Um Amor e Duas Realidades – Capítulo 09

“Esse momento mágico, único, sublime, magnífico, tão cheio de sentimento e romantismo é embalado pela calmaria da noite que emana ternura e amor… Singelamente, os corações de Alex e Afrodite se encontram nesse ato amoroso, formando assim, um único coração… Um coração selado e extremamente apaixonado!… Enquanto eles fazem amor por entre aquelas flores tão delicadas, a lua cheia parece brilhar com mais intensidade e poeticamente, eles são presenteados por uma extraordinária chuva de estrelas cadentes”

———————————————————————————————————————————————————–

(Dentro do salão, todos ficam alvoroçados com o sumiço de Afrodite; Ruez senta Marieta à mesa, que continua desmaiada e se aproxima de Bruna)

RUEZ (preocupado)
Como assim a Afrodite sumiu, Bruna? O que você está falando, menina?

BRUNA
Sumiu, seu Ruez… Ela não está no lugar onde combinamos. Ela desapareceu!

(Ruez não sabe o que fazer e começa a andar de um lado para o outro; Bruna vai até a janela e vê Alex e Afrodite juntos e sorri, maliciosamente; Frederick vê Bruna sorridente e se aproxima dela)

FREDERICK (desconfiado)
Está feliz, Bruna?

(Bruna se assusta e entra na frente de Frederick, impedindo a visão dele para fora da janela)

BRUNA
Feliz? Por que eu estaria feliz, Frederick? A minha amiga sumiu.

FREDERICK
E você tem alguma coisa a ver com esse sumiço?

BRUNA
Claro que não, né, Frederick… Mas que pergunta mais sem fundamento… Vá lá dar assistência ao seu sogrão. Vá!

(Bruna sorri forçadamente e mesmo desconfiado, Frederick se aproxima de Ruez; Bruna olha novamente Alex e Afrodite)

BRUNA (resmungando)
Safadinhos esses dois, hein!…

(Bruna ri, sozinha; Algumas pessoas procuram por Afrodite, outras acodem Marieta e alguns amigos de Ruez lhe dão assistência; Frederick se aproxima de Ruez)

FREDERICK
Seu Ruez, não acha melhor procurarmos a Afrodite não?

RUEZ
Procurem vocês, ela não deve estar longe… Eu vou acionar a polícia.

FREDERICK
Ok! Eu e meus amigos procuraremos em torno do salão e da mansão… Vamos lá, pessoal!

(Frederick sai com os seus amigos e Ruez sai do salão nervoso; Lentamente, Marieta vai despertando do desmaio)

MARIETA
O que foi que aconteceu?

(Marieta não se lembra de nada e põe a mão na cabeça, com cara de tontura)

———————————————————————————————————————————————————–

(Frederick e os amigos procuram em todos os cantos e não encontram Afrodite, sem se darem conta que existe um campo florido atrás da mansão)

FREDERICK
Acho melhor pararmos a procura… A Afrodite não está em nenhum lugar. Mas onde será que ela se meteu?

(Frederick olha de um lado para o outro e nem vê que Alex e Afrodite se amam atrás dele)

———————————————————————————————————————————————————–

“Mansão dos Smith”

(Bastante preocupada, Marieta está sentada no sofá; Maria dos Prazeres serve um copo d’água para Marieta; Irritado, Ruez bate forte o telefone)

RUEZ
Bando de incompetentes!

(Ruez se aproxima e Marieta se levanta)

MARIETA
E aí, Ruez? O que eles disseram?… Eles vão procurar a nossa filhinha?

RUEZ
A polícia disse que ainda está cedo para pânico e tem que esperar pelo menos 24 horas para eles começarem as procuras e blá, blá, blá… Se eu pudesse, eu mandaria prender esses imprestáveis de uma vez.

MARIETA
Não, não podemos esperar… A minha filhinha pode estar em perigo, sequestrada ou… Ou até… Até morta, Ruez!… Ai, eu acho… Acho que vou…

(Marieta desmaia no chão e Ruez se afasta, nervoso; Marieta abre o olho esquerdo e olha para Ruez)

MARIETA
Ruez… Você não vai me socorrer, não?

RUEZ
Ah, Marieta, eu não estou com paciência para os seus faniquitos… Faça-me favores!

(Marieta não gosta e olha para Maria dos Prazeres, que a olha também)

MARIETA
E você, lesma? Está esperando o que para me levantar desse chão duro?

