Guerra de Luxemburgo – Capítulo 04

CENA I

PRÉDIO EMPRESARIAL/ HALL DE ELEVADORES/ INT/ DIA.

João Jr e Aymée dentro do elevador. Ele sorri. Parece que finalmente encontrou uma mulher que sabe instigar seus desejos mais ocultos. Os dois estão frente a frente.

O elevador chega ao térreo e abre as porta revelando Montserrat. Ela que esperava o elevador chegar, estranha a situação que presencia ali dentro. Os olhares se cruzam. Montserrat intrigada.

JOÃO JR (surpreso): Montserrat!

João e Aymée saem do elevador. Montserrat não responder nada. Apenas observa os dois com um olhar misterioso.

JOÃO JR: Essa é Aymée Galvão. Cliente nova do escritório. Aymée, essa é a esposa do meu pai, Montserrat.

AYMÉE (estendendo a mão): Muito prazer!

Aymée agora está diante da mulher que acusou sua mãe de ter matado o marido. Montserrat olha fixamente nos olhos de Aymée. Segundos depois ela aperta sua mão.

AYMÉE (simpática): Sua madrasta é bem jovem, doutor João. E linda.

MONTSERRAT: Obrigada pelo elogio.

JOÃO JR: Veio falar com o meu pai?

MONTSERRAT: Estava no shopping aqui do lado e resolvi passar aqui para fazer uma surpresa pra ele. E você, Aymée, é isso? Qual é sua questão? Divórcio?

AYMÉE (rindo): Não! Essa parte já foi há algum tempo. Estou apenas querendo abrir uma empresa, e preciso da/

MONTSERRAT (corta/desinteressada): Ah sim…

João Jr percebe um clima tenso no ar.

CENA II

PRÉDIO SIMPLES/ AP DE CAMILA/ SALA/ INT/ DIA.

Camila sai do quarto, um tanto quanto desanimada, e estranha um envelope no chão próximo a porta.  Ela vai até lá e abre o envelope. Dentro um bilhete. Ela lê.

“Comprei os ingressos para o cinema. Deixa guardado com você. Sabe que tenho a cabeça de vento. Beijo, Diego.”

Camila olha dentro do envelope e vê dois ingressos. Ela sorri e fica aliviada por saber que Diego não está chateado pelo beijo que ela lhe deu.

CENA III

OLIMPO HOTEL CLUBE/ SALA DE ROSELI/ INT/ DIA.

Roseli faz contas usando uma calculadora. Ela digita tudo muito rápido. Paulina entra.

ROSELI: Ô, minha filha! Consegui!

PAULINA: Conseguiu o que, mãe?

ROSELI: Um emprego pra você! Falei com um amigo meu que é supervisor em um hotel lá em São Conrado. Ele te conseguiu uma vaga pra ser recepcionista. Falei que você fala inglês muito bem.

PAULINA: Também não é bem assim… Mas valeu. Tava preocupada em não conseguir nada sendo uma ex-presidiária.

ROSELI: O que eu puder fazer pra te ajudar eu vou fazer, filha.

Roseli sorri para Paulina que retribui o gesto carinhoso.

CENA IV

CENTRO EMRESARIA/ ESTACIONAMENTO/ EXT/ DIA.

No centro empresarial onde existe o escritório da GDL Advogados, um grande estacionamento a céu aberto. Montserrat está dentro de seu carro. Ela observa pelo retrovisor alguém se aproximar. Vidros escuros, ninguém vê nada dentro. Abrem a porta do carona. É João Jr. Ele entra.

MONTSERRAT: Porque não respondeu minha mensagem?

JOÃO JR: Você falou pra eu te encontrar aqui. Eu tô aqui. Não tô?

MONTSERRAT: Você tá muito estranho ultimamente, Júnior. O que tá acontecendo?

JOÃO JR (sem paciência): De novo isso? Tô cheio de trabalho! É meu pai enchendo o saco o dia inteiro aqui e lá em casa! Não dá! Vontade de gritar! Extravasar!

MONTSERRAT (desabotoando a blusa): Porque não extravasa aqui?

Montserrat com a blusa aberta agarra os seios, seduzindo João Jr. João Jr pensa em resistir, mas logo começa a beijar o pescoço da madrasta e logo em seguida desce até seus seios. Montserrat delira de prazer.

CENA V

MANSÃO GUERRA DE LUXEMBURGO/ HALL/ INR. DIA.

