O Amor que Definha – Spin Off

A webnovela “O Amor que Definha” chega em sua reta final, e para quem está acompanhando deve estar se perguntando o que acontece com Wandi? Com Jean? E com os outros. Afinal a web agora dá um salto para 2017 (como a série dentro da web está finalizada não haverá mais cenas com “dramatização”), então para responder (e levantar) algumas questões, um spin off emocionante e revelador foi preparado especialmente para os leitores curiosos que anseiam por respostas.

“O Amor que Definha” terá seu capítulo normal (o penúltimo capítulo) amanhã, e acaba nesta sexta-feira, e a partir de segunda-feira, as 22 horas você confere “Fantasma Vivo”, a nova webnovela adulta do Tv Mix.

Agora fique com o spin off. (Espero que gostem)

Obs: Não será contado a audiência, pois não contará como um capítulo oficial.

 

>>><<<

ANO DE 2012

 

Cena 1 – Passagem de Cenas

É mostrado cenas como se fosse num sonho. No primeiro momento mostra a lua iluminando o rosto de Julietty, Edilana e Djavan sendo levados para dentro das viaturas, a câmera volta a focar na lua, e o tempo passa aceleradamente até finalmente o sol brilhar em seu lugar.

 

Cena 2 – Hospital/Sala de Espera/Int./Manhã

Jean adormeceu no banco de espera, quando finalmente uma enfermeira o desperta.

ENFERMEIRA: Moço.

Ela toca o braço de Jean e ele abre os olhos.

JEAN: O que houve?

ENFERMEIRA: Seu amigo está acordado agora, já pode ir vê-lo.

Jean anima-se de imediato.

JEAN: Me leve até ele.

A enfermeira vai na frente o guiando até o quarto onde Wandi estava.

 

Cena 3 – Hospital/Quarto/Int./Manhã

A porta abriu-se revelando Jean adentrando, sua expressão era um pouco abatido, Wandi mostra-se indiferente com sua presença.

JEAN: Como você está?

WANDI: Eu to melhor. – Ele fecha os olhos, ele parecia estar muito triste e esforçou-se para não chorar. – Minha mãe, aonde ela tá?

JEAN: Não se preocupe, a Edilana vai salvá-la.

WANDI: Faz quanto tempo que eu estou aqui?

JEAN: Algumas horas.

WANDI: Eu preciso ver minha mãe.

Wandi tenta sair da cama, mas Jean o detém segurando em seus braços.

JEAN: Tu não pode se esforçar.

Os dois estavam frente a frente novamente, Wandi agora podia sentir a respiração quente de Jean, uma sensação que ele jamais sentiu antes, e o olhar de Jean agora o fitava diferente de antes, existia desejo, talvez mais que isso.

Jean aproximou os lábios de Wandi, mas ele vira o rosto desviando-se do beijo que receberia.

WANDI: Acabou, Jean. – Com o rosto virado para o lado, Wandi derruba dolorosas lágrimas. – Eu nunca pensei que eu diria isso, mas eu não te quero mais na minha vida.

JEAN: Por que está dizendo isso? É por causa da minha mãe?

WANDI: Não.

Jean se afasta por um momento soltando os braços de Wandi.

WANDI: Quando eu recebi o bilhete dizendo que eu deveria cometer suicídio, a primeira pessoa que me veio em mente foi você.

JEAN: Isso significa que tu me ama.

Wandi continua chorando.

WANDI: Não. – Disse fazendo um gesto negativo com a cabeça. – Eu já tinha me conformado com sua morte, eu jamais seria capaz de tirar minha própria vida para salvá-lo.

JEAN: Por que está dizendo isso?

WANDI: Eu decididamente lhe amei da maneira mais errada que alguém poderia amar outra pessoa, eu estava disposto a tudo, Jean, e tu a nada. Eu seria capaz, em outro momento de morrer para te deixar viver, mas depois eu descobri que eu sou egoísta, tu jamais mereceria viver as custas das minhas lágrimas, eu gostaria que tu me deixasse sozinho agora.

Abatido Jean nada diz e sai.

 

Cena 4 – Delegacia/Int./Manhã

O delegado ouviu o depoimento de todos, não haviam provas suficientes para manter presas Julietty e Edilana, que foram soltas após a delegacia receber uma série de denúncias de suicídio em massa envolvendo os pacientes de Etelvina.

O único sentenciado até aquele momento foi Djavan, acusado por matar seu próprio pai.

No corredor, Julietty e Edilana haviam sido liberadas, elas prestaram depoimento por longas horas. Elas se dirigem para a porta de saída onde Ildes já as esperavam.

JULIETTY: Mãe. – Ela corre até Ildes e a abraça chorando.

ILDES: Vim assim que me ligaram.

JULIETTY: Mãe, precisamos tirar o Djavan da cadeia.

ILDES: Não se preocupe minha filha, eu vou contratar os melhores advogados.

