Descobertas – Capítulo 35 (últimos capítulos)

CENA 01: DELEGACIA, INTERIOR, NOITE.

O delegado termina de assistir a confissão de Ryan sobre a inocência de Rômulo e a acusação a Stefanny, ficando pasmo e deixando Maria ansiosa.

(MARIA): – E então, delegado, o prof Rômulo pode ser solto depois disso né?

(DELEGADO): – Sabe, Maria, eu já estava cogitando em libertar o Rômulo, pois durante nossas investigações, nós não conseguimos encontrar envolvimento algum dele no esqueça de tráfico de drogas no Espírito Santo. Ninguém consegue traficar sozinho, é preciso um grande esquema de fornecedores, distribuidores, clientes, enfim… Agora com esse vídeo, fica nítido que o Rômulo foi alvo de uma armação cruel de uma aluna.

(MARIA): – Graças a Deus, ele vai ficar livre então!

(DELEGADO): – Dentro de alguns dias, o Rômulo estará solto e eu abrirei um inquérito contra a Stefanny. Obrigado por contribuir com a justiça, Maria.

Maria sorri com muito entusiasmo, indo embora da delegacia com extrema alegria.

CENA 02: PENSÃO DA YOLANDA, EXTERIOR, MANHÃ.

Trilha Sonora: Criminal (Britney Spears).

Bruna está caminhando na rua em frente à pensão, mancando de uma perna, com a roupa rasgada e suja de terra, com os braços marcados pela força que foi segurada pelos homens durante o abuso e com o rosto sujo de sangue pelo soco que levou. Escabelada e cheirando mal, ela caminha com dificuldade e gemendo de dor. Logo, Yolanda sai da pensão com uma vassoura na mão e começa a varrer a entrada do estabelecimento, quando de repente ela percebe Bruna naquele estado deplorável, aproximando-se dela.

(YOLANDA): – Bruna? É você, minha filha? – horrorizada.

(BRUNA): – Me interna, mãe? Por favor, me interna senão eu vou morrer, mãe! Me ajuda! – chorando.

Yolanda está apavorada e Bruna acaba caindo no chão, muito fraca. Ela aproxima-se da filha e a abraça no chão, enquanto chora compulsivamente no ombro da mãe.

CENA 03: PENSÃO DA YOLANDA, INTERIOR, MANHÃ.

Bruna está sentada no sofá da sala e Yolanda serve um copo de água com açúcar para ela, ambas estão trêmulas e muito nervosas. Ela já contou tudo o que houve para a mãe.

(BRUNA): – E foi isso, mãe. Foi horrível. – bebendo.

(YOLANDA): – Virgem Santíssima! Como você chegou a esse ponto, minha filha? Eu te eduquei com tanto amor, me parte o coração saber que você se envolveu com drogas e agora sofreu um estupro coletivo. – chorando.

(BRUNA): – Até o Ryan me estuprou, mãe. Até o Ryan, meu namorado! – lágrima escorre. – Que nojo daqueles caras, eles riam de mim, me usaram como um objeto descartável. Eu me senti um lixo! Não tinha dinheiro pra pagar a dívida na boca de fumo, tive que pagar com meu corpo.

(YOLANDA): – Filha, você precisa ir ao médico, tem que fazer exames pra saber se contraiu alguma doença, não podemos perder tempo! – limpando as lágrimas.

(BRUNA): – Mãe, eu quero ser internada numa clínica. Eu não quero mais usar drogas, mas eu preciso de ajuda, não consigo parar sozinha. Eu não sinto mais nada quando eu uso, mas eu não consigo parar, tenho que usar mesmo sem sentir nada de bom. A droga me dava tanto prazer, mãe, era uma alegria tão grande, me fazia me sentir maravilhosa, com poder, era incrível! Mas com o tempo, o efeito da droga foi diminuindo e eu não sentia mais prazer nenhum, eu usava e só sentia angústia, aí precisava usar mais pra esquecer, mas eu sentia ainda mais angústia e precisava usar mais e mais… – chorando compulsivamente. – É horrível, mãe, eu não aguento mais, isso tá me matando aos poucos, eu quero parar, me ajuda!

(YOLANDA): – Eu vou te ajudar, Bruna, é claro que eu vou te ajudar! – abraçando e chorando. – Eu te amo, minha filha, você vai se curar desse maldito vício, eu juro!

Bruna e Yolanda choram abraçadas na pensão, envolvidas pelo momento de sofrimento da família. Após tanto tempo separadas, mãe e filha reencontram forças juntas para superar os problemas.

CENA 04: MANSÃO DE CATARINA E LUIZ, INTERIOR, MANHÃ.

Maria está conversando na sala com Jonathan e Catarina sobre o que fez para libertar Rômulo.

(JONATHAN): – Você comprou uma testemunha, Maria? Se alguém descobre isso…

(MARIA): – Eu não comprei, eu só paguei pro Ryan confessar a verdade, se não fosse assim, ele não ia contar nada e não era justo o prof Rômulo continuar preso por um capricho da Stefanny.

(CATARINA): – A Maria agiu certo, meu filho, às vezes a gente precisa superar algumas conveniências pelo bem de todos. Eu me espanto tanto com a frieza da Stefanny, ela tem uma mente muito cruel, coitada da Rosa em ter uma filha assim.

