Insane Fears (1ª Temporada): Jogos Mentais – Episódio 01 (ESTREIA)

Insane Fears – Jogos Mentais
01×01 – Premonição

CENA 01/ INT./ CASA ABANDONADA

O lugar era grande, e está abandonado. As teias de aranha se formavam sobre a madeira velha. Tudo estava escuro e sem iluminação. Uma jovem mulher  estava deitada sobre o chão frio, até que seus olhos se abrem. Ela olha para os lados, assustada.

MULHER – Onde eu estou!? (Gritando) Alguém aqui? Por favor, me ajude!

Ouviu a janela bater. Levantou do chão assustada. O medo consumia o seu corpo, seus pelos estavam arrepiados. A janela abria e fechava sem parar.

MULHER (Gritando) – Quem está aí?

Sem respostas. Ela caminhou lentamente pelo local escuro. Seus passos ecoava pelo cômodo. Sentiu um vulto passar ao seu lado. A janela já não batia mais. Ouviu passos vindo em sua direção.

A mulher fechou seus olhos, estava com medo. Sua mão tremia. Os passos se aproximavam cada vez mais. Sentiu o vento soprar seu cabelo.

VOZ DESCONHECIDA – Você veio por mim, me salve!

Após ouvir aquela voz desconhecida, ela abriu os olhos. Eis o que estava à sua frente: uma mulher, com mais ou menos, 22 anos. Estava vestida com uma lingerie branca (suja de sangue). Seu cabelo estava bagunçado, seus olhos eram completamente brancos.

Então a jovem, assustada, vendo a assombração em sua frente, gritou.

CENA 02/ APARTAMENTO DE MAYA/ QUARTO DE MAYA/ INT./ DIA

Escutamos um grito. A jovem mulher da cena 01, que estava deitada em sua cama, acorda assutada. Ela olha para os lados e se certifica que está em seu quarto. Seu nome é Maya. Ela passa as mãos pela cabeça, tensa. Diana, sua melhor amiga, que estava dormindo em um colchão no chão (já que a cama era de solteiro) também acordou com o grito.

DIANA (Sonolenta) – Maya, o que aconteceu?

MAYA (Assustada) – Eu tive um pesadelo…

Diana que estava deitada, senta-se no colchão. Maya desce da cama e senta-se ao lado da amiga.

MAYA (Cont.) – Eu estava em uma casa, aparentemente abandonada. Tudo era escuro… Eu vi uma garota, ela estava suja de sangue, cabelo bagunçado, olhos brancos… Ela parecia ter a nossa idade, tinha cabelos negros. E ela disse: “Você veio por mim, me salve!”. Foi assustador!

DIANA – E o que aconteceu depois?

MAYA – Eu acordei… Acho que era uma mensagem, Diana! Ela queria dar um aviso.

DIANA – Um aviso?

MAYA – Sim. Eu já falei à ti antes: eu vejo coisas, eu às escuto, sonho…

DIANA – Eu tenho medo dessas coisas. Talvez seja imaginação da sua cabeça.

MAYA – Eu não sou louca!

DIANA – Tudo bem, eu acredito em você, mas vamos interpretar apenas como um pesadelo. (Olha pro relógio de pulso em seu braço) – Nove horas! Vamos nos organizar, hoje à noite vamos acampar na floresta. E amanhã bem cedo,  faremos um trilha.

Maya concorda com a cabeça.

CENA 03/ APARTAMENTO DE MAYA/ SALA DE ESTAR/ INT./ TARDE

Diana ainda estava vestida com seu pijama, mas agora com uma toalha de banho sobre os ombros. A campainha toca e ela vai atender. Ao abrir a porta, um sorriso surge em seu rosto, quando percebe que é Luan, jovem por quem ela é apaixonada.

LUAN – Oi! (entrando) Cadê a Maya?

Diana fecha a porta. Seu sorriso se desfaz quando percebe que ele não notou sua felicidade. Luan caminha até o sofá, se acomodando.

DIANA – Está no banheiro, escovando os dentes. E você, está bem?

LUAN – Estou ótimo.

Diana senta ao lado dele. O silêncio impera no local por longos segundos.

MAYA (Off) – Di, já pode usar o banheiro.

Diana se levanta do sofá.

DIANA – É, vou indo… Estou no banheiro caso precise de ajuda. (provocante) A porta está aberta, é só entrar.

