Fantasma Vivo – Capítulo 13

CENA 01: CASA DE C. ALBERTO/QUARTO DE VICENTE/INT./NOITE

LETREIRO: “São Paulo, 2007”

Vicente está se virando na cama enquanto lembranças do fatídico beijo que ocorrera naquela mesma noite. O garoto decide se levantar e lentamente caminha na direção do quarto de Arthur, ele entra com calma e observa o pequeno dormindo profundamente.

VICENTE – Eu sinto muito maninho.

Vicente acaricia as mãos de Arthur.

VICENTE – A partir de amanhã, muita coisa vai mudar. Talvez você não me perdoe pelo o que eu terei que fazer, mas é necessário.

Ele se aproxima e dá um beijo na testa do irmão, quando ouve ao fundo a discussão dos pais no quarto. Ele sai do quarto de Arthur e caminha até a porta do quarto dos pais.

C. ALBERTO – Você tem noção da gravidade dessa situação? Eu nunca vou tolerar uma coisa dessas.

ELIZABETH – Ele esta confuso, só tem 15 anos querido.

C. ALBERTO – A idade não importa, beijar o próprio irmão na boca nunca vai ser normal.

ELIZABETH – Eu não quero que você mande ele embora, vamos resolver isso de outro jeito.

C. ALBERTO – Não tem outro jeito, você sabe que eu nunca gostei desse garoto e agora menos ainda.

ELIZABETH – Não diga uma coisa dessas. Ele é sei fi…

C. ALBERTO – Cala essa boca. Não me lembre esse desgosto.

ELIZABETH – Você pode estar cometendo o maior erro da sua vida, separando eles.

C. ALBERTO – Pelo contrário, eu estou afastando alguém que já deveria estar longe dessa casa há muito tempo.

Vicente ouve tudo atrás da porta, as lágrimas escorrendo, ele corre para o seu quarto e observa uma fotografia de seu pai ao lado da mãe.

VICENTE – Eu te odeio.

 

CENA 02: LISBOA/CONSULTÓRIO DE VICENTE/INT./DIA

LETREIRO: “Lisboa, 2015”

Vicente está pensativo em seu consultório.

VICENTE (off) – Já se faziam 8 anos que eu havia mudado de vida completamente, mas nesses anos todos, não teve um dia que eu não pensasse no Arthur. Eu fazia tudo no modo automático, mesmo aparecendo oportunidades para esquecê-lo, eu não conseguia.. Foram os piores anos da minha vida, ficar longe da pessoa que eu mais amava na vida foi uma tortura psicológica que mexeu comigo de forma dolorosa. Bem, até aquele dia…

Vicente está em seu consultório pensativo, quando Riely entra aos prantos.

RIELY – Por favor. Túlio és a minha última opção.

A secretária de Vicente entra atordoada atrás da garota.

SECRETÁRIA – Desculpa doutor, ela foi entrando.

VICENTE – Pode deixar.

Ele olha para a jovem aflita em sua frente. Ui

VICENTE – Em que eu posso lhe ajudar?

RIELY – Salva a minha mãe, por favor eu te imploro.

VICENTE (off) – Eu ainda não sabia, mas eu estava diante dá única pessoa que por um tempo fez eu esquecer o Arthur.

Vicente e Riely trocam olhares.

 

CENA 03: EVENTOS TOLEDO/SALA SECRETA/INT./NOITE

Carlos Alberto encara Suelen com um sorriso malicioso.

C. ALBERTO – E então? Pode se deitar.

Suelen caminha lentamente até a cama, a garota não consegue controlar as lágrimas que escorrem. Carlos Alberto percebe e tenta acalma-la.

C. ALBERTO – Você não precisa ficar assim, eu sei que pode ser estranho na primeira vez. Mas com o tempo você acostuma.

SUELEN – Eu confio em você.

Carlos Alberto enche uma taça de champanhe e entrega a jovem.

C. ALBERTO – Relaxa.

O homem tira sua camisa e abre uma gaveta onde esconde uma pasta.

