Azarados – Episódio 02

CENA 01 – APARTAMENTO DA ELLER – QUARTO – INT. – MADRUGADA

Música: Justin Timberlake – Sexy Back

Eller era o nome da mulher que Apolo viu ontem perto do banheiro no bar, após muita conversa, mãos bobas, beijos e abraços, ele conseguiu a levar pra cama. Os dois estavam assim, coladinhos, já fazia muitas horas, e parecia que o fogo dos dois nunca acabava.

Eller: Você tá gostando? – Pergunta, enquanto está de bruços, com Apolo em cima dela
Apolo:Tô gostando tanto que a gente pode repetir novamente, assim que essa rodada acabar!
Eller: Não para, vai, vai!
Apolo: A vida é muito curta pra gente parar no momento bom…
Os dois continuam transando. No entanto, o momento é interrompido quando se escuta o ruído da porta do apartamento sendo aberta. Eller se ergue da cama ligeiramente, já vestindo a calcinha e o sutiã do chão, e diz:

Eller: É o meu marido, o cachorro grande!

A música é interrompida bruscamente…

Apolo (Assustado): Como é o nome?
Eller: O nome dele é Zé Cachorro Grande, ele é dono do morro ao lado!
Apolo: E por que tu não disse isso?
Eller: Porque você poderia recusar o convite, e eu tava cheio de fogo pra apagar…
Apolo: É lógico que eu não ia recusar o convite, só que a gente ia pro motel, eu tenho que respeitar o cara!
Eller: Então vamos logo te esconder, porque ele não vai te respeitar te vendo aqui na cama.

Apolo se levanta da cama rapidamente também, veste a cueca, e recolhe as roupas espalhadas pelo o quarto. Ele vai pra dentro do armário. Só que Eller pega no braço dele e o afasta.

Eller: Ai não! Esse vai ser o primeiro lugar que ele vai abrir, já encontrou tantos aí dentro.
Apolo: E eu me escondo onde?
Eller: Tu vai pela janela, ele vem pro quarto e tu passa pela a janela da sala que ta aberta.
Apolo: É alto!
Eller: Deixa de ser frouxo! Vai pela a janela ou nós dois morremos aqui, vai querer morrer?

Ele passa pela a janela, e começa andar pelo estreito parapeito. Ele faz a passagem, e entra na sala do apartamento. Apolo se veste apressadamente, ele procura os sapatos.

Apolo: Puta merda… Esqueci os sapatos!

No quarto…

Zé Cachorro Grande: Que barulho foi esse?
Eller: Tem barulho nenhum, quero saber é o que tu ta fazendo em casa hora dessa, tu não ia viajar?
Zé: Não precisei ir, e a casa é minha, chego a hora que eu bem entender.

Zé Cachorro Grande olha para o chão e nota os sapatos de Apolo.

Zé: Estes sapatos de quem são?
Eller: Como, de quem são? São seus…
Zé: Meus sapatos não são cheios de frescurinha como esse!

A mulher sem saída, tenta inverter o jogo.

Eller: Então onde foi que você arranjou estes sapatos? Tu anda me traindo Zé? Tu pode até ser grande, mas ninguém faz Eller de corna não.  – A mulher leva as mãos ao rosto, fingindo estar chorando.
Zé (Com raiva): Esses sapatos não são meus!

Apolo, na sala, derruba um jarro. Zé escuta, e corre para ver. Quando chega lá, só consegue ver a silhueta de Apolo saindo apressadamente do apartamento. Cachorro Grande ainda tenta o alcançar, porém, Apolo mais rápido, consegue fugir pelo o elevador.

Zé: Era tu que tava me traindo! Pois fique sabendo que ninguém trai Cachorro Grande não, tu vai pagar junto do teu amante, vadia.

Ele defere um forte tapa no rosto de Eller, que cai na cama com a mão no rosto.

A imagem escurece.

CENA 02 – APARTAMENTO DE THEO – INT. – DIA

Apolo chega ofegante em casa. Theo está sentado no sofá, comendo pipoca e vendo um filme romântico.

Apolo: O que é isso? Filme de mulherzinha? Quem é tu? O que fez com o Theo?
Theo: Apolo amigo, vem cá me dá um abraço! – Abrindo os braços
Apolo: Sai de perto de mim!
Theo: Se eu te contar tu não vai acreditar. – Suspirando
Apolo: Então não conta! – Dando as costas
Theo: Mas vou contar assim mesmo… Não tem aquela garota do bar, a que derramou cerveja em mim, então, ela mora no apartamento da frente!
Apolo: No apartamento da Lola?
Theo: Sim! Tá vendo? É o destino dizendo que ela é minha alma gêmea.
Apolo: Tu não ta bem, vou te levar no médico pra ver o que é isso, mas só amanha amanhã!