De repente, a campainha toca e uma empregada vai atender. Ao abrir a porta, Stefanny entra e aproxima-se dos três, que estão no sofá da sala e se surpreendem.

(STEFANNY): – Bom dia, queridos! – sorrindo.

(JONATHAN): – O que você tá fazendo aqui, garota? Não é bem-vinda, vai embora.

(STEFANNY): – Nossa, que grosseria! Só vim dar um recado a sua mãe, se poupe.

(CATARINA): – Recado pra mim, Stefanny? O que foi? – intrigada.

(STEFANNY): – A mamãe quer conversar contigo, tem a ver com a Fernanda, não sei o que houve, se puder ir lá na mansão depois.

(CATARINA): – Pode deixar, eu vou daqui a pouco, mas você não precisava ter se incomodado em vir até aqui, era só a Rosa ter me ligado, como sempre.

(STEFANNY): – Ah, eu resolvi fazer uma caminhada básica e como passei aqui na frente, resolvi parar. Bom, eu tô muito apertada, posso ir ao banheiro?

(CATARINA): – Claro, tem um banheiro aqui no andar de baixo, atrás da cozinha.

Trilha Sonora: Team (Iggy Azelea).

Stefanny compreende e corre em direção à cozinha, enquanto Jonathan e Maria ficam intrigados. Na cozinha, Stefanny aproveita que não há empregada e retira a chave da porta dos fundos, pegando um sabão na pia e inserindo a chave no sabão até deixar a marca. Stefanny pressiona com força até ficar marcado, após ela retira a chave, lava na pia, seca com um pano de prato e coloca na porta novamente. Por fim, Stefanny enrola o sabonete em um guardanapo e coloca dentro da bolsa, retornando à sala e se despedindo de todos, indo embora da mansão.

CENA 05: PENSÃO DA YOLANDA, QUARTO DE JORGE, INTERIOR, TARDE.

Stefanny e Jorge estão sentados na cama, conversando.

(STEFANNY): – Tem certeza que não tem ninguém na pensão além de nós?

(JORGE): – Certeza, fiquei cuidando tudo pra Dona Yolanda, ela foi internar a Bruna numa clínica pra dependentes químicos e os outros pensionistas saíram.

(STEFANNY): – Que decadência… Enfim, aqui está o que você me pediu! – tirando da bolsa e entregando a ele. – O sabão com a chave gravada, é só fazer uma cópia.

(JORGE): – Perfeito, boa garota! Não sabe como isso vai me ajudar, Stefanny.

(STEFANNY): – Imagino, pela sua ansiedade. E o que eu pedi? Conseguiu?

(JORGE): – Lógico, se divirta! – tirando uma sacola debaixo do travesseiro e entregando a ela. – Os revólveres já estão carregados, fique tranquila.

(STEFANNY): – Adoro, não vejo a hora de apertar o gatilho! – rindo. – Foi muito bom te conhecer, Jorge. O destino é uma caixinha de surpresas mesmo hein, quando pensei que ia fazer parceria com alguém como você?

(JORGE): – Alguém como eu? E como eu sou? Pobre?

(STEFANNY): – É, morando nessa pensão fedorenta, eu não preciso dizer mais nada né… Mas mesmo sendo pobre, você é muito inteligente e maquiavélico, gostei de te conhecer. Já sabe, se precisar de uma ajudinha e estiver ao meu alcance, me liga.

(JORGE): – Digo o mesmo. – sentando mais próxima a ela na cama. – Sempre será um grande prazer te ajudar.

Trilha Sonora: Numb (Link Park).

Stefanny e Jorge abrem um sorriso sarcástico e, vagarosamente, aproximam seus rostos e dão um beijo longo e sensual. Logo, eles se afastam e se encaram fixamente.

(STEFANNY): – Sabe, eu nunca fiquei com alguém mais velho que eu. Você é muito bonito, Jorge, o Jonathan teve a quem puxar…

(JORGE): – Que tal a gente aproveitar a pensão vazia hein? Você é linda e fiquei com tesão de transar com a ex-namorada do meu filho.

(STEFANNY): – Safado! – rindo e acariciando. – Não vou negar, também senti tesão em conhecer melhor meu ex-sogro.

Jorge ri e beija intensamente Stefanny. Eles deitam na cama e trocam muitos beijos e carícias por algum tempo, até que tiram as roupas e ficam nus, tendo uma relação sexual longa e prazerosa, com muita vontade. Após o fim do sexo, Stefanny e Jorge ficam deitados de bruços na cama, despidos, deitados em seus travesseiros, se olhando.

(JORGE): – E aí, curtiu?

(STEFANNY): – Muito! Deu de 10 a 0 no Jonathan. – rindo. – Agora entendo o que é experiência. Você é muito gostoso, Jorge!

(JORGE): – Ah, você também é muito gostosa, Stefanny! Mas olha, o que rolou entre a gente, essa parceria e esse sexo, tem que ser esquecido, ok? Sigilo absoluto!

(STEFANNY): – Relaxa, eu não vou contar pra ninguém, fica tranquilo. – ficando para cima. – Mas e se eu resolver falar alguma coisa, o que o misterioso Jorge vai fazer hein? – sorrindo sensualmente.