(De imediato, Maria dos Prazeres levanta Marieta, com dificuldade, e ajeita a sua roupa)

RUEZ
Onde será que está a minha menininha?…

(Os olhos de Ruez enchem de lágrimas e seu coração transborda de preocupação)

———————————————————————————————————————————————————–

Ah… Doce aurora… O horizonte se alumia com o despontar do sol que nasce ávido, límpido… Lindo! Um novo dia, de uma linda história para os dois apaixonados que estão cheios de amor. Alex e Afrodite, deitados por entre as flores, dormem abraçados.

(Afrodite vai despertando lentamente e se desespera ao ver o raiar do dia)

AFRODITE
Já é dia… Alex, o que nós fizemos?

(Afrodite se levanta rapidamente e começa a por seu longo e rodado vestido de festa; Alex acorda e se espreguiça, satisfeito)

ALEX
Bom dia, minha deusa!

(Alex sorri para Afrodite, que aparenta nervosismo; Alex se levanta e ajuda Afrodite a abotoar o vestido)

AFRODITE
Alex, a gente não deveria… Papai vai me matar quando eu chegar à mansão… Ai, meu Deus do céu, eu estou frita!

(Sereno, Alex alisa o rosto de Afrodite e olha no fundo dos seus olhos)

ALEX (sussurrando)
Foi a melhor noite da minha vida!

(Um espontâneo sorriso surge no rosto de Afrodite)

AFRODITE
Da minha também!

(Afrodite também sussurra para Alex, que sorri e a beija; Alex pega o pacote que estava um pouco afastado e o dá para Afrodite)

AFRODITE
O que é isso?

ALEX
Um presente!… Abra-o!

(Feliz, Afrodite abre o pacote e se encanta ao ver um caixinha de música em formato de coração; Afrodite abre a caixinha e se delicia com a doce melodia “Fur Elise” e com a pequenina bailarina de mármore que gira em círculos)

AFRODITE
Que linda a bailarina… Adorei, meu príncipe!

(Afrodite beija Alex, que em seguida sorri)

ALEX
É pra você sempre se lembrar de mim… Quando estiver com saudades, pegue a caixinha e se delicie com essa doce melodia que declama todo o amor que sinto por você.

(Emocionada com as lindas palavras ditas por Alex, Afrodite sorri e tira a fita rosa de seu vestido)

AFRODITE
E isso aqui é para você se lembrar de mim também…

(Afrodite põe a fita no pescoço de Alex; Alex e Afrodite riem)

AFRODITE
Sempre quando estiver com saudade… Pegue essa fita, que representa o laço do nosso amor.

(Fazendo um laço na fita, Afrodite conclui a sua fala)

AFRODITE
E que esse laço nunca se desfaça.

(Alex e Afrodite se olham nos olhos, sorriem e por fim, se beijam lentamente)

———————————————————————————————————————————————————–

(Cautelosa, Afrodite entra na mansão, com seus sapatos altos na mão e vai subindo as escadas na pontinha dos pés; Cidinha a surpreende)

CIDINHA
Aonde é que você estava, Afrodite? Você quase nos matou do coração, menina…

(Afrodite faz sinal para Cidinha calar-se e se aproxima dela; Afrodite puxa Cidinha pela mão e elas sentam-se no sofá)

AFRODITE
Fale baixo, Cidinha…

CIDINHA (preocupada)
Afrodite, aonde você estava?… Você está diferente, não me diga que…

(Sorrindo, Afrodite concorda com a cabeça; Cidinha fica boquiaberta)

CIDINHA (desolada)
Afrodite, o que foi que você fez?…

AFRODITE (emocionada)
Ai Cidinha, foi a noite mais linda da minha vida, foi tudo tão romântico e perfeito… Eu estou muito feliz, muito feliz!

(Afrodite sorri e Cidinha não aprova a atitude, mas também sorri; Preocupados, Ruez e Marieta descem as escadas)

MARIETA
Minha filha, que bom que você apareceu!

(Assustada, Afrodite joga a caixinha de música no sofá e se levanta-se, seguida de Cidinha; Marieta abraça Afrodite, mas rapidamente Ruez as afasta)

RUEZ
Onde que você se meteu, Afrodite? Hein?

AFRODITE
Eu… É… Eu… Eu estava cansada e… E vim dormir, papai.

RUEZ
Dormir? Mas onde você dormiu?… Porque no quarto você não estava.

AFRODITE (nervosa)
É…

(Temerosa, Afrodite olha para Cidinha)

CIDINHA
Ela… Ela foi dormir no meu quarto, seu Ruez. Foi isso.

(Afrodite sorri e concorda com a cabeça)

AFRODITE
Isso papai… O tempo todo eu estava no quarto de Cidinha, dormindo.

MARIETA
E por quê? Por que não foi para seu próprio quarto, minha filha? O colchão do seu quarto é mil vezes superior ao da Cidinha, né, menina?