LUAN (Cortando) – Estou muito bem aqui.

Diana sorri, frustada. Ela segue em direção ao banheiro e cruza com Maya, que está indo para a sala.

MAYA – Luan!

LUAN (Feliz) – Maya! Estava esperando por você…

Luan levanta e cumprimenta Maya com um beijo na bochecha. Logo depois, eles sentam no sofá.

MAYA – A Diana, ela… gosta de você.

Eles ficam em silêncio por alguns segundos.

LUAN – Eu não gosto dela, você sabe disso. Eu não posso forçar um sentimento que não existe. Nunca existiu! (T) Isso é estranho. Éramos amigos e agora ela praticamente fica se atirando em mim…

MAYA –  Ela quer apenas uma chance com você, está apaixonada. Isso é comum quando se está gostando de alguém. Você deveria dar uma chance pra ela.

LUAN – Você não pode me pedir pra dar uma chance pra ela. Não quando você conhece meus sentimentos e sabe de quem eu realmente gosto.

MAYA – Luan… –

LUAN (Interrompe) – Fazer eu e a Diana acontecer não vai fazer o que sentimos um pelo outro mudar. É recíproco, você sabe disso.

Luan surpreende Maya com um beijo ardente e demorado. O fôlego deles já se esvaem e a respiração fica ofegante. De repente, Maya empurra Luan, interrompendo o beijo.

MAYA – Ela é minha melhor amiga! Eu não posso magoá-la! Não me faz escolher entre você e ela, por favor!

Uma lágrima escorre pelos olhos da Maya.

CENA 04/ TRANSIÇÃO DA TARDE PRA NOITE

Uma chuva forte cai sobre a cidade. Relâmpago e trovões ocupam o céu.

FACHADA DO PRÉDIO DE MAYA.

CENA 05/ APARTAMENTO DE MAYA/ SALA DE ESTAR/ INT./ NOITE

Diana estava encostada na parede, ao lado da janela, observando a chuva cair lá fora. Luan e Maya estavam mais à frente, conversando com Hugo e Tomás. Hugo e Tomás são amigos deles, todos iriam acampar, pra fazer a trilha pela manhã.

HUGO – Acabei de colocar a última mala no carro. Vamos?

MAYA – Não é melhor esperar a chuva cessar um pouco?

HUGO (Irônico) – Ou seja, amanhã?

Maya, ofendida com a resposta, se afasta e se aproxima de Diana. Hugo continua perto da porta, junto com Tomás e Luan.

LUAN – Não precisava ser grosso, cara. Ela estava apenas tentando ajudar.

HUGO – Mas não estava ajudando.

TOMÁS – Ajudando ou não, não tinha necessidade pra tamanha grosseira. Mas você é muito bruto, hein. Honra o nome daqueles que se acham o macho alfa, que mandam e desmandam em tudo.

HUGO – Mas eu sou um macho alfa.

TOMÁS – Até a segunda garrafa de cerveja, todo homem é macho alfa.

Tomás sorri, irônico. Hugo o encara por alguns segundos e desvia o olhar. Agora o foco é a conversa de Maya e Diana.

DIANA – Você acha que tem alguma chance do Luan querer algo comigo?

MAYA – Por que você está me perguntando isso?

DIANA – Porque você é minha melhor amiga. Eu já não sei mais o que fazer pra conquistá-lo.

MAYA (Sem jeito) – Eu não gosto de falar nesse assunto. Talvez partir pra outra seja o melhor que você pode fazer.

A conversa das duas é interrompida por Luan, que chega até elas.

LUAN – Chegou a hora de partirmos. Vamos?

CORTA PARA:

CENA 06/ CARRO/ INT./ NOITE

O Limpador de para-brisa tirava o excesso de água da chuva que caia sobre o carro. Luan estava no voltante, dirigindo. Hugo estava no banco passageiro. Nos banco de trás, estavam Tomás, Diana e Maya. Maya dormia. A câmera enquadra nos olhos de Maya, fechados.

CENA 07/ FLORESTA/ EXT./ NOITE

Maya abre os olhos. Agora ela está no meio da floresta escura. Ela percebe que seus pés estão descalços. Maya respira fundo e começa a caminhar em meio a escuridão. O vento forte fazia as árvores balançarem e as folhas voarem.

