A Divina Vingança – Capítulo 14 (Último Capítulo) + Segredos da Paixão – Capítulo 1

AVERDADEIRA VINGANÇA

ANO DE 2016

 

CENA 01: Bangu, Galpão, Tarde

 

TRILHA SONORA: SHACKLER REVENGE – GUNS N ROSES

 

Marcelo ao ouvir aquilo mostra uma feição enigmática.

MARCELO: O que é que você está dizendo?

FLÁVIA: Foi tudo parte de um plano, um plano do teu pai comigo. – Todos olham para ela, incrédulos.

MARCELO: Comece a explicar!

FLÁVIA: É simples, o teu pai descobriu que a Rita estava planejando mata-lo através das escutas da empresa, ele me ligou e me ofereceu dinheiro para participar do plano dele, e eu aceitei! – Rita olhava para ela, sem acreditar.

 

CENA 02: FLASHBACK, Apartamento de Flávia, Noite

FLÁVIA: Mas o que você está falando Pedro? Você quer enganar a Rita?

PEDRO: Claro! Ela é esperta e a empresa está falindo, eu preciso manter-me bem! Nós vamos fazer o seguinte, vamos forjar a minha morte.

FLÁVIA: Mas como Pedro, como nós vamos conseguir forjar a tua morte?

PEDRO: Eu tenho um irmão gêmeo Rita! É ele que vai morrer, e não eu…

 

FIM DO FLASHBACK

 

CENA 03: Bangu, Galpão, Tarde

Marcelo e Rita olhavam para ela incrédulos.

RITA: Você me enganou? É isso mesmo? Eu sabia que não devia confiar em você, tu é uma puta, rameira, como eu não me liguei que você iria me trair?

MARCELO: Deixa ela terminar! – Marcelo gritou. – Explica essa história direito, que eu saiba o irmão gêmeo do meu pai morreu há muito tempo.

FLÁVIA: É isso que todos pensam, mas essa não é a verdade, o irmão dele não morreu, e ele descobriu isso anos depois, entretanto eles nunca se deram bem, principalmente depois dessa história e depois dele não ter ajudado o irmão com aquele acontecido. Ele mentiu para o irmão, fingiu querer uma reconciliação. – Flávia engole em seco. – Ele chamou o irmão pra sala da presidência e deu naquilo que a gente já sabe.

 

CENA 04: FLASHBACK, Empresa Couto, Escritório da Presidência, Noite

Pedro e Tony se olhavam frente a frente, dentro do escritório.

PEDRO: Acredite no que eu estou falando, tudo o que eu quero é me reconciliar com você, quero conseguir me desculpar de tudo que eu já fiz contra você! – Tony realmente acreditava no irmão.

TONY: Ok. Eu vou te dar essa chance, você vai ter a chance de se desculpar comigo.

PEDRO: Que bom. – Eles se abraçam, mas logo se afastam. – Bem, fica aqui, eu preciso resolver uma situação, mas não vou demorar… Pode sentar em qualquer lugar.

No mesmo instante Pedro deixa a sala.

Tony imediatamente ficou a admirar a sala, caminhou e sentou na cadeira de seu irmão.

TONY: É parece que você mudou bastante desde a época em que éramos unidos, não é Pedro?

Quase que imediatamente ele viu a porta se abrir. Uma pessoa vinha de lá, com uma arma na mão

TONY: O que significa isso. – Ele se pôs em pé rapidamente.

A arma é apontada e dispara, acertando Tony.

 

FIM DO FLASHBACK

 

CENA 05: Bangu, Galpão, Tarde

Marcelo a aquela altura estava completamente perdido, sem saber o que fazer.

MARCELO: Eu não posso acreditar nisso! Não posso acreditar no que estou ouvindo , o meu pai não pode ser esse monstro, eu não posso ser filho de uma criatura destas. – Paulo tentava acalmar Marcelo.

PAULO: Calma Marcelo…

MARCELO : Calma? Vai, fala, quem foi que atirou? Foi você?

FLÁVIA: Não, eu não atirei! – Falou ela, olhando pra ele. – Eu ia atirar, eu me preparei para atirar ele queria que eu atirasse, mas não fui eu, pois não tive coragem, já estava até ligando para ele, quando ouvi um tiro ser disparado.

MARCELO: Se não foi você, quem atirou? – quase que imediatamente naquela hora, é visto uma pessoa entrar no galpão. E logo é possível ver que era Pedro… Marcelo imediatamente fica atônito… – Você?

PEDRO: Oi Marcelo.

MARCELO: Então você está mesmo vivo, então essa história é verdade… – Imediatamente Marcelo avança sobre um dos seguranças e toma a arma – É de você que eu devia me vingar, não é? – Falou, apontando a arma para ele.

PEDRO: Marcelo, calma. Deixa eu explicar, sim, é verdade, eu fiz tudo isso… É verdade! Mas eu fiz por uma boa causa!

MARCELO: Boa causa? Boa causa? Você matou um homem, sequestrou duas crianças, me deixou aqui só, me deixou sofrer imaginando que você tinha morrido, e agora aparece vivo e ainda vem me dizer que foi por uma boa causa.

PEDRO: E foi, eu achava que a empresa estava falindo, eu achava que ia ser preso, que a empresa ia quebrar, que iam nos tirar tudo. Além disso, Rita queria acabar comigo, eu não podia ficar quieto! Desviei dinheiro sim da empresa, pensando em nós! Fugi para o exterior, mas percebi que você corria perigo sozinho aqui, com todas essas cobras habitando a empresa. Então decidi voltar. Você pode me acusar de tudo Marcelo, mas nunca vai poder dizer que eu não ligava para você, eu sempre liguei para você.

MARCELO: Eu não consigo acreditar nisso depois do que você fez… – falava ele olhando para o pai com os olhos marejados.

PEDRO: Você conseguiu não é? – Falava olhando para Rita. – Conseguiu o que você queria, uma divina vingança contra mim, mentiu pra mim, me enganou, fez o meu filho me odiar, me tomou milhões de reais. Parabéns Rita, você é mais inteligente do que eu imaginava.

RITA: Eu ainda vou ter a chance de acertar essa sua cara e me vingar de vez de você Pedro! Como eu odeio você! – falava, se mexendo. Imediatamente a câmera foca na sua mão e ela nota que consegue se desamarrar. Imediatamente seu olhar se torna mais amigável.

MARCELO: Eu não consigo acreditar nisso tudo ainda, não é possível que isso seja verdade! – falava ele, sentindo Paulo o abraçar.

PAULO: Calma Marcelo, não fica assim.

MARCELO: Eu não quero me acalmar, eu quero matar todos vocês por me enganarem desta forma! Esconderem tudo isso de mim, me fazerem sofrer dessa forma, eu não posso acreditar ainda quero saber quem foi que atirou no Tony, quero saber quem foi que deu esse tiro que mudou a minha vida!

Quase que imediatamente é possível ver Letícia, Mariana, Geraldo e Luan adentrarem o galpão.

LETÍCIA: Marcelo? O que significa isso? – imediatamente todos eles olham, e vem Pedro. – Meu Deus! Pedro? Você está vivo… Você está vivo mesmo? – Luan era quem mais se surpreendia em vê-lo daquela forma, vivo…

PEDRO: É Letícia… Eu estou mesmo vivo.

LETÍCIA: Alguém pode me explicar o que está acontecendo aqui?

MARCELO: É bem simples Letícia. Esses três nos enganaram, mentiram pra todos nós. Meu pai nunca esteve morto, tudo não passou de uma farsa deles dois!

LETÍCIA: Uma farsa? Eu não acredito!

MARCELO: É… Foi o meu tio quem morreu, não ele… Não é? Eu só quero saber quem foi que atirou nele, a Flávia diz que não atirou, mas alguém deve ter atirado e eu quero saber, quem foi que atirou?

 

CENA 06: FLASHBACK, Empresa Couto, Escritório da Presidência, Noite

É mostrada novamente a cena do tiro. Tony, que estava aquela altura em pé na sala. A câmera, que normalmente mostrava apenas a mão de quem atirava, agora vem do lado de fora da sala, gira e foca no rosto do atirador. Um capuz cobria o rosto, entretanto logo o atirador tira o capuz, e se vê que é Luan, o atirador.

