Descobertas – Capítulo 29

CENA 01: MANSÃO DE ROSA, QUARTO DE LUCAS, INTERIOR, TARDE.

Wesley está sentado na cama de Lucas e abra sua mala, mexendo em algumas roupas, mas logo uma tristeza lhe aflige ao lembrar do namorado. Ele observa todos os detalhes do cômodo e pega o travesseiro, cheirando e sentido o perfume de Lucas.

FLASHBACK

(LUCAS): – Se eu morresse, pelo menos essa dor acabava. Eu sinto uma angústia muito grande aqui no peito, tô cansado, só quero que isso acabe logo! – uma lágrima escorre.

(WESLEY): – Ei, não fica assim, eu tô do seu lado! – abraçando. – Eu sei que é difícil, mas a gente tem um ao outro, um dia isso vai melhorar. – se afastando. – Eu te amo!

(LUCAS): – Eu também te amo! – sorrindo timidamente.

Wesley e Lucas se beijam com muita paixão.

FIM DO FLASHBACK

Wesley sorri e afasta o travesseiro, com os olhos marejados, dando um suspiro. Logo, Stefanny aparece na porta do quarto e entra vagarosamente, enquanto Wesley a encara.

(STEFANNY): – Sabia que a mamãe não deixava ninguém entrar ou mexer nesse quarto desde que o Lucas morreu? Só ela podia… E agora, você! Curioso né?

(WESLEY): – Tua mãe simpatizou comigo e com minha história com o teu irmão.

(STEFANNY): – Maldita hora que você foi abrir o computador do Lucas. Eu te avisei no cemitério pra não se meter comigo senão eu ia te destruir, você esqueceu?

(WESLEY): – Eu não tenho medo de você, Stefanny. Você é mentirosa, manipuladora, desumana, mas o que você pode fazer contra mim agora que eu me assumi homossexual pra todo mundo? O seu trunfo contra mim não existe mais, eu sou gay assumido, sou bem resolvido, tô feliz assim, o que você pode contra mim agora além de discutir?

(STEFANNY): – Ah, você se assumiu… – olhando de cima a baixo. – É, esse trunfo eu perdi, mas logo eu encontro outro porque o destino sempre conspirou a meu favor, agora não vai ser diferente. Pode ter certeza que vivendo sob o mesmo teto que eu, você não vai ter paz.

Stefanny encara Wesley, que fica calado e imóvel. Logo, ela se retira do quarto e o deixa pensativo e incomodado.

CENA 02: MANSÃO DE ROSA, QUARTO DE MARIA E YOLANDA, INTERIOR, TARDE.

Maria está deslumbrada com seu quarto, pois Rosa mandou decorar as paredes e mobilhou. Ela está colocando as roupas no armário, quando Stefanny entra sem bater na porta e as duas se encaram frente a frente.

(MARIA): – Educação mandou lembranças, não bate nem na porta, queridinha?

(STEFANNY): – Eu tô na minha casa, não preciso bater em portas, a intrusa aqui é você, garota escrota!

(MARIA): – Eu sou tua irmã, a casa também é minha.

(STEFANNY): – Ora, ora, já tá colocando as manguinhas de fora… Sabe que não me surpreende? Você é uma caipira burra sim, mas pra dinheiro é bem inteligente né?

(MARIA): – Stefanny, por favor, me deixe sozinha arrumando minhas coisas. – ela mexe nas roupas da mala.

(STEFANNY): – Só trapos de pobre, ficariam perfeitos como pano de chão. – tirando roupas das mãos dela e jogando no chão. – É muita audácia da sua parte entrar na minha mansão e morar aqui, ser minha vizinha de quarto. Mas tudo bem, se a mamãe quer assim, ok né, mas pode ter a certeza que eu vou transformar a tua vida num inferno! – encarando.

(MARIA): – Você é tão infantil que sua arrogância transpira pena. Eu sou tua meia-irmã, queira aceitar ou não. Sinceramente, eu lamento por esse parentesco, mas já que a vida nos uniu, que haja o mínimo de respeito na nossa convivência, não acha?