(JORGE): – Ah, quer ver o que eu faço? – rindo. – Feche os olhos então!

Stefanny ri e fecha os olhos, enquanto Jorge vira-se e pega o lençol que está caído ao lado da cama. Ele sobe em cima dela e ergue sua cabeça, colocando o lençol atrás de seu pescoço e cruzando-o pela frente, começando a apertar. Imediatamente, Stefanny abre os olhos ao se sentir sufocada, sem conseguir respirar, enquanto é encarada fixamente com raiva por Jorge, que pressiona muito o lençol.

(STEFANNY): – Louco! Para com isso! – sem ar e se debatendo.

(JORGE): – Não brinca comigo, sua piranha! É bom deletar tudo o que aconteceu entre nós, senão você será meu próximo alvo, entendeu bem? – gritando.

Stefanny sinaliza com a cabeça, afirmando que sim, enquanto Jorge segue apertando seu pescoço com o lençol. Logo, ela começa a ficar roxa e então ele solta o lençol, saindo de cima dela, ainda nu. Stefanny começa a tossir desesperadamente e tenta levantar da cama, mas fraca, acaba caindo no chão, ainda nua. Jorge veste uma cueca enquanto Stefanny recupera suas forças, para então começar a se vestir. Ela guarda a sacola com os revólveres dentro de sua bolsa e encara fixamente Jorge, indo embora da pensão com muito medo. Ele se joga na cama e ri da situação, admirando o sabão com a chave da mansão de Catarina gravada.

CENA 06: MORRO DO JABURU, EXTERIOR, TARDE.

Trilha Sonora: Música e Crime (Chave Mestra).

Richard está caminhando pela favela, bastante abatido pelo uso de crack, sem ânimo. Quando de repente, ele sente algo pontiagudo em suas costas: era Ryan com um canivete, que pressiona nas costas de Richard.

(RYAN): – Cadê a grana na dívida, rapaz? – sussurrando.

(RICHARD): – Calma aê, cara, vamos conversar… – trêmulo.

(RYAN): – Não tem conversa, meu pai quer a grana! Ou paga ou morre! – sussurrando e pressionando o canivete.

(RICHARD): – Peraí, eu vou pagar! Eu não tenho a grana aqui, mas eu sei onde conseguir. Tira esse canivete, eu explico, cara. – ele guarda o canivete e se afasta, ficam frente a frente. – Eu fui em casa e descobri que meu pai vai tirar uma grana do banco, parece que ele quer comprar uma televisão dessas bem modernas. Aí é só esperar ele sair do banco e roubar a carteira.

(RYAN): – Malandrinho tu hein, mas gostei de ver, é dos meus. Beleza, vamos assaltar teu pai sim, é só dizer o banco e o horário.

(RICHARD): – Pelo que eu entendi, ele vai agora. Vou te passar o endereço do banco. – ele informa e Ryan registra no celular. – Só não sejam violentos, apesar de tudo, ele é meu pai.

(RYAN): – Tranquilo, é só ele ser esperto e não reagir. – rindo.

Ryan sobe o morro, enquanto Richard senta na calçada e deixa uma lágrima escorrer, sentindo uma grande angústia e culpa.

CENA 07: MANSÃO DE ROSA, QUARTO DE STEFANNY, INTERIOR, TARDE.

Stefanny está se olhando no espelho, verificando a marca do enforcamento que Jorge lhe causou. Ela alisa seu pescoço, furiosa. Logo, alguém bate na porta e, rapidamente, ela coloca um cachecol, cobrindo a marca. Era Rosa, que entra com Gustavo.

(ROSA): – Filha, tem visita pra você.

Gustavo entra no quarto e Rosa sai, Stefanny se aproxima e o beija, em seguida os dois sentam na cama, frente a frente, trocando carícias nas mãos.

(STEFANNY): – Que bom que você veio, tô precisando de você.

(GUSTAVO): – Tô aqui! – rindo. – Fiquei muito feliz quando você me ligou e me convidou pra passar a tarde aqui, nem acreditei. Porque você tá usando um cachecol? Nem tá frio…

(STEFANNY): – Ah, não importa o clima, eu preciso estar fashion. – rindo e disfarçando a tensão. – Sabe, eu quero falar algo muito sério contigo, Gustavo. Não sei como você vai reagir, talvez você me ache uma louca, mas tô pensando pelo bem de nós dois.

(GUSTAVO): – O que foi? Tá querendo romper comigo? Cansou de ficar com o nerd da escola, descobriram e tão te zoando por isso né?

(STEFANNY): – Não é nada disso, meu bem, é outra coisa! Seguinte: eu sei que você sofreu muito bullying na sua vida escolar, de certa forma até hoje sofre, talvez não em perseguições como antigamente, mas exclusão é um tipo de bullying também. Eu sei que eu fiz parte disso, mas eu me arrependo. Só que eu também sofri com algumas coisas na escola, em especial com a Maria e o Jonathan, eu fui traída por eles, você lembra da história do vídeo íntimo, a Maria seduziu o Jonathan e ele também seduziu ela, acho que foi um complô de ordinários e eu sofri tanto por essa humilhação.