TONY: O que significa isso?

LUAN: Enfim vou poder cobrar aquilo que você fez comigo. – Luan sussurrou, imediatamente apertando o gatilho, que dispara. A bala logo acerta Tony, que cai no chão. Luan imediatamente sai correndo.

 

 

CENA 07: Bangu, Galpão, Tarde

A câmera foca em Luan, que olhava para aquilo tudo atônito.

FLÁVIA: Se não fosse essa pessoa que atirou, as coisas não teriam caminhado para isso que caminharam… E talvez Pedro tivesse realmente morrido… – falava, olhando para Marcelo. – Quem será que atirou?

Luan, que aquela altura era um mero coadjuvante em toda aquela cena, fala algo.

LUAN: Fui eu! Fui eu que atirei naquela noite!

MARCELO: Você? Você Luan?

LUAN: Eu não sei o que me deu naquela noite. Eu havia sido espancado na rua um dia antes… Bebi muito para aliviar as dores… Eu lembrava quem havia me levado para aquela situação! Era ele! Ele foi quem me sequestrou. Ele foi quem me pôs na rua! – falava, olhando pra Pedro.

GERALDO: Você? Eu não acredito que você fez isso Pedro! – falou ele, avançando sobre Pedro. Imediatamente deu um soco nele, mas logo foi afastado pelo segurança. – Como você pode ter feito isso? Nós fomos amigos por tanto tempo, pra quê tanto ódio?

PEDRO: Eu tinha inveja! Inveja de você! – Falava ele, com a mão no rosto. – Família perfeita… Sua empresa estava maior que a minha e eu queria te desestabilizar de alguma forma.

GERALDO: Você tem noção do quanto eu sofri? Do quanto eles sofreram? – falava, apontando para Luan e Mariana. – Você é um monstro Pedro, a pior pessoa que eu podia conhecer na minha vida.

LUAN : Eu queria fazer ele sofrer! – falou, olhando para Pedro – Olhava para aquele prédio grande, na Barra com raiva! Peguei uma arma com um traficante que eu conhecia. Me vesti bem. Falei pra secretária que você tinha uma reunião comigo e ela me deixou entrar e quando eu entrei, eu atirei, só não esperava que tivesse sido com uma pessoa inocente! – Ele falava, olhando para o alto. Marcelo sorriu

MARCELO: Eu não acredito que a pessoa que eu mais procurei nos últimos tempos,, estava dentro da minha casa e você, o que ficou fazendo todo esse tempo? – perguntava ao pai, o olhando – Rindo de mim?

PEDRO: Estive no exterior… Entretanto voltei, pois logo deduzi que Rita iria atentar contra você.

MARCELO: E atentou não é? Aquele acidente também é culpa sua, Rita!

RITA: Não só aquele acidente – Falou ela, sorrindo – Isso aqui também vai ser.

A câmera foca nas suas mãos e é possível ver que ela havia conseguido se desamarrar. Imediatamente ela avançou sobre Marcelo e ele sem esperar, acabou perdendo a arma pra ela.

Com posse da arma, Rita grita.

RITA: Andem pra trás! – Falou, apontando a arma para eles. – Essa brincadeira aqui vai acabar agora! – Imediatamente o segurança saca a arma, mas não atira com medo dela disparar contra Pedro e Marcelo. – Olha bem Pedro, agora você vai sofrer como eu sofri.

O olhar de Rita era de completa loucura. Ela aponta a arma para Marcelo, e dispara… A câmera acompanha a bala, em câmera lenta. Quase que imediatamente Pedro se joga na frente da bala, e ela o atinge.

MARCELO: PAI?!

Também em câmera lenta, Pedro cai no chão, a bala o atinge no peito.

Luan imediatamente avança no segurança, toma a arma dele e atira em Rita.

LUAN: Não! Ele não tem culpa! – falava, olhando para Marcelo. – Ele é uma boa pessoa! – falou, correndo e tirando a arma de perto dela. A tragédia estava formada.

MARCELO: Pai? Pai! Fala comigo, pai! – Marcelo ainda nutria um grande amor pelo seu pai, apesar de tudo. – Por que você​ fez tudo isso comigo pai? – Se perguntava, o olhando. – Por que você foi essa pessoa horrível? – Pedro, atordoado, olha para o filho, e pega no rosto dele – Quando você deixou de ser aquele herói que eu sempre admirei?

PEDRO: Meu filho! – Sorri ao acaricia-lo – Felizmente você não puxou a mim, não é? Você foi a única coisa boa que eu fiz, sabia? Me perdoa por ter feito tudo isso, e por favor, esqueça que esse eu existiu… Lembre-se apenas da boa imagem que você tinha de mim, eu não tenho mais salvação filho eu sou um homem ruim, mas você, você é um anjo. – falava, o olhando… Quase que a mesma cena se repete ao lado. Luan cai de joelhos, ao lado da mãe.

RITA: Você atirou em mim Luan?

LUAN: Eu não podia deixar você fazer aquilo! Ele não merece… O meu pai disse que você era uma pessoa boa… Quando você deixou de ser?

RITA: Desde quando o ódio passou a ser o meu amor – Falava, olhando para ele. – Você… é meu menino… – Ela acaricia o rosto de Luan que estava de joelhos diante dela. – Nunca pensei que meu próprio filho atiraria em mim. – Ela chora dolorosamente. – Esqueça que você teve mãe, Luan, eu sou um péssimo exemplo pra você. – falou ela, se levantando lentamente. O tiro havia atingido o seu ombro, e não a impedia de levantar. Ela se aproveitou que todos estavam atentos com Pedro, e correu para longe, Luan não fez nada a não ser observar remoendo o remorso de ter feito aquilo.

 

Marcelo continuava olhando para o pai.

PEDRO: Eu amo você! E sei que você vai ser muito melhor do que eu… – falava. Em seguida, seus olhos fecharam. Agora ele estava morto, de verdade… Marcelo, ao ver aquilo, apenas soltou o corpo do pai e ficou o olhando. Paulo se abaixou e o abraçou.

MARCELO: Agora ele se foi de vez. – a câmera, por cima, foca em toda aquela cena, e vai se afastando…

 

CENA 08: Ruas do Rio de Janeiro, Tarde.

Rita corria enquanto sangrava…

RITA: Eu não irei para a cadeia, não posso ir pra cadeia!  

Ela ate tentou fugir, mas não demorou muito para aquela sangramento cobrar o seu preço e ela perder a consciência. Imediatamente apareceram diversos de transeuntes, para ajuda-la.

 

CENA 09: Rio de Janeiro, Hospital, Noite.

Rita acorda mais tarde, dentro do hospital. Não sentia dor no local do tiro. Olhou ao seu redor e viu um médico e dois policiais.

RITA: O que eu estou fazendo aqui? O que houve?

MÉDICO: Você acordou, Rita? Se lembra do que houve? Você deu entrada aqui ontem, havia sido baleada numa tentativa de assalto em Bangu.

RITA: Foi isso que te disseram… – Sussurrava.

MÉDICO: Esses dois policiais querem falar com você… – Imediatamente Rita olhou para os dois.

POLICIAL: Senhora Rita Casual?

RITA: Fala logo.

POLICIAL: Nós temos um mandado de prisão expedido contra a senhora, por diversos crimes, todos estão especificados nesse papel. A senhora será tratada aqui e após receber alta, irá direto para a prisão, sem direito a fiança. – Rita olhava para os policiais com ódio.

RITA: Não pode ser! Não pode ser! – gritava.

 

CENA 10: Praia de Copacabana

A câmera mostra diversas cenas no Rio de Janeiro, em diversos horários. E os dizeres “meses depois” aparecerem na tela.

 

CENA 11: Rio de Janeiro, Cadeia, Manhã

É mostrado Rita saindo de lá de dentro, em direção a sala de visitas. Ali estava a sua espera Geraldo, que a olhava.

RITA: Só veio você ?

GERALDO: Só… O Luan está agora estudando pela manhã, não pode vir.

RITA: Entendo… É bom, ao menos estudando ele consegue uma boa vida.