C. ALBERTO – Antes de começarmos, eu gostaria que você assinasse esse documento.

SUELEN – E que documento é esse?

C. ALBERTO – Algo que comprova que você permitiu que eu lhe fizesse tudo o que eu estou prestes a fazer com você.

Suelen encara o homem por um tempo.

SUELEN – Mas eu não posso assinar depois?

Carlos Alberto fixa sério repentinamente.

C. ALBERTO – NÃO, você vai assinar AGORA.

Suelen olha assustada para ele.

 

CENA 04: CASA DE C. ALBERTO/QUARTO DE ARTHUR/INT./NOITE

Túlio se afasta rapidamente de Arthur.

TÚLIO – Desculpa.

ARTHUR – Não Túlio, eu é que tenho que te pedir desculpas. Você não merece passar por isso.

TÚLIO – Eu, eu…

ARTHUR – Não fala nada, eu entendi o que você sente por mim e queria poder​ retribuir.

TÚLIO – E então?

ARTHUR – Mas eu não vejo você dá mesma forma, eu te vejo como um amigo, o meu melhor amigo, somente isso. Eu não posso mentir pra você.

Túlio enxuga uma lágrima que cai de seu olho.

TÚLIO – Você gosta de outra pessoa, não é?

Arthur encara Túlio por um tempo.

ARTHUR – Sim, eu gosto, mas…

TÚLIO – É o Yago, não é? É dele que você gosta.

ARTHUR – Yago?

TÚLIO – Eu já percebi tudo, a forma como ele olha pra você, aquela história toda de você ter caído na lábia dele e sem falar aquele dia que vocês estavam no bar e…

ARTHUR – Chega Túlio, não é o Yago.

Túlio encara Arthur.

ARTHUR – Eu confesso que sim, já gostei do Yago, mas não passou de uma atração que se esvaiu com o tempo, depois de tudo o que ele não fez, eu simplesmente o esqueci.

TÚLIO – Se não é o Yago, quem é?

ARTHUR – A única pessoa que eu jamais poderia amar… (t). O Vicente.

Túlio arregala os olhos ao ouvir o nome.

 

CENA 05: CASA DE C. ALBERTO/SALA/INT./NOITE

Elizabeth está deitada em sua cama, quando ouve alguém bater na porta.

ELIZABETH – Quem pode ser?

A mulher desce rapidamente e ao abrir a porta dá de cara com Anthony com um sorriso encantador.

ELIZABETH – O que você está fazendo aqui? O Arthur está em casa, sabia?

ANTHONY – Desculpe se estou a ser inconveniente. Mas eu não consigo parar de pensar em ti.

Elizabeth não​ consegue disfarçar um sorriso.

ELIZABETH – Você sabe que não podemos…

Anthony se aproxima dela e lhe agarra com um beijo.

ANTHONY – Vamos pro meu apartamento? Estou louco para tê-la em meus braços de novo.

Elizabeth deixa se entregar.

ELIZABETH – Não sei se devo.

ANTHONY – Vai me dizer que não gosto?

ELIZABETH – Eu gostei, mas o meu marido pode chegar a qualquer momento.

ANTHONY – Não correremos risco, antes dele chegar tu já estarás em casa.

Elizabeth sorri.

ELIZABETH – Se for assim, eu posso ir com a condição de que seja rápido.

ANTHONY – Não tão rápido, mas suficiente.

Anthony puxa Elizabeth.

ELIZABETH – Mas eu estou de camisola.

ANTHONY – Não se preocupa, ninguém vai nos ver.

Ele a puxa com e ela só tem tempo para fechar a porta.

 

CENA 06: SUBÚRBIO DE S. PAULO/CASA DE DIANA/INT./NOITE

Lauro encara Diana.

LAURO – Diana, sou eu meu amor, faz um esforço e volta pra mim.

Ele tenta se aproximar dela.

DIANA – Não se atreva a chegar mais perto. (t). Qual é a sua hein?! Será que o que aconteceu com você não foi suficiente?

LAURO – Eu não me importo, eu amo ela e não vou desistir enquanto não livrar ela de você.