AFRODITE
Ah, mamãe, eu estava exausta e o quarto da Cidinha fica mais próximo… Também estava triste, não queria ficar naquela festa, caí na cama e dormi direto. Só acordei agora, acreditam?

(Ruez e Marieta ficam desconfiados; Afrodite sorri, beija a bochecha dos pais, pega a caixinha de música do sofá e sobe as escadas, correndo; Ruez fica intrigado e encara Cidinha, que esconde seu medo de ser descoberta)

———————————————————————————————————————————————————–

“Dois meses depois”

Nesses dois meses muitas coisas acontecem… Maria dos Prazeres e Bené vivem debaixo do mesmo teto, feito uma família feliz, juntamente com Fábio, que agora ganhou um novo pai. As notas de Tico despencam e seu rendimento escolar agrava consideravelmente, devido à ausência do pai. Como já era espevitada, Tina piora e agora por tudo se irrita. Às vezes, Tânia finge que vai para a escola, mas encontra-se com Quinho e depois volta a tempo de ir para casa com os irmãos, sem que ninguém descubra. Maria das Graças deixa toda a sua alegria de lado e torna-se uma mulher amargurada e come compulsivamente para tentar preencher o vazio que está em seu coração. E por fim, Alex e Afrodite namoram escondidos, até que um dia, Frederick descobre e fica furioso.

(Em seu quarto, Bruna está sentada à penteadeira, amarrando seu cabelo em ‘rabo de cavalo’; Sem nem bater, Frederick entra, raivoso)

FREDERICK
Bruna, precisamos conversar.

BRUNA
Eu hein, não bate mais na porta não, é? E se eu tivesse pelada?

FREDERICK
Eu não vim pra brincadeira, Bruna! Eu estou numa crise séria.

BRUNA
O que foi que aconteceu?

FREDERICK
A Afrodite e o favelado estão namorando escondidos… Ah, mas eu vou contar tudo pro seu Ruez, ah se vou. Acabarei com essa palhaçada de uma vez por todas.

(Bruna se levanta e se aproxima de Frederick)

BRUNA (ardilosa)
Pra que todo esse alvoroço, Frederick? Não vai adiantar nada você sair espalhando isso pra todo mundo, porque a Afrodite continuaria gostando e correndo atrás do Alex… Frederick, entenda uma coisa de vez… Mulher apaixonada é capaz de mover céus e terra pelo grande amor da sua vida.

(Bruna e Frederick se olham de uma forma profunda e a amizade que Bruna sente por Frederick, se transforma em algo mais lascivo e sensual; Frederick percebe e se afasta)

FREDERICK
E aonde você quer chegar?

BRUNA
Nós precisamos bolar um plano… Um plano que faça a Afrodite detestar o Alex, uma coisa que os separe para sempre.

FREDERICK
Sim, mas o que seria?

BRUNA
Não sei, algo que fizesse a Afrodite perder a confiança no Alex de vez… Isso, eureca! Acabo de ter uma ideia perfeita, Frederick… A Afrodite odiará o Alex para todo o sempre.

(Bruna fica contente e Frederick fica curioso)

FREDERICK
Plano?

BRUNA
Sim… Eu vi num filme antigo, tenho certeza que dará certo!

(Maliciosa, Bruna sorri; Frederick sorri, esperançoso)

FREDERICK
E que plano é esse?

BRUNA
Faremos o seguinte…

(Bruna explica passo a passo do plano e atento, Frederick ouve com um sorriso nos lábios)

———————————————————————————————————————————————————–

“Alguns dias se passam”…

(Na Mansão dos Smith, Afrodite está em seu quarto, sentada à penteadeira passando pó-de-arroz e Bruna está em pé, atrás dela)

BRUNA
O Frederick está lá na sala te esperando, Afrodite… Parece que ele tem uma surpresa pra você.

AFRODITE
Surpresa? Mas que tipo de surpresa?

BRUNA
Uma surpresa que tenho certeza que você adorará.

AFRODITE
Ai, só espero que não seja essa insistência em me namorar… Vamos, antes que ele se canse de tanto me esperar.

(Afrodite fala, levantando-se da cadeira)

BRUNA
Vai indo na frente, Afrodite… Eu… Eu preciso retocar a minha maquiagem, você deixa eu usar a sua?

AFRODITE
Claro que sim, Bruna. Fique à vontade!