Montserrat entra sorridente, leve. Ela carrega uma sacola de uma loja de grife. Está com a cabeça longe… Com a cabeça no sexo que acabou de fazer dentro de seu carro com o enteado. Eugênia, que está parada ali, a observa com um olhar acusador, fazendo com que Montserrat volte a sua postura autoritária.

MONTSERRAT: O que foi?

EUGÊNIA: Nada, dona Montserrat. A senhora precisa de alguma coisa?

MONTSERRAT: Preciso que você saia da minha frente! Agora!

EUGÊNIA: Com licença.

Eugênia sai e Montserrat fecha a cara por ter seu momento quebrado.

CENA VI

PRÉDIO EMPRESARIAL/ ESCRITÓRIOS GDL/ SALA JOÃO JR/ INT/ DIA.

Júnior sentado em sua cadeira, pensativo. Ele recorda do momento em que encontrou Aymée no elevador. Rapidamente ele se volta para a tela do seu computador e procura por algo. Ele pega seu celular e disca.

JOÃO JR (ao celular): Não foi tão difícil…

CENA VII

OLIMPO HOTEL CLUB/ AP DE ROSELI/ INT/ DIA.

Roseli mora no último andar do prédio. Ela fez sua casa ali. Aymée com o celular nas mãos, clica no botão de “viva voz”. Paulina atenta à conversa.

AYMÉE (ao celular): Deve ter bastado alguns cliques.

JOÃO JR (ao celular): Quase isso. Tô te ligando pra convidar você pra jantar comigo hoje. Me daria essa honra, senhora Aymée?

Paulina gesticula dizendo “O CLUB”. Aymée fica apreensiva. Por um lado ela quer aceitar, não pode perder nenhuma oportunidade de estar próximo dos Guerra. Mas também não pode deixar o seu trabalho no clube. Ela precisa do dinheiro e Roseli não vai deixar ela sair assim.

AYMÉE: Hoje eu já tenho compromisso, querido João. Quem sabe você não convida outra cliente do seu escritório…

JOÃO JR: Não sei que tipo de homem você pensa que eu sou. Mas te digo. Sou objetivo. Desde o momento em que eu te vi eu quis fazer esse convite.

AYMÉE: Mas hoje não dá. Infelizmente. Quem sabe amanhã? Podemos almoçar, se quiser…

JOÃO JR: Ótimo! Amanhã almoçamos. Posso te buscar?

AYMÉE (tensa): Não! Pode deixar que eu irei por conta própria. Me manda o endereço do restaurante. Me surpreenda.

Aymée desliga. Ela e Paulina comemoram.

AYMÉE: É através dele que eu vou entrar naquela família! Se prepara Júnior! Amanhã vou dar meu golpe de misericórdia.

CENA VIII

ANOITECE

Noite de sexta-feira. Bares cheios, filas pras casas noturnas… Animação na cidade maravilhosa. Anita em um camarote de uma boate bebe champanhe em uma taça, junto de Jackson e outras duas jovens. Ela dança até o chão, se diverte. Vive sua vida de loucuras.

CENA IX

AMANHECE NO RIO DE JANEIRO

CENA X

MANSÃO GUERRA DE LUXEMBURGO/ HALL/ INT/ DIA.

Anita entra em casa depois de sua noitada. Está “acabada”. João sai de seu escritório com Marcelo, um jovem vestido como os seguranças da casa.

ANITA: Bom dia, pai. (interessada) Bom dia, gato! Quem é você?

JOÃO: Boa tarde, Anita! Já passa de meio-dia. E respondendo sua pergunta: esse aqui é o Marcelo. Ele será seu segurança particular.

ANITA (embasbacada): What?

Marcelo observa a jovem, imaginando onde foi se enfiar.

CENA XI

SHOPPING/ RESTAURANTE/ INT/ DIA.

João Jr está sentado á uma mesa, impaciente. Ele olha a tela do celular inúmeras vezes. Enfim, fica aliviado. Aymée está entrando no restaurante e vem se encaminhando até a mesa. Linda, cabelos soltos em um vestido azul que emoldura seu corpo. João Jr se levanta e puxa a cadeira para Aymée se sentar.

AYMÉE: Porque essa cara? Achou que eu não viria?

JOÃO JR: Eu sabia que viria.

AYMÉE: Nossa! Que presunçoso. Mas eu sou uma mulher de palavra. (pegando o cardápio)Então, o que sugere?

Aymée lança um olhar provocante para João Jr.