(GUSTAVO): – A Maria é minha amiga, bom eu não tenho muito contato com ela, mas eu gosto dela, acho uma garota legal e agora ela é tua irmã também né?

(STEFANNY): – Eu não considero minha irmã uma bastarda! Mas enfim, não é disso que eu quero falar. Gustavo, eu estive pensando e acho que a gente tem o direito de se vingar dessas pessoas que nos fizeram sofrer, principalmente você. Eu quero fazer algo por nós, mas eu preciso da tua ajuda.

(GUSTAVO): – O que você está pensando em fazer, Stefanny? Que tipo de vingança?

(STEFANNY): – A gente pode provocar um atentado no Colégio Máximo! Que tal? Eu acerto minhas contas com a Maria e o Jonathan, enquanto você terá todos os teus agressores nas tuas mãos e poderá causar pânico neles da forma que quiser. Ninguém sairá ferido, eu não quero isso, mas eu acharia muito legal ver todo mundo com medo, em nossas mãos, implorando por compaixão!

(GUSTAVO): – Um atentado? Mas Stefanny, isso é muito grave, é crime, a gente pode até ser preso!

(STEFANNY): – Impossível, no Brasil menor de idade não vai preso, o máximo que pode acontecer com a gente é ser internado na Fundação Casa até completar 18 anos e depois ser solto com a ficha social limpa ainda. Mas se a gente fizer tudo direitinho, não vai ter vestígios pra gente ser descoberto, Gustavo! – acariciando seu rosto. – Poxa, me ajuda, vai! A gente não vai machucar ninguém, o atentado é só pra gerar pânico e terror naquela escola horrorosa, naquela gente que tanto mal nos fez! Vai dizer que você nunca pensou em se vingar de quem te humilhava?

(GUSTAVO): – Claro que eu pensei, eu penso até hoje. Eu sofri tanto bullying que o sentimento que eu mais remoo dentro de mim é o desejo de vingança, de devolver na mesma moeda o que eu sofri esses anos todos.

(STEFANNY): – Então, meu amor, eu quero te ajudar a conseguir isso! Eu te ajudo a se vingar desses otários e você me ajuda a acertar minhas contas com o casalzinho de quinta. E aí, topa?

Gustavo fica dividido, mas pensa na proposta de Stefanny, que não hesita e beija intensamente o colega de turma, deixando-o ainda mais dividido e seduzido. Após um tempo se beijando, eles se separam e Gustavo levanta da cama, caminhando um pouco pelo quarto até que para em frente ao espelho e encara seu reflexo.

(GUSTAVO): – Todos me humilharam tanto, acho justo agora eu humilhar também, dar o troco na mesma moeda. Eu topo, Stefanny!

Stefanny sorri e levanta da cama, abraçando Gustavo por trás e beijando o pescoço dele, enquanto ele segue encarando seu reflexo fixamente.

CENA 08: CLÍNICA DE DEPENDENTES QUÍMICOS, QUARTO DE BRUNA, INTERIOR, TARDE.

Bruna está deitada numa maca, com soro em medicamentos, enquanto Yolanda e Maria estão ao lado direito da maca e um médico ao lado esquerdo, segurando uma planilha.

(MÉDICO): – Boa tarde, Bruna. Boa tarde, Dona Yolanda e Maria. Eu sou o médico especialista em toxicodependência aqui na clínica, o tratamento pelo vício de drogas de todos os pacientes são acompanhados e coordenados por mim. Eu queria dizer, primeiramente, que lamento pelo seu envolvimento com o vício, mas também queria dizer que estou muito contente com a sua vinda até a clínica, buscando a cura. O passo mais importante você deu: aceitar o vício e procurar ajuda. Só há cura quando o dependente químico perceber seu problema e decidir mudar, não existe cura forçada.

(YOLANDA): – Tá certo, doutor, mas eu queria entender como funciona o tratamento, eu nunca estive em uma clínica de reabilitação para dependentes químicos antes.

(MÉDICO): – Então, a primeira ação é a desintoxicação, a qual a Bruna já passou assim que chegou aqui. Agora que a internação foi concluída, nós iremos começar o tratamento padrão. Ela irá se medicar com benzodiazepínico para controlar o desejo pelo crack, participará de grupos como o indispensável Narcóticos Anônimos, fará atividades ocupacionais como exercícios físicos, leitura, pintura, enfim, faremos a Bruna perceber novamente que há vida sem a droga. Quem se vicia em drogas não conseguem mais imaginar que há vida sem usar aquela substância, acreditam que ela é o “porto-seguro” deles quando existe algum problema no caminho. Mas é justamente ao contrário: há vida sem as drogas sim e ela não ajuda a resolver nenhum problema, muito pelo contrário, só prejudica mais a realidade. Por isso que a estrutura familiar tem que ser muito bem formada, pois o apoio de quem ela ama é fundamental. Ela precisa se sentir acolhido por nós e por vocês, pelos amigos e se ele tiver algum namorado.

(BRUNA): – Não me lembre daquele desgraçado do meu namorado, eu odeio ele depois do que ele fez comigo!