(Bruna sorri e agradece; Depois de um simpático sorriso, Afrodite sai do quarto; Bruna olha para fora do quarto e fecha a porta; Bruna vai até o porta-joias de Afrodite e pega um lindo colar de pérolas e sorri, olhando aquela luxuosa joia que cintila à luz da lâmpada; Com um sorrisinho sacana, Bruna guarda o colar em sua bolsa e sai do quarto; Na sala, Frederick cumprimenta Afrodite, beijando a sua mão, enquanto Ruez e Marieta observam sorridentes; Sorrateira, Bruna desce as escadas lentamente e escondida, sai da mansão)

———————————————————————————————————————————————————–

(Na parte de trás da mansão, Alex está parando, olhando para o campo florido e lembrando-se da noite que passara com Afrodite; Bruna aparece por trás de Alex e põe a mão em seu ombro)

BRUNA
Demorei?

(Alex olha para Bruna e sorri)

ALEX
Não, imagina…

BRUNA
Está preparado?

ALEX
Bem… Eu… Eu estou com um pouco de medo, mas… Vou até o final.

(Enquanto Alex fala, Bruna põe o colar no bolso de sua jaqueta)

BRUNA
Vai dar tudo certo, bobinho… Entendeu o esquema, né? Você vai ficar no quarto da Afrodite até ela entrar, daí vocês… Você me entende, né?

(Sacana, Alex ri)

BRUNA
Agora vá! Antes que alguém apareça.

(Alex sorri e sobe pela sacada do quarto de Afrodite; Bruna observa com um sorriso maléfico nos lábios)

BRUNA
Ai, ai… Alex, Alex… Você é mais tonto do que eu pensava.

(Bruna ri, com a mão na boca)

———————————————————————————————————————————————————–

“Algum tempo depois”

(Ruez, Marieta, Afrodite, Frederick e Bruna estão na sala, tomando refresco; Maria dos Prazeres passa recolhendo a taça de todos, menos a de Afrodite que ainda não acabara de beber)

MARIETA
É ótimo recebê-los no nosso lar, Frederick e Bruna… Bruna porque é a melhor amiga de Afrodite e Frederick… Ah Frederick, nada me faz mudar de que você é o príncipe da minha filha.

(Frederick sorri e olha para Afrodite, que desvia o olhar, fazendo cara de reprovação)

BRUNA (mentindo)
Que barulho foi esse? Vocês ouviram?

(Todos negam)

MARIETA
Barulho… Eu não ouvi barulho nenhum. E você, meu bem?

RUEZ
Também não.

BRUNA
Eu ouvi, foi barulho de passos… Será que tem alguém no quarto da Afrodite? Algum ladrão?… Quando eu saí de lá, esqueci de fechar a janela… Será que alguém invadiu a mansão?

(Já nervosa, Marieta se levanta histérica)

MARIETA
Ah, Ruez, vamos ver isso… Pode ser perigoso!

(Marieta sobe as escadas, Ruez e Afrodite vão atrás, preocupados; Frederick e Bruna se entreolham e sorriem maldosamente)

———————————————————————————————————————————————————–

(Afrodite, Marieta e Ruez entram no quarto e dão de cara com Alex, que faz cara de espanto)

AFRODITE
Alex?…

(Confusa, Afrodite olha para Alex, que não sabe o que fazer; Ruez e Marieta não gostam de ver Alex ali)

RUEZ
O que você faz aqui, seu favelado?… Eu já não disse que quero você longe da minha filha?

(Irritado, Ruez aperta o braço de Alex, que tenta soltar-se)

MARIETA
Ruez, ele só pode ter vindo assaltar-nos, meu bem… Vamos chamar a polícia!

AFRODITE
Não, não… O Alex seria incapaz disso. Ele é honesto!

FREDERICK
Já eu suspeito!

(Sincronizados, todos olham para Frederick, que sorri)

ALEX
Suspeita?! Eu posso provar… Eu vou provar pra vocês que não sou…

(Alex fala, tirando todos os seus bolsos para fora, mas se surpreende ao pegar o colar; Surpresa, Afrodite deixa sua taça cair no chão)

ALEX
O que isso está fazendo aqui?

(Sem entender, Alex olha o colar)

MARIETA
Afrodite, esse não é o seu colar de pérolas, filha? O colar que você usou na sua festa de aniversário?

AFRODITE
Sim… É o colar que o senhor me deu, papai!

(Afrodite pega o colar e o olha, minuciosamente)

AFRODITE
O colar que era da vovó… Alex, como teve coragem de me roubar?

RUEZ
Ah, rapaz, você sairá daqui algemado… Você chamar a polícia agora mesmo.

MARIETA
Isso mesmo, Ruez! Cadeia nesse… Faveladinho de meia boca!

ALEX
Não, Afrodite… Eu não te roubei, eu nunca faria uma coisa dessas, confia em mim, minha deusa!