DIANA – Pois não ouse tentar, por que eu não vou ficar internada de jeito nenhum.

LAURO – Então deixa ela em paz.

DIANA – É melhor você me deixar em paz, porque eu não vou ter piedade da próxima vez e posso acabar com a sua vida num estalar de dedos.

Lauro se levanta e encara Diana.

LAURO – Pois eu não vou desistir fácil e vou fazer o possível e o impossível para que ela se recupere e você vai voltar pro inferno de onde nunca deveria ter saído.

DIANA – Veremos.

Diana entra e fecha a porta.

 

CENA 07: EVENTOS TOLEDO/SALA SECRETA/INT./NOITE

Carlos Alberto encara Suelen seriamente segurando o documento e uma caneta na mão.

C. ALBERTO – Anda! Assina.

SUELEN – Calma. Eu vou assinar.

Suelen pega a caneta e assina o papel.

C. ALBERTO – Boa garota.

Ele pega o papel e o observa vitorioso. Após deixar o documento de volta na gaveta ele senta ao lado de Suelen na cama.

C. ALBERTO – Bom, então agora chega de enrolação, você já pode ir tirando a roupa.

SUELEN – Tirar? Tudo?

C. ALBERTO – Tudo.

Suelen timidamente começa a tirar, sob os olhares curiosos de Carlos Alberto, mas ela para por um momento.

SUELEN – Eu nunca tirei minha roupa na frente de um homem. Eu estou envergonhada, será que o senhor pode se virar só por um momento?

C. ALBERTO – Só porque é pra você, minha princesinha.

Carlos Alberto vira de costas e Suelen o olha com desprezo, a garota cuidadosamente pega a garrafa de champanhe que ele havia deixado no criado-mudo ao lado da cama, ela respira fundo.

C. ALBERTO – E então? Já posso virar?

Suelen com toda sua força quebra a garrafa na cabeça de Carlos Alberto que cai desmaiado em cima da cama.

SUELEN – Não acredito que eu fiz isso.

A garota se levanta rapidamente e pega o documento que estava na gaveta e o rasga em vários pedacinhos.

SUELEN – Eu não acredito​ que você estava certa mamãe.

Ela puxa a estante que dava acesso ao lado de fora e sai correndo.

A imagem foca em Carlos Alberto desacordado na cama.

 

CENA 08: APARTAMENTO DE VICENTE/INT./NOITE

Vicente chega em seu apartamento arrasado, ao vê-lo Riely corre para abraça-lo.

RIELY – Amor meu? Finalmente. Onde esteve esse tempo todo?

VICENTE – No hospital​. Onde mais?

RIELY – Hum, sei. E então? O que achou do apartamento?

Vicente dá uma olhada de relance.

VICENTE – Está ótimo.

RIELY – Nossa! Que ânimo é esse?

VICENTE – Eu estou muito cansado, preciso de um banho só isso.

RIELY – Seus olhos estão vermelhos. Andou chorando?

VICENTE – Não, acho que é gripe.

RIELY – Eu vou ver um remedinho para ti.

VICENTE​ – Tudo bem. Eu vou banhar-me e depois te encontro.

Vicente vai na direção do quarto e deixa Riely intrigada.

RIELY – Aconteceu alguma coisa.

CENA 09: CASA DE C. ALBERTO/QUARTO DE ARTHUR/INT./NOITE

Túlio encara Arthur.

TÚLIO – Vicente? O… seu.. irmão?

ARTHUR – Ele mesmo, mas por favor não me julgue por isso.

TÚLIO – Eu jamais faria isso.

ARTHUR – Eu sei que parece loucura, mas hoje eu percebi que amo o Vicente bem mais do que pensava.

TÚLIO – Como assim?

ARTHUR – Eu percebi que o Vicente foi sempre a pessoa que me defendeu e me protegeu de tudo e que quando ele foi embora eu fiquei sem essa proteção, fiquei sem meu chão. Mas hoje quando ele me defendeu mais uma vez e mostrou que estava ali comigo novamente eu percebi que gostava dele de uma forma diferente, muito maior que um amor fraternal. Eu não sei se deveria estar te falando isso, mas eu sei que em você eu posso confiar.

