O Amor que Definha – Capítulo 10

Cena 1 – DRAMATIZAÇÃO/Ruas da cidade/Noite/Ext.

Edilana estava no chão, sua expressão mudou repentinamente, ela ainda não conseguia ver o rosto dos rapazes, a agonia tomou conta de si quando um deles a pegou pelo braço e a empurrou violentamente contra o chão fazendo com que ela batesse o rosto.

Os olhos de Edilana falham por segundos, como se fosse desmaiar, mas volta a si sem forças para se levantar ou gritar, ela sente sua testa sangrar e os jovens continuam rindo, um deles abre o zíper.

EDILANA: Não. – Disse sem forças, apenas num sussurro.

Os outros dois seguraram seus braços.

Eles continuavam sorrindo e a chuva continuou a cair como as lágrimas de Edilana.

Em primeiro momento Edilana tentou reagir, se debateu o quanto pôde, conseguiu por sorte chutar a cara de um de seus agressores, enquanto estava no chão, mas a mesma fora recebida por chutes. Edilana era uma fera, ela não poderia ser domada por ninguém.

 

Cena 2 – Trinder/Sala de Gravações/Tarde/Int.

Betrix escutava em silêncio enquanto prestava atenção ao que era dito por Wandi.

WANDI: Por algum motivo, talvez o destino estivesse do nosso lado naquela noite. – Ele suspirou como se lembrasse de cada detalhe. – Eu a vi do outro lado da rua, os homens estavam tentando levar para um beco que ficava ali próximo…

 

Cena 3 – DRAMATIZAÇÃO/Ruas da cidade/Noite/Ext.

Wandi caminhava junto a Jean quando os dois percebem uma movimentação estranha do outro lado da rua, aparentemente três homens estavam carregando uma jovem que parecia não estar consciente.

WANDI: Meu Deus, aquela é a Edilana?

JEAN: Eu não sei, mas vamos sair daqui, é perigoso.

WANDI: Eu não vou abandonar minha amiga. – Ele encara Jean. – Tu vem me ajudar ou não?

JEAN: Não faça isso, Wandi.

Contrariando todos os avisos de Jean, Wandi o abandona e atravessa a rua apressadamente enquanto a chuva terminava por banhá-lo por completo, o frio tomava conta de seu corpo, ele tremia, não sabia se era a falta de calor ou o medo estava lhe causando calafrios.

WANDI: Soltem ela! – Ele gritou assim que se deparou com os três.

HOMEM: O que o frangote quer aqui? Não se meta.

WANDI: Eu mandei soltar ela.

HOMEM: Relaxa, nós somos amigos dela e estamos levando ela pra casa.

WANDI: E como é o nome dela? Ein?

Dois deles se encaram, então um deles continua.

HOMEM: Do que isso te interessa?

WANDI: Vocês não a conhecem porque eu que sou o amigo dela.

HOMEM: Olha aqui rapazinho, tu não se mete.

Wandi perde totalmente o controle e empurra um deles.

WANDI: Eu já mandei soltar ela!

No mesmo momento Wandi é derrubado por um soco.

HOMEM: Deixa, vamos embora. – Disse um dos homens vendo que já não era mais possível fazerem o que queriam.

HOMEM 2: Não, esse frangote vai saber com quem ele tá se metendo.

Wandi é golpeado por vários chutes, a imagem começa a ficar turva e ele já não sentia mais forças para gritar, nem mesmo respirar, as pancada foram ficando cada vez mais fortes e Wandi já não sentia mais nada, apenas sentia seus lábios se aquecerem com o líquido vermelho que saia de sua boca.

Ao longe Jean observava tudo escondido.

 

Cena 4 – Trinder/Sala de Gravações/Tarde/Int.

WANDI: Eu pensei que eu ia morrer. – Ele começa a chorar. – Eu acabei desmaiando, minha única preocupação era Edilana. – Ele limpa as lágrimas. – O Jean apenas assistiu eu levar a surra, mas pelo menos ele chamou a polícia e a Edilana foi salva.

BETRIX: E você?

WANDI: Eu fui para o hospital, acordei apenas no dia seguinte, quebrei 2 costelas.