(STEFANNY): – Ah, era só o que me faltava! Tá querendo que a gente seja best friends forever and brother? Me poupe, seu lixo, eu nunca vou ser tua amiga, mesmo que a gente tenha o mesmo sangue!

(MARIA): – E quem disse que eu quero ser amiga de um esgoto como você? Eu só disse que pro bem de todos, a gente deveria ter uma convivência de mínimo respeito aqui dentro porque não tem outro jeito, mesmo nos odiando, nós vamos conviver.

(STEFANNY): – Minha convivência contigo não será nada menos do que infernal, resta aceitar.

(MARIA): – Ok, você que sabe, só não se mete com minha madrinha quando ela vir pra cá porque senão eu te dou outra surra, que nem aquela da escola. A Maria bobinha e humilhada não existe mais, fique esperta.

(STEFANNY): – Quem tem que ficar esperta é você, morando sob meu teto, tua vida será o caos. Aguarde e verá!

Stefanny vira a mala de roupas de Maria no chão do quarto e sai, deixando a rival pasma e furiosa, mas ela não revida e arruma seu quarto, pensativa sobre o futuro da situação.

CENA 03: COLÉGIO MÁXIMO, SALA DOS PROFESSORES, INTERIOR, TARDE.

Todos os professores estão sentados em torno da grande mesa da sala, conversando entre si antes da reunião. De repente, Abigail entra sorridente e rindo, com um jeito desengonçado, atraindo olhares estranhos de todos.

(LAURO): – Dona Abigail, está tudo bem?

(ABIGAIL): – Tá, tá tudo ótimo, tá tudo maravilhoso! Melhor agora que eu te vi. – gargalhando. – Ai, que calor, gente, só eu tô sentindo esse calor? – alisando seu corpo. – Bora tirar tudo!

Abigail começa a desabotoar sua blusa enquanto ri sem parar e é observada com espanto por todos. Logo, ela tira a blusa e fica apenas de sutiã, girando a blusa com a mão. Em seguida, Abigail joga a blusa no chão e sobe em cima da mesa, caminhando de joelhos e gargalhando.

(HELENA): – Dona Abigail, a senhora não está bem, saia daí, mantenha a compostura.

(ABIGAIL): – Ai, eu quero beijar! Quanta gente gostosa aqui, que delícia! – rindo.

Os professores riem, mas ao mesmo tempo se sentem constrangidos e levantam de seus lugares, enquanto Abigail deita na mesa só de sutiã e saia, alisando seu corpo enquanto delira, efeito do LSD que Ryan colocou em sua bebida antes da reunião.

(LAURO): – Não tem jeito, vamos cancelar a reunião, não tem condições dela participar e sem a diretora não há reunião escolar.

(HELENA): – Isso tá muito estranho, ela deve ter tomado algo, não é possível. Mas sim, vamos avisar os pais antes que eles entrem e a vejam nesse estado deplorável.

(ABIGAIL): – Ai, isso aqui tá muito baixo astral, vamos colocar uma musiquinha e dançar bem agarradinhos! Chamem uns adolescentes pra animar, adoro um corpo jovem! – rindo.

Helena e Lauro se chocam, mas saem da sala para avisar os pais, enquanto Abigail segue delirando na mesa, rindo sem parar e tendo alucinações visuais.

CENA 04: CASA DE FERNANDA E CARLOS, QUARTO DE RICHARD, INTERIOR, TARDE.

Richard está mexendo em seu computador, enquanto Carlos está em pé, ao seu lado.

(CARLOS): – Entendeu, meu filho? Tô falando grego pra ter que repetir?

(RICHARD): – Pai, eu não gosto de engenharia, eu já disse que quero fazer faculdade de Cinema.

(CARLOS): – E eu já disse que não quero ter filho vagabundo. Vai fazer o Enem e usar tua nota pra entrar em alguma engenharia, fim de conversa.

(RICHARD): – Como você é preconceituoso, porque eu viraria vagabundo por fazer Cinema? Será que eu não posso chegar no patamar de grandes cineastas brasileiros?

