Insane Fears (1ª temporada): Jogos Mentais – Episódio 05 (Último Episódio)

Insane Fers – Jogos Mentais
01×05 – Almas Perdidas (Último Episódio)

CENA 01: CASA ABANDONADA/INT./NOITE

Maya caminha pelo corredor, chorando. Não havia mais velas, o jogo da meia-noite já não importava mais, ela tinha chegado ao seu limite. Flash da sua despedida de Luan invadem sua cabeça.

FLASHBACK ON

Ela chorava compulsivamente.

MAYA (chorando/gritando) – Não! Você não pode fazer isso. Você não pode se sacrificar, Luan.

Luan se mantinha firme quanto a sua escolha. Ele não desistiria, sabia que alí era o seu fim, e não fugiria dele. Estava premeditado.

LUAN – Eu já disse tudo o que eu tinha pra dizer… Esse é o fim, acaba aqui.

MAYA – Eu não vou sair daqui…

LUAN – Você precisa sair, ou continuaremos presos. A Margarete está aqui, entre nos. E só deixara você sair, caso eu morra. (gritando) Eu me sacrifico, portanto que deixe a Maya sair, ilesa.

Ele não sabia se Margarete ouviria, apenas gritou. Estava se libertando. Por mais que fosse dolorido, Maya deveria aceitar o destino. Ela deveria entender.

MAYA (sussurrando) – Não!

Uma ventania forte começava a ocupar o lugar, a poeira acumulada nos móveis pairavam pelo ar. De repente, a porta do porão se abre fortemente, fazendo um grande e barulhento estrondo.

LUAN – Adeus…

Eles trocam o último “eu te amo”. Maya não queria – e não aceitaria – a decisão de Luan, mas apenas caminhava, em passos lentos, para fora do porão. Era o melhor a se fazer, os destinos estavam traçados, nada poderia impedir.

FLASHBACK OFF

Maya levava a mão a sua cabeça, a dor era insuportável, ela não conseguia lidar. Encostada na parede, ela chorava, como uma formar de aliviar a dor.

CENA 02: CASA ABANDONADA/PORÃO/INT./NOITE

Luan estava de pé, preparado pro seu fim. Pensou pela última vez em Maya, ele sabia que isso aconteceria. Ele tinha coisas pendentes pra resolver.

LUAN (gritando) – Eu estou aqui. Sou eu que você quer, né? Chegou a hora de acertar nossas contas.

Um vulto preto atravessou a parede. Luan sentiu seus pelos do corpo arrepiar, alguns sussurros indecifráveis eram ouvidos na cabeça dele. O vulto de Margarete começou a rodeá-lo, enquanto ria, maleficamente. Até que, em uma sequência surreal, um objeto de madeira flutua, e fortemente, corta o pescoço de Luan, fazendo com que o sangue escorra, e ele morra.

CENA 03: FLORESTA/EXT./NOITE

As árvores da floresta balançavam sem parar, efeito do forte vento. Luan caminha, em direção ao lago que tinha no local, o lago em que ele jogou Margarete quando a matou. As águas do lago se agitam. Margarete começa a sair de dentro do lago. Luan apenas observava, tremendo de medo. Margarete sorria loucamente, e enfim, após tantos anos, fica frente à frente com Luan, seu assassino.

MARGARETE (voz distorcida) – Luan… O garoto que me matou e me prendeu dentro dessa maldito lago.

LUAN – Vai pro inferno, Margarete!

MARGARETE (voz distorcida) – Não antes de te levar junto comigo! (sorri)

Luan sabia muito bem o que tinha acontecido pra ele estar ali. Não estaria se sacrificando apenas pra libertar a Maya de ser perseguida pela Margarete, mas sim pelo que cometeu no passado…

CENA 04: SEQUÊNCIA DE CENAS

Margarete (off) – Ah, Luan… O doce e inocente garoto. Mas até onde nossas atitudes podem no levar? Elas podem nos transformar em um monstro. E por trás da doçura do Luan, havia um monstro.

QUARTO DE LUAN

A câmera foca nas mãos de uma mulher, empurrando a fechadura, fazendo a porta abrir. Era Margarete, que em mais uma noite, ficava observando Luan dormir. Então ela entra no quarto, com sua roupa de dormir provocante. A câmera busca por Luan dormindo, mas naquele momento, ele abre os olhos. Margarete passa a mão pelo corpo dele, com desejo. Ele não conseguia conter seus desejos, mas continuava a fingir que estava dormindo. Margarete sai do quarto. Luan se senta na cama, assutado. Algo nele queria fazer aquilo, mas o outro lado, não. Ele abaixou as roupas de dormir, e aliviou, naquele momento, seus desejos.

Margarete (off) – Ele não queria, mas no fundo, me desejava. Eu observava ele dormir todas as noites, eu tinha desejos com ele, e ainda por cima, ele era ideal para o meu ritual, pra me manter jovem e bonita. Mas me desejar, estava matando ele por dentro…

ESCRITÓRIO DE GIOVANE

Luan entra no escritório do seu pai, ele estava transtornado. Com raiva, ele chutou uma poltrona, que estava no centro da sala, soltando um grito logo em seguida. Lágrimas escorrem do seu rosto.

LUAN (raiva) – Desgraçada! (p/si) Ela fica me provocando… Eu não posso decepcionar meu pai, que eu amo tanto… (T) Eu preciso acabar com a vida dela! Eu vou matá-la!

Era uma coisa assustadora de se dizer, mas ele estava determinado. De repente, ele lembrou que seu pai escondia uma arma. Ele caminhou até a escrivaninha, abriu a última gaveta, e pegou a arma.

Margarete (off) – O inocente Luan estava disposto a cometer um assassinato. Estava disposto a me matar. E naquele dia, no dia em que eu o usaria pro meu ritual… Ele me assassinou, e foi muito, muito além disso… Ele prendeu minha alma no fundo do lago. Me proporcionando a dor e a escuridão…

CASA ABANDONADA/EXT.

