com carinho, ele é machista, como à senhora aguenta?

(FERNANDA): – Deixa isso pra lá, Richard, o que importa é que você vai fazer a faculdade que você quiser, basta ter um jeitinho com seu pai. Não confronte, é melhor.

Richard fica calado e Fernanda beija o rosto do filho, quando Wesley entra em casa, chamando atenção pelos seus curativos e machucados.

(FERNANDA): – Meu Deus, o que foi que aconteceu contigo, meu filho? – indo até ele.

(RICHARD): – O que foi isso, meu irmão? Te assaltaram? – pasmo.

(WESLEY): – Cadê o papai? – sério.

(CARLOS): – Tô aqui. – entrando na sala. – Mas o que é isso, Wesley? – surpreso.

(FERNANDA): – Vamos te levar no hospital agora, você apanhou muito, pelo visto.

(WESLEY): – Não, eu quero falar primeiro. Eu vim caminhando do campo de futebol, pensando muito se eu falava ou não, resolvi falar, que bom que estão todos aqui. – respirando fundo. – Família, eu sou gay!

Fernanda, Carlos e Richard recebem a notícia como uma bomba, ficando imóveis, calados e pálidos, enquanto Wesley os observa com apreensão.

(FERNANDA): – Gay? Mas… Você tem certeza, filho?

(RICHARD): – Eu já desconfiava que tinha algo diferente em você, mas não tinha certeza que podia ser isso.

(CARLOS): – Não, isso só pode ser zoação né? Você ser gay? – rindo. – Conta outra, moleque, você saia com garotas, até me contou que perdeu a virgindade com uma colega da escola esses dias.

(WESLEY): – Tudo mentira, pai, eu inventava tudo isso pra esconder minha sexualidade. Eu tinha vergonha de ser gay, não conseguia me aceitar, foi muito difícil me entender como eu sou. Só que hoje, quando o Victor me deu essa surra ao descobrir que sou gay, eu resolvi contar tudo pra vocês. Cansei de viver de mentiras, eu vou me assumir pra todo mundo, vou ser quem eu sou, chega de me esconder. Eu sou gay!

(RICHARD): – O Victor te bateu? Mas que desgraçado, eu vou quebrar a cara dele!

(CARLOS): – Por quê? O Victor está certo, eu também bateria num amigo se descobrisse que era gay.

(FERNANDA): – Eu não acredito que você tá dizendo uma coisa dessas, Carlos! Isso é preconceito!

(CARLOS): – Pode me chamar de preconceituoso, eu aceito, mas o que eu não aceito é ter um filho invertido! Eu não te aceito desse jeito torto, Wesley!

(WESLEY): – Pai, eu sou o mesmo Wesley de sempre: seu filho, com o mesmo caráter, a mesma vocação pros estudos, não mudou nada, só minha orientação sexual. O que importa se eu gosto de mulher ou de homem, eu continuo sendo seu filho!

(CARLOS): – Se você for gay mesmo, não é mais meu filho, tá morto pra mim e ainda te coloco pra fora de casa! Eu não vou sustentar viado! Ou você vira homem de verdade ou tá na rua!

(RICHARD): – Para com isso, pai, deixa o Wesley viver a vida do jeito dele, não tem problema nenhum ele ser gay.

(CARLOS): – Cala boca, não se mete, o pai aqui sou eu! É muita desgraça no mesmo dia, eu não merecia isso… Tudo culpa sua, Fernanda!

(FERNANDA): – Minha? O que foi que eu fiz agora, Carlos?

(CARLOS): – Um filho vagabundo, querendo virar artista de cinema, e o outro filho uma bicha, querendo virar mulherzinha. Isso é culpa da péssima educação que você deu ao Richard e ao Wesley, se você tivesse sido uma mãe mais presente, eles não teriam desviado pra esse caminho vergonhoso!

(FERNANDA): – Eu fui uma ótima mãe, eduquei muito bem nossos filhos, eles não têm nada de errado! Se teve alguém ausente nessa família, foi você, que dedicou todo seu tempo ao trabalho, nunca demonstrou afeto a mim e aos filhos.