(CARLOS): – Eu não quero, isso já basta. Filho meu tem que me obedecer, eu quero um engenheiro na família. Agora sai desse computador e vai estudar, tua nota no Enem não será por milagre. Me dê um orgulho, tô precisando, porque teu irmão já me deu desgosto suficiente, só tenho você agora. Não me decepcione!

Richard sente-se pressionado, mas se cala e Carlos sai do quarto. Logo, Wesley chama o irmão pelo Facebook e dá notícias, tranquilizando-o. Richard chama pela mãe, que logo entra no quarto, com um pano de prato nas mãos.

(FERNANDA): – O que foi, meu filho?

(RICHARD): – A senhora não vai acreditar: o Wesley tá morando na mansão da Rosa!

(FERNANDA): – Da Rosa? Ai meu Jesus, minhas preces foram atendidas, tive tanto medo de onde o Wesley estaria. Avisa pro teu irmão que eu tô indo visitar ele e agradecer a Rosa.

Trilha Sonora: Bring Me To Life (Evanescence).

Richard compreende e Fernanda sai do quarto, animada. Naquele momento, ele começa a sentir algo estranho no corpo. A angústia pelos atritos com o pai o fazem lembrar do prazer que sentiu ao usar crack. Richard começa a sentir uma fissura em seu corpo e cérebro, como se ele necessitasse uma dose da droga naquele momento. Ele levanta da cadeira e caminha pelo quarto, respirando ofegante e começando a soar. O corpo pede por mais crack e, aflito, resolve procurar por Ryan no endereço que Patrícia lhe deu.

CENA 05: MANSÃO DE ROSA, INTERIOR, TARDE.

Após arrumar seus quartos, Maria e Wesley estão na sala, recebendo a visita de Luana. Os três comem um sanduíche e bebem um suco de laranja.

(LUANA): – Inacreditável né? Vocês dois morando aqui, na mansão da Stefanny. – rindo.

(MARIA): – Mais inacreditável ainda é eu ser irmã daquela vaca, sinto até um arrepio. Ela já foi no meu quarto me ameaçar, muito otária!

(WESLEY): – Ela também foi me ameaçar, mas escorracei ela de lá. Tá pensando o quê? Pra cima de mim, ela não cresce!

(LUANA): – Gostei de ver, é isso aí, meus amigos, não afrouxem pra essa patricinha. E como fica agora teu caso com o Jonathan? Digo caso porque não sei se vocês tão ficando, namorando, noivando… – rindo.

(MARIA): – A gente tá namorando, Luana, nós nos acertamentos. Eu sinto que ele se arrependeu, eu sempre fui apaixonada por ele, não tem porque fugir né. Não é porque tô morando na mansão da Stefanny que vou deixar de namorar com o Jonathan, até parece!

(WESLEY): – Ai, queria tanto viver um amor, mas é tão difícil sendo gay… Será que um dia chega minha vez?

(LUANA): – Teu problema é ter se apaixonado pelo teu melhor amigo, senão fosse por isso, tava tudo perfeito.

(WESLEY): – O Victor veio me humilhar ontem lá na escola, mas enfrentei. Não vou deixar mais ninguém me diminuir pela minha sexualidade, antes de ser gay, eu sou o Wesley. Não sei porque as pessoas tem mania de julgar as outras pela sexualidade, na verdade só julgam se não for hétero né, porque nunca vi ninguém julgar um hétero por viver como hétero.

(MARIA): – A sociedade é muito preconceituosa mesmo, mas você ter se assumido ajudou muito a ganhar força pra enfrentar tudo isso. Um dia, você vai encontrar um cara que te ame e te valorize de verdade, esquece esse Victor porque ele não vale nada.

Wesley fica pensativo e Luana concorda. Naquele momento, Stefanny aparece na sala, batendo palmas e chamando atenção e todos. Ela se aproxima deles, com um sorriso sarcástico.

(STEFANNY): – Olha quem eu vejo… A youtuber mais cafona do Brasil! Quem te deu permissão pra entrar na minha mansão hein? Vou chamar as seguranças!