Luan arrasta o corpo de Margarete pelos arredores do casarão. A forte chuva os molhava. Até que ele chega ao lago, onde joga o corpo de Margarete. O sangue da mulher fez a água criar uma marca de sangue. Enquanto Margarete continuou a ter se corpo morto, afogado. Após o corpo dela sumir do campo de visão, Luan desaba no choro. Ele pega a arma do crime e também joga no lago. A chuva fazia com que o sangue na mão dele escorresse junto com água da chuva pelo seu corpo.

Ainda chorando, ele retira um folheto do bolso, ele folheia o papel. Era um guia de magia negro que ele tinha anexado. Ele fez um desenho estranho no chão, um símbolo. Ele começa a sussurrar palavras que não é possível entender. Luan começa a se tremer, enquanto as palavras são ditas cada vez mais altas, a chuva ficava mais forte, molhando todo o seu corpo. Uma sombra escura e sombria aparece pra Luan, que abre os olhos, ainda muito assustado.

SOMBRA (voz distorcida) – Você precisa oferecer algo em troca.

LUAN – Minha morte… Eu me ofereço. No dia da minha morte, será o dia em que a Margarete terá sua alma livre desse lago. E ira diretamente pro inferno. Até lá, ela terá a sensação de estar se afogando, todos os dias.

Nesse momento, o pacto foi selado. Luan não queria fazer mal a ninguém, mas tinha necessidade de salvar sua família, pelo menos sentiu essa necessidade. E na hora que viu o ritual de Margarete, foi o momento certo pra executar toda a sequência desejada.

CENA 05: FLORESTA/EXT./NOITE

Luan e Margarete ainda continuavam frente à frente. Agora todo o passado foi realmente descoberto.

LUAN – Acho que acabamos aqui, não? Chegou sua hora de caminhar pelo inferno, Margarete.

O chão começava a abrir por cima de Margarete, vultos pretos saiam de dentro. Eles sorriam e gritavam. Os vultos começaram a puxar Margarete pra dentro do chão. Ela gritava e se debatia. Aquele era seu fim. Escuridão, medo, dor, surtos… Os vultos puxaram Margarete pra dentro do chão, que enfim, fechou-se.

LUAN – Esse é o meu fim…

Ele olhava para os lados, dem saber pra onde ir. Até que, uma fenda se abre. Luan então interpretou que, ele deveria seguir pra dentro da fenda, e assim o fez. Ninguém sabe o que tinha por trás dela, ou pra onde Luan tinha ido. Ele apenas se sacrificou. Apenas caminhou, sem medo.

CENA 06: CASA ABANDONADA/INT./NOITE

Maya ainda chorando, sentindo o luto por Luan e por todos os seus amigos que perdeu durante o jogo. Ela sente um vulto passar perto de si, era o homem da meia-noite. Desesperada, ela olha para os lados, a procura de sua vela, mas não há mais vela. Ela levanta do chão e corre, entrando e um cômodo qualquer. Pra sua sorte, havia sal no local. O coração de Maya estava acelerado, ela faz um linha de sal na porta, pra impedir que o homem da meia-noite entrasse. Quando é surpreendida pela soada de uma porta abrindo, fazendo rangido. O cômodo tinha duas portas, o homem da meia-noite entrou pela segunda. Maya sai do cômodo pela porta do sal, onde ganharia tempo, até que o homem da meia-noite saísse pela outra porta. Ela corre pelo corredor, sem rumo. Seu coração estava quase saindo pela boca. Ela é jogada no chão, como se alguém tivesse à empurrado. Logo, começa a ser arrastada pelo chão. Maya se debate, tentando sair daquilo, mas já não era mais possível. Após parar de ser arrastada, antes de bruços, ela vira-se pra frente. Chorando muito, não conseguia se conter, ela só conseguia pensar na sua morte, que ali seria seu fim. O homem da meia-noite “flutuava” por cima dela, seu rosto era uma grande escuridão. Estava acontecendo como aconteceu com a Diana. Maya tentou mexer seu corpo, mas era perda de tempo, estava totalmente paralisada. O homem da meia-noite se aproximava cada vez mais dela, que apenas chorava. Temendo, Maya fechou os olhos. Quando o homem da meia-noite iria possuir ela, um despertador de celular começou a tocar. Maya abre os olhos, o homem da meia-noite não estava mais lá, ela não tinha sido possuída. Seu corpo agora se movia. Ela sem forças pra levantar, procurava de onde vinha a soado do despertador. Até que, encontrou o celular. O celular da Diana. O relógio marcava “3h33”, por isso Maya não foi possuída. O jogo tinha acabado, ela estava livre. Sentiu uma angústia ao segurar o celular da sua melhor amiga, seu coração se partiu. Mas, ao mesmo tempo, respirou aliviada, já que venceu o jogo, e se livrou de ser possuída pelo homem da meia-noite.

CENA 07: CASA ABANDONADA/INT./NOITE

Após o jogo ter chegado ao fim, Maya caminhava pela casa abandonada. Ela andava pelo ambiente escuro, sombrio, assustador. Não havia mais ninguém, não que ela tinha conhecimento. Ela chora, tinha perdido todo mundo. De repete, ela vê Diana, no fim do corredor, sorrindo pra ela.

MAYA (surpresa/alegre) – Di? Eu pensava que você tinha… Morrido!

Diana não responde, apenas continua a olhar pra Maya. Maya estranhou, mas estava muito feliz. Ela apenas correu e abraçou Diana, que continuou paralisada.

DIANA – Assassina!

Maya se assusta ao ouvir aquela palavra, principalmente vindo de sua melhor amiga.

MAYA – Do que você está falando?

DIANA (gritando) – Assassina, você me matou!

Diana pula por cima de Maya, que cai no chão. Diana continua a gritar, chamando Maya de “assassina”. Maya chora, se debatendo, e então empurra Diana. Maya se levanta do chão, e vira-se de costas pra correr, mas fica frente à frente com Tomás.

TOMÁS – Assassina! Você merece morrer, Maya!

MAYA (chorando) – Não! Não foi culpa minha… –

Antes que ela pudesse continuar a se explicar, o rosto de Tomás começa a ficar desfigurado, numa cena assustadora e bizarra. Ela dá passos pra trás, e acaba tropeçando no corpo de Diana, que continuava no chão. Maya cai no chão. Diana começa a se rastejar em direção a Maya, com rosto desfigurado, Tomás faz o mesmo. Maya fica assustada, chorando.

