Insane Fears (2ª temporada): Inquisição – Episódio 02

No episódio anteriror…

O rei Daniel então se levantou, Alexandra fez o mesmo em seguida.

DANIEL — Que se inicie a destruição das servas do demônio!

Ambos sentaram-se novamente e alguns homens encapuzados chegaram no local, trazendo tochas de fogo.

PEDRO — E as mando para o Inferno, em nome do Senhor!

Pedro pega uma das tochas e a aproxima da palha. Logo o fogo começa a se espalhar, os outros homens fazem o mesmo. As mulheres que estavam presas começam a gritar, desesperadas, o fogo logo chega em seu corpo.

 

——

Joana sorri, mas logo sua expressão muda ao olhar para o lado e ver Joaquim, seu avô, cambaleando. Ela corre até ele.

JOANA (GRITANDO) — Vô! Vó, me ajude, por favor.

Joana segura Joaquim, que desmaiou. Marta corre até eles.

MARTA (DESESPERADA) — Temos que levá-lo para casa. Agora!

 

——

Todos começam a aplaudir, enquanto Pedro lia mais alguns trechos da Bíblia. De repente Daniel segura, com força, na mão de Alexandra, que se assusta.

ALEXANDRA (ASSUSTADA) — Meu marido,  o que está acontecendo?

DANIEL (COM DIFICULDADE) — Vamos embora, não estou bem.

Ele segura com mais força na mão de Alexandra, que acena para os guardas.

 

——

DANIEL (COM DIFCULDADE) — Alexandra… eu… eu te amo.

A rainha corre até o marido e o abraça.

ALEXANDRA (CHORANDO) — Eu também te amo.

Ele fica imóvel nos braços dela, que chora ainda mais alto. Ela frita desesperada, completamente suja de sangue.

 

——

ALEXANDRA — Intensifique a Caça às Bruxas! Toda a casa onde houve uma morte por conta da praga existe um servo do demônio, as mortes nas casas da plebe foram sacrifícios para o grande objetivo, a morte do rei!

 

——

De repente um forte barulho invade o quarto, como se algo tivesse sido derrubado. Joana se levanta rapidamente.

JOANA — O que é isso?

Dois soldados chegam no quarto, cada um com uma espada na mão.

SOLDADO 1 — Vocês serão presas, bruxas. É uma ordem de rainha Alexandra!

Continuação do episódio anterior…

CENA 1/CASA DE MARTA E JOAQUIM/QUARTO DE JOAQUIM E MARTA/INT./NOITE

Os soldados começam a caminhar lentamente na direção das mulheres, que ficam sem reação, extremamente assustadas. Após alguns segundos, Marta segura na mão da neta.

MARTA (GRITANDO) — Fuja, querida! Você tem uma vida inteira pela frente, já eu sou uma velha a beira da morte!

Joana começa a chorar, enquanto os soldados se aproximavam.

SOLDADO 1 — Ninguém fugirá!

Marta é rápida. Pega um vaso com flores que estava ao seu lado e golpeia um dos soldados na cabeça, enquanto o outro avança para auxiliar o amigo, Joana olha para a avó, que sorri.

MARTA — Vá, agora!

JOANA — Eu irei salvá-la!

Os soldados viram-se, mas já era tarde. Joana rapidamente pula a cama e corre para fora do quarto.

SOLDADO 2 — Tenha certeza que este ato será incluido em sua pena, velha bruxa!

O soldado puxa Marta, derrubando-a no chão de joelhos, em seguida lhe dá um chute no rosto. O outro soldado faz o mesmo.

SOLDADO 1 — Agora levante-se diaba, nossa soberana lhe aguarda!

CENA 2/FLORESTA/EXT./NOITE

Após muito correr, Joana ajoelha-se no chão, sob as imensas árvores e começa a chorar.

JOANA (CHORANDO) — Minha família foi destruída!

Ela se arrasta, aproximando-se mais do tronco de uma das árvores, o choro aumenta.

JOANA (CHORANDO) — Abandonei minha avó para que fosse morta.

Ela enxuga as lágrimas com o vestido.

JOANA — Eu prometo fazer o possível para resgatá-la das mãos daquela rainha louca!

Amanhece

CENA 3/CASTELO/QUARTO REAL/VARANDA/EXT./DIA

Alexandra extava debruçada no pequeno muro da varanda, observando dezenas de pessoas, homens, mulheres, adultos e crianças, chegando algemados, acompanhados de soldados.

ALEXANDRA — Maravilhoso!

Frei Pedro entra e caminha até a rainha.

PEDRO — Com sua licença, soberana. A masmorra se enche mais a cada minuto.

Alexandra sorri, enquanto Pedro caminha até ficar ao lado dela.

ALEXANDRA — Frei, vamos iniciar o mais rápido possível o julgamento. Quanto mais cedo acabarmos com isto, melhor.

PEDRO — Com toda a certeza, soberana. É nosso dever expulsar do mundo todo tipo de demônio.

ALEXANDRA — Então vamos.

A rainha começa a caminhar para fora dali, acompanhada do frei.