GERALDO: Mais de 20 anos não é? – Falou, olhando para ela. – Valeu a pena tudo isso Rita? Você tinha uma boa vida, eu amava você e agora você está aqui, presa.

RITA: Você não me entende não é? Eu não conseguiria viver em paz sem ver aquele homem sofrer eu viveria muito mal, não me arrependo de nada que eu fiz, só assim eu conseguiria viver em paz.

GERALDO: É? E agora vai viver aqui por anos… Quando sair o nosso filho já vai estar com quase 40 anos.

RITA: Não se preocupe comigo! Cuide do Luan, faça ele ter um futuro, é só o que eu quero! – falava ela, com o olhar perdido.

 

CENA 12: Apartamento, Mônaco, Tarde

 

TRILHA SONORA : WHOLLE LOTTA LOVE – AC/DC

 

É mostrado uma pessoa, deitado dentro de uma banheira. Lentamente a câmera se aproxima do rosto e se vê que é Flávia.

FLÁVIA: Kléber ? – ela fala, e imediatamente um rapaz muito bonito se aproxima.

KLÉBER: O que foi Flávia?

FLÁVIA: Vem tomar banho aqui comigo vem?

KLÉBER: Eu?

FLÁVIA: É… Refrescar um pouco… – Kléber sorriu ao vê-la daquela forma. Imediatamente ele se aproxima da banheira, dá um beijo nela e entra. Ela o abraça e o acaricia. – É, parece que não foi tão ruim assim ter participado desses planos, resolvi a minha vida. – Falava ela sorrindo, enquanto a câmera foca no seu rosto.

 

CENA 13: Empresas Dias, Sala da Presidência, Tarde

Geraldo estava na sua sala, trabalhando, quando a secretária abre a porta.

SECRETÁRIA: Geraldo, o seu advogado está aqui.

GERALDO: Manda ele entrar.

Imediatamente o advogado entra.

ADVOGADO: Vim dar o parecer do caso do seu filho, ele vai ser processado, por homicídio culposo.

GERALDO: É, eu imaginava… – Falou, olhando pra ele – Mas você acha que ele pode ser inocentado?

ADVOGADO: Dada toda a conjuntura do que aconteceu, eu acho que até pode, mas enfim, vocês têm que se preparar para tudo…  

Quase que imediatamente a porta se abre e Luan entra.

LUAN: Geraldo, queria saber se… – Ele vê os dois conversando e se contrai – Ah, desculpa , não sabia que tinha alguém aqui.

GERALDO: Não, não tem importância. É o advogado. Ele veio falar que você pode ser inocentado.

LUAN: Agora eu me arrependo de ter atirado aquele dia. – Falava, suspirando. – Pra agora correr o risco de perder a minha liberdade.

GERALDO: É meu filho, não foi uma ideia muito boa, mas agora já tá feito, não adianta chorar.

O advogado olha para os dois.

ADVOGADO: Quem diria que você iria encontrar o seu filho depois de tanto tempo não é?

GERALDO: É… – falava, o abraçando… – A felicidade voltou pra minha vida.

 

CENA 14: Mansão dos Couto, Tarde

 Marcelo andava pela casa, enquanto bebia um copo de água. Letícia estava sentada na sala, quando ouve a campainha tocar.

MARCELO: Você vai sair hoje?

LETÍCIA: Não e também quero que você espere, quero te falar uma coisa.

MARCELO: Ah é?

Letícia abre a porta e Mariana entra.

LETÍCIA: E então Mariana? Já tomou a sua decisão?

MARIANA: Já? Eu irei fazer aquilo mesmo…

Marcelo as encarava com curiosidade.

MARCELO: O que é que vocês estão escondendo de mim?

LETÍCIA: É que nós decidimos voltar a França.

MARCELO: Sério? Vão me deixar só nessa casa enorme?

LETÍCIA: Ah Marcelo, você tem a sua mãe, tem o Paulo e além disso, acho que preciso de uns novos ares, eu confio em você para gerir as minhas ações na empresa. Quero agora uma nova vida.

MARIANA: E eu, bem… Não tenho mais motivos para estar aqui no Brasil. Vou voltar pra França, estudar, fazer a minha vida, afinal não é porque eu descobri que tenho um pai milionário que vou me acomodar.

MARCELO: Está certo. Bem, façam o que vocês acharem melhor, eu estarei aqui com a mesma alegria de sempre, torcendo por vocês.

LETÍCIA: É… Nós sabemos. – Falou ela, abraçando ele em seguida.

 

CENA 15: Ruas do Rio de Janeiro.

A câmera mostra diversas imagens do Rio de Janeiro, em diversos horários, e os dizeres “Dias depois”

 

CENA 16: Empresa Couto, Escritório da Presidência, Manhã.

MARCELO: Ah vai mãe, você vive só lá naquela mansão enorme, eu já consegui trazer o vovô, ele vai vir. Eu estou tão só naquela casa, a Letícia se foi, o papai e o Luan também. Só ficou eu e os empregados, eu não estou pedindo pra você se desfazer da sua casa, só que passe a morar na minha.

ANDREA: Ah Marcelo, eu não sei se vou conseguir viver bem ali naquela casa. Além disso, eu já estou acostumada com a minha casa meu filho.

MARCELO: Por favor, mãe. – Falava ela, agarrando as mãos​ dela.

ANDREA: Eu vou pensar. – falou ela sorrindo.

MARCELO: Ah, que bom! – falou ele, beijando o rosto dela. Quase que na mesma hora, Paulo abre a porta da sala.

PAULO: Marcelo, chegou mais um balanço das… – Paulo ergueu o olhar e viu Andréa ali – Ah, eu não sabia que a Dona Andrea estava aqui.

ANDREA: Tudo bem Paulo… Bem, eu me vou, ainda tenho um jornal pra editar.

MARCELO: Não vai esquecer de pensar naquilo que eu lhe falei.

ANDREA: Tá bom… – Não demorou muito pra ela sair e deixar eles dois sós na sala.

PAULO: O que é que você anda tramando com a tua mãe ein? – Paulo perguntou, o abraçando.

MARCELO: Nada demais… Só estava chamando ela pra ir morar lá em casa…

PAULO: Mas porquê?

MARCELO: Estou me sentindo muito sozinho lá em casa, então chamei ela e o meu avô.

PAULO: Ah é? Acho que eu tenho a resolução dos teus problemas – Falou ele, puxando Marcelo.

MARCELO: Espera, aonde você vai me levar?

PAULO: Vamos, você vai gostar! Eu tenho certeza!

MARCELO: Tá bom – Ele apenas deixou se levar.

 

CENA 17: Praia de Grumari, Rio de Janeiro, Tarde

 

TRILHA SONORA: LIGA PRA MIM – CALCINHA PRETA

 

Marcelo e Paulo chegam na praia, a pé.

MARCELO: Então é aqui que você queria me trazer?

PAULO: É…

MARCELO: Mas porquê?

PAULO: Ah… Logo quando eu cheguei no Rio de Janeiro, adorava essa praia, vinha pra cá só pra curtir essa tranquilidade, sentir essa brisa.. Sempre gostei muito daqui…

MARCELO: Que bom que você gosta daqui, mas não acho que seja pra isso que você me convidou para vir aqui, não é?

PAULO: Não, na verdade eu pensei bastante nesses últimos dias, num lugar que fosse adequado.

MARCELO: Adequado pra que?

PAULO: Pra te pedir em casamento.

A câmera foca no rosto de Marcelo, naquela hora. Era de extrema surpresa.

MARCELO: Casamento Paulo?

PAULO: É… Já não consigo mais me ver sem você, quero estar contigo, quero viver contigo, compartilhar os teus problemas, enfim…

MARCELO: Você tem certeza disso? Casamento é uma coisa muito séria Paulo.

PAULO: Eu sei que é… Não faria esse pedido se não tivesse certeza – falou ele, se ajoelhando aos pés dele – E então? – imediatamente ele tira uma caixinha de aliança do bolso – Quer casar comigo?