(WESLEY): – Chega, não briguem por minha causa, desculpem por decepcionar vocês.

(RICHARD): – Você não decepcionou ninguém, não tem nenhum problema em você. – ficando ao lado do irmão. – Eu tô do seu lado.

(CARLOS): – Ótimo, fiquem aí, lado a lado, assim a surra será de uma vez só! – tirando o cinto da calça. – Eu devia ter dado esse corretivo quando eram crianças, mas tudo bem, nunca é tarde, quem sabe vocês criam juízo depois de marmanjos!

Carlos vai bater em Richard e Wesley com o cinto, mas Fernanda se coloca em frente e acaba levando uma cintada muito forte no rosto, deixando uma marca vermelha.

(RICHARD): – Não bate na minha mãe, seu canalha! – gritando.

Richard avança em Carlos, empurrando o pai, enquanto ele segura forte nos braços do filho e o joga no sofá, começando a desferir vários golpes de cinto nele. Fernanda se aproxima e puxa Carlos para trás, até que ele dá uma cotovelada no rosto dela, fazendo-a cair no chão. Em seguida, Carlos se aproxima de Wesley e lhe aplica vários golpes de cinto também, ignorando os machucados do filho, que corre para seu quarto enquanto leva cintadas. Richard corre até Fernanda e a ajuda a levantar, com o canto do olho sangrando muito.

(CARLOS): – Eu vou sair pra espairecer. Quando voltar, quero o Wesley pra fora dessa casa. Ele não é mais meu filho, eu não aceito filho invertido.

(RICHARD): – A mamãe devia te denunciar pra Lei Maria da Penha! – chorando.

(CARLOS): – Por causa de um machucadinho besta desses? – rindo. – Vou beber que eu tô precisando.

Carlos coloca o cinto na calça e sai de casa, enquanto Fernanda chora compulsivamente sentada no sofá, com o rosto sangrando. Desolado, Richard limpa as lágrimas e sai de casa também, deixando-a preocupada. Logo, Wesley sai do quarto e se ajoelha em frente à mãe, deitando sua cabeça em seu colo, chorando também.

CENA 05: PENSÃO DA YOLANDA, INTERIOR, TARDE.

Maria e Jonathan descem as escadas e chegam à sala, onde Yolanda e Jorge estão conversando no sofá.

(MARIA): – Madrinha, tenho boas notícias: o Jonathan vai nos ajudar no processo contra a Stefanny, ele vai depor contra ela e a meu favor.

(YOLANDA): – Ai, que maravilha! – levantando e abraçando. – Que bom que os anjos iluminaram sua cabeça e você aceitou nos ajudar, Jonathan.

(JONATHAN): – É o correto, Dona Yolanda, eu devo isso a Maria. – se afastando. – Eu amo muito sua afilhada e quero provar isso, nem que tenha que me entregar pra polícia. Eu fui errado, tenho que arcar com as consequências, mas a Stefanny também precisa disso.

(MARIA): – Principalmente ela, que não vale nada, que arquitetou tudo isso contra mim sem sentido algum, puro ódio gratuito.

(YOLANDA): – Bom, agora você não vai recusar meu refresco, Jonathan! Vem, Maria, me ajude a preparar um refresco pra todos nós.

Maria aceita e vai com Yolanda até a cozinha, deixando Jonathan e Jorge sozinhos na sala, novamente.

(JORGE): – Eu moro aqui na pensão, mas nunca tinha te visto.

(JONATHAN): – Na verdade, eu nunca tinha entrado aqui.

(JORGE): – Ah sim… Eu trabalho numa pizzaria, vou te deixar o cartão dela. – tirando do bolso e entregando. – Se você quiser alguma encomenda, só ligar que eu entrego.

(JONATHAN): – Muito legal, vou encomendar sim, eu e minha família adoramos pizzas.

(JORGE): – Deixa eu adivinhar: sua mãe gosta de sabor frango com catupiry e seu pai tem preferência por sabor calabresa com bacon. Acertei?

