SERRA DOURADA

_______________________________SINOPSE_______________________________

Maria Teresa Ramos Caiado (Bianca Bin) é filha do temido Barão de Anhanguera (Osmar Prado). Uma moça doce, criada sob a barra da saia da mãe, dona Suzana (Débora Bloch). Maricota, como gosta de ser chamada, é a mais prendada e desejada dama do ouro no interior de Goyaz, mas parece se interessar pouco ou quase nada por um pretendente.  Mas isso vai mudar assim que ela conhecer e se apaixonar por Félix Bulhões (Erom Cordeiro), um jovem doce e romântico, que vai se encantar com a beleza de jovem donzela.

Sobre esse assunto ela só pode falar com Mirmila (Gabriela Moreyra), a jovem escrava que vive na casa grande e que, desde o seu nascimento, lhe serve de companhia e de ombro amigo para as dificuldades. Maricota não sabe, mas um sentimento perturba a amiga: a proteção exagerada do Barão sempre lhe pareceu um grande mistério, que por tabela gera a ira e o ciúme de Suzana.
Mas existe um grande problema: Félix é o irmão caçula de Leopoldo (Leopoldo Pacheco), que atribui ao Barão de Anhanguera a morte de seu pai e a ruína de sua família. Esse sentimento de vingança é expressado através das letras do jornal “O Democrata”, único periódico da região e oposição ferrenha ao Barão e a tudo o que ele representa.

Os Caiado e os Bulhões são inimigos há gerações e o amor de dois jovens sonhadores e puros de coração parece ser a única saída para essa situação.

Mas em Goyaz também moram simpáticas figuras, como as fofoqueiras Olinda (Aracy Balabanian) e Iolanda (Nicette Bruno), duas irmãs mexeriqueiras e solteironas que só sabem fazer fofoca e tirar vantagem dos desavisados.

Quem também vive por essas bandas é o bispo da cidade, Eugênio (Jonas Mello), um homem correto e severo com as leis da Igreja, que vai entrar em conflito com o seu pupilo, Paulo (Murilo Rosa), que vê a vida por outros olhos.

Entre os escravos está Benedito (Milton Gonçalves), que quer aproveitar a oportunidade única da vinda do Imperador para tentar um sonho de fé e liberdade: construir uma igreja exclusiva para os negros, para que eles possam ter sua fé sem distinção. E ele conta André (Déo Garcez) nessa cruzada.

Mas essa vinda do Imperador Dom Pedro I (Marcos Pasquim) a Goyaz vai significar uma grande mudança na região. A chegada de um homem frio e cruel, o Duque de Monteverde (Gabriel Braga Nunes) vai deixar a família do Barão de Anhanguera em estado constante de alerta.

Infelizmente, a escravidão ainda existe em Goiás. Benedito (Milton Gonçalves) é o cocheiro do Barão e trabalha com a família Caiado há duas gerações. Homem religioso e misterioso, que não se conforma com a posição da Igreja em proibir a entrada de escravos nas celebrações religiosas. Seu grande sonho é construir uma igreja específica para seus irmãos escravos, mas trata-se de um ideal difícil que ele está disposto a percorrer até as últimas consequências e, para isso, vai contar com a ajuda de André (Déo Garcez), mais jovem e mais forte, namorado e apaixonado por Mirmila.

Afinal, em uma cidade pequena, ninguém é confiável.

_______________________________ABERTURA_______________________________

_______________________________PAINEL DE PERSONAGENS_______________________________

_______________________________AUDIÊNCIA_______________________________

NOVELA: Serra Dourada
DE: Leonel Cupertino
HORÁRIO: 21h
META: 10 pontos

Estreia: 10 de Abril de 2017
Término: 05 de Maio de 2017

-Com 20 capítulos

tv_mix_logo

Média-decimal: 09.15 pontos

10/04 a 14/04/2017 17 10 09 04 10 = 10
17/04 a 21/04/2017 11 10 07 08 07 = 09
24/04 a 28/04/2017 09 07 10 ** ** = 09
01/05 a 05/05/2017 ** ** ** ** ** = **

MÉDIA-GERAL ATÉ AGORA: 09 pontos – Mediano

17 thoughts on “SERRA DOURADA

  1. A web é envolvida em uma parte do contexto histórico do Brasil, parece que teremos uma boa retratação da escravidão, que interessante e corajoso da sua parte escrever sobre isso, Leonel. Gostei muito da trama, bem folhetinesca, desejo sucesso.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Bom, pessoal, o que dizer? Quero deixar registrado aqui meu agradecimento ao Brenddo pela confiança em mim depositada nesse ambicioso projeto. Não é fácil escrever sobre um período histórico tão rico, porque ao mesmo tempo em que ele lhe proporciona uma riqueza de possibilidades, também exige muita atenção para não haver furos na história.
    Quero agradecer ao Bruno Alves pela lindíssima abertura que em breve vocês vão apreciar. Sempre solícito, educado e disposto a ajudar.
    Agradeço ao Airton que também sempre me deu um suporte muito grande quando necessário.
    Serra Dourada vem para entreter, pra ser amada, pra tirar o fôlego e para fazer rir. É uma releitura romântica dos tempos áureos da minha terra. Eu nasci na cidade retratada na web e espero transmitir os sentimentos dos personagens para vocês.
    Tentei corrigir alguns equívocos que cometi na minha primeira web. Espero que esteja a altura do público do blog.
    Espero todos na estreia amanhã! E nos capítulos seguintes.
    Obrigado!

    Curtido por 1 pessoa

  3. Reciclagem de elenco de Cordel Encantado e Sinhá Moça, boatox.
    Como você mesmo disse, Serra Dourada não veio pra reinventar a roda, apenas trouxe ingredientes diferentes para a mesma boa e secular receita do épico amor proibido entre membros de famílias rivais. A trama será centrada numa releitura do clássico Romeo and Juliet sob o pano de fundo do interior brasileiro de aproximadamente 200 anos atrás.

    Curtido por 1 pessoa

    • Eu acho que o diferencial de Serra Dourada está no rumo que as coisas vão tomar. A princípio a novela é mesmo um Romeu e Julieta secular, mas existem outros elementos que a tornam algo menos clichê.
      Sim, tirei elementos de Sinhá Moça, de Escrava Isaura e ambientei tudo num lugar que eu conheço bem.
      Não dá pra você avançar demais. O tempo era aquele: pessoas autoritárias, sem muita paciência para o diálogo, luta por posses e por ouro, etc. A história é essa, não dá pra mexer muito.
      Mas, acho que Serra Dourada vai surpreender nos detalhes. É preciso ler com sensibilidade.

      Curtido por 1 pessoa

  4. Berro que teremos Dom Pedro I na web.
    Algo me diz que Mirmila é a filha do Barão…
    Desde já aguardando as maldades do Duque e de Suzana – que eles se tonem amantes.
    18 personagens, um número razoavelmente grande para uma web de 20 capítulos – os capítulos serão muito grandes?
    Adorei a sinopse e o elenco. Sucesso, Leonel. 😀

    Curtido por 1 pessoa

    • Roberto, os capítulos tem entre 10 e 13 cenas cada um. Eu não gosto de fazer capítulos muito grandes porque senão cansa o leitor.
      Fico feliz que tenha gostado da sinopse. Espero você na estreia.

      Curtido por 1 pessoa

  5. Uma estória de conflitos, romances e esperanças. Serra Dourada tem um enredo muito bem amarrado e criado. Vejo que além de nos cativar, você também irá nos ensinar sobre essa era em Goiás. Desejo sucesso, Leonel! Me interessei e tentarei acompanhar. 😉

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s