Túlio segura as mãos de Arthur.

TÚLIO – Mas é claro que pode.

ARTHUR – Ele se declarou pra mim, falou que se afastou de mim justamente por esta lutando contra esse sentimento proibido. Mas agora eu sei que eu sofri tanto a ausência dele porque sentia a mesma coisa, mas como eu posso digerir isso, Túlio? Eu o amo da mesma forma que ele me ama, mas como nós poderemos ficar juntos se o destino é contra isso?

TÚLIO – Eu sempre soube que a sua relação com o Vicente ia muito além do que você imaginava. A forma como você falava dele, seus olhos brilhavam.

ARTHUR – E como eu não percebia que era amor que eu sentia? Caramba, era tão óbvio. Foi preciso ele se declarar pra mim, pra eu perceber que o amava da mesma forma. Imagina tudo o que ele sofreu longe de mim? Da mesma forma que eu sofri aqui ele sofria lá.

TÚLIO – O que você disse a ele?

ARTHUR​ – Eu fiquei sem reação, não sabia o que pensar, o que dizer. Mas minha vontade era de abraça-lo, beija-lo. Mas isso é errado, muito errado.

TÚLIO – Eu acho que o errado aqui, é você.

ARTHUR – O quê?

TÚLIO – Olha, você está preocupado com o que vão pensar em vez de se preocupar com você mesmo.

ARTHUR – Você está dizendo que…

TÚLIO – Eu estou​ dizendo que você deve seguir o que o seu coração está mandando, se vocês dois se amam, vocês podem viver esse amor. Não existe essa história de amor proibido, existem tabus que podem ser quebrados.

Arthur olha para Vicente.

ARTHUR – Você me falando essas coisas tão bonitas e eu acabei de te dar um fora.

TÚLIO – Eu não me importo com isso. Eu te amei esse tempo todo em segredo porque sabia que você não sentia o mesmo por mim. Mas eu me arrisquei porque queria que você soubesse. Sei que você está passando por uma barra. Mas eu vou te apoiar porque eu te amo e quero te ver feliz, não importa se é comigo ou com o Vicente, eu só quero te ver feliz.

Arthur sorri e abraça Túlio com carinho.

ARTHUR – Dorme aqui comigo hoje?

Túlio sorri.

TÚLIO – Tudo bem.

 

CENA 10: SUBÚRBIO DE S. PAULO/CASA DE SOLANGE/INT./NOITE

Suelen chega em casa aflita e procura pela mãe.

SUELEN – MÃE?… MÃE? Cadê você?

A garota chora bastante enquanto grita por Solange.

SUELEN – Mãe? Você tinha razão mãe.

Ela procura em todos os cômodos, mas não a encontra.

SUELEN (gritando) – MÃE?

 

CENA 11: AVENIDAS DE S. PAULO/EXT./DIA

TRILHA SONORA: Touch It – Ariana Grande

Imagens aceleradas se avenidas movimentadas de São Paulo mostram o amanhecer.

 

CENA 12: APARTAMENTO DE ANTHONY/QUARTO/INT./DIA

Elizabeth dorme abraçada a Anthony quando abre os olhos lentamente e percebe que o dia já clareou. Ela se espanta e levanta assustada.

ELIZABETH – Anthony? Perdemos a hora, o dia já amanheceu.

Anthony se espreguiça.

ANTHONY – Já é?

ELIZABETH – Eu tenho que ir pra casa. O Carlos Alberto já deve ter chegado.

Elizabeth veste a camisola.

ANTHONY – Relaxa aí.

ELIZABETH – Não tem como relaxar nessa situação.

Ele se levanta e veste um roupão.

ANTHONY – Tu podes ir pelos fundos. Ninguém vai te ver.

ELIZABETH – Isso que eu vou fazer.

Elizabeth se prepara para ir quando Anthony a puxa para perto de si.

ANTHONY – Espera aí. Cadê meu beijo.

ELIZABETH – Aí Anthony.

Ele a puxa e a beija.