MAYA (Alto) – Diana? Luan?

Não havia ninguém. Ela estava sozinha. Maya volta a caminhar, e no meio da floresta, encontra um lago. Ela, lentamente, se aproxima do lago, se abaixa e leva sua mão até a água. De repente ela é surpreendida por uma mão que sai de dentro da água.

Ela grita assustada e cai para trás. A mão some do lago. Maya leva suas mãos a cabeça e deixa que lágrimas escorram dos seus olhos.

MAYA (Chorando) – Eu estou ficando louca!

Ela volta a encarar a água, enxugando as lágrimas. Na beira do lago, duas mãos saem de dentro da água e tocam a terra. Maya olha aquilo, incrédula, e se assusta novamente. A mão vai dando lugar ao corpo da pessoa, que começa a sair do lago. É a mesma mulher da cena 01.

A mulher sai completamente da água. Seus olhos brancos, sua roupa suja de sangue. A jovem começa a se rastejar sobre a terra, em direção à Maya.

VOZ DESCONHECIDA – Você veio por mim, me salve!

Maya tenta correr, mas não consegue sair do lugar, seu corpo estava imóvel, paralisado. A mulher se aproxima e segura no pé de Maya. Lentamente, a mão da jovem ensanguentada vai subindo, ela segura no corpo de Maya, para que ela se levante.

VOZ DESCONHECIDA (Sussurrando) – Você veio por mim, me salve!

A mulher fica frente à frente com Maya. A mão da mulher era toda cortada e o sangue escorria. Ela toca no rosto da Maya, que enfim, grita.

CENA 08/ CARRO/ INT./ NOITE

Maya grita. Ela abre os olhos e percebe que ainda está no carro, tudo não passou de um sonho. Todos no carro se assustam. Luan solta as mãos do volante e olha para Maya, que está no banco de trás. O pé de Luan continuou no acelerador, fazendo que o carro seguisse sem direção. Ao notar a situação, Hugo tenta controlar o voltante. Mas antes que ele consiga, o carro colide com uma árvore.

A tela escurece.

CENA 09/ CARRO/ INT./ NOITE

Todos no carro, assustados. Eles ficaram com apenas pequenos arranhões no rosto pelo impacto da batida. Luan tenta ligar o carro novamente, mas não tem sucesso.

MAYA – Desculpa, gente. É que eu tive um pesadelo.

HUGO – E agora a gente está aqui, preso no meio da floresta, por culpa sua! Satisfeita?

Hugo encara Maya, que desvia o olhar.

DIANA – A culpa não é dela. Ela não pode controlar os pesadelos que tem.

HUGO – Todo mundo sonha, tem pesadelos, mas nem por isso acorda gritando. A culpa é dela e pronto.

Silêncio no local.

LUAN – O carro não funciona… Teremos que ficar aqui por essa noite.

TOMÁS – E vamos dormir aqui dentro? Vamos sair e ver o que aconteceu no carro.

LUAN – Mesmo se a gente quisesse, não conseguiríamos. Olha a chuva lá fora, está forte…

MAYA (Interrompendo) – Eu tô me sentindo muito mal, gente. É tudo minha culpa!

Maya apoia a cabeça no ombros de Diana, que consola a amiga. Hugo olhava pelo vidro do carro, observando alguma coisa no lado de fora.

HUGO – Já sei onde passar a noite… Olhem para aquela casa! (Ele aponta para a casa pelo vidro)

TOMÁS (Olhando pelo vidro) – Eu não estou vendo nada…

HUGO – Porque você está no banco de trás. Vem, gente. Vamos descer e ir até ela.

DIANA – E a chuva? E se tiver alguém morando nela?

HUGO – Como se alguém fosse morar no meio do nada, me poupe! Descemos do carro e caminhamos até a casa, simples. Se molhar um pouco na chuva não matará ninguém.

CENA 10/ FLORESTA/ EXT./ NOITE

Maya, Diana, Luan, Hugo e Tomás descem do carro. Eles são molhados pela forte chuva. A casa estava aparentemente abandonada, pela estrutura velha. Tinha grandes janelas e um porta grande na entrada. Hugo aponta com o indicador para o imóvel.

HUGO – Viram? Abandonada!

DIANA (Interrompendo) – Eu não vou dormir nesse lugar! Olha para isso, está caindo aos pedaços.