(MARIA): – Eu deixei ela entrar, a Luana é minha amiga e tem livre acesso.

(STEFANNY): – Eu detesto essa garota, não quero ela aqui. Vaza!

(WESLEY): – Para de encher o saco e vai no shopping, tua mãe deixou a gente convidar qualquer pessoa pra vir aqui, a Luana não vai embora. Vaza você!

(STEFANNY): – Escuta aqui, Luana, você não tem vergonha de fazer aqueles vídeos pra internet? Tipo, é tão sem-graça e brega, tão forçado e sem conteúdo, eu me espanto como alguém tem coragem de se inscrever no seu canal e dar like nos tuas publicações. Tem louco pra tudo mesmo!

(LUANA): – Meu canal tá fazendo um sucesso tímido, mas tô gostando muito do resultado e não faço a menor questão de ter você como inscrita. Se bem que, conhecendo a invejosa e fofoqueira que você é, deve estar inscrita sim e assistir meus vídeos, pra depois ficar falando mal por aí. Isso sim é não ter conteúdo: usar seu tempo pra falar mal dos outros.

(STEFANNY): – Queridinha, no dia que eu assistir um vídeo teu, eu fico cega de tão ruim que é. Bom, mas eu cansei de perder meu tempo com o trio dos excluídos na escola, eu tenho uma imagem a zelar, vou me afastar senão pego bactéria de pobre. – ela vai sair, mas retorna. – Ah, antes que eu me esqueça… – puxando a toalha da mesa e derrubando o lanche da tarde. – Bom apetite!

Maria, Luana e Wesley ficam imóveis e surpresos, enquanto Stefanny ri e sai da sala, deixando-os chocados.

(WESLEY): – Vaca mal-amada, tomara que caia da escada ainda.

(MARIA): – Ela é mais louca do que eu pensava. Só nas primeiras horas sob o mesmo teto, ela foi mais insuportável do que no Colégio Máximo.

(LUANA): – Ai gente, tive uma ideia: que tal a gente fazer uma trollagem com a Stefanny e postar no meu canal? Ia bombar e a gente zoava com a cara dessa sonsa!

(WESLEY): – Adorei! Mas que tipo de trollagem?

(LUANA): – Seguinte… – sentindo um enjoo. – Ai, peraí, gente… – cobrindo a boca. – Que enjoo chato, até tontura agora. – respirando fundo. – Ai, passou. Que estranho!

(MARIA): – Muito estranho mesmo… Vem cá, amiga: você e o Richard já transaram né?

(LUANA): – Sim, uma vez.

(MARIA): – E usaram camisinha?

(LUANA): – Bom… Tá, não vou mentir: a gente transou desprotegido.

(WESLEY): – Meu Deus, mas que irresponsável esse meu irmão! Então, esses enjoos, pode ser sinal de que você tá grávida, Luana!

Luana fica pálida com a possibilidade levantada por Wesley, enquanto é encarada pelo amigo e por Maria, que percebe a tensão dela e a abraça.

CENA 06: SHOPPING VITÓRIA, INTERIOR, TARDE.

Jonathan está sentado em uma lanchonete, tomando um milk shake de baunilha e esperando por Richard. De repente, ele sente uma mão em seu ombro e acredita ser seu amigo, mas se surpreende ao ver Jorge, que sorri e senta ao seu lado.

(JORGE): – E aí, Jonathan, beleza? Tá lembrado de mim?

(JONATHAN): – Acho que sim… – pensando. – Você não é morador da pensão da Dona Yolanda e entregador de pizzas?

(JORGE): – Perfeito, eu mesmo! Você tá ocupado? Queria bater um papo contigo…

(JONATHAN): – Ah, eu tô de boas esperando um amigo, ele já tá atrasado, não sei se vem. Mas o que você tem pra falar comigo? Aliás, eu lembro o dia que você foi entregar pizza lá em casa, rolou briga dos meus pais contigo… Por quê?