 

Cena 5 – DRAMATIZAÇÃO/Hospital/Quarto/Int./Manhã

Wandi abria os olhos com dificuldade, mas antes mesmo de estar completamente acordado ele já sentia a presença de alguém lhe apertando sua mão, e assim que abriu os olhos viu sua mãe.

WANDI: Mãe.

ALANA: Finalmente. – Os olhos marejados em lágrimas Alana abraça seu filho. – Meu Deus, como você está meu filho?

WANDI: Eu to bem… Ai. – Sentiu uma fisgada na barriga quando tentou sentar.

ALANA: Não se esforce.

WANDI: O que aconteceu?

ALANA: Bateram em você meu filho. – Ela segura forte a mão de Wandi e beija várias e várias vezes. – O importante é que você está bem.

WANDI: E a Edilana?

ALANA: Ela está bem, está em casa agora.

Wandi começa a chorar.

WANDI: Foi horrível mãe, eu pensei que eu ia morrer e não ia conseguir ajudar a Edilana. – A feição de desespero dele muda completamente. – O Jean não ajudou em nada.

ALANA: Não diga isso meu filho, ele chamou a polícia.

WANDI: Eu pensei que o pior ia acontece pra Edilana, e eu não ia poder ajuda-la.

ALANA: Mas você salvou ela.

WANDI: Eu salvei. – Reforçou ele com um sorriso. – Então minha ajuda não foi em vão.

Alana apenas observava, apesar de ter sofrido com a preocupação em cuidar de seu filho, ela estava orgulhosa dele.

 

Cena 6 – DRAMATIZAÇÃO/Casa de Ildes/Sala/Int./Manhã

Ildes estava sentada no sofá quando Julietty chega.

ILDES: Julietty, que surpresa, pensei que passaria o dia com o Djavan, ainda mais depois do que aconteceu.

JULIETTY: A tá, como se o Djavan estivesse preocupado com o que acontece com a Edilana e o Wandi, na verdade eu vim pra cá por outro motivo.

ILDES: Me fala então.

JULIETTY: Eu descobri quem está postando os vídeos anonimamente.

Ildes solta um sorriso.

ILDES: Se tu descobriu então não é mais anônimo.

JULIETTY: Ai mãe, vê se presta atenção.

ILDES: Vai fala então.

JULIETTY: É o Ódilon.

ILDES: De novo não.

JULIETTY: O que?

ILDES: Sim, tudo você coloca culpa no pobre coitado daquele velho.

JULIETTY: Tudo uma vírgula, ele é culpado sim, só preciso provar e aquele velho estúpido vai pra cadeia.

ILDES: Então não tem provas?

Antes que Julietty responda a pergunta de sua mãe, o celular de Ildes vibra devido a uma nova notificação.

ILDES: Calma aí.

JULIETTY: O que foi agora?

ILDES: Um novo vídeo.

JULIETTY: Francamente. – Ela senta apressadamente ao lado de Ildes. – Vamos logo ver o que esse demônio postou desta vez.

Ildes dá play no vídeo que começa a ser reproduzido, enquanto Julietty encara a tela do celular em estado de choque.

 

Cena 7 – DRAMATIZAÇÃO/Casa de Etelvina/Sala/Int./Manhã

Jean terminava de calçar o tênis quando Etelvina aparece na sala.

ETELVINA: Aonde tu pensa que vai?

JEAN: Eu vou ir visitar o Wandi, a Alana me mandou uma mensagem dizendo que ele já acordou.

ETELVINA: Vai ver aquele imprestável?

JEAN: Não fala assim dele.

ETELVINA: Ele só te trás problemas, tu não percebe isso?

JEAN: Tu prefere que eu vá visitar ele ou vá ver o Felipe? Não sei porque tu se implica tanto com o Wandi, ele é apenas meu amigo, nunca que eu teria coragem de ficar com ele.

ETELVINA: Nossa. – Disse num largo sorriso. – Agora até eu fiquei com pena, e olha que eu não costumo ter pena de gente que não presta, mas fiquei feliz em saber que tu não quer nada com ele.