HUGO – Então dorme no meio da floresta, sendo molhada pela chuva e devorada por algum animal.

Tentando evitar que mais uma discussão se inicie, Luan interrompe a conversa.

LUAN – Sem briga, galera. Vamos logo, a chuva está muito forte.

Todos caminham até a casa e entram.

CENA 11/ CASA ABANDONADA/ INT./ NOITE

O lugar não tinha móveis. Teias de aranha tomavam conta do teto. Era um local assustador. Ao entrar, Maya nota que era a mesma casa do seu pesadelo (cena 01).

MAYA (Assustada) – Eu sonhei com essa casa. É a casa do meu pesadelo! Eu não vou ficar aqui!

HUGO – E vai dormir onde? No meio da floresta? Se não fosse por você, não estaríamos aqui.

MAYA (Explode) – Você não precisa me lembrar toda hora que foi culpa minha, todos já sabem!

Luan interrompe a pequena discussão formada.

LUAN – Discutir agora não adianta. Já aconteceu, já estamos aqui! (Para Maya) Não precisa ter medo, eu estou aqui com você. Eu vou protegê-la.

Ele abraça Maya. Diana olha com ciúmes. Ela pega seu celular no bolso da camisa, à procura de sinal.

DIANA – Aqui não tem sinal. Não tem como pedir ajuda…

HUGO – Perdidos no meio do mato! Óbvio que não teríamos sinal de celular.

TOMÁS (interrompendo) – Você tem que ser sempre rude, Hugo?

HUGO (Irônico) – Sou azedo como um limão.

TOMÁS – Eu adoro chupar um limão. (Sorri)

Tomás sorri pra Hugo, com um sorriso safado no rosto. Luan e Maya já não estavam mais abraçados. Mas afastado, Luan caminhava pela casa. Maya se aproxima dele.

MAYA – Eu iria perguntar se está tudo bem, mas essa não é a melhor pergunta pra se fazer nessa situação.

LUAN – É que casa abandonada, floresta… Me lembra algo do meu passado.

MAYA – Se quiser me contar…

LUAN – Não! É algo particular, que eu não quero e não consigo falar sobre.

MAYA – Isso assusta à ti? Pode compartilhar comigo.

LUAN – Muito! Me assusta muito. Na época, quando aconteceu, eu não sabia o que fazer. Era apenas um garoto inocente.

MAYA – Tem certeza que não quer me dizer o que aconteceu?

LUAN – Todos nós temos um segredo. Como qualquer pessoa, eu também tenho um. E duas pessoas não podem guardar um segredo, Maya.

MAYA  – Tudo bem, eu não vou forçar você a falar o que não quer.

Luan abraça Maya, ao fundo, Diana olha desconfiada.

CENA 12/ CASA ABANDONADA/ INT./ NOITE

Maya, Luan, Diana, Tomás e Hugo espalhados pelo chão, sentados. Todos estavam acordados e olhavam um para o outro.

DIANA – Eu não consigo dormir… Acho que não sou a única.

HUGO – Falou o que todos aqui já sabem… (T) Quanto tédio! Deveríamos fazer um jogo.

TOMÁS – Como Verdade ou Consequência? (Irônico) Confesso que transar em uma casa abandonada é um fetiche assustador. Mas chupar um limão azedo até que não seria má ideia.

Tomás encara Hugo com um sorriso irônico, Hugo vira-se para Diana.

HUGO – Não falo de um jogo assim. Mas um daqueles jogos que tem na internet.

DIANA – Como o Ouija?

HUGO – Exato! Mas esse seria diferente. Já ouviram falar no jogo da meia-noite?

MAYA (Cortando) – Eu não vou jogar um jogo de invocação de espíritos!

LUAN – Vocês são loucos, ou o quê? Querem invocar uma entidade?

Hugo se levanta do chão.

HUGO – Qual é, gente? Precisamos apenas invocar o homem da meia noite e sobreviver até as 03:33 horas da madrugada, não é uma tarefa difícil, vamos lá.

MAYA – Você não sabe com o que está lidando, Hugo! Você nunca sentiu ou viu nada igual.

HUGO – E você já?

DIANA (Interrompendo) – Sim! A Maya é como se fosse Médium.

HUGO – Médium? (ri/ ignorando). É só um jogo, vamos lá.