 

CENA 18: Mansão dos Couto, Jardim, Tarde

Podia se ver ali a presença de todos. Letícia, Mariana, Andréa, Geraldo, Luan, Renata. Praticamente todos estavam ali, no casamento de Marcelo e Paulo.

LETÍCIA: É… Quem diria que o Paulo, depois de tanta homofobia, ia acabar casando com o Marcelo… – Falava ela, ao lado de Renata.

RENATA: É… No fundo eu sempre imaginei… Ele não era normal, essa aversão que ele tinha não era normal… Eu estou feliz, porque ele também está feliz.

LETÍCIA: É… Eu entendo.

LUAN: É Marcelo…Até que você escolheu o certo. eu era pouco demais pra você. – Falava, sorrindo, enquanto via Marcelo se posicionar no tapete… Estava tão elegante aquele dia, vestia um terno azul lindo. No altar, Paulo o olhava, com os olhos marejados e tão elegante quanto.

Logo Marcelo começou a caminhar em direção a Paulo. Os dois não paravam de se olhar em momento algum. Não demorou muito para ele chegar no altar, dar as mãos com Paulo, e os dois olharem para o juiz. As câmeras mostram diversas imagens deles, naquele casamento, intercalando com as cenas que eles passaram. Desde o enterro, até o bar, a noite do beijo, as brigas, a primeira transa. Tudo passava na mente deles.

JUIZ: Marcelo Couto, Paulo Dias… Vocês aceitam um ao outro para se unirem em matrimônio? – os dois se olhavam.

MARCELO: Aceito…

PAULO: Aceito…

JUIZ: Bem… Pelo poder que foi em mim investido, eu os declaro casados. – Logo eles colocaram as alianças, e se olharam mais uma vez. Era um momento incrível para eles. O seu olhar expressava paixão. E logo eles se beijaram, com o aplauso de todos. A história de amor e vingança, assim se encerra.

 

FIM…

 

ANO DE 2017

CENA 19: Epílogo, Cadeia, Noite

A escuridão tomava conta da prisão naquela altura da noite. Entretanto, se ouvia uma das presas acordadas. Era Rita, que tentava de alguma forma abrir a fechadura da cela. Mexia, com um pedaço de ferro dentro da fechadura, até que de repente ela consegue destravar. Na cintura, uma pequena arma.

RITA: É… Parece que a minha vingança ainda não se encerrou…

 

PRIMEIRO CAPÍTULO

 

Cena 1

Em um quarto de hospital, uma mulher está prestes a dar a luz. Aos gritos, ela faz força, apertando os lençóis da cama com as mãos. Só é possível observá-la do peito para baixo.

Logo escuta-se o choro do bebê que acaba de vir ao mundo. O médico o segura.

MÉDICO: é um menino! Você é mãe de um menino!

A imagem do médico e a criança erguida em seus braços aos poucos vai desaparecendo.

 

Cena 2

19 Anos depois, MANHÃ

Ao longe por detrás de baixas colinas está a pequena Vila do Rei, cidade localizada no interior paulista, sua população é composta por pouco mais de 40 mil habitantes, lugar tranquilo para se viver.

Aparece o letreiro com a passagem do tempo, mostrando cenas da cidade.

 

Cena 3

MANHÃ, prédio, interior

A mão de uma mulher aproxima-se da porta, Rose, ela dá duas batidas antes de abrir.

ROSE: Filho? Seu café já está na mesa, vamos logo pra não se atrasar pra aula!

Guilherme, jovem e atraente, o filho de Rose responde positivamente, então a mãe dá um passo para trás e fecha a porta. O rapaz está com o celular na mão, respondendo mensagens de texto, ao finalizar guarda o smartphone no bolso.

 

Cena 4

MANHÃ, Mansão Alencar

Um homem está no hall de entrada da casa, Dorival Alencar, ele vai em direção a porta da frente quando um rapaz alto e bonito se aproxima. Trata-se do filho, Diego.

DIEGO: E aí pai, vai rolar aquela grana extra pro final de semana?

DORIVAL: Isso sempre tem que envolver dinheiro, é rapaz?

DIEGO: Pô, “coroa”! Sabe como é… As mina pira! (risos)

O pai abre a carteira e dá uma quantia em dinheiro para Diego, que agradece.

DIEGO: Valeu, coroa! Bom dia!

Feliz, ele guarda o dinheiro na carteira e a enfia no bolso de trás. Em seguida, percebe a voz de uma mulher o chamar. Ao virar-se, uma mulher trajada em roupas de empregada está a sua espera na entrada para a sala de jantar, trata-se de Sandra, a empregada da casa.

SANDRA: Seu Diego, o café está na mesa!

O jovem vai em direção a ela.

 

Cena 5

MANHÃ, prédio, cozinha

Guilherme passa pela sala e dá “bom dia” para a mãe, vai direto para cozinha, senta-se à mesa e começa a se servir. Não demora muito e logo tira o celular do bolso. O que não agrada a mãe que ao ver o filho com o aparelho na mão o repreende.

ROSE: Guilherme, larga esse celular! Você sabe o quanto eu não gosto quando você está a mesa e fica revirando esse “troço”! Será que é tão difícil parar um tempinho e fazer o que deve ser feito sem precisar tá o tempo todo nisso aí?

GUILHERME: Calma, mãe! Sem estresse! Ó, já larguei – Deixando o celular sobre a mesa.

ROSE: Sabe que prefiro que evite isso toda hora. Ainda mais nas refeições…

GUILHERME: Tá bom.

Os dois se acalmam, Rose, contida, se apressa para sair, dá “tchau” para o filho e finaliza lembrando que ele não se atrase para aula.

 

Cena 6

MANHÃ, portão da escola, externo.

Próximo do portão de entrada da escola, enquanto quase todos estão entrando, uma bela moça está parada, olhando para o fim do quarteirão, quando um sorriso  esboça em seu rosto. Guilherme e Diego caminham em direção a ela que não se contém e vai em direção aos dois.

GABY: Bom dia meu amor! – E se joga nos braços de Guilherme.

GUILHERME: Bom dia, neném! – a abraçando de volta.

Gaby olha para o lado e cumprimenta Diego também. Guilherme e ele são muito amigos. Cumprimentos à parte, os três entram na escola.

 

Cena 7

MANHÃ, Hipermercado Líder, interior da loja, sala de Rose.

Rose acaba de chegar ao trabalho, dá bom dia aos colegas e vai em direção a sua sala. Antes que ela se sente para agilizar sua tarefas, o telefone na mesa toca e ela rapidamente o atende.

ROSE: Bom dia! Em que posso ajudar? Ah, Seu Dorival… Não, sem problemas, tô indo aí agora mesmo!

Em seguida sai de sua sala e vai em direção a de Dorival. A mulher bate na porta e então é autorizada a entrar.

 

 

Cena 8

MANHÃ, Hipermercado Líder, interior da loja, sala de Dorival.

ROSE: Bom dia, Senhor Dorival! Em que posso ajudar?

DORIVAL: A ganhar mais dinheiro seria o ideal! Já viu os gráficos do último mês?

ROSE: Claro que sim, senhor! Minha equipe e eu estamos trabalhando duro para lucrar ainda mais. Não esqueça que estamos em um ano de crise.

DORIVAL: Interessante que no mês passado, na convenção, a concorrente da cidade ao lado, apresentou crescimento nos lucros, e nós aqui só diminuindo. Isso seria resultado da sua incompetência? Porque se for, vou dá um jeito de contratar a funcionária comercial de lá! Se é que eles têm uma mulher nesse posto… Você ganha muito bem, pra não ter me dado solução nenhuma ainda!

ROSE: Com todo respeito, senhor. A cidade vizinha é bem maior que a nossa, nós somos poucos habitantes e temos um imenso Hipermercado, que mais gasta do que pode arrecadar. – O homem a encara, mas Rose continua. – Eu e minha equipe fazemos de tudo para melhorar a cada mês, mas isso tudo é reflexo da crise!

DORIVAL: Crise, crise… Saia já de minha sala e me traga resultados! – Rose, sai da sala “bufando” de raiva do chefe.