JEAN: Credo, de onde tu tirou uma coisa dessas? Nunca ficaria com ele, repito.

ETELVINA: Tá bom, vai lá ver aquele infeliz.

Jean se despede de Etelvina e sai, enquanto ela solta gargalhadas triunfante.

ETELVINA: Uma pena que ele quebrou apenas duas costela, ele deveria era ter morrido.

 

Cena 8 – DRAMATIZAÇÃO/Casa de Ângelo/Sala/Int./Tarde

Ângelo e Felipe se beijavam quando ele para repentinamente.

FELIPE: Preciso te contar uma coisa.

ÂNGELO: Fala.

FELIPE: Eu acho que eu sei quem matou a Clarita.

ÂNGELO: Como assim?

FELIPE: Se lembra que naquele dia eu te contei que eu abri a porta e vi ela morta?

ÂNGELO: Sim, me lembro.

FELIPE: Eu estava passando por lá, pois eu ia agradecer a Clarita por ter me apresentado a você, mas parei no corredor quando vi a Etelvina entrando no quarto.

ÂNGELO: Por que tu não contou isso pra ninguém? Precisamos avisar a polícia, essa mulher precisa ser presa.

FELIPE: Eu não tenho provas, mas dei um jeito de me aproximar dela.

ÂNGELO: Por que você está fazendo isso?

FELIPE: Eu preciso fazer justiça.

ÂNGELO: Por favor, eu te peço, não se meta nisso.

FELIPE: Eu era o melhor amigo da Clarita, eu não posso simplesmente deixar isso de lado, eu espero que tu me apoie.

Após um longo suspiro, Ângelo acaba por ceder.

ÂNGELO: Tudo bem.

FELIPE: Não é só isso.

ÂNGELO: O que tem mais?

FELIPE: Pra eu me aproximar da Etelvina eu preciso primeiro comer o filho dela.

 

 

Cena 9 – Trinder/Sala de Gravações/Int./Tarde

WANDI: Eu to chocado.

ÂNGELO: Vai deixar eu continuar?

BETRIX: Você recebeu isso com tanta naturalidade?

ÂNGELO: No começo não. – Ele suspira. – Mas eu não me recordo direito como foi, então acho que seria mais plausível eu não colocar nossa discussão na história.

BETRIX: Concordo.

ÂNGELO: A princípio eu não concordei, parecia uma ideia louca, e eu nunca iria aceitar vê-lo com outro, mas depois percebi que não viveria sem ele, então eu aceitaria qualquer coisa, até mesmo se ele ficasse com o Jean eu iria perdoá-lo, porque sabia que no final ele viria pra mim, porque era eu quem ele amava.

BETRIX: Achei bem doentio, mas adorei.

 

Cena 10 – DRAMATIZAÇÃO/Hospital/Quarto/Int./Manhã

Wandi continuava conservando com sua mãe quando alguém bate na porta.

ALANA: Só um minuto. – Ela vai até a porta e a abre revelando o rosto tristonho de Edilana. Alana sorri. – Eu vou deixa-los a sós.

Alana sai e Edilana entra.

EDILANA: Como você está Wandi?

WANDI: Eu to bem, e tu?

EDILANA: Eu estou bem também.

Edilana se aproxima, ela toca a mão de Wandi.

EDILANA: Tu me salvou. – Ela derruba uma lágrima. – Tu seria capaz de sacrificar sua vida pra me salvar.

Edilana começa a chorar e Wandi aperta suas mãos com carinho.

WANDI: Eu não pensaria duas vezes, se fosse pra te salvar eu me arriscaria de novo.

EDILANA: Obrigada. – Ela continua chorando, as dores a envolviam em memórias desagradáveis, ela falhou em salvar Diogo e Valesca e ali em sua frente estava Wandi, ela o considerava um guerreiro.

 

Cena 11 – DRAMATIZAÇÃO/Ruas da cidade/Ext./Manhã

Jean estava indo em direção ao hospital quando se encontra com Felipe, os dois haviam se falado pelo celular alguns minutos.

FELIPE: Finalmente te achei.

