Azarados – Episódio 15 (Último Episódio)

No episódio anterior…

Safira se prepara para atacar, é quando de repente a porta do apartamento se abre e Ema entra apoiada em Theo, ela já está falando.

Ema: Lola, a gente teve que voltar, eu…

É quando ela e Theo se dão conta do que está acontecendo ali, Safira olha para eles de forma dissimulada. Ela corre, batendo a porta  com força e a trancando. De repente, o prédio fica completamente escuro, houve uma queda de energia. A sala está completamente sombria, apenas a voz de Safira é ouvida, assustadoramente.

Safira: Vocês gostam de brincar de pega-pega? Hahaha

O local fica minutos em plena penumbra. É quando um desesperado grito é ouvido.

“ME SOLTA, SOCORRO, NÃAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAO!”

CENA 01 – PRÉDIO VENENO DE CASCACEL – NOITE

As luzes do apartamento começam a piscar, em um dos flashes, é possível ver Ema debaixo do balcão da cozinha, temerosa. Em outro súbito flash avistamos Theo segurando uma cadeira com as mãos, tentando proteger-se, disperso após ouvir o grito vemos Apolo.

Apolo: Lola, Lola… Responde!

Lola: ME LARGA, SUA VACA, ME LARGA! ELA TÁ TENTANTO ENCOSTAR A FACA NO MEU ROSTO.

Durante as falhas na eletricidade, vemos Lola se desprendendo com força de Safira.

Lola: EU JÁ MANDEI ME LARGAR, VADIA!

Em slowmotion, Lola empurra fortemente para trás. Safira regressa com vários passos, se desequilibrando. O temor é aparente em seu rosto, é possível  ouvir o barulho da vidraça da sacada quebrando, seus estilhaços caindo no chão. E um grito de desespero:

Safira: NÃO, NÃO, AHHHHHH!

Vemos a faca caindo no piso da sacada e Safira despencando do segundo andar. Dentro do apartamento, os amigos tentam encontrar um ao outro.

Theo: Ema… Ema, cadê você?

Ema: Na cozinha, perto do balcão.

Theo: Vem em direção ao sofá.

Eles se encontram e se abraçam. Apolo chega até eles.

Apolo: E a Lola, cadê?

Ema: Lola? Responde…

Theo: Será que… Esse barulho…

Apolo: Meu Deus, não pode ter sido a Lola…

Ema: Lola, se você ta ai responde, responde, por favor!

Ema começa a entrar em desespero, mesmo sem enxergar, procurava a amiga com as mãos. É quando Lola entra na sala com uma lanterna ligada.

Lola: Gente, eu tô aqui, não precisam chorar.

Ema corre até a amiga e a abraça.

Ema: Que susto!

Apolo: Então… Foi a Safira quem caiu…

Eles correm até a sacada, que estava repleta de cacos de vidro. Lola foca a luz até o chão, os quatro jovens avistam Safira deitada de lado no asfalto, com os braços cortados, sangrando… Eles param de olhar e a luz da lanterna foca nos rostos dos quatro.

Lola: Eu matei uma pessoa…

Ema: Amiga, foi um acidente, ok?

Lola: Ela era maluca, pirada, loucona… Mas eu não queria fazer isso.

Apolo envolve Lola com um abraço, confortando-a.

Lola: Parece que o azar se revoltou ferozmente contra mim.

A luz do prédio é tomada. Os quatro voltam a se aproximar da sacada, olham para a rua, e para a surpresa de todos, Safira não está mais ali, no local encontrava-se somente uma poça de sangue e vários estilhaços de vidro. Eles se olham, assustados e confusos.

Lola: Mas que vaca! E eu aqui toda arrependida. Ah, mas eu devia ter acabado com ela, que ódio.

Raivosa, Lola passa a mão no rosto, enxugando as lágrimas. De repente, fortes batidas são ouvidas na porta. Todos se assustam, amedrontados. Lola caminha até a porta, cautelosa.

Lola: Ema, pega minha frigideira, a mais grossa!

Ema: Pra que frigideira?

Lola: Menina, obedece!

Ema corre até a cozinha, pega a frigideira e a entrega para Lola. Os quatro estão atrás da porta, nervosos, Lola levanta a frigideira e gira a maçaneta da porta, a abrindo rapidamente. Pronta para bater, Lola se surpreende ao deparar-se com uma mulher alta, magra e elegante em frente a sua porta, ela deixa a frigideira cair no chão.