Edilana permanecia calada num canto.

ILDES: Vamos pra casa agora.

EDILANA: Eu preciso ir ver o Wandi. – Disse decididamente.

ILDES: Edilana, ele deve estar bem, tu tá cansada, vamos voltar pra casa pra…

EDILANA: Por favor, Ildes, me deixe fazer a coisa certa pelo menos uma vez.

Edilana vira as costas e deixa a delegacia.

Logo depois Ildes e Julietty deixam a delegacia também.

 

Cena 5 – Hospital/Quarto/Manhã/Int.

Wandi chora bastante, ele liga a televisão e vê as notícias, o plantão não falava de outra coisa a não ser do suicídio em massa que acontecera na madrugada passada, as notícias também falavam de um “tiroteio” que aconteceu na fazenda de Etelvina.

Wandi assistia a tudo assustado e apreensivo, trêmulo ele junta as mãos e começa a rezar.

WANDI: Por favor, meu bom Deus, não permita que aconteça nada pra minha mãe.

 

Cena 6 – Casa de Etelvina/Jardim/Ext./Manhã

Jean caminhava lentamente, ele estava cabisbaixo com tudo o que Wandi havia lhe dito, ao avistar o jardim de sua casa ele percebe Felipe caminhando em sua direção.

FELIPE: Jean, eu quase morri te ligando aonde tu tava?

Jean se exalta e o derruba com um soco.

JEAN: Por que tu não me contou que minha mãe era uma assassina?

Felipe o encara assustado.

 

Cena 7 – Penitenciária/Sala de visita/Int./Manhã

Djavan é levado algemado até a sala e senta-se numa cadeira onde Fernanda estava lhe esperando.

FERNANDA: O que tu fez Djavan? Tá em todos os noticiários. – Ela começa a chorar. – Tu matou nosso pai? É verdade isso?

Djavan a encara em silêncio, apenas suportando todo o julgamento de Fernanda.

 

Cena 8 – Hospital/Quarto/Int./Manhã

Wandi com as mãos ainda juntas continuava a oração.

WANDI: Pai nosso que estais no céu, santificado seja o vosso nome…

A oração para repentinamente quando a porta se abre e Edilana aparece, ela estava ofegante, talvez tivesse corrido para chegar o quanto antes, na recepção pediu pelo quarto de Wandi e não foi difícil chegar até onde ele estava.

Os olhos de Edilana calaram todas as orações de Wandi e fez com que a fé se fizesse mais presente e ao mesmo tempo tão distante, eles encararam-se por um longo tempo em silêncio, não era preciso dizer nada, um sentia ao outro com extrema tristeza que jamais sentiram antes.

Edilana via nos olhos abatidos de Wandi a tristeza que a corroeu ao perder Valesca e Diogo, ela sentia que o jovem rapaz não seria tão forte quanto ela para suportar aquela perda, e sem dizer nada ela apenas começou a chorar, suas mãos trêmulas se juntaram, e ainda na porta ela iniciou baixinho.

EDILANA: Venha nós o vosso reino, seja feita sua vontade, assim na terra como no céu.

As palavras eram como sussurros dolorosos, Edilana sentia uma facada no peito a cada palavra proferida enquanto os olhos desolados de Wandi observaram ela se aproximar com passos lentos, as mãos dos dois desfizeram-se da posição inicial de oração para abraçarem-se e chorarem todas as suas dores.

WANDI: E a mãe?

Ele perguntou temendo a resposta, ele sabia a resposta e por isso ele chorava, Edilana não sabia mais falar a palavra “morrer”, incrível como isso tinha impregnado em sua vida de forma cruel, dolorosa e sofrida.

Ela acariciou o rosto de Wandi, não disse mais nada, deixou o momento conduzi-los por uma sensação aterradora que fizeram questionar tudo e todos por questões de segundos, em seguida veio o lamento, o remorso.

EDILANA: Me perdoa Wandi, eu não cumpri a promessa que eu te fiz.

Debruçado no ombro de Edilana, Wandi permaneceu calado, suas lágrimas caiam uma atrás da outra, seu coração estava tão apertado, tão só.

WANDI: Mãe, não, não…

As vagas lembranças de Wandi com sua mãe eram quando ele ficava por horas trancado em seu quarto e sua mãe sozinha na sala, ele não conseguia se recordar a última vez que jantaram juntos como uma família. As lembranças mais recentes era de uma mãe bondosa que nada pedia em troca, uma mulher que dormiu ao seu lado sentada em uma cadeira de hospital. Alana era aquela mulher sorridente, uma mulher que alegrava o mundo e dava tudo que podia ao seu filho, até mesmo sua vida, agora restava apenas memórias dolorosas, remorsos de um filho que não se fez tão presente quanto deveria. De um filho que não foi capaz de morrer pelo amor de sua mãe.