TOMÁS – E o que precisa pra começar esse jogo?

HUGO – De um papel, uma caneta, velas e sal.

Luan também se levanta do chão.

LUAN – Na boa, cara. Não vamos fazer esse jogo. E onde você iria encontrar essas coisas no meio do nada?

Luan e Hugo ficam frente à frente.

HUGO – Eu tenho um caderno, uns isqueiros e uma caneta no carro. Essa casa é antiga, provavelmente deve ter velas e resto de sal. É só nos dividirmos e procuramos.

LUAN – Não vamos participar disso!

HUGO – Vocês preferem ficar no tédio? É só um joguinho bobo. Vamos fazer uma votação: quem quer que a gente jogue, levanta a mão.

Hugo levanta a mão, Tomás olha para ele e também levanta à mão, com um sorriso. Diana encara Maya e Luan, e após isso, também levanta as mãos.

DIANA – Eu tenho medo dessas coisas, mas é melhor que ficar no tédio.

HUGO – Três à dois, vencemos. Parece que o jogo virou, não é mesmo? (T) É o seguinte: eu vou lá fora buscar o isqueiro, papel e caneta. E vocês, se dividem em dois grupos e procuram velas e sal.

CORTA PARA:

HUGO (OFF) – Está tudo aqui, vamos começar o jogo.

CENA 13/ CASA ABANDONADA/ INT./ NOITE

Maya, Luan, Hugo, Diana e Tomás estão formando um círculo. Encontraram velas em um dos quartos da casa e sal em uma velha cozinha que tinha.

HUGO – Todos vamos escrever nosso nome completo no pedaço papel. Depois pingamos uma gota do nosso sangue sobre nosso nome. Cada um em seu nome, no caso. Cada um terá uma vela em mãos. Não podem deixar a vela apagar em momento nenhum! Se apagar, tem apenas 10 segundos para acender. Se não conseguir, o homem da meia noite vai possuir sua alma e brincar com seu subconsciente e com seus maiores medos. O sal serve para formar círculos no chão, impede que a entidade se possua de você, caso esteja dentro do círculo. Se o homem da meia noite estiver perto de você, sua vela apagará. E tem que acedê-la novamente e correr pra dentro do círculo de sal. Não provoquem o homem da meia noite, de maneira nenhuma. As luzes da casa tem que ficar apagadas, mas como estamos em uma casa abandonada, isso não serve. Eu vou bater vinte e duas vezes na porta, a última batida será exatamente à meia noite. Nesse horário, eu vou abrir a porta, apagar todas nossas velas e permitir que ele entre. Depois vou fechar a porta, e rapidamente iremos acender todas as velas e estará feito. Ele estará entre nos, querendo nossa alma.

Todos seguem o regulamento dito por Hugo. Diana olha a hora no celular.

23h50:

Cada um com uma vela em mãos, Hugo acende todas elas. Círculos de sal são formados sobre o chão de todos cômodos da casa. Hugo se aproxima da porta. Todos se olham.

HUGO – O ritual vai começar…

23h55:

Hugo começa a bater na porta. Todos contam as batidas junto com ele.

TODOS (CONTANDO) – Uma. Duas. Três. Quatro. Cinco. Seis. Sete. Oito. Nove. Dez. Onze. Doze. Treze. Catorze. Quinze. Dezesseis. Dezessete. Dezoito. Dezenove. Vinte. Vinte e um.

00h00:

– Vinte e dois

Todos apagam as velas. Hugo abre a porta e a fecha em seguida. Rapidamente, todos acendem as velas novamente. Maya, Luan, Diana, Hugo e Tomás se olham, temendo.

HUGO – O jogo começou!

A IMAGEM CONGELA NOS CINCO AMIGOS SE OLHANDO. A IMAGEM FUNDE COM UM TABULEIRO DE JOGO.

CLIQUE AQUI E CONFIRA A SINOPSE COMPLETA DA WEB-SÉRIE NA PÁGINA OFICIAL DA TRAMA!