 

 

Cena 9

MANHÃ, escola, sala de aula

Diego está sentado olhando pra uma colega de classe sentada algumas cadeiras à sua frente, ele acena para que Guilherme olhe também, o rapaz faz sinal de aprovação. Alguns segundos depois, Guilherme percebe o celular vibrar.

 

Mensagem (Diego) Gui, amanhã vai ter uma festa na casa da Carolzinha, “vamo” dá um chega por lá. Os pai dela tá fora mesmo.

Mensagem (Guilherme) Cara, é uma boa! Mas tenho que enrolar a Gaby.

Mensagem (Diego) Ah! Esse que é o problema de se acorrentar kkkkkk perder as melhores “baladinha”. Só posso lamentar por você meu amigo!

 

A professora percebe a falta de atenção de Diego e questiona: Será que o celular está mais interessante que a matéria que você precisa estudar, Diego?

DIEGO: Ah, com certeza professora! Matemática não é meu forte. – Ele ri.

PROFESSORA: Então que tal ir estudar o celular fora da sala? – Todos olham para Diego.

DIEGO: Calma, “fêssora”! Vou guardar o celular.

PROFESSORA: Ótimo! E da próxima vez, eu tiro você da sala.

DIEGO: falou, dona! – Ironiza.

 

Cena 10

MANHÃ, corredor da escola

A imagem vem do alto e aos poucos vai se aproximando de Gaby, sentada em um banco, acompanhada de uma amiga, Lorena, as duas estão distraídas em sua conversa quando Guilherme e Diego chegam de repente. Ao ver o namorado, Gaby dá um pulo de alegria e o abraça, Lorena continua sentada e apenas observa.

DIEGO: Oi Lorena – Olhando para ela, que apenas levanta a cabeça e olha em direção a ele, retribuindo o cumprimento.

LORENA: Oi, Diego!

Feito isso, eles caminham em direção a saída do colégio. Na parte externa da escola, enquanto eles vão embora, um rapaz escorado no muro, está seguindo o quarteto com os olhos. Ele observa os quatro seguirem rua a frente.

 

Cena 11

ANOITECENDO, Hipermercado Líder, estacionamento.

Rose entra no estacionamento e vai em direção ao seu carro, no mesmo instante em que está com o celular na mão, tentando realizar uma ligação.

 

Cena 12

ANOITECENDO, prédio, quarto de Guilherme

As luzes estão apagadas, a visão não permite ver de imediato, porém alguém de costas vai aparecendo, o indivíduo está nú, sua bunda fica em foco. Logo se percebe que é Guilherme, e em sua frente  está “de quatro” Gaby, ela geme enquanto ele faz movimentos de vai e vem.

GABY (gemendo): Mete gostoso em mim! Aí, que gostoso esse “pau”!

Guilherme começa a fazer movimentos mais rápidos e fortes. Estalos de pele são ouvidos.

O celular no criado mudo toca. Guilherme olha e vê que a mãe, o está ligando.

GUILHERME: Porra, minha mãe tá vindo! Te falei que tem dias que ela chega cedo!

GABY (gemendo): Não para de meter em mim! Goza logo, então! Mas não para, porra!

O garoto acelera os movimentos e sem muita demora, goza na namorada. Ela sente e começa a fazer sons de prazer. Ele gemendo, vai deitando pouco a pouco em cima dela… Cansados, mas sem muito tempo pra descansar, levantam e começam a se vestir.

 

Cena 13

ANOITECENDO, prédio, Int.

Rose saI do elevador, as luzes do corredor acendem. Ela vai em direção a porta do seu apartamento ao abrir a porta, depara com Guilherme e Gaby no sofá da sala, sentados lado a lado. Eles olham para ela.

ROSE: Boa noite filho, Gaby… Vocês já comeram alguma coisa?

O casal se olha e Guilherme irônico responde que “sim”. Rose estão vai em direção ao seu quarto.

GABY: Cheio de graça você, né?

GUILHERME (rindo): Que foi? Eu só disse aquilo pra ela não ficar mais tempo na cola.

GABY: Hum, sei… Bom acho que já vou.

Guilherme concorda e levanta do sofá, Gaby o acompanha e os dois vão em direção a porta.

 

Cena 14

ANOITECENDO, Rua em frente ao prédio, Ext.

Depois de deixar a namorada na esquina, ele volta e olha para a mansão do outro lado da rua, parado por um instante ele atravessa e vai em direção a casa que fica na frente do prédio onde mora. Sem precisar esperar para autorizarem sua entrada, o porteiro abre e o rapaz adentra. Com o celular na mão ele parece mandar mensagem.

Dentro da casa, Diego está sentado no sofá da imensa sala, olhando o celular. Guilherme entra.

 

Cena 15

NOITE, Mansão de Diego, Int.

DIEGO: Fala mano! – percebendo a chegada do amigo.

GUILHERME: Fala! – E se joga no sofá ao lado.

DIEGO: Fazia tempo que não vinha aqui em casa. Né? “Vacilão”! Foi deixar a Gaby na casa dela?

GUILHERME: É…

DIEGO: Mano, amanhã a festa da Carolzinha vai dá o que falar! Tu tem que conseguir desdobrar a Gaby. Vai ser tarde da noite! Ela nem vai saber que você saiu.

GUILHERME: Tô ligado! Mas desde que comecei a namorar ela, dei um tempo dessas festa. Você sabe que minha mãe é maior vigia. Vive em cima.

DIEGO: Mano, nós é de maior. Ainda tá nessa de mamãe ficar te prendendo, tu não era assim há um mês atrás (risos) Será que é a “mamãe” ou é porque você tá “apaixonadinho” pela Gaby, mesmo? – E ri.

Guilherme fica pensativo por um segundo.

GUILHERME: Eu gosto dela. Larguei essa vida de balada! – Ele dá um sorriso, e conclui. – Mas vamo lá amanhã, não vai dar em nada…

DIEGO: Porra! Assim que eu gosto, esse é meu amigo de antes!

A porta da sala abre e o pai de Diego entra na casa. O homem passa pelos dois, sentados no sofá e os cumprimenta.

DORIVAL: Boa noite.

DIEGO: Fala coroa!

Dorival acena e vai em direção a escada, enquanto ele sobe, Diego indaga o amigo.

DIEGO: E aí mano? Meu pai anda pegando muito no pé da tua coroa lá no trampo?

GUILHERME: Não sei, ela acabou de chegar, a Gaby tava comigo, então ela resolveu não falar nada.

DIEGO: Ixi, tá “xônado mermo”!

GUILHERME: Se ela chega mais cedo, pega eu passando o “rodo” na Gaby. Minha mãe é careta às vezes… Agora vive pedindo pra eu me cuidar.

DIEGO: Dá em nada, mano. “Come” tua namorada enquanto pode! Porque depois pode vir outro e comer…

GUILHERME: Ih, qual é Diego, tá me tirando?

DIEGO: Jamais, mano! – Os dois acabam se calando.

 

Cena 16

NOITE, prédio, sala

Guilherme, voltando da casa do amigo, entra e encontra a mãe, sentada na sala. Assim que ela vê o filho entrar, pede para que ele vá em direção a ela.

ROSE: Guilherme, preciso falar com você. – O rapaz interrompe a mãe e diz saber sobre qual assunto ela vai falar.

GUILHERME: Mãe fica calma. A Gaby subiu comigo, a gente comeu alguma coisa da geladeira, depois ela foi embora.

ROSE: Meu filho, preste bem atenção, faz dois anos que você repete esse 3° ano do ensino médio! Esse ano vê se esforça! Ficar de namorinho ou sair de festa em festa com o filho do Dorival não vai te levar a lugar nenhum! Gosto do Diego e tudo, mas ele já está com a vida feita! O pai é rico e, desde que vocês caíram na mesma sala, você ficou assim.

GUILHERME: Não sei se seu problema é meu namoro com a Gaby ou minha amizade com o Diego! Você realmente não acredita em mim. Pensa igual meu pai.

Ele olha para a mãe que faz sinal de negativo com a cabeça.

GUILHERME: Não tente negar! Eu tô me esforçando! Mas isso nunca será o suficiente pra você também. Não é?

ROSE: Olha o tom! Eu só tô dizendo isso pro seu bem. E respeite a memória de seu pai!