JEAN: Tu tá louco. – Ele olha assustado ao redor. – E se minha mãe me vê contigo?

FELIPE: Mas tu disse que ela tava em casa.

JEAN: Mas ela é imprevisível.

FELIPE: Deixa disso, vamos aonde?

JEAN: Eu to indo no hospital visitar um amigo.

FELIPE: Ah, que chato, devíamos aproveitar o tempo que nos resta. – Ele pega Jean pelo braço e tenta beija-lo, mas ele recua.

JEAN: Aqui não. – Ele olha ao redor. – Tá cheio de gente, não podemos.

FELIPE: Vamos ali. – Ele aponta para um banheiro público.

JEAN: Nem pensar.

FELIPE: Ah, qual é? Vai mesmo me deixar na mão? Só uns beijinhos, depois juro que deixo tu ir ver teu amigo.

Jean acaba cedendo, mas no fundo ele estava queimando de desejo.

 

Cena 12 – DRAMATIZAÇÃO/Casa de Ódilon/Sala/Int./Manhã

Julietty chega irritada na casa de Ódilon, no mesmo momento que ela entra, Bruno salta do sofá.

BRUNO: Julietty tu por aqui?

Ela olha para o celular nas mãos de Bruno e bruscamente o toma para si.

JULIETTY: O que tu tá vendo aqui?

Ela olha o conteúdo que Bruno estava vendo e se irrita.

JULIETTY: Seu desgraçado! – Ela joga o celular contra a parede quebrando-o. – Cadê o Djavan?

Bruno tremia enquanto a encarava.

JULIETTY: Eu perguntei, cadê o Djavan? – Perguntou gritando.

Nesse momento Ódilon aparece na sala para resolver a confusão.

ÓDILON: O que está acontecendo aqui?

Julietty se aproxima dele e revoltada ela o acerta com um forte tapa no rosto.

JULIETTY: Seu demônio! Eu sei que é você quem está postando os vídeos da Clarita.

Ódilon encara Julietty sem reação alguma, enquanto Bruno observa a tudo calado.

 

Cena 13 – Trinder/Sala de Gravações/Tarde

Julietty descrevia as cenas com ódio.

JULIETTY: Meu Deus que raiva! – Gritou. – Aquele velho maldito gente. – Ela solta um suspiro. – Ele vazou um vídeo do Djavan, isso não é justo meu Deus, eu queria matar ele, não só ele, eu queria matar o Djavan também.

BETRIX: E o que tinha nesse vídeo?

Julietty olha diretamente para a câmera e começa a descrever a cena vista no novo vídeo vazado.

 

Cena 14 – DRAMATIZAÇÃO/Cena do Vídeo Gravado por Clarita/Casa de Clarita/Quarto/Noite/Int.

A cena tem início assim que Clarita liga a câmera, ela está filmando o quarto totalmente escuro.

CLARITA: Olha Djavan. – Dizia sorrindo. – Isso tudo pode ser seu, se você quiser.

Djavan até então estava fora do alcance da câmera, mas em seguida ela gira e a gravação foca em seu rosto, ele aparentemente está bêbado, ou com muito sono.

DJAVAN: Um quarto? – Perguntou ele sem entender direito o que Clarita estava querendo dizer.

CLARITA: Não, seu bobinho. – Ela faz alguns gestos por trás da câmera, não era possível vê-la, mas é possível ver ela jogando o sutiã sobre a cama.

DJAVAN: Que isso Clarita? Nós somos primos.

CLARITA: E quando que teve essa coisa de primos quando nós erámos mais novos? Tu me pegava de jeito. – Disse em meio a gargalhadas. – Vem Djavan, lembrar os velhos tempos.

Ela pega Djavan pelo braço e o joga sobre a cama.

CLARITA: Os convidados nem sentirão nossa falta, será bem rapidinho, prometo.

A cena acaba com Clarita desligando a câmera.

 

Cena 15 – DRAMATIZAÇÃO/Banheiro Público/Int./Manhã

Felipe e Jean entram cuidadosos, eles olham em todos as partes do local e não encontram mais ninguém, Felipe logo parte para cima de Jean aos beijos.