(JONATHAN): – Acertou. Como você sabe? – surpreso.

(JORGE): – Chutômetro! – rindo.

Jonathan ri timidamente, mas fica intrigado, enquanto Jorge observa seu filho com sarcasmo. Logo, Yolanda e Maria trazem o refresco e todos bebem enquanto conversam. Naquele instante, Bruna desce as escadas, muito sonolenta e cansada, porém querendo sair para se drogar. É quando ela avista a bolsa de sua mãe em cima da mesa da cozinha e, discretamente, ela vai até lá sem ser vista, abre a bolsa, retira a carteira e pega todo o dinheiro, colocando no bolso de seu short e voltando para seu quarto.

CENA 06: BOATE, INTERIOR, NOITE.

Trilha Sonora: Can’t Stop The Feeling (Justin Timberlake).

A música está no volume máximo, com todas as pessoas dançando pela boate. Bruna, Ryan e Patrícia estão entrando, bastante animados, embora visivelmente cansados.

(PATRÍCIA): – Cara, que ideia genial de falsificar as carteiras de identidade, assim a gente pode entrar em qualquer boate mentindo nossa idade.

(RYAN): – Eu sou profissa né, sei dos paranauês. – rindo. – Agora vamos curtir porque eu quero ficar bem doidão hoje!

(BRUNA): – Adoro, eu também, até descolei uma graninha da minha mãe. Quer dizer, eu roubei, mas ela nem vai dar falta, é uma tonta em Matemática. – rindo e entregando o dinheiro a ele.

(RYAN): – Oh minha gata, isso aqui não paga nem tua dívida na boca de fumo, muito menos comprar drogas novas hoje. Mas tá, eu vou aceitar, depois tu paga certinho. – entregando pacote. – Tô te esperando aqui, gostosa!

Bruna ri e sai com o pacote de cocaína. Ryan vai ao bar e pede uma batida com energético e, disfarçadamente, coloca um comprimido de ecstasy dentro, bebendo rapidamente e ficando visivelmente alucinado na pista de dança. Patrícia está caminhando pela boate, animada com a música, quando avista Richard encostado na parede, bebendo um drink, cabisbaixo. Ela se aproxima e fica ao seu lado.

(PATRÍCIA): – Oi Richard, não esperava te ver por aqui. E a Luana hein? – rindo. – Safadinho!

(RICHARD): – Não é nada disso, Patrícia, só precisei espairecer, tive uns problemas com meu pai hoje, quero esquecer.

(PATRÍCIA): – Sei como é, quando tive uns problemas com a Stefanny, também vim nessa boate pra esquecer.

(RICHARD): – E você conseguiu? Porque eu não tô conseguindo muito não, sabe…

(PATRÍCIA): – Consegui, depois que eu conheci o Ryan e ele me apresentou umas substâncias que me fizeram viajar pra outra dimensão. Quer provar também?

(RICHARD): – Substâncias? Drogas, você quer dizer né?

(PATRÍCIA): – É, mas e daí? Richard, olha pra essa boate lotada: todo mundo tá drogado! Bebidas alcoólicas, cigarro, maconha, cocaína, LSD, ecstasy e sabe-se lá mais o quê! Agora me diz: você tá vendo alguém triste, alguém chorando? Eu não vejo… – tirando da bolsa umas pedras e entregando nas mãos dele. – Se desprenda da hipocrisia e seja feliz, bonitinho!

Patrícia beija o rosto de Richard e o deixa sozinho, com as pedras de crack na mão, muito pensativo. Ele olha para todos os lados e vê pessoas alegres, enquanto ele se sente excluído e invisível, com vontade de chorar. Richard cogita usar as drogas, mas sabe que aquilo é errado e faz mal pra saúde, porém a vontade de sair daquela angústia é grande. Usar ou não usar? Eis a questão de Richard!

CONTINUA…

NO PRÓXIMO CAPÍTULO: Wesley procura Rosa e revela que foi namorado de Lucas.