Ela se sentia culpada. Não havia Tomás ou Diana, nem ninguém. Era coisa da cabeça dela, a sequela mental que  havia recebido. O preço que ela teria que pagar daqui pra frente.

CENA 08: CASA ABANDONADA/INT./NOITE

Muito sangue escorrendo pelo chão, a câmera segue os rastros de sangue, em busca de onde está vindo. Até que, encontra Hugo. Ele retira o pedaço madeira atravessado por Tomás pelo seu corpo, gritando muito. Se contorcendo de dor, Hugo olha para o ferimento: um buraco enorme havia se formado perto do seu abdômen. Ele procurava forças pra andar, sair daquele lugar, em busca ajuda. Ele dá uns passos, tentando sair dali, mas está muito fraco. Ele apoia suas mãos na parede, como apoio, e começa a sair dali, mas antes, olha pela última vez pra Tomás.

CENA 09: CASA ABANDONADA/INT./NOITE

Maya chorava, já não estava mais tendo as alucinações, mas sentia que algo nela estava diferente. Ela olhava para seus braços, cortados, após ser arrastada. Hugo, que caminha pelo corredor aposto, acaba encontrando Maya, ele tanta caminhar até ela, mas acaba fraquejando e caindo. Maya se assusta e olha pra ele.

HUGO (com dificuldades) – Me ajuda, Maya.

Maya se levanta, se aproximando dele, observando o ferimento perto do abdômen dele, que sangra muito. Maya se abaixa novamente e toca Hugo, que geme de dor, enquanto implora por ajuda.

MAYA (chorando) – Eu não consigo… Me desculpa!

Na cabeça de Maya passa “um filme” sobre tudo que ocorreu com eles naquela casa. Que o jogo começou por causa de Hugo. Apesar de se sentir culpada por tudo, a mente de Maya colocava Hugo como o grande culpado. Mesma ela querendo, ela não conseguiria ajudar ele, estava afetada mentalmente. Hugo continua a implorar, mas chega no ponto em que, já não aguenta mais.

HUGO (com dificuldades) – Vai se fuder, Maya. Sua covarde!

E então, ele geme mais um pouco, até não resistir mais. Hugo está morto. Maya chora, se sente culpada por não ter ajudado Hugo. Se sente culpada por tudo que aconteceu com todos alí.

CENA 10: CASA ABANDONADA/INT./NOITE

TRILHA SONORA: Together – The xx

Silêncio. Maya caminha lentamente. Ela lembra de Diana, dos momentos de melhores amigas que tiveram, da morte dela. Do amor que sentia por Luan, do último “eu te amo” que eles trocaram. Do sacrifico dele. De Tomás, que apesar de não ser muito próxima, ela tinha uma grande consideração. E até mesmo do Hugo, que ambos sendo rivais, ela não o ajudou. Mesmo em péssimas circunstâncias, ela poderia ter ajudado ele. Lembra da tragédia que a Casa Abandonada trazia, e de tudo que aconteceu naquele lugar. Ela não conseguia mais chorar, não tinha mais forças, não tinha mais ninguém. Se sentia culpada, estava danificada mentalmente. Ela grita, tentado aliviar a dor. Logo em seguida, corre até um pedaço de ferro, de uma fechadura de uma das portas da casa, e pega o ferro. Sem pensar duas vezes, ele faz um corte profundo em seus braços, o sangue escorria fortemente, enquando ela gritava. Após cortar os pulsos, ela deita no chão, e fica ali, por muitos minutos. O sangue continuava a escorrer, sujando todo o chão. Depois de tanto se contorcer e chorar, Maya morre. Aquele era seu fim, seu trágico fim. Não só dela, mas também de todos os seus amigos.

CENA 11: CASA ABANDONADA/EXT./NOITE

A câmera vai se afastando de toda aquela cena assustadora, saindo pela janela da casa. Lá fora, a chuva ainda caia forte. Um dia nublado, a chuva forte, a casa abandonada, o dia fúnebre, o final trágico.

FIM.

CONGELA NA FACHADA DA CASA ABANDONADA. E A IMAGEM SE FUNDE COM UM TABULEIRO DE JOGO.

Anúncios

30 thoughts on “Insane Fears (1ª temporada): Jogos Mentais – Episódio 05 (Último Episódio)

  1. Eu não sei nem como começar esse texto, sério! Após tanto tempo sem está no ar, sem escrever, volto trazendo Insane Fears – Jogos Mentais. É perceptível minha evolução na escrita, pelo menos pra mim. E, como autor, fico muito feliz e grato pelo resultado. Eu conseguir amarrar cada ponta, interligar cada fato, trazer uma coisa diferente a cada episódio. E o resultado final me surpreendeu, confesso. Estava me arriscando em um gênero do qual eu não tinha muito conhecimento, e nem era muito fã (apesar de gostar – e assistir – filmes de terror, mesmo não sendo muitos). O resultado final foi positivo, e eu estou muito feliz!!! Queria agradecer também ao Jean, Felipe e o Gui, sem eles Insane Fears não aconteceria. Também ao João e ao Jaime, que quase participaram do projeto, mas acima de tudo, deram total apoio ao mesmo. O Airton, por postar os episódios. E claro, ao Brenddo, por confiar no projeto, ter dado atenção e tudo que foi preciso. Davi e Fred, que sempre me apoiaram muito com o projeto, me incentivaram. E não poderia esquecer (e nem iria) do Bruno. Que fez essas chamadas maravilhas, essa abertura de ficar de boca aberta, de perfeita como ficou. E tantas outras pessoas pra agradecer. Fico muito feliz em ser substituído por uma ótima temporada, que é a do Felipe. Insane Fears – Inquisição está chegado, turma! Obrigado a todos!!! ❤

    Curtido por 4 pessoas

    • Cheguei para o comentário específico.