Anúncios

30 thoughts on “Insane Fears (1ª Temporada): Jogos Mentais – Episódio 01 (ESTREIA)

  1. GENTE DO CÉU, SOCORRO!

    E vamos ao #AnalysisToday ✌😛 de hoje:

    Insane Fears – Episódio 01

    Maya acorda de um pesadelo que teve com uma mulher de lingerie, descabelada e suja de sangue em uma casa abandonada e dizendo “você veio por mim, me salve”. Ao acordar, ela assusta Diana, sua melhor amiga, que a conforta do sonho que teve – continuo amando a Maya, mas continuo não gostando da Diana, ela não me desce… horas depois… o grupo de amigos formado por Luan, Hugo, Tomás, Maya e Diana se prepara para acampar na floresta e no dia seguinte, fazer uma trilha. Dentro do carro, Maya sonha novamente com a mulher de lingerie, descabelada e suja de sangue, só que dentro da floresta. Maya acorda e o carro acaba colidindo com uma árvore. Hugo esculhamba Maya, dizendo​ que ela é a culpada de tudo o que aconteceu… após isso, ele dá a ideia de se abrigarem em uma casa abandonada e jogarem o jogo da meia noite: Maya e Luan recusam jogar, porém Tomás e Diana acabam aceitando; e como a maioria venceu, o jogo se inicia: Hugo faz círculos de sal, acende 5 velas, entrega aos 5 amigos, dá 22 batidas na porta e logo depois, a abre, o homem da meia-noite​ entra na casa e o jogo começa.

    Amo: Maya e Luan.
    Odeio: Diana.
    Não sou capaz de opinar: Tomás e Hugo. Hugo, ainda não tenho uma opinião concreta (gosto e odeio, ao mesmo tempo); e Tomás aparenta ser um bom personagem, apesar de ser cegamente apaixonado pelo Hugo.

    No aguardo do desenvolvimento da trama.
    Parabéns, Flávio! 😀

    Curtido por 1 pessoa

    • Sofro que continua odiando a Diana, e amando a Maya. Morro, sabe? Maya e Hugo, uma rivalidade? Amo! Hugo, um divisor de opinião, eu sofro. E terá muito tempo ainda pra amar, ou continuar odiando ele. Tomás está de olho no limão… Ai amigo, que comentário luxo, não sei se minha resposta está a altura, mas adorei seu comentário. Obrigado, Roberto 😀 ❤

      Curtido por 1 pessoa

  2. Uau, amigo. Parabéns pela história. A maneira que você escreve é muito gostosa de se ler, e eu entendi tudinho. O texto está maravilhoso. Curioso para saber a história desta tal mulher que a Maya está tendo pesadelos. Que tenso foi a cena 07 e cena 01. Hugo é aquele personagem chato, machista e que se acha o “melhor”, só que sempre é o primeiro a morrer. E tomara que morra mesmo! (Deus, perdão! Mas é apenas um personagem). Adoro! E Tomáz, embora teve pouco participação neste episódio, pisou, e na minha opinião, foi oque mais me chamou atenção. Mais uma vez, parabéns! ❤ Beijinhos – D

    Curtido por 1 pessoa

    • Amigo, fico lisonjeado com seu comentário, fico feliz em saber que o texto foi gostoso de se ler, e compressível. E a mulher do sonhos da Maya… :* Gritando com a teoria, amigo. Será que o Hugo será o primeiro a morrer? E gostou da ousadia do Tomás, hein. E obrigado, Davi, bjs Flavin 😀 ❤

      Curtido por 1 pessoa

  3. Já quero que a Maya seja a primeira a morrer. Puta que pariu, que garota irritante. Ela e o Luan se merecem, definitivamente.

    A menção ao segredo do Luan foi tão sutil quanto o coice de uma mula. Poderia ter sido melhor.

    Diana e Hugo, os melhores personagens. Hugo pecou pelas patadas desnecessárias na Maya, e a Diana parece ter uma bela carta na manga. Curioso para ver como eles vão se sair.

    Tomás é a verdadeira personificação do meme expectativa vs. realidade. Aposto que ele vai passar a temporada inteira cercando o Hugo e só vai sossegar quando conseguir levá-lo pra cama. Repetitivo e previsível, Tomás tá se saindo um belo de um pé no saco.

    Curtido por 1 pessoa

    • Berrando, será que ela será a primeira a morrer? Verdade, poderia ser melhor, mas não queria fazer do segredo dele, uma coisa alarmante, não, queria apenas citar que ele tem um segredo, e que isso influenciará no decorrer da trama, se é que me entende. Tomás fara de tudo pra conquistar o Hugo, mas até onde o hoje permitirá que ele vá? E obrigado, Glay 😀 ❤

      Curtido por 1 pessoa

      • Tomara.