Anúncios

42 thoughts on “Descobertas – Capítulo 25

  1. Que violência desse Carlos! Pra mim, já pode morrer que não vai fazer falta esse monstro em forma de gente.
    Victor bem otário, espancou o Wesley, ele que merece uma surra bem dada, ordinário… espero que o Wesley não perdoe ele jamais.
    Jorge só comendo pelas beiradas como sempre.
    Tomara que o Richard não faça essa besteira, tomara!

    Curtido por 1 pessoa

  2. (CARLOS): – Se você for gay mesmo, não é mais meu filho, tá morto pra mim e ainda te coloco pra fora de casa! Eu não vou sustentar viado! Ou você vira homem de verdade ou tá na rua!

    😦

    Curtido por 1 pessoa

  3. Eu acho tão engraçado que os personagens “vítimas” têm coragem de enfrentar os outros, mas quando tão apanhando eles se acovardam. Primeiro a Maria, agora o Wesley. Eu tava gostando muito da desenvoltura dele com o Victor, mas bastou ele começar a apanhar pra se comportar como uma criancinha indefesa. Sim, a Maria e o Wesley são covardes, porque eles provam que sabem se defender daqueles que atiram pedras contra eles, mas não têm coragem de fazer isso na prática. Eles só são valentes quando tão por cima, mas basta alguém crescer pra cima deles que eles se acovardam.

    Falando em covardia, o Victor foi bem covarde em agredir o Wesley, ner? Apesar de previsível, a reação dele me surpreendeu. Ele parecia mais aberto ao diálogo no gancho do capítulo anterior. Bom, agora só resta esperar o momento em que isso começar a pesar na consciência dele.

    Gente, o que foi essa cena 04? Que caos, que confusão. E que difícil de acreditar que dois homens e uma mulher consigam apanhar de um homem só ao mesmo tempo. De qualquer forma, a cena não me conseguiu passar a carga que deveria.

    Gente, nem lembrava que o Gustavo existia. Pena, personagem esquecido.

    Sinceramente? Não vejo por que envolver o Richard nesse núcleo, ele não tem um bom motivo para estar ali. O Wesley não, o caso dele seria até compreensível, mas o Richard…

    Falando em Wesley… o cara gostou de ser saco de pancadas, né? Brincadeiras à parte, é até coerente essa atitude que ele tomou de abrir o jogo com todo mundo. Vamo ver se pelo menos a Rosa vai ser mais compreensiva…

    Curtido por 1 pessoa

    • Não acha que está sendo muito rígido com o Wesley? O garoto é todo problemático em relação a sua identidade, se viu obrigado por pressão a se assumir, ele enfrentou todo mundo sim, mas não de maneira física, mas ele foi corajoso ao finalmente assumir quem ele é de verdade. Só que Victor e Carlos partiram pra ignorância, foram preconceituosos, tanto de maneira verbal como física, e ele fragilizado emocionalmente do jeito que está, acabou não conseguindo reagir. Obrigado pela participação, Glay! ❤

      Curtir

  4. Raiva e pena do Wesley, apenas sentir…
    Richard, ah esse, parece meio desconexo com o núcleo. Embuste! Mas vamos ver o andar dos próximos capítulos.
    No mais, adorei o capítulo recheado de tiro, porrada e bomba!

    Curtido por 1 pessoa

  5. Estou enojado pela forma como Carlos trata sua família. Victor foi muito escroto. Isso é sintoma de gay que não quer se assumir. Victor sabe que quis transar, mas agora bota a culpa no Wesley.
    Wesley sofreu muito hoje.
    Jonathan provou que ama Maria, vai ajudá-la. Jorge se aproximando de seu filho.
    Bruna começando a roubar sua mãe pra se drogar, agora as coisas só pioram na questão das drogas.
    Ryan drogado como sempre, Patrícia oferecendo pro Rychard. Acho que ele vai usar para esquecer do problema familiar.
    Gostei do capítulo.
    Airton sua abordagem das drogas é excelente. Amo Descobertas. Cada capítulo há uma reviravolta. Parabéns!