      Que final maravilhoso!
      Sabia que Luan não era o herói inocente, ele realmente foi cruel ao aprisionar a alma de sua madrasta no lago, afinal ela já estava morta e ele já havia planejado tudo antes mesmo de saber que ela o entregaria em sacrifício.
      Pensava que Hugo já havia morrido no episódio passado, mas fiquei feliz ao vê-lo em cena novamente, para uma despedida digna.
      Maya fez o melhor, ela não conseguiria viver depois de tudo o que aconteceu ali.

      Flávio, você abriu com chave de ouro o projeto, espero que “Insane Fears – Inquisição” consiga substituir com dignidade. Parabéns pela ótima temporada!

      Curtido por 1 pessoa

      • Sim, o Luan foi cruel ao aprisionar Margarete no lago. Mas pra ele, foi uma libertação, não só dele, como da sua família. Hugo voltou para sua cena final, eu não deixaria ele de fora hahaha. Ele veio, e causou. Maya optou por essa trágica decisão, por esse motivo: ela não conseguiria seguir em frente, e ainda por cima, se sentia culpada por tudo. Obrigado, Felipe 😀 ❤

        Curtir

  2. Parabéns, pela web. E pelo projeto.
    Amei esse final. O final de cada personagem foi digino.
    Esse Luan com a cara de santinho. Amei.
    Para mim a cena mais simples e que explica o final da web como um todo, estou falando da 11° cena.

    Que venha a 2° temporada, Insane Fears – Inquisição.

    Curtido por 1 pessoa

    • Luan, com sua carinha de santo, que de santo não tem nada… O projeto é, ao todo, um prestígio pra mim. Fico muito feliz pq está dando certo. A cena 11 explicou tudo! Obrigado 😀 ❤

      Curtir

  3. Pasmo com esse final. Então o Luan tinha mesmo uma parte de sua história escondida, que não foi contada até então. Ele se sacrificou, não apenas para livrar Maya, mas porque tinha prometido a sua alma. Ele matou Margarete, isso já sabíamos. Mas ele foi além: após cometer o assassinato, jogou o corpo no lago e fez uma espécie de ritual, onde conseguiu prender a alma de Margarete nesse lago, e ela só se livraria disso quando Luan morresse, e após, iria direto para o inferno. Luan prometeu sua alma, e a entregou. Ele morreu, e mandou a Margarete, definitivamente, para o inferno.

    Maya consegue sobreviver ao jogo da meia noite, mas começa a ter alucinações com Tomás e Diana. Após, presenciou a morte de Hugo, que não resistiu ao ferimento causado pelo ataque de Tomás enquanto o mesmo estava possuído. E após tanto horror, Maya completamente transtornada, corta os pulsos e tira sua vida, se livrando de todo o sofrimento que lhe matava pouco a pouco.

    E assim chegamos ao fim da primeira temporada da série, e você abriu o projeto com louvor, Flávio. Jogos Mentais teve uma trama excelente, sombria e passava a tensão necessária nas cenas, além de claro, ter tido reviravoltas surpreendentes durante seu percurso de terror psicológico. Você voltou com tudo amigo, após ter ficado um tempo afastado das web- produções. Parabéns amigo, e que venha a temporada do Felipe, Inquisição promete! ❤

    Curtido por 1 pessoa

    • Sim, Luan não se sacrificou apenas pelo seu grande amor (Maya), mas também para “pagar” a divida que ele tinha com o “pacto”. Maya se matou após não conseguir mais suportar tudo aquilo que passou. Após se sentir culpada por tudo que ocorreu alí.

      Eu fico super feliz que eu conseguir estrear Insane Fears como louvor e honrar as futuras temporadas que estão por vir. Eu agradeço também a ti, que me ajudou muito, e sempre me apoiou. Obrigado, amigo 😀 ❤

      Curtir

  4. E vamos ao #AnalysisToday ✌😛 dos três últimos capítulos.

    Insane Fears (Jogo Mentais) – Episódios 03, 04 e 05

    O homem da meia-noite possui o corpo de Diana, que se descuidou ao ver Maya e Luan juntos e deixou a sua vela se apagar, o que fez com que o homem da meia-noite a possuísse e torturasse com os seus medos. Hugo e Luan encontram Diana já possuída pelo homem da meia-noite, que avisa através de Diana que irá matar todos, um por um. Hugo e Luan saem correndo e vão até onde Tomás e Maya estão e revela a eles que Diana foi possuída pelo homem da meia-noite. Luan prefere não revelar a verdade para Maya, porém Hugo revela. Maya e Hugo iniciam uma discussão, pois Hugo diz que se Maya não tivesse se entregado a Luan e Diana não tivesse visto, nada disso teria acontecido, Maya diz que o maior culpado é o Hugo, pois foi ele quem propôs e iniciou o jogo da meia-noite – sinceramente? Os dois são culpados disso tudo, mas o maior culpado é o Hugo, pois ele iniciou o jogo da meia-noite e fez a Diana ver o Luan e a Maya transando, logo, ele é o maior culpado, claramente – Tomás e Hugo vão para outro cômodo da casa e finalmente, Tomás cede para Hugo – o tarado do limão finalmente conseguiu o que queria – porém, essa história entre os dois não possui um final feliz, pois o homem da meia-noite faz mais uma vítima: o Tomás, que usado pelo homem da meia-noite, mata Hugo jogando um pedaço de madeira nele… enquanto isso, Luan vê o retrato da mulher dos sonhos de Maya e a reconhece, porém não revela a Maya. Logo depois, Maya é levada por um espírito para o porão da casa abandonada, onde encontra uma foto de Luan com a tal mulher. Sem saídas, Luan revela quem é a mulher: seu nome era Margarete, ela namorava com Giovanni, pai de Luan e um dia, ela levou Luan para a casa (a casa abandonada) que ela comprou, com o intuito de oferecer Luan em sacrifício para o diabo, para permanecer jovem e bonita, porém Luan consegue matá-la com um tiro e em seguida, ele a joga no rio da casa, porém Luan fez um pacto com a sombra: até o dia em que ele morrer, o espírito de Margarete ficará dentro do lago, sentindo a sensação de estar se afogando e depois que ela morrer, ela irá diretamente para o inferno; como vingança, Margarete aparece para Maya, tentando manipulá-la contra Luan, pois ela foi a única pessoa que Luan amou, depois que tudo isso aconteceu – nunca imaginei isso, socorro! Mas e o pai do Luan? Ele soube que a Margarete queria oferecer o Luan em sacrifício ou ele nunca soube? – Luan decide se oferecer em sacrifício a Margarete para dar um fim em toda essa história… enquanto isso, o homem da meia-noite se aproxima de Maya e tenta possuí-la, só que dá 3h33 e o homem da meia-noite não consegue possuí-la. Maya começa a ter alucinações com Diana e Tomás, que foram mortos, após serem possuídos pelo homem da meia-noite… após isso, Maya vai até onde Hugo está e tira o pedaço de madeira que Tomás acertou nele. Hugo ainda está vivo e pede ajuda a Maya para salvá-lo, mas ela está mentalmente esgotada e não consegue. Hugo não resiste e morre… após ver Hugo morrer na sua frente, Maya resolve acabar de vez com o sofrimento que está sentindo e se suicida com um pedaço de ferro… e assim se encerra a história de Maya, Luan, Hugo, Tomás e Diana, os cinco protagonistas de “Insane Fears – Jogos Mentais”… sinceramente, eu amei a história! Espero que as próximas temporadas mantenham a mesma qualidade… e que venha “Insane Fears – Inquisição”.