(JORGE): – Eles não te contaram? Pois bem… Eu conheço teus pais, Jonathan, conheço de muitos anos. Eu fui o melhor amigo do Luiz e cheguei até ser noivo da Catarina.

Trilha Sonora: Numb (Link Park).

Naquele momento, Jonathan se recorda da história que Catarina lhe contou sobre seu passado e liga as informações dita por Jorge.

(JONATHAN): – Peraí… Mas então, você é o tal Jorge?

(JORGE): – Ah, então eles já falaram de mim pra você… Pois é, sou eu mesmo e embora pareça estranho despejar uma informação assim, de repente, mas já se passaram 17 anos, não tem porque esperar mais: eu sou teu pai biológico!

Jonathan fica apavorado e derruba o milk shake no chão da lanchonete, saindo correndo, com medo de Jorge. Ele levanta e corre atrás do filho pelo shopping, entre a multidão de pessoas que ali transitam. Até que Jorge alcança Jonathan e o segura pelo braço, puxando até um canto pouco movimentado próximo ao banheiro.

(JONATHAN): – O que você quer comigo, cara, me deixa em paz! – trêmulo.

(JORGE): – Porque você fugiu de mim? Eu só quero conversar contigo…

(JONATHAN): – Eu já sei de tudo o que você fez com a família da minha mãe! Você matou meus avós e meu tio, ficou preso esses anos todos, você é um assassino! O Luiz não é meu pai de sangue, mas eu vou considerá-lo meu pai pra sempre, você nunca!

(JORGE): – Já vi que fizeram uma lavagem cerebral em você, Jonathan, a história não foi assim como te contaram. Eu não matei ninguém, aquilo foi um acidente. O botijão de gás vazou e provocou uma explosão, o galão de gasolina que eu comprei foi pro carro do meu sogro, que acabou potencializando a explosão e eu não consegui salvar ninguém. Eu fui preso por um crime que não cometi, meu julgamento foi injusto, arquitetado pelo Luiz porque ele queria me tirar do caminho da Catarina e casar com ela. Eu não matei ninguém, eu juro!

(JONATHAN): – Eu não acredito em você, eu nem te conheço! Eu vi o sofrimento da minha mãe em contar da morte dos parentes, eu senti a dor dela, é lógico que vou acreditar nela! Se afaste de mim, eu não quero nada contigo!

(JORGE): – Espere, me ouça: eu não quero forçar nada, mas eu vim do Amapá só por você. Eu sempre soube que a Catarina teve um filho meu, queria muito te conhecer, ser um pai de verdade. Foi por você que eu sobrevivi há 17 anos recluso naquele presídio cruel mesmo que injustamente, eu só pensava em conhecer o meu filho e eu já tive o prazer de te ver algumas vezes. Eu lamento que você me odeie sem me conhecer, que você fique me julgando pela visão errada que a Catarina e o Luiz transmitiram a você, mas eu só queria que você soubesse que eu te amo muito mesmo sem nunca ter exercido meu papel de pai nem sentido teu afeto de filho.

(JONATHAN): – Você é um doente e isso me assusta…

(JORGE): – Você é um rapaz inteligente, no seu lugar eu também duvidaria de alguém que aparecesse do nada e dissesse o que eu disse. Mas eu faria diferente também: duvidaria daqueles que estão próximos. A vida sempre nos surpreende, Jonathan, acredite nos teus pais duvidando deles também, pense um pouco no que eu te disse.

Jonathan fica confuso e assustado, empurrando Jorge e saindo correndo, enquanto ele se escora na parede e ri, pensando no próximo passo para desestruturar a família.

CENA 07: BOCA DE FUMO, EXTERIOR, TARDE.

Trilha Sonora: Música e Crime (Chave Mestra).

Richard está subindo a favela que Ryan lhe passou o endereço, um pouco assustado, mas ainda fissurado por crack. Logo, ele entra na boca de fumo e avista Bruna e Patrícia disputando um pacote de cocaína, completamente alucinadas, rolando no chão de terra batida. Outros usuários de drogas também estão consumindo os produtos ilícitos ali, aquele ambiente assusta Richard, mas ele necessita de droga. Ryan se aproxima e o cumprimenta.