Lola: Porta errada, tenta em outra.

Lola está prestes a fechar a porta, é quando Apolo impede.

Apolo: Lola, não! Essa é a mãe da Safira, Dona Melina…

A mulher entra no apartamento, em desespero.

Melina: Apolo, minha filha , cadê minha filha?

Apolo a segura pelos braços.

Apolo: Se acalma, senta aqui.

Ele a coloca no sofá. A mulher está com as mãos trêmulas.

Apolo: O que a senhora está fazendo aqui?

Melina: Eu vim passar uns dias com a minha filha, eu estava com tanta saudade dela, não a via desde que foi internada. Ela me parecia tão bem, tão serena, mas quando ela disse que ia vir ao seu apartamento fazer uma surpresa pra você eu senti uma angustia, uma dor no peito, isso piorou quando vi que faltava uma faca na cozinha, fiquei com medo, com tanto medo de a minha filha fazer uma loucura! Ela apareceu aqui, Apolo?

Apolo: Ela apareceu sim aqui, Dona Melina, completamente insana, nos ameaçou… Mas…

Ele aponta para a sacada…

Melina: Apolo, você não tá querendo dizer que…

Ela começa a chorar.

Apolo: Sim, sua filha caiu dali, mas calma… Ela não morreu, o corpo dela não está lá embaixo… Provavelmente ela entrará em contato com a senhora, e por favor, se ela entrar, tome atitudes, você sabe que ela não tá bem. Vou chamar um táxi pra senhora.

Melina: Eu vou… Pode ter certeza, eu amo minha filha, mas não posso deixar a realidade de lado!

Apolo liga para o ponto de táxi, minutos depois, a mulher vai embora do prédio.

Lola: Espero que essa mulher saiba que vou mandar a conta do conserto do Pink e da minha vidraça pra ela!

Os quatro amigos estão sentados no sofá, olhando para frente, calados, é quando Lola indaga.

Lola: E vocês? Porque voltaram mesmo? Saudades de mim tão rápido? Ou foi o Theo que deu uma rapidinha na Limusine mesmo e nem precisou de lua de mel?

Ema sorri.

Ema: Não, sua louca… É que quando estávamos quase pra embarcar no cruzeiro, eu me senti um pouco mal, e…

Theo: E nós achamos que estamos grávidos!

Lola faz cara de nojo.

Lola: Nós estamos grávidos? Theo, por favor, pare de ser meloso!

Ema e Theo sorriem e se beijam.

Lola: Adoro, espero que venha uma menininha pra eu ensinar ela a ser diva como eu!

Apolo está pensativo após receber a notícia, Theo percebe isso…

Theo: Aproveitando a deixa… Apolo, eu acho que você tem uma coisa pra conversar com a Lola, não?

Apolo: Eu? Eu não tenho nada! Aliás, parabéns aí pelo bebê…

Theo: Para de ser galinha! Tem o que conversar sim, e vai conversar, nem que eu amarre vocês dois juntos!

Ema: Olha, cheio de atitude! Vamos lá pro seu apartamento e deixar eles aí… Trancados, só avisando!

Theo e Ema saem correndo do apartamento, antes que Apolo e Lola possam dizer qualquer coisa. Apolo está calado, sentado ao lado de Lola… Eles olham para frente, em silêncio.

Lola: Vai dizer o que é ou eles só querem que a gente transe mesmo?

Apolo: Lola… Eu devia ter criado coragem antes. Mas isso  é algo que me enfraquece tanto, que me deixa tão fragilizado. Mas não tem como fugir… Há algum tempo eu fui ao médico e descobri que tenho varicocele…

Lola: Varico o que?

Apolo: Varicocele, resumindo a doença, no meu caso não teve como optar pelo tratamento e o médico me deu um mês para que eu continuasse fértil… Passando isso, eu estaria estéril, não poderia mais ter filhos.

Lola fica sem palavras, com o olhar vidrado em Apolo, que estava nervoso e envergonhado.

Lola: E isso faz quanto tempo?

Apolo: Três semanas…

Lola fica calada por alguns instantes…

Apolo: Não vai falar nada?

Lola: Tira a roupa!

Apolo: O que? – Surpreso

Lola: Que foi? Nunca ouviu isso de uma mulher? Fica pelado!

Apolo tira todas as suas peças de roupa, ficando completamente nu na frente da sexóloga. Lola levanta-se, alisando o corpo do rapaz.