    Curtido por 1 pessoa

    • Pois é, Victor bateu em Wesley pela incapacidade de aceitar a realidade, não que isso justifique seu preconceito, mas foi esse o lamentável motivo. O sofrimento de Wesley o fará ter força para enfrentar a todos a partir de agora. Jonathan vai se entregar a polícia para punir Stefanny, uma prova de amor a Maria sim. Sobre o núcleo das drogas, que bom que está gostando, as coisas vão pesar cada vez mais. Obrigado pelas opiniões, Gremista! ❤

      Curtir

  6. E vamos ao #AnalysisToday ✌😛 de hoje.

    Descobertas – Capítulo 25

    Wesley revela a Victor que é gay e que eles transaram e acaba levando uma surra – que ódio do Victor agora, ele sempre foi um escroto, mas agora, ele ultrapassou os limites, e ainda diz que não é homofóbico, se não for homofobia, isso é o quê, hein? 😬😬😬, virei hater do Victor porque sim, ainda bem que o Gustavo apareceu, um personagem que merecia destaque, pois pisa em muitos personagens lixosos por aí – Wesley resolve assumir a sua família que é homossexual e acaba sendo humilhado e juntamente a Richard e a Fernanda acaba apanhando de Carlos – como o Glay disse, a cena ficou bastante confusa, o motivo de toda a confusão foi o Richard, eu não o tiraria da cena, mas sim a participação dele na surra, também tirava a cintada que a Fernanda leva do Carlos e também o Wesley ter saído correndo para o quarto, enquanto apanhava. Eu, particularmente, eu fazia o Carlos jogar o Wesley no sofá e começar a dar nele, e também deixava a cotovelada na Fernanda, pra mim, assim ficava melhor. 😉

    Enquanto isso, Maria pede a Jonathan para ajudá-lo a abrir um inquérito contra a Stefanny e pede a ajuda dele como prova de amor. Ele aceita participar. Após isso, Jorge se aproxima de Jonathan e começa a puxar assunto com ele – Catarina morrerá quando descobrir isso.

    Após ser agredido, Richard sai para uma balada para se esquecer do que aconteceu, ele encontra Patrícia, que lhe oferece drogas, ele reluta em usá-las ou não. O que acontecerá?

    O Wesley contará tudo para a Rosa? Espero que ela seja compreensiva.

    Parabéns, Airton. 😀

    Curtido por 1 pessoa

    • Victor explodiu seu preconceito com Wesley, mas não esqueça que ele acabou sendo preconceituoso consigo mesmo também. A cena do Carlos batendo na família não poderia ser diferente do que foi, pois era necessário mostrar esse lado descontrolado do Carlos perante a esposa e os filhos. Richard está na linha perigosa, usar ou não usar as drogas oferecidas num momento problemático de sua vida? Aguarde segunda, obrigado pelas opiniões, Roberto! ❤

      Curtido por 1 pessoa

  7. Ai amigo to chocado até agora com esse capítulo. Enfim, a atitude do Wesley não me decepcionou embora me fruste realmente uma pessoa ser gay e não ter personalidade e orgulho disso. O Victor e o pai dele falaram tanta coisa, ofenderam tanto e ele aceitou tudo calado. Não que ele tenha aceitado, mas de alguma forma ele se acovardou, mas entendo que são o cara que ele era apaixonado e o pai dele, além dele estar abalado naquele momento. Espero que daqui pra frente ele se assuma e não tenha vergonha de ser o que é. Apanhar às vezes faz a pessoa enxergar coisas que se recusava a enxergar, assim como tomar um porre. Nem comento a reação do Victor. Vindo de um lixo igual a ele não me surpreende mesmo. O pai sendo um autoritário e um preconceituoso também é lamentável. Espero que o Wesley tenha uma postura de homem a partir de agora. Se assumiu, mas precisa ter postura agora perante os outros. Não ter vergonha nem achar que tá fazendo algo errado. Desculpa pelo tamanho da mensagem amg e parabéns pelo capítulo.