JEAN: Ei, assim não.

FELIPE: Temos que ser rápidos, antes que alguém entre.

Jean cede alguns beijos e é puxado para um canto do banheiro, Felipe fecha a porta e continua a beija-lo, em seguida suas mãos passam pelo corpo de Jean.

FELIPE: O medo de ser pego me excita.

As mãos de Felipe invadem as calças de Jean e tocam o órgão do jovem rapaz.

JEAN: Assim não! – Ele tenta se afastar. – Tu disse que íamos apenas nos beijar.

FELIPE: Eu to morrendo de vontade e tenho certeza de que tu quer também.

Felipe vira Jean de costas, Jean não reclama mais, ele envergonha-se por sentir-se despido de suas calças, em seguida sente os dedos de Felipe violarem sua bunda afastando as nádegas uma da outa, logo após sentiu o órgão o penetrando lentamente, a feição de Jean foi de uma agonia em volta de uma pequena dor que o envolveu por instantes, era algo novo para ele, ser dominado na verdade era seu grande desejo.

A cena segue-se cheia de volúpia, os gemidos abafados, a câmera vai se afastando e desfocando os dois corpos em movimento de vai e vem, aos pouco tudo se escurece.

 

Cena 16 – DRAMATIZAÇÃO/Casa de Ódilon/Sala/Int./Manhã

Ódilon permanecia com a mão no local onde recebeu o tapa.

ÓDILON: O que tu pensa que tá falando, menina?

JULIETTY: Eu to cansada dos seus joguinhos.

Nesse momento Djavan aparece.

DJAVAN: O que está acontecendo aqui?

Ódilon começa a chorar do nada.

ÓDILON: Sua namorada. – Ele aponta para Julietty. – Essa maluca, ela me bateu. – Ele elabora mais seu drama fingindo estar tonto. – Ela bateu em mim um velho coitado.

Djavan encara Julietty que não sabe o que fazer.

 

CONTINUA…

Anúncios

22 thoughts on “O Amor que Definha – Capítulo 10

  1. Será Odilon tão santo ou demônio assim?
    Jean bem covarde.. Diz que gosta do Wandi mas nem ajudou e ainda se entregou a outro na primeira oportunidade.
    Parabéns!

    Curtir

  2. Pelo amor de Deus, Djavan, se tu acreditar nesse teatrinho do Ódilon, eu faço questão de botar óculos escuros no teu rosto pra simbolizar tua cegueira voluntária.

    Desculpa, Wandi, mas você não salvou a Edilana. Você se sacrificou por ela, sim, mas não foi você quem salvou a Edilana de ser violentada, quem fez isso foi o Jean. Falando nisso, ou o Wandi foi muito resistente, ou a polícia foi muito rápida em chegar ao local e agir. Porque ficou subentendido que o Wandi só parou de apanhar quando a polícia chegou. E sinceramente? Pra mim o Wandi apanhou de graça, não vejo lógica nele ter apanhado tanto… se ao menos ele tivesse agredido um dos homens, mas não.

    Djavan traiu a Julietty com a Clarita… ele nem pode se defender, a prova é clara o bastante para decretar o fim do relacionamento dele com a Julietty. A publicação desse vídeo me fez repensar a ideia do Ódilon ser o criador do canal que está publicando esses vídeos… o que ele ganharia expondo o próprio filho? Bom, talvez o flagra da Julietty tenha sido uma armadilha para prejudicar o Ódilon. Etelvina continua sendo minha principal suspeita de envolvimento direto e/ou indireto na criação e abastecimento deste canal… mais indireto que direto.

    Curtir

    • Será que o Djavan vai acreditar no Ódilon?

      Meio que o Wandi e o Jean agiram juntos, e meio que realmente vejo que eu não expliquei bem a cena, afinal não demorou muito para a polícia chegar (uma cidade pequena).

      Será mesmo que o Djavan traiu a Julietty?
      Realmente a Etelvina pode ter algum tipo de envolvimento com o canal que vaza os vídeos, mas será que Ódilon é inocente, ou isso foi uma armadilha?

      Muito obrigado 😀

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s