Lola: Sabe… Eu nunca pensei que diria isso pra alguém… Aliás, já pensei em dizer pra uma menina na época de escola, não esse não é o caso. Apolo… É duro admitir, e olha que eu adoro coisa dura, mas… Eu te amo, e esse sentimento me devora por dentro de uma forma incontrolável… Pra que mentir para nós mesmos?

Apolo sorri para a Lola, a beijando ferozmente em seguida. Ela arranca as próprias roupas e os dois transam ali no sofá mesmo, se entregando em um momento que parecia único.

Uma semana depois…

CENA 02 – PASSAGEM DE TEMPO

SEQUÊNCIA DE CENAS:

  1. Sheilinha Pepeka do Mal, conheceu um empresário rico que a aceitou como ela é. Agora nosso querido travesti vive de forma extravagante, mas sem abrir as pernas fácil.
  2. Mesmo depois da confusão armana por Lola, Alex continua se exibindo no Clube das Mulheres, ainda com os enchimentos na cueca.
  3. Após passado mais de um ano após a morte de Zé Cachorro Grande, Eller, virou mulher de um novo traficante. E continua com a mesma sina.

CENA 03 – APARTAMENTO DE LOLA – TARDE

Lola estava em frente a um grande espelho, trajava um leve vestido branco, com os cabelos presos para trás, ela amarrava um colar de pedras azuis, ela solta os cabelos dourados que contrastam com sua pele branca para e macia. Um sorriso cativante surge em seu rosto.

Lola: Casar… Quem diria?

Ela se olha de forma boba no espelho, colocando uma coroa de flores em sua cabeça. Ema entra no apartamento.

Lola: Minha filha, não bate? Lembre-se que não mora mais aqui.

Ema: Tá vendo essas chaves? Você nunca vai tirar de mim!

Ema guarda a chave em seus seios.

Lola: Olha que eu meto a mão aí!

Ema começa a mexer nos cabelos da amiga.

Ema: Tá nervosa?

Lola: Nervosa, eu? Jamais… Mentira, tô nervosa sim, ai, porque eu fui inventar de casar? Ai, não quero mais, dá de cancelar, né?

Ema: Dá sim, mas se tu cancelar teu casamento eu cancelo tua vida!

Lola: Ai que agressiva, imagina o que o Theo sofre na cama.

As duas sorriem.

Ema: E a limusine?

Lola: Limusine? Minha filha, pra que eu quero limusine pra ir pra um lual? A gente vai no pink, adoooooooooro!

Ema: Não acredito! – Levanta as mãos à cabeça.

Lola puxa Ema.

CENA 04 – PRAIA – FIM DE TARDE

(Música: XO – John Mayer)

O clima era de lual, uma grande fogueira estava acesa na praia, perto do mar, um altar com cortinas brancas e diversas flores ornamentava a ocasião, uma mesa com frutas e coqueteis já estava sendo preparada. Com calça e camisa brancas, Apolo estava no altar, a espera de Lola. Os convidados estavam sentados sobre tapetes feitos com palhas de coqueiro, secas. É quando o fusca rosa de estaciona e Lola sai dele, trajando um belo vestido de noiva, que voava com o vento.  A marcha nupcial em ritmo de reggae tocando ao fundo. Lola caminhava em direção a Apolo, sorridente, com os cabelos e vestido esvoaçantes. É quando a marcha nupcial é interrompida e outra música começa a ecoar.

(Música: Dominique – Sourire Souer)

Todos os convidados estranham e comentam. É quando ao longe vemos Safira aparecer, estava completamente suja, cabelos desgrenhados, vestido rasgado. Apolo é o primeiro a percebê-la ali, e desespera-se.

Apolo: Nããão, não faz nada com ela, Safira!

Lola vira-se rapidamente e vê Safira apontando uma arma em sua direção.

Safira estava com as mãos trêmulas, e com um sorriso assustador no rosto, lágrimas escorriam em seu rosto.

Safira: Tudo podia ser diferente, nesse altar poderíamos ser eu e você, mas não… Mas não, você preferiu ficar com essa mulher vulgar…

Lola: Vulgar é minha mão na tua cara!

Safira engatilha a arma, Lola gela de medo.

Safira: Mas eu não vim acabar com a sua vida… E sim com a de quem nunca me procurou, nunca me compreendeu…

Os poucos convidados estão assustados com a situação. Safira olha para a Apolo.