        Foi exatamente o que aconteceu, um alarde em cima desse segredo. E causou o efeito oposto em mim: não tô nem um pouco curioso para saber que segredo é esse, quero mais que o Luan se exploda com ele.

        Eu tenho pena do Hugo.

        Curtido por 1 pessoa

  4. Maya é uma falsiane, traindo a amiga ao se envolver com o Luan.

    Hugo é o rei da série, ele não tem medo de dizer as verdades que os demais personagens tem medo de falar.

    Tomás e Hugo, já shippo.

    Quero muito que a Diana descubra o envolvimento de Maya e Luan, e entregue os dois ao homem da meia-noite.

    Parabéns pela maravilhosa estreia, Flavio!

    Curtido por 1 pessoa

    • Bege que achou Maya uma falsiane. Hugo um reizão mesmo, amo. Morto, será que a Dina faria isso? No mais, só tenho uma coisa a dizer: respostas no próximo episódio! Obrigado, Felipe 😀 ❤

      Curtir

  5. Primeiramente: como eu estou após todos os sustos durante a leitura do episódio?

    Pois muito que bem, agora vamos a análise em si… Gostei das premonições de Maya, isso deve render muito. Também gostei da forma como o triângulo Maya, Luan e Diana foi executado, promete demais. Esse Hugo, que embuste, rapaz estúpido, meu Deus… Morri com a indireta de Tomás para Hugo, eu não tô bem aqui, só surdo não entendeu as intenções né! hahahahaha 😛 E pasmo que o jogo começou, bem tenso por sinal, eu não participaria de jeito nenhum. Ansioso pelos desdobramentos!

    E parabéns pela estreia, Flávio, gostei da proposta e vou acompanhar. Agora um brinde porque a ocasião merece!

    Curtido por 1 pessoa

  6. Ótima estréia! O objetivo era amedrontar? Parabéns, você conseguiu em determinados momentos. Recomendo e muito ler na madrugada. Dá um diferencial incrível.

    Gostei bastante do trio Diana, Maya e Luan. Pensava que esse sentimento de amor entre os dois últimos citados eram guardados pra si, sem revelar um ao outro. Mas me julgue, pois li o episódio antes de ir na página da web ler a sinopse.

    Diana aos poucos foi ganhando seu espaço no episódio. Chegou diversas vezes a ofuscar um certo “protagonismo” de Maya, o que adorei. Hugo e Tomás ainda vão ganhar minha simpatia, tenho certeza disso.

    E o jogo começou. Tudo bem detalhado e explicado. Se deu vontade de jogar? Ah se deu.

    Essa temporada é bem promissora. Estreou a saga de IF em grande estilo, Flávio. Parabéns! 😉

    Curtido por 1 pessoa

    • E fico feliz que as cenas que deveriam passar medo, conseguiu cumprir a tarefa. E boatos que eu também escrevi pela madrugada, amo. Eu não esclarecir na sinopse que eles deixariam claro o sentimento um pelo outro, não achei necessário. Morrendo com o shade pra Maya, socorro. O jogo começou, adoro. E venha, vamos jogar :* Lisonjeado, amigo. Obrigado 😀 ❤

      Curtir

  7. Em primeiro lugar, quero enfatizar mais uma​ vez, em uma única palavra, o que o Hugo é: Embuste.

    Agora vamos falar sobre o episódio, luxo total.

    Reli e relembrei essas cenas tensas que tivemos logo na estreia, adoro.
    O terror nesse episódio de estreia ficou por conta dos sonhos de Maya, aterrorizantes e intrigantes, que medinho da mulher ensanguentada e de olhos totalmente brancos. E por causa de um desses sonhos, Maya acorda gritando dentro do carro e assustando a todos, acaba causando um acidente com o veículo, que deixa Maya, Luan, Diana, Tomás e Hugo presos na floresta e eles se refugiam numa casa abandonada. E o embuste do Hugo propõe que eles joguem um jogo, o jogo da meia noite, e os outros​ burros acabam topando participar dessa brincadeira que pode lhes custar a vida. Após tudo pronto para o início do jogo, os cinco jovens invocam o homem da meia-noite​. Que comece o jogo, adoro!