CENA XII

SHOPPING/ CINEMA/ SALA/ INTERIOR/ DIA.

Em uma sala de cinema, com poucas pessoas, Diego e Camila assistem a um filme. Eles dividem a pipoca que Diego segura. Os dois ao mesmo tempo vão pegar um punhado de pipoca e acabam esbarrando suas mãos. Eles riem.

CAMILA: Eu pensei que você ia ficar chateado comigo. Pelo que eu fiz…

DIEGO: Eu não tenho motivos pra isso. Só não toquei no assunto porque achei melhor. Você saiu lá de casa de uma forma que eu acho que se eu tocasse no assunto ia piorar tudo.

CAMILA: Piorar? Então…

DIEGO: Não. Não foi isso que eu quis dizer… Melhor assistirmos ao filme.

Diego encerra a conversa. Ele não sabe o que dizer depois do beijo que Camila lhe deu. Ele que só a vê como uma irmã. Camila abaixa o olhar, mas logo volta a olhar para a tela.

CENA XIII

SHOPPING/ RESTAURANTE/ INT/ DIA.

João Jr e Aymée sentados à mesa. Eles riem de algo que ele conta.

JOÃO JR: Sério! Essa foi a audiência mais inacreditável que eu presenciei.

AYMÉE: Acho que taxistas, psicólogos e advogados são os que mais têm histórias desse tipo. Contando ninguém acredita. (ri)

JOÃO JR: E você? O que me conta de interessante?

AYMÉE: Nada. Não sou tão interessante.

JOÃO JR: Pelo contrário. Você é interessante… Misteriosa… Você me faz sentir uma coisa estranha. Eu fico bobo perto de você, fico parecendo um adolescente. Eu sempre fui seguro de mim. Mas você me faz sentir uma insegurança esquisita.

Aymée não responde, apenas observa o desabafo apaixonado de Júnior.

CENA XIV

SHOPPING/ INT/ DIA.

Camila e Diego andam pelo shopping depois de terem assistido o filme.  O clima entre os dois é de descontração. Riem, conversam como os grandes amigos que sempre foram.

Aymée e João Jr andam pelo shopping depois de almoçarem. Eles conversam como se já se conhecessem há tempos. Eles param próximo ao elevador.

JOÃO JR: E estamos nós aqui de novo! No elevador.

Aymée sorri.

JOÃO JR: Você fica ainda mais linda sorrindo.

AYMÉE: Júnior…

JOÃO JR: Me fala! Vai! Eu desabafei pra você. Abri meu coração. Falei tudo o que eu tô sentindo. E você não me disse nada.

Diego e Camila estão a uma certa distância, mas Camila vê Aymée. Ela para e segura Diego. Ele não entende.

DIEGO: O que foi?

Diego acompanha o olhar de Camila e vê Aymée e João Jr bem próximos.

DIEGO: Maria…

CAMILA: Aquele cara…

DIEGO: É o filho do advogado! É ele! Eu lembro dele no julgamento.

CAMILA: Ela conseguiu o que tanto queria! Ela se aproximou da tal família.

DIEGO: Eu vou acabar com essa palhaçada agora!

Diego se enfurece e vai caminhando até os dois.

Aymée e João Jr estão bem próximos. Júnior aproxima os lábios dos lábios de Aymée que deixa ser beijada.

Diego observa o beijo enquanto caminha ao encontro dos dois. Ele está determinado a desmascarar Aymée. Diego sofre por dentro, não há como negar. Com os olhos fixos na cena a sua frente, ele caminha cada vez mais determinado, mas é impedido por Camila de chegar ao seu destino.

CAMILA (puxando Diego): Não faz isso!

Ela e Diego vão para o corredor onde existem os banheiros.

DIEGO (chorando): Porque você não deixou eu acabar com aquilo, Camila?

CAMILA: Diego, para! Deixa a Maria viver essa vingança dela! O que podíamos fazer nós já fizemos. Cansamos de pedir pra ela desistir disso, mas ela não quis! Tá na hora de você viver a sua vida. Aliás, já passou da hora!

Diego ali, se sentindo culpado por não esquecer Aymée diante de uma Camila determinada.

CENA II

PRÉDIO NO LEBLON/ FRENTE/ INT/ DIA.

Marcelo, novo segurança de Anita, para o carro dela em frente a um prédio. Anita está no banco de trás mexendo no celular.

ANITA: Pode procurar um lugar aí pra estacionar e aproveita seus minutos ou hora de folga, cão!

Marcelo estranha o insulto.