Safira: Eu vim acabar foi com a tua vida!

Ela dispara três tiros certeiros no peito de Apolo, sua roupa branca passa a ser encharcada pelo vermelho do sangue. Todos correm e gritam, apavorados. Lola fica paralisada por alguns segundos, mas corre para ajudar Apolo.

Lola: Calma, tudo vai ficar bem… Alguém chama ambulância! POR FAVOR! Calma… Meu amor, eu já te salvei uma vez naquele viaduto, lembra? Dessa vez não vai ser diferente.

Lola pressionada o peito de Apolo, tentando estancar o sangramento. Theo corre até Safira e a segura pelos pulsos.

Theo: Porque tu fez isso?

Safira: Porque eu o amava…

Ela se solta bruscamente de Theo, deixando a arma cair na areia. Ela corre em direção ao mar, Theo tenta ir atrás.

Ema: Theo, não!

Theo distrai-se ao ouvir a voz de ela.

A música“O Mundo é um Moinho”, na versão de Beth Carvalho, começa a tocar.

Enquanto Safira entra no Mar, indo cada vez mais fundo. Diferente do que se pode pensar, ela estava alegre como uma criança.  Ouvimos a risada e a voz de Safira em cena… Pela última vez!

“Às vezes amamos demais, e talvez essa seja nosso problema, amar de mais alguém… E quando descobrimos que esse alguém não pode ser nosso, só nos restar ao destino entregar essa paixão… Que o vento eternize nosso amor, Apolo!”

Safira já não conseguia se manter na superfície, e ali, é engolida pela imensidão do mar.

Na areia da praia…

Lola estava ajoelhada em frente a Apolo, pressionada com força os ferimentos de seu noivo, seu vestido de já encontrava-se completamente ensanguentado.

Lola: Aguenta mais um pouco, meu amor, a ambulancia já tá chegando!

Apolo estava com o olhar vidrado no rosto de Lola, com dificuldade, tremia sua boca com o intuito de falar.

Apolo: Lo… Lola, você fui a única mulher que eu amei na minha vida.

Lola não continha a emoção, pressionava seus olhos que ccada vez jorravam mais lágrimas.

Lola: Não fala assim, isso não é uma despedida!

Os olhos de Apolo começam a se fechar.

Lola: Não, Apolo, não dorme, aguenta firme!

É quando os olhos do rapaz fecham-se completamente, já não havia mais vida ali.

Lola: NÃAAAAO!

Lola acaba desmaiando em cima do corpo de Apolo, Ema e Theo que choravam abraçados correm até ela.

CENA 05 – HOSPITAL – MADRUGADA

Lola acordava com os apitos dos aparelhos do hospital, com certa dificuldade abre os olhos. Ao seu lado, está Ema, segurando sua mão. Lola passava a mão na testa.

Lola: Tô sim… Mas cadê o Apolo?

Ema compadece e olha para a amiga.

Ema: Lola… O Apolo não está mais entre a gente!

Lágrimas tomam o rosto de Lola.

Ema: Mas em meio tudo a isso, surgiu uma notícia que talvez te conforte…

Lola: O quê? O que pode me confortar depois de tudo isso, Ema? – Inconformada

Ema: Os médicos fizeram alguns exames gerais em você… E amiga… Você tá esperando um bebê nessa barriguinha!

A feição de Lola é de surpresa, não esperava pela notícia, ainda deitada na maca ela acaricia sua barriga.

Lola: Um bebê? Um filho do Apolo?

Ema: Isso!

Lola: Ema, será que eu tenho maturidade pra cuidar dessa criança?

Ema: Lola… Você pode ser louca, maluca, pirada da cabeça… Mas tem muito, muito amor dentro desse coração, essa criança vai ter uma mãe ótima, e claro, uma madrinha que vai amar muito ela!

Lola sorri.

Lola: Um filho do Apolo… Ele foi embora, mas deixou um pedacinho dele aqui com a gente!

Lola começa a fazer voz de bebê enquanto mexe em sua barriga

Lola: Será que vai ser um menininho safadinho igual o pai? Vai ser sim, vai ser safadinho igual o papai!

Theo estava na porta do quarto, Ema olha para ele, os dois sorriem de Lola.

LETREIRO: DOIS ANOS DEPOIS…

CENA 06 – LIVRARIA – MANHÃ

A livraria estava movimentada, pessoas caminhavam de um lado para o outro, conversavam, vários flashes se direcionam o centro do local, ali, estava uma bancada, nela estava sentada Lola, autografando vários e vários livros. Ela dava entrevista enquanto isso.