Apolo vai para o quarto, quando Theo percebe que ele está sem os sapatos.

Theo: Cadê teus sapatos?

Apolo: Quando eu acordar, te conto o que aconteceu, a noite foi animada! – Sorrindo

Anoitece…

CENA 03 – APARTAMENTO DA LOLA – INT. – NOITE

Ema estava completamente afundada no sofá, ainda nos seus filmes depressivos de comédia romântica, é quando Lola entra de forma minuciosa e completamente fantasiada de mulher gato, ela chicoteia o chão, e solta um sonoro miado.

Ema pula do sofá.

Ema: O que é isso?
Lola: Minha surpresinha pro Alex, hoje eu vou retribuir o jantar maravilhoso que ele preparou ontem!
Ema: Vai retribuir dando pra ele?
Lola: E tem forma melhor de retribuir? (Silêncio) Agora me diga como estou? Mulher fatal?
Ema: Parece que você vai pro abate.

Lola fica com a boca aperta.

Lola: Mal amada!
Ema: Sou mesmo! – Ela afunda a cabeça em uma almofada começa a chorar

Ema senta ao lado da amiga e acaricia seus cabelos.

Lola: Não queria te deixar novamente sozinha em casa.
Ema: Não tem problema, eu estou gostando desse tempo sozinha, gostando de repensar sobre tudo o que me aconteceu. Vai logo pro teu encontro!

Lola coloca o sobretudo marrom, e sai do apartamento.
Ema volta a dar atenção para o filme, se passam alguns segundos, e ela começa a imaginar o rosto de Theo como o do protagonista, encantada, a moça suspira. Logo, cai em sim e defere vários tapas em seu próprio rosto.

Ema: Para, para, para! Esquece esse garoto, tu não tá dando conta nem da vida a um, imagina a dois.

CENA 04 – LANCHONETE TOCA DO TATU – INT. – NOITE  

Música: Rude – MAGIC!

A cena abre, mostrando Theo e Apolo em uma mesa qualquer do bar, os dois comem alguns petiscos. Apolo conta tudo o que ocorreu pela manhã.

Theo: Eu não acredito que tu foi quase pego pelo o Zé Cachorro Grande!
Apolo: Eu to com medo dele me achar Theo, sabe como é esse povo, só sabe resolver as coisas na porrada.
Theo: Mas tu disse que ele não tinha visto teu rosto…
Apolo: Mano ele é traficante, as coisas pra esses caras parecem mais fáceis, ele descobre quem saiu correndo do apartamento dele num estalar de dedos. De qualquer forma vou andar com mais cuidado…

Os dois terminam de comer.

Apolo: Eu vou pra boate, vem comigo?
Theo: Não, eu vou tentar criar coragem pra pedir pra Ema sair comigo, será que ela topa?
Apolo: Jesus me dê paciência pra aguentar amigo apaixonado.

Apolo levanta.

Apolo: Aliás, tu paga a conta, é o preço por eu aguentar essas tuas paixonites.

Ele sai do local, deixando Theo boquiaberto.

CENA 05 – APARTAMENTO DO ALEX – INT. – NOITE

Música: Fever – Beyoncé

Lola chega ao apartamento de Alex, seu namorado. Ela destranca a porta com a chave reserva.

Lola (com voz sexy): Amor? Onde está você? Eu vim fazer uma surpresinha toda quente e molhadinha pra você!

Ela desmancha o nó que segurava o sobretudo, ele cai no chão. Com a fantasia de mulher gato, vai até a parede, roçando a perna de forma sensual.

Lola: Vem ser meu Batman, vem.

De quatro, ela começa engatinhar de maneira provocante até a porta do quarto, onde Alex poderia estar, pois era audível um barulho de música muito forte vindo de lá. Quando Lola chegou no local, se deparou com Alex posicionado em cima de outra mulher, com fúria ela se levanta do chão, e acerta um jarro de cima da mesa no som que tocava.

Lola (Furiosa): O que é isso Alex?

Alex se levanta rapidamente da cama, cobrindo os órgãos genitais com a mão.