GUILHERME: Desculpa, mas essa é a real. Enfim, era só isso?

ROSE: Sim.

GUILHERME: Então boa noite.

Após dar “boa noite”, Guilherme vai em direção ao quarto. Rose apenas o observa, Guilherme entra no quarto e bate a porta.

 

Cena 17

NOITE, o céu e a lua ficam em foco, aparentando estar mais tarde.

 

Cena 18

MADRUGADA, quarto escuro

Em um quarto escuro, aos poucos a imagem de um rosto vai ficando nítida, se aproximando pouco a pouco, percebe-se de quem se trata, Guilherme. Ele faz cara de dor e prazer ao mesmo tempo. Segurando em sua cintura a mão de alguém ao subir se vê o braço forte de um homem. Ele segura forte na cintura de Guilherme, com movimentos de vai e vem. Guilherme vira o rosto na cama, apertando a fronha. O homem em cima dele geme, cheio de tesão. Não demora e ele goza! Nesse momento, deita sobre as costas de Guilherme, com o rosto em foco percebe-se que é Diego.

Guilherme abre os olhos de uma vez só! Aparentemente assustado, olha para o lado, no quarto escuro, ele está sozinho na cama. Tudo não passou de um sonho.

 

CONTINUA…

Anúncios

53 thoughts on “A Divina Vingança – Capítulo 14 (Último Capítulo) + Segredos da Paixão – Capítulo 1

  1. No ar, o primeiro capítulo de “Segredos Da Paixão”. De fato estou muito feliz! Espero de verdade que possa agradar a quem ler!

    Obrigado pela oportunidade, Hivam!

    Curtido por 2 pessoas

  2. E aqui se encerra a minha primeira história nesse site. Batemos a meta, é isso é que importa. Quero agradecer ao Hivam, aos leitores que dedicaram o seu tempo para me dar audiência, e desejar sorte ao meu sucessor. Que seja a primeira de várias 😉

    Curtido por 2 pessoas

    • Obrigado! E espero que você siga acompanhando “Segredos Da Paixão”, lamento por não ter acompanhado sua trama, mas andava muito ocupado.

      Curtir

  3. Lucas, eu não acompanhei “A Divina Vingança” pois a sua web não me despertou interesse (inclusive, eu até te agradeço por isso), mas eu lhe dou parabéns pela sua estadia no MIX e pelo sucesso de “A Divina Vingança”. 😉

    E Christian, sinceramente, as chamadas e nem a sinopse me despertaram interesse, e agora com esse capítulo eu não irei acompanhar a web; percebi erros de pontuação, informações desnecessárias e alguns diálogos que foram colocados na narração, o que não é certo, pois os diálogos e as narrações tem que ser separados; e também a linguagem muito explícita nas narrações, como a palavra “goza” que poderia ser substituída por “atingir o orgasmo”, por exemplo… lhe desejo sucesso na sua jornada pelo Mix. 😉

    Curtir

    • Entendo sua justificativa, no entanto a palavra “gozar” não é nada grosseiro, e nem chega a ser palavrão. No mais, agradeço por ter lido!

      Curtido por 1 pessoa

      • Não é uma palavra grosseira, nem um palavrão, mas é uma palavra chula, não tô falando nos diálogos, mas sim na narração.

        Curtir

      • Também não é uma palavra “chula” você está levando o significado da palavra para o lado vulgar, aí sim ela ganha outro sentido. No mais, aprecio sua observação

        Curtido por 1 pessoa

    • Morro com a palavra “gozar”

      Vem mamar, query
      Mesmo sendo na descrição de cena, acho válido, ainda mais quando a web tem a proposta mais crua, e talvez não seja de sua informação, mas alguns autores famosos (que gosto muito, adoro safadeza sim) usam esses termos. É de causar estranheza, afinal, antes do horário adulto estrear só se falava em putaria no EPC, nas webs era “censurado”, quem sabe.

      Mas enfim, é uma pena que não acompanharás a web, quem sabe um dia uma web do horário lhe agrade.

      Curtido por 2 pessoas

  4. O último capítulo de a divina vingança foi intenso, apresentou inúmeros ganchos surpreendentes e emocionou na cena final do casamento de Paulo e Marcelo.

    O que dizer do capítulo inicial de segredos da paixão? Decepcionante! O capítulo não apresentou nada de interessante e nem acredito que perdi meu tempo lendo aquele besteirol. Abaixo alguns fatores que me desapontou:

    1-O capítulo estava fraco, não houve nenhuma cena importante, nenhum acontecimento interessante, muito menos um roteiro bom.

    2-A abertura é outro ponto fraco, de imagens sem graça à uma música boa, mas que não se encaixava com o que se via atrás. (erro desprezível)

    3-O tema explorada: homossexualismo. foi um fator que me incomodou. O autor abordou de forma indevida esse tema e não causou frisson em nenhum momento com esse casalzinho sonolento que é: Guilherme e Diego.
    Aqui, eu comprovei que não lerei mais nenhum capítulo de segredos da paixão.

    Curtir

    • O primeiro capítulo foi mais para apresentar os personagens principais. A trama aborda o conflito de um rapaz de assumir a homossexualidade, mas em nenhum momento mostrou um relacionamento entre os amigos. O que aconteceu na última cena foi só um sonho de um dos envolvidos.

      Curtir

    • Só pra começar meu querido, é homossexualidade e não homossexualismo.
      Se a web foi “chula”, seu comentário, comparado a uma crítica, foi mais chulo ainda.
      Alguns pontos que talvez você não saiba.
      O capítulo inicial estava lento e foi feito assim pensando na apresentação dos personagens, como na maioria acontece.
      A abertura saiu de minhas “entranhas” então me vejo na obrigação de falar que ela não foi um “erro desprezível”.
      E por que a homossexualidade te incomoda?

      Enfim, me vi na obrigação de responder diretamente, pois falou da abertura e outros detalhes que dizem respeito a coordenação (como chamadas, e revisão de capítulos), espero que eu tenha esclarecido algumas coisas.

      É uma pena que você não acompanhe a web, talvez quando estiver mais aberto às coisas ao seu redor um dia sua web seja aceita aqui no blog.

      Curtido por 1 pessoa

      • Vamos combinar né Hivan. As minhas webs são muito superioras à essa e vc sabe muito bem. Não entendo, como vc não aceitou a minha e deixou essa ser inserida na programação. Mas, ok. EStou seguindo minha carreira em outro blog. Bjus e não lerei essa web chula, e é chula sim.
        Esse blog vai flopar por causa dessa web, pode ter certeza.

        Curtir

  5. Comentário específico de “A Divina Vingança”
    A webnovela iniciou aparentando ser uma coisa e fazer acreditar que a vingança era uma coisa, mas se tornou outra totalmente diferente, o que me surpreendeu.
    Mas antes deu eu ir para a vingança, Marcelo e Paulo se tornaram meu casal preferido, meu Deus como eles foram fofos (e olha que eu odiava o Paulo no início da web), e deu uma virada e tanto, terminar a web com o casamento dos dois foi encerrar a web com chave de ouro. (Me corrijam se eu estiver errado, foi o primeiro casamento gay no Tv Mix? Mesmo que não seja, foi emocionante). Amo ❤
    Pedro estava vivo e nada passou de um plano criado por ele junto com Flávia, eu fiquei sem palavras, apesar que eu já esperava por isso, mas como deu sequência para o acontecimento, dando vida a um monstro e revelando Pedro como um dos melhores vilões da trama (na verdade o único), Rita estava longe de ser vilã.
    Fiquei decepcionado com a forma como Luan tentou ser protagonista de sua primeira cena, sendo o assassino do irmão gêmeo de Pedro, na verdade não colou, pra mim Pedro que deveria ter matado, e colocar Luan com esse “peso” nas costas não ajudou em nada o personagem, só me fez sentir mais asco do mesmo, e concluir que realmente ele não serviu para nada, a não ser para atirar na Rita.
    Agora, indo ao foco da Rita, ela sim, foi a personagem que amei e ao mesmo tempo odiei, nunca a vi como vilã, e ela fugindo da cadeia num possível final foi maravilhoso.
    Os rumos finais foram maravilhosos, a web termina deixando uma linda história, uma trama encantadora e personagens dúbios, confusos e complexos, as vezes sedentos por vingança, dominados pelo ódio, e outras vezes carente de amores…
    Geraldo foi um homem feliz no final das contas, finalmente conseguiu reunir sua família, parcialmente, queria ele com Rita no final, e Luan preso.
    Lucas, parabéns pela web, até entendo a forma como ela não foi capaz de despertar a atenção do público, confesso que eu tenha parte de culpa nisso, não consegui talvez fazer com que as chamadas e tudo mais ficasse atrativo, no entanto eu só lamento pelas pessoas que não acompanharam, a trama deu a virada que você prometeu, é um autor com futuro pela frente, e para primeira web conseguiu o que poucos autores já conseguiram, que foi me surpreender, pela forma como usou da emoção e ação nesse último capítulo, maravilhoso.
    Claro, uma atenção a escrita e tudo fica perfeito, mas isso é questão de prática, parabéns Lucas, e espero ler outras webs suas.