“Essa obra surgiu após uma amiga, uma ótima amiga vir morar comigo e balançar minha vida inteira, assim como eu revirei a dela de ponta a cabeça. O que me motivou a escrever tudo o que vivemos foi a necessidade de transmitir para todos a importância da amizade, do amor, da perseverança… E até do azar. Fiquei muito feliz com o retorno do público, mesmo mostrando tudo de forma tão simples, o amor surgindo nos lugares mais improváveis, a inveja a qual todos estamos sujeitos… E claro, mostrar que de uma tragédia pode nascer um sopro de esperança. E eu quero agradecer muito, muito aos leitores pelo sucesso do meu livro ‘Azarados’.”

Lola se preparava para ir embora, é quando um livro bate em sua mesa e ela ouve uma voz: “Poderia me dar um autógrafo?” Lola olha para cima e vê Jasmim, completamente diferente e elegante.

Lola: Jasmim? – Sorridente

Jasmim: Achou que eu ia deixar de prestigiar uma história da qual eu faço parte?

Elas se abraçam. O celular de Lola toca.

Lola: Só um segundo… Oi, Ema… Vocês já estão aí? Pois eu vou levar uma surpresa pra vocês! – Ela olha para Jasmim – Tá afim de encontrar todo mundo de novo, madame?

Jasmim: Claro!

As duas saem dali.

CENA 07 – PRAIA – MANHÃ

(Música: Smile – Lily Allen)

Theo e Ema estavam de mãos da com seu filho de pouco mais de um ano, uma criança saudavel e bonita como os pais, com cabelos castanhos lisos. Junto a eles, estava Lola, que erguia sua filha que tinha quase a mesma idade do filho de Ema e Theo. A menina tinha traços de Apolo e os olhos azuis flamejantes como os dos pais. Sheilinha Pepeka do Mal, fazia graça em frente a garotinha com intuito de fazê-la rir. Jasmim fazia o mesmo com o filho de Ema e Theo.

As crianças brincavam na praia, tranquilamente.

Ema, Theo, Jasmim, Sheilinha e Lola se abraçam em um circulo,  é quando Lola quebra o clima.

Lola: Surubão na praia? Adoooooooooooooro!

Todos riem do jeito irreverente de Lola. Eles continuam caminhando descalços em direção ao mar.

A voz de Lola é ouvida sobre a cena:

Lola: Dizem que toda estrada tem um fim, mas ás vezes o fim parece apenas um novo começo. A nova chance para recomeçar depois dos nãos que levou. Para aceitar que você sempre pode mais que a derrota. Nunca se desespere, em nenhuma situação. Porque a vida tem dessas coisas, parece que nada vai dá certo, que é o fim, que o jogo acabou para nós. Porém, ela vem te vira do avesso, e você descobre que só precisava de um novo ângulo para conseguir sorrir novamente. Não deixa os momentos, as oportunidades, passarem. Aceite tudo que for melhor para você, e por mais complicada que a estrada seja, continue. Chore apenas por aqueles que te amaram, não derrame lágrimas para aqueles que não te buscam. Em hipótese alguma vire o coadjuvante da sua história, seja o dono do seu roteiro, o dono do seu filme, a estrela principalmente, se não surgir um par romântico, então aceite você sozinho, é melhor terminar essa edição sozinha e feliz, do que mal acompanhada. Aproveite o hoje, eternize o ontem, e olhe para o amanhã sem preocupação. Navegue pelos os mares desconhecidos, e descubra em cada um deles uma nova chance para recomeçar ou para continuar. Seja teu tudo. E sempre coloque sua felicidade acima de tudo! Porque a vida é mais do aquilo que podemos ver.

FIM!

A partir do próximo sábado, dia 19 de agosto, o “Vale a Pena Ler de Novo” vai reprisar um grande sucesso escrito por Glaydson Silva: “O Resgate” (2015), uma web-novela de suspense psicológico, agora em formato de web-série. Não perca!

Anúncios

18 thoughts on “Azarados – Episódio 15 (Último Episódio)

  1. E enfim, a sorte sorriu para os nossos azarados. Antes tarde do que nunca, né non?
    Infelizmente, Apolo não pôde desfrutar de um final feliz. Nadou, nadou, nadou pra literalmente morrer na praia.
    Jasmim foi perdoada pelo dano que causou aos azarados. Amo.