(Alex tenta se explicar com os olhos marejados; Alex pega na mão de Afrodite e olha no fundo dos seus olhos, que também estão tristes)

AFRODITE
Como posso acreditar em você, Alex? Não tem como… Você ia me roubar, roubar uma joia que é de família. Eu não falo pelo colar, pois essas pérolas, como um dia foi do mar, elas podem se acabar, mas o nosso amor… Esse eu pensei que fosse eterno, mas… Você, com essa atitude horrível, tão baixa, tão… Ah! Você me decepcionou grandemente, Alex!… É com grande pesar no coração que afirmo isso… O nosso amor acabou!

“Alex leva um baque com essa notícia e deixa uma lágrima cair; Afrodite solta a mão de Alex e se afasta, põe-se na janela aberta e olhando para a lua, também deixa uma lágrima rolar em seu rosto tristonho; Maria dos Prazeres, que passava pelo corredor com uma trouxa de roupa suja nas mãos, vê a situação e sorri, vitoriosa; Ruez, Marieta, Frederick e Bruna encaram Alex, enquanto ele, triste, chora essa dolorosa situação”

“O plano de Frederick e Bruna dá mais certo do que o previsto, parece que eles, finalmente, saíram vitoriosos dessa, pois Afrodite rompera com Alex, para a felicidade de todos aqueles que estavam contrário a esse romance tão cordial e que parecia tão firme, a ponto de parecer inacabável”

ALEX: Afrodite, você tem que acreditar em mim… Eu não peguei esse colar.

AFRODITE: Como não, Alex? O colar estava no bolso da sua jaqueta… Não tem nem explicação! Você invadiu o meu quarto e iria me roubar… Como pôde, Alex? Eu que sempre acreditei em você, no seu amor… No seu caráter.

ALEX: Eu já falei que não roubei nada, Afrodite! Só porque eu sou pobre, eu não quer dizer que eu seja ladrão, poxa… Será que você não confia mesmo em mim?

(Os olhares de ambos se encontram, sofridos; Afrodite se balança, mas Frederick se intromete)

FREDERICK: Claro que você não deve acreditar nele, Afrodite… Alguém que venho da favela, entrou na sua mansão e foi pego com a boca na botija roubando a sua joia… Não merece nenhum tipo de confiança.

(Alex fica enfurecido e encara Frederick, que sorri maleficamente, deliciando-se com a derrocada de seu rival; Injustiçado, Alex olha para Afrodite, que ainda chora)

ALEX: E você, Afrodite? Não vai mesmo confiar em mim?

(Desolada, Afrodite suspira e abaixa a cabeça)

AFRODITE: Desculpa, Alex, mas…

(Nesse instante, os olhos de Alex enchem-se de lágrimas e Afrodite então retorna a olhar para ele)

AFRODITE: Não posso confiar mais em você. Isso não tem perdão… Acabou de vez!

(Essas palavras entram no coração de Alex como uma espada afiada, ferindo-o terrivelmente; Ainda chorando e completamente magoado, Alex olha para Afrodite, seca as suas lágrimas, encarando-a e sai do quarto sem nem dizer nenhuma palavra; Arrasada, Afrodite suspira e deixa uma lágrima cair)

RUEZ: Se ele pensa que vai fugir, está muito enganado… Eu vou chamar a polícia para esse ladrãozinho mequetrefe.

(Irreverente, Marieta concorda com a cabeça; Ruez ia saindo do quarto, mas Afrodite se apressa e pega em seu braço)

AFRODITE: Não faça isso, papai.

(Estranho, Ruez olha para Afrodite)

BRUNA: Mas Afrodite, ele estava furtando o seu belíssimo colar de pérolas, amiga… Ele merece sim pagar por isso.

MARIETA: É mesmo, minha filha, a Bruna está certíssima! Ele tem que ir preso sim… Ruez, vá chamar a polícia agora mesmo.

(Ruez concorda, mas Afrodite o impede novamente de sair)

AFRODITE: Do que adianta o Alex ir preso se ele não terá mais meu amor? Não precisa denunciá-lo, papai… Depois disso, depois desse acontecimento tão… Deplorável, eu quero distância dele. (suspiro) A partir de hoje, eu nunca mais quero saber do Alex… Nunca mais!