    Falando sobre os personagens, não consigo amar nenhum ainda, mas odeio Hugo e Diana. Ele porque é um embuste desnecessário e ela porque é chata, com essa paixão pelo Luan. Aliás, Maya devia se poupar de não ficar com o Luan por causa da Diana, e tenho dito. Tomás é um safado, sofro horrores com as insinuações e ele querendo chupar o limão azedo. E Luan chama a atenção porque esconde um segredo que lhe atormenta. E a Maya, claro, desperta interesse ao ter esses pesadelos estranhos e intrigantes. Todos esses mistérios parecem ter uma ligação, e o que deixa isso mais claro é o fato da casa abandonada que o grupo de amigos estão ser a mesma do sonho da Maya, ligação e pista super interessante.

    Enfim, já tinha dito pra ti antes, Flávio, e repito: A estreia foi ótima e o desdobramento promete momentos ainda mais tensos. Ansioso pelo próximo episódio e para saber como o homem da meia-noite vai agir. Parabéns, Flávio, arrasou e estreou Insane Fears com o pé direito, amo ❤

    Take me high and I’ll sing
    Oh you make everything okay (okay, okay)
    We are one in the same
    Oh you take all of the pain away (away, away)
    Save me if I become
    My demons
    🎵🎵

    Curtido por 1 pessoa

    • Sofro que você não gosta do Hugo, eu grito. Sim, o terror do episódio ficou por conta dos sonhos da Maya, mas o próximo, ficara por conta do homem da meia-noite, revelei. Tomás e o seu limão azedo, eu grito kkk. Sim, o segredo do Luan terá ligação. Berrando que percebeu a pista da casa abandonada. Fico feliz que IF tenha estreado com o pé direito, uma missão difícil que foi ficar responsável pela temporada de estreia. Obrigado, Jean 😀 ❤ .bailando ao som da música

      I cannot stop this sickness taking over. It takes control and drags me into nowhere. I need you help I can’t fight this forever. I know you’re watching, I can feel you out there 🎵

      Curtir

  8. Parabéns pela grande estreia, amigo! Sei que a web é uma super produção e uma ótima série. Uma pena eu não está podendo acompanhar no momento.
    Desejo muito sucesso e boa-sorte!
    #> 😀 ❤ 🙂

    Curtido por 1 pessoa

  9. Eu sinceramente amo terror, e nunca tinha lido algo assim, e com a chegada de IF eu tive essa oportunidade, o que fez eu gostei de mais mesmo.
    Não é apenas o terror que chama a atenção do leitor e sim o conjunto das premonições, mistério, sarcasmo, e comédia
    Parabéns amigo, arrasou

    Curtido por 1 pessoa

  10. Flavio pisou pra caramba, como de costume, né? Um autor competente desses, escreveu aquela web-novela incrível que foi Mil Acasos, junto com o Jean, depois foi num humor escrachado com “Diva” e agora vem lacrar mais uma vez nesse blog, na estreia de “Insane Fears”, com a primeira temporada da série.

    Você já sabe o que eu acho dessa maravilha. “Jogos Mentais” me chamou muita atenção desde o início, a ideia inicial é muito boa e me prendeu na primeira cena. Lembro bem de quando li esse piloto pela primeira vez, fiquei encantado e realmente senti medo em algumas partes, Flavin, você conseguiu…

    O gancho foi muito bem pensado, infelizmente só semana que vem conheceremos pra valer o que esse jogo da meia noite promete, tá feliz Hugo?

    Enfim, amigo, como havia te dito, uma passadinha rápida pra te desejar os meus sinceros parabéns e dizer que você merece todos esses elogios perante sua obra, “Jogos Mentais” promete e muito, estreou esse projeto incrível que é IF com tudo! Primeira temporada iniciada com sucesso, boa sorte e parabéns, Flavinho! ❤

    Curtido por 1 pessoa

    • Amigo, fico muito lisonjeado com os elogios, sério, muito mesmo! E sofro que passei por 3 gêneros de escrita diferente. Ainda tenho muito que evoluir, claro, mas o Mix sempre está de portas abertas pra os autores, um blog desses, que eu adoro. Conheço sim sua opinião sobre Jogos Mentais, e amo, fico super feliz em saber que eu conseguir cumprir o objetivo. Obrigado, Gui 😀 ❤

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s