CENA 4/CASTELO/MASMORRA/INT./DIA

Marta é jogada em uma das celas, ao lado de outras mulheres. A senhora cai no chão de joelhos, no entanto recebe ajuda de outra presa. Era uma mulher, com aparentemente a mesma idade de Marta, cabelos grisalhos presos em uma trança mal-feita e vestido sujo de terra.

MARTA — Ana? É você minha amiga?

A mulher sorri, fazendo que sim com a cabeça.

ANA — Faz tanto tempo que não nos vemos não é mesmo?

As duas sorriem e se abraçam, enquanto mais mulheres são colocadas ali dentro.

MARTA — Ao menos tudo isso auxiliou em nosso reencontro.

ANA — Aonde estão Joaquim e Joana?

Marta fica em silêncio.

MARTA — Irei contar tudo a você, minha amiga.

As duas se afastam da porta, aproximando-se da parede.

CENA 5/FLORESTA/EXT./DIA

Joana terminava de se vestir, após um rápido banho em um rio que cortava a floresta, onde costumava buscar água. De repente ela se assusta com um barulho vindo de entre as árvores.

JOANA (ASSUSTADA) — Quem está aí?

Ninguém responde, o que aumenta aina mais seu medo. Joana abaixa-se e pega uma pedra, preparando-se para jogá-la caso necessário.

JOANA (GRITANDO) — Apareça!

Dois soldados saem do meio das árvores, eram o mesmo que haviam invadido sua casa.

SOLDADO 1 — Você realmente achava que seria tão fácil fugir, feiticeira.

Eles riem e começam a se aproximar dela, levantando as espadas.

CENA 6/CASTELO/SALA DO TRONO/INT./DIA

Alexandra estava sentada no trono que pertencia a seu marido, Pedro em pé ao seu lado. No centro do salão havia uma cadeira e um homem sentado nela, ao redor dele haviam três soldados armados com espadas.

PEDRO — Seu nome, bruxo.

HOMEM — Sebastião, frei. Peço que tenham piedade, tenho que criar meu filho, ele é ainda um bebê e já perdeu a mãe, levada pela peste.

ALEXANDRA — Você não tem mais filho, os bebês de famílias como a sua já foram atirados no rio.

Sebastião fica em silêncio, chocado com a revelção.

PEDRO — Senhora, os soldados encontraram na casa do mesmo alguns livros de bruxaria.

SEBASTIÃO — Não eram sobre bruxaria e demônios, eu sempre fui apaixonado pelos astros de nosso céu e estudei muito sobre eles, anotando tudo naquele livro.

ALEXANDRA — Já defini a sentença, verme. Agora cale-se!

PEDRO — Qual será a sentença, soberana?

ALEXANDRA — Vamos dividí-lo ao meio.

Sebastião fica imóvel, ficando também pálido.

ALEXANDRA — Vamos para a sala da tortura.

A rainha se levanta, os soldados puxam Sebastião tirando-o dali. Assim que os soldados saem, levando o homem, a rainha faz o mesmo, acompanhada de Pedro.

CENA 7/CATELO/MASMORRA/INT./DIA

ANA — Não sabe como fico triste ao ouvir tudo o que aconteceu com sua família, mas posso dizer que eu também vivi tudo isso.

MARTA — Seu marido também faleceu?

ANA — Sim, mas meu filho Leonardo fugiu, assim como Joana.

Marta sorri.

MARTA — Espero que eles sobrevivam, minha amiga.

ANA — Digo o mesmo.

CENA 8/CASTELO/SALA DA TORTURA/INT./DIA

Alexandra estava de pé, ao seu lado o frei Pedro lia um trecho da Bíblia. Sebastião estava pendurado de cabeça para baixo, com as pernas abertas. Um dos três soldados segurava uma serra de metal.

PEDRO — Podem começar!

Alexandra sorri, enquanto o soldado coloca a serra no meio das pernas de Sebastião, outro soldado do lado oposto segura a outra ponta da serra.

SEBASTIÃO (CHORANDO) — Vocês são os verdadeiros demônios do mundo!

ALEXANDRA — Comecem imediatamente!

Os soldados começam a serrar o corpo de Sebastião, que grita desesperado, enquanto sangue desce por seu corpo. Logo o movimento começa a ser mais rápido, cortando completamente o órgão genital do homem e descendo ainda mais, rumo ao abdômen.

ALEXANDRA — Mais rápido, temos muitos julgamentos para fazer antes que o diabo se espalhe pelo nosso reino!

CENA 9/FLORESTA/EXT./DIA

A cada passo que os soldados davam na direção de Joana, ela dava um para trás, buscando sempre fugir deles.

JOANA — Tenham piedade, eu imploro.

SOLDADO 2 — Estamos apenas cumprindo ordens, todos envolvidos com bruxaria devem morrer!

JOANA — Eu não sou uma bruxa!

SOLDADO 1 — Houve morte em sua família, provavelmente um sacrifício ao demônio!

Joana levanta a mão som a pedra, pronta para arremessá-la.

JOANA — Lutarei contra vocês com toda a minha força.

SOLDADO 2 — Ótimo!