Alex (assustado): Espera, eu posso explicar…
Lola (com raiva): Agora tu vai querer me explicar como vocês dois estavam fazendo o sexo? Eu entendo muito bem disso pra você ter que me explicar, canalha!
Mulher (sorrindo): Tá querendo se juntar na festinha?
Lola (indignada): Que puta amanhecida foi essa que tu arrumou, Alex? Eu tô esperando uma explicação…
Alex: Amor, desculpa, foi o impulso… Eu sou homem, sabe como é, né?
Mulher: E que impulso…

Alex lança um olhar reprovativo para a mulher que está deitada na cama. Ele não consegue dizer mais nada, e Lola começa a chorar.

Lola (chorando): Você está vendo a maneira como estou vestida? Eu me desloquei da minha casa até esse fim de mundo, desse jeito, para te surpreender, para esquentar a nossa relação, para te mostrar o quanto eu te amo… Melhor, o quanto eu te amava… Porque o que sentia por ti vai morrer, eu vou matar esse sentimento… Eu não tenho mais que ficar aqui, podem continuar o sexo de vocês. Vou atrás de coisas melhores e maiores. – Olhando com desprezo para as mãos que cobriam o pênis do rapaz

Ela corre até a sala, pega o sobretudo e vai embora.

CENA 06 – RUAS DA CIDADE – EXT. – NOITE

Apolo andava distraído pelas as ruas, sua distração era tanta olhando para os decotes e as bundas das mulheres que passavam que não notou um carro preto o seguindo desde que saiu da lanchonete. Estava perto da rua da boate, quando dobrou na esquina, sentiu encostar a ponta de um cano de arma nas suas costas.

Zé Cachorro Grande: Entra no carro.

Entrou no carro. O Zé Cachorro Grande entrou logo em seguida. Dentro do veículo estavam ainda mais dois homens, que ficavam na frente.

Apolo: O que é isso?
Zé Cachorro Grande: Uma coisa chamada juízo final. Você enfeitou minha cabeça e agora eu preciso lavar minha honra.
Apolo: A gente ta no século XXI, ninguém mais lava a honra com sangue.
Zé Cachorro Grande: Minha vida, minhas regras.
Apolo: Mas eu não faço parte da tua vida, cara, para com isso, abre a porta, me deixa ir e fica tudo de boa…
Zé Cachorro Grande: Você passou a pertencer ela no momento que tu resolveu ficar com a minha mulher.
Apolo: Mas eu não sabia, ela não disse que era casada.
Zé Cachorro Grande: Ela me contou tudo, que tu seduziu ela com essas conversas de playboy, foi culpa tua… Mas de qualquer forma eu vou matar os dois!

A tensão é visível no rosto de Apolo, em sua mente, ele tentava arquitetar uma maneira de fugir dali.

CENA 07 – RUAS DA CIDADE – VIADUTO – EXT. – NOITE

Música: Nico Vega – Bang Bang (My Baby Shot Me Down)

Apolo: Seu Zé, por favor, não me mata… Eu juro como não fico mais com a sua mulher, eu não passo nem perto da rua de vocês.
Zé Cachorro Grande: Não vai ficar com ela mesmo não, depois de matar você, eu vou matar ela!

Apolo suava frio e suas mãos tremiam, não havia escapatória.

Bem perto dali…

Música: Abandonada por Você – Fafá de Belém

Lola vinha caminhando, cambaleando e tropeçando, sua maquiagem estava completamente borrada devido às lágrimas, o cabelo desgrenhado e segurava nas mãos uma garrafa vodka. Com seu fone de ouvido, escutava “Abandonada por Você”.

Lola: ABANDONAAAAADA POR VOCÊ…  TENHO TENTADO DE ESQUECEEEER…NO FIM DA TARDE UMA PAIXÃO, NO FIM DA NOITE UMA ILU… – A moça se banhava com vokda e rodopiava enquanto cantava

Lola para de cantar, seus passos ficam mais lentos, ela nota uma estranha movimentação no viaduto, ela encosta-se a um carro, e consegue reconhecer Apolo, seu vizinho.

Lola: Gente do céu. É o Apolo!  – Ela pega o celular com dificuldade, e disca o número da polícia, informando o que está acontecendo e sendo informada que logo chegará ajuda.

Enquanto isso…

Zé Cachorro Grande: Segurem esse frouxo, que antes de jogar ele do viaduto, eu vou dar umas porradas nele.

Em câmera lenta, vemos várias cenas do Zé Cachorro Grande dando soco, chutes, tapas, cotoveladas, contra o Apolo, que geme e chora de dor, ficando com seu rosto ensanguentado. Lola assiste a cena apreensiva, é quando toma uma atitude.

Lola: Eu não posso ficar aqui só olhando…

Ela se levanta e rapidamente caminha até onde os homens estão.
Lola pega a garrafa que estava em suas mãos, à quebra no fundo, deixando pontas cortantes. Ela corre e se põe em frente aos homens.