 

Cena 9 – Hotel/Quarto/Int./Manhã

Etelvina abre a porta e solta as malas antes de desbravar o quarto por completo.

ETELVINA: Esse lugar é um lixo.

Uma mulher surge logo atrás, o close da câmera mostra o rosto da piloto que lhe ajudou anteriormente, se tratava de Betrix.

BETRIX: Vamos ficar apenas 1 dia aqui no Paraguai e depois vamos para Paris.

ETELVINA: Não posso reclamar, não é mesmo, minha irmã.

Ela sorri para Betrix.

 

Cena 10 – Dias atuais [2017]

Cinco anos se passaram desde os acontecimentos que marcaram a vida de toda uma cidade, as pessoas ainda buscavam superar aquilo tudo sem tocar no assunto. O tempo passou, mas a audácia de alguns empresários não respeitou os sentimentos de tantas vidas e foram em busca dos principais envolvidos (Julietty, Edilana e Wandi) para retratar tudo em uma série para a televisão.

A série estava pronta, mas as vidas dos protagonistas ainda não estavam prontas, eles tinham seus motivos para continuar lutando, eles queriam justiça.

 

>>><<<

Anúncios

12 thoughts on “O Amor que Definha – Spin Off

  1. Sinceramente? Não gostei dessa spin-off. Não das cenas, mas da existência da spin-off. Soou como uma desculpa para mostrar cenas que deviam ter sido exibidas antes do penúltimo capítulo, mas que não foram por falta de organização do autor.

    Mas vamos lá… detestei a cena do Jean e do Wandi, ela simplesmente destruiu os personagens que eu mais gostei. Edilana e Julietty sendo inocentadas, Djavan sendo julgado pela Fernanda, Jean brigando com Felipe… cenas que prometiam ser bem interessantes, mas que ficaram extremamente subjetivas. Por se tratar de uma spin-off, elas mereciam ter sido desenvolvidas, e não apenas introduzidas. É, também não gostei das cenas da spin-off, seria melhor tê-las abandonado mesmo.

    Curtir

    • Sofro e muito.
      Bom, eu pensei, inicialmente em anexar o conteúdo no penúltimo capítulo (ou até mesmo no antepenúltimo capítulo), mas optei pelo spin off por dois motivos:
      Primeiro, que o capítulo que recebesse essas cenas extras ficariam enormes, e eu não queria isso.
      Segundo, que eu já tinha as cenas escritas e queria que o público tivesse conhecimento delas e não simplesmente descartá-las, afinal foi um “capítulo” que eu me empenhei para desenvolver (mesmo apenas introduzindo as cenas) e o qual mais me emocionou (exatamente por causa do Wandi e o Jean), digamos que o casal não tenha sido desconstruído, na verdade esse não era o momento para que eles ficassem juntos.
      Morro apenas que a revelação de Betrix e Etelvina sendo irmãs passou batido de sua análise, mas vamo fazendo.
      Eu realmente sinto muito se não consegui agradar, no meu ponto de vista era a melhor opção, em fazer o spin off, ou simplesmente deixar essas cenas de lado e descartá-las, mas muitas dúvidas nasceriam depois (tipo, 5 anos, o público questionaria o que aconteceu com Djavan, Wandi, Edilana, Julietty, Jean), enfim é isso.

      Obrigado Glay pela análise.

      Curtir

      • Pois é, continuo achando que não valeu o esforço. Não pareceu spin-off, e sim um apanhado de cenas avulsas (o exato oposto do que aconteceu com o capítulo 0; foi realmente apresentado como um apanhado de cenas avulsas, mas convenceu como capítulo 0).

        Realmente passou batido mesmo. Não me chamou a atenção (só deu um error 404 mesmo, porque se tratam de Fernanda Montenegro e Giselle Itié, mas ok). Tipo, soou como algo meio jogado, sem contexto.

        Curtir

  2. Algumas pessoas são incapazes de pensar que para faz uma Web-Novela tem que ter tempo disponível, carinho pelo o produto que esta sendo realizado. Resumindo tem que amor aquilo que faz.
    As criticas são as vezes indispensáveis. Acho que elas são uma forma de aumentar as características do produto.

    Uma pergunta: Essa ideia de Spin-Off partiu da minha?
    Eu tinha sugerido uma spin-off.

    Parabéns!

    Não gostou faz melhor!
    Eu sei que sou chato.

    Curtir

    • Na verdade eu já estava pensando em criar uma spin-off assim como o capítulo Zero, a spin-off eu já queria há tempo, mas nunca apareceu o momento certo, e como “O Amor que Definha” é o que mais se aproxima de uma série (por se tratar de uma série dentro de uma webnovela) se encaixaria perfeitamente.
      Eu simplesmente passei a amar O Amor que Definha, como você disse, mas realmente, as críticas a respeito deste capítulo são bem vindas, e na verdade não me arrependi de tê-lo feito.

      Muito obrigado

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s