(MÉDICO): – A propósito, Bruna: eu soube do estupro coletivo e, se lhe conforta ao menos um pouco, você não é a única desta clínica que sofreu isso. Você terá atendimento especial com um psicólogo da clínica mesmo, vai te ajudar. Bem, eu não posso omitir, então vou falar: você passou por alguns exames mais cedo, sua mãe a levou ao hospital e o resultado chegou agora até mim. Você desenvolveu problemas pulmonares pelo uso contínuo de drogas, principalmente a tuberculose, que você apresentava tosses com sangue. Eu lamento informar, mas você contraiu HIV pelo abuso sexual.

Bruna e Yolanda ficam pálidas com os resultados dos exames e começam a chorar, enquanto Maria se choca e permanece imóvel.

(BRUNA): – É o fim! Acabou! – chorando.

(MÉDICO): – Não é o fim não, a ciência avançou muito e o tratamento pelo HIV, quando se inicia cedo, logo após contrair, é possível levar uma vida normal sem nenhuma restrição, basta tomar a medicação. Agora você vai se tratar pela dependência química, que é uma doença, você ficou doente pela droga. Juntamente a esse tratamento, terá o tratamento a tuberculose e HIV. Tenha força, foco e fé, você vai conseguir.

O médico sai da sala, enquanto Bruna e Yolanda seguem chorando, agora abraçadas. Maria assiste tudo, comovida. Ela e Bruna se encaram, distantes.

(BRUNA): – Tô surpresa com tua ajuda, Maria, pensei que você me odiasse.

(MARIA): – Você me fez mal no passado, Bruna, mas eu sou incapaz de negar ajuda a alguém necessitado.

(BRUNA): – Eu fui tão idiota com você, eu me arrependo tanto do que eu fiz contra você. Eu fui tão injusta e insensível com a minha mãe, fiz ela sofrer tanto com minha rebeldia e depois com meu vício. Eu tenho tanta vergonha do que eu sou! – chorando.

(YOLANDA): – Mas você vai mudar, minha filha, você tá reconhecendo seus erros para mudar. Eu fico orgulhosa de você e todos nós vamos te ajudar nesse momento difícil. – chorando e acariciando os cabelos dela.

(MARIA): – Esquece o passado, Bruna, foque no futuro. O que aconteceu entre a gente no passado, deixa pra lá. Se você mudou como pessoa, então já tá ótimo.

Bruna segue chorando e Maria se aproxima, segurando nas mãos dela e selando a paz entre as duas, enquanto Yolanda encontra forças pra seguir naquela situação.

CENA 09: RUA, EXTERIOR, TARDE.

Ryan e outro comparsa estão em cima de uma moto, usando capacetes, estacionados em frente ao banco onde Carlos e Fernanda entraram há alguns minutos, foram informados por Richard sobre a hora que saíram de casa. Eles aguardam alguns minutos quando veem Carlos sair com uma pequena mala do banco e se entusiasmam. Discretamente, Ryan desce da moto, ainda com o capacete e se aproxima de Carlos, sem que ele perceba. Quando Carlos vai entrar no carro, Ryan o surpreende apontando um revólver.

(RYAN): – Passa a grana, coroa! – gritando e apontando revólver.

(CARLOS): – Que isso, cara, vamos conversar… – se afastando lentamente.

(RYAN): – Dá a mala com a grana se não eu atiro! – gritando.

(CARLOS): – Não tem dinheiro nenhum, só o pouco da minha carteira.

(RYAN): – Qual é, coroa, tá querendo zoar com minha fuça, tu foi no banco e não tem grana aí… – rindo. – Não vou falar de novo: entrega a mala ou eu atiro, seu bosta! – gritando.

Carlos está muito tenso, enquanto observa Ryan apontar o revólver para si. Naquele momento, Fernanda sai do banco e se apavora com a cena, soltando um grito desesperador e Ryan olha para o lado, então Carlos aproveita a distração e avança nele. Carlos e Ryan travam uma briga pelo revólver, enquanto Carlos dá socos no estômago de Ryan, o traficante tenta o empurrar e se soltar. Logo, Ryan consegue se soltar e, sem pensar mais, dispara vários tiros em sequência no tórax de Carlos, que cai no chão, ensanguentado e agonizando. Ryan pega a mala e corre até a moto, indo embora com o comparsa. Fernanda fica em pânico e corre até Carlos, sentando ao lado do marido no chão, envolto em uma poça de sangue.

(FERNANDA): – Meu Deus, fique calmo, Carlos, eu vou chamar a ambulância!

(CARLOS): – Não vai dar tempo. – tossindo sangue. – Me perdoa, Fernanda? – agonizando.

(FERNANDA): – Você vai sobreviver, eu já tô ligando pra ambulância! – chorando.

Fernanda começa a discar e aguarda atendimento, mas é inútil: ao olhar para Carlos novamente, ele já está com os olhos arregalados e sem se mover nem respirar. Fernanda acaricia o rosto de Carlos e chora compulsivamente, pois apesar de tudo, ela o amava.  Muito distante dali, Ryan e o comparsa estacionam em um beco e abrem a mala, verificando que não há nenhum dinheiro, apenas papéis de trabalho.

(RYAN): – Desgraçado, o coroa não guardou a grana na mala. – atirando a mala no chão. – O Richard que se prepare, dessa vez ele não escapa.