Lola: Soltem-no ou eu mato vocês! – Temerosa, porém, mantendo a imagem de bravura.

Os olhos claros da moça transpareciam coragem, uma coragem que talvez ela jamais tivesse tido em sua vida. Os homens se entreolham, surpresos.
Ouve-se a voz de Lola sobre a cena. Enquanto a mesma mantem os cacos de vidro apontados em direção aos bandidos.

Lola: Dizem que errar é algo inerente da raça humana, e não discordo. Nós já erramos quando resolvemos ainda nos primeiros minutos da vida chorar e gritar, mostrar para o mundo que estamos disponíveis para o seu jogo… E alguns erros, nós beneficiam de tal maneira que acabamos viciando. No entanto, outros, pegam nossos corpos surrados de apanhar, e joga na linha de fogo, pronto para o fim. E é nessa hora que a ficha cai, é nessa fração de segundos que notamos que deveríamos ter errado mais. Porque no fim, a vida é isso, um eterno erro, onde alguns conseguem, com muita sorte, acertar.

CONTINUA...

Anúncios

8 thoughts on “Azarados – Episódio 02

  1. Lola flagra seu namorado Alex na cama com outra mulher, sofro com a rainha sofrendo. Mas felizmente, ela pisou com classe, vou aderir o “puta amanhecida”, risos. E o melhor de tudo, é que Lola ainda vai se vingar de Alex, como esquecer da cena? Épica.

    Enquanto isso, Apolo transa com a mulher de Zé Cachorro Grande e não consegue fugir por muito tempo. O cara e seus comparsas o encontram e o ameaçam de jogá-lo do viaduto para pagar pelo que fez com a sua vida. Tá vendo no que dá ser safado, Apolo? Mas felizmente, rainha Lola está presente no local pra salvar seu futuro crush, e além de chamar a polícia, enfrenta os valentões. Dona, né gente, e ponto final.

    Ótimo capítulo, continuo adorando relembrar a trama. Parabéns a dupla de autores :*

    Curtir

  2. E vamos ao #AnalysisToday ✌😛 do episódio de hoje.

    Observando agora, “Azarados” se parece mesmo como uma série, porque alguns ganchos não tem continuação no episódio/capítulo seguinte (não me lembro de todos os ganchos, mas okay).

    Azarados – Episódio 02 ❤❤

    O episódio se inicia com Apolo transando com Eller, a mulher que ele se sentiu atraído no Toca do Tatu. Os dois transam loucamente, mas o momento é interferido com a chegada de Zé Cachorro Grande, o dono do morro ao lado – sério… não tem como não rir com esse nome, é muito gozado. 😛 – Apolo consegue fugir, mas acaba esquecendo os seus sapatos e é visto por Zé Cachorro Grande (vou chamar ele apenas de Zé, porque além de bizarro, o nome é muito grande).

    No apartamento de Lola e Ema, Lola se veste de mulher gato para retribuir o jantar que Alex fez da melhor maneira possível: cedendo pra ele – dama, sem menos – Ema continua depressiva por ter ficado com apenas 2 reais na bolsa. Lola sai do apartamento, e Ema começa a se lembrar de Theo – é o amor, darling, é o amor… ❤❤❤❤❤

    Apolo caminha pelas ruas da cidade, olhando para as mulheres que passam pela rua, quando o aborda na rua e o obriga a entrar no carro – EEEEEEEEITXAAAAAA! Senti uma pena do coitado agora. 😥😥😥😥 – enquanto isso, (faço um pedido, sonha comigo… essa música me veio na cabeça agora, não sei por que. 😛) Lola flagra Alex a traindo com outra mulher – que cafajeste! Se fosse eu, jamais trairia a rainha Lola, essa diva – Lola sai pelas ruas cantando ABANDONADA POR VOCEEEEEEEEE e bebendo vodca, até que ela se depara com Apolo apanhando de , ela decide enfrentá-lo, quebra a garrafa de vodca e ameaça matar os bandidos – não é uma boa ação para se fazer, mas foi uma bela atitude.

    Boatos de que eu quando eu li as duas vezes pelo histórico do blog, eu tinha preguiça de ler as frases da Lola no capítulo final, eu não lia. 😛

    “Azarados” já está agitando os meus sábados monótonos.

    Parabéns, Brenddo e Manoel.

    Curtir

  3. Apolo entrou numa fria por causa do seu espírito aventureiro e sobrará pra Lola tentar salvar sua pele.

    Falando em Lola, que queda do cavalo que ela levou, hein?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s