(RYAN): – Fala aê, meu chapa, veio descolar uma pedra né?

(RICHARD): – Tô sentindo uma angústia muito grande, igual naquele dia da boate. A pedra me deu prazer, me fez esquecer. Eu quero sentir aquilo de novo. Tem?

(RYAN): – Tem, claro que tem. Passa grana que te dou o crack.

Richard entrega o dinheiro a Ryan e recebe algumas pedras de crack, sentando no chão da boca de fumo e começando a fazer uso delas, sentindo um enorme prazer percorrer seu corpo e despertar alucinações em seu cérebro, fazendo-o esquecer dos problemas familiares e deixando-o satisfeito. Porém, o efeito do crack durou menos que a vez anterior e, fissurado, Richard compra mais algumas pedras e faz uso delas. Aí instala-se a dependência química: a pessoa precisa usar cada vez mais drogas para sentir o prazer que, inicialmente, sentia com apenas uma dose. É o ciclo do vício.

CENA 08: MANSÃO DA ROSA, INTERIOR, TARDE.

Fernanda está abraçando Wesley na sala, é a primeira vez que vê o filho após a expulsão. Rosa está junto, emocionada.

(FERNANDA): – Ai meu filho, graças a Deus que está tudo bem contigo, estava morta de preocupação! – se afastando. – Saudades do teu abraço, como você se sente?

(WESLEY): – É, tô bem, meio triste pela agressividade do meu pai, mas de certa forma eu já esperava. Mas eu tô bem, mãe, me sinto melhor após ter me assumido e obrigado por continuar gostando de mim mesmo sendo aquilo que a senhora não sonhava ter.

(FERNANDA): – Olha, eu não vou dizer que eu sonhava ter um filho gay, mas que diferença faz? Você é meu filho do mesmo jeito, meu amor de mãe não mudou nada. – se aproximando de Rosa. – Mas eu preciso agradecer muito a você, minha amiga, obrigada por abrigar o Wesley nesse momento tão difícil.

(ROSA): – Imagina, não precisa agradecer, é o mínimo que eu poderia fazer pelo filho de uma grande amiga como você. – abraçando. – Te adoro, querida!

Fernanda se conforta com o abraço de Rosa, enquanto Wesley vê tudo muito feliz. No canto da sala, próximo à escadaria, Maria caminhava de um lado para outro, roendo as unhas. Logo, Luana desde as escadas com o teste de farmácia nas mãos, e as duas se encaram.

(MARIA): – E aí, amiga? Qual o resultado? – aflita.

(LUANA): – Tô grávida! E agora, o que eu faço, Maria? – aflita.

Maria se choca e abraça Luana, que deixa uma lágrima escorrer. Ela percebe a presença de Fernanda, sua sogra, na sala, e pensa se revela ou não sua gravidez.

CONTINUA…

NO PRÓXIMO CAPÍTULO: Patrícia é internada a força em uma clínica de dependentes químicos.

Anúncios

29 thoughts on “Descobertas – Capítulo 29

  1. Nossa! A abordagem sobre drogas está bastaste tocante. Você está desenvolvendo esse assunto tão delicado de uma maneira incrível. O dia a dia de uma pessoa que está entrando nesse “mundo” deve ser realmente assim. O corpo pede mais, o corpo deseja mais e a pessoa faz de tudo pra conseguir. Agora a vida de Luana e Richard ficará muito mais turbulenta e difícil. Parabéns pela abordagem, Airton!

    Que Stefanny transforme a vida de Wesley e Maria naquela mansão em um inferno. Uma rainha dessas. Pisou e muito hoje.

    E Jonathan descobriu que Jorge é o seu pai. Meu Deus! O cara está fissurado e conseguiu mexer com a cabeça do jovem. Será que a história dele é a verdadeira? Sei não hein…

    Luana grávida? 😮 😮 😮 Ai gente… Não sei o que dizer.