Assim que ele terminou de falar, uma flecha atingiu seu pescoço, atravessando-o e fazendo sangue escorrer, espalhando-se por todo seu corpo. Joana gritou, desespearada, enquanto o outro soldado virou-se, procurando o arqueiro dono da flecha.

SOLDADO 1 (GRITANDO) — Apareça, maldito!

O mesmo aconteceu com ele, um flecha cravou em seu pescoço, e em seguida outra cravou em seu olho esquerdo. Sangue escorria por todo seu corpo, formando uma poça no chão. Joana ainda gritava, imóvel.

JOANA (GRITANDO) — Tenha piedade!

Um homem saiu do meio das árvores, com um arco na mão e uma aljava cheia de flechas nas costas. Joana sorriu ao vê-lo.

JOANA — Leonardo?

O rapaz sorriu.

LEONARDO — Eu não permitiria que uma dupla de soldados machucasse minha amiga de infância.

A imagem foca em Joana sorrindo e, em seguida, a tela fica vermelha, suja de sangue.

Anúncios

21 thoughts on “Insane Fears (2ª temporada): Inquisição – Episódio 02

  1. Chocado com Sebastião sendo cortado ao meio 😮 Alexandra muito cruel, e isso vem crescendo cada vez mais. – Joana e Leonardo, desde já, torcendo por essa amizade. ❤ – Mais um ótimo episódio, parabéns 😀 ❤

    Curtir

    • Ainda teremos algumas mortes mais chocantes que essa, prepare-se Flavio. Quero ver até quando durará sua torcida pela amizade.

      Obrigado!

      Curtir

  2. Capítulos curto: Sou igual a você me amaro;
    Escrita: Todos os web autores tem sua marca e a sua para mim é das mais marcantes, entre os outros autores;
    Capítulos: Os capítulos são pequenos, mais são objetivos e não tão tempo para criar barriga.
    Historia-Matéria: Essa já é a sua segunda historia que se passa em alguma época histórica, você deve amar essa matéria.
    Em meio dessa Caça às Bruxas sera que da para surgir um amor?

    O que vem pro ai?
    Já tinha lindo alguns conteúdos de torturas na Idade Media.

    (PARABÉNS) – Felipe Borges!

    Curtir

  3. Acho que eu entendi porque Inquisição está em Insane Fears: o medo insano são os inquisidores, que perseguem Joana, Leonardo e Marta. Em Jogos Mentais, o medo insano era o homem da meia-noite, que perseguia Diana, Hugo, Luan, Maya e Tomás.

    A proposta de Insane Fears é trabalhar o medo do sobrenatural. Jogos Mentais apostou bem pesadamente no sobrenatural (a lenda do homem da meia-noite, o fantasma de Margarete, os pactos de Luan e Margarete e a mediunidade da Maya), enquanto a abordagem de Inquisição está sendo mais compromissada com a realidade nua e crua (as torturas e execuções dos condenados pelos inquisidores), sem deixar de trabalhar com o sobrenatural (a luta dos reis contra o demônio).

    Leonardo salvou a vida de Joana. Com isso, os dois se unirão para tentar invadir o castelo, salvar Ana e Marta e fugir com elas para um local seguro. Então, os dois se declararão um ao outro, se envolverão amorosamente e todos viverão felizes para sempre. Espero que não… não por ser um clímax e desfecho previsíveis, mas sim pela ideia de juntar Leonardo e Joana soar forçada.

    Curtir

    • Exatamente, Glay. Os inquisidores são aqueles que irão despertar os medos insanos propostos pela série.

      Acertou novamente, diferente da temporada anterior, “Inquisição ” está mais ligada com a realidade, o que não impede que alguns fatos sobrenaturais aconteçam, mas em uma escola infinitamente menor.

      Será mesmo que vai acontecer como você listou? Só aguardando o próximo episódio.

      Obrigado!

      Curtido por 1 pessoa

  4. Completamente chocado com as sequências… Alexandra é de uma crueldade sem fim, Pedro idem. Essa cena que partiram o homem ao meio, que agonia eu senti enquanto lia… E a cena que Leonardo salva Joana e acerta fechas no pescoço dos soldados foram igualmente tensas. A trama trilha mais para o horror, e isso vem sendo passado com competência.

    O episódio girou em torno da punição para os “servos do demônio”, como Alexandra insiste em dizer, e na fuga de Joana. Felizmente, ela encontrou um parceiro para caminhar com ela nessa jornada.

    Excelente episódio, parabéns, Felipe 😀

    Curtir

    • Pedro e Alexandra são realmente cruéis, mas logo serão punidos por tudo o que estão fazendo, ou não kkkk
      Fico feliz ao saber que minha abordagem mais voltada para o terror tem agradado.
      Será mesmo que Leonardo poderá ajudá-la?

      Obrigado, Jean!

      Curtir

  5. Primeiramente quero me desculpar por não aparecer na estreia do luxo.
    Olha a web até agora apresenta alto teor de horror, o que é bom.
    Gostei da estreia (sim, eu li novamente, e adorei mais ainda)
    Parabéns ❤❤

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s