    Curtir

    • Bem, obrigado por ter me dado a primeira oportunidade. Confesso que quando eu enviei a sinopse, tinha na cabeça uma sequência de acontecimentos diferentes desses que realmente foram ao ar. Mas percebi que essa história podia ter muitas vertentes e ações diferentes, então fui modificando até torna-la essa grande história que eu me orgulho muito de ter escrito. Trazer ao ar um casal gay protagonista é muito importante, agora ficarei feliz mesmo quando isso acontecer na vida real. Paulo sempre foi uma boa pessoa, e só melhorou ao longo da história. Pedro é quem realmente era o principal vilão da história, e acho que foi um personagem que se fosse ao ar na vida real, seria bem marcante na teledramaturgia. Quando escolhi Luan para ser o assassino eu o fiz porque queria um nome diferente e inusitado. Se fosse Rita, Flávia, Pedro, Letícia, enfim… São todos nomes muito óbvios. Acho que o Luan foi meu maior erro nessa web, não que eu deveria excluir o personagem, mas acho que não o explorei o suficiente. Chay Suede me odiaria quando lesse o roteiro kkkk. E Rita, bem… Imagino muito a Marjorie fazendo todas essas cenas, seria uma personagem também inesquecível, e que tinha motivos para ser quem era. Bem, Fico feliz de saber que você gostou, e eu não me sinto triste pela web não ter sido um fenômeno no blog. Batemos a meta, somos neste momento a web mais lida do site, e mesmo que não fosse, eu estaria feliz porque gosto de escrever, e não escrevo simplesmente para obter sucesso. Agradeço os elogios, e já tenho mais três sinopses escritas, que pretendo desenvolver brevemente. Agora com um pouco mais de experiência sobre esse mundo, claro. Logo estarei de volta ❤

      Curtir

  6. Comentário específico de “Segredos da Paixão”
    Segredos da Paixão nasce não repentinamente da mente e coração do autor, é uma trama ousada e confesso que um desafio novo tanto pra mim quanto para o autor, Christian, iniciante aqui no blog.
    Logo quando recebi o capítulo percebi que existia uma falta de detalhes, uma trama que envolvesse, mas decidi apostar. Com a chegada dos capítulos percebi algo além, afinal o autor tem uma escrita diferente, “chula” eu diria, e para o horário adulto eu pensei “Por que não?”
    Christian trás na crueza das palavras uma trama mais centrada e ao mesmo tempo “coberta”, existem tantos segredos nela impregnadas que eu acho uma boa apostar pra ver.
    Confesso que com o tempo corrido não me dediquei ao máximo para as chamadas, fiz o que pude, e novamente lamento por elas não despertarem o interesse do público, também acabei por não revisar o capítulo, por falta de tempo, e claro que existe um erro aqui e outro ali, mas com o tempo isso vai ser reparado.
    Digo, Christian, mesmo que nesse momento esteja um pouco difícil, e talvez sempre seja, terás meu apoio durante a trama toda, estarei dando todo o suporte necessário e possível que eu disponho.
    Parabéns pela web, desejo sucesso.

    Curtido por 1 pessoa

    • Obrigado Hivam, a experiência e técnica, contam muito nesses momentos. Até porque, ninguém nasce sabendo. E é esta visão que tiro das críticas em cima da Web.
      Pra finalizar, a trama é bem, nua e crua por estar no horário adulto. A classificaria como (+18) Isso explica muita coisa nos diálogos e nas descrições.

      Curtir

  7. O último capítulo de A Divina Vingança parece ter sido escrito às pressas, ou simplesmente descompromissadamente. Ao invés de solucionar dúvidas, ela gerou novas.

    O fato do Tony não ter morrido naquele acidente gerou furos, porque não ficou claro o que aconteceu com ele depois daquele acidente, nem ficaram claras as circunstâncias que puseram o Tony na sala do Pedro e vestido como o Pedro. Entendi que o Pedro armou uma cilada pro Tony pra poder salvar a própria pele, mas ele e a Flávia arquitetaram um plano muito mirabolante que só deu certo graças à má utilização do Tony na trama e da história superficial do Pedro e do Tony…

    Luan foi revelado como o assassino do Tony. Olhando por um lado, foi uma sacada de mestre. Desde o início, ele foi apresentado como o culpado, lembra que, em sua primeira aparição, o Luan chamou a atenção porque seu olhar exalava morte. A morte do Pedro, arquitetada por ele. Foi a maneira encontrada de compensá-lo pelo fato de ter sido ofuscado por outras tramas durante a web. Seria a chance de ele virar o jogo e dominar o último capítulo: ele teve a chance de ouro de completar o serviço e ainda tentar lutar pelo Marcelo… mas ele se acovardou, reagiu passivamente ao constatar que falhou em matar o Pedro; e nem o fato de ter atirado na própria mãe pra salvar o Marcelo o fez reagir; e claro, reagiu passivamente à união do Marcelo e do Paulo (porque foi tão ofuscado por outros personagens que acabou sumindo). E nem a morte do Tony, e nem o tiro na Rita tiveram consequências. Tal qual Pedro e Tony, Luan foi um desperdício… uma promessa que acabou amordaçada pelos outros personagens.

    A relação do Marcelo e do Paulo nunca me empolgou. Foi apática, do início ao fim. Já comentei que o Marcelo não me passa naturalidade em nada do que faz ou fala, como se ele fosse um androide ou um extraterrestre. Até o Luan, que era esquisito por natureza porque era um vampiro (ou simplesmente adepto ao vampirismo), me passava mais naturalidade no que fazia e falava. Falando nisso, eu preferiria que o Marcelo terminasse com o Luan do que com o Paulo. Eu queria que aquele Luan provocador tivesse prevalecido, mas infelizmente ele se acovardou. Isso produziria um plot bem interessante, apesar de clichê, onde o Marcelo descobriria que o alvo da sua vingança era ninguém menos que o seu próprio namorado.

    Rita foi uma boa vilã. De longe, a melhor personagem de A Divina Vingança. Não pudemos conhecê-la muito devido ao foco exagerado no Marcelo e na sua vingança contra o assassino do seu pai… Marcelo não estava preparado para segurar o rojão de personagem central, mas a Rita parecia ter fôlego pra tal. Felizmente, isso não afetou o seu desempenho… me arrisco a dizer que ela foi a única personagem a brilhar ali, mesmo com todos os holofotes em cima do Marcelo.

    Faltaram duas coisas em A Divina Vingança: profundidade e gerenciamento. Personagens e histórias desperdiçados em uma trama conduzida superficialmente e com foco exagerado em seu personagem central. A história de ADV não é ruim, mas estava “oca”, e alguns personagens pagaram o preço por isso. Histórias promissoras, como a do Luan, foram sufocadas por falta de holofotes.

    O saldo de A Divina Vingança é negativo como um todo. Espero que isso não sirva como desestímulo ou coisa do tipo para o autor, e sim como aprendizado. Não me lembro, mas esta deve ser a sua estreia, é natural que haja problemas de percurso, mas quanto antes as falhas forem apontadas melhor: as próximas obras, caso vinguem, receberão maior perícia; e assim, poderemos notar a sua evolução.