    Parabéns, Flávio. :De

    E venha pisar, Felipe!

    Curtido por 1 pessoa

    • E vamos a sua Analysis Today, amo. Sim, Diana foi torturada pelo seus maiores medos, por culpa do homem da meia-noite. Sim, os dois tem culpa. Não só os dois, mas como todos os outros. Afinal, não teria jogo se todos não tivessem concordados. Tomás conseguiu o que queria, mas isso não acabou bem! Sim, Luan selou um pacto contra Margarete, após tudo que ela fez. E Margarete estava tentando manipular Maya. Tem sim um suposto final pro pai de Luan, mas ele não era e nem foi necessário pra trama, então optei por deixar ele assim, sem uma sequência. E deixarei o final dele em off. Maya está esgotada de tudo, se sentindo culpada, com uma sequela mental. E viu como a melhor saída, se suicidar. Fico muito feliz em saber que gostou. Obrigado 😀 ❤

      Curtir

  5. Chocado com tudo que li nesse desfecho. Luan iria se sacrificar de um jeito ou de outro. 😲 Como assim ele jogou o corpo de Margarete no lago após mata-la, e fez um ritual para prende-la lá? Meu Deus! Eu sabia que tinha algo a mais nesse jovem, sabia!

    Por um momento cheguei a pensar que Diana estava viva, avalie. Infelizmente era a consciência de Maya pesando a culpa. Tenso, hein! E Hugo não tinha morrido. 😮 Maya eu te venero!!!

    A cena mais chocante do capítulo foi a penúltima. Maya tirou a própria vida!!! 😮 😮 Ela venceu o jogo da meia-noite, mas não foi a única a sobreviver dentro daquela casa.

    E aqui se encerra a primeira temporada desse projeto que me envolveu de uma maneira inexplicável. Posso não ter tido teorias para decifrar alguns acontecimentos da trama, mas confesso que adorei o que li. Uma web série ousada e surpreendente, e uma temporada repleta de acontecimentos e terror. Você se saiu muito bem no desenvolvimento de Jogos Mentais, Flávio. Parabéns, amigo, e que venha a próxima temporada! ❤

    Curtido por 1 pessoa

    • Exatamente, Luan iria se sacrificar de uma forma ou de outra, por isso ele aceitou o seu destino, estava premeditado. Grito que achou que Diana tinha voltado. Sim, Maya foi capaz de vencer o jogo, mas não foi capaz de vencer a sí mesma, a sua consciência. E fico muito lisonjeado, amigo. Fico feliz que tenha sido uma temporada surpreendente, ousada e bem desenvolvida. Obrigado, amigo 😀 ❤

      Curtir

  6. Episódio 04
    Pasmo com o flashback do Luan, então a mulher dos pesadelos de Maya era a madrasta safada do Luan? Quem diria hein… E chocado que o Luan matou a madrasta com 15 anos! 😮 Encontro tenso entre Maya e o espírito de Margareth no lago, cruzes… Berrei com a briga de Hugo e Tomás, sendo Tomás possuído pelo Homem da Meia-Noite! A morte do Tomás, que horror, agoniante, assim como a madeira atravessando o corpo de Hugo, doeu aqui…

    Episódio 05
    Luan se sacrificou por Maya, goste lindo de amor, mas muito triste também. Mas agora ficou mais explícito: ele fez um pacto, onde mataria Margareth para não viver seus desejos sexuais pela madrasta em troca de sua alma, estou horripilado. A hora chega, o jogo acaba e os únicos sobreviventes são Maya e Hugo, porém ela fica atormentada pelos espíritos dos amigos que morreram durante o jogo e ele acaba morrendo enquanto implora por piedade dela, já que tinha um ferimento grave pela madeira. Mas Maya não suporta tanta tragédia e corta os pulsos, morrendo também.

    Parabéns Flávio, série fantástica, é difícil uma história de terror me agradar, mas a sua conseguiu, muito bem conduzida e elaborada, adorei acompanhar. Você mostrou grande evolução como autor, seu texto está maravilhoso e o desenvolvimento muito coeso. Meus parabéns, ansioso pelo novo projeto! 😀 ❤

    OBS: qual o nome da música e cantor/banda do tema de abertura? Achei tão lacre, quero ouvir a versão na íntegra!

    Curtido por 1 pessoa

    • Ep4
      Sim, Margarete era a madrasta sedutora, sexy e demoníaca do Luan. E ele matou ela com 15 anos, berramos. A morte do Tomás foi agoniante mesmo, e ele atravessando a madeira no corpo do Hugo então…

      Ep5
      Sim, o sacrifico dele foi por amor, também. E não só pela “divida” que ele tinha que pagar. Ele fez pacto pra defender sua família e seus próprios desejos. Maya acabou se suicidando, por não aguentar tudo que passou.