ANITA: Quando eu sair da casa do meu amigo te chamo pra você me buscar!

MARCELO: Cão?

ANITA: Ué! Não é o que você é meu agora? Meu cão de guarda? Oh! Só não vai abusar e ficar por aí dando voltinha no meu carro, heim! Sei que gente do seu tipo adora se aproveitar dos carros dos patrões pra ficar tirando onda por aí. (abrindo a porta do carro) Quando eu sair te ligo!

Anita sai colocando os óculos escuros no rosto. Marcelo bufa de raiva dentro do carro.

CENA III

CLUBE/ BAR/ EXT/ DIA.

Início de tarde no Clube Riviera Mars. Piscinas cheias, quadras com jogadores… No bar a céu aberto, Martin e Kléber se despedem de um jovem que estava sentado com eles, mas já está saindo.

KLÉBER: E tu, Martin. Ta pegando ninguém não?

MARTIN: Tô pô… Sabe como é né…

KLÉBER: Não! Não sei! Diz aí!

MARTIN: Ah… Tem umas minas aí que fico ás vezes. Tu mesmo já viu.

KLÉBER: Tu falou isso agora e me veio na cabeça… Cara, maior tempão que não te vejo com uma mina. Martin, eu acho que tu tá virando gay!

MARTIN (nervoso): Qual foi Kléber? Gay porra nenhuma!

KLÉBER (rindo): Calma, cara! Tô te zoando! Dá um beijinho aqui pra desculpar, dá!

Kléber vai pra cima de Martin querendo beijar sua boca. Tudo na brincadeira. Martin o empurra.

KLÉBER: Vou no banheiro! Pede aí mais uma caipirinha pra nós! Hoje tô afim de beber a tarde toda!

Kléber sai e Martin tenta controlar seu desespero. Primeira vez que seu amigo faz uma brincadeira desse tipo. Logo o cara por quem ele tem uma obsessão.

CENA IV

PRÉDIO NO LEBLON/ FRENTE/ INT/ DIA.

Marcelo novamente para o carro em frente ao prédio. Anita e Jackson entram atrás.

ANITA: Esse é meu novo cão, Jackson!

JACKSON: Fala aê, cão. Beleza?

Marcelo não responde. Ele engole o insulto e respira fundo.

MARCELO: Pra onde a senhorita quer ir?

ANITA: Eu e meu best vamos pro clube agora, e  depois vemos pra onde queremos ir. Anda!

Marcelo sai com o carro. Ele nota que Anita está elétrica demais.

CENA V

ANOITECE

CENA VI

MANSÃO GUERRA DE LUXEMBURGO/ SUÍTE DE MONTSERRAT/ INT/ NOITE.

Montserrat termina de passar um creme no rosto, ela está de penhoar, pronta para se deitar. João lê um livro na cama. Montserrat vai se encaminhando pra cama.

MONTSERRAT: Não tem mais noticias sobre o caso da Aída?

JOÃO: Não, minha rainha! O Souto continua com as investigações, mas nada acontece.

MONTSERRAT: E a tal testemunha? A que ligou e disse que o carro tava no tal lago…

JOÃO: Nada. Só denunciou isso e mais nada. Mas sabe o que eu tô com saudade (beija o pescoço de Montserrat) de fazer um amorzinho gostoso com a minha rainha.

MONTSERRAT: Ai João, hoje não… Tô cansada, indisposta… Vamos deixar pra amanhã? Ihh, tá sem água aqui. Deixa eu ir lá na cozinha buscar.

Montserrat sai do quarto deixando João ali impaciente.

CENA VII

MANSÃO GUERRA DE LUXEMBURGO/ SUÍTE DE JÚNIOR/ INT/ NOITE.

João Jr está deitado em sua cama assistindo uma série na TV. Montserrat entra.

JOÃO JR: Que isso?

MONTSERRAT: Noite de sábado e João Júnior em casa… Que evolução! O que houve? Não vai sair pra se agarrar com essas piranhas que você leva todo sábado pra um motel?

JOÃO JR: Montserrat sai daqui! Se alguém te viu entrando aqui…

MONTSERRAT: Você acha que sou amadora?

JOÃO JR (se levantando): Montserrat vai pro seu quarto!

MONTSERRAT: Vou! Mas primeiro me beija! Anda.

João Jr dá um beijo em Montserrat. A vilã morde os lábios dele. Ele recua colocando as mãos nos lábios que tem um leve sangramento. Montserrat ri.