    A partir de hoje, o horário adulto apresentará Segredos da Paixão. A princípio, o autor vem nos mostrar uma história sem muito compromisso, apostando num vocabulário mais simples e espontâneo… até grosseiro, mas principalmente espontâneo, numa vibe meio a-vida-como-ela-é.

    Segredos da Paixão não surpreende. Não há uma mostra de roteiro, nem de rotina, e sim de personagens: eles simplesmente são largados em cena para fazerem o que quiserem. Resume-se assim esse primeiro capítulo.

    Certamente a web terá grandes dificuldades para fidelizar público. Como bem disse, não há roteiro, não há história. Há apenas os personagens da web hospedados numa Westworld da vida sem anfitriões.

    Insistirei nos próximos capítulos, na esperança de que minha opinião mude. Será triste se eu constatar que Segredos da Paixão realmente sobrevive única e exclusivamente das atitudes de seus personagens. O autor terá fracassado enquanto autor de uma web-novela. A vida comum dos personagens de Segredos da Paixão parece não gerar material para uma web-novela.

    Curtido por 2 pessoas

    • Bem, acredito eu que o fato de ter apenas 14 capítulos para desenvolver uma web que tem várias histórias dentro de uma pesou para o fato de eu não me aprofundar tanto nas histórias dos personagens. Creio que em uma história, alguns fatos possam ser de certa forma adivinhados. Eu não quis escrever uma história mastigada, e sim que os leitores pensassem, desde o início. E claro, como eu disse, se tivesse mais dias para escrever, com certeza teria me aprofundado mais ainda. Luan, como eu disse ali em cima, do o meu maior erro nessa história. Acho que pra o número de capítulos que eu tinha, deveria ter escrito menos conflitos. Na verdade, acredito eu que a história da vingança e tudo o que a cercou, diminuiu um pouco o espaço para que os casais florescessem. Luan, a princípio era pra criar conflitos entre os protagonistas. Acabou que eu não aproveitei bem o personagem, confesso. Agora, dizer que A Divina Vingança termina com um saldo negativo, eu considero uma injustiça. Todos tem a sua opinião, é claro, mas eu acredito que a história foi bem escrita, interessante e cheia de ação. Acredito que os personagens eram interessantes, e que se houvesse mais tempo para explora-los, eles teriam ido ainda mais longe. Muitas histórias pecam hoje em dia pela sonolência. Enfim, obrigado pela crítica, e logo estarei de volta, com novas histórias.

      Curtido por 1 pessoa

  8. QUE WEB CHATA HAHAHAHAHHA O FREDCURNU ESCREVE MELHO ESSAS COISA HAHAHAHAHAHHAHAHAHAHAHAHA ISSO É UM LIXOOOOOOOOOOOOOOOOO E BESTAAAAAA

    Curtir

  9. Primeiramente falando sobre “A Divina Vingança”, infelizmente não pude acompanhar a trama, porém pelo pouco que me falaram sobre a história parecia ser uma história cheia de mistérios e muita ação.. eu só li a cena final (afinal eu não entenderia o resto rs) e gostei do epílogo não sei nada sobre a personagem em questão mas acredito que deu aquele ar de que a história continua (coisa que eu adoro, inclusive usei algo parecido na minha web NP)… Rs No mais parabéns pela sua primeira web, espero que vc tenha alcançado o seu objetivo com ela e aprendido com os elogios e críticas que veio a ter.. e espero acompanhar próximas​ tramas suas.

    Agora quanto a Segredos da Paixão, sua trama me despertou um pouco de curiosidade já pelas chamadas, mas pelo fato do mistério envolvendo a suposta homossexualidade dos protagonistas. Enfim, confesso que o primeiro capítulo não me agradou de imediato, algumas cenas estavam tão sem graças que eu perdia a vontade de ler até ao final. Mas com o decorrer dá leitura conseguir entrar na história e entender mais ou menos o que você pretendia passar. Digamos que você usou esse capítulo mais pra apresentar a história e os personagens, e isso é bom. Algumas questões tipo estrutura, alguns pequenos erros foram notáveis. Mas nada que pudesse atrapalhar. Agora em questão de história, pouco nos foi apresentado então não tenho muito o que opinar, enquanto Diego parece ser o tipico play boy, Guilherme parece ser aquele garoto apaixonadinho mas que não quer perder a liberdade de solteiro e as diversões com o amigo. Pelo menos foi isso que me passou. Realmente o ponto alto do capitulo ficou com a ultima cena, me revelou muita coisas e me confirmou o que eu já suspeitava.. rsrs Ja estou criando minhas teorias. Seria só um sonho mesmo ou uma lembrança? Isso descobriremos mais tarde. Quanto a abertura achei linda e me apaixonei pela música 😍. Enfim, por enquanto é isso, seu primeiro capítulo não foi perfeito e também não foi um dos melhores que já li, esperava um pouco mais pelas chamadas, espero um pouco mais de agilidade daqui pra frente e vamos com tudo rs. Não se abale com críticas porque elas só servem para nós ensinar. E aguardo pelo próximo capítulo na esperança de que seja melhor que o primeiro e não me decepcione.. 😋

    Curtido por 1 pessoa

    • Obrigado! De fato, o primeiro capítulo foi mais lento, e digo mais, a trama não entregará todos os segredos de imediato. Então você terá que ir lendo capítulo por capítulo para que possa ir ligando, peça por peça.
      Essa música da abertura, que pra mim ficou muito boa, é o tema do casal.

      Contei demais, rs. Lhe espero hoje no segundo capítulo 😉😀

      Curtir

  10. A Divina Vingança:
    Uma web que li todos os capítulos, mais não consegui cometar todos.
    Parabéns Lucas, todas as web que tem um final com um inicio de outra historia, nos da a chance imaginar como seria, isso e D+.

    Segredos da Paixão:
    Uma web com um estreia que passou pela a cabeça que o Guilherme

    Curtir

  11. Segredos da Paixão:
    Uma web com um estreia que passou pela a cabeça que o Guilherme foi trocado na maternidade pelo Diego. Só uma ideia.
    Não entendi a abertura, o que ela significa.
    Vou fazer força para acompanhar, principalmente por causa das criticas. Não vou criticar, pois para mim criticar eu deveria ter uma web já produzida, e não tenho.

    Curtido por 1 pessoa

  12. Parabéns ao autor de A Divina Vingança pela trama e pelo grande final!
    #. 😀 🙂 ❤
    E parabéns também ao autor de Segredos da Paixão! 😀 Desejo muito sucesso e boa-sorte!
    #. 😀 🙂 ❤

    Curtido por 1 pessoa

  13. Sobre A Divina Vingança, infelizmente não pude acompanhar a web. Li a última cena, e pelo que parece, deixou um ar de continuação. Parabéns, Lucas! Aguardando uma futura web sua aqui no Mix. 😉

    Estréia de Segredos da Paixão.

    Quando li a sinopse, achei que a web tinha mais cara de web das 20/21hrs e não do horário adulto. Agora lendo o capítulo, em determinadas cenas observei que sim, possuem núcleos que a faz ser uma trama das 22hrs. Segredos da Paixão estréia com um palavreado “agressivo”, digamos assim, e vulgar, além de uma narrativa um tanto diferente das webs que acostumo ler. Vi que esse capítulo foi voltado a apresentação de personagens, então não tenho uma opinião ainda sobre a web.

    Parabéns pela estréia no Mix, Cristian! Aguardando o próximo capítulo.

    Curtido por 2 pessoas

    • Obrigado! E digo que a Web continuará assim, com os personagens usando um linguajar realista, até porque a trama se passa no mundo dos jovens.
      E vão chegar outros personagens, e como é uma trama cheia de segredos, só acompanhando para descobrir tudo.

      Curtido por 1 pessoa

  14. A divina vingança terá continuação? Parabéns ao autor pela web. Li os primeiros quatro capítulos e depois fiquei sem tempo de continuar… Hoje,de folga,li todos os outros capítulos de uma só vez, comecei com a intenção de ler mais um capítulo e não consegui mais parar. Torcendo por uma continuação em Breve.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s