ELIZABETH – Agora tenho que ir.

ANTHONY – Te espero a noite.

Ela sai apressada e ele sorri.

 

CENA 13: CASA DE C. ALBERTO/QUARTO DE ARTHUR/INT./DIA

Arthur desperta calmamente, ele se senta na cama e olha para o colchonete em que Tulio dormiu ao lado de sua cama, mas o vê vazio com apenas um bilhete no travesseiro.

ARTHUR (lendo) – “Tive que sair e não quis te acordar, acho que você merece um descanso depois do dia conturbado de ontem. Pensa no que te falei.”

Arthur sorri e lembra do conselho de Túlio.

TÚLIO (pensamento de Arthur) – Eu estou​ dizendo que você deve seguir o que o seu coração está mandando, se vocês dois se amam, vocês podem viver esse amor. Não existe essa história de amor proibido, existem tabus que podem ser quebrados.

Arthur senta na cama e pega o retrato dele e de Vicente no criado-mudo.

ARTHUR – Acho que não posso mais negar que eu gosto de você da mesma forma que você gosta de mim.

Ele toca no rosto de Vicente com carinho e sorri.

 

CENA 14: SUBURBIO DE S. PAULO/ CASA SE TÚLIO/INT./DIA

Tânia está sentada na sala segurando as fotos que recebera e com os olhos inchados quando Túlio chega.

TÚLIO – Mãe? Já acordada?

TÂNIA – Onde você estava?

TÚLIO – Eu te mandei mensagem, avisei que estava com o Arthur.

TÂNIA – Novamente com esse garoto?

TÚLIO – Qual é mãe? O Arthur é meu amigo?

TÂNIA – Será mesmo? Você tem alguma coisa pra dizer sobre você e esse garoto?

Túlio para por um minuto e encara a mãe.

TÚLIO – Como assim?

TÂNIA – Eu não vou tolerar uma safadeza dessas de novo na minha vida.

TÚLIO – Mãe, do que você está falando?

Tânia joga as fotos sobre uma mesinha de centro.

TÂNIA – É disso que eu estou falando. Você e esse garoto estão namorando?

Túlio olha as fotos e encara a mãe.

 

CENA 15: CASA DE DR. AUGUSTO/SALA DE JANTAR/INT./DIA

Lauro toma o café dá manhã ainda tenso após a noite anterior, quando Yago aparece.

YAGO – Bom dia mano! Nossa! Eu tô com uma fome.

Yago senta na mesa e começa a comer, quando percebe Lauro o encarando seriamente.

YAGO – Que foi?

LAURO – Fugiu de mim ontem?

YAGO – Eu? Claro que não. Só achei que vocês precisavam conversar.

LAURO – Em primeiro lugar, por que vocês estavam juntos?

YAGO​ – Foi louco não é, eu tinha acabado de encontrar ela por acaso e você apareceu.

LAURO – Por acaso? Não mente pra mim Yago.

YAGO – Mas eu não estou mentindo.

LAURO – Então eu vou ser direto. A quanto tempo você é cumplice do auto-ego da Diana.

Yago encara Lauro com surpresa.

 

CENA 16: SUBÚRBIO DE S. PAULO/CASA DE DIANA/INT./DIA

Diana está sentada em sua cama pensativa.

DIANA (off) – Parece que tudo o que eu imaginei para atingir a família do Carlos Alberto deu errado. Mas o que aconteceu comigo? Eu tinha tido em mente e simplesmente desandou tudo. Mas eu sei quem é o culpado, aquele idiota do Yago, e agora o Lauro que resolveu ressurgir dos mortos. Mas nem tudo está acabado, eu preciso pensar em algo o quanto antes. Mas tem que ser algo único e inesperado, algo que manche a reputação da família Toledo de uma vez por todas.

Os pensamentos de Diana são interrompidos quando alguém bate na porta.

DIANA – Espero que não seja aquele aleijado idiota.

Diana caminha até a porta e ao abrir dá de cara com Suelen que está aflita e chora desesperada.

DIANA – Você?