MONTSERRAT: Boa noite, gostoso!

Montserrat sai do quarto. Enquanto se encaminha para o andar de baixo é observada por Eugênia no final do corredor. Ela não percebe que a empregada viu a patroa saindo do quarto de Júnior.

CENA VIII

DIAS DEPOIS…

CENA IX

RUA/ EXT/ DIA.

João Jr está dentro de seu carro em uma ligação com Aymée.

JOÂO JR: Tô ligando pra saber se você quer me acompanhar no jantar de aniversário da empresa.

CENA X

OLIMPO HOTEL CLUB/ AP DE ROSELI/ INT/ DIA.

Aymée e Paulina ouvindo Júnior no celular. Celular no viva voz.

AYMÉE: E esse jantar é quando?

JOÃO JR: Hoje! Lá em casa. Eu tentei falar com você esses dias, mas seu celular estava dando caixa postal.

AYMÉE: Eu viajei. Fiquei sem sinal grande parte do tempo. Então o jantar é hoje…

JOÃO JR: Sim. E então? Aceita me acompanhar?

AYMÈE (convicta): Sim! Eu irei!

Depois de encerrar a ligação. Paulina estranha.

PAULINA: E o club? Maria minha mãe não vai/

AYMÉE (corta): Eu vou falar com ela.

CENA XI

OLIMPO HOTEL CLUB/ SALA DE ROSELI/ INT/ DIA.

Aymée e Paulina diante de Roseli. Aymée já fez o pedido.

ROSELI: Ah, me desculpa Nêmesis! Mas não vai dar! Se eu te liberar hoje, daqui a pouco as garotas todas vão querer regalias.

AYMÉE: Eu te pago uma taxa, Roseli.

ROSELI: Você sabe que não trabalho dessa forma… Não quero problema com a justiça.

PAULINA: Mas mãe, ninguém precisa saber dessa taxa.

ROSELI: Tá! Eu não saindo no prejuízo tudo bem. Embora eu já imagine que quando souberem que você não está muitos clientes vão embora e vai ser menos dinheiro de consumação… Mas aí as outras garotas que aproveitem!

AYMÉE: Obrigado, Roseli!

ROSELI: Não sei no que você tá metida! E nem quero saber! Deve ser aquela tal de vingança contra um ricaço, né?!

Aymée não concorda e nem discorda.

CENA XII

ANOITECE

Cai a noite na cidade maravilhosa.

CENA XIII

MANSÃO GUERRA DE LUXEMBURGO/ COZINHA/ INT/ NOITE.

Camila entra na cozinha apressada, ela amarra o avental. Está vestida para servir na festa que está acontecendo na mansão. É contratada do buffet.

CAMILA: Acabei chegando atrasada! A senhora viu a responsável do buffet por aí?

EUGÊNIA: Está lá fora no caminhão de gelo. Toma essa bandeja aqui! Ela disse que eu posso ficar responsável aqui na cozinha também.

CENA XIV

MANSÃO GUERRA DE LUXEMBURGO/ HALL/ INT/ NOITE.

Alguns convidados conversam no hall de entrada. Taças nas mãos. A festa acontece. Um dos empregados da casa abre a porta. Surge Aymée deslumbrante em um vestido longo preto com dourado. Está mais linda do que nunca. Aymée entra observando a mansão. O lugar que tanto desejou estar! Logo João Jr vai ao seu encontro.

JOÃO JR: Aymée! Você está… (procurando as palavras) Deslumbrante!

João Jr não tira os olhos dela, está encantado. O momento é quebrado pela chegada de João e Montserrat.

JOÃO JR: Pai…

JOÃO (cumprimentado): Aymée! Não sabia que você e meu filho estavam tão amigos.

AYMÉE: Um pouco! (sorri)

JOÃO: Essa é a minha esposa, Montserrat.

AYMÉE: Sim. Nós já nos conhecemos.

MONTSERRAT: Enquanto eu aguardava o elevador.

AYMÉE (simpática): Verdade.

MONTSERRAT: E eu sempre cruzando com vocês dois juntos.

AYMÉE: Pelo menos não há uma colisão.

MONTSERRAT: Bem, minha querida, a noite é uma criança!

Júnior percebe o “climão” instaurado. Na troca de olhares fuzilantes entre nossa heroína e nossa vilã é o…

FIM DO QUARTO CAPÍTULO

Anúncios

6 thoughts on “Guerra de Luxemburgo – Capítulo 04

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s