(Afrodite deixa transparecer toda a sua tristeza e os seus olhos preenchem-se de lágrimas amargas; Ruez se conforma e fica mais aliviado ao ouvir tal coisa da filha; Marieta fica contente; Maledicentes, Frederick e Bruna se entreolham e sorriem vitoriosos)

———————————————————————————————————————————————————–

(Maria dos Prazeres, que espia tudo do corredor, se satisfaz)

MARIA DOS PRAZERES: Ainda bem… Finalmente esse namoro acabou! Finalmente! Agora é só empurrar Fábio pra cima da Afrodite e assim forjar um casamento por interesse… Maria dos Prazeres, um dia você ainda será rica! Ah!…

(Ardilosa, Maria dos Prazeres sorri e sai de cena, carregando a trouxa de roupas sujas)

———————————————————————————————————————————————————–

(Transtornado, Alex sai da mansão aos prantos e senta-se no meio-fio da calçada da mansão; Adamastor, que descansava no carro, vê Alex e vai até a ele)

ADAMASTOR: Alex, o que você está fazendo aqui, rapaz?… E por que você está chorando?…

(com o rosto molhado, Alex olha para Adamastor, que aparenta preocupação)

ALEX: Acabou de vez, seu Adamastor… A Afrodite não quer mais saber de mim.

(Adamastor fica chocado ao receber tal notícia)

ADAMASTOR: Co… Como assim, Alex?

ALEX: Acabou… O amor que a Afrodite dizia sentir por mim, parece ter virado pó e desapareceu… Acabou!

(Alex se levanta e sai correndo, chorando; Adamastor fica triste e preocupado; Alex vai até o campo florido e chora mais ainda; Alex deita-se por entre as flores e mergulhado em lágrimas, lembra-se de todos os momentos que passara com Afrodite)

———————————————————————————————————————————————————–

(Ainda no quarto, Afrodite está sentada na cama e Bruna está lhe dando apoio, fazendo-lhe cafuné na cabeça e passando a mão em seus cabelos)

BRUNA: (dissimulada) Não chores, minha amiga…

(Bruna finge aparentar tristeza e discreta, olha para Frederick, que não consegue esconder a tamanha felicidade que está sentindo)

MARIETA: É, minha filha, não chore por aquele favelado… O seu rímel importado é muito caro pra ser desperdiçado por alguém que não tem nem onde cair morto, um favelado!

(Afrodite suspira e seca suas lágrimas com as duas mãos)

AFRODITE: Vocês poderiam me deixar sozinha, por favor?

FREDERICK: Afrodite, antes eu tenho uma surpresa pra você… Tenho certeza que você adorará.

AFRODITE: Desculpa, Frederick, mas agora eu não estou com cabeça… Vocês me dão licença, por favor? Eu preciso ficar sozinha por um tempo.

MARIETA: Tá bom, minha filha, já que você quer… Mas, antes eu quero parabenizá-la por essa sua atitude magnífica, Afrodite. Você representou com maestria o sangue Smith que carrega nas veias, não é mesmo, meu bem?

(Ruez sorri e Marieta lhe dá uma bitoca)

BRUNA: Vamos sair, gente… A Afrodite precisa ficar sozinha, refletir em tudo o que está acontecendo…

(Bruna fala levantando-se e em seguida pega a mão de Afrodite)

BRUNA: Amiga, saiba que você pode contar comigo pra tudo… Em qualquer hora! Sempre estarei disposta a te ajudar e te oferecer meu apoio, meu ombro de amiga.

(Afrodite olha para Bruna e sorri)

AFRODITE: Sei que posso confiar em você, Bruna… Você é a melhor amiga que eu tenho.

(Bruna sorri e beija a bochecha de Afrodite; Todos saem do quarto e triste, Afrodite se levanta da cama, ainda chorando)

AFRODITE: Tantos planos, tantas promessas, tantos momentos de amor… Tantos beijos carinhos, abraços apartados e singelos, quantas juras de amor… Poemas declamados a qualquer hora, as mais belas doces palavras que todas as mulheres gostariam de ouvir… Tanto romantismo de um príncipe que parecia encantado e tão perfeito… Por que será que o Alex queria me roubar? Será que o nosso amor já não era suficiente o bastante?… Será que ele me amava de verdade? Será?

(Afrodite fala caminhando lentamente pelo quarto e em seguida senta-se à penteadeira, concluindo a fala, olhando para o espelho; Afrodite pega a caixinha de música e se delicia com a doce melodia; Pela fresta da porta entreaberta, Ruez se entristece ao ver o estado lamentável da filha)

———————————————————————————————————————————————————–

O dia amanhece triste, o sol não brilhou como o de costume e o céu estava com um nublado tenebroso e amedrontador.

(Maria das Dores está em casa, preocupada, olhando constantemente para o relógio de parede; Alex entra cabisbaixo e Maria das Dores o abraça, fortemente)

MARIA DAS DORES: Meu filho, que bom que você chegou… Nem consegui dormir de tanta preocupação.

(Maria das Dores se afasta lentamente e enxerga tristeza em Alex, que mal lhe olha nos olhos)

MARIA DAS DORES: Que cara é essa, filho?… Você está triste?