SUELEN – Por favor?! Só você pode me ajudar agora.

Diana olha para Suelen intrigada.

 

CENA 17: APARTAMENTO DE VICENTE/QUARTO/INT./DIA

Vicente se arruma para ir ao hospital, ele se encara pensativo no espelho e lembra do que Arthur lhe falou.

ARTHUR (pensamento de Vicente) – […] Olha Vicente, o que eu posso te dizer é que eu estou completamente confuso com tudo isso, é muita informação pra minha cabeça. Mas independentemente do que tenha acontecido eu continuo gostando de você da mesma forma que antes. Obrigado por tudo.

VICENTE – Eu só espero que você continue gostando de mim da mesma forma mesmo.

Riely chega por trás e abraça o noivo.

RIELY – Já vai tão cedo?

VICENTE – Preciso resolver uns assuntos no hospital.

RIELY – Estás tão distante desde que chegou ontem. Tá tudo bem mesmo?

Vicente se esforça em dar um sorriso.

VICENTE – Está sim, quando eu voltar prometo estar melhor.

RIELY – Assim espero.

Vicente dá um beijo na testa de Riely e sai deixando a garota intrigada.

Assim que ele sai, ela pega o celular e liga para Anthony.

ANTHONY – Fala cachorra.

RIELY – Aconteceu alguma coisa com o Vicente e o Arthur ontem, aposto que eles brigaram.

ANTHONY – Tu achas mesmo?

RIELY – Vicente está todo estranho, não falou, não comeu nada e os olhos dele estavam vermelhos. Isso é estranho porque quando vi eles mais cedo estavam muito bem por sinal.

ANTHONY – OK, mas o que isso interfere nos nossos planos.

RIELY – Tudo. Porque se eles estão brigados eu posso plantar a sementinha do mal na cabeça do Arthurzinho e aí sim posso chantagear o Vicente.

ANTHONY – Não vejo a hora de botar a mão nessa grana.

RIELY – Então prepare os bolsos pois essa hora esta mais perto do que tu imaginas.

Riely sorri e desliga o celular.

RIELY – O Vicente vai ser meu. Só meu.

 

CENA 18: CASA DE C. ALBERTO/ SALA DE JANTAR/INT./DIA

Elizabeth está pensativa na mesa do café quando Arthur chega sorridente.

ARTHUR – Mãe, você tem o endereço do apartamento novo do Vicente?

ELIZABETH – Acho que sim querido, por quê?

ARTHUR – Eu preciso falar com ele?

ELIZABETH – Mas agora tão cedo?

ARTHUR – Ele ainda não deve ter ido pro hospital e é importante.

Elizabeth anota o endereço é entrega a Arthur.

ELIZABETH – Aqui esta.

Arthur percebe que a mãe está distante.

ARTHUR – Está tudo bem?

ELIZABETH – Estou preocupada com seu pai que não dormiu em casa.

ARTHUR – Ah, está preocupada a toa. Bem, eu vou indo.

ELIZABETH – Não vai comer nada?

Arthur nem responde e sai apressado.

Elizabeth pega o celular e liga para Carlos Alberto.

 

CENA 19: EVENTOS TOLEDO/SALA SECRETA/INT./DIA

Carlos Alberto continua deitado na cama na mesma posição, o seu celular começa a tocar e lentamente o homem vai acordando e levanta colocando a mão na cabeça e gemendo de dor.

C. ALBERTO – O que aconteceu?

Ele observa o local, enquanto segura o celular que toca, ele vê que se trata de Elizabeth, mas não atende. Ele logo se lembra o que houve e procura por Suelen.

C ALBERTO – Suelen?

Ao ver a garrafa quebrada e a gaveta onde estava o documento revirada, a raiva toma conta dele e ele dá um grito de raiva.

C. ALBERTO (gritando) – Aquela garota VAGABUNDA.

Ele joga o celular na parede que se quebra em vários pedaços.

 

CENA 20: APARTAMENTO DE VICENTE/SALA/INT./DIA

Riely está vendo TV quando alguém bate na porta. A jovem caminha até a porta lentamente e ao abrir vê Arthur que ao vê-la perde completamente o sorriso.