    E agora, a partir de semana que vem, uma nova história será contada todo sábado às 19h. Coincidentemente, a mesma história que substituiu Azarados lá no final de 2015 às 21h.

    Curtir

  2. Que final triste, meu Deus. Eu não nasci pra ver Lola sem o Apolo. Estou arrasado, assim como na primeira exibição. 😥 😥 😥
    Parabéns aos autores pela grande web. A minha preferida pra sempre. ❤
    E que venha uma nova reprise!
    #. ❤ ❤ ❤

    Curtir

  3. Como proceder com esse fim trágico? A morte de Apolo foi destruidora mesmo, viu? Não sofra, Lola, irei te consolar!

    E a reprise de mais um luxo chega ao fim, não acompanhei integralmente, mas estive sempre relendo o que podia, felizmente. Azarados ❤

    Curtir

  4. Meu web-novelão acabou, não admito isso. 😭😭😭 Mas enfim, é hora de enxugar as nossas lágrimas e fazer o último #AnalysisToday para esse luxo. 😛✌😀❤

    Azarados – Episódio 15 (último episódio) ❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭😭

    Lola tenta se esquivar de Safira, que tenta atacá-la com uma faca, ela consegue, porém Safira acaba caindo da janela do prédio, mas só que vaso ruim não quebra fácil e essa bruaca não morreu, pois quando Lola, Theo, Ema e Apolo vão ver o estado dela novamente, essa desgraçada, misteriosamente, foi embora.

    Passado tudo isso, Lola pergunta porque Theo e Ema voltaram da lua de mel e eles respondem, dizendo que há chances de vir um baby Thema por aí… 👶 – após isso, Theo e Ema se retiram do apartamento e deixam Lola e Apolo a sós. Apolo revela a Lola que está com varicocele e que corre risco de ficar infértil; e após descobrir isso, Lola manda Apolo tirar a roupa e os dois transam. 🔥🔥🔥

    Uma passagem de tempo ocorre… Sheilinha Pepeka do Mal se casou e ficou muito rica, sem precisar se prostituir… Alex, o ex namorado de Lola, continua a se exibir no clube das mulheres com enchimento na cueca… e Eller, que apareceu no segundo episódio, se casou com outro traficante após a morte de Zé Cachorro Grande, e continua traindo o atual marido.

    Chega o dia do casamento de Lola e Apolo, que resolveram fazer um simples luau na praia… tudo ocorria perfeitamente, só que… uma desgraça acontece: a Safira chega no local, completamente surtada e dá três tiros em Apolo, que não resiste e morre nos braços de Lola, que desmaia em cima do cadáver de Apolo… e após matar Apolo, Safira se suicida, morrendo afogada no mar. 🌊🌊🌊

    Lola acorda no hospital e descobre que Apolo está morto, mas que deixou algo para ela, ou melhor dizendo, ele deixou algo nela: um filho… o Apolo morreu, mas pelo menos, deixou uma continuidade dele. ❤

    Dois anos se passam… Lola lança um livro, chamado “Azarados”, que conta a sua história com Ema, Theo, Apolo, Marco, Jasmim, Safira e etc… após uma sessão de autógrafos, Lola reencontra Jasmim, que agora é uma mulher rica e elegante… após isso, as duas vão para a praia, onde encontram Ema, Theo, Sheilinha e os filhos de Theo e Ema e de Lola e Apolo… e no final, Lola diz: “Surubão na praia? Adoro!!!!” – Lola como sempre safadinha… e assim, chegamos ao FIM. ❤

    “Azarados” é uma das minhas webs favoritas: me divertiu nas cenas cômicas, me emocionou nas cenas mais dramáticas, me excitou nas cenas mais quentes… foi uma história bastante simples, mas muito gostosa de ler… me identifiquei muito com os personagens, principalmente com a Ema e com a Lola, em uma escala de zero a dez, a minha nota é 10. 😉 – infelizmente, eu não consegui acompanhar essa obra prima do jeito que eu queria: a minha intenção era fazer um comentário específico em todos os episódios, mas não consegui por motivos escolares e pessoais, mas enfim… o importante é que eu consegui terminar a história atualizado.

    Meus parabéns, Brenddo e Manoel. 😀❤
    Vocês merecem o sucesso de “Azarados”.

    E que venha “O Resgate”

    E agora, vamos comemorar, bailando ao som desse hino.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s