(Alex deixa uma lágrima cair e Maria das Dores a seca, preocupada)

ALEX: A Afrodite, mãe… Ela terminou tudo comigo!

(Maria das Dores fica triste e Alex a abraça fortemente, já aos prantos; Maria das Dores também chora com a tristeza do filho)

———————————————————————————————————————————————————–

“Mansão dos Smith – Quarto de Afrodite”

(Com os olhos inchados de tanto chorar, Afrodite está sentada a penteadeira, ouvindo a doce melodia que ecoa da mimosa caixinha de música; Afrodite chora; Ouve-se dois socos na porta e Frederick entra, educadamente)

FREDERICK: Posso entrar?

AFRODITE: Frederick?!

(Afrodite se levanta da cadeira e seca as suas lágrimas com a mão)

AFRODITE: O que faz aqui tão cedo?

FREDERICK: Vim para saber se você está melhor e também te mostrar a surpresa, que queria contar ontem.

AFRODITE: Ah, bem eu não estou, mas… E que surpresa é essa?

(Frederick sorri, causando suspense)

FREDERICK: Você não vai acreditar… A agência de modelos mais cobiçada do país está atrás de novos talentos… Eles farão uns testes para selecionar os melhores e levar para fora do país… Isso não é demais? Afrodite, essa é a nossa chance de viver no estrelato. Imagina só eu e você em Nova York, Paris… Milão… Essa é a nossa oportunidade de sermos famosos!

(Vaidoso, Frederick sorri e Afrodite continua séria)

AFRODITE: Desculpa, Frederick, mas essa surpresa não me gerou nada… Eu nunca quis ser modelo e não estou nem um pouco a fim de viver no estrelato… Gosto de ser como sou.

(Frederick fica desolado, mas não perde as esperanças)

FREDERICK: Eu vou deixar a proposta em aberto, até porque a seleção é daqui a alguns dias e ainda tem tempo de você mudar de ideia.

(Frederick dá uma piscadela para Afrodite, que sorri por gentileza; Afrodite fica tonta, seus olhos vão se fechando lentamente e ela cai no chão, desmaiada)

FREDERICK: Afrodite!

(Frederick corre para acudir Afrodite e se desespera ao perceber que ela não responde aos seus comandos)

———————————————————————————————————————————————————–

“Horas Depois”

(No hospital, após Afrodite fazer alguns exames, ela espera o resultado juntamente com Marieta, que lhe acompanha apreensiva)

MARIETA: (preocupada) Então, doutor… O que a minha filha tem? É grave?

(O doutor ri)

DOUTOR: Grave? Mas de jeito nenhum senhora, muito pelo contrário… A sua filha está perfeitamente bem!

MARIETA: Mas… Então por que esse desmaio? Ela nunca desmaiou, sempre foi tão forte…

DOUTOR: O desmaio foi em decorrência de um fato.

AFRODITE: Fato? Que fato, doutor?

(Afrodite fica nervosa, esperando a resposta do doutor, que causa suspense)

DOUTOR: Parabéns, menininha… Você será mamãe!

(Afrodite se surpreende e o olha com cara de espanto)

MARIETA: (escandalosa) O quê?! Mas… Como assim? O senhor só pode estar louco, doutor… A minha filha será mãe… Isso é uma piada, né?

DOUTOR: Não é piada não, senhora… A sua filha está realmente grávida.

AFRODITE: Grávida?!

(Inconformada, Marieta se levanta e começa a andar de um lado para o outro)

MARIETA: Não, isso não pode ser verdade, doutor. O senhor está mentindo, claro que está!… Ai… Eu acho que vou…

(Marieta desmaia e cai no chão; O doutor vai acudi-la)

DOUTOR: Senhora! Fale comigo… Senhora!

(Afrodite põe a mão em sua barriga e um leve sorriso espontâneo desponta em seus lábios)

AFRODITE: (feliz) Grávida…

“Alisando a barriga, Afrodite sorri o sorriso mais terno que já dera em toda a sua vida…Seus olhos brilham a real felicidade e seu coração transborda-se de afeto e amor que já sente por aquele fruto que está em seu ventre; O médico tenta acordar Marieta, mas ela nem sequer abre os olhos, permanecendo imóvel, estirada naquele chão gélido do hospital;Completamente transformada, Afrodite esquece toda a tristeza que estava sentindo e aquela doce notícia lhe trás a felicidade de volta… Desta vez, uma lágrima de alegria percorre pelo resplandecente rosto da mais nova mamãe, a doce e meiga Afrodite”

AFRODITE
Grávida… Eu estou grávida!