RIELY – Arthur?

ARTHUR – Eu preciso falar com o Vicente. Ele está?

Ao ver o olhar ingênuo de Arthur, Riely dá um sorriso malicioso.

A cena fica em efeito preto e branco e é amassada.

 

CONTINUA…

Anúncios

15 thoughts on “Fantasma Vivo – Capítulo 13

  1. NÃO ACREDITO QUE A SUELEN CONSEGUIU SE SALVAR! Agora ela vai pedir ajuda à Diana, já que não tem mais escapatória.

    Eu ainda não digeri direito essa história de que o Arthur corresponde ao Vicente. Não consigo acreditar, desculpa. Acho que o Arthur tem medo de admitir a si mesmo que ainda sente algo pelo Yago.

    A atitude do Túlio foi louvável. Ele renunciou do seu amor pelo Arthur e o encorajou a se declarar para o Vicente. Isso me deu uma esperança de que ele não vai ter um final trágico… talvez surja um relacionamento do éter pra ele não terminar a trama chupando dedo.

    Parece que o final trágico da vez não será do Túlio, e sim da Elizabeth.

    Curtir

    • Suelen ganha sua importância se unindo com aquela que mais quer a ruína de Carlos Alberto. Qual será o resultado disso?
      Hahaha vejo que você não desiste de YARTHUR mesmo… Kk é um pouco engraçado ler isso já que eu nunca pensei em uma relação entre eles. Porém tudo pode mudar.. rs Ainda tem 5 capítulos pela frente e veremos no que vai dar.
      E será que você estava enganado sobre o final “trágico” de Túlio?? Rs Ou será que o final trágico será de Elizabeth?
      Bom, o que posso dizer é que sim um personagem terá um final trágico, mas qual será? (Mas pode levar em conta suas suposições já que muitas vezes quando leio elas eu penso, será que ele está lendo a minha mente?) Kk No mais obrigado 😍

      Curtir

  2. Assim que bati o olho nessa web vi que era boa
    Bom ai consegiu ler todos os capitulos em um dia
    Suelen foi ganhando minha confiança desde a primeira cena dela sei lá mas eu criei uma estima por ela
    Outra que também eu gosto e a Diana mesmo que ela seja “complicada” eu acho a história dela interessante
    Riely(ñ sei se e assim o nome dela)tbm foi outra que eu gostei mesmo que ela seja uma “vilã”
    A Elisabeth e meio complicada então eu não sei se ela tem a minha torcida
    Eu achei o tulio meio who sei lá
    Anthony eu não tenho muito que falar dele
    Agora o Carlos alberto eu tenho nojo espero que ele tenha uma morte bem trágica (se for possível feita pela diana)
    Yago eu tbm odeio ele
    Solange eu tbm ñ sei
    Enfim
    Essa web foi uma das melhores que ja li
    Esse capítulo foi otimo
    Revela uma possível “aliança” entre diana e suelen
    Mas a Solange morreu msm (so eu indo ao enterro pra acreditar
    Elisabeth ta bem mais saidinha ,mas ate agora eu ñ entedi o que o Anthony quer com ela
    Riely ta se mostrando apaixonada pelo Vicente
    A atitude do tulio foi admirável
    Prevejo um final trágico pro Vicente e pro Arthur
    Prevejo o Anthony e a Elisabeth fugindo juntos
    Prevejo a suelen e a Diana se unindo
    Prevejo nada pq não sou vidente isso foi só encheção de linguiça

    Ñ aguento esperar ate sexta aff

    Curtir

    • Muito obrigado 😍😍😍 Que bom que você gostou da trama.
      Suelen conquistou seu espaço aos poucos e tem muita coisa ainda pra rolar com ela.
      Diana e Riely as vilãs que você respeita.. rs Ainda vão aprontar um bocado.
      Carlos Alberto terá o fim que merece rs
      Gente amei suas previsões rs quem sabe alguma delas se concretize. Rs
      Muito obrigado mesmo Espero que continue acompanhando.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s