    Patrícia vai para uma clínica de dependentes. Espero que tudo ocorra bem. :/

    Parabéns, Airton! ❤ Um autor muito talentoso.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Parabéns!
    Abgail loucona, adorei.
    Stefanny vai infernizar Maria e Wesley.
    Richard completamente dependente das drogas.
    Luana grávida.
    Jorge tentando enganar Jonatan. Plantou uma dúvida nele já.
    Muito bom o capítulo de hoje.
    Ri com a cena da Abgail.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Ri um monte com Abigail doida por causa da LSD KKKKKKKKKK Stefanny provoca Luana, Wesley e Maria, que ódio 😡 Fernanda e Richard não podem ficar se rebaixando para o Carlos, podiam abandoná-lo sim. Luana está grávida, espero que o Richard esteja vivo para ficar ao lado da criança, medo do que as drogas possam fazer 😮 Adorei o capítulo 😀

    Curtido por 1 pessoa

  4. Stefanny tentando intimidar Maria e Welsey, porém eles não saem por baixo, amo. O que eu temo são essas ameaças dela, mas ainda não vejo a Stefanny como uma assassina, suas armações nunca demonstraram que ela tivesse coragem pra matar, mas nunca se sabe, né… Jorge procurando Jonathan me fez ficar confuso também, mesmo sabendo que ele é um stalker perigoso me veio a possibilidade do Luiz não ser tão vítima assim. Bem, se você quis confundir com essa cena você conseguiu, se não, seria uma grande reviravolta o Luiz se revelar dúbio, mas acho improvável. Enquanto Richard se afunda no mundo das drogas, Luana descobre-se grávida, um grande impacto na vida dos dois. Principalmente na de Richard. Ele vai ser obrigado a fazer facul de engenharia pelo pai, se não quiser ser expulso de casa com um futuro filho pra sustentar… Uma ótima arma que o Carlos poderia usar contra o filho. Lacre. Parabéns :*

    Curtido por 1 pessoa

    • Stefanny é perversa, mas não chegou as últimas consequências e não demonstrou ainda ser capaz disso, mas será que na reta-final ela mostrará essa nova face? O que Jorge disse a Jonathan é mentira, como um stalker obsessivo, ele quer apenas perseguir e desestruturar a família da Catarina como vingança, mas essa obsessão chegará ao clímax em algum momento e aí será tenso… A vida de Luana e Richard vai sofrer mudanças radicais: ela grávida e ele drogado, como ficará? Obrigado pelas opiniões, queridíssimo Thay! ❤

      Curtir

  5. A vagabunda da Steffany ameaça Wesley e Maria, e inferniza a vida dos dois. O roteiro deixa claro que Jorge está mentindo, mas eu não consigo acreditar, a sua defesa na cena com o Jonathan é convincente e faz muito sentido​ pra mim… Minha desconfiança com o Luiz continua. Richard está definitivamente viciado em drogas, se tornou dependente. E agora Luana está grávida, no momento que ela mais precisar do namorado, ele não vai estar presente.

    Encerro o comentário falando sobre a melhor cena do capítulo, Abigail doidona e tirando a roupa no meio da reunião com os professores, seduzindo a todos com sua beleza, adoro.

    Parabéns, Airton, e batize a água de Abigail mais vezes :*

    Curtido por 1 pessoa

    • Stefanny não sabe se controlar, jamais deixaria de exalar sua raiva por Maria e Wesley estarem morando ali, mas felizmente eles souberam se defender. Jorge está mentindo, mas se quiser acreditar nele, ok monamour… Será que Luiz esconde algo mesmo? Sobre Luana, dias difíceis virão, ela grávida e o namorado drogado, como vai ser? E a Abigail, apenas sentir, uma senhora discreta que acabou entregando suas safadezas ao ficar alucinada pela droga, ai vamo rir? No mais, obrigado pelas opiniões, Jean! ❤

      Curtido por 1 pessoa

  6. To adorando esse Wesley com personalidade amg, que encara e não se abate. O rei da história claramente kkkkkkkkk A abordagem das drogas está excelente amg, tocante e sensível, além de realista. Ansioso para o próximo capítulo. Parabéns querido.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s