Ryan sobe na moto e vai embora para a favela com seu comparsa, ambos furiosos que o assalto foi inútil.

CONTINUA…

NO PRÓXIMO CAPÍTULO: Colégio Máximo vira ambiente de guerra em atentado de Stefanny e Gustavo.

Anúncios

38 thoughts on “Descobertas – Capítulo 35 (últimos capítulos)

  1. GENTE… doeu a parte da Bruna.
    Esse lado das drogas é ALGO muito sério mesmo.
    Vc está desenvolvendo muito bem essa questão que, infelizmente é tão comum no Brasil!
    Valeu por mais um emocionante e comovente capítulo

    Curtido por 1 pessoa

  2. Não acredito que a Stefanny conseguiu convencer o Gustavo a causar o atentado. Me recuso a acreditar que ele não tenha noção das consequências desse atentado, não é só a internação na Fundação Casa: como menor de idade, ele com certeza deve ter alguém que se responsabilize por ele (pais, parentes ou então tutores), são eles quem responderão criminalmente pelos atos dele, afinal a Justiça brasileira entende que ele ainda é incapaz de responder pelos próprios atos (não que isso seja verdade, mas enfim). O Jonathan eu até entendo, mas o Gustavo não.

    Pelo menos agora a Stefanny elaborou um plano inteligente. Apesar da bola fora do Gustavo, o plano dela é teoricamente perfeito. Fazer o sentimento de vingança falar mais alto dentro do Gustavo a ponto de fazê-lo produzir o remake do Massacre de Realengo e, quando a barra sujar, se livrar de qualquer vestígio de seu envolvimento com esse massacre para fazer o Gustavo pagar por tudo sozinho.

    Achei covardia ter matado o Carlos. Já prevejo que a morte do Carlos vai reunir a família novamente. Em tese, seria uma bela homenagem ao Carlos, pois ele enfim conseguiria ver sua família reunida novamente, como era antes do Wesley se assumir. Por outro lado, mostra que essa reunião só seria possível se o Carlos morresse, como se fosse impossível para ele aceitar os filhos como eles são. A família merecia ser reunida pelo amor, e não pela dor.

    O cerco vai se fechando contra a Stefanny. A farsa do Rômulo traficante foi desmascarada e em breve ela levará um processinho tour. Prevejo que a responsabilização da Stefanny por essa armação ocorrerá sem maiores interferências… se bem que tem o fato da Maria ter comprado o depoimento do Ryan. Bem… na espera dos capítulos finais serem disponibilizados no Mix Play.

    Curtido por 1 pessoa

    • Gustavo teve poucas cenas durante a trama, mas faça uma pesquisa nos capítulos e verá que ele sempre falou em se vingar de quem o humilhou. Na fase em que a Maria sofria muito bullying e o Gustavo conversava com ela, ele sempre dizia que um dia ia dar o troco naqueles que o perseguiam. Logo, ele ter aceitado o plano bolado pela Stefanny não é absurdo. A morte de Carlos tem um sentido importante dentro da história, se é um desses que você mencionou, só aguardando pra ver. Sobre o Mix Play, a conta estará cancelada na semana final, felizmente. Obrigado pelas opiniões, Glay! ❤

      Curtido por 1 pessoa

      • Eu não questionei o sentimento de vingança dele, mas sim o fato dele ter ignorado as consequências dessa vingança. Imaginei que ele soubesse que a situação é muito mais grave do que o que a Stefanny apresentou. Absurdo não é ele se sentir tentado a se vingar, absurdo é ele ignorar as consequências (me recuso a acreditar que ele não saiba das consequências).

        Shocka com o atentado ao direito do consumidor. Aguarde o processinho tour, beijos estrelados.

        Curtido por 1 pessoa

  3. Capítulo muito triste amg. Desesperadora a situação da Bruna. Além de tudo que sofreu e ainda ter que se livrar do vício das drogas, contraiu tuberculose e HIV, duas doenças gravíssimas. Pelo menos agora ela tem noção do que está vivendo e quer lutar pra se livrar do vício. Tomara que não seja tarde demais. Muito triste a morte do Carlos, mas acho que há coerência sim com algo da trama amigo. Wesley vai sofrer muito com a morte do pai. Ryan provocando mais uma morte e mostrando o assassino que é. Parabéns amg pelo capítulo.

    Curtido por 1 pessoa

    • Pois é, Bruna tá sofrendo muito, o vício em drogas foi devastador pra ela, mas com a amor da mãe e o perdão da Maria, ela vai lutar pra recomeçar. A morte do Carlos foi libertadora pra Fernanda, infelizmente, mas é a verdade, só agora ela vai ter paz após tantos problemas acarretados pelo autoritarismo do marido. Obrigado pelas opiniões, Gui! ❤

      Curtir

  4. E vamos ao #AnalysisToday ✌😛 de hoje:

    Descobertas – Capítulo 35

    Após ser violentada por seis homens (eram seis, né? Deu seis nos meus cálculos), Bruna pede desculpas por todo o mal que fez a Maria e Yolanda e é internada em uma clínica de reabilitação para se desentoxicar das drogas – olha… a Bruna tá me emocionando nesses dois últimos capítulos, ela foi um capeta a web todinha (inclusive foi mais embuste que a Stefanny), mas essa redenção dela foi show! Pisou em certos finais de vilãs de “Malhação”… – na clínica de reabilitação, Bruna descobre que está com HIV – ai, coitada… senti tanta pena dela! 😥😥😥