(Emocionada, Afrodite sorri, alisando e olhando para a sua barriga)

———————————————————————————————————————————————————–

“Mansão dos Smith – Quarto de Afrodite”

(Sorrindo, Afrodite está sentada na cama; Cidinha se levanta boquiaberta)

CIDINHA (surpresa): Grávida?!

AFRODITE: Uhum!

(Alegre, Afrodite concorda com a cabeça)

AFRODITE: Ai, Cidinha, eu estou tão feliz… Quando eu recebi a notícia parece que a felicidade transbordou dentro do meu coração… Essa notícia foi como uma linda melodia para os meus ouvidos… Pena que o Alex não está mais comigo para compartilharmos essa alegria tão grande…

(Triste, Afrodite abaixa a cabeça e põe a mão na barriga)

CIDINHA (preocupada): E você não vai contar pra ele?

AFRODITE: Ah… Ele é o pai, né? Ele merece saber…

(Emburrada, Marieta entra e bate a porta fortemente, extravasando toda a sua raiva; Afrodite e Cidinha se assustam e olham para Marieta)

MARIETA: É claro que aquele favelado não vai saber de nada.

AFRODITE: Mas, mãe… Ele é o pai da criança.

MARIETA: Ele não vai saber de nada… Ele e nem ninguém.

AFRODITE:Hã? Como assim, mamãe?… Mais dias ou menos dias a minha barriga vai começar a crescer e a gravidez ficará evidente.

(Raivosa, Marieta suspira, não querendo responder)

MARIETA: Cidinha… Saia!

(Marieta aponta seu dedo para a porta, expulsando Cidinha)

CIDINHA: Sim senhora!

(Submissa, Cidinha abaixa a cabeça e ia saindo)

MARIETA: Bico calado, hein, Cidinha… Se esse assunto sair daqui, você já sabe, né?… E mande a Maria dos Prazeres me trazer um chá.

CIDINHA: Sim senhora! Pode deixar, dona Marieta, guardarei isso em segredo a sete chaves.

MARIETA: Acho bom… Agora saia daqui, sua mexeriqueira!

CIDINHA: Com licença!

(Triste, Cidinha olha para Afrodite e sai; Marieta encara Afrodite, que se entristece)

MARIETA: Afrodite, como você me explica isso? Como você apareceu grávida do nada?… Ah, foi naquele dia, né? Mas é claro! O dia da sua festa, que você desapareceu… E a Cidinha já sabia de tudo, por isso te deu cobertura. Não foi?

AFRODITE: Não! A Cidinha não sabia de nada… Não foi nada planejado, simplesmente aconteceu…

(Com olhar saudoso, Afrodite sorri)

MARIETA: Aconteceu?… E como ficará a nossa família carregando essa vergonha? E o seu pai, Afrodite? O Ruez será capaz de matar vocês dois quando ficar sabendo… Afrodite, você não vai ter esse bebê.

(Afrodite se assusta com as palavras da mãe e um arrepio tenebroso invade a sua alma)

AFRODITE: O que a senhora fala, mamãe? Eu vou ter meu filho sim e ainda vou contar para o Alex… Ele é o amor da mim vida e junto criaremos a nossa criancinha que nascer.

(Sorrindo, Afrodite alisa a barriga, olhando para ela)

MARIETA: Só por cima do meu cadáver, Afrodite… Você vai fazer é um aborto! Eu não serei avó de faveladinho nenhum, nunca!… Minha filha, você ainda é nova, tem uma vida inteira pela frente… Se você ter essa criança agora, acabará com o seu corpo, você ficará feia… E além do mais, esse… Bastardinho seria a vergonha da nossa família e tiraria todo o nosso prestígio diante a sociedade.

(Afrodite não acredita no que ouviu de sua própria mãe e a olha com cara de reprovação)

AFRODITE: Como pode ser tão fria, mamãe?… Como a senhora tem a imprudência de me pedir uma coisa dessas?… Não faria aborto algum. Criarei meu filho, a senhora querendo ou não querendo.

(Afrodite e Marieta se olham, emburradas)

(A imagem se congela num tom preto-e-branco)

Continua…

Anúncios

5 thoughts on “Um Amor e Duas Realidades – Capítulo 09

  1. Que MÃE!
    MARIETA: Só por cima do meu cadáver, Afrodite… Você vai fazer é um aborto! Eu não serei avó de faveladinho nenhum, nunca!… Minha filha, você ainda é nova, tem uma vida inteira pela frente… Se você ter essa criança agora, acabará com o seu corpo, você ficará feia… E além do mais, esse… Bastardinho seria a vergonha da nossa família e tiraria todo o nosso prestígio diante a sociedade.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s