    Curtido por 1 pessoa

    • Então Gui, como você mesmo disse, o Wesley estava fragilizado diante de tanta agressão verbal e física que acabou se acovardando, ele se assumiu, mas não conseguiu enfrentar a todos como gostaria. Mas como você também disse, essa situação fará com que Wesley ganhe força e personalidade, ele vai ter outra postura a partir de agora. Obrigado pelas opiniões, Gui! ❤

      Curtir

  8. Estou no chão, de verdade! Confesso que não estava muito interessado no núcleo envolvendo Wesley e Victor esses dias, mas essa reviravolta eu fiz questão de ler. Jamais imaginaria que Victor agiria de tal forma. Pensei que ele daria apoio ao amigo, porém sem ter um relacionamento com ele. Já quero Lucas de volta, por favor. Wesley não merece esse marginal. Claro, poderia ter revidado, mas a forma física e mental de um é totalmente oposta a do outro.

    Ai Maria… Apenas.

    Já era de se esperar esse comportamento do Carlos. Que infeliz, man. Agrediu a própria esposa, os filhos e ainda foi beber? Maldito! Que tenha um final bem doloroso. Os personagens mais velhos tendo seu merecido destaque, gostei.

    Bruna vadia! Roubando dinheiro da mãe. Infelizmente, as coisas são assim. O mundo está perdido? Talvez.

    O Richard? Era uma de minhas opções. Fernanda terá mais um obstáculo em seu caminho. Luana então… :/

    Parabéns, Airton! 😉 Capítulo curto e importante (Eu adoro, eu me amarro). :*

    Curtido por 1 pessoa

    • Capítulos curtinhos, mas cheio de bombas, amamos? Pois então… A história entre Wesley e Victor não se encerrou, ainda vem muito por aí, mas no momento ficou bastante estremecida e não é pra menos né! Já Carlos deu mais uma prova do péssimo ser humano que é, pobre Fernanda, Richard e Wesley nas mãos dele. Bruna está cada vez mais envolvida pelas drogas, agora roubou Yolanda. Obrigado pelas opiniões, Fred! ❤

      Curtido por 1 pessoa

  9. Carlos é um monstro e Victor é um enrustido mesmo…

    Capítulo ótimo…Wesley e Victor sendo protagonistas dessa história…Cara, lembrei de um conhecido daqui da minha rua que recentemente se revelou gay e chocou a família e a cidade pequena em que mora, apesar de todos os trejeitos que ele possui…A sua mãe aceitou de boa, já o pai e algumas tias ficaram contrariados, mas não passou disso….

    Esse é um problema ainda muito delicado de se tratar, pois as famílias não aceitam “os gays” transformando-os em aberrações…

    Parabéns meu amigo, sua história está cativante, forte e emocionante que são todos os predicados para uma boa desenvoltura.

    O legal seria se CARLOS tivesse um passado relacionado a algo do tipo como “travesti” para sobreviver e escondeu isso de todos e isso viesse a tona.kkkk (imaginação viu, rsrsrs)…

    E os outros temas?
    Roubo, Drogas…

    Uma das web´s que mais gostei superando “Escolhas” e “Corrente do Amor”.

    PARABÉNS E MUITA INSPIRAÇÃO.

    Desculpe comentar só hoje, só tive um tempinho agora.kk

    Curtido por 1 pessoa

  10. Me diga que a Luana vai defender Wesley de Victor, ela precisa dele no momento 😥 Gente, fiquei com ódio do Victor e do Carlos 😡 São dois animais 😡 Eu quero que a Luana, que é amiga do Wesley, dê um tapa na cara do Victor pelo modo que ele agiu com ele 😡 E espero que o Richard não se envolva com as drogas, não tem que fazer isso por causa do maluco do pai :/ Esse capítulo foi surpreendente 😀

    Curtido por 1 pessoa

  11. Gente que Mara cara foi o melhor capítulo até agora cenas bem descritas destaque pro drama de Wesley é claro né Que barraco! Victor é um retardado… Assim que puder leio o próximo

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s