    Stefanny consegue copiar os moldes das chaves da casa de Jonathan, Luiz e Catarina para entregar a Jorge, em troca disso, Jorge lhe consegue uns revólveres… ao entregar os moldes das chaves e as armas, Jorge e Stefanny transam loucamente – EU SABIA! Ela ia ceder pro Jorge – socorro com o Jorge sufocando a Stefanny com um lençol, senti até pena dela… após isso, Stefanny convence Gustavo a provocar um atentado no Colégio Máximo, ela o manipula e ele aceita – VIIIIIXE! Esse atentado promete!

    Ryan cobra a dívida de Richard, que diz que Carlos vai retirar um dinheiro do banco e que ele pode assaltá-lo… na hora, Carlos sai com uma maleta cheia de documentos do trabalho, Ryan chega, pega a maleta e atira em Carlos, que não resiste e morre – O EMBUSTE MORREU! ADORO! Que arda no quinto dos infernos, risos eternos e diabólicos… mas vai sobrar pro Richard, aposto.

    Reta-final perfeita.
    Parabéns, Airton. 😀

    Curtido por 1 pessoa

    • Bruna teve uma redenção natural, ela trilhou um caminho errado, sofreu as consequências e se arrependeu, decidindo mudar seu futuro apesar das sequelas físicas e psicológicas. Pois é, Stefanny e Jorge se ajudaram, transaram e ela achou que podia brincar com ele, mas ele deu seu recado com o enforcamento. Gustavo aceitou participar do atentado da Stefanny e isso vai render muito sim, o capítulo de segunda será tenso demais. Ryan matou Carlos pra pegar o dinheiro e quitar a dívida de Richard, como isso não aconteceu, claramente que Ryan vai perseguir Richard. Obrigado pelas opiniões, Roberto! ❤

      Curtir

  5. Parabéns!
    Maria conseguiu!!!
    Bruna caiu em si e pediu ajuda, mas teve que ser estuprada para tomar essa decisão; Cena triste aquela em que descobre ter hiv. Airton foi muito complexa a cena. Forte, tensa, emocionante, a paz selada entre Maria e Bruna.
    Jorge é um canalha mesmo, Stefanny uma piranha mesmo. Ela e Jorge transaram.
    Gustavo sendo seduzido por ela. O que será que os dois vão apronta na escola.
    Richard entregou seu próprio pai. Ryan não mediu as consequência e atirou em Carlos.
    Capitulo forte, triste e emocionante. Muito bom.
    Entraremos na última semana de Descobertas, uma web maravilhosa que me fez refletir muito ao ler ela. Parabéns Airton, você acertou em cheio nessa trama. Tudo fluiu bem até aqui e tenho certeza que a semana final vai estar maravilhosa. Sucesso!!!!!!

    Curtido por 1 pessoa

    • Bruna chegou no fundo do poço para compreender que as drogas não lhe trouxeram nada de positivo, agora ela buscou ajuda e vai iniciar um tratamento pago por Maria, a quem ela tanto desprezava. Stefanny e Gustavo vão se unir para provocar um atentado na escola, vai ser bem tenso. Ryan matou Carlos para quitar a dívida de Richard, mas a mala do banco não tinha dinheiro e agora as coisas vão se complicar. Muito obrigado pelos elogios, Gremista, é tão bom saber que minha humilde trama lhe envolve desta forma a ponto de causar reflexões! ❤

      Curtir

  6. Stefanny convenceu o outro, aff , que vagaba.
    Então foi o Carlos que morreu 😮 agora o Richard tá ferrado, coitado.
    Esse Jorge, tomara que se dê muito mal junto da cobra mal matada.
    Uma web dessa é de deixar sem fôlego, capítulos inteiramentes fascinantes 😍 ansioso pro próximo, ansioso para a derrocada desses vilões maquiavélicos.

    Curtido por 1 pessoa

  7. Nossa,coitada da Bruna espero que ela consiga se livras de todas as coisas mau que aconteceram com ela,essa WEB é demais ansioso pros próximos capítulos,parabéns Airton..

    Curtido por 1 pessoa

  8. Maria conseguiu e Rômulo será solto. Após sua saída, prevejo o professor indo atrás das provas que tem para incriminar Stefanny.

    Pra um fim de semana de dia das mães, Yolanda teve um grande presente ao reencontrar Bruna e ela pedindo perdão. Uma jovem que teve sua história totalmente desfigurada por causa do uso das drogas. Nunca é tarde pra se desculpar e pra pedir ajuda né? Cena tocante essa da descoberta do HIV. Maria dando total apoio a ex rival, maravilhosa.

    O plano de Jorge e Stefanny está tudo correndo as mil maravilhas. Ele já tem o molde da chave pra invadir a casa de Catarina. Já a minha rainha tem os revólveres para causar terror no colégio Máximo e um cúmplice: Gustavo. Como assim esse infeliz teve a audácia de tentar enforcar minha dama? Filho da mãe… Pensei que ela seria assassinada, ufa! Jorge é louco, gente! Dias de terror estão por vir no colégio Máximo e na Mansão de Catarina.