      Ai, amigo. Cê não tem noção de quanto eu fico lisonjeado de ler isso vindo de você. Obrigado pelos elogios 😀 ❤

      Obs: A música é My Demons – Starset. É um luxo, e ouça na integrar, cê vai adorar.

      Curtido por 1 pessoa

  7. Como eu disse anteriormente, eu estava me atualizando, e peço desculpas pela demora, e aqui vai meus breves comentários específicos de cada capítulo, desde seu início ao seu fim.
    A trama terminou exatamente como eu imaginava (mesmo relutando a acreditar), passei a ter essa sensação quando estava na metade do EP 4, então meio que foi em cima da hora, e foi muito cruel pra mim ser recebido pelo quinto episódio que só comprovou minhas dúvidas, mas enfim, sem muita enrolação, meus comentários;

    Capítulo 01
    Primeiro começamos com as visões malucas de Maya, e mesmo parecendo bem medrosa me pareceu ser a grande protagonista da web toda, no caso, se seguir clichês de filmes de terror, ela serviria como apoio para a protagonista verdadeira, que no caso seria a Diana, mas que no meu ponto de vista ficou ‘isolada’ nesse primeiro capítulo, ficou avulsa e fazendo aquele joguinho “será que ele me quer?” (Sai chata, se joga, segue o exemplo do Tomás, aquela dada).
    Mais mais avulsa que a Diana, só mesmo o Luan, que apareceu nas primeiras cenas e depois ele só estava lá, mas isso não foi ruim, na verdade foi até bom, a trama não ficou enrolando e focou logo no que queria focar, sem dar moral pra certos personagens que claramente vai morrer primeiro.
    Hugo se destacou como um dos piores personagens (não pior na forma de sua construção), mas sua personalidade, detestável e prepotente ele se destacou como líder do bando sem ao menos os outros saberem (eu fiquei pasmo).
    E logo em seguida temos as falas de Tomás (querido eu nem te vi chegar na série e ele já tava causando).
    As seguintes falas chocam:
    HUGO (Irônico) – Sou azedo como um limão.
    TOMÁS – Eu adoro chupar um limão. (Sorri)
    E Tomás fala num tom de que já provou, todo provocativo ele fica jogando charme pra Maya, mas ao mesmo tempo olha com desejo pro Hugo. (Gente isso foi pra sinopse? Eu não tava preparado).
    Inicialmente a série me passou a ideia de… Bom, eu não sei, na verdade eu não esperava por isso, na verdade eu já tinha lido a primeira cena 5 vezes (afinal estava tentando me atualizar há um tempo já), mas sempre acontecia uma coisa ou outra e nunca ia pra cena seguinte, então eu imaginava outra coisa.
    A série teve mais cara “realista” nesse primeiro episódio, tendo um pesinho no espiritual, e não voou logo para o lado de espíritos, como eu imaginava, a web é bem pé no chão e sabe bem como dar o passo seguinte, percebi isso nas cenas, o autor (Flávio) soube dosar bem os momentos entre os amigos e os cortes rápidos para o lado obscuro que ele procura abordar (que eu ainda não sei), isso começou por meio dos sonhos da Maya, tudo inicialmente era um sinal, mas depois que eles ficaram presos e foram pra casa abandonada (eu sempre digo, nunca vá pra uma casa abandonada no meio do nada), eles iniciam o jogo.
    Olha Flávio, eu não sei de onde você tirou a ideia pra fazer esse jogo, (o homem da meia-noite), achei isso tão original e tão louco que nem tive palavras pra descrever, inicialmente eu pensei: Nossa, que viagem. (E já me veio na cabeça o Flávio delirando enquanto escrevia), mas depois vi que era genial, eu passaria meses desenvolvendo algo tão detalhado dessa forma, pensar num passo se preparando para o próximo.
    Quando apagar a vela o espírito se apossa dos corpos. É esperar pra ver (Esperar não, é uma atualização, então é correr pro segundo).
    No mais, eu achei bem doido a ideia do Hugo em fazer esse jogo, mas analisando melhor a estrutura completa e no que a web se baseou, se encaixou na trama, não perfeitamente, mas foi aceitável. (Eu aceitaria jogar, sou louca sim).

    Capítulo 02
    O capítulo já começa ‘pegando fogo’, quase que literalmente. Já começamos sendo apresentados ao homem da meia-noite, e Maya o encarando de perto. A primeira coisa que eu pensei foi que a vela dela apagou e ela começou a ter delírios com ele, nunca me passou pela cabeça que ela tinha ‘apagado’, olha essa garota tem problemas, ela não passa duas cenas sem ‘apagar’, ela precisa procurar um médico. (Piadas a parte, é verdade, Maya apela as vezes).
    E destaque ao capítulo pegação, que adorei, logicamente. Começando com Maya e Luan. Ela meio que tentou resistir a investida dele por consideração à amiga. (Realmente tenso), mas o fogo fala mais alto.
    Quando eles tavam se pegando a única coisa que eu pensei foi: “onde eles colocaram as velas?”.
    Diana tava lá com os outros e o Hugo tacou veneno nela pra ela sair correndo atrás da Maya e o Luan, e meio que era uma coisa necessária, Tomás disse que Hugo agiu errado, mas pra mim Hugo não disse mais que verdades, Diana que não tava preparada. (Não vou defender o Hugo, ainda é um pé no saco, e continua sendo o líder do grupo).
    Enquanto a Diana subia as escadas pra encontrar lá os dois no rala e rola, Tomás (tá fora de ordem isso, mas pra mim foi mais importante) dá uma investida lá no Hugo e put* merda foi quase, eu não acredito que foi quase. Aaaaaa. Sério? Gente quando que isso vai acontecer de novo? Agora eu só vejo uma montanha russa e eles tão caindo, ou seja, não vejo uma chance dessas de novo acontecer, previ.
    Diana foi lá e bancou a mimada cobrando da Maya uma coisa que ela não devia (devia sim, safada, cadê os nudes?). Então Diana sai feito louca e deixa a vela pra trás (risos?). Luan fica consolando a Maya (gente?).
    A merda só aconteceu daí em diante, Diana pagou o preço do descuido da pior forma possível, e passou algumas torturas com o Homem da Meia-noite, nem vou mentir, adorei as cenas.
    Krampus sendo citado nem tive como não lembrar de “Escolha o Doce” (sempre é hora de enaltecer o hit vintage), mas que não achei tão apropriado para o momento, depois de uma pincelada pra justificar o medo deu até pra engolir, mas que foi um pouco doloroso, foi, de certa forma.
    Mas adicionar um monstro como esse à trama foi uma jogada de mestre, então não posso dizer que foi de todo ruim. A série tem sua continuidade mostrando Diana (ainda viva? Meu Deus), possuída pelo Homem da Meia-noite.
    Bom isso acabou com todas as minhas apostas, eu não imaginava que Diana seria a primeira vítima, pensei cá comigo que seria o Luan (ah, e depois da aparição dele como figurante no primeiro ep, nesse segundo ele teve um pouco de destaque, não tanto quanto Diana).
    Enfim, eu ainda acredito que a Diana vai sair viva dessa, nem sei como, e talvez todos saiam vivos, não sei bem o que esperar, a trama é bastante surpreendente e bem instigante, dá vontade de ler mais e mais.

    Capítulo 03
    Esse capítulo me surpreendeu, mas não de uma maneira positiva. O capítulo levantou muitas questões, que ficou claro que era pra prender para o próximo capítulo, mas foi mais difícil digerir tudo de uma vez do que aceitar que as respostas virão no próximo capítulo.
    Primeiro de tudo (antes das questões serem levantadas), temos Hugo batendo boca com Maya, e eu fiquei meio que com mais raiva dele ainda, e felizmente ela o golpeou no rosto (agradecido).
    Logo em seguida Hugo e Tomás vão para outra sala deixando Maya e Luan sozinhos, Tomás ajuda Hugo com a mão machucada e dá sua “mão amiga” a ele, e eu fiquei tipo… “não pode ser verdade”, e realmente me neguei a aceitar, em meio a tantas coisas acontecendo sério que eles foram lá e “pá”, ai não, foi totalmente ao acaso e quebrou o clima que existia entre os dois (no capítulo anterior eu até tinha dito que depois do que aconteceu nem tinha como eles ficarem juntos).
    Fazendo uma continuidade aqui, mesmo fora de ordem do capítulo, mas que se enquadra no momento, um dos dois (Tomás ou Hugo) foi possuído, como sabemos? Porque alguém de cueca foi possuído, os idiotas ainda esqueceram de manter a vela acessa enquanto queimavam a rosca, mereço?
    Depois disso apenas nos é jogado que Diana está morta, como assim? Sem nada? Vemos claramente que era a personagem mais sem história pra contar e que serviu apenas pra morrer logo de primeira, e eu aqui pensando que ela ia ficar viva no final, uma perfeita ilusão?
    Depois alguém joga Maya da escada, mas quem? Afinal Tomás estava com Hugo e um dos dois foi possuído, mas não daria tempo, e Luan estava atrás dela, e Diana morta, então temos mais alguém na casa? Ou será que foi a própria demônia da Margarete que jogou ela? Não sabemos.
    E então a Maya encontra uma foto do Luan com a Margarete, o que prova que ele matou a Margarete e fim de caso.
    Porém são tantas questões, talvez eu tenha ficado perdido e nem saiba, mas eu acredito que algumas delas foram dolorosas, por exemplo, ai não consigo aceitar Hugo ou Tomás (um dos dois) possuído (pelo ritmo ragatanga), menos os Tomás.
    E como a Diana morreu? Oh God!
    Quem empurrou Maya da escada? E porque ela não morreu? (risos), apesar do capítulo ter sido um pouco sofrível pelos acontecimentos que me pegaram desprevenidos, ainda estou adorando a série, um luxo.

    Capítulo 04
    Será que se eu tivesse comentado a tempo eu salvaria a vida do Tomás? Como proceder quando nutri sentimentos fortes por um personagem em tão pouco tempo e depois ele é morto de uma maneira cruel? (Nem posso falar, sou acostumado a matar personagens amados, então não irei julgar).
    Vamos começar com Maya e Luan, e realmente Luan matou a Margarete, mas pelo o que foi dito aparentemente foi em legítima defesa, mesmo assim só vou acreditar nessa versão no último episódio, pois eu ainda acredito que esse jogo possa virar.
    Respondendo a minha pergunta, quem jogou a Maya no porão foi a Margarete, e eu fiquei tipo; “???”, mas tudo bem, eu entendo que a entidade esteja fazendo “coisas”, mas não conseguia aceitar ela fazendo a Maya desmaiar, achei meio que conveniente demais, talvez fosse melhor a Maya deitar ali mesmo e fechar os olhos quieta enquanto adormece.
    Então Tomás foi possuído só de cueca (eu rezando pra ele me possuir), e infelizmente ele acabou morrendo e será que o Hugo morre? Eu bem que queria, e nisso vai sobreviver só a Maya, já que o Luan disse que vai se sacrificar, e será que esse Homem da Meia-Noite é o pai do Luan? Será que é muita viagem da minha cabeça?
    E o comentário desse capítulo será curto, pois necessito ir para o último o quanto antes.