    Ryan ameaçando Richard mais uma vez. Agora o guri teve a solução de pagar a divida mesmo pondo a vida de seu pai em risco. E o pior aconteceu: Carlos levou vários tiros e morreu nos braços da mulher. 😮 😮 SOS!!! Richard terá que conviver com esse peso, e com o peso que Ryan e seu pai vão por em suas costas por ele não pagar a divida da boca. :/ Ai meu Deus! O que vem por aí nessa última semana?

    E a rainha não vai nem esperar o penúltimo capítulo pra agir, adoro! ❤ #Gustefanny Shippo.

    Parabéns, Airton! ❤ Muito bom o capítulo de hoje. Saudades batendo já.

    Curtido por 1 pessoa

    • Maria conseguiu provar a inocência de Rômulo e agora ele vai encontrar uma forma de punir Stefanny, com certeza. Bruna finalmente procurou ajuda, pediu perdão a Yolanda e Maria, resta saber se ela vai ter forças pra se recuperar. Jorge usou Stefanny apenas, mas deixou seu recado para ela não se meter com ele novamente. Ryan roubou e matou Carlos para quitar a dívida de Richard, mas não foi possível e agora ele vai caçar o jovem, como Richard vai escapar dessa? Obrigado pelas opiniões, Fred! ❤

      Curtir

  9. Que o Rômulo seja solto \o/ Com esse atentado, a pena aumenta com certeza pra Stefanny, mal sabe o que te espera com a saída do professor. Chocado com o Jorge enforcando Stefanny 😮 Um psicopata :-O Temia que o Richard fosse a pessoa que iria ser morta e por Ryan, mas foi o pai dele que morreu, acho uma pena, podia ter aprendido uma lição com os seus erros. A web tá bombástica e tô adorando 😀

    Curtido por 1 pessoa

  10. Capítulo 34

    Ryan se arriscou por muito pouco… Só 800 reais pra confessar o que fez e ainda colocar sua liberdade em jogo? Sorte que a Maria é honesta e cumpriu com o combinado, ela podia ferrar com ele. Luana pensa em abortar o filho… Espero que ela não faça isso. Bruna não paga a sua dívida na boca de fumo e conhece a punição para quem é devedor: não foi morta, mas foi estuprada. Cena fortíssima, mesmo não gostando da Bruna, fiquei agoniado e angustiado lendo, é algo muito repulsivo. Maria mostra o vídeo que inocenta Rômulo pro delegado, acho que agora ele ganha a liberdade de novo.

    Capítulo 35

    Bruna se arrepende e se reconcilia com Maria e Yolanda, e ela é internada numa clínica de reabilitação. Pasmo que ela contraiu HIV com o estupro coletivo. Mas enfim, tudo indica que agora a personagem vai se recuperar. Stefanny consegue copiar a chave da casa de Catarina e entrega para Jorge, mas ele quase a matou sufocada, socorro! Mas mesmo tendo visto a morte diante dos olhos, a vilã segue planejando suas maldades e convence o who do Gustavo a armar um atentado no colégio Máximo. Mas qual o seu real objetivo com isso? Matar a Maria? Não sei, mas provavelmente teremos mortos e feridos nessa guerra que está por vir. Richard entregou o pai para a morte, mesmo que indiretamente. Carlos reagiu ao assalto de Ryan e acabou baleado e morto. Olha… Se eu disser que fiquei triste com a morte dele estarei mentindo, mesmo que o Carlos não merecesse um fim como esse, não consigo sentir pena dele. Agora o caminho está livre para Fernanda e Wesley voltarem a se relacionar e o Richard ter um motivo para sair do mundo das drogas.

    Ótimos capítulos, ansioso para as emoções da semana final. Parabéns, Airton, tá incrível!

    Curtido por 1 pessoa

    • Qualquer dinheiro é válido pro Ryan, inclusive 800 reais. Mas realmente, a sorte dele foi que Maria é honesta, cumpriu sua parte em não denunciar a boca de fumo dele. Felizmente, agora Rômulo terá a liberdade de volta, merecidamente. O estupro da Bruna foi horripilante mesmo, se pra ler te causou isso, imagina escrever, fiquem mal, mas fazia parte de uma realidade que não devemos esconder. Agora internada, ela poderá se tratar do vício e do HIV. Stefanny se aliou a Jorge e pensou que podia brincar com ele, acabou sendo sufocada, sentiu a potência da maldade alheia. O atentado no Colégio Máximo será tiro, porrada e bomba, literalmente, risos maléficos. Sobre a morte de Carlos, ele era uma pessoa terrível, seu fim foi uma forma de liberar Fernanda para a vida e uma oportunidade de se reaproximar de Richard e Wesley. Obrigado pelas opiniões, Jean, que bom que está gostando da reta-final, te espero na última semana! ❤

      Curtido por 1 pessoa

  11. Nossa tadinha da Bruna pegou HIV mais ela teve culpa pois entrou no.mundo das drogas, coitado do Carlos deu pena dele apesar de ser um carrancudo.. Enfim parabéns

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s