    Capítulo 5
    Eu nem sei o que dizer, nem sei por onde começar, pois bem, vamos começar pelo começo. Luan se sacrificando para salvar Maya, e para livrar o espírito de Margarete (livrar não, né?), mandar ela pro inferno mesmo, Margarete ingrata, acho que ela vai preferir se afogar todos os dias do que estar no inferno, que deve ser bem pior, a menos que ela queira ficar amiguinha do “tinhoso”, o que duvido muito.
    Entre uma cena e outra ainda é explicado as cenas de Luan (jovem, lindo, e sexy, por algum motivo sempre estava sem camiseta), quando ele mata a Margarete (mata literalmente e mata de vontade, risos), e adoramos as cenas “hots”? Claramente, senti a safadeza no ar, adoramos.
    Maya corre e sobrevive, ela encontra os “amigos” que a julgam, mas era fruto da imaginação dela, mesmo que ela fizesse alguma coisa pra salvar o Hugo eu acho que ele morreria, ela não conseguiria levar ele pra cidade a tempo em um hospital, então meio que não foi culpa dela, ela apenas quis assumir a culpa, assim como quis assumir a culpa de todas as outras mortes, e usou isso como motivo para se matar, tornando em vão o sacrifício de Luan, que no final se tornou meu personagem favorito (já que o Tomás tava morto mesmo, a pessoa mais safada que tinha naquele antro era o Luan).
    E realmente senti características de filmes de terror americanos presentes do início ao fim, e dá aquele desanimo quando acaba, pois não queremos simplesmente que acabe, ou simplesmente quando acaba com um fim trágico, mas a série terá mais 2 temporadas, serão totalmente desvinculadas umas das outras ou teremos algumas coisas uma da outra? (Seria meu sonho?).
    No mais, Insane Fears; “Jogos Mentais” começou com tudo, foi uma série que me pegou logo no primeiro capítulo, queria ler tudo no mesmo tempo (apesar de não ter tempo necessário pra isso), e a curiosidade do que aconteceria no próximo capítulo só aumentava. Não é comum termos webséries com tal tema, então sempre é algo novo pra mim, e eu adorei essa temporada, parabéns Flávio.

    Curtido por 1 pessoa

    • Tudo bem, Hivan, não precisa se desculpar. O importante é que sua análise pela trama, chegou. Amo!

      Ep1
      Maya tinha umas visões bem malucas, mas era a protagonista. Diana ficou mais em segundo plano, mas foi muito importante para a trama se desenrolar. (Grito com “Tomás aquela dada”). Luan serviu como uma ponte, ele interagia com todos os núcleos, movimentava todos, acho que teve uma participação importante nesse primeiro episódio. Tomás e sua saga do limão azedo, eu berro, real. Ele não jogou charme pra Maya, acho que foi impressão, pelo jeito espontâneo dele. Sim, a proposta de Insane Fears – Jogos Mentais, é avançar a cada episódio, em uma coisa diferente, ligada a mente. O jogo da meia-noite já existe, e é bem antigo. Apenas trouxe ele para o foco da web, já que não conheço nenhuma web que já tenha abordado isso.

      Ep2
      Gritando, socorro. É, ela precisa de um médico kkk. Morto, um safado? Hahaha. As velas estavam lá, com eles. Fofo, mas tendo. Realmente, Hugo não mentiu, ele só disse a verdade da qual ninguém queria admitir. A montanha russa segue em alta velocidade para baixo, mas será que eles irão ter um tempo pro “rola ou enrola”? Diana pagou o preço de sair desprotegida, o Luan nem tentou ir atrás dela, só pensou em si mesmo – e na Maya -. Diana foi a protagonista do segundo episódio, e foi a primeira a ser possuída.

      Ep3
      Sofro que surpreendeu de forma negativa. Maya vs Hugo, uma das coisas mais esperadas da web, verdade kkk. Sim, eles foram lá e “pá”, gritamos? Hugo sempre deixou claro que gostaria de quebrar as regras, e com essa situação, não seria diferente. Um perfeita ilusão, sim hahaha. E foi Margarete que empurrou ela, boatos. Diana morreu, pq quando o homem da meia-noite se possuí de alguém, ele rouba a sua alma (da pessoa possuída). Então a alma de Diana pertencia a ele.

      Ep4
      Morrendo, amigo. Seria você a única salvação para o Tomás? Ele a matou por legítima defesa, mas como você disse: temos um episódio pela frente, tudo pode mudar. A Margarete tem “poder” (vamos usar a palavra “poder” de forma ilustrativa, okay?) para mover as coisas, assim, ela fez com que Maya desmaiasse. Ou pelo contrário, Maya passaria um grande tempo – ou não – para adormecer. Morto no safado kkk, e chame por Tomás, vai que ele te visita pela madrugada? Kkk. Podemos dizer que sim, é uma viagem sua. O homem da meia-noite é uma entidade kkk.

      Ep5
      Verdade, ele não está livrando ela, apenas cumprindo o pacto que fez. Grito, Margarete saiu de uma situação péssima, para uma bem pior. Morto, e lembrei daquela música “Moreno alto, bonito e sensual…🎵” kkk. Umas cenas hots, adorassem. Sim, não daria tempo de salvar ele, mas ela poderia ter ajudado, tentando, lutado com ele até o fim, mas ela não teve forças pra isso. Ela tinha uma parcela de culpa, sim. Mas toda culpa que ela assumiu alí, como você disse, foi por opção própria. Não foi intencional os moldes americanos, eu realmente nem esperava por isso, confesso. Só descobrir pelos comentários que citaram tal características. E terá mais 3 temporadas (Inquisição – Felipe; Lago Negro – Jean; e Depois do Fim – Guilherme). Será temporadas desvinculadas.

      Fico feliz que Insane Fears – Jogos Mentais tenha atingindo seu climax a todo episódio. Essa era a proposta da série: trazer um gênero com pouco espaço no Mix, em um projeto amor. Obrigado 😀 ❤

      .

      Curtir

  8. Apesar de previsível, Jogos Mentais se encerrou de maneira inesperada. Luan era sim inocente, apesar de tudo.

    Nunca pensei que eu ficaria do lado da Maya. Apoiei ela ter deixado o Hugo morrer. Querendo ou não, tudo isso aconteceu por culpa dele. Não achei justo, mas eu faria a mesma coisa no lugar dela. Pasmem, mas eu criei simpatia com a Maya aos 45 do segundo tempo… foi surgindo a esperança de um final feliz, já ia me convencendo que era o melhor pra ela… até que ela se matou. Não, não aceitei o suicídio da Maya. Aceitei o suicídio do Luan, mas a Maya não. Justo quando eu não queria mais que ela morresse, ela se mata.

    Curtido por 1 pessoa

    • É, eu acho Luan meio termo. Tudo que ele fez, foi pra proteger a sua família e a sí mesmo, mas acho que ele tem, sim, sua culpa. Eu to berrando com seu plot twist com a Maya, gritando, na real. Obrigado 😀 ❤

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s